Blog do Eliomar

Categorias para Política

Tasso Jereissati e uma noite em algum lugar do passado

tassojere

Com o título “Uma noite, há quatro anos”, eis um ensaio do jornalista Érico Firmo sobre a vitória de Tasso Jereissati. O tucano obteve 57,99% dos votos para o Senado. Confira:

Tasso Jereissati (PSDB) viveu ontem uma noite rotineira para ele como para nenhum outro personagem da história do Ceará. Foi sua quinta vitória em eleição majoritária estadual. Depois de ter sido três vezes governador, será pela segunda vez senador. Mas, a repetição embute uma novidade. A diferença remete a uma noite há quatro anos.

Às 20h39min do dia 3 de outubro de 2010, a contabilização dos votos no Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE) tornou irreversível o improvável. O homem que mais poder teve durante mais tempo na história do Ceará ficou na terceira colocação, com duas vagas em disputa. Ele que, além dos quatro mandatos majoritários que já exercera, foi o principal responsável pela vitória de outros dois governadores e sete senadores. E conhecia pela primeira vez uma derrota sua.

Naquela noite, óculos escuros e olhos inchados tomaram o escritório de Tasso. Ele disse que não mais seria candidato, iria se dedicar a “cuidar dos netos”. Mas, passado o primeiro mês, o sabor amargo foi esquecido. Viajou, redescobriu o prazer de, como define, não ter de dar satisfação. Voltou-se, também, às empresas.

“Depois você entende e se adapta. Nunca é bom, não é agradável perder uma eleição. Mas a gente tem de ter a mesma humildade na vitória que tem na derrota”, disse o agora senador eleito, no início da tarde de ontem, enquanto acompanhava a votação de seu colega de chapa, Eunício Oliveira (PMDB), no Náutico.

Horas depois, às 19h53min, a apuração confirmou que Tasso retornaria ao mandato para o qual não havia sido reeleito quatro anos atrás. Os 2.314.796 votos, 57,91% dos válidos, garantiram aquele que, dessa vez, garante que será mesmo seu último mandato. “Ah, agora eu fiquei desmoralizado, que eu disse isso na última vez. Mas eu não tenho dúvida (de que será a última eleição). Dessa vez, vocês sabem, as circunstâncias me levaram e eu estou muito honrado e feliz com isso”.

Mas não haverá tempo para festejar. Confirmada a vitória, à noite no comitê, prometeu mergulhar no 2º turno, por Eunício e Aécio Neves (PSDB). “Vamos descansar 24 horas, mas vamos pra rua mais fortes do que nunca, pra mostrar ao Brasil inteiro que o Ceará não é esse Estado que todo mundo pensava há 30 anos atrás (…) e voltou novamente à lista dos estados mais pobres, mais atrasados e mais conformados com a pobreza”.

E destacou a importância que atribui à eleição, sobretudo, presidencial: “Não é questão de eleger um governador de estado, de eleger um senador que vocês gostam, mas principalmente é uma questão de salvar o Brasil”.

Câmara dos Deputados retomará atividades nesta 3ª feira

“O plenário da Câmara dos Deputados retoma nesta semana as sessões deliberativas. Estão marcadas sessões ordinárias amanhã (7) e quarta-feira (8), às 14 horas, com ordem do dia às 16 horas. O destaque da pauta de votação é o projeto de lei (PL 7.735/14), do Poder Executivo, que trata da Convenção sobre Diversidade Biológica. O projeto tramita com urgência constitucional e, por isso, tem prioridade de votação.

A proposta prevê uma revisão de toda a legislação que trata de pesquisa científica e exploração do patrimônio genético de plantas e animais nativos e dos conhecimentos indígenas ou tradicionais sobre propriedades e usos de plantas, extratos e outras substâncias. O objetivo é a simplificação do trabalho de pesquisadores, de instituições brasileiras e de empresas com sede no exterior vinculadas a entidades nacionais.”

(Agência Brasil)

Dilma cá e Tasso lá

dilmamarcha  tasso

Da Coluna Vertical, no O POVO desta segunda-feira (6):

O cenário eleitoral no Ceará traz uma particularidade das mais interessantes, que merece ser estudada pelos especialistas: enquanto dá vitória a Dilma Rousseff (PT), garante a ressurreição política de um tucano de peso nacional, no caso o ex-governador Tasso Jereissati.

Isso mostra que o eleitor gosta de apostar em um quadro político dividido. Ou seja, banca um nome da situação, mas recoloca outro da oposição, que poderá no Congresso, dependendo de mudança eleitoral de segundo turno, atuar como um cobrador de tantos projetos estruturantes ainda nos sonhos do cearense, como a refinaria de petróleo.

Tasso foi uma derrota buscada e arquitetada, na última disputa de senador, pelo PT. Hoje retorna pela bênção das urnas e com o amadurecimento necessário para reforçar o que se busca na política: o equilíbrio de forças contra a velha unanimidade burra. Em Brasília ou no Ceará.

As armas de Eunício e Camilo no segundo turno

Após travarem a terceira disputa mais acirrada do País, Camilo Santana (PT) e Eunício Oliveira (PMDB) terão agora pouco mais de três semanas para reajustar o arsenal contra o outro. Com o petista alcançando 47,8% dos votos e o peemedebista 46,4%, os dois já saem do embate com perspectiva de segundo turno dos mais disputados. Com a corrida entrando no “tudo ou nada”, os frutos colhidos ontem nas urnas e a disputa nacional podem ser decisivos na batalha pelo eleitorado.

Contrariando as pesquisas, o resultado deixa pouca margem para avanços: com diferença de 60 mil votos, apenas 5,7% do eleitorado não votou em nenhum dos dois. Além disso, tanto Eliane Novais (PSB) quanto Ailton Lopes (Psol) negam apoio aos ex-adversários. No aperto, ambos terão de improvisar na busca por novos terrenos.

As armas

Neste sentido, Eunício Oliveira terá ao seu lado aliados que saem poderosos das urnas. Candidato que mais contava com a vitória no 1º turno, o peemedebista compensará a colocação em desvantagem com aliados como Tasso Jereissati (PSDB), eleito senador com ampla maioria

Outra figura chave será um antigo desafeto de Cid Gomes (Pros), o Capitão Wagner (PR). O militar foi, inclusive, alvo de ataques dos irmãos Ferreira Gomes durante o processo eleitoral. Sagrando-se o deputado estadual mais votado da história do Ceará, Wagner será fundamental.

Já Camilo Santana não fica atrás. Seu resultado dá novo “gás” à gestão Cid Gomes (Pros), que vem de vários momentos de desgaste durante a campanha. Além disso, o Pros sai do pleito como o partido mais bem votado – por ampla margem – da eleição. Na Assembleia, a legenda teve mais de 20% dos votos totais, elegendo doze deputados.

Outro ponto será o tempo de televisão de cada candidato. Antes, Camilo tinha mais espaço que Eunício. Agora, ambos terão o mesmo tempo.

Disputa nacional

O segundo turno entre Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) também deve ser decisivo no Ceará. Articulador da campanha de Camilo, o deputado José Guimarães (PT) sinalizou possível estratégia: “Não tem conversa. É tudo ou nada. O PT nacional, Lula, Dilma, têm que vir”.

Já o coordenador da campanha de Eunício, Gaudêncio Lucena, disse esperar que a neutralidade do PT nacional seja mantida, e descartou a hipótese de Eunício vincular sua imagem à de Aécio. Ele disse que, já amanhã, Eunício vai a Brasília se encontrar com a cúpula do PMDB.

Para o cientista político Valmir Lopes, da Universidade Federal do Ceará, estratégia de Eunício de manter a “estadualização”, brecando presença nacional no Ceará, se mostra agora arriscada. “Investir nesse formato, eu diria que é perder. Os dois precisarão de apoios nacionais”.

(O POVO)

Com apuração de 78,66% das urnas, Dilma e Aécio devem ir ao 2º turno

Com 78,66% das urnas apuradas, a candidata Dilma Rousseff (PT) lidera a disputa pela Presidência da República, com 40,30% dos votos válidos. Aécio Neves (PSDB) aparece com 35,15% e Marina Silva (PSB), com 20,91%.

Os votos brancos somam 3,84% e os nulos, 5,69%. Até o momento, a abstenção registrada é 19,39%. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o resultado parcial não inclui os votos no exterior.

(Agência Brasil)