Blog do Eliomar

Categorias para Política

Guedes prevê “enxurrada de notícias boas” após reforma da Previdência

O ministro da Economia, Paulo Guedes, previu que haverá uma “enxurrada de notícias boas” no segundo semestre, após a aprovação da reforma da Previdência. Ele também classificou de barulho as notícias sobre o mau resultado do Produto Interno Bruto (PIB) este ano, garantindo que as expectativas vão se reverter rapidamente após a aprovação da reforma. Guedes elogiou o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pela participação do Congresso Nacional na condução da reforma da Previdência, considerada por ele como “a mãe das reformas”.

“Nós estamos muito confiantes na liderança dele [Rodrigo Maia] na Câmara dos Deputados, no apoio político que estamos recebendo lá. Rodrigo tem sido muito construtivo como presidente da Câmara. O [senador e presidente do Senado] Davi Alcolumbre [DEM-AP] também nos tem dado todo apoio. Se fizermos uma reforma de R$ 1 trilhão, nós temos potência fiscal para lançarmos um sistema de capitalização logo depois. E este sistema de capitalização bota o Brasil para crescer. A reforma da Previdência clareia os horizontes para investimentos privados, internos e externos. Na hora em que aprovar, os recursos começam a vir”, disse Guedes.

O ministro afirmou que a reforma será aprovada nos próximos meses e no segundo semestre já será possível perceber um “outro país”. Para Guedes, os resultados de crescimento do PIB abaixo do esperado na economia não são preocupantes, pois apenas indicam que houve um excesso de otimismo do mercado.

“O Brasil vai retomar o crescimento. Esta revisão [do crescimento do PIB] que está sendo feita para baixo agora não está me preocupando. Mercado financeiro é meio excitado mesmo. Isso é coisa menor. É som de batalha. É tiro para cá, tiro para lá, mas o que interessa é a marcha principal do evento. Os Poderes estão alinhados, o Congresso e o Executivo falando a mesma língua, do ponto de vista econômico. Aqui é uma barulheira na superfície, mas no mais profundo é um processo saudável, construtivo. É a dinâmica de uma sociedade aberta. Estou super confiante no Brasil”, disse o ministro.

(Agência Brasil)

Educação: impasses precisam ser superados

Editorial do O POVO deste sábado (18) aponta que o Ministério da Educação, no atual governo, tem produzindo mais problemas do que propostas . Confira:

Passados cinco meses do governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL), um dos ministérios mais importantes da Esplanada – o da Educação – continua funcionando de forma errática, produzindo mais problemas do que propostas para essa área por demais sensível. Não por acaso, foi a partir das escolas e universidades, que se produziu a maior mobilização popular, desde as manifestações pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff.

O governo procurou reduzir a importância dos atos que se espalharam por todo o Brasil, na quarta-feira, chamando a massa estudantil – nas palavras do próprio presidente – de “idiotas úteis”, manobrados por “espertalhões”. Mas o que pôde ser comprovado é que, apesar de algumas reivindicações específicas de poucos setores terem destoado do móvel central da mobilização, a grande maioria dos estudantes foi às ruas para protestar contra o contingenciamento de verbas e o corte de bolsas de mestrado e doutorado nas universidades. Nem se entra aqui no mérito se estão certos ou errados os estudantes, mas o fato inescapável é que foi um ato importante, cujas consequências ainda estão por se observar.

E, nem bem os estudantes haviam deixado as ruas, estoura outra crise no Ministério da Educação: a demissão do presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa Educacionais (Inep), Elmer Coelho Vicenzi. Seu sucessor, Alexandre Lopes é o quarto nome a assumir o cargo, o que soma uma substituição a cada mês, praticamente. Sem contar que a pasta da Educação, em parcos cinco meses, já está no segundo titular.

Essa situação, por si bastante dramática – o Inep é responsável pelas provas do Enem -, torna-se ainda mais grave quando se conhece o motivo que levou ao afastamento de Vicenzi: uma disputa em torno do pedido do ministro Abraham Weintraub em conhecer dados sigilosos dos estudantes, o que foi recusado pelo procurador-chefe do MEC. A intenção do ministro e do governo seria utilizar esses dados, entre outras ações, para criar uma carteira de estudantes, de modo a retirar essa tarefa da responsabilidade da União Nacional dos Estudantes (UNE), a principal fonte de renda da entidade estudantil.

O fato é que a indicação de titulares para o MEC – como é o caso do atual ministro e de seu antecessor -, partidários da teoria de que as universidades e as escolas em geral são o lócus de “esquerdistas”, mais interessados em fazer “balbúrdia” do que em estudar, tem feito muito mal à educação brasileira. Se a situação assim persistir, o impasse continuará impedindo qualquer avanço nesse setor, que poderá, aí sim, transformar-se em um campo de guerra ideológica, o que poderá satisfazer alguns segmentos extremados, tanto da situação quanto da oposição, mas levará a educação brasileira a um beco sem saída.

Caucaia diz ter R$ 28 milhões para conter avanço do mar no Icaraí

599 5

O prefeito Naumi Amorim diz que acompanha as ações no Ceará e em Brasília para resolver o problema do avanço do mar no Icaraí, em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza.

De acordo com Naumi, a União já teria disponibilizado a quantia de R$ 28 milhões para conter as águas do mar, que já destruíram barracas de praia, residências, parte da avenida principal e agora ameaça condomínios.

O prefeito de Caucaia agora espera pelo apoio do Estado para tocar as obras.

(Foto: Arquivo)

Forma de governar não agrada grupos do passado, diz Bolsonaro

195 2

O presidente Jair Bolsonaro afirmou em nota que a mudança na forma de governar o Brasil não tem agradado a grupos que, no passado, se beneficiaram do ele chama de “relações pouco republicanas”.

“Venho colocando todo meu esforço para governar o Brasil. Os desafios são inúmeros e a mudança na forma de governar não agrada aqueles grupos que, no passado, se beneficiaram das relações pouco republicanas. Quero contar com a sociedade para juntos revertermos essa situação e recolocarmos o país de volta ao trilho do futuro promissor. Que Deus nos ajude”, disse Bolsonaro.

A declaração foi uma resposta ao vazamento de uma mensagem do próprio presidente Bolsonaro enviada a grupos de WhatsApp dos quais ele faz parte. Na mensagem, revelada pelo jornal O Estado de S. Paulo, o presidente compartilha um texto assinado por um “autor desconhecido”, em que o principal argumento é o de que o país é governado “exclusivamente para atender aos interesses de corporações com acesso privilegiado ao orçamento público”. Segundo este texto, o Brasil seria uma país “ingovernável” fora de “conchavos”.

O Palácio do Planalto confirmou que o texto em questão foi realmente distribuído pelo presidente em grupos de WhatsApp. Ao distribuir a mensagem, o presidente classifica o texto como “no mínimo interessante” e ainda escreve: “Em Juiz de Fora (06/set/2018), tive um sentimento e avisei meus seguranças: ‘essa é a última vez que me exporei junto ao povo. O Sistema vai me matar’. Com o texto abaixo cada um de vocês pode tirar suas próprias conclusões”. Em seguida, ele teria pedido para que o material fosse compartilhado.

(Agência Brasil)

PGE confirma decretos para reforçar ajuste fiscal

Da Coluna Eliomar de Lima, no O POVO deste sábado (17):

Virão mais do que 10 decretos no pacote que o Governo do Estado fecha, no momento, com o objetivo de reforçar o ajuste fiscal e evitar maiores complicações em razão da crise no País e, principalmente, da queda da arrecadação federal que implica redução de transferências da União.

O procurador-geral do Estado, Juvêncio Vasconcelos Viana, afirma “que virão medidas para aumentar a arrecadação e segurar os custos, pois o equilíbrio fiscal é nosso bem maior”.

Neste ano, entre as medidas, nada de concurso público no Executivo. “Nem o nosso, da PGE, devemos fazer”, lamenta, mas lembra ser exigência do atual cenário.

Virão também “controle rígido no aspecto das terceirizações’ e “maior fiscalização” das secretarias que terão novas metas a cumprir.

Bolsonaro sanciona projeto que anistia partidos políticos

198 1

No último dia de prazo, o presidente Jair Bolsonaro sancionou nessa sexta-feira (17) o projeto de lei que altera regras de funcionamento dos partidos políticos. Entre as mudanças estabelecidas, está a que dá autonomia às legendas partidárias para definir o prazo de duração dos mandatos dos membros dos seus órgãos internos permanentes ou provisórios.

A lei também concede anistia aos partidos pelas penalidades por descumprimento do investimento mínimo de 5% recursos do Fundo Partidário na promoção da participação feminina na política, que incluem gastos com eventos e propagandas que estimulem e igualdade de gênero na política. As legendas ficam livres de multa caso tenham financiado, pelo menos, candidaturas femininas nas eleições do ano passado.

O texto também traz outras mudanças nas regras de organização partidária, como a desobrigação de diretórios municipais de prestar contas à Justiça Eleitoral caso eles não tenham registrado movimentação financeira durante o respectivo exercício. O projeto de lei foi aprovado pelo Congresso Nacional no dia 24 de abril.

O único veto presidencial ao projeto que veio do Congresso trata de um trecho que dava anistia em caso de doações de servidores públicos que ocupam cargos comissionados. O trecho vetado previa anistia das devoluções, cobranças ou as transferências ao Tesouro Nacional “que tenham como causa as doações ou contribuições feitas em anos anteriores por servidores públicos que exerçam função ou cargo público de livre nomeação e exoneração, desde que filiados a partido político”.

Para vetar o trecho, o governo argumentou limitação fiscal. “A anistia (…) é inoportuna no atual quadro fiscal em virtude da renúncia de receita dela decorrente”, diz o trecho da Mensagem Presidencial que justifica a decisão.

(Agência Brasil)

Dirceu se apresenta à PF em Curitiba para cumprir pena na Lava Jato

O ex-ministro José Dirceu se apresentou há pouco na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba para começar a cumprir pena de pena de oito anos e dez meses de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Esta é a segunda condenação de Dirceu no âmbito da Operação Lava Jato.

A prisão foi determinada ontem (16) pelo juiz Luiz Antonio Bonat, titular da 13ª Vara Federal em Curitiba. A decisão foi tomada após o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), sediado em Porto Alegre, negar recurso da defesa de Dirceu e determinar o cumprimento da pena com base no entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) que autoriza prisão ao fim dos recursos em segunda instância.

Conforme a decisão de Bonat, o ex-ministro deveria ter se apresentado à PF até as 16h, mas ele não chegou no horário determinado. Segundo a defesa, Dirceu saiu de Brasília durante a madrugada de hoje, fez o trajeto até Curitiba de carro, mas, devido ao mau tempo na estrada, não conseguiu chegar no horário determinado pelo magistrado.

A primeira condenação de Dirceu na Lava Jato foi proferida pelo então juiz federal Sergio Moro, em março de 2017, quando o ex-ministro foi considerado culpado por ter recebido R$ 2,1 milhões em propina proveniente de contratos na Petrobras, entre 2009 e 2012.

Segundo a denúncia do Ministério Público Federal (MPF), parte desse valor foi recebida por meio de 118 voos em táxis-aéreos. A pena inicial estipulada foi de 11 anos e três meses de reclusão. A condenação foi confirmada pela Oitava Turma do TRF4 em setembro do ano passado. A pena, porém, foi abrandada, sendo reduzida para oito anos e dez meses.

Em seguida, a defesa do ex-ministro apresentou diversos recursos em forma de embargos, prolongando o desfecho do caso na segunda instância.

(Agência Brasil)

Dr. Jaziel propõe disciplinas de cidadania, solidariedade e participação política nas escolas

218 1

O deputado federal Dr. Jaziel (PR-CE) protocolou projeto de lei que estabelece as disciplinas de cidadania, solidariedade e participação política nas escolas. Segundo o parlamentar, a ideia é o resgate de valores morais na juventude brasileira.

“O artigo 205 da nossa Constituição Federal fala que a educação visa ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho, assim como a Lei de Diretrizes de Base fala do exercício da cidadania como finalidade da educação. Com esse projeto daremos importantes passos rumo a uma sociedade melhor”, disse Dr Jaziel, nesta sexta-feira (17), durante entrevista ao programa Jornal da Clube, na Rádio Clube, AM 1200, com apresentação dos jornalistas André Capiberibe e Renato Abreu, com participação do jornalista Barros Alves.

“O Brasil precisa ser mudado e é desenvolvendo a consciência patriótica de nossa juventude que avançaremos em direção dessa tão desejada mudança”, completou o deptado.

O programa Jornal da Clube vai ao ar de segunda-feira a sexta-feira, das 18 às 19 horas.

(Foto: Divulgação)

Corte Suprema da Argentina julgará Cristina Kirchner por corrupção

A Corte Suprema de Justiça da Argentina confirmou para a próxima terça-feira (21) o primeiro julgamento oral da ex-presidente Cristina Kirchner por corrupção. O juízo oral estava marcado inicialmente para acontecer no dia 26 de fevereiro, mas foi adiado por problemas de saúde de um dos juízes do caso, que morreu em março.

Na última terça-feira (14), a Corte Suprema pediu o processo para revisá-lo e, então, surgiram dúvidas sobre um possível novo adiamento do juízo oral. No entanto, a Corte confirmou que a audiência está mantida.

Juiz pede prisão preventiva de Cristina Kirchner
Justiça confirmou para terça-feira julgamento da ex-presidente Cristina Kirchner – Alberto Raggio/Reuters/Direitos reservados
“O pedido para revisão dos autos por esta Corte não suspende o juízo oral em trâmite, e não houve decisão alguma do Tribunal Oral nesse sentido. A medida é apenas para examinar a causa que, uma vez extraídas e certificadas as cópias pertinentes, será devolvida a este Tribunal, em tempo oportuno”, diz documento expedido pela Corte.

A confirmação do julgamento causou manifestações contra e favor de Cristina Kirchner. De um lado, os apoiadores do presidente Mauricio Macri e opositores de Cristina, comemoram o fato, principalmente por se tratar de ano eleitoral no país. De outro lado, os chamados kirchneristas, reclamam que o atual governo vem exercendo pressões sobre a Justiça.

Cristina Kirchner é acusada em mais de dez ações, cinco delas com pedidos de prisão, que não podem ser executados devido ao foro privilegiado por ser senadora. Na ação pela qual será ouvida na terça-feira (21), a ex-presidente é investigada por irregularidades em obras públicas que teriam favorecido o empresário Lázaro Báez; o ex-ministro do Planejamento Julio De Vido e o ex-secretário de Obras Públicas José López, todos presos por outros crimes.

Em setembro, Cristina Kirchner e os filhos serão ouvidos em outro processo, por lavagem de dinheiro. Candidata novamente à Presidência este ano, ela vem aparecendo nas pesquisas com uma pequena vantagem em relação ao seu opositor e atual presidente, Mauricio Macri.

(Agência Brasil)

Mauro Albuquerque – O binômio trabalho-educação nos presídios

Com o título “A força do Estado”, eis artigo do secretário da Administração Penitenciária do Ceará, Mauro Albuquerque. Ele aborda avanços no setor, com a chegada de empresas oferecendo empregos para internos que, também, ganham acesso à educação. Confira:

Com apenas quatro meses de funcionamento, já é possível avaliar os resultados da nova Secretaria dedicada a administrar o sistema penitenciário cearense. A sensação de segurança nas unidades prisionais e os benefícios sociais a presos, egressos e sociedade são fruto da principal premissa deste trabalho – “O Estado é a força imperativa e executora da Lei”. Quando se relativiza isso, os protagonistas do caos criam suas regras, desacreditam as instituições, desestabilizam o funcionamento social e faturam alto com a algazarra instalada.

A determinação do governador Camilo Santana é clara. E ela é seguida no rigor e amparo da Lei de Execução Penal e da nossa Constituição. Em 120 dias nós conseguimos disciplinar as unidades, encerrar as exigências do crime organizado, desativar a indústria financeira abastecedora dos criminosos, acelerar o processo de justiça aos presos que tinham direito a liberdade e aumentar o orgulho e satisfação do servidor público prisional em seu cotidiano. A execução dessa premissa criou outro ambiente. Uma nova atmosfera é vivenciada pelos mais de 24 mil presos e os quase 4 mil agentes penitenciários do sistema.

No final do mês de abril, as empresas Mallory e Ypióca se sentiram seguras e motivadas a criar espaços e linha de produção fabril para parte de nossas internas da unidade feminina. Trabalho, renda e remição de pena. Convidamos o setor produtivo a se engajar no projeto das cadeias produtivas. Na primeira quinzena de maio iniciamos uma parceria de grande proporção com o Senai, que já disponibilizou formação profissional para mais de 4 mil detentos. Já temos internos com lições práticas de nove cursos, desde a capacitação em instalações elétricas até a formação em manutenção de motores. Homens e mulheres que serão devolvidos a sociedade com uma verdadeira profissão.

Novas salas de aula já foram construídas pelos detentos e estão em plena operação pedagógica. São cerca de 2 mil internos no processo de alfabetização e ensinos fundamental e médio. A disciplina e segurança do sistema atual nos permitem seguir o objetivo da ressocialização através do binário educação/trabalho. Nós temos a crença. Trabalhamos diuturnamente pra isso e a base desse sonho vivido está, antes de qualquer aspecto, na força inapelável do Estado.

*Mauro Albuquerque,

Secretário da Administração Penitenciária do Ceará.

Google Trends registra manifestação como um dos principais assuntos em ascensão

O assunto “manifestação” é um dos principais em ascensão, nas últimas 24 horas, no Brasil. Isso, após crescer 400% no Google entre ontem e hoje. É o que registra a Veja Online nesta sexta-feira.

Já as consultas “manifestação hoje” (+1.000%) e “contingenciamento” (+950%) figuraram entre os 10 termos de maior crescimento.

Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais foram os estados mais interessados no assunto durante o período.

Fortaleza realizou também uma grande manifestação contra o corte de verbas da educação.

(Foto – Leitor do Blog)

Desordem e retrocesso – Falta a Bolsonaro poder de controle?

186 1

Com o título “Desordem e retrocesso”, eis artigo de Ítalo Coriolano, jornalista do O POVO. “Falta a Bolsonaro a capacidade fundamental que era imaginada durante a campanha: poder de controle”, diz no texto o articulista. Confira:

Patriota do jeito que é – ou que se diz ser -, o presidente Jair Bolsonaro poderia ter iniciado seu governo seguindo, pelo menos, o lema positivista que estampa a bandeira nacional: ordem e progresso. Entretanto, passados quase cinco meses de gestão, o que se observa é uma bagunça generalizada, comprometendo a estabilidade de sua administração e o futuro do próprio País.

O primeiro passo para se conquistar um mínimo de tranquilidade é colocar as pessoas certas nos lugares certos. Fica impossível fazer algo de bom na área pública escolhendo Damares, Ernestos, Weintraubs e afins para cargos estratégicos. Sem as qualificações necessárias, sem apreço ao diálogo, fica impossível planejar e executar ações efetivas. Não se trata de ser de esquerda ou direita, se trata de ser competente, de deixar as ideologias de lado e agir de forma técnica.

Infelizmente, o que se vê é exatamente o contrário. Há um desejo incontrolável, e isso inclui o próprio presidente, de alimentar uma guerra politiqueira que, até agora, só serviu para desidratar a popularidade do ex-deputado e deixar o Brasil distante do caminho correto, lá na beira do abismo. Basta olhar os números da economia.

Falta a Bolsonaro a capacidade fundamental que era imaginada durante a campanha: poder de controle. O presidente sequer consegue afastar a influência negativa que os filhos exercem sobre assuntos federativos. Não satisfeitos em manter o clima bélico com a oposição, ainda compram briga com os militares. Se alguma coisa anda no Executivo, temos que agradecer a essa ala.

A Educação é uma das áreas onde o caos parece imperar. Anunciam cortes em três universidades com argumentos estapafúrdios, depois ampliam a medida sem critério algum. A resposta veio das ruas, e é aí onde reside o perigo. Caso as manifestações cresçam, Bolsonaro terá mais um tsunami para se preocupar. E não é xingando estudantes que as coisas vão melhorar. Por isso, é urgente recomeçar. Refundar o governo. Trazer a competência para o centro, consolidar uma base no Congresso, respeitar as divergências. Sem isso, o lema da era Bolsonaro não poderá ser outro: desordem e retrocesso.

*Ítalo Coriolano

Jornalista do O POVO.

coriolano@opovo.com.br

(Foto – Divulgação)

AGU cria regionais de combate à corrupção

A Advocacia-Geral da União (AGU) publicou hoje (17), no Diário Oficial da União, portaria em que cria escritórios regionais de dedicação exclusiva ao combate à corrupção, cada um composto por 100 advogados públicos.

Com isso, advogados públicos que atuavam em casos de corrupção espalhados pelas diversas varas do país ficarão agora concentrados nos chamados Grupos Regionais de Atuação Proativa (Graps), atuantes em cada uma das cinco procuradorias regionais da União e com 100 integrantes dedicados exclusivamente ao tema.

Os Graps terão duas frentes principais de atuação, segundo a AGU: o combate à improbidade administrativa e a recuperação de ativos.

(Agência Brasil)

Editorial do O POVO – “Enque regional do nacional”

Com o título “Enfoque regional do nacional”, eis o Editorial do O POVO desta sexta-feira. Aborda o olhar nordestino das recentes manifestações, a partir de cobertura por meio do projeto Conexão Nordeste. Confira:

As manifestações de rua contra o corte de recursos para a educação pública estrearam, ao que tudo indica, uma nova etapa na articulação da sociedade em prol de seus direitos (assim deverá ser entendido pelas autoridades, se houver tirocínio) e deram ensejo também a que o olhar regional pudesse expressar-se de modo diferenciado na percepção da crise. Isso pôde ser visto de várias maneiras, inclusive, no âmbito jornalístico. Basta ver a experiência de cobertura unificada levada a cabo por três jornais regionais de reconhecido prestígio nacional: O POVO (CE), Correio (BA) e Jornal do Commércio (PE), reunidos na Rede Nordeste, criada exatamente há um ano e que agora teve seu “batismo de fogo” na estreia do programa Conexão Nordeste, através das redes sociais.

A Rede Nordeste é apenas mais uma sinalização de que a região dá passos significativos, em vários âmbitos, para assumir o papel que lhe cabe dentro do pacto federativo. Longe de significar qualquer namoro com o fantasma do separatismo, a afirmação regional ajuda a Federação a caminhar mais harmonicamente e com maior eficácia, visto que implica em promover a unidade nacional a partir de círculos concêntricos de organização que se integram num círculo maior, dando ensejo à junção e complementação de seus diferentes níveis de desenvolvimento, sem esmagamento dos retardatários.

Este jornal, aliás, já demonstrou simpatia pela elevação da região à condição de ente federativo. Embora no presente o Nordeste se apresente mais homogeneizado, politicamente e ideologicamente (o que é uma vantagem), no passado recente prevalecia a disputa insana entre os estados que o compõem, o que enfraquecia a região perante o poder central.

O fato de as disparidades regionais estarem se acentuando aceleradamente já seria motivo para o Nordeste assumir uma posição de alerta. Seria omitir-se guardar para si as contribuições que poderia oferecer para a construção de um projeto nacional mais assentado na realidade circundante. Os governos estaduais e municipais da região e seus parlamentos estão respaldados igualmente pela legitimidade conferida pelos votos dos cidadãos depositados nas urnas e têm direito a reivindicar que seus pontos de vista sobre a forma de resolver a presente crise sejam também levados em conta. Têm muito o que dizer, por exemplo, em relação ao modelo de previdência mais adequado à nossa realidade e ao modelo econômico, em geral.

À potencialidade econômica do Nordeste e à sua projeção política somam-se agora as particularidades de um jornalismo compromissado em adicionar a nuance regional ao costumeiro retrato monocromático nacional, como tenta a Rede Nordeste, dentro do conceito holístico de que o todo está contido igualmente na parte, e não apenas esta, no todo.

(Editorial do O POVO/Foto – Leitor do Blog)

Manifestações contra corte de verbas na educação expõem desarticulação digital dos bolsonaristas

Ato em Fortaleza ocupou o Polo Cultural do Benfica.

Durante as manifestações bem sucedidas contra o corte de verbas na educação, um fato chamou a atenção, segundo o jornalista Lauro Jardim, colunista do O Globo: a pouca mobilização digital da turma de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro.

Em outros tempos, ao menos uma hashtag matadora pró-Bolsonaro ou de escárnio aos manifestantes teria ido para o topo dos trending topics.

Pelo visto, os bolsominions não tiveram força — ou disposição — para tanto.

(Foto – Leitor do Blog)

Caso Flávio Bolsonaro – Membros do MP do Rio especulam sobre delator

Membros do Ministério Público do Rio apostam que investigadores do caso Flávio Bolsonaro contam com um delator ou testemunha. Essa versão também chegou a cortes superiores, informa a Coluna Painel, da Folha de S.Paulo desta sexta-feira.

Promotores que não atuam no caso avaliam, de acordo com a Folha, que os dados da quebra de sigilo serão usados apenas para corroborar ou derrubar teses que o MP já havia formulado.

Um grande volume de documentos foi anexado ao processo. A aposta é a de que ao menos uma parte dos dados do senador e dos outros alvos da quebra de sigilo já chegou ao MP.

(Foto – Agência Brasil)

Eleições 2020 – Ciro não vê chances da união PDT e PT em Fortaleza

878 2

Líder do grupo político ao qual pertence o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), Ciro Gomes afirmou que as chances de PDT e PT celebrarem união visando a disputa pelo Paço Municipal estão cada vez menores.

As críticas que ele tem feito aos petistas em nível nacional foram expostas para justificar o cenário local. “Eleitoralmente, a probabilidade (de aliança) é cada vez menor, porque não parece que o PT quis aprender nenhuma das lições graves que a vida brasileira está dando”, avalia Ciro.

Na última quarta-feira, 15, os petistas cearenses e deputados federais José Guimarães e José Airton se posicionaram contra Ciro, que apontou Lula como “defunto eleitoral”. Airton, por exemplo, disse ser “recalque” a explicação para as ofensivas do ex-ministro contra o PT.

Ciro, por sua vez, cita nova derrota judicial de José Dirceu (PT), que será preso novamente após decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), e diz que a cúpula da sigla, atualmente, tem de lidar com investigações.

“Todos os tesoureiros do PT foram para a cadeia, toda a atual executiva responde por processos de corrupção e eles continuam navegando numa maionese ai, tentando se apropriar das agendas populares com o temário deles. Não falo isso com nenhum prazer: dói”.

Sem pressa

Ainda sobre o próximo ano, disse que o grupo político dele não tem “absolutamente” nenhuma pressa para a escolha do postulante. Ele minimizou o fato de Capitão Wagner (Pros) e Carlos Matos (PSDB) já terem sido lançados à corrida eleitoral.

Ciro entende que ao divulgar as candidaturas, a oposição faz “política pela política”. “A gente até entende, mas nós temos a responsabilidade de resolver os problemas e ajudar o povo de Fortaleza a atravessar esse momento difícil do Brasil”.

Abordada pelo O POVO em abril sobre a questão, Luizianne Lins (PT), acostumada a “bater” em Ciro e Cid, mudou o tom, não descartando possibilidade de união. “Você está querendo que eu entre numa discussão que ainda vai ser feita. Vai criar mais problemas do que soluções”.

No Ginásio da Parangaba ontem para discutir reforma da Previdência, Ciro disse não saber terá o privilégio de conquistar o eleitorado petista. “Mas estou dedicado a ajudar o povo a achar uma saída”, encerrou.

(O POVO – Repórter Carlos Holanda/Foto – Blog do Eliomar)

R$ 1,8 bilhão – Roberto Cláudio reúne secretariado hoje e apresenta novo pacote de investimentos

O prefeito Roberto Cláudio reúne o secretariado municipal, na manhã desta sexta-feira (17), a partir das 8 horas, no Teatro São José, no Centro. O encontro irá avaliar as obras e ações da Prefeitura em andamento, como ainda os prazos e cronograma de entrega.

Um dos destaques do encontro será a apresentação de um novo pacote de investimentos, que engloba obras que serão iniciadas ainda neste mês, com término ao longo de 2020. O pacote de investimentos públicos será o maior da história de Fortaleza, da ordem de R$ 1,8 bilhão.

A reunião deverá contar, ainda, com palestras do historiador Leandro Karnal e do alpinista Rosier Alexandre.

(Foto: Arquivo)

Sindicalismo é tema de debate em rádio web de Fortaleza

O programa Democracia no Ar, veiculada por rádios na web e tendo o comando da jornalista Marina Valente, debaterá, nesta sexta-feira, das 10 às 11 horas, o tema “O Sindicalismo e a Classe Trabalhadora”.

São convidados o ex-presidente da CUT/CE e ex-deputado federal petista Eudes Xavier e o padre Ermanno Allegri, de comunidades de base da Igreja Católica e da Pastoral da Terra.