Blog do Eliomar

Categorias para Política

Delator acusa Guimarães de lobby junto ao BNB e de receber propina de R$ 95 mil

185 2

foto guimarães

Preso na Operação Lava Jato, denominada Pixuleco II, em agosto do ano passado, o
ex-vereador de Americana (SP) e advogado Alexandre Romano, o Chambinho, denunciou
em depoimento à Polícia Federal que o líder do governo na Câmara Federal, o
cearense José Guimarães (PT), teria atuado, junto ao Banco do Nordeste, em 2010, um
empréstimo de R$ 260 milhões para a construção de três usinas. Segundo a delação do ex-vereador petista, o deputado federal teria cobrado o valor de R$ 95 mil pela intermediação.

O delator assegura que possui cópias dos dois cheques entregues ao parlamentar cearense, nos valores de R$ 65 mil e R$ 30 mil, além de outras seis cópias de documentos envolvendo o suposto pagamento da propina.

Em nota à revista Veja, Guimarães, afirmou que tem “a consciência absolutamente
tranquila” e que “jamais” se beneficiou de recurso público.

“Meu trabalho como deputado pressupõe o diálogo com inúmeras instituições públicas,
bem como atendimentos a diversos interlocutores de todas as esferas, conforme se
pode acompanhar diariamente pela minha agenda, amplamente repercutida nas redes
sociais e na própria imprensa. Uma acusação desse tipo revela oportunismo diante do
conturbado momento político no país e a incessante tentativa de criminalizar o PT e
o governo, bem como seus defensores e representantes. Adotarei todas as medidas
cabíveis, dentro do Estado de Direito, para defender minha honra, contra a qual não
tolerarei ataques sem fundamento”, disse.

(com informações da Veja e da Época / Foto: Beto Barata – Folhapress)

Governador de Pernambuco pede a Camilo parceria no Ceará PT/PSB

foto camilo e paulo câmara pe

Da Coluna Vertical, no O POVO deste sábado (12):

O governador Camilo Santana (PT) deu carona nessa sexta-feira (11) a alguns convidados que conferiram a festa dos 186 anos de nascimento do beato Antônio Conselheiro, em
Quixeramobim. No grupo restrito, estavam o presidente estadual do PSB, deputado
federal Danilo Forte, e o governador Paulo Câmara (PSB), de Pernambuco.

Camilo e Paulo receberam, na Câmara Municipal, a Medalha Antônio Conselheiro, mas o que predominou mesmo foram altos papos nesse trajeto. O petista lembrou que, com seu pai (Eudoro), iniciou sua vida política no PSB e que teria sido tempo de bom
aprendizado. No meio da conversa, cogitou: gostaria de ver o PSB parceiro na sua
gestão, apoiando o que estivesse de acordo com seu ideário. Falou também que o
apoio dos socialistas poderia, quem sabe, estender-se para a peleja eleitoral que
será travada em breve.

Nessa hora, só não entrou Fortaleza, porque Danilo logo cortou o papo, mas, em outros nichos do Interior… Novas caronas poderão se repetir.

PGR pede abertura de novo inquérito para investigar Renan

“A Procuradoria-Geral da República (PGR) pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) abertura de mais um inquérito para investigar o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), na Operação Lava Jato. No pedido, enviado à Corte na semana passada, a PGR pretende apurar supostos repasses feitos pelo doleiro Alberto Youssef, um dos delatores do esquema de desvios na Petrobras, para o senador.

No pedido, a procuradoria pede autorização para investigar Renan Calheiros pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, pelo suposto recebimento de propina repassada pelo doleiro Carlos Alexandre de Souza Rocha, conhecido como Ceará, um dos operadores financeiros que trabalhava para Youssef.

O presidente do Senado é alvo nos seis inquéritos que chegaram ao Supremo oriundos das investigações da Lava Jato. Existem mais dois pedidos de abertura de investigação.

Em nota, Renan declarou que é “zero a chance de ter participado ou cometido irregularidades”. O senador também reafirmou que não conhece a “pessoa de Alberto Youssef e a que é denominada como Ceará.”

(Agência Brasil)

Ex-chefes de Estado divulgam nota de apoio a Lula

147 2

5646-medium

Do Instituto Lula, este Blog recebeu a seguinte nota:

Ex-chefes de Estado e de governo de diversos países da Europa e América Latina publicaram uma declaração de apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Dentre os 14 primeiros signatários estão José “Pepe” Mujica, ex-presidente do Uruguai, Cristina Kírchner, ex-presidenta da Argentina e Felipe González, ex-presidente de governo da Espanha.

O texto destaca a ” tentativa de alguns setores de destruir a imagem deste grande brasileiro” e as conquistas sociais do Brasil durante os mandatos de Lula.

Leia abaixo o manifesto:

DECLARAÇÃO

Durante várias décadas, Luiz Inácio Lula da Silva destacou-se como sindicalista, lutador social, criador e dirigente do Partido dos Trabalhadores.

Eleito Presidente da República, em 2002, Lula levou adiante um ambicioso programa de mudança social no Brasil, que tirou da pobreza e da miséria milhões de homens e mulheres. Sua política econômica permitiu a criação de milhões de empregos e uma extraordinária elevação da renda dos trabalhadores.

Seu Governo aprofundou a democracia, estimulando a diversidade política e cultural do país, a transparência do Estado e da vida pública. O Executivo, o Ministério Público e o Poder Judiciário puderam realizar investigações de atos de corrupção eventualmente ocorridos na administração direta ou indireta do Estado.

Preocupa à opinião democrática, no entanto, a tentativa de alguns setores de destruir a imagem deste grande brasileiro.

Lula não se considera nem está acima das leis. Mas tampouco pode ser objeto de injustificados ataques a sua integridade pessoal.

Estamos com ele e seguros de que a verdade prevalecerá.

Cristina Fernández de Kirchner (Argentina)
Eduardo Duhalde (Argentina)
Carlos Mesa (Bolívia)
Ricardo Lagos (Chile)
Ernesto Samper (Colômbia)
Maurício Funes (El Salvador)
Felipe González (Espanha)
Manuel Zelaya (Honduras)
Álvaro Colón (Guatemala)
Massímo D’Alema (Itália)
MartínTorrijos (Panamá)
Nicanor Duarte (Paraguai)
Fernando Lugo (Paraguai)
Leonel Fernández (República Dominicana)
José Mujica (Uruguai)
José Miguel Insulza (OEA)

Sob bênçãos de Tasso, PSDB de Caucaia recebe novo filiado que já entra como pré-candidato a prefeito

tasio

O PSDB recebeu, nesta sexta-feira à noite,, durante ato no Grêmio Recreativo de Caucaia, um filiado que entra na condição de pré-candidato a prefeito desse município da Redgião Metropolitana de Fortaleza: o vereador e empresário Eduardo Pessoa.

Ele deu adeus ao PRP e aceitou convite da direção estadual tucana, por meio do seu presidente, o ex-senador Luiz Pontes, e teve ficha abonada pelo senador Tasso Jereissati.

No evento, a presença também do presidente estadual de honra do PR, Roberto Pessoa.

(Foto – PSDB Caucaia)

Governistas já estariam selecionando parlamentares leais para a comissão especial do impeachment

142 1

guimammma

“Os governistas José Guimarães (PT-CE), Leonardo Picciani (PMDB-RJ) e Silvio Costa (PT do B-PE) estão selecionando nomes de parlamentares para figurar na comissão especial do impeachment, que deverá ser reeleita depois que o Supremo Tribunal Federal analisar os recursos contra a decisão que definiu o rito do processo.

O critério para a escolha será o histórico de lealdade ao governo. Além disso, os líderes prometem longas conversas com cada um dos escolhidos.”

(Veja Online)

Katia Abreu nega afastamento do Governo e avisa: “O PMDB não é um capitão covarde”

“Só um capitão covarde abandona um navio na hora da tempestade e o PMDB não é um capitão covarde”. A declaração é da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Kátia Abreu, para negar a possibilidade do partido se afastar do governo. De acordo com a ministra, o PMDB não é sócio de ocasião do governo.

“Nós somos parceiros deste governo com a vice-presidência da República, com importantes ministérios do Brasil, há cinco anos, então, nós não poderemos abandonar o Brasil à crise. O PMDB tem responsabilidade com o país e com os brasileiros. Nós somos parceiros e não é só no tempo da bonança. Nós precisamos estar principalmente juntos nas horas das dificuldades. Só um capitão covarde abandona um navio na hora da tempestade e o PMDB não é um capitão covarde”, disse.

Segundo Kátia Abreu, a convenção nacional que o PMDB fará, neste sábado (12), se dará conforme o estatuto, que indica a eleição do presidente do partido e de todos os demais cargos da Executiva. Para a senadora, o estatudo é claro, objetivo e pragmático e, dessa forma, ela não acredita em uma discussão sobre qualquer posição de afastamento.

“Não há o que fazer em temos de decisão formal no sábado. Se quiserem tratar deste assunto, uma extraordinária deve ser convocada, no futuro, para tratar de qualquer tema. Mas, no sábado, em que pese cada parlamentar, cada membro do partido está livre democraticamente para se manifestar na tribuna sobre qualquer assunto que queira, mas em termos de decisão, a decisão é apenas eleger o presidente do partido”, ressaltou.

A ministra comentou que considerou um exagero o pedido de prisão preventiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pelo Ministério Público do Estado de São Paulo. Ela afirmou que que concorda com formadores de opinião que acham desnecessária a prisão, porque Lula mora no Brasil e tem endereço certo.

“O que está acontecendo com ele hoje poderá ser um nós amanhã. O Estado de Direito precisa ser preservado. Os exageros e os espetáculos não ajudam a Justiça brasileira que, assim como em qualquer parte do mundo, tem que ter um comportamento e uma aparência de respeitabilidade, de confiança absoluta do cidadão, para que possa atender, não apenas a ódios, raivas, ressentimentos, e sim, ser legítima com qualquer pessoa. Mas a Justiça brasileira tem que ser imparcial e agir de acordo com a regra, com a lei, sem espetáculos”, completou.

DETALHE – A ministra deu as declarações durante visita às instalações para os Jogos Olímpicos de 2016, no Complexo de Deodoro, na Zona Norte do Rio.

(Agência Brasil)

Roberto Cláudio empossará médicos que atuarão no IJF-Centro e Frotinhas

robetoclaudio

O prefeito Roberto Cláudio (PDT) vai empossar, às 9 horas deste sábado, os 117 novos médicos aprovados no concurso público que selecionou especialistas para o Instituto Doutor José Frota (IJF) e os três Frotinhas. O ato ocorrerá na Escola de Saúde Pública (Bairro Meireles).

Esses novos profissionais serão lotados nos hospitais distritais Evandro Ayres de Moura (Frotinha Antônio Bezerra), Maria José Barroso de Oliveira (Frotinha Parangaba), Edmilson Barros de Oliveira (Frotinha Messejana) e Unidade Central do IJF. De acordo com a secretária municipal da Saúde, Socorro Martins, os novos médicos vêm suprir uma necessidade da Emergência, complementando as equipes de atendimento.

Áreas de atuação

Os médicos atuarão nas seguintes especialidades: Anestesiologia, Cirurgia Cardiovascular, Cirurgia Geral, Cirurgia Pediátrica, Cirurgia Plástica, Cirurgia Torácica, Clínica Médica, Endoscopia Digestiva, Endoscopia Respiratória, Medicina Intensiva, Medicina Intensiva Pediátrica, Nefrologia, Neurocirurgia, Oftalmologia, Otorrinolaringologia, Pediatria, Radiologia e Traumatologia.

Presidente da Fiec fala em cidadania e patriotismo

1103ec1910

Eis um trecho do discurso do presidente da Federação das Indústrias do Ceará, Beto Studart, que, com certeza, soou feito recado para convidados do almoço, no qual foi lançado o Cartão FNE/BNB, nessa quinta-feira, na sede da entidade:

“Cidadania, meus amigos, se pratica todos os dias, mas são nos momentos de maior dificuldade que precismos exercê-la com mais força, com mais intensidade, com toda a paixão. São nesses períodos que devem aflorar o amor maior à Nação, o patriotismo, o compromisso com o Brasil. A hora é agora e a missão é nossa. Vamos à luta!”

(Foto – O POVO)

É hora das entidades empresariais descerem do muro

Com o título “Medo de expor o que pensa é pior do que ser censurado”, eis artigo do empresário Rodrigo Bitar. Ele cobra postura conjunta das entidades empresariais e se posiciona contra a falta de sintonia entre elas em pleno momento de crise do País. Confira:

Penso que o timing de grandes confederações nacionais como a CNI, CNA, CACB, CNC, CONAJE, etc, deve ser o mesmo de seus movimentos estaduais e municipais: fechar um posicionamento com todos, nacionalizar e tornar público representando uma classe, a do empresariado brasileiro.

Como isto não acontece, estão fazendo isoladamente movimentos da indústria e do comércio nos estados de Santa Catarina, Ceará, Goiás e São Paulo. Acho que o de Santa Catarina foi o que mais se desgrudou do receio de abrir a boca e agir como entidade e não através de seus empresários apenas.

Essas confederações não podem se curvar à escolha de não se pronunciar, pois isto leva a classe empresarial ao silêncio absoluto coletivo e apenas os oportunistas ou os que querem, realmente, um país melhor saem de suas cavernas.

Essas confederações têm que se desprender desses problemas, serem mais jovens sem ser radicais nem para um lado nem para o outro.

Como os movimentos estaduais são censurados ao se posicionarem – seja pela sua cultura como algumas entidades independentes ou pelo medo de algumas entidades que recebem verba do governo (Sistema S), penso que, no mínimo, estas poderiam incentivar movimentos nacionais de Jovens Empresários a se manifestarem de maneira ampla e livre.

Eu até aceito movimentos municipais e estaduais sozinhos não terem um posicionamento mais firme publicamente, mas desaprovo uma entidade nacional como a CNI, CACB, CNA, CNC e CONAJE não tomarem uma atitude firme num momento tão importante para a justiça deste País.

Se não querem tirar Lula, Dilma e o PT, lancem uma nota em apoio incondicional ao Moro, à Polícia Federal e ao Ministério Público Federal. Eles vão precisar de nós, eles precisam de NÓS.

#OndeEstaoEntidadesEmpresariais?

*Rodrigo Bitar,

Empresário cearense.

Eduardo Cunha diz que dará continuidade ao processo de impeachment de Dilma Rousseff

EDUARDO CUNHA/ENTREVISTA

“O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), confirmou hoje (11) que vai dar continuidade à instalação da comissão especial que vai analisar o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff na próxima quinta-feira (17). A ideia é esperar a resposta do Supremo Tribunal Federal (STF) aos recursos sobre o rito do processo, que deve sair na quarta-feira (16).

O processo está parado depois que ministros do STF anularam a eleição de uma chapa alternativa para a comissão. A chapa não foi indicada por líderes da Câmara.

“O processo volta ao curso da continuidade. Se respeitar todo o cronograma que se tem estipulado na lei e no Regimento [Interno], começando na quinta, é possível [votar em 45 dias]. Depende de outros fatores, como obstrução, recursos à Justiça. Mas se seguir o rito: instalar comissão, prazo de defesa, prazo para plenário, 45 dias é o prazo razoável”, disse Cunha.

Nesta semana, ministros da Corte confirmaram que vão julgar no dia 16 o recurso que pede a mudança do julgamento sobre as regras de tramitação do processo de impeachment, definidas em dezembro do ano passado. Cunha defende votação aberta para eleição da comissão e a obrigatoriedade do Senado dar prosseguimento ao processo iniciado na Câmara.

Sobre Lula

Perguntado sobre o pedido de prisão preventiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva apresentando pelo Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP), Eduardo Cunha disse que não leu a peça elaborada pelos promotores Cássio Conserino, José Carlos Blat e Fernando Henrique Moraes de Araújo.

“Aparentemente, sem eu ler, parece um pouco exagerada a medida. Tudo o que é exagerado não é bom. Tudo tem seu ritmo e deve sempre respeitar a legalidade, mas eu não li”, disse. Apesar disto, o peemedebista disse que não acredita que o anúncio sobre o pedido de prisão possa acirrar os ânimos durante as manifestações pró-impeachment, que ocorrerão neste domingo (12).”

(Agência Brasil)

Juristas consideram excessivo pedido de prisão preventiva do ex-presidente Lula

“A juíza Maria Priscilla Ernandes Veiga Oliveira, titular da 4ª Vara Criminal de São Paulo, não tem prazo para decidir sobre o pedido de prisão preventiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O pedido, apresentado pelo Ministério Público de São Paulo, será analisado junto com a denúncia.

O pedido de prisão é visto como excessivo por especialistas. A professora de Direito Penal da Universidade de Brasília, Beatriz Vargas, avalia que o oferecimento da denúncia já era suficiente para a continuidade da ação penal contra Lula.

“Um pedido de prisão preventiva para o ex-presidente, considerando o cenário atual, é acirramento de ânimos, é instabilidade institucional, é uma provocação política absolutamente desnecessária”, afirmou Beatriz Vargas.

São Paulo - Os promotores do Ministério Público do Estado de São Paulo Fernando Henrique Moraes de Araújo, e Cássio Conserino durante coletiva (TV Brasil)
O processo apresentado pelos promotores Fernando Henrique Moraes de Araújo e Cássio Conserino tem 120 páginas – Reprodução/TV Brasil

Os promotores Cássio Conserino, José Carlos Blat e Fernando Henrique Moraes de Araújo apresentaram a  denúncia contra Lula na quarta-feira (9). Eles alegam que o ex-presidente cometeu crimes de lavagem de dinheiro – na modalidade ocultação de patrimônio – e falsidade ideológica sobre o apartamento tríplex, no Guarujá, litoral paulista. Os promotores detalharam ontem (10) a denúncia.

O processo é longo. Só o expediente despachado à juíza tem 120 páginas. A denúncia contra Lula tem 36 volumes. A decisão pode ser integral, acatando denúncia e pedido de prisão, ou parcial, com o recebimento apenas da denúncia e a rejeição da prisão preventiva.

Para o cientista político Malco Camargos, da PUC de Minas Gerais, o pedido de prisão preventiva impacta no governo, mas principalmente na imagem do próprio Lula, que, segundo ele, tinha ainda uma salvaguarda por ser considerado um nome competitivo para as próximas eleições presidenciais, em 2018.

“É muito claro, ao ver a postura do MP de São Paulo, como a questão política está permeando as decisões do Judiciário, o que é muito ruim para a democracia”, informou o cientista político. “O Judiciário não deveria se envolver com política”, acrescentou.

Os promotores responsáveis pela denúncia e pelo pedido de prisão negam motivações políticas. “A investigação do Ministério Público estadual foi clássica: testemunha-documento. Nada é fruto de invencionice ou especulação. É tudo fruto de depoimento testemunhal e da análise de provas documentais”, justifica ontem (10) o promotor Cássio Conserino, um dos responsáveis pela denúncia e o pedido de prisão preventiva.

Os promotores pediram também a prisão preventiva de José Adelmário Pinheiro, o Leó Pinheiro, ex-presidente da construtora OAS; Fábio Hori Yonamine e Roberto Moreira Ferreira, executivos da OAS; do ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, preso na Operação Lava Jato; Ana Maria Érnica, ex-diretora da Bancoop; e Vagner de Castro, ex-presidente da Bancoop.

A prisão preventiva de Lula foi pedida dentro do processo que o investiga por lavagem de dinheiro e falsidade ideológica.

Em relação ao pedido de prisão preventiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na denúncia apresentada ontem (9) pelo Ministério Público de São Paulo à Justiça, o Instituto Lula voltou a negar hoje (10), em nota, que Lula seja dono do apartamento triplex, em Guarujá (SP), alvo da investigação do Ministério Público.

Em nota, o Instituto Lula disse ontem que o pedido de prisão preventiva do ex-presidente é uma “triste tentativa” do promotor Cássio Conserino de usar o cargo dele para fins políticos. “Cássio Conserino, que não é o promotor natural deste caso, possui documentos que provam que o  ex-presidente Lula não é proprietário nem de triplex no Guarujá nem de sítio em Atibaia, e tampouco cometeu qualquer ilegalidade. Mesmo assim, solicita medida cautelar contra o ex-presidente em mais uma triste tentativa de usar seu cargo para fins políticos”.

(Agência Brasil)

Coronel Adauto Bezerra convoca para atos contra o Governo Dilma

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=uLLf2-TVq_g[/youtube]

O ex-governador Adauto Bezerra divulga vídeo nas redes sociais convocando a população para o protesto contra o Governo Dilma Rousseff, que ocorrerá neste domingo, a partir das 15 horas, no aterro da Praia de Iracema.

Adauto lamenta o quadro de inflação, desemprego e roubo que predomina no País. “Chega de desonestidade!”, apregoa o coronel Adauto Bezerra.

Frente Brasil Popular protestou em São Paulo contra pedido de prisão preventiva de Lula

“Integrantes da Frente Brasil Popular (movimentos sindicais e sociais) fizeram hoje (11) um ato na Praça da Sé, região central da capital paulista, em protesto ao pedido de prisão preventiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, apresentado esta semana pelo Ministério Público de São Paulo (MP-SP). A mobilização, que teve como mote Não vai ter Golpe e Lula eu defendo, Lula eu confio, começou por volta de 11 horas da manhã e terminou às 13 horas

O presidente da CUT-SP, Douglas Izzo, esclareceu que o ato foi uma vigília para que os movimentos sindicais e sociais expressassem sua indignação ao que consideram abusos do MP-SP. Para Izzo, a denúncia contra o ex-presidente não tem fundamentos. “Quisemos dar uma resposta para aqueles que utilizam o MP-SP e a Operação Lava Jato para desconstruir a imagem do presidente Lula e seu legado. Ele construiu as políticas mais consistentes para as populações trabalhadora e mais pobre”.

Segundo ele, a militância continua mobilizada para os atos nacionais marcados para os dias 18 e 31 de março. Não há previsão de nenhuma manifestação no domingo (13), quando um grupo contrário ao governo fará uma manifestação na Avenida Paulista. “Nossa única manifestação será um café solidário em frente ao prédio do ex-presidente, já que a garrafa térmica e o pão com manteiga são uma tradição nossa nas assembleias”. A Polícia Militar não divulgou o número de pelo menso 1,5 mil pessoas.”

(Agência Brasil)

Dilma afirma a reitores que não renuncia

Dilma-com-reitores

“Em reunião com reitores de Universidades Federais na manhã desta sexta-feira, 11, a presidente da República, Dilma Rousseff, falou em futuro, reconheceu que o momento é delicado, mas que não pensa em renunciar ao cargo. “Ela disse que o governo vai continuar trabalhando, na batalha e que não existe possibilidade de renúncia”, afirmou o reitor da Universidade de Brasília (UNB), Ivan Camargo, ponderando que a fala foi dentro de um contexto em que ela falava de projetos de futuro. “Ela estava tranquila, dizendo que vai continuar firme e que o futuro do País passa pela educação e democracia.”

Segundo reitores presentes no encontro, Dilma fez “um longo desabafo” sobre a situação do seu padrinho político Luiz Inácio Lula da Silva e disse que há preocupação com o processo de Lula. A presidente reforçou que “não há base legal” para o pedido de prisão preventiva do ex-presidente. “Ela falou que o momento é delicado, disse que o ex-presidente Lula está sendo vítima de um processo em que não há base legal. E ela acha que não se sustenta esse processo”, afirmou o reitor da Universidade Federal de Roraima (UFRR), Jefferson Fernandes.

Camargo afirmou que Dilma se mostrou “tranquila, apesar de preocupada” com a situação de Lula. “Ela estava tranquila, mas mostrou preocupação com a situação de Lula e disse que é preciso ter respeito aos devidos processos legais.”

Presente na reunião, o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, também fez uma defesa do ex-presidente Lula, segundo relatos. O ministro fez coro a “injustiça” que está sendo feita e afirmou que está havendo um “desrespeito” a figura do ex-presidente.

A presidente teria dito ainda que a crise econômica está dando sinais de arrefecimento, mas reconheceu que o aspecto político tem interferido na retomada do crescimento. Segundo o reitor da UFRR, Dilma garantiu que não haverá mais cortes de verbas na área da educação. “Ela disse que o que tinha que cortar já foi cortado e que política agora será de desacelerar a expansão (das universidades), mas manter as conquistas”, afirmou.”

(Estadão Conteúdo/Foto – Blog do Planalto)

PPS nacional divulga nota convocando povo para ir às ruas contra Governo Dilma

unnamed (3)

Roberto Freire, Pereira e Cristovam Buarque.

Com o título “Todos às ruas pelo Brasil, no combate à corrupção e pelo impeachment de Dilma!”, eis nota do PPS nacional, que nos chega por meio do seu presidente estadual, o empresário Alexandre Pereira. Confira:

O processo de isolamento do governo Dilma Rousseff se agrava com o avanço das investigações da Operação Lava Jato, colocando no centro da apuração a presidente, sob suspeita de crime de responsabilidade pelo seu envolvimento com o escândalo de corrupção na Petrobras, que veio à tona na delação do ex-líder do governo do PT, senador Delcídio do Amaral.

Amplos setores da sociedade, da Igreja Católica, de entidades como a Fiesp (Federação das Indústrias de São Paulo) a OAB Nacional (Ordem dos Advogados do Brasil), e empresários, bem como de partidos políticos, dentre eles o PSB, PSOL e Rede, avançaram no posicionamento contra o governo, rumo à oposição, criando uma nova realidade política no País, na qual a construção do governo de transição tem maior chance de êxito.

O Partido Popular Socialista (PPS) vem a público manifestar seu apoio ao juiz federal Sérgio Moro, e à força-tarefa da Operação Lava Jato integrada pelo Ministério Público Federal, pela Receita Federal e pela Polícia Federal, diante das tentativas de barrar as investigações sobre o escândalo da Petrobras.

Repudiamos também as iniciativas para desmoralizar a Operação Lava Jato levadas a cabo pelo PT, pelo próprio governo Dilma e pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que passou a ser investigado pelo MPF, sobretudo depois da última sexta-feira, quando ele foi levado coercitivamente a depor nas dependências da área presidencial do aeroporto de Congonhas, em razão das suspeitas de formação de patrimônio com recursos desviados da Petrobras por empreiteiras “amigas”.

Dilma, por sua vez, também agiu no mesmo sentido ao substituir recentemente o ministro da Justiça com nítido propósito de dificultar as investigações em curso. Além disso, em gesto nada republicano, utilizou todo o aparato de transportes e segurança da Presidência para uma visita de solidariedade a Lula, cujo nítido proposito foi desautorizar as ações da Polícia Federal, do Ministério Público e do juiz Sérgio Moro.

Entendemos que a saída da crise é política, por isso defendemos o impeachment da presidente Dilma. O afastamento dela pelo Congresso Nacional é a forma mais democrática e constitucional de superarmos a paralisia política e econômica do País, como já experimentado no impeachment do ex-presidente Collor, fato que por si só criou uma nova dinâmica no Brasil. Um outro caminho ainda poderá ser dado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) no processo em curso de impugnação da chapa encabeçada por Dilma.

Impõe-se a necessidade de os partidos com representação no Congresso Nacional exigirem a renúncia imediata do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da presidência da Câmara, visando resgatar o protagonismo do Parlamento neste processo.

No próximo domingo, dia 13 de março, grandes manifestações de apoio ao combate à corrupção, à Operação Lava Jato e a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff serão realizadas em todo o País.

Daí porque conclamamos todos os cidadãos e cidadãs a irem às ruas com suas famílias, levando bandeiras do Brasil, cartazes e faixas que expressem sua opinião sobre o que está acontecendo.

Ou você vai, ou ela fica!

* Comissão Executiva Nacional do PPS.

Operação Lava Jato – Juízes ambientalistas apoiam condução coercitiva de Lula

“A Rede Nacional de Magistrados Ambientalistas emitiu uma nota de apoio às instituições que participaram da 24ª fase de operação “lava jato”, marcada pela condução coercitiva do ex-presidente Lula para prestar depoimento à Polícia Federal no dia 4 de março.

“No Estado Democrático de Direito, ninguém está imune à investigação criminal e ao processo penal, se, eventualmente, houver evidências da prática de crimes. Manifestações a favor ou contra a operação fazem parte da democracia, porém, incitações à violência, explícitas ou implícitas, inclusive pelas redes sociais, não condizem com os valores democráticos e constitucionais”, diz nota.”

* Confira a integra da nota aqui.

Em meio a tantos escândalos, apenas Lula e o PT precisam ser execrados?

193 4

Com o título “A multiplicação de crimes” eis artigo da jornalista Regina Ribeiro. Ela avalia impactos da Operação Lava Jato, do Caso Alstom e da Operação Zelotes e as diferenças de avaliação desses escândalos. Confira:

O escritor João Paulo Cuenca estava almoçando, sexta-feira passada, num restaurante a poucos metros da sede do PT, em SP, e decidiu ir lá durante o pronunciamento do ex-presidente Lula. Pela manhã, Lula foi forçado a prestar depoimento na PF. Com ajuda de amigos jornalistas, Cuenca conseguiu entrar na sala onde Lula iria falar e relatou a história no artigo “All–In do Lula”.

O escritor é de opinião que as manifestações de domingo marcarão de forma definitiva o futuro do ex-presidente: “A resposta das ruas ao apelo de Lula será absolutamente decisiva para seu destino: preso ou presidente”, afirma.

Não teria uma certeza “absoluta” disso. Considero o ex-presidente um homem acometido por uma certa frouxidão moral. Para mim, é um displicente com a sua própria conduta e dos que andam ao seu redor. Montou nos feitos e o resto deixou passar. Mas depois de sondar a mim mesma, digo que não o considero um “criminoso” na linha cartesiana do termo, como acredito que outros o sejam.

Depois, olho para o entorno. Para além do estardalhaço causado pela Lava Jato, está em curso a operação Zelotes que investiga o conluio entre empresas e o Carf, para evitar o pagamento de multas com a Receita Federal. Esta investigação envolve as principais empresas do País, de setores vitais para a economia entre bancos, montadoras, empreiteiras, empresas do setor siderúrgico, distribuidora de energia, entre outros.

O rombo deixado para a nação é estimado em R$ 19 bilhões.

Em SP, estão sendo investigadas denúncias de formação de cartel entre as empresas responsáveis por obras ligadas à estatal ferroviária. A coisa feia só apareceu porque um executivo da alemã Alstom abriu a boca. O prejuízo é também bilionário para os cofres públicos, mas até agora as denúncias ficaram confinadas no setor privado e entre executivos que, certamente, não têm chefes nem padrinhos políticos.

Diante deste cenário, é preciso ter uma alta dose de miopia política para achar que apenas o PT e o Lula precisam ser execrados, humilhados e xingados na inquisição política de agora. Se se dessem a todos esses escândalos o mesmo peso da Lava Jato, será que não teríamos uma multiplicação de “criminosos”?

*Regina Ribeiro,

reginah_ribeiro@yahoo.com.br

Jornalista do O POVO.

Tauá será sede de audiência pública sobre estiagem e uso de águas

audid

A Comissão de Desenvolvimento Regional, Recursos Hídricos, Minas e Pesca da Assembleia Legislativa aprovou requerimento e promoverá uma audiência pública em Tauá (Região dos Inhamuns). Vai discutir a possibilidade de utilização da água da barragem Trici exclusivamente para agricultura e abastecimento das comunidades rurais. Ao mesmo tempo, outra proposta aponta para o açude Arneiroz II na garantia do atendimento à demanda do município. A data da audiência ainda não está definida.

A audiência pública atende a um requerimento do líder do PMDB na Assembleia, Audic Mota, que considera o tema de grande relevância. “É necessário promover uma discussão entre os membros desta Casa, os representantes da sociedade civil e das entidades envolvidas para buscarmos maneiras de aprimorar e melhor destinar o abastecimento”, destacou Audic Mota.

O encontro deve contar com participação de representantes das secretarias estaduais de Recursos Hídricos e de Desenvolvimento Agrário, da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) e da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh).