Blog do Eliomar

Categorias para Política

Capitão Wagner: Arquivamento de punições seria primeiro passo para diálogo com Camilo

263 7

capitaowagner

“Liderança de movimentos reivindicatórios da Polícia Militar, o deputado estadual eleito Capitão Wagner (PR) disse ontem que está aberto, “como sempre esteve”, para dialogar com Camilo Santana (PT) no governo.

“Queremos o que é bom para a categoria, para o Estado e para a segurança. As arestas podem ser cortadas, para que a gente una ao máximo os profissionais e a sociedade. Não estamos aqui para fazer oposição por fazer”, disse, ontem, ao O POVO.

Ele destaca que várias pautas da corporação estavam, inclusive, contempladas no programa de Camilo, como promoções, definição de carga horária, Código de Ética e salários. Wagner destaca, no entanto, que é importante que o governador “realmente tome atitude” após negociações. “Não pode só dialogar, tem que botar em prática o que fala”.

Questionado sobre processos contra PMs que declararam apoio a sua candidatura, Wagner disse que arquivamento das ações seria “primeiro passo” para apaziguar os ânimos.”

(O POVO)

CPI Mista cancela depoimento de Youssef e ouve Cosenza nesta quarta

A CPI Mista da Petrobras confirmou o cancelamento do depoimento do doleiro Alberto Youssef, marcado para esta quarta-feira (29). Youssef já havia avisado por meio do advogado que pretendia ficar calado e pedido a dispensa da audiência. Além disso, no fim de semana, ele passou mal na carceragem da Polícia Federal em Curitiba e foi levado para um hospital, onde segue internado.

Com o cancelamento da audiência de Youssef, a CPI Mista confirmou para quarta o depoimento de José Carlos Cosenza, atual diretor de Abastecimento da Petrobras. Ele deveria ter falado aos parlamentares na semana passada, mas alegou problemas médicos para se declarar impossibilitado de comparecer. Membros da oposição chegaram a duvidar do atestado médico apresentado, já que numa primeira versão, mais tarde emendada, o documento não informava a doença do executivo (hipertensão arterial).

(Agência Senado)

Resultado em Minas pesou na reeleição de Dilma Rousseff, avaliam especialistas

dilmaaecc

“Ainda vai?!”

A derrota de Aécio Neves em Minas Gerais, seu domicílio eleitoral e estado que governou por oito anos, pode ter sido um fator relevante para a vitória de Dilma Rousseff em sua reeleição. Na avaliação de especialistas mineiros, o mau desempenho de Aécio no estado depôs contra o candidato e o fez perder votos importantes.

Para o professor de ciências sociais e políticas da Universidade Federal de Viçosa, Diogo Tourino de Sousa, Minas foi “o fiel da balança, do ponto de vista numérico” e também do ponto de vista político, no sentido de converter eleitores de outros estados no momento em que Aécio passava a ser conhecido no Brasil.

A professora de ciência política da Universidade Federal de Minas Gerais, Helcimara Telles, também avalia que o desempenho dos candidatos em Minas teve peso no resultado nacional, embora considere que talvez não tenha sido decisivo. A professora também é membro da World Association for Opinion Research (Wapor), organização voltada para a pesquisa de opinião pública. Para ela, Minas Gerais tem um “peso simbólico” muito grande, por fazer divisa com estados em estágios socioeconômicos diversos, como São Paulo, Goiás, Rio de Janeiro e Bahia.

Dilma venceu em Minas com 52,41% dos votos válidos, enquanto Aécio teve 47,59%. No primeiro turno, a candidata petista também venceu no estado, com 43,48%. O tucano fez 39,75% em Minas no primeiro turno.

(Agência Brasil)

Justiça da Itália julgará nesta 3ª feira pedido de extradição de Henrique Pizzolato

“A Justiça da Itália deve julgar amanhã (29) o pedido feito pelo governo brasileiro para extraditar o ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, condenado a 12 anos e sete meses de prisão por lavagem de dinheiro e peculato na Ação Penal 470, o processo do mensalão. O julgamento na Corte de Apelação de Bolonha está previsto para as 10h, horário local, três horas a menos em relação ao horário oficial de Brasília.

Pizzolato fugiu do Brasil em setembro do ano passado, antes do fim do julgamento do processo no Supremo Tribunal Federal (STF), e foi preso em fevereiro, em Maranello, na Itália. Em junho, a Corte iniciou o julgamento, mas em seguida suspendeu a sessão para solicitar esclarecimentos do governo brasileiro sobre as condições dos presídios nacionais.

Em resposta aos questionamentos do governo italiano, a Procuradoria-Geral da República e o Supremo informaram que têm condições de garantir a integridade de Pizzolato, que deverá ficar preso no Presídio da Papuda, no Distrito Federal, caso seja extraditado. No local, estão presos outros condenados no processo.

O pedido de extradição foi feito pela PGR e entregue ao governo italiano pelo Ministério das Relações Exteriores, em fevereiro. No entendimento da procuradoria, mesmo tendo cidadania italiana, Pizzolato pode ser extraditado para o Brasil. Caso a decisão a seja contrária, a PGR defende que a pena seja cumprida na Itália.”

(Agência Brasil)

Cid Gomes é cotado para novo ministério de Dilma Rousseff

237 2

cie ciro

Do site 247

Entre os aliados do PT na campanha presidencial, os irmãos Cid e Ciro Gomes, do PROS, e o ex-prefeito Gilberto Kassab, do PSD, são os grandes vitoriosos nos bastidores da eleição que acaba de ser encerrada. Cada um ao seu modo, eles cumpriram papéis estratégicos ao longo da campanha, cujos efeitos contribuíram de maneira decisiva para o resultado final.

No Ceará, os Gomes recusaram de primeira hora a alternativa de entrar para o PSB e resolveram trabalhar pela criação de uma nova legenda, o PROS. O movimento deu resultado e impediu o PSB, que na época era articulado por Eduardo Campos, de ser dominante no Nordeste. O atual governador Cid Gomes e seu irmão, o ex-ministro Ciro, apoiaram o candidato do PT ao governo do Estado. Camilo Santana venceu Eunício Oliveira, do PMDB, no segundo turno, o que ressaltou a importância do trabalho dos Gomes para ele.

Agora, Cid Gomes já é um dos nomes mais cotados na bolsa de apostas de Brasília para se tornar ministro da Saúde no novo governo Dilma, a partir de 2015.

Em São Paulo, o ex-prefeito Gilberto Kassab foi igualmente decisivo para o desfecho da eleição presidencial. Mesmo assediado pelo PSDB, que chegou a lhe oferecer a vaga de vice na chapa do governador reeleito Geraldo Alckmin, Kassab preferiu resistir à pressão. Na véspera do último dia para registro de chapas, ele foi procurado pelo ex-governador José Serra para que retirasse sua candidatura ao Senado. Serra, que acabou por se eleger para o cargo, não queria correr riscos. O ex-prefeito, no entanto, não o atendeu. Isso significou um afastamento jamais registrado anteriormente entre os dois.

Mas Kassab cumpriu ainda um papel ainda mais importante. Ele não trabalhou pela ida do ex-presidente do BC Henrique Meirelles para ser vice na chapa de Aécio Neves. Filiado ao PSD, Meirelles foi convencido pelo ex-presidente Lula a ficar fora das eleições. Agora, Meirelles está cotado para integrar uma nova equipe econômica federal. E Kassab, no comando do PSD, pode se tornar o novo ministro das Cidades.

VAMOS NÓS – Fontes ligadas a Cid Gomes garantem que ele deve optar mesmo por morar nos EUA, a partir de 2015.

FHC: O PT cresceu nos grotões e com votos dos “menos informados”

236 7

SAO PAULO/SP 05/09/2006 - 16:00 H - FHC / ENTREVISTA - VARIEDADES JT - Entrevista com ex Presidente da Republica, Fernando Henrique Cardoso em seu escritorio no Instituto.

“O ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso (PSDB) disse nesta segunda-feira (6) que o PT cresceu nos grotões do país e que o Partido dos Trabalhadores tem o voto dos “menos informados”. A declaração foi dada aos blogueiros do UOL Josias de Souza e Mário Magalhães.

“O PT está fincado nos menos informados, que coincide de ser os mais pobres. Não é porque são pobres que apoiam o PT, é porque são menos informados”, afirmou o ex-presidente.

“Essa caminhada do PT dos centros urbanos para os grotões é um sinal preocupante do ponto de vista do PT porque é um sinal de perda de seiva ele estar apoiado em setores da sociedade que são, sobretudo, menos informados”, disse FHC.”

(Conversa Afiada)

Ganhou na eleição a ascensão social de muitos. O resto é manobra das elites conservadoras

324 1

Com o título “Inclusão social une o Brasil”, eis artigo do arquiteto Joaquim Cartaxo, ex-presidente do PT do Ceará e atual secretário de formação do partido. Para ele, os governos petistas promoveram a ascensão social de muitos, configurando-se o fato como a verdadeira união nacional. Confira:

A vitória da presidenta Dilma nas eleições de 2014 representou avanço no aprofundamento da democracia brasileira, demonstrado pelos eleitores que estão mais e melhor informados, politizados, resistentes às tentativas de manipulação das mentes e corações deles.

Vitória da geração que lutou contra a ditadura, em que a presidenta é representante viva; vitória política, ideológica e eleitoral das forças populares, socialistas e democráticas que combatem o antipetismo sectário e o neoliberalismo excludente, privatizador, subserviente ao capital financeiro.

Vitória dos movimentos sociais, das mulheres, da juventude, dos lutadores por um desenvolvimento sustentável, inclusivo, solidário, duradouro.

Encerrada a eleição, a oposição liderada pelos tucanos continua a disputa política afirmando que o Brasil está dividido e que é necessário unificá-lo. A questão não é essa, pois pela quarta vez o PT derrota o PSDB na disputa presidencial. O caso não é de divisão do país, mas de conquistar democraticamente maioria política e social. É disso que se trata.

A retórica de unificar o Brasil e afirmar que o PT dividiu o país é uma manobra das elites conservadoras tentando ocultar o mal-estar delas que veio à tona de modo intenso com a ascensão social dos pobres, promovida pelos governos do presidente Lula e da presidenta Dilma. Pobres e ricos com seus carros passaram a disputar o espaço da via pública, dos estacionamentos; frequentam os mesmos shopping centers; ocupam, lado a lado, as salas de espera dos aeroportos e assentos dos aviões; foram garantidas cotas para negros nas universidades e os filhos de famílias pobres podem obter diploma de nível superior por meio do ProUni. Assim sendo, as pessoas pertencentes às camadas populares podem conquistar colocações no mercado de trabalho reservado, antes, apenas aos pertencentes às camadas de renda média e alta da sociedade.

Por causa disso, essas camadas tradicionais se sentem ameaçadas pelas classes de renda C e D. Sentimento traduzido na velha e nova mídia com manifestações de intolerância e virulência preconceituosa contra pobres, negros, mulheres, nordestinos, homofobia e o PT nessas eleições.

Ascensão social é a verdadeira unificação do país, a unificação de oportunidades para todos. A presidenta Dilma e o PT se dispõem a dialogar. Mas, isso não significa abrir mão do projeto vitorioso nas urnas que contém aviso dos eleitores em letras garrafais: reduzir inflação e juros pagos ao sistema financeiro; proteger os direitos dos trabalhadores e garantir emprego; priorizar as regiões mais pobres e desprovidas de infraestrutura; ampliar e melhorar a qualidade dos serviços públicos; aperfeiçoar a regulação do setor privado; combater a corrupção sem tolerância.

* Joaquim Cartaxo,

Arquiteto urbanista e secretario de formação política do PT/CE.

Presidentes de Países da América Latina saúdam vitória de Dilma

“Líderes políticos da América Latina saudaram, hoje (27), a conquista de um segundo mandato pela presidenta Dilma Rousseff. Por meio das redes sociais, mandatários da América do Sul e da América Central felicitaram a candidata petista.

“Grande vitória de inclusão social e da integração regional”, escreveu a presidenta da Argentina, Cristina Kirchner, em sua conta no Twitter. Já o presidente do Equador, Rafael Correa, destacou: “Maravilhoso triunfo de Dilma no Brasil. Nosso gigante segue com o Partido dos Trabalhadores. Parabéns, Dilma, Lula, Brasil”.

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, ressaltou: “Vitória de Dilma no Brasil! Vitória do povo. Vitória de Lula e seu legado. Vitória dos povos da América Latina e do Caribe”. Já o líder de El Salvador, Salvador Sánchez, escreveu: “Dia de festa no Brasil e na América Latina. Nossos povos decidiram seguir construindo seu bem-estar e felicidade”.

O mandatário uruguaio, Tabaré Vásquez, que também disputa eleições em seu país, destacou: “Chegam boas notícias do Brasil, companheiros! Vitória de Dilma”. O governador da província argentina de Entre Rios, Sergio Urribari, escreveu: “Muita alegria pelo triunfo de Dilma. Parabéns a ela, a Lula, ao PT e a todo o Brasil por seguir avançando”.

A embaixadora argentina na Organização dos Estados Americanos, Nilda Garré, considerou a vitória de Dilma “uma notícia muito boa para a continuidade do esforço popular latino-americano”.

(Agência Brasil)

Camilo precisa recuperar a condição de “chefe supremo da PM”, recomenda especialista

[youtube]http://youtu.be/vbiJ6DPCrJ4?list=UU3PLF5T6g3ddE4BpeF0EhZg[/youtube]

Para o coordenador do Laboratório de Estudos da Violência da Universidade Federal do Ceará, César Barreira, um dos grandes desafios do governador eleito Camilo Santana (PT) é a segurança pública. Há muito acirramento entre Governo e PM, o que precisa ser resolvido.

Segundo César Barreira, que chegou a ser o diretor da Academia Estadual de Segurança Pública (AESP), Camilo terá que buscar o diálogo com a Polícia Militar, procurar a tranquilidade na área e recuperar a condições de que o governador precisa se impor como o chefe supremo da PM, recuperando a credibilidade com a Corporação.

Caso Propinoduto – Petrobras divulga em nota que está apurando todas as denúncias

Em nota divulgada para a imprensa nesta segunda-feira, a Petrobras informa sobre as medidas internas que vem tomando com a finalidade de apurar fatos relativos às investigações da Operação Lava Jato, na qual um ex-diretor da companhia, Paulo Roberto Costa, foi denunciado pelos crimes de lavagem de dinheiro e organização criminosa. Neste momento, de acordo com a estatal, estão em curso investigações sobre a prática de supostos crimes em desfavor da estatal.

A empresa diz que constituiu comissões internas de apuração para averiguar indícios ou fatos contra a estatal, bem como subsidiar medidas administrativas e procedimentos decorrentes; além de requerer acesso aos autos da investigação relacionada à operação da Polícia Federal, incluindo os autos da ação por lavagem de dinheiro e organização criminosa, como forma de acompanhar de perto as investigações, o que foi deferido pelo Poder Judiciário.

A Petrobras adiantou ter solicitado acesso ao conteúdo da delação premiada feita pelo ex-diretor Paulo Roberto Costa, que ainda não foi deferido pelo Poder Judiciário; pediu também esclarecimentos às empresas mencionadas na imprensa como tendo atividades sob investigação na Operação Lava Jato, para subsidiar avaliações internas, especialmente após a repercussão na mídia de informações a respeito da mencionada delação premiada.

A Petrobras informa ainda que obteve acesso oficial aos depoimentos de Paulo Roberto Costa e do doleiro Alberto Youssef (prestado em audiência na 13ª Vara Federal do Paraná, em 8 de otubro) e que tem utilizado as denúncias de corrupção feitas para subsidiar suas Comissões Internas de Apuração. A empresa lembra que os depoimentos não se confundem com a íntegra dos depoimentos prestados no âmbito da chamada delação premiada – que ainda estão sob segredo de Justiça.

Na nota, a empresa informa também que assinou contratos este mês com duas empresas independentes especializadas em investigação, uma brasileira e outra americana, com o objetivo de apurar a natureza, extensão e impacto das ações que porventura tenham sido cometidas no contexto das alegações feitas por Paulo Roberto Costa, bem como apurar fatos e circunstâncias correlatos que tenham impacto material sobre os negócios da companhia.

Paralelamente ao avanço das investigações, a companhia está estudando medidas jurídicas adequadas para ressarcimento dos supostos recursos desviados e de eventuais valores decorrentes de sobrepreços derivados das empresas que teriam participado do cartel, conforme mencionado no depoimento do ex-diretor da Petrobras, além dos danos causados à imagem da companhia.

(Agência Brasil)

Obama parabeniza Dilma e sinaliza para aumento da colaboração bilateral

“O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, deu hoje (27) os parabéns à presidenta Dilma Rousseff pela reeleição ao cargo e disse que, nos próximos dias, dará passos para aumentar a colaboração bilateral. Em comunicado, o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, indicou que o Brasil é “um parceiro importante” para os Estados Unidos e adiantou que Obama vai telefonar para Dilma “nos próximos dias para felicitá-la pessoalmente” e conversar sobre o aumento da colaboração entre os dois países.

As relações entre os Estados Unidos e o Brasil foram afetadas com revelações do consultor de informática Edward Snowden, que prestava serviços para a Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos (NSA), sobre escutas às comunicações pessoais de Dilma Rousseff, ministros e empresas brasileiras.

Dilma Rousseff venceu ontem (26) o segundo turno da eleição presidencial, com 51,8% dos votos válidos, na mais acirrada disputa no Brasil desde 1989, quando foi realizada a primeira eleição para presidente após o fim do regime militar.”

(Agência Brasil)

A Roda do poder

marcoscalss
O ex-presidente da Assembleia Legislativa, Marcos Cals (PSDB), que disputou e perdeu a Prefeitura de Fortaleza em 2012, votou domingo em seção do Clube Náutico.
Por ali circulou, mas sem assédio da turma da mídia. Nem de populares. Marcos Cals dedica-se ao setor empresarial, no momento.
Mas quem conhece seu potencial de votos, aposta que um dia ele retornará ao ringue eleitoral.
(Foto – Paulo MOska)

Guido Mantega – Compromissos da área econômica serão mantidos nos próximos quatro anos

guidomantega

“O ministro da Fazenda, Guido Mantega, confirmou, há pouco, o compromisso de fortalecer os fundamentos da economia brasileira nos próximos quatro anos. Segundo ele, permanecem os compromissos de manter a inflação sob controle e a geração de empregos, com o mercado em expansão.

“É claro que, para manter os empregos, temos de manter os estímulos aos investimentos e fortalecer as empresas brasileiras, com a expansão do mercado de capitais. Temos que manter o sistema financeiro sólido, porque é ele que financia a expansão da economia e do consumo”, afirmou o ministro, em entrevista coletiva.

De acordo com o ministro, o Brasil tem um grande desafio para conseguir retomar o desenvolvimento ante a crise internacional. “Isso só será possível se houver grande mobilização com trabalhadores e empresários, junto com o governo, para entramos com o novo ciclo da economia brasileira”, disse ele.

Mantega mostrou-se satisfeito com com a vitória da presidenta Dilma Rousseff sobre o candidato do PSDB, Aécio Neves, no segundo turno da eleição presidencial. “Estou feliz com o resultado das eleições. Isso prova que a população está aprovando a política econômica”,afirmou. Ele reconheceu que as eleições provocam volatilidade, mas ressaltou que fatores externos têm influência. “Houve forte queda das commodities [produtos básicos com cotação internacional], e que a Bolsa de Valores foi afetada, mas, com o fim das eleições, esse cenário passa a amainar”, afirmou.

Durante as eleições, os pessimistas ficam mais pessimistas e os otimistas, mais otimistas, observou o ministro. “O Datafolha [instituto de pesquisas] verificou que os brasileiros estão ficando mais otimistas com a ecocomia. Além disso, teve a CNI [Confederação Nacional da Indústria], mostrando a melhora da expectativa do consumidor. A indústria de transformação também avançou, e isso mostra que a confiança tende a voltar. E, mais importante, a confiança do investidor externo voltou a melhorar. Portanto, os investidores externos, que olham para o médio e longo prazos, estão mais confiantes, poque eles estão colocando o dinheiro deles no Brasil. A economia voltou a crescer, e tudo indica que continuará a crescer no terceiro e quarto trimestres”, afirmou.

Perguntado sobre nomes para compor a equipe no segundo mandato de Dilma, Mantega respondeu que essa pergunta tem que ser feita à presidenta. “Estou apresentando as políticas que devem ser adotadas, e é o que importa. Mencionei os passos que devem ser dados, mas não me cabe falar sobre os nomes”, enfatizou. Reeleita ontem (26) para mais um mandato de quatro anos, Dilma anunciou, durante a campanha eleitoral, que, se fosse vitoriosa, faria um governo novo, com uma equipe nova.”

(Agência Brasil)

Camilo promete trabalhar para “unir o Ceará”. Segurança será seu primeiro grande desafio

camilosant

“Vou trabalhar para unir o Ceará!”, disse, nesta segunda-feira, o governador eleito Camilo Santana (PT), durante entrevista ao programa Debates do POVO, da Rádio O POVO/CBN. Esse foi seu primeiro compromisso divulgado logo após derrotar, nas urnas do segundo turno do pleito estadual, nesse domingo, o então candidato Eunício Oliveira (PMDB). A diferença do petista para o peemedebista foi pouco mais de seis pontos percentuais.

Camilo prometeu também que vai priorizar a segurança pública, uma das áreas que sofreram maiores críticas durante a campanha eleitoral. Ele disse que, durante conversas com o eleitorado, recebeu queixas e adiantou que, até dezembro, vai se dedicar a ouvir a toda a sociedade em busca de medidas que atendam aos clamores da população.

Capitão Wagner e hierarquia

O governador eleito disse que, nessa ausculta, terá conversa com o oficialato, com policiais e com entidades como a OAB, Defensoria Pública, Ministério Público Estadual, Poder Judiciário e as universidades. Indagado se, nesse leque de conversas, incluiria o Capitão Wagner, deputado estadual eleito pelo PR e principal opositor da segurança na gestão cidista, reiterou que está disposto a ouvir a todos, observando, no entanto, que o respeito à hierarquia da Polícia Militar não pode ser esquecido.

Elogios a Servilho

Ele aproveitou para elogiar o atual secretário da Segurança Pública, Servilho Paiva, que, com programa que implantou em Pernambuco, quando titular da pasta, vem colhendo os primeiros bons resultados no Estado.  Camilo foi lembrado de que encontrará uma PM dividida, no que  prometeu dedicar “muita energia” para esse segmento.

Secretariado sem interferências

Perguntado se já teria um perfil do seu secretariado e que o governador Cid Gomes (Pros) poderia interferir na formação de sua equipe, fez questão de dizer: “Não assumi compromisso com ninguém, a não ser com o povo do Ceará”. Prometeu que fará “um novo Governo”, embora em campanha tenha apregoado que vai aprimorar o que está dando certo e melhorar o que precisa.

Cobrar Dilma

Prometeu também dedicação ao setor da educação e anunciou que, no plano da saúde, vai procurar demais governadores do Nordeste para junto à presidente reeleita Dilma Rousseff, cobrar reajuste da tabela do SUS. “Vou cobrar de Dilma”, deixou claro. Dilma obteve mais de 77% de votos no Estado. Embasando sua preocupação, ele informou que, para cada R$ 1,00, o Ceará vem gastando R$ 5,00 para bancar a nova estrutura de saúde implantada pelo Governo que consta de dois hospitais regionais (Norte e Sul), 26 UPAs – sendo 6 em Fortaleza; 19 Policlínicas e Centros de Especialidades Odontológicas (CEOs). Prometeu ampliar essa oferta e ampliar o SAMU, além de construir mais dois hospitais: um na Região Metropolitana de Fortaleza e outro no Vale do Jaguaribe.

Conversa com Tasso

Lembrado de que precisará, para conquistar verbas em Brasília, do apoio da bancada federal cearense e de senadores como Tasso Jereissati, eleito pelo PSDB – ele derrotou Mauro Filho (Pros), da chapa do petista, não hesitou:’Vou conversar co todos os parlamentares eleitos. Reiterou que seu compromisso é com o Ceará. Disse estar preparado para lutar por mais obras estruturantes como refinaria de petróleo, Transnordestina – que teve ordem de serviço assinada no Cariri na última semana, mais verbas para o Cinturão das Águas pelo qual entrará a água da Transposição do São Francisco.

Dilma cartará alto com nomeações para o STF

gilmarmendes

“A reeleição de Dilma Rousseff possibilitará à presidente nomear seis ministros para a composição do Supremo Tribunal Federal até 2018.

Isso significa que, no final do próximo mandato petista, dos 11 magistrados da corte, só Gilmar Mendes, indicado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, não terá sido escolhido por um governo do PT.”

(Folha de S.Paulo)

Jornalista critica Nordeste por ter dado vitória à presidente Dilma Rousseff

277 11

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=vSDMfbQHdXs[/youtube]

O jornalista Diogo Mainardi bateu duro no Nordeste porque a região deu maioria que assegurou a reeleição da presidente Dilma Rousseff. Foi durante o programa Manhattan Connection, da Globo News, nesse domingo, em clima de avaliação das eleições.

Mainardi lamenta que a região continue retrógada, observando que sempre foi governista, bovino, atrasado, pouco construída e com grande dificuldade para se modernizar na linguagem.

O Novo Governo Dilma e seus grandes velhos desafios

Com o título “O eleitor manda um recado”, eis artigo do jornalista Plínio Bortolotti, que pode ser conferido no O POVO desta segunda-feira. Ele cita os grandes desafios do novo Governo de Dilma Rousseff. Confira:

O eleitor brasileiro deu mais um mandato ao PT, e à sua candidata, porém mandou um recado muito claro ao partido: não está muito satisfeito com o que está vendo. Agora, Dilma Rousseff vai ter de provar que mereceu os votos recebidos. A presidente reeleita reconheceu – a tecla em que batia o seu adversário, Aécio Neves – que as contas públicas precisam de ajuste, pois o governo tem despesas muito acima do que arrecada. Nem ela e nem ele disseram claramente como fariam para acertar as contas. Aécio deu indicações ao “nomear” Armínio Fraga como seu ministro da Fazenda – a receita dele é conhecida: um golpe para aumentar os juros, restrição de crédito e outras medidas que atingiriam o setor de serviço e, por consequência, aumentariam o desemprego.

Dilma disse que faria o necessário para manter a estabilidade da moeda e a inflação baixa, porém, sem aumentar os juros, sustentando o nível de emprego e mantendo os programas sociais. Acontece que muitos economistas afirmam ser improvável cumprir essa tarefa sem nenhum tipo de ônus. O problema é que, do mesmo modo que os eleitores recusaram o sacrifício insinuado por Aécio, irão agora cobrar cobrar a fatura de Dilma, com a sua fiança de que não tomaria medidas “impopulares”.

Assim parece que duas opções se põem à frente do governo: a) aprofunda as mudanças sociais, e para isso terá de incomodar setores mais bem posicionados na pirâmide social – uma reforma tributária que alivie a carga de impostos dos mais pobres e aumente a dos mais ricos, por exemplo; b) caminha mais para a direita adotando algumas propostas “neoliberais”. (Poderia também continuar fazendo mais do mesmo, mas a política atual chegou ao seu limite.) De qualquer modo, uma coisa é certa: é trabalho de enormes proporções. Frente a ele, ganhar a eleição foi tarefa fácil.

* Plínio Bortolotti, jornalista do O POVO.

Arcebispo de Fortaleza torce, meio cético, por mais transparência e combate à corrupção

181 1

[youtube]http://youtu.be/-dhq7YdPl5c?list=UU3PLF5T6g3ddE4BpeF0EhZg[/youtube]

O arcebispo de Fortaleza, dom José Antônio de Aparecido Tose, avaliou, nesta segunda-feira, o resultados nas urnas no País e no Ceará.

Sobre a reeleição de Dilma, preferiu afirmar que tudo está na expectativa. Particularmente, disse esperar maior transparência e menos corrupção na máquina pública e um olhar maior olhar para os necessitados.

Também recomendou ao governador eleito que olhe para os necessitados, invista em infraestrutura e invista em mais habitação e em segurança pública.

Tributarista: Crescimento da economia e combate à insegurança são desafios do novo Governo

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=mapRlY-EhvQ&list=UU3PLF5T6g3ddE4BpeF0EhZg[/youtube]

O tributarista Hugo de Brito Machado, um dos mais requisitados no País para conferências, reclama do cenário econômico do Brasil no momento. Ele não poupa ao setor tributário, que tem carga muitopesada.

Hugo de Brito vê essa questão como um dos fatores que fazem a economia brasileira não crescer. Para o tributarista, o próximo Governo terá, de imediato, dois desafios: voltar a crescer a economia e combater a insegurança.