Blog do Eliomar

Categorias para Política

Programa Pró-Cidadania será renovado, assegura titular da SSPDS

odleele 

O Programa Pró-Cidadania será reativado. A boa-nova foi dada pelo secretário da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), Delci Teixeira, durante encontro com a prefeita de Tauá, Patrícia Aguiar, e com o deputado estadual Odilon Aguiar.

Segundo Delci, o Governo está determinado a reativar o programa. “Já estamos estudando o processo de reedição do convênio, que terá que passar pela Assembleia Legislativa”, disse o secretário.

Atualmente, Tauá (Região dos Inhamuns) é um dos únicos municípios é ter o Pró-Cidadania, que está sendo custeado exclusivamente pela prefeitura, e que conta com 80 agentes. Além de assegurar a renovação do convênio, Delci aceitou o convite da prefeita e do deputado e visitará a Região dos Inhamuns na primeira quinzena de março.

SERVIÇO
* Saiba o que é o Programa Pró-Cidadania aqui.
(Foto – Divulgação)

Senado terá CPIs para investigar o HSBC e Máfia das Próteses

152 4

“Dois requerimentos de criação de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPIs) foram lidos nesta sexta-feira (27), no plenário do Senado. O primeiro vai investigar denúncias de sonegação fiscal e evasão de divisas envolvendo o banco HSBC – que ficou conhecido como Swiss Leaks, e o segundo vai investigar denúncias sobre a existência de uma máfia para comercialização de próteses e órteses no país.

O primeiro requerimento teve 33 assinaturas de senadores – seis a mais que o mínimo necessário. Segundo as denúncias que motivaram o pedido de CPI pelo senador Randolfe Rodrigues (Psol-AP), a filial do banco HSBC na Suíça ajudou clientes a esconder recursos que poderiam ser de origem ilícita, além de possibilitar práticas de sonegação fiscal. Entre os correntistas envolvidos no esquema estão 8,7 mil brasieiros – o que não quer dizer que todos tenham praticado irregularidades.

A maior parte dos senadores que assinaram o requerimento para criação dessa comissão é da base governista, mas há também assinaturas dos chamados independentes, como o PSB. Pelo requerimento, 11 titulares e seis suplentes vão integrar o grupo.

A outra CPI foi proposta pelo senador Magno Malta (PR-ES) e vai investigar denúncias de que existe uma máfia atuando no país para a prescrição e colocação de próteses e órteses sem necessidade por médicos. A CPI das próteses vai ser composta por sete senadores titulares e cinco suplentes.

A partir de agora, com base nas indicações que já podem ser feitas pelos partidos, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) fará as designações dos integrantes. As CPIs terão prazo de 180 dias para apresentar o resultado dos trabalhos.

(Agência Brasil)

Messejana e a polêmica em torno do seu aniversário

573 1

O historiador Felipe Neto manda artigo para o Blog com o objetivo de expor certa contradições em aspectos da história de Messejana e, principalmente, de sua festa de aniversário. Há movimento pela comemoração em mareço, mas o historiador diz que a data correta seria 1º de janeiro. Confira:

Antecipando-me com o intuito de preservar e defender a história de Messejana, um dos bairros mais antigos de nossa capital, dirijo-me a este importante Blog, que demonstra zelo por nossa memória e tradições, para alertar sobre um fato que, já há algum tempo, traz sérios prejuízos para a compreensão da história de Messejana e para o fortalecimento da identidade cultural daquela comunidade.

Desde 2009, um restrito grupo de pessoas, movido apenas pela vaidade pessoal de determinar o que é certo ou errado na história de Messejana, vai aos organismos de imprensa e envolve destacadas instituições da sociedade civil – como a igreja, na propagação de um erro histórico que vem, aos poucos, destruindo o entendimento que as pessoas tem sobre a história de Messejana.

Tal grupo informa à população que Messejana teria sido fundada ou criada na data de 08 de março de 1608 e que teria como fundador/criador o Padre Francisco Pinto do advento de sua passagem em terras cearenses nessa época. Por conta disso, moveram céus e terras, realizam missas e trazem de Portugal, símbolos que nada remetem à história da terra natal do escritor José de Alencar.

Esse mesmo grupo inventou, inclusive, que o nome Messejana vem da união da palavra Messe, que seria missa em Latim, e Jana, que significaria Luar em língua nativa. Nada mais absurdo. Uma comprovação de que vivem na sua própria fantasia e apenas sofrem da síndrome de “Querer ser o pai da Obra” ou “Descobri a pólvora!”.

A Vila Nova Real de Messejana da América foi inaugurada, de fato, em 1º de janeiro de 1760. Este acontecimento é fartamente documentado, tendo sua ata sido registrado em diversas obras, inclusive as do Barão de Studart. Contudo, Messejana tem seu passado a Aldeia de Paupina, mas esta não foi formada ou fundada por qualquer padre. Nos idos de 1680, período que se refere mais a Paupina, uma parcela das famílias que formavam o Arraial do Bom Jesus da Parangaba veio para os lados que hoje conhecemos como Messejana e Paupina e aqui se instalaram. Conseguiram os nativos, faixas de terras, eles mesmos em negociação com a Coroa Portuguesa.

Portanto, o marco, termo tão utilizado atualmente, para celebrar a fundação de Messejana é 1º de janeiro de 1760, posto que antes disso não havia constituição de Messejana que passou a existir ali. Prova disso é o nome Messejana que remete não a uma fantasia, mas ao nome de uma Vila portuguesa que existe até hoje e remonta os anos de 1200.

De fato a história nos ensina que a data deve ser utilizada como uma das referências. Messejana é resultado de um processo e isso é evidente. Processo esse que envolve disputas e está encravado na transformação urbana e social do Brasil Colônia.

O alerta que fazemos para a disseminação de informações erradas reside na preocupação de, cada vez mais, deixarmos de preservar a história, âmbito tão prejudicado nesses dias. Falar em 8 de março de 1608 é uma falsidade tão absurda que a data não esta registrada nem no relato da viagem do Padre Francisco Pinto, documento também amplamente divulgado com a denominação de Relação do Maranhão.

Se passarmos a adotar informações que não condizem com a realidade ao que vamos no apegar a partir de agora? Para ajudar na missão de proteger a história de Messejana conseguimos levar aos olhos da Câmara Municipal pela mão da vereadora Toinha Rocha (Psol) um projeto que, finalmente, visa oficializar a comemoração do aniversário de Messejana na sua data de fato, 1º de janeiro, resultado de trabalho cientifico escolhido por parte daquela casa. Esta data foi resgatada pelo pesquisador Edmar Freitas, que desde 1993, realiza a comemoração no período mencionado.

Evidente que nesses dias sofremos com muitas mazelas que consideramos mais importantes do que registro de datas e fatos. Contudo, preservar e defender a cultura e a história são ferramentas que podemos utilizar para minimizar a triste situação que vivemos hoje, posto que celebrar em sua plenitude e verdade a memoria de Messejana é celebrar suas pessoas trabalhadoras, suas ruas de saudade e encontro, seu bucolismo esquecido e sua paz que havemos de reconquistar, destruindo a mentira e o errado para sobrepor o espirito messejanense.

* Felipe Neto,

Historiador formado pela UECE, autor do livro “Muito além dos muros do Forte” – as dinâmicas que propiciaram a anexação do antigo município de Messejana a Fortaleza em 1921 e os seus desdobramentos.

As denúncias de corrupção e as contradições da imprensa

169 3

Com o título “A disseminação da ignorância”, eis artigo do jornalista e sociólogo Demétrio Andrade. Ele aborda as contradições da imprensa em meio a tantas denúncias de corrupção. “O papel fiscalizador da imprensa precisa existir e ser estimulado. Mas independentemente de classe social ou ideologia política, os procedimentos investigativos para confirmação de denúncias deveriam ser inatacáveis”, expõe o articulista. Confira:

O texto jornalístico trabalha com vários tipos de discursos. Ao mesmo tempo, é possível identificar matérias sobre o saber eminentemente científico indo até os coloquialismos do cotidiano. Afinal, a notícia em si não deve ter preconceito em relação à origem da informação. Por seu lado, o leitor muitas vezes não possui elementos e ferramentas para julgar a veracidade dos dados divulgados. Daí, a imensa responsabilidade do jornalista: ele deve checar e rechecar o que lhe cai às mãos, pesquisar à exaustão, ouvir diversas fontes, ater-se à descrição dos fatos o mais próximo de como eles ocorreram. Não é tarefa simples.

Nos últimos anos, porém, o comportamento de vários jornalistas e órgãos de imprensa vêm causando espécie. Costumo dizer que há dois princípios do direito fartamente aviltados pela baixa qualidade das matérias veiculadas no país. O primeiro reza que todo cidadão é inocente até que se prove o contrário. Hoje, qualquer suspeito é tratado como culpado, de forma leviana, a troco de interesses mesquinhos, como a busca de um “furo” ou a defesa de um ponto de vista político.

O segundo diz que o ônus da prova cabe ao acusador. Em outras palavras, significa dizer que se alguém acusa outrem de qualquer tipo de irregularidade, em tese este alguém é que teria de provar o que está levantando. O que se enxerga hoje, no país, é justamente o inverso: pessoas tendo sua honra exposta, muitas vezes injustamente, tendo de se desdobrar para provar que são inocentes. O que é píor: quando conseguem, meses ou anos depois, já têm sua imagem negativamente comprometida.

É contraditoriamente risível observar jornalistas e veículos criticando a violência policial, por exemplo, posto que a imprensa está repetindo a mesmíssima prática de atirar primeiro para perguntar quem é depois. Mecanismos como a delação premiada e o segredo de Justiça tornaram-se expedientes banais e, por isso mesmo, francamente desrespeitados. A voz de qualquer bandido confesso tornou-se um oráculo, ganhando, simultaneamente, com uma velocidade nunca vista, divulgação em peso na mídia.

Paralelamente, as técnicas jornalísticas mais elementares ganharam a lata do lixo. Contribuem para isso, sem dúvida, as redes sociais. Que o cidadão seja um divulgador de inverdades na rede, embora errando, é até compreensível. Mas profissionais da informação caírem na mesma esparrela e transformarem qualquer boato em notícia é inaceitável. Quem defende tal prática em nome da “liberdade de imprensa” não enxerga que, de uma hora para outra, pode vir a ter seu nome irremediavelmente comprometido.

O papel fiscalizador da imprensa precisa existir e ser estimulado. Mas independentemente de classe social ou ideologia política, os procedimentos investigativos para confirmação de denúncias deveriam ser inatacáveis. Mal comparando, da mesma forma que a Igreja Católica era uma contumaz censora à época da Idade Média, não é admissível a descontrolada profusão de denúncias sem qualquer critério. Em ambos os casos a sociedade padece pela ignorância, ou por saber de menos ou por achar que sabe demais.

Mais que isso, é perceptível no senso comum hoje o retorno do abjeto sentimento de que o “o Brasil não tem jeito”, como se todos fôssemos desonestos. Esta anti-pedagogia acaba por justificar os atos mais torpes no dia-a-dia, na base do “vou fazer errado porque todo mundo faz”. Por não cumprir sua tarefa de separar o joio do trigo, a imprensa, achando-se acima do bem e do mal e palmatória do mundo, não enxerga seus próprios erros e acaba por jogar todos na mesma vala comum.

* Demétrio Andrade

Jornalista e sociólogo

demetriofarias@gmail.com

Ivana Barreto comandará Fiocruz do Ceará

A médica Ivana Barreto, ex-presidente da Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP), vai coordenar a Unidade da Fundação Osvaldo Cruz no Ceará, já operando e com obras físicas sendo tocadas no município do Eusébio.

A confirmação é do secretário estadual da Saúde, Carlile Lavor, que, antes de assumir o cargo, respondia pela Fiocruz local.

Ivana Barreto além do componente técnico, conta também com o componente político. Ela é mulher do deputado federal e médico Odorico Monteiro (PT).

Ministro diz que Estados deveriam seguir Plano de Combate à Seca do Ceará

foto 150226 camilo em brasília

O ministro Gilberto Occhi, da Integração Nacional, conheceu nessa quinta-feira, o Plano Estadual de Combate à Seca, apresentado em Brasília pelo governador Camilo Santana. O ministro reconheceu que a iniciativa é pioneira no País e que outros Estados que têm problema de estiagem deveriam seguir o exemplo do Ceará.

Occhi foi convidado pelo governador para participar da inauguração da adutora de Crateús, que deverá ocorrer em março. Na Capital Federal, o chefe do Executivo cearense também apresentou o Plano Estadual de Combate à Seca para os ministros Nelson Barbosa (Planejamento) e Miguel Rossetto (Secretaria Geral da Presidência).

(Foto – Divulgação)

Semáforos apagados – Vereador vê incapacidade da Prefeitura para solucionar o problema

260 2

deodato

O vereador Deodato Ramalho (PT) continua lamentando a “incapacidade” da Prefeitura de buscar solucionar a crise dos semáforos apagados em Fortaleza. O problema ocorre desde o Carnaval com uma grande quantidade de sinais em cruzamentos de grande tráfego de veículos sem funcionamento. De acordo com a imprensa, o problema se registrou a partir do abandono da empresa Nova Koasin, responsável pela manutenção dos semáforos, motivado pelo atraso no pagamento do serviço pela prefeitura.

“Essa é uma situação grave, provocada pelo Prefeito Roberto Claudio. Em entrevista, o secretário de conservação e serviços públicos, João Pupo, confirma a versão divulgada pela imprensa de que a ruptura do contrato se deveu à falta de pagamento por parte do gestor municipal. É uma total falta de desorganização dessa gestão”, disse.

Deodato definiu a crise como parte do esvaziamento da Autarquia Municipal de Trânsito, Serviços Públicos e Cidadania (AMC) e denunciou a perseguição da Prefeitura aos agentes de trânsito e a ânsia do Poder Executivo em diminuir o papel dessa instituição. Ele já pediu, via requerimento, uma audiência pública, com o objetivo de discutir as atribuições da AMC.

Sindicato reclama falta de diálogo em mudança da pasta do Detran-CE

O Sindicato dos Trabalhadores na Área de Trânsito do Ceará (Sindetran/CE) reclama da mudança do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) da pasta da Infraestrutura para a Secretaria das Cidades, sem que a decisão fosse debatida com servidores e com o sindicato.

Após 15 anos na pasta da Infraestrutura, o sindicato reconhece que havia a necessidade da mudança, diante da falta de projetos estruturais e de uma política de educação de trânsito, mas acreditou que o Detran-CE iria para a pasta da Segurança Pública e Defesa Social, conforme solicitado no seminário “7 Cearás”, durante a transição do governo.

André Figueiredo rejeita e repudia cota de passagem para mulheres dos parlamentares

foto andre figueiredo

O líder do PDT na Câmara, André Figueiredo, rejeito a cota de passagem aérea recriada pela mesa diretora da Casa com objetivo de atender às mulheres dos parlamentares. “Foi uma medida infeliz, um retrocesso no uso criterioso do dinheiro público”, disse o pedetista.

Segundo André, a medida não se enquadra como apoio ao “bom exercício” da atividade parlamenta, configurando-se mais como “mordomia”, que ele não aceitará. “Minha esposa costuma viajar comigo para Brasília ou para outros compromissos do mandato, mas quem paga sou eu. Continuará assim”, complementou André Figueiredo.

Marco Regulatório da Internet tem vigência adiada

“Lei publicada hoje (27) no Diário Oficial da União adia a entrada em vigor do Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil, sancionado em julho pela presidenta Dilma Rousseff. A Lei 13.102/2015 altera a data da lei que entraria em vigor no dia 30 de outubro de 2014. Com o novo prazo, as novas regras para parcerias e repasses de dinheiro da União a organizações não governamentais (ONGs) passam a valer no fim de julho de 2015, um ano após a sanção.

De acordo com o governo federal, a prorrogação atende a reivindicações de entidades da sociedade civil, municípios e outros órgãos que se manifestaram pela ampliação do prazo para se adaptarem às regras. Os 90 dias previstos originalmente pela lei não teriam sido suficientes para a transição.

O novo Marco Regulatório das ONGs prevê, entre outras regras, a substituição dos convênios por dois novos instrumentos: os termos de colaboração e fomento. A lei também estabelece que o governo terá que fazer o chamamento público, uma espécie de edital de concorrência, para selecionar organizações parceiras. As ONGs terão que cumprir uma série de requisitos para fazer parcerias com os governos. Entre as exigências para firmar os contratos estão: existir há, no mínimo, três anos e ter capacidade técnica e operacional para desenvolver as atividades propostas.”

(Agência Brasil)

 

Sindifort e Intersindical promovem seminário sobre Reforma Previdenciária do Governo Dilma

206 1

vovovo

O Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos do Município de Fortaleza (Sindifort) e a Intersindical – Central da Classe Trabalhadora estão realizando, nesta sexta-feira, o seminário “A Reforma Previdenciária do Governo Dilma e os Prejuízos da Classe Trabalhadora com as MPs 664 e 665 (INSS e IPM)”. O encontro ocorre na sede do sindicato e reúne servidores e empregados públicos municipais de Fortaleza.

De acordo com a direção do Sindifort, os empregados públicos municipais, tais como funcionários da Emlurb, Etufor, CTC e outros, já sofrem os efeitos das Medidas Provisórias 664 e 665, além do conjunto de trabalhadores da iniciativa privada. A MP 664 atinge também servidores públicos, no que diz respeito à pensão por morte.

A presidente Dilma Rousseff editou, no dia 30 de dezembro/14, as MPs que estipularam, entre outros, novas regras para acesso a benefícios previdenciários, tais como Abono Salarial, Seguro Desemprego e Auxílio Doença e Pensões.

IPM

Em Fortaleza, segundo o Sindifort, o IPM vem deste setembro de 2014 estudando mudanças na legislação previdenciária, o que muito preocupa os servidores. Conforme matérias publicadas na imprensa, uma nova reforma da Previdência Municipal deve ser encaminhada ainda neste primeiro semestre à Câmara Municipal pelo prefeito Roberto Cláudio (Pros).

(Foto – Divulgação)

José Pimentel defende aprimoramento do Simples para micro e pequenas empresas

pimentell

O líder do governo no Congresso, senador José Pimentel (PT), defendeu o aprimoramento das regras do Simples Nacional para estimular as micro e pequenas empresas e garantir a retomada do crescimento econômico. Pimentel analisou o impacto do programa Bem Mais Simples sobre o setor durante fala no Congresso. As novas medidas de desburocratização foram lançadas nessa quinta-feira pela presidenta Dilma Rousseff, em solenidade no Palácio do Planalto.

Para o senador, as novas regras, como a baixa imediata da empresa e a abertura de um novo negócio em apenas cinco dias, permitirão que as MPEs alcancem resultados ainda melhores e contribuam para a recuperação da economia brasileira. “Nós precisamos continuar melhorando e simplificando essa política tributária, para que nossa economia possa sair dessa crise momentânea. E o caminho está testado: são as regras do Simples Nacional”, disse.

Pimentel apresentou diversos dados para demonstrar o forte crescimento do setor e seu impacto positivo sobre a economia brasileira. Segundo ele, com a adoção da primeira versão da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, o setor passou de 2,8 milhões de empresas, no final de 2007, para 9,5 milhões em 2014. O aumento no número de MPEs foi de 236% no período e de 19% ao ano. E o senador destacou a quantidade de adesões ao Simples, ocorridas após a universalização do acesso ao sistema, devido à Lei Complementar nº 147. Foram 502 mil novas formalizações em janeiro de 2015.

A geração de empregos no setor também foi destacada pelo parlamentar. Pimentel afirmou que as micro e pequenas empresas criaram 3,5 milhões de novos empregos com carteira assinada, no período de 2011 a 2014. Enquanto isso, as médias e grandes empresas registraram redução de 263 mil postos de trabalho. O líder apontou também os resultados positivos da arrecadação de impostos do Simples Nacional.

(Agência Senado)

Corte de verbas do Sine/IDT inviabiliza pesquisa de emprego e desemprego

Do Sindicato dos Bancários do Ceará:

O corte de  25% do valor para o financiamento da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), determinado pelo Governo do Estado, é uma medida que inviabiliza a pesquisa e, principalmente, condena a redução de 30% dos profissionais envolvidos no trabalho da PED em Fortaleza e municípios da Região Metropolitana.

Segundo o coordenador da pesquisa no Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), Ediran Teixeira, “com a redução da verba da PED, haverá corte do pessoal e esta ficará inviabilizada”. Teixeira lembra que a pesquisa mostra o perfil do mercado de trabalho e dá embasamento ao Governo para aplicar políticas públicas necessárias à promoção do emprego.

Esse corte de verba interrompe a série histórica da pesquisa de quase 30 anos e, além disso, o Estado do Ceará vai perder R$ 1 milhão de contrapartida do governo federal para a pesquisa. Ele questiona: “a pesquisa do mercado de trabalho (PED) foi iniciada entre 1984 e 1985, passou pela Ditadura Militar, e agora vai terminar por corte de gastos do governo estadual?”.

Leônidas Cristino é o único cearense na CPI da Petrobras

LEONIDASSS

Leônidas Cristino é o único deputado federal do Ceará a integrar a CPI da Petrobras, instalada nessa quinta-feira na Câmara. Indicado pelo PROS, ele anuncia que pretende conduzir, de maneira firme, sua participação na CPI para que “todos envolvidos nos desvios sejam responsabilizados de acordo com a verdade dos fatos revelados nas investigações.”

Em seu terceiro mandato, Leõnidas, ex-ministro dos Portos, afirma que a nova CPI tem um foco diferente da anterior e traduz a necessidade de se passar a limpo o País. “Pela magnitude das irregularidades apontadas, o Brasil clama por uma investigação séria e profunda de tudo e de todos os envolvidos”, disse ele. A CPI e CPMI anteriores não tiveram o desfecho esperado, já que as investigações do Ministério Público e Polícia Federal avançam com maior consistência.

DETALHE – Moses Rodrigues (PPS) está como suplente dessa CPI.

Câmara aprova projeto que amplia combate ao tráfico de pessoas

odorico 

A Câmara dos Deputados aprovou, em sessão extraordinária, o Projeto de Lei 7370/14, que traz várias mudanças na legislação para prevenir e reprimir o tráfico nacional e internacional de pessoas, a exemplo, do acesso facilitado a dados telefônicos e de internet. O deputado Odorico Monteiro (PT) votou favorável à matéria.

De acordo com o parlamenta, o Brasil carecia de uma lei dessa natureza. “A aprovação dessa lei representa um enorme avanço para o enfrentamento ao tráfico de pessoas, a promoção da cidadania e da dignidade humana no Brasil”.

Segundo Odorico, a lei detalha medidas para prevenir e reprimir o tráfico de pessoas, além de estabelecer medidas para proteção e atendimento às vítimas, a exemplo, da necessidade de assistência jurídica, social e de saúde, acolhimento e abrigo provisório.

O texto é oriundo da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara sobre o Tráfico de Pessoas no Brasil. O texto segue agora para revisão do Senado. De acordo com a Lei, configura-se tráfico de pessoas, “agenciar, aliciar, recrutar, transportar, transferir, comprar, alojar ou acolher pessoa, mediante grave ameaça, violência, coação, fraude ou abuso, com a finalidade de: remover-lhe órgãos, tecidos ou partes do corpo; submetê-la a trabalho em condições análogas à de escravo; submetê-la a qualquer tipo de servidão; adoção ilegal; ou exploração sexual.

O projeto tipifica como crime o tráfico de pessoas e estabelece penas de reclusão de quatro a oito anos e multa, tendo pena aumentada de um terço até a metade quando praticada por funcionário público no exercício de sua função; contra criança, adolescente, pessoa idosa ou com deficiência; quando a vítima for retirada do território nacional.

(Com Agências)

Juristas prevêem ações contra reajuste de benefícios do parlamentares federais

154 4

Ao autorizar o uso de verbas públicas para a compra de passagens aéreas de cônjuges de parlamentares, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, acaba por criar mais um telhado de vidro para o Congresso Nacional. Na avaliação de especialistas consultados pela Agência Brasil, parlamentar que usa dinheiro público com esse propósito está sendo antiético e antirrepublicano, uma vez que, devido à crise, o momento é de corte de gastos. “E comete também uma ilegalidade, porque os benefícios à família não estão previstos na Constituição. Portanto é bastante possível que alguém entre com ação de inconstitucionalidade no Supremo Tribunal Federal (STF) contra essa medida”, disse o professor de Ética Política da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Roberto Romano.

Na avaliação do especialista, quem recebe votos e é eleito para o mandato “é o indivíduo e não sua esposa, papai ou cachorrinho. Isso é inaceitável, além de antiético e antirrepublicano. Como justificar essas prerrogativas familiares em um país com uma crise econômica como a nossa? Os deputados deveriam mostrar solidariedade ao governo e economizar, em vez de fazer esse exibicionismo de privilégios. Trata-se de mais um péssimo exemplo de nosso Legislativo, que desconhece que, na República, todos são iguais”, acrescentou.

Para o diretor do Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc), José Antonio Moroni, os benefícios concedidos por Eduardo Cunha evidenciam mais uma das contradições do Congresso Nacional. “Quem aprova isso são os mesmos deputados que têm defendido cortes ou reduções nos benefícios destinados às camadas mais baixas da população, como seguro-desemprego es pensões. Não dá para considerar isso ético de maneira nenhuma. Se eles quiserem, podem comprar passagens para as esposas ou maridos com o dinheiro do próprio salário, que é bastante alto”, disse Moroni.

As contradições vão além. “Os deputados representam o povo. É de se esperar, portanto, que eles vivam também as limitações e a rotina da população. Representar passa por isso. Caso contrário, torna-se difícil para eles entender a realidade daqueles que representam. Têm de fazer contas para passar o mês; têm de calcular seus orçamentos; têm de passar o aperto que o brasileiro passa para poder representá-lo. Não pode estar tão descolado da realidade de seu representado. Não pode ter distanciamento. Se as verbas têm por objetivo facilitar a ele entender a rotina do representado, elas [as verbas] têm de dar limites a ele”, argumentou.

Segundo o diretor do Inesc, os parlamentares recebem um “bolo de benefícios” bem maior do que passagens aéreas, muitos deles bastante questionáveis. “Os Correios, por exemplo. Antigamente eram o único meio para o parlamentar prestar contas a seus eleitores. Portanto, até fazia sentido o valor significativo destinado a isso. Mas, com a internet, perdeu sentido usar material impresso para esse propósito. No entanto, a verba foi mantida e, ao longo do tempo, foi aumentada”.

(Agência Brasil)

Semáforos apagados – Agrava-se crise entre Prefeitura e empresa

171 1

foto roberto cláudio rádio

“A discordância entre a Prefeitura de Fortaleza e a empresa NovaKoasin ficou mais acirrada. Em entrevista ao O POVO ontem, o prefeito Roberto Cláudio (Pros) afirmou enfaticamente não reconhecer parte da dívida cobrada pela empresa que realizou manutenção na rede de semáforos da Capital até 11 de fevereiro. RC também quer a entrega de um software adquirido pela Prefeitura para gestão inteligente do sistema – o Scoot. O diretor da NovaKoasin, Valdir Roberto, entretanto, afirma que o software foi entregue em julho de 2011 e que existe um débito de R$ 9 milhões.

A pane na rede de semáforos gera transtornos. A NovaKoasin deixou de realizar manutenção nos equipamentos alegando inadimplência da Prefeitura. Segundo o diretor da empresa, o débito pendente se refere aos meses de junho, agosto, setembro, novembro e dezembro de 2013 e de 2014. Ele pontua que planilhas com os valores foram entregues para a Prefeitura em reuniões com secretários e outros gestores.

O Scoot é um sistema de tecnologia britânica para gestão inteligente das redes de semáforos. Segundo Roberto, mais de 250 cidades no mundo utilizam o modelo. Para a Prefeitura, ele diz, foi comercializada a licença de utilização do software. “Para trabalhar com o Scoot é necessário ter treinamento. Nós e a empresa fornecedora do programa oferecemos essa formação para os operadores da Prefeitura”, pontua. Valdir reafirmou que o sistema, adquirido pela Prefeitura, foi implantado e a licença para utilização (junto dos manuais de operação) foi entregue para o Município.

Até o fim de março, segundo o prefeito, será realizada licitação e contratação de nova empresa para manutenção dos equipamentos. Enquanto isso, os problemas têm sido solucionados por equipes da Autarquia Municipal de Trânsito (AMC) e do Departamento Estadual de Trânsito (Detran). Próxima semana, deverá ser feito um contrato de emergência para garantir a estabilidade da manutenção, afirmou RC.

Investigação

Durante a entrevista, RC também afirmou que as Polícias Civil e Militar foram acionadas para participar de investigações sobre supostas sabotagens nos semáforos. O Ministério Público (MP) também se manifestou e vai participar. Na quarta-feira, O POVO flagrou indícios de fiação danificada na rede que leva energia a semáforo da avenida Eduardo Girão. Segundo a AMC, o último balanço apresentou apenas sete equipamentos com problemas – menos de 1% da rede completa.”

(O POVO)

Heitor Férrer – Camilo quer gastar milhões com Acquario e suplica verbas para ações contra a seca

heitorrferrrer

Da Coluna Vertical, do O POVO desta sexta-feira:

Nas ações de combate à seca anunciadas pelo governador Camilo Santana (PT), na Assembleia, há previsão de perfuração de 750 poços, ao preço de R$ 5,1 milhões. O dado chamou a atenção do deputado Heitor Férrer (PDT) que, ao questionar o governador, citou a polêmica construção do Acquario.

Para Heitor, com o gasto que o Governo fez, até agora, com a obra – R$ 125 milhões, daria para perfurar 18.200 poços profundos no Estado. “Basta analisar esse dado para comprovar a insanidade do projeto, herança maldita de Cid Gomes e que Camilo insiste em manter”.

O deputado afirma ainda que, com mais de 18 mil poços, o Ceará “seria transformado numa tábua de pirulito jorrando água para quem tem sede” Heitor não poupou: “Enquanto o governo gasta milhões com o Acquario e quer gastar mais R$ 400 milhões, Camilo estava ontem, em Brasília, suplicando verba para alugar perfuratrizes e carro-pipa. Isso é a mais trágica e criminosa inversão de prioridades do Governo do Ceará.”

AL aprova reforma administrativa e contraria governo na proposta do piso dos agentes de saúde

“Depois de aprovar reforma administrativa, Assembleia Legislativa impôs derrota ao Governo durante mensagem sobre o piso salarial dos agentes de saúde e endemias. Emendas que alteram o texto original a contragosto de Camilo foram apresentadas e aprovadas por membros da oposição e do governo.

Sob pressão de agentes de saúde presentes nas galerias da Assembleia, a votação da mensagem de Camilo para estabelecer o piso salarial dos profissionais da categoria contrariou o texto enviado pelo governador e gerou desacordos na base.

Duas alterações à mensagem, uma do petista Elmano de Freitas e outra do líder do PMDB, Audic Mota, garantiram, para além do piso da categoria, o reajuste anual seguindo o estabelecido pelo governo aos demais servidores do Estado. Outra modificação prevê ainda novos ajustes concedidos pelo governo cearense sempre que o governo federal aplicar reajustas à categoria dos agentes de saúde e endemias.

Pegos de surpresa com as propostas, membros da base de Camilo recuaram e votam favoráveis às mudanças. “Houve uma intransigência, depois que se viu derrotada, a situação voltou atrás e resolveu aderir as propostas e torná-las consenso”, comemorou Audic.

Sem comentar o recuo da base e a aprovação das emendas, Elmano lembrou que “não haveria esse debate e essa conquista se Camilo não tivesse encaminhado o texto”. Depois de sancionado, o novo piso dos agentes de saúde e endemias será fixado no valor de mil e quatorze reais.”

(O POVO)