Blog do Eliomar

Categorias para Política

Tiro ao alvo

173 7

Da coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (23):

A perseguição escandalosa contra o ex-ministro José Dirceu extrapola todos os limites. E tem ajuda do mau jornalismo, como denunciou Alberto Dines, no Observatório da Imprensa (http://goo.gl/RlCoQk) e Ricardo Melo, na Folha de S. Paulo (http://goo.gl/R1eXst). A cada semana são apresentados novos pretextos para impedir o petista de exercer direitos que lhe são facultados pelo regime semiaberto a que foi sentenciado. A indignação com as manobras alcançou os próprios agentes penitenciários da Papuda, que denunciaram, em manifesto (http://goo.gl/cAMVln), as trucagens da Vara de Execução Penal do Distrito Federal. Tão rigorosa, mas, cegas para a foto ilegal tirada dele dentro da Papuda.

Os abusos começaram no próprio julgamento, cujas irregularidades foram alvo de uma minuciosa investigação jornalística que não deixou pedra sobre pedra: (http://goo.gl/RpylRK). Nela se confirma aquilo que Delúbio Soares já reconhecera desde o início: o PT praticou Caixa 2, um crime eleitoral (nem por isso justificável). Tinha assumido o compromisso de pagar dívidas de partidos aliados e de alguns diretórios e quadros políticos do próprio partido. Para isso, contraiu um empréstimo bancário de R$ 55,3 milhões (que, aliás, já foi quitado). Uma parte foi avalizada perante os bancos pelo publicitário Marcos Valério. A este foi entregue, por Delúbio, a tarefa de camuflar os pagamentos aos beneficiários (para escapar da fiscalização da Justiça Eleitoral). Valério já era conhecido por fazer esse tipo de maquiagem para o tucanato mineiro (uma prática rotineira em todos os partidos).

A investigação comprovou também que não houve dinheiro público envolvido: os fundos do Visanet (R$ 73 milhões) eram privados, e não do Banco do Brasil, e os pagamentos dos serviços publicitários estão comprovados com recibos (portanto, não há ladrões).

Entretanto, como a condenação por Caixa 2 não provocaria o impacto político reclamado pelo plano (desmoralizar o PT e provocar o impeachment de Lula) foi, então, elaborada a fantástica tese do “mensalão” (pagamentos a deputados – inclusive petistas – para votar com o governo na reforma da Previdência). Aproveitou-se o ódio e o desejo de retaliação de Roberto Jefferson contra Dirceu.

O petebista acabara de ter um membro de seu esquema, nos Correios, flagrado ao receber propina, e imaginou que a operação tinha sido montada por José Dirceu para expor o PTB. Na verdade, era para servir a uma chantagem de Carlinho Cachoeira (do esquema do ex-senador Demóstenes Torres).

Montou-se, a partir de base tão espúria, a versão fantasiosa do mensalão. Mas, para isso, seria preciso atropelar o Código de Direito Processual Penal e alguns princípios constitucionais do Estado democrático de Direito. Não foi problema.

Comissão deve votar na quarta reforma do Código de Defesa do Consumidor

O relatório sobre os Projetos de Lei do Senado (PLS) 281, 282 e 283 de 2012, que reformam o Código de Defesa do Consumidor (CDC), deve ser analisado na quarta-feira (26), pela comissão temporária criada para atualizar a norma. O texto, do senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES), foi discutido na semana passada, mas a votação acabou adiada por pedido de vista.

Na reunião da última quarta-feira (19), Ferraço explicou que as inovações priorizam a transparência nas relações de consumo e a segurança jurídica no comércio eletrônico. Além disso, segundo o senador, a comissão enfocou a questão do endividamento das famílias.

– Nós incorporamos ao código a figura do crédito corresponsável, ou seja, tem responsabilidade quem faz o crédito, mas tem também responsabilidade quem oferta o crédito, estabelecendo, inclusive, critério mínimo para a utilização do crédito consignado, não podendo ser utilizado mais do que 30% da renda mínima existencial – explicou.

Segundo o presidente da comissão temporária, Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), o relatório final deve contemplar o comércio eletrônico (PLS 281/2012) e a questão do superendividamento (PLS 283/2012). Já o projeto sobre ações coletivas (PLS 282/2012) vai ficar de fora, aguardando um “momento mais oportuno, quando a questão estiver mais amadurecida”.

(Agência Senado)

Modificação no Bolsa Família volta à pauta

248 1

O projeto que modifica critérios do programa Bolsa Família vai voltar à pauta da Comissão de Assuntos Sociais (CAS), na reunião marcada para quarta-feira (26). De autoria do senador Aécio Neves (PSDB-MG), a matéria conta com a aprovação da relatora, senadora Lúcia Vânia (PSDB-GO), e ainda será analisada pela Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH).

O projeto (PLS 458/2013) estabelece que a concessão dos benefícios tem caráter temporário e não gera direito adquirido. Além disso, obriga a revisão da situação dos beneficiários a cada dois anos. Caso tenha havido alteração favorável da renda para além dos limites de enquadramento, a concessão do benefício deve ser assegurada por um período adicional de seis meses.

A matéria já esteve na pauta da comissão diversas vezes. Em reunião na quarta-feira passada (19), houve intenso debate entre governistas e oposição, fazendo com que a votação fosse mais uma vez adiada. Os governistas acusaram Aécio de querer fazer “aperfeiçoamentos” que já estão contemplados no Bolsa Família e lembraram críticas passadas ao programa. Já a oposição disse que o PT se inspirou em iniciativas do governo Fernando Henrique (1995-2002) e agora não aceita consolidar o Bolsa Família como política de Estado.

Para Aécio, a posição dos petistas seria outra caso a proposta tivesse sido apresentada por um “prócer” do partido. O senador também aproveitou para criticar falhas e a falta de acompanhamento do programa. Disse ainda que, caso o governo cumprisse os critérios da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre a linha de miséria, o valor per capita de renda familiar para enquadramento no programa já teria sido atualizado de R$ 70 para R$ 88.

(Agência Senado)

Governo sem Cid

123 1

Da coluna Política, no O POVO deste sábado (22), pelo jornalista Érico Firmo:

Com cotação crescente na bolsa de apostas pré-eleitoral, sobretudo desde o ato falho da presidente Dilma Rousseff (PT), a eventual renúncia de Cid Gomes (Pros) para concorrer ao Senado – ou para permitir uma candidatura do irmão Ciro Gomes (Pros) a algum cargo que não ao de governador – provocaria um rebuliço na política cearense, para além das acomodações eleitorais.

A renúncia e a candidatura ao Senado não fariam muito sentido no caso de o candidato a governador ser do próprio Pros. Nesse caso, por um lado, praticamente tira Tasso Jereissati (PSDB) do páreo para o Senado e garante uma tribuna para o clã Ferreira Gomes a partir do ano que vem, mas complica o entendimento com os aliados, que já não conseguem se acomodar nas vagas disponíveis. Por enquanto, o único coligado de peso que se contentaria com o espaço cogitado é o PT – justamente quem seria desalojado por Cid.

Mas, consideremos a hipótese Pros. Com a renúncia de Cid, Domingos Filho assumiria o governo e poderia buscar a reeleição. Tudo muito simples se o plano for fazer dele candidato, com a vantagem de que não poderá buscar um terceiro mandato e, portanto, deixará o caminho livre para outro em 2018. Porém, há rumores de que ele poderia ir para um ministério neste restinho de governo Dilma, justamente para não ficar no Palácio da Abolição.

Seria aberta a vaga para Zezinho Albuquerque (Pros), presidente da Assembleia, que teria 90 dias para convocar eleição indireta para escolher um governador até o fim do ano. O próprio Zezinho teria boas chances de ser eleito e, se a escolha indireta ocorresse até junho, poderia concorrer à reeleição – ele ou quem quer que fosse indicado pelos deputados.

Contudo, se o plano não for fazer de Zezinho o candidato ao governo, ele ficaria inelegível para qualquer outro cargo se assumir o Palácio a partir de 5 de abril. Por isso, fala-se que ele poderia concorrer a suplente de Cid no Senado ou a vice-governador. Nesse caso, o substituto de Cid, nos três meses de prazo até a eleição indireta, seria o presidente do Tribunal de Justiça, Luiz Gerardo Brígido. O magistrado tem tomado decisões duras e polêmicas no TJCE. Tenho minhas dúvidas sobre como o meio político iria encarar uma gestão dele, ainda que por apenas três meses.

O fato é que, na hipótese de Cid renunciar – algo cuja confirmação prefiro aguardar –, as acomodações iriam muito além das questões eleitorais. Movimentação como não se vê desde que o governador era o irmão dele, Ciro Gomes, e renunciou para virar ministro. Com uma diferença: à época, a confusão não teve nem de longe os mesmos desdobramentos eleitorais de agora.

Meio século de caminhada socialista

Em artigo no O POVO deste sábado (22), o jornalista Luiz Henrique Campos comenta livro de Gilvan Rocha, em que a esquerda socialista não reconhece seus erros nos sombrios anos de repressão no Brasil. Confira:

Terminei de ler esta semana o livro Meio Século de Caminhada Socialista, escrito por Gilvan Rocha. O autor, hoje com 72 anos, publicou a obra em 2008, mas nada mais atual para um momento no qual se discute os 50 anos da derrubada do governo de João Goulart. Para quem não sabe, o pernambucano Gilvan Rocha iniciou sua trajetória de luta aos 16 anos, meio que por acaso, empurrado para uma grande passeata de estudantes secundaristas em Recife, no ano de 1958.

Depois disso, graças à aliança entre “socialistas”, trabalhistas, “comunistas”, reacionários e trabalhistas, chegou a fazer campanha para Cid Feijó Sampaio, usineiro ultra-direitista da UDN, contra Etelvino Lins, do PSD, que representava na visão de seus opositores a “oligarquia dos coronéis” em Pernambuco. A chapa udenista venceu, mas o jovem Gilvan, até então mero cumpridor de tarefas do PCB, não entendia muito o real sentido daquela vitória. A partir desse questionamento se vê como dissidência do partidão, fazendo parte da tentativa de implantar uma guerrilha no interior de Goiás, no ano de 1962. É claro que esse intento foi um fracasso.

A sequência biográfica de Gilvan Rocha desde então é marcada por fugas, troca de nomes e o exílio, que o levou também a vivenciar a Revolução dos Cravos, em 1974, em Portugal. A sua rica história de vida, porém, não é mote desse artigo. Mais do que episódios tensos apresentados na obra, o que chama a atenção é a reflexão proposta sobre os erros da chamada esquerda socialista, que para ele seria também culpada pelos longos e sombrios anos de repressão que se seguiram a abril de 1964. Primeiro por ter embarcada, acriticamente, no que Gilvan declara ter sido uma tentativa de luta nacional reformista, e jamais em prol da implantação do socialismo. Segundo, por menosprezar a possibilidade de uma contra-revolução, e por fim, ao considerar que o grande inimigo era o imperialismo americano, esquecendo a dicotomia de classes como ponto central.

Gilvan cobra com dureza autocrítica das esquerdas, que preferem culpar os inimigos ao contrário de reconhecer seus erros. O livro é crítico a Miguel Arraes e ao líder das ligas camponesas, Francisco Julião. Tudo com conhecimento de causa, pois Gilvan vivenciou por dentro esses embates. Tai um bom debate.

Senado fará o que for preciso contra discriminação racial, diz Renan

O presidente do Senado, Renan Calheiros, informou que vai se juntar a outros senadores para pedir à presidente Dilma Rousseff que realize uma solenidade especial para sancionar o PLS 114/1997, recentemente aprovado no Congresso e que amplia a abrangência da Lei da Ação Civil Pública para proteger também a honra e a dignidade de grupos raciais, étnicos ou religiosos. Para ele, seria necessário um evento “à altura da importância da lei”.

O tema racismo dominou essa sexta-feira (21) no Senado, que realizou sessão especial em homenagem ao Dia Internacional contra a Discriminação Racial, aos 30 anos do Centro Brasileiro de Informação e Documentação do Artista Negro (Cidan) e ao centenário do ativista negro e senador Abdias do Nascimento.

– Lembro-me da indignação da presidente Dilma quando das manifestações racistas contra o jogador Tinga, do Cruzeiro. Apesar dos avanços promovidos com a aprovação de leis como o Estatuto da Igualdade Racial e a Lei de Cotas, ainda há muito a ser feito na luta contra a discriminação no Brasil – afirmou o presidente do Senado.

O senador lembrou que, apesar de a Constituição e o Código Penal combaterem a discriminação, as penas não têm sido suficientes para inibir o que ele classificou de “o mais abominável e desprezível crime da humanidade”.

– E o Senado aqui está para colaborar no que for preciso, seja em aprimoramentos legais, em campanhas ou quaisquer outras iniciativas nesse sentido – afirmou.

(Agência Senado)

BR Distribuidora destitui diretor ligado à compra de refinaria

270 1

O Conselho de Administração da Petrobras Distribuidora (BR Distribuidora), subsidiária da Petrobras para a área de distribuição de combustíveis, aprovou nessa sexta-feira (21) a destituição do diretor Financeiro da empresa, Nestor Cerveró, envolvido na compra da Refinaria de Pasadena, no Texas, em 2006.

Em nota, a Petrobras informou que o presidente da BR Distribuidora, José Lima de Andrade Neto, vai acumular interinamente as atividades da diretoria.

Nestor Cerveró, que era diretor da Área Internacional da Petrobras quando houve a aquisição da refinaria texana, foi o responsável pelo parecer técnico que levou o Conselho de Administração da estatal a aprovar a compra de 50% da Refinaria de Pasadena.

A compra da refinaria está sendo investigada pela Polícia Federal, pelo Tribunal de Contas da União, Ministério Público e Congresso Nacional por suspeita de superfaturamento e evasão de divisas.

(Agência Brasil)

Oposição articula estratégia para criar CPI sobre compra de refinaria pela Petrobras

Líderes da oposição na Câmara e no Senado se reúnem na tarde de terça-feira (25), no gabinete do senador Aécio Neves (PSDB-MG), para articular a estratégia de criação de uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) para investigar a compra pela Petrobras da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, em 2006. O negócio custou à estatal US$ 1,18 bilhão, quase 30 vezes o valor pago pela empresa belga Astra para adquirir a mesma refinaria, um ano antes.

A oposição denuncia superfaturamento na operação feita pela Petrobras e quer apurar as razões do prejuízo. Em nota à imprensa, a presidente Dilma Rousseff, que à época do negócio presidia o conselho de administração da estatal, reconheceu que a transação foi autorizada mediante parecer “técnico e juridicamente falho”.

(Agência Câmara Notícias)

Barbosa decidirá sindicância que apura uso de celular na prisão por Dirceu

157 2

O juiz Bruno André Silva Ribeiro, da Vara de Execuções Penais (VEP) do Distrito Federal, enviou ao presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, o processo de sindicância instaurado pela VEP para apurar se o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu usou celular dentro do Complexo Penitenciário da Papuda, onde está preso para cumprir pena de sete anos e 11 meses de prisão, definida na Ação Penal 470, o processo do mensalão.

Ribeiro confimou entendimento firmado por ele, em fevereiro, de que a palavra final sobre a sindicância será de Barbosa, mesmo com o processo sendo conduzido pela VEP. “Tem-se, assim, que, especificamente no caso de condenados da Ação Penal 470, a decisão final quanto às questões disciplinares de natureza grave, por poderem, em tese, implicar alteração de regime prisional, compete, a meu ver, ao Supremo Tribunal Federal, observados os estreitos limites da delegação operada”, disse o juiz.

Dirceu aguarda a conclusão do processo para ter direito ao benefício de trabalho externo em um escritório de advocacia, em Brasília. Em depoimento prestado no dia 11 de março, por meio de videoconferência, Dirceu negou que tenha recebido regalias dentro da prisão.

Segundo reportagem do jornal Folha de S.Paulo, publicada no dia 17 de janeiro, Dirceu conversou por telefone celular com James Correia, secretário da Indústria, Comércio e Mineração da Bahia. Segundo a matéria, a conversa ocorreu por intermédio de uma terceira pessoa que visitou Dirceu. Na ocasião, a defesa do ex-ministro negou que a conversa tenha ocorrido, mas a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal abriu processo administrativo para investigar o caso.

O processo de sindicância envolvendo o ex-ministro foi arquivado pela direção do presídio, mas a VEP determinou que a apuração fosse reaberta porque as partes envolvidas, como Dirceu e agentes penitenciários, não foram ouvidas. A decisão fez com que o pedido de trabalho externo fosse suspenso.

Dirceu recebeu proposta para trabalhar no escritório do advogado José Gerardo Grossi, atuando na pesquisa de jurisprudência de processos e ajudando na parte administrativa. A jornada de trabalho é das 8h às 18h, com uma hora de almoço.

(Agência Brasil)

Fernando Hugo apresenta requerimento pró-redução da maioridade penal

146 2

fernandohugoo

Com o título “Hipocrisia + Pieguice protegem a maioridade penal aos 18 anos”, eis nota do deputado estadual Fernando Hugo (PSolidariedade). Ele aborda a polêmica sobre a redução da maioridade, defendendo revisão da legislação. Confira:

Chocante, e de uma perversidade indescritível, o latrocínio cometido, com um tiro na nuca transfixando toda calota craniana, contra o jovem e brilhante acadêmico de Direito da UFC, que, como quase sempre, teve a participação de criminosos menores de 18 anos.

Não dá para descrevermos as ações bandíticas desses menores que, de Norte a Sul do Brasil, com o Estatuto da Criança do Adolescente (ECA) na mão, destroem a paz sócio-familiar, efetuando atos que, indiscutivelmente, nos fazem ter medo da vida que nos é ofertada neste País.

Apresentei requerimento para a Assembleia Legislativa aprovar, clamando suplicantemente em nome dos cidadãos de nosso País, que o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB/AL), ponha a tramitar o Projeto de Emenda Constitucional do senador Aluizio Nunes Ferreira, que prevê a inimputabilidade penal de maiores de 16 anos.

Como já sabemos, o PT e seus companheiros de esquerda já se manifestaram contra numa análise preliminar da matéria.

O momento atual brasileiro não comporta mais hipocrisias montadas em pieguices daqueles que defendem os BICHINHOS “de menores”, certamente porque nunca foram usados, criminosamente, por esses ensandecidos capetas que infernizam nossa vida posando de menores.

* Fernando Hugo,

Deputado Estadual do PSolidariedade. 

Sucessão 2014 – Presidente da Câmara Municipal de Fortalza apregoa bom senso

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=02iJc5EB53M[/youtube]

O presidente da Câmara Municipal, Walter Cavalcante (PMDB), defendeu, nesta sexta-feira, que os partidos da base aliada cheguem a um consenso sobre quem disputará a sucessão do governador Cid Gomes. O presidente regional do PMDB, senador Eunício Oliveira, trabalha uma pré-candidatura.

Walter Cavalcante prefere apostar num acordo.

Refinaria Pasadena – Trabalhadores da Petrorbas cobram investigação de denúncias

214 3

“O presidente da Associação de Engenheiros da Petrobras, Silvio Sinedino, toma posse no próximo dia 2 como representante dos trabalhadores no Conselho de Administração da estatal. Ele promete se empenhar para que seja apurada a operação que resultou na compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, que deu prejuízo de US$ 1 bilhão à petroleira. É a segunda vez que Sinedino irá representar os trabalhadores no conselho de administração. A primeira foi em 2012, quando a estatal concluiu o processo de compra da refinaria.

Sinedino lembrou que em 2006, quando a Petrobras decidiu adquirir a refinaria de Pasadena com o objetivo de refinar óleo pesado do Campo de Marlim nos Estados Unidos, a empresa belga Astra havia pago, um ano antes, US$ 42 milhões pelo mesmo empreendimento. A estatal brasileira gastou, em 2006, US$ 360 milhões pela compra de metade da refinaria, que processava óleo leve e necessitava de adaptações, para atender à meta estabelecida. “Isso dá uma multiplicação de 18 vezes de rentabilidade em um ano”, observou Sinedino.”

(Agência Brasil)

Mudança na direção do DNIT do Ceará

Mudança na direção do DNIT do Ceará.

Saiu no Diário Oficial da União, desta sexta-feira, a nomeação de Diógenes José Tavares como novo titular do órgão. Ele atuava na Valec e entra no lugar de José Luis Vianna Ferreira, que chegou a ter apoio de parte da bancada federal cearense para continuar no cargo. Houve até moção nesse sentido entregue ao Ministério dos Transportes.

José Tavares é ligado à deputada federal Gorete Pereira (PR), que brigava pelo cargo, observando que o DNIT é vinculado ao Ministério dos Transportes que, por sua vez, é da cota do seu partido. 

Acrísio Sena: a ordem agora é pressionar pela sanção da Lei do Estacionamento

142 2

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=L_OG67gan7g&list=UU3PLF5T6g3ddE4BpeF0EhZg[/youtube]

Com a aprovação, pela Câmara Municipal, de lei regulamentando o funcionamento dos estacionamentos de Fortaleza, a ordem agora é pressionar o prefeito Roberto Cláudio (Pos) pela sanção, garantindo avanços.

Quem faz a pregação é o autor da matéria, Acrísio Sena (PT). EDle destaca entre avanços o fim do arredondamento do preço.

MP e Prefeitura de Fortaleza entram em acordo sobre Praça Portugal

“O Ministério Público do Estado do Ceará e o Município de Fortaleza vão celebrar, na próxima segunda-feira, um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) sobre o Plano de Ação Imediata de Trânsito e Transporte de Fortaleza (PAITT). O documento será assinado às 15 horas, na sede das Promotorias de Justiça de Meio Ambiente e Planejamento Urbano. A assinatura do TAC será feita através da coordenadora do Centro de Apoio Operacional da Ecologia, Meio Ambiente, Paisagismo e Patrimônio Histórico (Caomace), Socorro Brilhante, e o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio. Este último poderá ser representado apenas pelo procurador-geral do Município. Também estarão presentes os promotores de Justiça Raimundo Batista de Oliveira e José Francisco de Oliveira Filho, além dos secretários municipais da Conservação e Serviços Públicos; do Urbanismo e Meio Ambiente; e da Infraestrutura.

O TAC vai tratar sobre todas as obras previstas no Plano, como a fixação do sentido único nas avenidas Santos Dumont e Dom Luiz, a eliminação dos canteiros centrais, a remoção das árvores e as intervenções na Praça Portugal.  A iniciativa foi tomada após reunião na manhã desta sexta-feira entre o MP e a Prefeitura, quando foram apresentados slides sobre o Plano. Segundo o promotor de Justiça José Francisco de Oliveira Filho, o MP ainda aguarda a íntegra do PAITT e a licença ambiental que respaldam as referidas intervenções urbanísticas e ambiental.

Ontem (20), o MP ajuizou uma Ação Civil Pública contra o PAITT. O pedido é para que não seja realizada qualquer obra prevista no Plano – como a fixação do sentido único nas avenidas Santos Dumont e Dom Luiz, a eliminação dos canteiros centrais e a remoção das árvores – até que seja apresentada a licença ambiental permitindo a execução das obras. Sobre a Praça Portugal, a ação pede que não ocorra nenhuma intervenção até que a Câmara Municipal se manifeste sobre o assunto.”

(Site do MP-CE)

Rede Sustentabilidade promove “convenção lúdica” no próximo dia 29

180 1

foto geovana cartaxo

#Rede Sustentabilidade Ceará promoverá dia 29 próximo, a partir das 9 horas, no auditório da Casa José de Alencar, em Fortaleza, a sua primeira Convenção Estadual. A assessoria de imprensa do partido informa que mesmo não tem registro como partido, a Rede quer participar do processo eleitoral. No evento, a pré-candidata ao Senado pelo PSB-Rede no Ceará, Geovana Cartaxo, reforçará o lançamento da candidatura.

Na pauta da convenção, ainda os seguintes assuntos: debate sobre Conjuntura Estadual e Nacional, Política de Organização do Partido, apresentação dos Nomes para compor o Conselho Político Cidadão, escolha dos membros do Diretório Estadual e dos delegados para o Congresso Nacional  e elaboração dos objetivos programáticos da Rede Ceará de forma colaborativa e participativa.

DETALHE – Haverá também show da Banda Sertão Rap de Maracanaú, Grupo Canela Fina, repentistas, entre outras apresentações culturais.

DETALHE 2 – Será uma “Convenção Lúdica”, diz a assessoria da Rede.

Sucessão 2014 – PRP do Ceará ainda não decidiu sobre apoio

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=GBT1OREDtlc&list=UU3PLF5T6g3ddE4BpeF0EhZg[/youtube]

O Partido Republicano Progressista do Ceará, o PRP, está renovando o comando. O ex-vereador Moreira Leitão não é mais o presidente, segundo a deputada estadual Bethrose, que faz gestões no sentido de assumir o controle do partido.

O PRP, se depender da deputada, pode apoiar o candidato que o governador Cid Gomes indicar para sua sucessão. A decisão final, no entanto, só sai mesmo em junho próximo.