Blog do Eliomar

Categorias para Política

A hora certa de protestar

196 2

Em artigo no O POVO deste sábado (6), o jornalista Ítalo Coriolano comenta do protesto contra o alerta de Dilma Rousseff sobre o Aedes aegypti. Confira:

Ao longo de 2015, a presidente Dilma Rousseff (PT) foi alvo de uma série de protestos, seja em passeatas nas ruas, seja em panelaços residenciais. Tudo dentro da ordem democrática. Afinal, o governo cometeu muitos erros, é corresponsável pela crise que acomete o Brasil atualmente, e nada mais natural do que ver toda essa insatisfação se manifestar das mais variadas formas. Mas, como para tudo nessa vida, há limites, que parecem terem sido extrapolados na última quarta-feira, 3.

Depois de meses sem aparecer em cadeia nacional, exatamente para evitar um desgaste maior à sua imagem, a presidente decidiu fazer um pronunciamento para alertar a população sobre os riscos do vírus zika, provável causa do surto de microcefalia que assusta o País e o mundo, e pedir a união de todos no combate ao mosquito transmissor dessa e de outras doenças, como a dengue e a febre chikungunya. Contudo, em vez de prestar atenção no que a petista tinha a dizer, algumas pessoas preferiram fazer barulho com seus utensílios domésticos, numa clara demonstração de insensibilidade com o grave quadro provocado pelo Aedes aegypti.

Diferentemente das outras vezes em que Dilma apareceu na TV, ela não estava ali para tentar se promover ou dar explicações capengas para as falhas de seu mandato. Deixou claro que não iria falar sobre política ou economia. O discurso era de interesse público.

Como chefe da nação, é sua responsabilidade mobilizar toda a sociedade contra um problema que ameaça a vida de milhares de recém-nascidos. Ciente do seu grau de impopularidade, ela não iria se expor a milhões de brasileiros se a situação não exigisse um chamamento geral como o feito há alguns dias. É preciso saber separar as coisas.

Há a hora de reclamar e exigir mudanças, mas também existe o tempo de refletir e reconhecer o esforço que está sendo feito. E, acima de tudo, colaborar. Atrapalhar o silêncio alheio no atual contexto não ajuda em nada. Vira uma iniciativa vazia e burra. Bandeira branca nessa guerra ideológica muitas vezes alimentada pelo ódio. Exercite o bom senso. O inimigo, ao menos agora, é outro. Reproduz-se no seu quintal ou na varanda do seu apartamento, e pode matar. Faça sua parte!

Presidente do Haiti deve deixar o governo neste domingo

Está prevista para este domingo (7) a saída do atual presidente do Haiti, Michel Martelly. O que deveria ser uma transição política comum, com a entrada de um presidente eleito, se tornou um imbróglio de desfecho desconhecido. Após uma série de protestos da população, o segundo turno das eleições presidenciais foi adiado mais de uma vez. Os haitianos suspeitam de fraude no processo eleitoral para beneficiar o candidato do governo, Jovenel Moise.

Martelly, no entanto, promete deixar o cargo mesmo sem um novo nome eleito para ocupá-lo. Um presidente provisório deverá assumir seu lugar, até que o processo eleitoral continue. Mas uma pesquisa divulgada em fevereiro pelo Instituto Igarapé, com sede no Rio de Janeiro, alimentou as suspeitas levantadas pela oposição e pela população. O estudo revelou que houve uma baixa presença de eleitores nas urnas no primeiro turno presidencial, destoando dos números oficiais.

Do total de entrevistados, 1.460 haitianos afirmaram ter registro para votar, sendo que 103 deles não tinham certeza se o registro eleitoral ainda estava válido, seja por terem se mudado, por nunca terem votado desde que tiraram o documento. A popularidade do candidato de oposição, Jude Celestín, retratada na pesquisa mostrou discrepância com o resultado oficial do primeiro turno das eleições.

Na pesquisa, 91% dos entrevistados declararam preferência a Celestín. No primeiro turno das eleições presidenciais, o candidato de Martelly, Jovenel Moise, obteve 32,76% dos votos, contra 25,29% registrados por Célestin.

Os números servem de combustível para a suspeita da população em relação às fraudes na eleição. Diante do resultado do primeiro turno, Celestín se recusou a participar do segundo turno. Grupos de manifestantes protestaram, bloqueando ruas, queimando pneus e veículos. A onda de violência atingiu o país e continuou após o adiamento do segundo turno.

(Agência Brasil)

A responsabilidade do voto

Em artigo enviado ao Blog, o advogado Irapuan Diniz de Aguiar alerta o eleitor contra falsas promessas de pré-candidatos a prefeito, que fogem às atribuições de um gestor municipal. Confira:

Com a aproximação das eleições municipais já começam as articulações partidárias e os ensaios para o lançamento de candidaturas a prefeito. A população precisa, por isso mesmo, ficar atenta às abordagens feitas pelos pretensos pré-candidatos. É que alguns costumam direcionar seus discursos para temas que, na verdade, não são da competência do município como, por exemplo, o desemprego e a segurança pública. Guiados, porém, pelas pesquisas de opinião pública que apontam estes dois problemas como os que mais afligem a comunidade, investem na conquista dos votos do eleitorado apresentando propostas e assumindo compromissos com os quais, sabidamente, não têm como honrar.

A eleição municipal tem natureza diversa das eleições nacional e estadual. Vale dizer, as grandes questões, como desemprego, inflação, crescimento econômico, segurança pública e outras, devem sair de cena para dar lugar a itens como buracos nas ruas, praças, parques, áreas de lazer, transporte coletivo, etc., numa discussão que envolva a direta participação da população para, aí sim, apresentar programas consistentes para seus equacionamentos.

Na área do desemprego há pouco que um prefeito possa fazer para diminuí-lo. Quem gera desemprego, ou emprego, é política econômica, atribuição esta do governo federal. Um candidato que proponha, portanto, resolver tal problema, desconfie-se. Onde mais um prefeito pode empregar é na própria prefeitura, mas isto não é criação de emprego – é empreguismo.

Em relação à segurança pública, este é um assunto que, pela Constituição, cabe aos Estados e, nos casos de contrabando e tráfico de entorpecentes, à União. Um prefeito pode, quando muito, contribuir para a segurança, através da iluminação pública ou cuidando do bom estado das ruas, praças e edifícios públicos. Mas de um candidato que apregoe ser capaz de assumir combate direto à criminalidade, desconfie-se. Será, muito provavelmente, um demagogo. Quando acrescenta que vai mobilizar a guarda municipal para a repressão ao crime, à demagogia soma a confusão. Se duas polícias, a civil e a militar, tal como se apresentam por dispositivo constitucional, já ocasionam conflitos suficientes, em razão da rivalidade e da imprecisão na divisão de competências, imagine-se o que pode acontecer com a entrada em cena de uma terceira.

Sem dúvida que há pessoas vocacionadas para a nobre função de prefeito. Pessoas que caem bem no papel designado por palavras tão em desuso como respeitáveis como burgo-mestre ou alcaide. Outras só estão de olho no cargo como trampolim para lançar-se ou relançar-se, a outras funções. Recomenda-se, assim, que o eleitor avalie se o candidato realmente tem disposição e gosto para as questões municipais.

Muito se ganharia se a eleição, nas grandes cidades, girasse em torno de uma abordagem do problema que evitasse as invenções mirabolantes e revelasse real vontade de resolvê-los. Uma tarefa digna de um bom prefeito seria, dentre outras, aperfeiçoarem a grave e desafiante questão do transporte coletivo. O ônibus é o maior símbolo de opressão aos pobres nos grandes centros urbanos. Gastar uma, duas ou mais horas para se deslocar de casa para o trabalho e vice-versa, em veículos inseguros e desconfortáveis, e chegar cansado, amassado e irritado: eis o calvário diário e inescapável da classe trabalhadora.

Dilma vê no Congresso dificuldade pela aprovação da CPMF

Da Coluna Política, no O POVO deste sábado (6), pelo jornalista Érico Firmo:

Na semana passada, o ministro da Casa Civil, Jaques Wagner (PT), havia dito que a chance era de 90% de ele representar a presidente no Congresso. Mas, os planos mudaram.

A ida da presidente é termômetro do momento. No caso do governador Camilo Santana (PT) e do prefeito Roberto Cláudio (PDT), eles vão ao Legislativo num ambiente majoritariamente amistoso para eles. Como também era assim com Cid Gomes, habitué na Assembleia. Quando prefeita, porém, Luizianne Lins (PT) não era presença das mais constantes, salvo nas posses. Ela sofria oposição na Casa como nenhum dos demais citados teve ou tem.

A ida de Dilma tem natureza diferente da de Camilo e Roberto Cláudio. Quase oposta. Foi até lá, justamente, porque o momento é delicadíssimo e sua sustentação política é precária. Ela precisa fazer aceno ao Congresso do qual depende tanto para adotar as medidas pelas quais pretende recuperar a economia, quanto para manter o próprio mandato. E houve vários sinais a partir dali.

Dilma foi vaiada, principalmente, ao defender a recriação da CPMF. As vaias têm dupla simbologia. Uma é até positiva para o governo. Como representante da instituição Presidência, foi preservada. Isso confirma a fragilização da hipótese de impeachment. O embate se volta, realmente, para a economia. Essa é a má notícia para Dilma.

O governo conta e precisa da aprovação da CPMF. Colocou isso no Orçamento, como quem projeta o café da manhã com o ovo que a galinha ainda não pôs. Mas, a recepção no Congresso comprova quão difícil será a aprovação.

Outra má notícia: a pressão pelo impeachment pode estar menor, mas sobre a economia, não. Tanto que, na primeira votação importante, não conseguiu manter como pretendia o aumento do Imposto de Renda sobre ganhos de capital. As mudanças reduziram pela metade a expectativa de arrecadação. A política pode ser influenciada pelos humores sobre a economia. A ponto até de, talvez, reacender impeachment.

Ceará tem o ‘Bloco das Obras Paradinhas’

142 1

Da Coluna Vertical, no O POVO deste sábado (6):

Tudo agora é Carnaval! Dentro do mote, caímos na folia de um bloco que ensaia, ensaia, mas não entra na avenida. Trata-se do “Bloco das Obras Paradinhas”.

Sob o enredo do “Me dá um dinheirinho aí”, tenta até dar adeus ao clima de “Pierrot Abandonado”, mas a crise, turbinada por adereços de inépcia ou falta de prestígio político, joga mico no sambódromo.

Nesse bloco, ala é o que não falta. Tem a Ala do VLT, do Metrofor, do Acquario, do Bilhete Único integrado ao Metrô, da Ponte Estaiada, das 80 creches, da Transposição, da Duplicação do Anel Viário, da ampliação dos Cucas, do Cinturão das Águas, das passarelas das BRs e, torcendo para abrir o desfile, a Ala do Hospital Regional de Quixeramobim que, construído e até inaugurado, continua no barracão.

Ah, nada de “Bandeira Branca”. Depois do festão, a cobrança tem que continuar.

Dilma sanciona alterações no novo Código de Processo Civil

A presidente Dilma Rousseff sancionou nesta sexta-feira (5) a Lei 13.256/2016, que faz alterações pontuais no texto original do novo Código de Processo Civil (CPC). O código foi sancionado no ano passado e entrará em vigor no dia 16 de março. Com o novo texto, os juízes não serão obrigados a seguir ordem cronológica de julgamento de ações cíveis. As mudanças foram feitas pelo Congresso após críticas de magistrados e parlamentares.

O texto original, sancionado no ano passado, previa que os juízes deveriam obedecer à ordem cronológica para proferir sentenças. Com a alteração, os magistrados devem dar preferência à ordem de entrada.

Outra mudança aprovada com o novo texto é a análise prévia, pelos tribunais estaduais, de recursos submetidos aos tribunais superiores, como o Superior Tribunal de Justiça (STJ) e o Supremo Tribunal Federal (STF). Se a medida fosse mantida, o STJ receberia o dobro de recursos que recebe atualmente, sem dispor de estrutura para receber a carga de processos.

De acordo com a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), o fim da obrigatoriedade de julgamentos conforme a ordem cronológica é um dos avanços do novo CPC. Para a entidade, a medida confere alternativas para que o juiz possa administrar as ações que recebe.

A AMB considerou retrocesso o veto ao artigo que previa julgamentos virtuais para agilizar os processos nos casos em que a lei não admite sustentação oral. Segundo o desembargador Marcos Alaor Grangeia, membro da comissão que participou da elaboração do código, o modelo eletrônico de julgamento não fere as prerrogativas dos advogados.

(Agência Brasil)

STF dá prazo para Senado e Presidência se manifestar sobre rito do impeachment de Dilma

“Por decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, a Presidência da República e o Senado Federal deverão se manifestar sobre o recurso que questiona o rito definido pela Corte para o processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff. O recurso foi apresentado na segunda-feira (1), pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). A decisão do Supremo inclui ainda o PCdoB, autor da ação. A Presidência e o Senado têm até o dia 19 de fevereiro para se manifestarem.

Em uma segunda etapa, a Advocacia-Geral da União e a Procuradoria-Geral da República também serão ouvidas sobre o assunto e também terão prazo para apresentarem pareceres. Apenas após essas manifestações, Barroso decidirá sobre o recurso. Segundo o ministro, a medida é necessária pela relevância da ação e pela necessidade de se preservar o princípio do contraditório e da ampla defesa.

Na terça-feira (2) o ministro Marco Aurélio Mello classificou como “precipitada” a postura de Cunha, de apresentar recurso antes mesmo da publicação do acórdão, que traz o resultado no julgamento. A declaração levantou dúvidas sobre se o recurso será reconhecido.

Em dezembro, o STF anulou a comissão pró-afastamento formada na Câmara e deu mais poder ao Senado no processo. Contrariando o que pretendia Cunha, a maioria dos ministros entendeu que não cabe votação secreta para a eleição da Comissão Especial que vai elaborar parecer pela continuidade ou não do pedido de impeachment contra a presidenta.

O STF também definiu que o Senado não fica obrigado a instaurar o impeachment, caso a Câmara decida pela abertura do processo. Para os ministros, cabe à Câmara autorizar e admitir o processo, enquanto ao Senado cabe decidir sobre a instauração.

O recurso apresentado por Cunha não poupou o STF de críticas. “Nunca na história do Supremo Tribunal Federal se decidiu por uma intervenção tão profunda no funcionamento interno da Câmara dos Deputados, restringindo, inclusive, o direito dos parlamentares”, afirmou.”

(Agência Brasil)

Sejus reforça segurança nos presídios do Ceará

A segurança está redobrando nas unidades prisionais cearenses durante este Carnaval. Uma força-tarefa com os três grupos especializados de agentes penitenciários (GAP, Getap e Custódia) foi montada para reforçar as rondas nas unidades.

A informação é da Secretaria de Justiça e Cidadania do Estado, adiantando que, desde a última segunda-feira, avalia as estruturas das unidades, identificando possíveis rotas de fuga, além de checar denúncias que possam estar relacionadas a algum fato ilícito no período.

Justiça concede liminar barrando mudança de regime da Emlurb

O juiz Francisco Gerardo de Souza Júnior, titular da 7ª Vara do Trabalho de Fortaleza, concedeu, nesta sexta-feira, liminar suspendendo a mudança de regime dos trabalhadores da Empresa Municipal de Limpeza e Urbanização (Emlurb.

A liminar atendeu ao Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos de Fortaleza (Sindifort), que questionou a alteração do atual regime – de seletista para estatutário, dentro de projeto de lei aprovado na Câmara Municipal e que transformou a Emlurb em autarquia.

O Sindifort justifica que essa mudança traria prejuízos e demissões aos trabalhadores. A Prefeitura ainda não foi notificada.

* Confira a liminar no www.sindifort.org.br/files/liminaremlurb.pdf

Dilma vai passar o Carnaval em Porto Alegre

Dilma23

“A presidenta Dilma Rousseff viaja hoje (5) para Porto Alegre, onde passará o feriado do carnaval. A previsão é que ela embarque no início da tarde. Dilma não tem previsão de compromissos na capital gaúcha, onde moram seu genro e sua única filha, Paula Rousseff, mãe dos seus dois netos, Gabriel, de 5 anos, e Guilherme, que nasceu no início de janeiro.

O ex-marido de Dilma, Carlos Araújo, também mora na cidade e costuma receber a visita da presidenta. Antes de viajar para o Rio Grande do Sul, Dilma tem reunião com o ministro da Secretaria de Governo, Ricardo Berzoini.”

(Agência Brasil)

Professores do município decidem entrar em greve, a partir do próximo dia 12

O SINDIUTE, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Fortaleza, informa que decidiu, em assembleia com a categoria, realizada nessa quinta-feira, com cerca de 1.300 servidores presentes, deflagrar greve. Adianta que vai informar oficialmente à Prefeitura de Fortaleza sobre a greve, nesta sexta-feira, obedecendo a lei.

A greve será iniciada na próxima sexta, dia 12 de fevereiro, com uma mobilização em frente ao Paço Municipal, a partir das 9 horas.

A categoria decidiu pela greve em razão da falta de diálogo com a Prefeitura, que insiste em não repassar o ressarcimento do FUNDEF para a educação, além da campanha salarial, com reajuste de 11,36%.

* Dias 5 e 11 de Fevereiro
Mobilização nas escolas, com pais e alunos

* Dia 12 de Fevereiro
Mobilização em frente ao Paço Municipal, às 9 horas.

Conselho Estadual do Meio Ambiente dá poder de licenciamento ambiental para Prefeituras

208 1

Da Coluna Política, do jornalista Érico Firmo, no O POVO desta sexta-feira:

“O Conselho Estadual do Meio Ambiente (Coema) aprovou ontem resolução que estava pendente desde o fim de 2014. No último mês do governo Cid Gomes (PDT), a presidência do Coema apresentou proposta de texto para aplicar no Ceará a lei federal que delega aos municípios o licenciamento ambiental de várias atividades, de impacto considerado restrito. A possibilidade está prevista na Lei Complementar 140, de 2011.

É uma mudança e tanto. Prefeituras passam a ter poder de autorizar uma série de empreendimentos que afetam o meio ambiente. Isso deve reduzir a burocracia e dar velocidade aos licenciamentos. Isso é bom. A lentidão só favorece esquemas de propinas de quem vende facilidades. O ideal é que haja rigor e celeridade, para dizer o que pode e o que não pode.

Todavia, com licenciamentos estaduais e federais já há muitas polêmicas — há alguns anos, praticamente toda a cúpula dos órgãos ambientais no Ceará foi para a cadeia. Nos municípios, pressões econômicas estão ainda mais próximas e podem ser ainda mais eficazes. É um risco.

A depender do porte da atividade, poderão ser licenciados pelos municípios atividades como agropecuária, coleta e transporte de resíduos da construção civil e indústria, terraplanagem, desmatamento, realização de queimadas de forma controlada, loteamentos, britagem de pedras, produção de gesso, produção de telhas, tijolos, cal, extração de sal, instalação de linhas de distribuição de energia elétrica, pequenas produções de carvão vegetal, fabricação de chapas de madeira, beneficiamento de algodão e cera de carnaúba, fabricação de farinha de trigo, de eletrodomésticos, de cosméticos , entre muitas outras.

As prefeituras terão de comprovar estrutura para realizar o licenciamento. Mas, a questão vai além de formalidades. Se Governo Federal e o Estadual são suscetíveis a pressões, as prefeituras são ainda mais vulneráveis, em tese.

Na reunião de ontem, a Secretaria Estadual do Meio Ambiente foi ainda voto vencido sobre a carcinicultura. A pasta queria manter com o Estado a responsabilidade por licenciar essa atividade, potencialmente de muito impacto. Porém, decidiu-se que, a depender do porte, o município poderá fazer esse licenciamento.

Se o rigor na preservação ambiental não tem sido propriamente a regra no Ceará, o futuro projeta preocupações sobre como esse novo dispositivo será executado.

“Japonês” da PF vira hit na folia e no amor

japones-300x190

“O sucesso de Newton Ishii, o “Japonês da Federal”, tem rendido situações inusitadas.
O diretor-geral da PF, Leandro Daiello, viu-se obrigado a enviar um ofício a Ishii em Curitiba consultando-o sobre a cessão de sua imagem para a confecção de mamulengos, os famosos bonecões do Carnaval de Olinda.

E não para por aí: além da fila para selfies, Ishii, que é viúvo, tem sido alvo de uma legião de mulheres apaixonadas, com propostas de casamento por e-mail e carta.”

(Coluna Radar, da Veja Online)

Prefeito Roberto Cláudio e um mimo aos tucanos

benitasso

Da Coluna Vertical, do O POVO desta sexta-feira:

As obras do túnel da Avenida Padre Antônio Tomás sob a Via Expressa seguem em ritmo acelerado, segundo avaliações do Paço Municipal. A expectativa do prefeito Roberto Cláudio (PDT) é liberar o trecho no mês de junho. Logo em seguida, dará a ordem de serviço para o início da obra de um novo túnel (o quinto da atual gestão), no cruzamento da Via Expressa com a Avenida Alberto Sá, no Papicu.

Segundo o prefeito, as obras não estão sendo tocadas ao mesmo tempo por causa de desvios necessários e para não complicar demais o trânsito na área, que recebe um tráfego intenso de carros e, principalmente, de caminhões que transportam mercadorias do Porto do Mucuripe.

Detalhe: RC enviará à Câmara Municipal mensagem com o objetivo de batizar o novo túnel com o nome do ex-governador tucano Beni Veras. O senador Tasso Jereissati (PSDB), que era amicíssimo de Beni, com certeza, vai adorar.

Aécio diz que é alvo de “declarações criminosas” de delator da Lava Jato

146 2

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) afirmou nessa quinta-feira (4), por meio de nota, que vai interpelar judicialmente o empresário Fernando Moura Hourneaux, investigado na Operação Lava Jato, sobre a citação de seu nome no depoimento prestado ontem (3) ao juiz federal Sérgio Moro. O parlamentar disse que está indignado com “reiteradas tentativas” de envolver seu partido nas investigações da operação.

Na nota, Aécio Neves acrescentou que é alvo de “declarações criminosas”, feitas por “réus confessos”, que fazem acusações sem provas. O senador disse ainda que vai interpelar Dimas Toledo para que ele, mesmo já tendo desmentido os fatos, se manifeste mais uma vez.

“É preciso que se investigue a fundo para que sejam reveladas as verdadeiras motivações das falsas acusações. A tentativa de afundar todos no mar de lama no qual hoje estão atolados os principais dirigentes do PT é parte de uma estratégia que busca unicamente diminuir aos olhos dos brasileiros a enorme dimensão dos graves crimes cometidos pelo partido e seus aliados”, declarou Aécio.

No depoimento, Moura, que é um dos delatores da Lava Jato, informou que ouviu de terceiros que Aécio Neves foi responsável pela indicação do ex-diretor de Furnas Dimas Toledo. De acordo com Moura, Dimas afirmou que a divisão de propina na estatal era de “um terço São Paulo, um terço nacional e um terço Aécio”. Segundo ele, “um terço São Paulo” significava grupo político de Dirceu  e “um terço nacional” o PT nacional.

(Agência Brasil)

Novo líder do PT diz que prioridades são rejeitar impeachment e recuperar economia

O novo líder do PT na Câmara, deputado Afonso Florence (BA), disse nessa quinta-feira (4) que as prioridades da bancada são rejeitar a tentativa de impeachment da presidente Dilma Rousseff e aprovar medidas econômicas que ajudem o Brasil a retomar o desenvolvimento com a geração de emprego e aumento do poder aquisitivo da população.

De acordo com o líder petista, o pedido de impeachment está baseado em elementos não comprovados e não se enquadra na legislação vigente. “Por isso, é golpe”.

“Nosso propósito é, com a manutenção dos direitos trabalhistas e sociais, concluir o processo que a presidente [Dilma Rousseff] falou da transição do ajuste para uma reforma fiscal. Com isso, teremos condições orçamentárias de incrementar os investimentos públicos e propiciar um ambiente macroeconômico favorável ao investimento privado e retomar uma dinâmica de geração de emprego e do poder aquisitivo da população. Essa é nossa agenda para 2016.”

Sobre o comportamento da bancada com o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), Afonso Florence afirmou que o PT continua com a mesma orientação do ano passado, de se posicionar no sentido de investigar onde houver indícios substantivos de denúncias.

(Agência Brasil)

Ministério Público Estadual desmantela suposto esquema de tráfico de drogas no Litoral Oeste

“O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), através da Promotoria de Justiça da Comarca de Chaval e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), deflagrou, na manhã desta quinta-feira, a Operação Transfer nos municípios de Chaval, Barroquinha e Granja, localizados no litoral oeste do estado. Contando com apoio da Polícia Civil, foram cumpridos, na ocasião, 13 mandados de busca e apreensão e oito mandados de prisões temporárias determinados pela juíza Ticiane Silveira Melo.

Os mandados resultaram de um procedimento investigatório criminal que tramita no GAECO e que foi instaurado a partir de notícia da existência de um suposto esquema de tráfico de drogas e de associação para o tráfico na região. Quatro pessoas, das quais duas já estavam no rol dos mandados de prisão temporária, foram presas em flagrante, totalizando, assim, 10 prisões. Durante a operação, também foram apreendidas 58 “trouxinhas” de maconha.

Foram presos temporariamente Adelino do Nascimento Carvalho, Maria dos Navegantes do Nascimento, Fabiana Pessoa de Freitas, Benedito Oliveira Araújo, José Augusto Morais da Rocha e José Leôncio Cardozo Aragão. Geovane Teles de Oliveira Neto e Maria Adelane Nascimento de Carvalho, que já constavam no rol dos mandados de prisões temporárias, Aparecida dos Santos e Raimundo Nonato Monteiro foram presos em flagrante.

“A operação foi desencadeada às vésperas do carnaval para que fossem presos suspeitos que poderiam distribuir entorpecentes durante o período, visando, assim, garantir uma maior tranquilidade para os festejos da região”, explica o coordenador do GAECO, promotor Marcos William.”

(Site do MP-CE)

Fundação do Rim pode ganhar sede própria com apoio da Prefeitura de Fortaleza

rim

A Fundação do Rim, que atende pacientes com doença renal crônica, pode ganhar da Prefeitura de Fortaleza um imóvel próprio para abrigar o projeto.

Nesta quinta-feira, o presidente da instituição, Paulo Mota, acompanhado do líder do Governo na Assembleia, deputado Evandro Leitão (PDT), foi recebido pelo prefeito Roberto Cláudio (PDT), que sinalizou positivamente em relação ao pleito.

Será feito um estudo para encontrar, dentre as propriedades do município, um prédio que se adeque ao trabalho desenvolvido pela fundação.

(Foto – Divulgação)