Blog do Eliomar

Categorias para Política

Band realiza debate com candidatos à Presidência da República nesta terça-feira

Os candidatos à Presidência da República estarão frente a frente, na noite desta terça-feira (26), no primeiro debate na televisão, que será realizado pela Band.

O encontro iria ocorrer anteriormente na última quinta-feira (21), mas foi adiado por causa da morte de Eduardo Campos.

Todos prometeram comparecer. Inclusive a presidente Dilma Rousseff que, nesta manhã de segunda-feira, acabou cancelando sua entrevista á Rede CBN de Rádio. A emissora lamentou a ausência da petista à série de entrevistas com presidenciáveis que, nesta terça-feira, terá continuidade com o candidato do PV, Eduardo Jorge.

Candidatos pregam discursos diferentes

158 1

tvop debate ailton lopes

O candidato do Psol, Ailton Lopes, critica os gastos nas campanhas eleitorais e diz que grandes empresários acabam beneficiados com acordos em doações.

tvop debate eliane novais

A candidata do PSB, Eliane Novais, lamentou a falta de diálogo no atual Governo, o que, segundo ela, caso eleita, não ocorrerá em sua gestão.

tvop debate eunicio oliveira

O candidato do PMDB, Eunício Oliveira, fala sobre a seca e o descaso da atual gestão com o problema do homem do campo.

tvop debate camilo santana

O candidato do PT, Camilo Santana, destaca proposta para a mobilidade urbana.

Marina diz que Nordeste brasileiro não é problema, é solução

A candidata à Presidência da República Marina Silva visitou, no início da tarde deste domingo (24), o Centro de Tradições Nordestinas, na zona norte da capital paulista, um local para difusão da cultura e da gastronomia do Nordeste brasileiro. No local, Marina conversou com eleitores e posou para muitas fotos, além de falar sobre seu projeto para a região.

“O desenvolvimento econômico do Nordeste precisa de uma compreensão de que o Nordeste não é problema, mas solução. A maior parte dessas soluções já está colocada e precisa ganhar escala como, por exemplo, os programas que façam as pessoas terem acesso à água em relação à transposição do São Francisco, que ajudará, em muito, o desenvolvimento econômico no semiárido nordestino”, disse ela, destacando também que o desenvolvimento do Nordeste passa pela utilização de fontes de energia alternativas, como a energia solar, além da agricultura familiar e da valorização da cultura e do artesanato local.

Indagada sobre o seu programa de governo, que deve ampliar os canais de democracia direta, tais como plebiscitos e consultas populares, além de controlar as atividades dos políticos por meio de conselhos sociais, Marina respondeu que a versão que saiu nos jornais ainda não é oficial e que, portanto, não iria comentar sobre isso. “Foi entregue uma versão preliminar. O documento a que tiveram acesso não é o que Eduardo [Campos, morto no dia 13 de agosto] e eu revisamos”, disse ela. No entanto, Marina ressaltou que seu programa deve sim “aprofundar a democracia, o que significa a valorização das instituições”.

Ao ser questionada da notícia publicada neste domingo pela Folha de S.Paulo de que a Polícia Federal vai investigar se a aeronave do acidente que matou  Eduardo Campos foi comprada com dinheiro de caixa 2 do PSB, Marina deixou que seu vice, Beto Albuquerque, respondesse à pergunta. “Continuamos querendo explicações das causas do acidente, como ele caiu e porque a caixa-preta não tinha gravado [a conversa no avião]. Não sei o que a Polícia Federal está falando, mas se ela está falando, ela precisa apurar antes de falar. O partido prestará informações a todos sobre as condições daquele contrato”, falou ele, acrescentando que o PSB deve se pronunciar durante a semana sobre o assunto.

(Agência Brasil)

Efeito Marina Silva e o colapso nervoso

190 1

Da Coluna Fábio Campos, no O POVO deste domingo (24):

A polaridade protagonizada pela dupla PT-PSDB entrou em colapso nervoso. Desde sexta-feira, a imprensa sudestinacapta sinais de inflexões nas projeções de voto de Dilma Rousseff e Aécio Neves. Para baixo. A depositária das novas intenções chama-se Maria Osmarina Silva, a Marina.

É cedo. Muito cedo. Não se sabe ao certo o movimento dos eleitores. Por enquanto, somente especulações. Saberemos breve. Na próxima terça-feira (ou na noite de segunda-feira) deve sair nova pesquisa Ibope. Mas, há o nervosismo de hoje. Os comitês têm mecanismos imediatos de detectar os humores do eleitorado. Faz-se isso por telefone.

Não nos esqueçamos de junho de 2013. Milhões de cidadãos foram às ruas, indignados, pedir mudanças. Não continuaram indo por causa dos arruaceiros que estabeleceram o confronto e a violência. A turma que tomou o asfalto, majoritariamente de classe média, pedia a mudança, mas não tolera a desordem.

Restou manifestar o desejo de mudança da maneira como a civilização levou milhares de anos para alcançar. Na base do voto. Sim, a boa e velha democracia, talvez a melhor invenção da humanidade. E, para grande parte daquele público que foi às ruas, a cidadã Osmarina encarna seus desejos de mudança.

Não se trata aqui de discutir o mérito da sentença elaborada pelo contingente que transforma a agora contida insatisfação em intenção de voto na “terceira via”. Isso fica para outro momento. A questão que se impõe à análise é lidar com vossa excelência, os fatos. E um dos fatos é Marina.

A simples chegada de Marina ao questionário do Datafolha, antes mesmo de ter a candidatura confirmada, providenciou o primeiro fato. Concreto e avassalador. Chama-se segundo turno. Antes, era uma dúvida. Com Marina, virou uma certeza. Metade dos seus 21% foi oriundo da camada que anunciava anular o voto. Percebem a dimensão do fato?

Os resultados da pesquisa subiram às manchetes do noticiário político. De lá para cá, o PSB oficializou a candidata e providenciou um vice. Sim, ocorreram reacomodações no PSB, o partido que deu asilo à Rede marinista. Mas, e daí? Novamente os fatos: tocado pela expectativa real de poder, o PSB tratou de ser pragmático.

Atônitos, os comitês de Dilma e Aécio tateiam para saber o que fazer. Atacar Marina? Parece não ser aconselhável. Pelo menos no momento. Mas, se for preciso atacar, por onde ir? O que fazer? Não vai ser fácil. Procurei algo consistente. Só é possível encontrar uma ou outra crítica não oriunda de políticos. Coisa sofisticada demais para uma campanha eleitoral.

A trajetória de Marina Silva é comum ao Brasil. Sim, há semelhanças com a de seu ex-amigo Lula da Silva. Com uma diferença importante: ela decidiu que estudar e conquistar um diploma de nível superior seria a base para construir o futuro. É formada em História pela Universidade Federal do Acre.

Analfabeta até os 16 anos, Marina saiu dos seringais para estudar em Rio Branco (AC). Em quatro anos dedicados a um curso supletivo, saiu do analfabetismo ao vestibular. O pai é o cearense Pedro Augusto da Silva, de 86 anos. Foi mais um entre os milhares do Ceará que migraram para o Acre entre as décadas de 40 e 50. A avó é do litoral de Paracuru.

Marina é Plano B da elite, diz colunista

117 2

Da Coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (24):

É fato que a nata do poder econômico (banqueiros, rentistas, grandes grupos econômicos nacionais e internacionais e a grande mídia) mobilizou-se para viabilizar a candidatura Marina, por ver nela uma chance de levar a disputa para o segundo turno.

É certo que o “sistema” preferiria Aécio Neves por ser mais experiente. Mas, se o tucano patinar, tem Marina como alternativa à mão, pois, suas propostas econômicas pouco se diferenciariam das de Aécio – segundo especialistas -, sobretudo, a autonomia do Banco Central e o “ajuste econômico” que trariam, inevitavelmente, retração econômica e desemprego (“por breve período”, prometem), tal como na Europa, até que, pressupostamente, a economia reaja (os europeus ainda não o conseguiram).

Aécio delega Tasso como representante do Ceará junto à Presidência, caso eleito

303 1

eleições 2014 psdb 0823 tasso aécio iguatu

“O melhor conselheiro que um presidente pode ter. Não haverá, no governo Aécio Neves, alguém em melhores condições e com delegação do Presidente da República para atender essa região do que o senador Tasso Jereissati, meu amigo, meu irmão e precursor da gestão pública eficiente no Brasil”.

A declaração é do candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, na noite desse sábado (23), durante comício em Iguatu, ao apontar o candidato tucano ao Senado, Tasso Jereissati, como modelo de administrador público. No palanque, ao lado de Aécio e Tasso, o peemedebista e ex-prefeito de Iguatu, Agenor Neto, que disputa cadeira de deputado na Assembleia Legislativa do Ceará.

Antes do comício, Tasso e Aécio Neves caminharam pelas ruas do município. É a segunda visita do candidato tucano ao Palácio do Planalto ao Ceará. Horas antes, em Salvador (BA), Aécio lançou o Plano Nordeste Forte, que prevê a ampliação do Bolsa Família, além de um programa de infraestrutura e o planejamento da redução em 30% do índice de homicídios da região, por meio da gestão eficiente.

“Só acredito que nós vamos diminuir as diferenças das várias regiões brasileiras, tratando as regiões de forma diferente”, concluiu.

(Foto: Orlando Brito / divulgação)

Camilo diz que inaugura transposição do São Francisco com Dilma no próximo ano

409 4

eleições 2014 pt 0823 miraíma

As obras da transposição do rio São Francisco serão inauguradas já no próximo ano. A garantia é do candidato do PT ao governo do Ceará, Camilo Santana, nesse sábado, em Miraíma, a 199 quilômetros de Fortaleza. Segundo o candidato, caso eleito, ele e a presidente Dilma irão inaugurar no Estado o projeto que se arrasta por mais de duas décadas. O candidato também destacou o Cinturão das Águas, do Governo do Ceará.

“Isso é uma garantia de que toda a população cearense terá água pra beber, mas também água pra produzir, irrigar. Vamos continuar com a implantação de cisternas de placas e vamos garantir que todas as cidades tenham acesso à água, seja através de adutoras ou adutoras de engate rápido”, destacou Camilo.

(Foto: divulgação)

Projeto torna mais duras punições do Estatuto do Torcedor

194 1

Uma briga entre torcedores do Atlético Paranaense e do Vasco, no final do ano passado, parou o jogo por 17 minutos. O que se viu foi uma cena de luta livre, com socos e chutes. Quatro pessoas ficaram machucadas. Mais recentemente, membros de torcidas organizadas do Corinthians e do Palmeiras entraram em confronto. O resultado foi a morte de Gilberto Torres Pereira, de 31 anos, da torcida Mancha Verde. Esses são apenas alguns exemplos de violência em estádios e nas imediações das arenas. Um projeto do senador licenciado Armando Monteiro (PTB-PE) torna mais duro o Estatuto de Defesa do Torcedor numa tentativa de acalmar os ânimos durante as partidas de futebol.

O PLS 28/2014 proíbe que os clubes, federações, ligas e demais entidades esportivas transfiram dinheiro para as torcidas organizadas. Também veda a doação de bens ou de ingressos. Estabelece ainda que as torcidas organizadas, cujos integrantes promoverem atos de vandalismo ou qualquer tipo de conflito até cinco quilômetros dos locais dos jogos, serão dissolvidas.

O projeto traz ainda penalidades para os brigões. Quem promover tumulto, incitar atos de vandalismo ou participar de brigas nos estádios ou num raio de distância de até cinco quilômetros deles pode cumprir pena de dois a oito anos de prisão, além de pagamento de multa. A mesma punição vale para quem levar aos jogos instrumentos que possam ser usados em conflitos. Se o ato resultar em morte ou lesão corporal grave, a penalidade é acrescida de um terço, sem prejuízo às demais sanções já previstas em lei.

(Agência Senado)

Há 20 anos, ministro admitia que projeto da transposição do São Francisco era eleitoreiro

Da Coluna O POVO é História, no O POVO deste sábado (23):

Aluízio Alves, Ministro da Integração Regional, admitiu que o projeto de transposição das águas do rio São Francisco é eleitoreiro. A declaração aconteceu na sede do Dnocs, durante a solenidade de assinatura do convênio de 1 milhão de dólares para a coordenação de projetos que viabilizam a transposição.

Luizianne e Eudes Xavier seguem fora do Horário Eleitoral

263 2

eleições 2014 pt 1819 luizianne

Os candidatos do PT à Câmara Federal, Luizianne Lins e Eudes Xavier, seguem fora da grade do Horário Eleitoral da coligação “Para o Ceará Seguir Mudando”, apresentado na tevê na tarde deste sábado (23). O mesmo também ocorreu no horário político no rádio.

Na terça-feira (19), a assessoria da candidata foi informada que a participação da candidata não estaria adequada ao “padrão” da coligação. No dia seguinte, porém, as partes teriam chegado a um acordo. Acordo que ficou só na propaganda.

VAMOS NÓS – O Blog apurou que na segunda-feira (25) haverá uma reunião da Executiva Estadual do PT, quando um novo acordo deverá ser firmado. A expectativa é que Luizianne Lins e Eudes Xavier passem a ser veiculados a partir da terça-feira (26). Os candidatos Antonio Carlos e Elmano de Freitas, que disputam vaga à Assembleia Legislativa, também passarão a ser veiculados no Horário Eleitoral.

Pré-candidata do PSB agora é Camilo

260 6

foto nicolle psb

A então pré-candidata do PSB ao governo do Ceará, a empresária Nicolle Barbosa, agora é Camilo Santana. O anúncio oficial será feito na manhã da segunda-feira (25), a partir das 8h30min, na residência da própria empresária.

Apesar de agora apoiar o PT no Ceará, a empresária avisa que no plano nacional vota em Marina Silva.

As condições de Marina e o que restou de Campos

Em artigo no O POVO deste sábado (23), o jornalista Luiz Henrique Campos avalia acordos feitos por Eduardo Campos e desfeitos por Marina Silva. Confira:

O pior pesadelo que pode atingir uma candidatura durante o decorrer de qualquer campanha eleitoral é a chamada agenda negativa, que tanto pode vir de deslize involuntário do candidato, ser gerada pelos adversários, ou surgir a partir da própria condução da campanha. Os efeitos da agenda negativa podem ser passageiros e os desgastes momentâneos, como, por outro lado, impregnar no candidato imagens que trarão consequências nefastas eleitoralmente. A comoção gerada pela morte de Eduardo Campos colocou nas mãos de Marina Silva capital eleitoral indiscutível. Aliada à força que já possuía da disputa presidencial passada, ela tinha tudo para começar a campanha em alta, abrindo caminho para trajetória cada vez mais competitividade.

A competitividade de Marina permanece em alta, não há dúvida. Mas para um nome que ainda busca angariar novos eleitores, já, de princípio, ao se apresentar como candidata, descartar apoios da forma como renegou, é no mínimo inusitado. É bem verdade que esses apoios repercutem em nível de cúpulas partidárias, mas a forma como os partidos renegados respondem a isso na mídia atinge diretamente a opinião pública e ao eleitorado, que passa a ser bombardeado por notícias sobre essas desavenças. Marina, que poderia na última quarta-feira, quando oficializou sua candidatura, ter reforçado o legado do ex-governador de Pernambuco, simplesmente desmoralizou publicamente os acordos feitos por Eduardo Campos.

Resta saber como o eleitor vai reagir diante das condições impostas por Marina para assumir a candidatura, como por exemplo, descartar apoios do PT e do PSDB em alguns estados importantes. Não se pode esquecer que essas costuras eleitorais foram muito bem conduzidas por Eduardo Campos e faziam parte de seu tão agora elogiado legado político. Ora, se nem começou sua campanha, Marina já age assim, é justo que o eleitor passe a se questionar como irá administrar o país, caso seja eleita, possivelmente com minoria no Congresso. Como falta mais de um mês para a eleição, é perfeitamente possível que esse desgaste inicial seja revertido e Marina retome os trilhos da campanha.

O fato, é que a agenda negativa por conta dessas desavenças internas no começo da campanha vai perdurar ainda por muitos dias martelando o juízo do eleitor através da mídia. E isso não é bom. Marina, diferente de 2010, não é mais uma franca atiradora. A peça pregada pelo destino a coloca como alguém a ser batida pelos adversários e não faltarão tentativas para queimar sua candidatura. E essa tarefa se torna mais fácil quando a própria candidata oferece combustível para tal.

Cid acredita que Dilma não participará de campanha no Ceará

Com as duas maiores coligações da campanha ao Governo do Estado declarando apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT), o governador Cid Gomes (Pros) afirmou não acreditar que a candidata venha ao Ceará para os palanques dos aliados durante a campanha eleitoral.

“Eu não quero criar dificuldades para a Dilma. Eu a apoio por convicção, porque acho que é o melhor para o Brasil e compreendo que ela precisa aqui de todos os votos de todo mundo. Se o outro candidato diz que vota nela, então vamos acreditar”, declarou, fazendo referência a Eunício Oliveira (PMDB).

Cid Gomes também negou a informação, publicada em veículos de imprensa de outros estados, de que ele e Ciro Gomes tiveram uma reunião com o ministro Aloízio Mercadante para pressionar a vinda da presidente e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para a campanha de Camilo Santana (PT) no Ceará. Segundo ele, a história não tem procedência.

Com Camilo Santana e Eunício Oliveira apoiando e se declarando apoiados por Dilma Rousseff, o eleitor sente dificuldades para traçar linhas lógicas de alianças no pleito de 2014, como mostrou pesquisa O POVO/Datafolha, publicada no último domingo (17).

Os dados da pesquisa, 58% dos eleitores não sabiam quem a presidente Dilma apoiava para o governo do Ceará. Entre os eleitores que indicavam um candidato, 20% apontaram apoio da presidente para Camilo, enquanto 18% indicaram Eunício.

(O POVO)

Presidente do PSB-CE diz que episódio com Marina está superado

foto sérgio novais

Em comentário enviado ao Blog, o presidente do PSB-CE, Sérgio Novais, assegura que a rejeição pelo nome de Marina, por alguns dirigentes do PSB, está superada. Confira:

A morte de Eduardo Campos foi chocante para os que o conheciam pouco. Para nós, que tínhamos mais de 20 anos de convívio, foi avassalador. Estamos todos dilacerados por dento, mas firmes para levar adiante seus pensamentos e lições. Carlos Siqueira era um pai irmão de Eduardo e seu coordenador de campanha. O episódio com Marina foi superado no comando do PSB e já temos a deputada Luiza Erundina como a Coordenadora da Campanha de Marina. A unidade partidária está garantida.

Quando Marina buscou Eduardo em outubro de 2013, disse que confiava no projeto de Eduardo-PSB, e mais, dizia que nós em todo o Brasil tínhamos ajudado a organização da Rede. Portanto, sabemos que lidamos com um novo partido.

As informações de pesquisas internas dos três principais concorrentes à Presidência da República apontam Marina em segundo lugar, já distante de Aécio. Portanto o projeto Eduardo e Marina será vencedor. O Brasil será o grande vencedor. Acabou a polarização PT x PSDB.

Cid diz que Luizianne “vive de factoides”

165 5

foto cid luizianne

Acusado pela ex-prefeita e candidata a deputada federal Luizianne Lins (PT) de interferir para que sua propaganda e de seus aliados não fossem veiculadas no horário eleitoral da coligação, governador Cid Gomes (Pros) negou qualquer envolvimento com a situação.

“Pode ter certeza de uma coisa, eu jamais faria algo como do que estou sendo acusado. Isso é mais um factoide de uma pessoa que é acostumada, que vive de factoides a vida inteira. As pessoas estão querendo é ação, factoide é coisa do passado”, declarou.

Nos primeiros dias do horário eleitoral gratuito os programas de Luizianne e outros candidatos a ela aliados não foram exibidos, provocando tensão com a coordenação da campanha de Camilo Santana (PT).

A candidata chegou a entrar na Justiça para exibição imediata de seus programas, pedido inicialmente negado pelo juiz eleitoral. Ontem, a candidata deu entrada em recurso, que será julgado pelo pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-CE).

Acordos na coligação garantiram que os programas passariam a ser veiculados.

(O POVO)