Blog do Eliomar

Categorias para Política

Após reagir à agressão de Renan, Tasso é exaltado nas redes sociais

1599 15

Um dos momentos mais tensos na tumultuada sessão de eleição do presidente do Senado, nessa sexta-feira (1º), foi marcada pela agressão verbal do senador Renan Calheiros (MDB-AL) ao senador Tasso Jereissati (PSDB-CE).

Após presenciar a agressão de Renan ao senador cearense, Randolfe Rodrigues (REDE/AP) afirmou que que Renan passou por Tasso no corredor do plenário e provocou: “O responsável por isso é você, coronel, cangaceiro”. Em seguida, segundo Randolfe, o diálogo ficou ainda mais agressivo. Tasso, que estava sentado, rebateu: “Você vai para a cadeia”. Ao que Renan emendou: “Seu merda, venha para a porrada”.

A reação de Tasso à agressão de Renan foi o bastante para uma ampla repercussão nas redes sociais, em apoio à reação do senador cearense.

“Não há outro termo para definir as ações de Renan hoje que não “absurdo”! Está desesperado e decidiu atacar um homem sério como Tasso”, “parabéns senador Tasso por estar contra a eleição de Renan Calheiros para a presidência do Senado ou para a CCJ”, “parabéns por ter dito que Renan vai pra cadeia”, “senador @tassocomvoce falando para @renancalheiros o que todo brasileiro de bem gostaria de dizer”, “o coronelzinho @renancalheiros não tem envergadura moral para sequer citar o nome do Senador @tassocomvoce q é um homem público honrado e honesto. Diferente de Renan”, foram algumas das manifestações de internautas no twitter ao longo de toda a noite de sexta e madrugada deste sábado (2).

(Foto: Reprodução)

Toffoli determina votação secreta na eleição do Senado

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, decidiu neste sábado (2) que a eleição para presidente do Senado será realizada por meio de votação secreta, não mais aberta como estava definido. Ele aceitou um pedido encaminhado pelos partidos políticos Solidariedade e MDB.

“Por conseguinte, declaro a nulidade do processo de votação da questão de ordem submetida ao plenário pelo senador da República Davi Alcolumbre [DEM-AP], a respeito da forma de votação para os cargos da Mesa Diretora”, diz a decisão.

A sessão preparatória para eleição do novo presidente do Senado foi suspensa na noite de ontem (1º) e está prevista para ser reaberta hoje, às 11h. A presidência interina da Mesa passará do senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) para o senador mais idoso da casa, José Maranhão (MDB-PB).

O ministro ratificou a definição de que o senador José Maranhão (MDB-PB) presidirá os trabalhos na sessão. Na decisão, Toffoli anulou a votação conduzida por Alcolumbre, que por 50 votos a 2 e uma abstenção estabeleceu voto aberto para a eleição que escolherá o presidente – 28 senadores não votaram.

Toffoli foi o responsável por definir a ação porque é o plantonista de fim de semana no Supremo Tribunal Federal. A decisão reúne nove páginas, nas quais o ministro afirma que a votação secreta para as eleições internas nas “casas legislativas” do país podem ser observadas em distintos parlamentos, não apenas no Brasil.

(Agência Brasil)

Eunício deixa o Senado com recusa de ajuda de custo

Durante os oito anos de mandato como senador, dois dos quais na condição de presidente do Congresso Nacional, o cearense Eunício Oliveira (MDB) teria economizado aos cofres públicos a quantia de R$ 3,8 milhões, diante da recusa de benefícios como consultorias e pesquisas, locomoção, hospedagem e alimentação, divulgação, passagens, segurança privada, aluguel de imóvel e despesas relacionadas, correios e material para escritório político.

O último benefício recusado pelo ex-senador foi a ajuda de custo a que teria direito, equivalente ao valor do subsídio, destinada a compensar as despesas com mudança e transporte. A indenização é prevista pelo Decreto Lei 276/2014, mas o senador comunicou por escrito à Diretoria Geral do Senado que não pretende receber a indenização.

(Foto: Arquivo)

Camilo prestigia posse de deputados federais e senadores cearenses

O governador Camilo Santana esteve nessa sexta-feira (1º), em Brasília, onde prestigiou a posse dos deputados federais do Ceará e também dos senadores Cid Gomes (PDT) e Eduardo Girão (Pros).

De todos os parlamentares, o mais festejado por Camilo foi Cid Gomes. “Amigo de tantos caminhos e tantas jornadas. Desejo a você Cid muito sucesso nessa nova missão de representar nosso Ceará no Senado Federal. Você terá muito a contribuir em Brasília. Também desejo boa sorte e sucesso ao senador Luís Eduardo Girão e aos nossos Deputados Federais que assumiram seus mandatos a partir de hoje”, postou Camilo, em sua página no Facebook.

(Foto: Facebook de Camilo Santana)

Tensão deverá prosseguir no Senado neste sábado

Após sessão tumultuada, nessa sexta-feira (1º), a escolha do presidente da Mesa Diretora do Senado, adiada para a manhã deste sábado (2), deverá prosseguir sob tensão.

É que o bloco de apoio à candidatura de Renan Calheiros (MDB-AL) espera que o presidente interino deste sábado, senador José Maranhão (MDB-PB), derrube a votação que definiu a escolha do novo presidente por meio do voto aberto.

Ontem, em sessão presidida pelo interino Davi Alcolumbre (DEM-AP), o Plenário optou por votação aberta, diante da manifestação de 50 senadores, contra dois.

Alcolumbre, pré-candidato à presidência da Mesa Diretora, seria favorecido em uma votação aberta, enquanto Renan Calheiros sairia vencedor em votação secreta, segundo analistas do Congresso Nacional e de alguns senadores.

(Foto: Reprodução)

Sugestão de Cid Gomes é acatada e sessão é suspensa para amanhã

310 2

O presidente interno do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), suspendeu há pouco a sessão de escolha do novo presidente da Mesa Diretora, após acatar pedido do senador cearense Cid Gomes (PDT) de submeter ao Plenário o adiamento da votação para este sábado (2), a partir das 11 horas, horário de Brasília.

A sessão deste sábado deverá ter à frente o senador José Maranhão (MDB-PB), na condição de mais velho entre os parlamentares, pois Alcolumbre disputará a presidência para o próximo biênio.

(Foto: Reprodução)

Rodrigo Maia é reeleito presidente da Câmara dos Deputados

Com 334 votos, o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) foi reeleito presidente da Câmara dos Deputados em primeiro turno. O resultado foi bastante comemorado no plenário e Maia se emocionou. Essa é a terceira recondução de Maia, 48 anos, ao cargo. É a primeira vez na história que um parlamentar comanda a Câmara por três vezes seguidas.

Ele foi reeleito presidente da Câmara no período 2017-2019 no dia 2 de fevereiro de 2017, depois de ocupar o cargo por sete meses, a partir de julho de 2016. A reeleição de Maia ao cargo foi possível pela mudança de legislatura. A Constituição e o Regimento Interno da Câmara impedem a recondução de membros da Mesa Diretora na mesma legislatura. O último deputado reeleito em legislaturas diferentes foi Michel Temer, que ocupou o cargo de presidente da Casa nos biênios de 1997-1999 e 1999 a 2001.

Ao agradecer os votos, Maia disse que irá comandar a votação de reformas no país “de forma pactuada”, com integração de governadores, parlamentares e sociedade.

Rodrigo Maia foi eleito com o apoio do maior bloco parlamentar da legislatura, composto por 301 deputados de 11 partidos. Entre eles, está a a sigla do presidente da República, Jair Bolsonaro, o PSL (52), além de PP (38), PSD (35), MDB (34), PR (33), PRB (30), DEM (29), PSDB (29), PTB (10), PSC (8) e PMN (3).

Em segundo lugar, ficou Fábio Ramalho (MDB-MG), com 66 votos. Em seguida, Marcelo Freixo (PSOL-RJ), com 50; JHC (PSB-AL), com 30; Marcel van Hattem (Novo-RS), com 23; Ricardo Barros (PP-PR), com quatro; e General Peternelli (PSL-SP), com dois. Foram registrados três votos em brancos.

Conhecido como articulador e habilidoso em negociações com partidos de divergentes correntes ideológicas, Maia conseguiu atrair além da corrente majoritária, apoio de partidos de esquerda como PCdoB e PDT. “Meu perfil é de equilíbrio, capacidade de diálogo, de conversar com todas as correntes políticas e ideológicas. Vivemos um momento de radicalização, o Parlamento vai ser a Casa que vai trazer essa radicalização a um ponto de equilíbrio”, disse Maia.

Em sua gestão como presidente da Casa, Maia conduziu a aprovação da reforma trabalhista e também da atualização da legislação eleitoral – que incluiu, entre outros pontos, a chamada “cláusula de barreira”, um mecanismo que busca impedir reduzir os partidos com pouca representação na Câmara, além de criar um fundo com recursos públicos para custear campanhas.

(Agência Brasil)

Eduardo Girão pede que Kátia Abreu devolva a documentação da presidência

O senador cearense Eduardo Girão (Pros) pediu há pouco que a senadora Kátia Abreu (PDT/TO) devolvesse a pasta de documentos da presidência interina do Senado, que conduz a eleição à presidência da Mesa Diretora.

Girão ressaltou que o Brasil mudou e que o Senado não está dando o exemplo no momento.

Kária Abreu não respondeu, tampouco devolveu a documentação.

(Foto: Reprodução)

Plenário escolhe votação aberta e Kátia Abreu dá “espetáculo” ao se apropriar da pasta do presidente interino

O plenário do Senado apontou para uma votação aberta – 50 a 2 – para a escolha do novo presidente da Mesa Diretora, na noite desta sexta-feira (1º), em processo que deverá ocorrer ainda nesta noite.

Inconformada com o resultado, a senadora Kátia Abreu (PDT-TO), subiu à Mesa Diretora e tomou a pasta do presidente interino Davi Alcolumbre (DEM-AP).

(Fotos: Reprodução)

Confusão no Senado com votação para voto aberto ou secreto à presidência da Mesa Diretora

Após a polêmica da presidência interina de Davi Alcolumbre (DEM-AP), que poderá ser candidato à presidência da Mesa Diretora, mais uma polêmica marca a eleição do próximo homem-forte do Congresso Nacional, quando Alcolumbre abriu votação sobre a forma de escolha do próximo presidente do Senado, diante do voto aberto ou secreto.

Líderes partidários, em discursos de encaminhamentos, reclamam do favorecimento de Alcolumbre na condução dos trabalhos. Caso seja indicado pelo DEM, o presidente interino terá que passar o comando para o parlamentar mais antigo da Casa.

De acordo com os próprios parlamentares, a eleição deverá ser decidida em dois turnos.

O senador Renan Calheiros (MDB-AL), um dos mais exaltados, acusa o democrata de tentar desmoralizar a Casa. Mais cedo, o senador cearense Eduardo Girão (Pros) defendeu o voto aberto.

(Fotos: Reprodução)

Bloco da oposição vai propor CPI do Narcotráfico na Assembleia Legislativa

Minutos antes de tomarem posse na Assembleia Legislativa, os deputados Vitor Valim (Pros), Soldado Noelio (Pros) e André Fernandes (PSL) adiantaram propostas que devem apresentar no novo mandato. Segundo eles, o foco das ações será nas investigações e combate ao crime organizado.

Em entrevista ao jornalista Carlos Mazza, do O POVO, os parlamentares defenderam a abertura da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Narcotráfico. Valim disse lamentar que na última gestão do legislativo estadual “alguns deputados” tenham evitado o tema por medo de represálias. Para ele, se os policiais se colocam em risco, os deputados devem fazer o mesmo.

Noelio disse que a AL precisa investigar para ver “quem são os políticos e grandes empresários com ligações com facções”. Aliado do presidente Jair Bolsonaro (PSL) no Ceará, Fernandes não só defendeu a Comissão como se dispôs a presidi-la.

Aliado do governador Camilo Santana (PT), o deputado Acrísio Sena (PT) pediu cautela ao comentar possível abertura da CPI. Para ele, as respostas do Governo do Ceará têm sido serenas, com base em estudos, não em bravatas. Para o parlamentar, o papel mais adequado do parlamento cearense neste cenário é dar suporte legal para que as mudanças propostas pelo Estado – em parceria com o Governo Federal – possam ser efetivadas e mantenham os bons resultados.

Última legislatura

Eleito deputado federal nas últimas eleições, Capitão Wagner (Pros) foi um dos mais ferrenhos defensores da CPI na última legislatura. A proposta de criar a comissão de investigação foi protocolada no Ceará em 2015 pela deputada Rachel Marques (PT), mas desde estão está travada na Casa.

(O POVO Online / Repórter Igor Cavalcante / Fotos: Reprodução)

Sindetran não participa de solenidade de posse de novos servidores

O Sindicato dos Trabalhadores na Área de Trânsito do Ceará (Sindetran/CE) não participou da solenidade de posse dos novos servidores do Departamento Estadual de Trânsito (Detran/CE), nesta sexta-feira (1º), no Palácio da Abolição.

“Queríamos celebrar com os novos servidores e também agradecermos ao governador Camilo Santana, que atendeu à nossa reivindicação e realizou o certame após 39 anos. Mas ignoraram a entidade representativa da categoria”, lamentou Eliene Uchoa, presidente do sindicato.

A sindicalista apontou a necessidade de o Estado chamar também o cadastro de reserva, pois mesmo com a posse dos 383 agentes o Detran/CE ainda permanecerá com déficit.

O levantamento foi realizado pelo Sindetran/CE, após análise comparativa do quadro funcional do órgão, em 1979, há exatos 40 anos, quando o Detran era composto de aproximadamente mil servidores. À época, o Estado tinha uma frota de 150 mil veículos, enquanto atualmente a frota ultrapassa três milhões de veículos no Ceará. Mesmo com a turma recém-empossada, segundo ainda o levantamento, o órgão possui apenas 900 funcionários.

(Foto: Divulgação)

Onyx diz que texto da reforma da Previdência já está pronto

O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse hoje (1º) que o texto da reforma da Previdência já está pronto. “O presidente só vai escolher”, disse, ao se referir às diversas propostas em estudo pelo governo. “O presidente Jair Bolsonaro tem uma série de alternativas que vem estudando. Nós já combinamos, na próxima semana vamos dar continuidade. Quem vai ter a última palavra é o presidente”.

“A equipe do professor Paulo Guedes [ministro da Economia] continua com muito cuidado, com muito zelo e com muito talento construindo uma proposta que vai consertar a Previdência que está aí. Vai preparar um novo caminho para os nossos filhos e os nossos netos. Tanto é que a gente tem falado de maneira reiterada, e vamos trazer isso na mensagem [a ser encaminha ao Congresso], a gente fala na nova Previdência, que vai garantir o presente e o futuro do Brasil.”

Ao tomar posse como deputado federal, Onyx insistiu que o governo não vai interferir na escolha dos presidentes da Casa e do Senado federal. “Nós vamos continuar com essa posição”, ressaltou.

“De maneira reiterada, setores têm procurado tentar fazer com que o governo se manifeste, e o governo não se manifesta porque o princípio fundamental que o presidente Jair Bolsonaro me determinou é que o governo manteria absoluto respeito, seria apenas um observador das decisões dos deputados federais e dos senadores”.

Os ministros da Casa Civil, Onyx Lorenzoni; da Agricultura, Tereza Cristina, e da Cidadania, Osmar Terra, foram exonerados dos cargos pelo presidente Jair Bolsonaro nesta sexta-feira (1º) para assumirem novo mandato na Câmara dos Deputados. Depois de empossados, os ministros pedirão licença do cargo para retomar o comando de suas pastas.

(Agência Brasil)

Sarto aponta a construção de um Ceará mais justo

Uma Mesa Diretora multipartidária, um parlamento que promete grandes debates pelo contraditório e uma legislatura pautada no fortalecimento de todos os 46 deputados.

Para o deputado José Sarto, eleito no início da tarde desta sexta-feira (1º) presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, esses fatores são importantes para a construção de um Ceará mais justo.

Sarto foi eleito com 45 votos e um voto de rejeição. “É para não parafrasear Nelson Rodrigues (Toda a unanimidade é burra)”, brincou Sarto.

O governador Camilo Santana esteve mais cedo para a abertura dos trabalhos.

(Fotos: Reprodução)

Rodrigo Maia anuncia renúncia de Jean Wyllys

Logo na abertura dos trabalhos da Câmara dos Deputados, o presidente da sessão, Rodrigo Maia (DEM-RJ), informou que a Mesa Diretora recebeu o comunicado de renúncia ao mandato de deputado de Jean Wyllys (PSOL-RJ). David Miranda (PSOL-RJ) assume o cargo no seu lugar.

Primeiro deputado a chegar, às 8h30, Alexandre Frota (PSL-SP) fez uma live pelo Facebook com o plenário ainda vazio. “Como só estava eu, e todos os funcionários e servidores, aproveitei e dei uma palavra a eles agradecendo essas pessoas que vão nos ajudar aqui dentro: secretários, secretárias, seguranças, médicos, o pessoal da limpeza e o pessoal do cafezinho também”.

“Vou trabalhar bastante a questão da dependência química. É um processo difícil no país. Eu fui dependente químico durante muitos anos e sei exatamente o que é isso. Vou lutar também contra as pautas que pretendem acabar com a corrupção. Coloquei meu nome [para integrar] na Comissão de Cultura, na Comissão das Crianças com Deficiência Física”, adiantou o deputado.

Frota disse estar tranquilo para o início da sua atividade parlamentar. “O povo fez uma mudança muito grande dentro dessa Câmara dos Deputados. Temos uma missão pela frente difícil, dias, meses difíceis, uma oposição forte, muitos temas polêmicos. Mas temos que respeitar aquele que nos elegeu e dar tranquilidade ao povo brasileiro”, disse.

Luiza Erundina

Em seu sexto mandato consecutivo, a deputada Luiza Erundina (PSOL-SP), de 84 anos, é a mais idosa da nova legislatura. “Minha vida inteira foi dedicada à luta pela democracia, pelos direitos humanos, pelo direito das mulheres. De novo estamos aqui renovando nossos compromissos, junto com meu partido, para enfrentar uma conjuntura muito grave que vivemos hoje no Brasil. Um governo autoritário, atrasado, homofóbico, excludente”, disse.

Segundo ela, suas áreas de prioridade na atividade parlamentar são ciência, tecnologia, comunicação e informática. “Estou na luta pela democratização das comunicações. Isso é uma luta permanente porque ela faz parte da luta pela democracia”, disse.

“Vou defender os direitos dos trabalhadores e trabalhadoras, maior participação das mulheres e mais espaço de poder para mais da metade da população brasileira, que somos nós mulheres, combater a homofobia, a violência contra a mulher, que é uma verdadeira tragédia”, completou Erundina.

(Agência Brasil)

Era Bolsonaro – “Treino é treino, jogo é jogo”

Com o título “Treino é treino, jogo é jogo”, eis artigo de Ricardo Alcântara, abordando este começo, para ele turbulento, da Era Bolsonaro. Confira:

Até esta semana, para o bem e para o mal, Bolsonaro viveu de intenções – algumas controvertidas, outras de ampla aceitação popular.

Na campanha, convenceu uma maioria simples de que era a melhor opção. Na fase de transição, reafirmou compromissos e recuou em relação a alguns. Quando a gestão começou, há quatro semanas, havia ampliado o espectro de expectativas positivas da população acerca do e virá.

Mas o governo tropeçou no mastro de sua própria bandeira: veio de dentro de sua casa uma precoce e contundente contradição, o envolvimento de seu filho, agora senador, com uma mal explicada contabilidade e estreita ligação com elementos profissionais do crime.

Agora, sim, começa a verdadeira batalha: assumem os novos membros do congresso nacional. A maioria deles, em maior ou menor medida, gente de vida pregressa que não recomenda contar com altruísmos patrióticos: é gente que não coloca o Brasil acima de seus interesses, nem Deus acima de seus vícios.

Métodos novos geram novas repercussões: até aqui, o presidente se esquivou de estabelecer com o congresso um modelo de relação que redundaria, inevitavelmente, na distribuição do meu, do seu e do nosso dinheiro como uma partilha entre bem sucedidos saqueadores. Exagero? Consulte os jornais.

Por outro lado, a presença de Sérgio Moro – xerife da política que quer colocar o terrível (para eles) Deltan Dallagnol na Procuradoria-geral e transportar a si mesmo para o Supremo Tribunal – na pasta mais antiga da República não é o melhor cartão de visitas que um presidente poderia distribuir naquela casa.

Vem aí um esforço por amplas reformas liberais na economia, numa dimensão ainda não experimentada, e uma proposta para a indesejada, porém inevitável Reforma da Previdência, num modelo ousado, ao gosto dos rapazes de Chicago.

O nível de permeabilidade que as propostas do governo alcançarão no congresso nos primeiros meses será decisivo para medir a resistência do governo Bolsonaro e suas possibilidades de vir a ser bem compreendido ao fim de sua jornada.

Bem sucedido no seu objetivo principal, a retomada do crescimento em níveis suficientes para impor uma curva ascendente e contínua de recuperação das taxas de emprego notáveis de alguns anos atrás, as resistências a ele perderão força.

Caso contrário, oremos.

*Ricardo Alcântara

Escritor e publicitário.

Antônio Henrique diz que fortalecerá o trabalho dos vereadores para melhor servir à população

Melhores condições para o desempenho parlamentar e mais estrutura às comissões técnicas. Essas serão as metas na gestão do presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Antônio Henrique, em discurso proferido por ele na volta dos trabalhos legislativos, na manhã desta sexta-feira (1º).

Para o presidente do Legislativo de Fortaleza, a população será melhor servida a partir do fortalecimento do trabalho dos vereadores.

Ainda nesta sexta-feira, quatro vereadores tomaram posse como titulares dos mandatos: Dr. Eron Moreira (PP), Ronivaldo Maia (PT), Sargento Reginauro (Pros) e Libânia Holanda (PR).

A mensagem prefeitural foi lida pelo vice-prefeito Moroni Torgan, que destacou a harmonia entre os poderes para o melhor desenvolvimento da cidade e os investimentos feitos em Fortaleza, apesar da crise econômica que o país atravessa nos últimos anos.

Antônio Henrique informou que na terça-feira (5) o prefeito Roberto Cláudio estará na Casa para apresentar as últimas ações do Executivo Municipal.

(Foto: Divulgação)

Assembleia Legislativa e o Novo Zezinho

José Sarto (PDT) que, nesta sexta-feira, está sendo eleito presidente da Assembleia Legislativa à frente de chapa já fechada para a mesa diretora, ganhou apoio do PROS, PSL, PSDB e PSOL, que fazem a oposição na Casa.

Ou seja, seguiu passos do diálogo que soube bem travar com seus pares o pedetista Zezinho Albuquerque, dando adeus ao comando da AL e prontinho para assumir como secretário estadual das Cidades.

Até Heitor Férrer, do SD, mesmo se recuperando de cirurgia, mandou mensagem de aval. Só vai falar mal mesmo do governo. Como sempre.

(Foto – ALCE)

Bolsonaro não tem compromissos oficiais nesta sexta-feira

O presidente Jair Bolsonaro continua em recuperação hoje (1º) no Hospital Albert Einstein, na capital paulista. Na agenda oficial, não há compromissos nem despachos. Bolsonaro se recupera da cirurgia feita na segunda-feira (28) para reconstruir o trânsito intestinal.

O coronel Flávio Botelho Peregrino, que foi chefe da Agência Verde-Oliva, do Centro de Comunicação Social do Exército, terá função de substituir nesta sexta-feira o porta-voz oficial da presidência, o general Rêgo Barros.

A assessoria de imprensa do Palácio do Planalto informou que não haverá coletiva no final do dia com atualizações sobre o presidente, como vinha ocorrendo desde o início da sua internação, no último domingo (27). Mas, a imprensa receberá nota informativa.

Bolsonaro segue com visitas restritas, segundo recomendação médica. Ontem (31), ele despachou com o subchefe de Assuntos Jurídicos da Casa Civil, Jorge Antônio de Oliveira Francisco.

(Agência Brasil)