Blog do Eliomar

Categorias para Política

A eleição não está fácil nem para Dilma

150 1

Com o título “Poder. Quem tem, tem medo”, eis artigo do publicitário e poeta Ricardo Alcântara. Ele aborda o processo sucessório estadual e garante que a coisa não está fácil pra ninguém. Nem para a presidente Dilma Rousseff. Confira:

A verdade, quando não agrada, dói. E quando ela surpreende, pode até acamar o surpreendido: a reclusão do governador Cid Gomes para cuidar da saúde coincidiu com o momento em que perdeu as condições de sustentar sua empáfia imperial.

Àquele que até pouco tempo se percebia com poderes para determinar quando e como seria iniciado o processo eleitoral de sua sucessão, tratou a realidade de apresentar a fatura: a disputa começou e ele não tem sequer um candidato, ainda.

Tão logo o senador Eunício Oliveira deu sinais de que iria mesmo adiante com sua candidatura ao governo estadual, familiares do governador passaram a emitir sinais públicos de preocupação, recibo assinado da incerteza que os ameaça agora.

Ivo Gomes disse: “já vencemos dificuldades maiores”. Confessou “dificuldades”, se entendi. Ciro, o mais velho, foi ainda mais previdente ao defender Cid Gomes no cargo até o fim do mandato como condição mais segura para eleger o sucessor.

No indiscreto Facebook, até a irmã Lia, mais refratária a manifestações políticas, anunciou a iminência do naufrágio: “Quando começa a fazer água, os ratos abandonam o navio”. Enfim, a linguagem nos estrutura e por isso é tão reveladora.

Se não foi bom que tenham sido surpreendidos, pois para muitos parecia previsível um quadro real de disputa, não é mal que tenham, enfim, compreendido, talvez a tempo, a extensão das dificuldades: uma vez compreendida, mais fácil mudá-la.

A bem da verdade, a coisa não está fácil para ninguém. Vejam a presidente Dilma: mesmo prestigiada com bons índices de aprovação, a espreita uma expectativa de mudanças acolhida por um percentual superior a 70 por cento dos eleitores.

É um quadro cuja complexidade põe a nu a superficialidade de leitura com que o governador Cid Gomes cogitava terem seus feitos prevalência sobre a conjuntura, que impõe uma demanda crescente por ganhos cada vez maiores. Parecia fácil?

A parte mais fácil, e mais facilmente popularizada, foi realizada: a ampliação do mercado de consumo. A mais difícil, e que poderá nos permitir um crescimento de fato sustentável, nem começamos: o fortalecimento da nossa base produtiva.

Como seria possível manter um ‘projeto’ – termo mântrico do lulismo – que aumenta o consumo em volume oito vezes maior do que o aumento da produção industrial? Essa conta não fecha. É a crônica anunciada de desajustes futuros.

No plano estadual, apesar de aspectos negativos, há boas coisas na prateleira do governo a serem defendidas em campanha. Tacanho nisso tudo é ter o governador cogitado que sua obra rivalizaria com sobras sobre as novas expectativas.

Tivesse ele feito uma leitura da realidade menos condescendente consigo mesmo, talvez não estivesse passando pelas dificuldades atuais em se posicionar de maneira segura diante de sua própria sucessão. Porque, ali, o medo é recente.

* Ricardo Alcântara,

Publicitário e poeta.

PSB e Rede da Sustentabilidade debatem Economia Criativa

148 1

claudialeitao

Nesta terça-feira, a partir das 19 horas, a Rede Sustentabilidade no Ceará e a direção estadual do PSB promoverão mais uma roda de conversa. Segundo a assessoria de imprensa dos socialistas, o encontro ocorrerá na sede do PSB e discutir o tema “Economia Criativa”. A conversará terá como convidada Cláudia Leitão, que foi secretária da Cultura do Estado na Era Lúcio Alcântara. Ela também foi secretária de Economia Criativa do Ministério da Cultura (Governo Lula).

A coordenação do encontro é de Geovana Cartaxo, pré-candidata ao Senado. As Rodas de Conversa têm o objetivo de pensar subsídios “para uma atuação política colaborativa dos atores da Rede e do PSB”, adianta Geovana.

SERVIÇO

* Sede do PSB/CE – Rua Felino Barroso, 627 – Bairro de Fátima.

Dilma comemora em programa de rádio a aprovaão do Marco Civil da Internet

“A presidenta Dilma Rousseff voltou a comemorar hoje (28) a aprovação do Marco Civil da Internet, sancionado por ela na semana passada durante a abertura do Encontro Global Multissetorial sobre o Futuro da Governança da Internet – NetMundial, em São Paulo. Segundo ela, o Brasil tem agora um instrumento efetivo para garantir a liberdade de expressão, o respeito à privacidade das pessoas e das empresas e aos direitos humanos na internet.

“O Brasil está na vanguarda dessa legislação, porque somos o primeiro país do mundo a ter uma lei que consolida a internet como espaço livre e democrático, o que é essencial para a participação social, para a inovação e, principalmente, para o exercício da cidadania”, disse ela, em seu programa semanal Café com a Presidenta.

Dilma acrescentou que o marco civil foi saudado no NetMundial como um exemplo para o aperfeiçoamento e a democratização da governança global da internet e para torná-la cada vez mais aberta, multissetorial, multilateral, democrática e transparente. “Esses são objetivos com que o mundo tem de se preocupar imediatamente, face aos inaceitáveis e condenáveis episódios recentes de monitoramento e espionagem na rede.”

(Agência Brasil)

PT de Fortaleza reunirá bancada para discutir eleições

foto acrísio sena

A bancada do Partido dos Trabalhadores de Fortaleza vai se reunir nesta terça-feira, às 9 horas, na Sala das Comissões Técnicas da Câmara Municipal, com a direção do PT da Capital.

Segundo o vereador Acrísio Sena, hora de avaliar a conjuntura política e desdobramentos do cenário sucessório estadual. Além dele, integram a bancada Guilherme Sampaio, Deodato Ramalho e Ronivaldo Maia.

Acrísio Sena aproveitará o encontro, com a presença do presidente municipal Elmano de Freitas, para sugerir a mobilização da militância. O vereador quer que, assim como o pT estadual decidiu, ocorra também caravana indo aos bairros para começar a trabalhar a instalação de comitês populares pró-Dilma Rousseff.

Ministro da Integração Nacional e parlamentar cearense são alvos de críticas

Com o título “DNOCS à beira da extinção”, eis artigo do engenheiro Cássio Borges. Ele aborda a indicação da Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco (Codevasf) para ser a operadora federal do Projeto de Transposição das Águas do Rio São Francisco e afirma que, em três requisitos principais, o DNOCS dá de goleada na referida Companhia. O artigo chega no momento em que, no Hotel Oásis Atlântico, ocorre nesta segunda-feira, seminário sobre convivência do homem com o semiárido. Confira:

Recebi atencioso telefonema de um distinto jornalista cearense dizendo ser um absurdo esta campanha sistemática nos bastidores de Brasília visando a extinção do DNOCS. Que o DNOCS deveria ser protegido por uma Cláusula Pétrea da Constituição Brasileira não ficando ao sabor e aos humores de quem esteja momentaneamente no poder defendendo interesses individuais ou de grupos de dentro do próprio governo para ter a água sob o seu inteiro e absoluto domínio. Toda esta questão gira em torno da venda da água e o dinheiro arrecadado, cerca de R$ 40 milhões anualmente, gasto através da COGERH ao seu bel prazer, sem ter que dar qualquer satisfação aos organismos de controle do governo federal. É com se fosse a privatização da água através de uma empresa chamada COGERH. Quanto à indicação da CODEVASF para ser a operadora oficial do Projeto de Integração do Rio São Francisco em decreto nº 8207, de 14 de março último, assinado pela Presidente Dilma, eu diria que nos três principais itens: conhecimento do semiárido, infraestrutura administrativa e operacional e infraestrutura hídrica no semiárido, o DNOCS dá de goleada naquela Companhia.

É simplesmente inacreditável que um simples deputado cearense, sem nenhuma expressão em tema desta natureza, de nome Domingos Neto (Pros), seja capaz de fazer uma proposta tão absurda como esta de transferir para a CODEVASF as bacias hidrográficas que há mais de um século foram e vêm sendo desenvolvidas pelo DNOCS.

Nunca vi nada escrito pelo referido deputado defendendo esta ou outra questão relacionada aos recursos hídricos do Ceará. Tenho certeza absoluta, e posso provar por A mais B que ele não sabe o que está dizendo. Este tema dos recursos hídricos está tão desprezado que até mesmo o Dia Mundial a Água deste ano não foi comemorado no Ceará certamente para fugir ao debate com a população cearense. Tudo está sendo feito na surdina visando alijar o DNOCS do comando dos recursos hídricos do Nordeste. Para mim um crime que se comete contra a nossa região.

Entretanto, tudo está sendo feito com o pleno consentimento do Ministério da Integração Nacional que tem agora sob o seu comando o engenheiro cearense Francisco Teixeira, o inimigo nº 1 do DNOCS. Por que e para que? Qual o motivo desse cidadão está agindo desta maneira? Com que interesse? Por que este amor pela CODEVASF? O que é mais provável é que há interesses inconfessáveis por trás desta proposta do deputado Domingos Neto que nem ele mesmo sabe explicar. Vou ficar por aqui e poder dizer com o currículo que tenho de bons serviços prestados ao DNOCS e ao Nordeste em meio século de atividades que o que está faltando no Ceará é o conhecimento e a aplicação da Ciência Hidrológica. Onde estão os doutos nesse assunto? Por que se omitem?

* Cássio Borges,

Engenheiro civil formado pela Escola Politécnica de Pernambuco com cursos de especialização em Hidrologia e recursos hídricos pela Escola Nacional de Engenharia e Pontifícia Universidade Católica-PUC, ambas do Rio de Janeiro.

De Cid Gomes para Eunício Oliveira: “Política não é questão de gratidão”

188 3

cidgomess

O governador Cid Gomes (Pros) deu novo sinal de que, após oito anos de aliança, ele e Eunício Oliveira (PMDB) deverão seguir caminhos diferentes na eleição deste ano. No último sábado, a quatro dias do prazo em que se esperava uma posição do governador sobre a candidatura do PMDB, Cid disse que “não deve nada” ao senador. “Nem o Eunício me deve, nem eu devo nada a ele, nessa ordem”, disse, em entrevista exclusiva ao O POVO.

A fala de Cid ocorreu durante festejos de Jesus, Maria e José em Tauá, berço político do vice-governador Domingos Filho (Pros). Segundo o governador, ele e Eunício estariam “quites” após apoios mútuos ao longo das últimas eleições. Cid reforçou ainda que chapas serão definidas apenas em junho, após conversas na base.

“Política não é questão de gratidão, é um conjunto de coisas. Quando o Eunício não quis ser candidato ao Senado em 2006, eu me comprometi em apoiar ele na próxima eleição, e honrei o compromisso. Em 2012, o PMDB indicou o vice da nossa chapa (à Prefeitura de Fortaleza). E mais: já depois de a chapa ser acertada, prometi que o presidente da Câmara seria do PMDB, e cumpri. Nessa relação ninguém deve a ninguém”.

(O POVO)

Câmara dos Deputados debaterá perspectivas da economia do País

mariofeitoza

Mário Feitoza preside a Comissão de Finanças e Tributação da Câmara.

“As comissões de Constituição e Justiça, de Finanças e Tributação, de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio, com a participação da Comissão Especial do Código Comercial da Câmara dos Deputados, promovem amanhã (29) o seminário Brasil Novo – Discussões para a Construção de uma Agenda Positiva no Congresso Nacional.

O evento, que contará com a participação de ministros e outras autoridades do governo e da iniciativa privada, se destina a discutir as perspectivas da economia brasileira. Os deputados das comissões querem ter melhor compreensão e a análise de cenários e alternativas para enfrentar os desafios que emperram o desenvolvimento socioeconômico do país. O seminário será aberto às 9 horas e se estenderá por todo o dia, no Auditório Nereu Ramos, da Câmara.

Os ministros da Fazenda, Guido Mantega, das Relações Institucionais, Ricardo Berzoini, e o presidente da Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), além dos presidentes das comissões organizadoras do seminário confirmaram presença na abertura do evento.”

(Agência Brasil)

Copa sem legado

162 1

Da Coluna Vertical, no O POVO desta segunda-feira (28):

Pegando mal as declarações constantes do secretário extraordinário da Copa, Ferruccio Feitosa. Sempre que indagado sobre o Mundial, ele afirma que o mais importante é que o palco está pronto. “A Arena Castelão está pronta e testada”, acentua.

Ao evitar falar sobre obras não concluídas no plano da mobilidade urbana – VLT, Rotatória do Castelão, metrô e túneis, além do Hospital Metropolitano -, Ferruccio acaba transformando em mero borrão o Caderno de Encargos assumido pelo governo estadual com a Fifa.

Por falar nisso, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, andou reclamando que o Brasil, em termos de organização do Mundial, vem dando mais trabalho do que a África do Sul.

Comissão de Educação analisa projeto que cria programa de combate ao ‘bullying’

A Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) examina na terça-feira (29) projeto que institui o Programa de Combate à Intimidação Sistemática (bullying).

O projeto define como bullying “todo ato de violência física ou psicológica, intencional e repetitivo que ocorre sem motivação evidente, praticado por indivíduo ou grupo, contra uma ou mais pessoas, com o objetivo de intimidá-la ou agredi-la, causando dor e angústia à vítima, em uma relação de desequilíbrio de poder entre as partes envolvidas”. Atos de intimidação praticados na internet (cyberbullying) também entram nessa categoria.

O projeto (PLC 68/2013), do deputado Vieira da Cunha (PDT-RS), estipula que o programa poderá fundamentar as ações do Ministério da Educação e das secretarias estaduais e municipais de Educação. Determina ainda que é dever dos estabelecimentos de ensino, dos clubes e das agremiações recreativas garantir medidas de conscientização, prevenção, diagnose e combate à violência e à intimidação sistemática.

Na justificação do projeto, o autor faz referência a estudos que revelam a força e o caráter pernicioso da prática do bullying em crianças e adolescentes e indica que a pretensão maior da iniciativa é a de “conscientizar a sociedade para o problema e, assim, evitá-lo”.

(Agência Senado)

Ilário Marques diz que disputa com Tasso será de alto nível

150 4

foto ilário marques

O ex-prefeito de Quixadá e suplente a deputado federal Ilário Marques acredita que a entrada do ex-senador Tasso Jereissati na disputa ao Senado, em outro próximo, proporcionará um debate de alto nível com a candidatura do PT, que deverá ter José Guimarães como postulante.

A declaração foi feita em Tauá, nesse sábado (26), durante os festejos de Jesus, Maria e José, no distrito de Marrecas. Para Ilário, a disputa entre Tasso e Guimarães deverá ser no campo ideológico-partidário, sem chances para “aventureiros”.

O ex-prefeito também afirmou que o PT deverá compor chapa majoritária, quando prioriza a disputa ao Senado. “O PT não choca com interesses do PROS ou do PMDB”, comentou Ilário, que espera o apoio dos dois partidos.

Com relação à reação contrária do PT de Fortaleza em possivelmente apoiar uma candidatura do PROS, Ilário disse que não seria democrático para o debate as “contrariedades pessoais”. “Em 2006, quando a Luizianne jogou o partido nas mãos do Cid eu fui contra, mas acatei o que considero uma decisão do partido”, ressaltou o ex-prefeito de Quixadá, ao comparar a atual situação política entre o governador Cid Gomes e a ex-prefeita de Fortaleza.

O talvez sob pressão de Tasso e o difícil dilema de sua candidatura

foto tasso

Minutos antes de o ex-governador Tasso Jereissati (PSDB) admitir que, “se for imprescindível”, topará discutir candidatura ao Senado em 2014, um tom de sutil cobrança permeou o discurso de líderes presentes na reunião de cúpula da última terça-feira, em Brasília. “Muito cearense no meu estado comenta que o Ceará precisa do retorno do Tasso”, teria dito o presidente do PSDB do Acre, Sebastião Bocalom. Chamada semelhante fora feita pelo dirigente da sigla de São Paulo, Antônio Mendes Thame, conforme relatou o deputado federal Raimundo Gomes de Matos (PSDB-CE). Tasso ouviu – e, na medida do que lhe foi possível, não decepcionou a plateia. Teria ele se convencido?

Os mais chegados ainda dizem que Tasso foge das urnas como o diabo foge da cruz, sobretudo pela fase empresarial que vive – ele está expandindo os negócios para outros estados do País – e pela nuvem de incertezas que paira sobre suas chances de vitória.

“Há elementos subjetivos e racionais a serem avaliados. Acho bastante arriscado. A derrota de 2010 foi extremamente traumática, do ponto de vista político e pessoal, pelo rompimento com os Ferreira Gomes. Mas, talvez, esse ressentimento possa induzir um movimento de ‘dar o troco’, para, pelo menos, atrapalhar a disputa para o lado do governador Cid Gomes (Pros)”, avaliou a cientista política da Universidade Federal do Ceará (UFC) Rejane Vasconcelos, que publicou estudo sobre a campanha tucana de 2010.

Não há cálculo conclusivo sobre os riscos, mas fatores que pesam contra e a favor da empreitada. Por mais contraditória que a hipótese possa parecer, incidiria a favor de Tasso, por exemplo, a “quarentena” política dos últimos quatro anos, nos quais ele se manteve distante da política e livre, portanto, de desgastes.

“Na medida em que um político se afasta, ele passa a ser evocado muito mais pelas qualidades. Há uma evocação mais benevolente do público. Você tinha toda uma gritaria contra Getúlio Vargas, mas quando ele se suicida (1954) vai todo mundo para a rua. A imagem de Leonel Brizola hoje é muito diferente da imagem que se tinha quando ele voltou a disputar a política. O Tasso é a figura mítica do ‘velho’ que pode voltar”, analisou.

Na contramão, porém, ela destaca que o fenômeno do “situacionismo” político, que imprime força extra a partidos e lideranças que detêm a máquina pública, e a falta de estrutura partidária do PSDB no Ceará são elementos que freiam qualquer ímpeto de disposição de Tasso para o pleito. “Como persona, Tasso é forte, mas ele não tem mais a parte formal necessária”, avaliou.

(O POVO)

“Ninguém impõe nada a ninguém”, sugere Eunício

foto cid eunício tauá

O pré-candidato ao Governo do Estado, Eunício Oliveira, disse nesse sábado (26), em Tauá, no Sertão dos Inhamuns, que o PMDB irá aguardar as convenções partidárias, de 10 a 30 de junho, para definir as alianças. “Estou conversando com todas as alianças, pois cada partido é dono do seu próprio destino. Ninguém impõe nada a ninguém”, comentou Eunício, ao destacar que o PMDB está pronto para dialogar com “qualquer um que tenha ficha limpa”.

Apesar de se recusar a comentar os debates que ocorrem em outros partidos, Eunício lembrou que o PMDB não teme possíveis apoios de prefeitos a candidaturas contrárias. “Em 2006, tínhamos um governador decente, correto, honesto e que contava com o apoio de mais de 130 prefeitos, que era o Lúcio Alcântara. Mesmo assim, ganhamos no primeiro turno. Quem define a eleição é povo, quem tiver o apoio do povo ganha a eleição”, disse.

Eunício Oliveira esteve nas festividades de Jesus, Maria e José, no distrito de Marrecas. O evento reuniu grande número de políticos na cidade administrada pela prefeita Patrícia Aguiar, esposa do vice-governador Domingos Filho. O governador Cid Gomes também compareceu aos festejos, além de secretários estaduais, deputados e políticos da região.

Ideli Salvatti inaugura Central de Intérpretes de Libras em Fortaleza

A ministra da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR), Ideli Salvatti, participa de entrevista coletiva nesta segunda-feira (28), às 16h, no Casarão da Criança (Rua Pedro I, 461), no Centro. Salvatti falará sobre as políticas públicas desenvolvidas pelo Governo Federal para as pessoas com necessidades especiais. No mesmo local, às 17h, a ministra inaugura a Central de Intérpretes de Libras em Fortaleza.

A presença da ministra, acompanhada do secretário Municipal de Cidadania e Direitos Humanos, Karlo Kardozo, e demais autoridades, marca o início das atividades da Central com o objetivo de promover acessibilidade às pessoas com deficiência auditiva.

A Central é uma parceria do Governo Federal, por meio do Programa Viver sem Limites, Governo do Ceará e Prefeitura de Fortaleza, por meio da Coordenadoria de Pessoas com Deficiência (Copedef) da Secretaria Municipal de Cidadania e Direitos Humanos.

No local, serão oferecidos serviços de tradução e interpretação da linguagem de sinais, guia-intérprete e esclarecimentos. Os intérpretes estarão disponíveis para agendamento para acompanhar pessoas com deficiência auditiva em atendimentos nos serviços públicos. O atendimento será realizado de segunda-feira a sexta-feira, das 8 horas às 17 horas.

(Secretaria de Cidadania e Direitos Humanos)

Cid Gomes acredita em recuo de Eduardo Campos

185 1

Da coluna Fábio Campos, no O POVO deste domingo (27):

O governador Cid Gomes (Pros) compõe um pequeno grupo que acredita que as pesquisas vão obrigar Eduardo Campos (PSB) a ceder o posto de candidato para Marina Silva. Algo que parece cada vez mais improvável.

Do ponto de vista de Campos, trata-se de uma corrida longa e com obstáculos. Ou seja, o seu projeto político é extensível às disputas de 2018 e 2022.

O fato é que o ex-governador de Pernambuco parece assustar mais ao PT do que o mineiro Aécio Neves (PSDB). Até aqui, o neto de Miguel Arraes tem se posicionado de uma forma que até surpreende. É o caso, por exemplo, quando se manifesta, sem deixar brechas, contra o aborto. De cara, a posição cria um importante contraponto contra a esquerda.

Guerra é guerra?

157 7

Da coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (27):

Diz-se que, tal como na guerra, a verdade é também a primeira vítima nas campanhas eleitorais. Já estamos assistindo a esse espetáculo, nos últimos dias, quando o “sistema” está decidido a dar um basta nas experiências de governos de esquerda. A ordem não é só para o Brasil, mas para a América Latina.

Em nosso caso, o bombardeio começou: sonegam-se à população dados verdadeiros sobre a Petrobras, e se fazem vazamentos “seletivos” de investigações, em curso sempre com foco determinado. De outro lado, massifica-se a informação de que foi identificado um desejo de “mudança” por parte do eleitorado, nas pesquisas de opinião. E tenta-se, ardilosamente, passar a versão de que essa aspiração significaria apoio ao projeto de mudança no modelo econômico, através da troca de um governo comprometido (bem ou mal) com o social, por outro mais subordinado aos interesses do capital financeiro.

Contudo, pelo que foi visto nas manifestações de junho, o desejo de mudança tinha, sim, como alvo, o deformado sistema político brasileiro, por ser um obstáculo à resolução dos problemas do País.

Já que é hora do debate político, o assunto mais relevante deveria ser a proposta econômica alternativa ao que está aí, e qual será seu reflexo no campo social. Tanto o pré-candidato do PSDB, Aécio Neves, quanto o do PSB, Eduardo Campos, andam prometendo, nas reuniões fechadas com os empresários, segundo a mídia, que irão tomar “medidas impopulares” logo no início das respectivas gestões, caso algum deles seja eleito. Todo mundo quer saber– e tem o direito a isso – quais serão as medidas, pois ninguém pretende ser surpreendido.

A classe média, naturalmente, quer saber se seus filhos continuarão a ter possibilidade de emprego. Se, por exemplo, os concursos públicos continuarão, ou, ao invés disso, prevalecerá a tese neoliberal do “enxugamento do Estado” e da terceirização? Haverá reforma nas leis trabalhistas e previdenciárias, e quais os cortes previstos nos direitos sociais? Tudo isso precisa ficar esclarecido. Será que só os empresários podem ter acesso a esse segredo?

Cid Gomes chega aos 51 anos em meio a polêmicas e contradições

frases cid gomes

O governador Cid Gomes chega aos 51 anos de idade neste domingo (27). A comemoração com amigos mais próximos ocorreu nesse sábado (26), na serra da Meruoca, Região Norte do Estado, onde o governador possui propriedade.

O cardápio principal foi caranguejo, mas nada a ver com os desentendimentos na atual política estadual e nacional. Aliás, Cid Gomes também conseguiu comparecer à festa Jesus, Maria e José, no distrito de Marrecas, em Tauá, no Sertão dos Inhamens, principal reduto político do vice-governador Domingos Filho. O município também é sede do XII Encontro de Jornalistas, Radialistas e Blogueiros.

Ao governador, nossos parabéns pelos 51 anos de vida.

Comissão aprova projeto que torna permanente regra de reajuste do salário mínimo

foto andre figueiredo

A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados aprovou proposta que torna permanente a atual política de valorização do salário mínimo, válida até 2015. Pela regra em vigor, o reajuste é definido pela inflação do ano anterior mais o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos anteriores.

O texto aprovado é o Projeto de Lei 7185/14, apresentado pelo deputado Roberto Santiago (PSD-SP).

O relator na comissão, deputado André Figueiredo (PDT-CE), acrescentou um dispositivo para estender as mesmas regras de reajuste do salário mínimo aos que recebem aposentadorias mais altas.

Atualmente, o aposentado com benefício de até um salário mínimo tem reajuste segundo as mesmas regras dos demais trabalhadores. Já as aposentadorias acima de um salário são reajustadas apenas com a correção do ano anterior, provocando perdas em termos reais.

“Só para se ter uma ideia do comparativo, em 2003, o teto das aposentadorias era de R$ 1.508, o que equivalia a 10,45 salários mínimos. Agora, em 2014, o teto é de R$ 4.159, o que equivale a 6,13 salários mínimos. É um achatamento extremamente injusto com os aposentados no Brasil”, disse André Figueiredo.

(Agência Câmara Notícias)

Novais diz que Campos será, pelo menos, segundo colocado no Ceará

198 1

Da coluna Política, no O POVO deste sábado (26), pelo jornalista Érico Firmo:

A coluna abordou nessa sexta-feira (25) a dificuldade que Eduardo Campos (PSB) deve enfrentar no Ceará, pela falta de palanque competitivo local. A esse respeito escreveu o presidente do PSB no Estado, Sergio Novais. Ele crê num “grande desempenho” do candidato presidencial do partido e aposta que Campos será, “no mínimo”, o segundo candidato a presidente mais votado no Ceará. Ele dá a entender, com isso, que o candidato do PSB ficará à frente de Aécio Neves (com apoio de Tasso Jereissati),

Novais reconhece, por óbvio, o baque sofrido com a saída de Cid Gomes e seu grupo, no ano passado, levando consigo deputados e prefeitos. Porém, destaca que a reorganização começou imediatamente, com vários eventos e seminários. O partido possui comissões provisórias em 60 municípios, com objetivo de chegar a 100 até a eleição. Ele aponta que as candidaturas de Campos e Marina Silva têm sido forte fator mobilizador. Novais aponta ainda que muitos que saíram após a chegada dos Ferreira Gomes estão voltando e destaca a participação dos integrantes da Rede Sustentabilidade.

Do ponto de vista eleitoral, Novais considera estratégico se colocar como alternativa à polarização PT-PSDB. Ele aponta ainda o desejo de mudança apontado em pesquisas, com o qual as pré-candidaturas de Nicolle Barbosa ao governo e Geovana Cartaxo ao Senado estariam sintonizadas.

Ele aponta ainda o espaço ocupado pela sua irmã, a deputada estadual Eliane Novais, pré-candidata a deputada federal, cuja participação na Assembleia é qualificada como “bem mais expressiva que a dos deputados que antes eram filiados ao PSB”. E destaca essa vantagem em relação ao PSDB, que “não tem parlamentares estaduais, o que dificulta a ascensão de uma candidatura deste partido”.

Sergio Novais destaca ainda a relação de Campos e Marina com o Nordeste – respectivamente, neto e filha de cearenses. No caso de Marina, ele lembra que sua votação no Ceará em 2010 foi praticamente igual à de José Serra (PSDB) e, em Fortaleza, quase o dobro. E acrescenta o desgaste do PT – cita o envolvimento do deputado licenciado André Vargas com o doleiro – e do governo Dilma Rousseff em relação à economia.

Perspectivas de uma campanha animada

Em artigo no O POVO deste sábado (26), o jornalista Luiz Henrique Campos diz que a entrada de Tasso Jereissati nas disputas de outubro próximo representa o questionamento tanto à administração Cid Gomes, como a de Dilma Rousseff. Confira:

A possível entrada de Tasso Jereissati (PSDB) na disputa pelo Senado na eleição deste ano, como tudo está a indicar, anima o pleito que até há pouco menos de um ano parecia que seria apenas homologatório. Caso o ex-senador aceite o desafio, teremos não só a chance de um contraponto qualificado ao que se vivencia hoje no Ceará, bem como se vislumbra a oportunidade de sairmos do marasmo de ideias que domina a política cearense. Não que Tasso signifique necessariamente uma mudança de rota nos destinos do Estado para os próximos anos, caso saia vencedor. O Senado, na verdade, oferece poucas brechas para tal. Além disso, a capacidade dos fisiologistas aderirem aos vencedores é inerente a nossa política.

De todo modo, os oito anos do governo Cid Gomes (Pros) foram marcados por adesão quase cega da classe política local. Os poucos que ainda esboçaram reação, como se viu através de três ou quatro deputados na Assembleia Legislativa, parte do Partido dos Trabalhadores (PT), ou aqui, acolá, uma voz isolada, não conseguiram criar corpo diante da esmagadora maioria e dos tentáculos do governo estadual. Outro aspecto a ser ressaltado é que o grupo que está no poder no Ceará soube muito bem se cacifar nacionalmente, o que lhe garantiu ampla margem de manobra política e administrativa.

A reaparição de Tasso Jereissati, nesse sentido, representa, por conseguinte, o questionamento tanto à administração Cid Gomes, como a de Dilma Rousseff. É fato ainda que a disputa com José Guimarães (PT) para o Senado torna a campanha mais acirrada, levando-se em conta que talvez ninguém melhor do que ele encarne o espírito do governo da presidente petista. É importante destacar que a possibilidade da volta de Tasso às disputas eleitorais pode significar também a abertura de espaço para que outras tendências de pensamento sobre o Estado, que não se sentiam à vontade para entrar no debate, se sintam estimuladas.

O Ceará anda carecendo de discussões mais profundas e de contraditórios consistentes, que saiam das argumentações rasteiras e discutam o Estado de forma macro. Se a futura campanha nos oferecer isso, já terá valido a pena.