Blog do Eliomar

Categorias para Política

Mudança na graduação de medicina proposta no Mais Médico mostra “improvisação do governo”, diz AMB

A Associação Médica Brasileira (AMB) diz que abrir mão do segundo ciclo – dois anos a mais na graduação de medicina propostos pelo Programa Mais Médicos – mostra “o grau de improvisação do governo”. A AMB voltou a criticar o programa nessa quarta-feira (31) após o governo apresentar uma proposta que mantém o curso de medicina com seis anos e torna obrigatória a residência médica no Sistema Único de Saúde (SUS) a partir de 2018.

Segundo o diretor da Associação Médica Brasileira (AMB), José Bonamigo, as entidades médicas – Conselho Federal de Medicina (CFM), Federação Nacional de Medicina (Fenam) e Associação Nacional dos Médicos Residentes (ANMR) – decidiram em reunião em São Paulo que não dialogarão com o governo até que a Medida Provisória (MP) 621/2013, que cria o programa, seja derrubada no Congresso Nacional. As entidades reúnem-se novamente nesta quinta-feira (1º) em Brasília.

“Não há condições para ampliar nem a residência médica [para atender a todos os formandos – hoje apenas 50% conseguem vaga], nem as faculdades de medicina na velocidade que o governo quer”, diz Bonamigo.

Na outra ponta, a do ensino, as instituições de ensino particulares receberam a notícia da residência com otimismo, com isso, o curso continua com seis anos. Segundo o Fórum das Entidades Representativas do Ensino Superior Particular, a residência obrigatória no SUS é positiva “desde que seja proporcionado o ambiente adequado para a prática”, diz o assessor do fórum, Solon Caldas.

Caldas critica, no entanto, a obrigatoriedade. “A residência no SUS deve ser opção do aluno”. De acordo com o assessor, a maioria dos alunos busca uma especialização, mas nem sempre no SUS.

(Agência Brasil)

Mudança na punição a crimes contra o meio ambiente pode agilizar licenciamentos ambientais

182 1

Os licenciamentos ambientais poderão ganhar agilidade caso seja aprovado pelo Plenário o Projeto de Lei do Senado (PLS) 180/2009, de autoria da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), que altera a condição em que o servidor público é punido, em caso de outorgar autorização ou permissão em desacordo com as normas ambientais.

A justificativa do projeto lembra que a Lei de Crimes Ambientais (Lei 9.605/1998) fixa pena ao funcionário público que outorga autorização ou permissão, na hipótese genérica e imprecisa de o ato estar em desacordo com as normas ambientais, até porque essas normas dão espaço para a discricionariedade do agente público. Essa condição também abre espaço para que o Ministério Público interprete como crime mesmo os atos de funcionários cometidos de boa-fé.

De acordo com a justificativa, tal risco força esses agentes públicos a serem extremamente conservadores na análise de autorizações ou permissões, diante do risco de serem processados criminalmente. O resultado disso, é que as licenças ambientais necessárias para os projetos de infra-estrutura têm sido sistematicamente adiadas ou negadas.

Assim, para que os projetos de infra-estrutura tenham suas licenças devidamente analisadas “sem ameaças descabidas sobre os funcionários que as analisam previamente”, a matéria determina que a legislação seja alterada para que o servidor público que lide com autorizações ou permissões ambientais só seja punido em caso de má-fé.

De acordo com o projeto, esses agentes públicos serão punidos apenas se ficar provado que tinham conhecimento de fraude ou irregularidade envolvendo licença, autorização ou permissão ambiental. Se comprovada a prática de crime doloso (com intenção) contra o meio ambiente, o servidor público estará sujeito a pena de detenção de um a três anos, além de multa.

(Agência Senado)

Sem borbulhas de amor, prefeita fecha escola Raimundo Fagner

364 7

michele prefeita beberibe

Terminaram na tarde desta quarta-feira (31) as atividades da escola Raimundo Fagner, na Praia das Fontes, em Beberibe, Litoral Leste do Estado. O estabelecimento, que funcionava como creche e também como pró-jovem, havia sido fundado com o apoio do cantor e compositor cearense Raimundo Fagner.

Segundo os pais de alunos, que ficaram prejudicados com a decisão da Prefeitura de Beberibe, a prefeita Michele Queiroz teria decidido encerrar as atividades da escola como forma de enxugar as despesas com educação no município, diante de uma promessa de aumento salarial para professores.

Vamos nós – A prefeita não se sensibilizou com a indignação de seus munícipes, como também de pessoas preocupadas com a educação de crianças e jovens. Vamos torcer para que leitos não sejam fechados para custear reajustes salariais.

Governo desiste de aumentar tempo de graduação em Medicina

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, informou nesta quarta-feira (31) que o governo vai alterar a proposta do Programa Mais Médicos de ampliar em dois anos os cursos de graduação em Medicina. A ideia era aumentar de seis para oito anos o tempo da graduação, com os dois últimos anos de trabalho no Sistema Único de Saúde (SUS). Segundo Mercadante, a proposta será levada ao relator da medida provisória que cria o programa, deputado Rogério Carvalo (PT-SE).

Em contrapartida, Mercadante defendeu que, já em 2018, a residência médica se torne obrigatória ao final dos seis anos de graduação para algumas atividades da medicina. Nesse modelo, toda a residência será feita no SUS, e o primeiro ano, obrigatoriamente na atenção básica, urgência e emergência no sistema.

“É evidente que algumas especialidades são mais disputadas, terão exames de seleção. Mas terá vaga para todo estudante de medicina. A partir de 2018, queremos condicionar para algumas atividades da medicina a obrigatoriedade da residência, a exemplo do que ocorre em alguns países”, disse o ministro. De acordo com Mercadante, a decisão foi tomada em discussão com diretores de faculdades, comissão de especialistas e representantes da Associação Brasileira de Educação Médica.

Lançado neste mês, o Programa Mais Médicos desagradou a entidades médicas, que criticaram os dois anos de extensão no curso e a possibilidade de contratação de profissionais com diploma estrangeiro para atuar, durante três anos, na periferia das grandes cidades e em cidades do interior. Nessa terça-feira (30) e também nesta quarta-feira, médicos em todo o país paralisam as atividade em protesto ao Mais Médicos.

(Agência Brasil)

Pressionada, Dilma Rousseff vai abrir as torneiras para os parlamentares

Dilma e ministro Temporão são multados por propaganda antecipada

“Pressionada por aliados e antevendo nova rebelião no Congresso a partir da próxima semana, quando deputados e senadores voltam das férias, a presidente Dilma Rousseff decidiu abrir o cofre. Em reunião com dez ministros, nesta terça-feira, no Palácio da Alvorada, Dilma determinou a liberação de três lotes de emendas parlamentares até o fim do ano, em parcelas, totalizando 6 bilhões de reais. Na tentativa de driblar dificuldades previstas em votações importantes para o governo, a presidente pediu aos ministros uma lista dos principais projetos contidos nas emendas paradas em cada pasta. Embora o governo tenha anunciado corte adicional de 10 bilhões de reais no Orçamento, para cumprir a meta fiscal e recuperar a confiança do mercado na política econômica, Dilma decidiu manter a reserva para pagar emendas.

Num momento de perda de popularidade após os protestos de junho, desgaste na relação com a base aliada e com o PMDB liderando uma rebelião para tornar obrigatória a execução das emendas parlamentares, a presidente foi aconselhada a agir para neutralizar a proposta do orçamento impositivo. Nas três horas da reunião desta terça-feira no Alvorada, Dilma cobrou dos ministros políticos novo esforço concentrado para controlar deputados e senadores de seus partidos e prometeu empenhar 2 bilhões de reais de emendas individuais em agosto.

As outras “prestações”, no mesmo valor, devem ser liberadas em setembro e novembro. No mês passado o governo também reservou 2 bilhões de reais para o pagamento de emendas, mas até agora elas não foram efetivamente pagas. Chamado pelos congressistas de “peça de ficção”, o Orçamento da União prevê 8,9 bilhões de reais para essa finalidade, ao longo deste ano.”

(Veja Online)

Ministro da Integração quer levar Dilma para visitar obras do São Francisco

“O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, informou hoje (31) que quer levar a presidenta Dilma Rousseff, para visitar as obras de transposição das águas do Rio São Francisco. “Em setembro queremos levar a presidenta para visitar todas as frentes de serviço. Acreditamos que em setembro, vamos ter mais de 8 mil pessoas mobilizadas e mais de 3 mil equipamentos empregados na obra”.

De acordo com ele, até lá, 50% da obra estarão concluídos. Até junho de 2013, foram gastos R$ 3,4 bilhões com o empreendimento, orçado em R$ 8,2 bilhões. Bezerra participou na manhã desta quarta-feira do programa Bom Dia, Ministro, produzido pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República em parceria com a EBC Serviços.”

VAMOS NÓS – E aí, o ministro vai convidar também o governador Eduardo Campos (PSB), seu padrinho político em Brasília, para essa visitinha?

Câmara Municipal abre trabalhos nesta 5ª feira. Prefeito RC não confirmou presença

robertoclaudo-550x347

Nesta quinta-feira, a partir das 9 horas, a Câmara Municipal de Fortaleza promoverá sessão solene de abertura dos trabalhos do segundo período legislativo de 2013. O prefeito Roberto Cláudio (PSB), segundo sua assessoria de imprensa, ainda não decidiu se vai comparecer ao ato ou se mandará representante.

O prefeito sempre comparece para fazer a leitura da mensagem do Executivo para os próximos meses, ao tempo em que presta contas das atividades desenvolvidas no primeiro semestre de gestão.

A abertura dos trabalhos constará do hasteamento das bandeiras, na Praça da Cidadania Barros Pinho. Em seguida, no plenário Fausto Arruda, o presidente da Casa, Walter Cavalcante (PMDB) abrirá os trabalhos 

Caso Cocó – Só o prefeito é são?

154 12

O jornalista Haroldo Barbosa, assessor de imprensa do Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos de Fortaleza (Sindifort), deixou o seguinte comentário no Blog acerca do artigo do professor João Arruda (UFC), que bate duro na oposição que grupos de ambientalistas e políticos fazem contra a construção de dois viadutos no encontro da avenida Antonio Sales com Engenheiro Santana Júnior. Confira:

Lamento decepcioná-lo professor João Arruda, mas, na verdade, viramos reféns de uma concepção de cidade que privilegia o uso do automóvel sobre o transporte coletivo e o senhor parece ser partidário exacerbado desta.
Os indignados tem sim fortes argumentos técnicos. Que o digam seus colegas, os professores da UFC (Geografia e Arquitetura) Jeovah Meireles, José Sales, Clarice Sampaio e outros que veem na construção de viadutos no Cocó não só o dano ambiental ao Parque, mas os impactos urbanísticos negativos que surgiriam em consequência.

Há alternativas técnicas e viadutos não resolvem problema de tráfego. Só aumentam. Quer resolver o problema da mobilidade urbana? Por que o prefeito e o governador não investem em um transporte público de qualidade? O senhor já andou de ônibus ou van em Fortaleza? Sabe o caos que é? Por que não há cobrança efetiva pelo funcionamento do Metrofor, que está somente com 11 anos de atraso?

Se os viadutos são tão corretos, por que há três ações do MPE e do MPF pedindo a suspensão da obra? Por que há um laudo do Ibama dizendo claramente que a Prefeitura cometeu crime ambiental? Por que a Policial Federal instaurou inquérito para apurar este crime? Insanidade é querer impor uma obra que só beneficia construtoras. Ou há algo mais? O senhor acha que seus colegas professores, o MPE, o MPF, o Ibama e a PF são insanos? Só o prefeito é são? Lamento muito, mas não creio nisso, não.

* Haroldo Barbosa

Jornalista.

Dentistas e enfermeiros do PSF reclamam de discriminação

405 2

Dentistas e enfermeiros do Programa Saúde da Família estão chiando com a Prefeitura de Fortaleza. Os médicos tiveram redução de carga horária de 40 para 32 horas mais gratificação de R$ 2 mil. Já esses profissionais permanecem com carga horária de 40 horas, recebendo apenas 30% da gratificação dada aos médicos.

Nesta quarta-feira, a partir das 19 horas, na sede do Conselho Regional de Odontologia (CRO), haverá reunião desses profissionais não-médicos para definir estratégias de luta.

Vice-prefeito compartilha no Facebook mensagem sobre "ecodesocupados" do Cocó

444 25

gaudenciooo

O vice-prefeito de Fortaleza, Gaudêncio Lucena, de férias nos EUA, compartilhou, em seu perfil no Facebook, comentário de Sabino Nogueira sobre as obras dos dois viadutos previstos para o encontro da avenida Antonio Sales com Engenheiro Santana Júnior, com farpas contra ambientalistas. Ao compartilhar uma mensagem, quem circula pelas redes sociais avalia que houve endosso. Eis a mensagem:

Eu digo o seguinte, já passou da hora de o GOVERNO (MUNICIPAL, ESTADUAL e FEDERAL) deixar de se INTIMIDAR por esses ECODESOCUPADOS ou se preferirem: ECOCHATOS. O Governo tem sim que fazer OBRAS que beneficiem a MAIORIA. E esses DEFENSORES da INCOMPETÊNCIA da DESadministração” ANTERIOR eu dou uma SUGESTÃO: Já que voces são contra a EVOLUÇÃO de uma METRÓPOLE que no mundo inteiro se modernizam e obviamente PÉS DE CASTANHOLA, NINHOS DE QUERO-QUERO, ABRIGOS DE MORCEGOS, HABITAT DE RATAZANAS, E FORMIGUEIROS, todos de extema importancia para a HUMANIDADE, terão que entrar na COTA de SACRIFÍCIO para que essas OBRAS (isso sim, IMPORTANTES para a COLETIVIDADE) sejam EXECUTADAS. A diferença que veremos será a COMPETÊNCIA da ADMINISTRAÇÃO ROBERTO CLÁUDIO/GAUDENCIO LUCENA. OBRA INICIADA, OBRA CONCLUÍDA. ao contrário da DESASTRADA GESTORA da FORTALEZA “bela?” Então vocês ACAMPADOS DESOCUPADOS fica a DICA: Sejam COERENTES com suas CAUSAS, Ainda há lugares BASTANTE ATRASADOS sem nenhuma INFRA-ESTRUTURA e nenhuma OBRA que tanto os INCOMODAM e sejam muito FELIZES em suas CAVERNAS, aproveitem e levem algumas mudas de CASTANHOLA e VELAMES de mangue. São coisas INDISPENSÁVEIS para a VIDA. ABAIXO o ATRASO e a INCOMPETENCIA. Meta BRONCA e faça o que FORTALEZA precisa, PREFEITO .

Ah, que saudades da CPMF…

153 8

Com o título “Saúde de qualidade se faz com muito dinheiro”, eis artigo do jornalista e radialista Messias Pontes. Ele aborda o cenário de crise na saúde do País, as ações do governo federal voltadas para tentar resolver a situação e lamenta o fim da CPMF, observando que “a presidenta Dilma Rousseff, que chegou a ter o maior capital político de toda a história brasileira, não teve coragem de enfrentar a velha mídia que fazia terrorismo com a recriação da CPMF. Confira:

É cada vez mais caótica a situação da saúde pública no Brasil. Como é de todos sabido, os recursos do Orçamento da União para o setor são insuficientes para atender com o mínimo de dignidade a maioria dos brasileiros. É também por todos sabido que a saúde é dever do Estado e direito do cidadão, conforme reza a Constituição Cidadã de 1988.

Como todo dinheiro para a saúde é pouco, foi criado em 1993, no governo Itamar Franco, o Imposto Provisório sobre Movimentação Financeira para cobrir o déficit da saúde. O IPMF vigorou até o ano seguinte. Dois anos depois, através de Emenda Constitucional, já no desgoverno do Coisa Ruim (FHC), foi criada a CPMF, agora como contribuição e não mais como imposto, e a alíquota, que era de 0,20% passou a 0,38% até 2007. Mas os recursos daí advindos não foram aplicados integralmente na saúde, inclusive no governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Em 2007, com a ajuda da banda podre do PMDB, a oposição conservadora de direita (PSDB, PFL e PPS), com o irrestrito apoio da velha mídia conservadora, venal e golpista derrotou a Emenda Constitucional que prorrogava a CPMF e destinava 100% do arrecadado à saúde. A cobrança da contribuição seria para quem ganhava acima de R$ 5 mil por mês, o que atingiria pouco mais de 2% dos contribuintes, mas a arrecadação seria, a preços de hoje, de aproximadamente R$ 100 bilhões anualmente, recursos que iriam suprir as necessidades da saúde.

A presidenta Dilma Rousseff, que chegou a ter o maior capital político de toda a história brasileira, não teve coragem de enfrentar a velha mídia que fazia terrorismo com a recriação da CPMF. A bancada do PT, a maior da Câmara dos Deputados e a segunda maior do Senado, igualmente acovardou-se e não soube nem quis mobilizar a sociedade para forçar o Congresso a aprovar a nova CPMF. E em junho último perdeu a oportunidade de forçar a barra, pois milhões de brasileiros, em todos os estados, foram às ruas exigir o fim da corrupção, melhores condições de transporte público, mais verbas para a educação e para a saúde.

A hipocrisia da oposição conservadora de direita não tem limites. A campanha midiática massiva contra a CPMF argumentava que o tributo iria pesar muito no bolso do trabalhador, que a carga tributária já é muito grande etc. e tal. Mas, propositadamente, deixou de dizer que com o fim da CPMF não houve redução de um centavo sequer na aquisição de bens e serviços em todo o território nacional. E também que pouco mais de 2% da população seria tributada.

A vantagem de CPMF é que além de arrecadar recursos para a saúde, evita a sonegação fiscal, aumentando a arrecadação, pois em cada transação financeira o próprio banco, automaticamente, desconta o percentual. Com isso a Receita Federal tem o controle de quanto cada correntista movimenta, sem necessidade de autorização judicial.
Há muitas fontes onde se buscar recursos para a saúde. O que está faltando é determinação política. Além de uma nova CPMF, o imposto sobre grandes fortunas, sobre heranças e sobretudo o combate à sonegação que chega ao montante de R$ 415 bilhões anualmente, o que representa 10% do PIB, poderiam resolver de vez o grave problema da saúde.

É inadmissível e incompreensível que grandes empresas soneguem milhões, e às vezes bilhões de reais e não sejam punidas, e que um trabalhador que tem um carro popular para a sua labuta diária seja obrigado a pagar anualmente o IPVA – imposto sobre propriedade de veículos automotores – mas um bilionário que possua iates de luxo e helicópteros para seu deleite seja isento desse tributo.

Também não se consegue entender como a Rede Globo deve mais de R$ 600 milhões, tendo sido notificada 776 vezes pela Receita Federal e continua zombando do fisco. Pior ainda é que o governo federal, através da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República–Secom – continue destinando anualmente mais de R$ 500 milhões em anúncios publicitários para a empresa da famiglia Marinho. Somente a Globo recebe mais que todos os demais veículos juntos.

Não resta dúvida de que o Programa Mais Médicos objetiva minorar o quadro caótico da saúde, notadamente nos pequenos municípios das regiões mais pobres, como Norte e Nordeste, e nas periferias das grandes cidades. Contudo é forçoso afirmar que de nada adianta colocar médico em cada município apenas com o estetoscópio e um talão de receitas. Se não houver recursos para construir e bem equipar hospitais e dar condições dignas aos profissionais da área, a saúde continuará na UTI. E principalmente transformar a profissão do médico que atua na atenção básica de saúde em carreira de Estado, como já acontece com a magistratura e o Ministério Público.

* Messias Pontes,

Jornalista e radialista. 

Sarney recebe alta de hospital

“O senador José Sarney (PMDB-AP), 83 anos, recebeu alta no início da manhã de hoje (31) e já deixou o Hospital UDI, em São Luís, onde estava internado desde a madrugada de domingo (28), tratando uma infecção pulmonar. A expectativa é que Sarney se submeta a novos exames em São Paulo. A decisão de complementar o check up foi anunciada pela família do senador há dois dias em função dos recentes problemas de saúde. Este ano, ele internado em Brasília com dores no peito e já tinha apresentado alterações semelhantes no ano passado, quando foi encaminhado para um hospital em São Paulo.

O último boletim emitido pela equipe médica do Hospital UDI, no início da tarde de ontem (30), confirmava que o senador já apresentava melhora, respirando sem a necessidade de aparelhos e mantendo os sinais vitais estáveis. O cardiologista Carlos Gama, diretor do hospital e médico responsável pelo acompanhamento de Sarney informou que o tratamento foi baseado em antibióticos.”

(Agência Brasil)

Governador receberá em audiência diretoria do Sindicato dos Agentes Penitenciários

cidgoomes

O governador Cid Gomes (PSB) vai receber em audiência, às 17 horas desta quinta-feira, no Palácio da Abolição, a diretoria do Sindicato dos Agentes e Servidores do Sistema Penitenciário do Estado do Ceará (Sindasp-CE) e uma comissão de representantes da categoria. A secretária de Justiça e Cidadania do estado, Mariana Lobo, deverá participar do encontro. O objetivo da reunião é discutir pautas de interesse da categoria, como a convocação dos 924 candidatos do cadastro de reserva do último concurso realizado em 2011, auxílio alimentação, porte de arma estadual e assinatura do projeto de lei de desvio de função.

Durante os dias 13 a 16 de julho, foi realizado um acampamento da categoria no Palácio da Abolição com o intuito de pressionar o governo pela nomeação dos 924 candidatos do cadastro de reserva e agendar uma audiência com o governador. No dia 15 à noite, o governador Cid Gomes compareceu ao acampamento e garantiu que até o final de seu mandato todos serão nomeados. Já na tarde do dia seguinte (16), a secretária de Justiça Mariana Lobo se reuniu com os agentes, a pedido do governador. Após o encontro com a secretária, a categoria decidiu suspender o acampamento e a audiência com o governador Cid Gomes foi agendada.

MP/CE faz Operação Miragem II em Quixadá

“Nesta manhã de quarta-feira, 31, o Ministério Público do Ceará (MP-CE) com auxílio da Polícia Civil realiza “Operação Miragem II”, na qual cumpre 15 mandados de prisão temporária com busca e apreensão em cinco municípios do Estado. Os mandados foram expedidos pelo promotor de justiça da comarca de Quixadá, André Clark Nunes Cavalcante.

Ainda serão cumpridos mais 19 mandados somente de busca e apreensão. Fortaleza, Quixadá, Morada Nova, Russas e Maracanaú são os municípios envolvidos na Operação, na qual se refere a irregularidades de licitações fraudulentas, na aquisição de materiais, contratos de serviço e contração de obras.

Em junho, a “Operação Miragem I” foi realizada e resultou no afastamento do vice-prefeito de Quixadá, da primeira-dama e 21 servidores.”

DETALHE – Às 16 horas desta quarta-feira, na sede da PGJ, haverá coletiva para divulgar todas as informações sobre a Operação.

Sobre o Cocó – Viramos reféns da insanidade de alguns revolucionários sem causa?

282 14

Com o título “O Cocó e a Mobilidade de Fortaleza”, eis artigo que o professor João Arruda (UFC) manda para o Blog abordando a polêmica em torno da construção de dois viadutos no encontro da avenida Antônio Sales com Engenheiro Santana Júnior e que atinge trecho do Cocó. Ele defende a obra e lamenta a oposição de “alguns grupos isolados” que só querem demarcar posições políticas. “Por esses e outros motivos, não podemos continuar como reféns da insanidade de alguns revolucionários sem causa.” Confira:

Como cidadão de Fortaleza e vítima diária dos engarrafamentos da cidade, não posso ficar calado frente aos absurdos praticados por alguns grupos isolados, em nome do direito à livre manifestação. Tenho assistido, nos últimos dias, com muita perplexidade, à emocionalidade com que alguns opositores da administração municipal vêm reagindo à decisão da Prefeitura de Fortaleza em construir dois viadutos no cruzamento das Avenidas Engenheiro Santana Jr. com Antônio Sales, equipamentos fundamentais para a concretização do corredor expresso, que ligará o terminal de Antônio Bezerra ao terminal do Papicu.

Pelo que tenho acompanhado pela mídia e pelas redes sociais, as motivações que orientam a grande maioria dos “indignados” não são de natureza ideológica, nem por discordância técnica e muito menos por questionamentos
ambientais. Com todo o respeito ao legítimo direito de contestação de cada cidadão fortalezense, estou cada vez mais convencido de que a grande motivação que move a maioria dos manifestantes é unicamente a de demarcar
posições políticas, e, nesse contexto de irracionalidade, quase sempre política com o “p” minúsculo.

Essa reação passional, na lógica da contestação pela contestação, me faz lembrar o folclórico revolucionário latino-americano dos anos sessenta, que não perdia uma única oportunidade para poder reafirmar a sua assumida posição política. Ele era contra tudo e contra todos, afirmando sempre que se “ hay gobierno, soy contra”.

Após termos sido vítimas, por quase uma década, de uma administração municipal permissiva e inoperante, que entre as dezenas de erros e omissões administrativos teve a irresponsabilidade de tornar a mobilidade urbana de Fortaleza na mais caótica entre todas as capitais brasileiras, é inadmissível que agora, quando o novo gestor de Fortaleza tenta intervir para dar uma maior racionalidade ao trânsito e, em consequência, melhorar a mobilidade da nossa cidade, um pequeno e heterogêneo movimento, alguns sem nenhuma representatividade sócio-política, tente impedir que o fortalezense possa ter uma melhor qualidade vida.

Tenho consciência de que toda intervenção humana, por mais irrelevante que seja, mesmo que a área atingida tenha apenas 0,18ha, produz algum impacto ambiental negativo. E essa consciência também estava presente quando os
técnicos municipais conceberam essa via expressa. Não é por acaso que a prefeitura, como medida compensatória, se propõe a plantar mais de 500 árvores nativas, em substituição às 90 castanholeiras e outras árvores exóticas e agressivas que infestam a periferia do ecossistema do Cocó.

O mais estranho dessa batalha sem causa é a omissão dos “indignados” quando discutem e repudiam os equipamentos da via expressa. Eles insistem em omitir os efeitos positivos para o meio ambiente, para a mobilidade urbana e para a qualidade de vida dos moradores da cidade.

A grande maioria dos “indignados”, por falta de compromisso com a verdade, esquece de dizer, por exemplo, que:
a) os dois viadutos são partes importantes do corredor de ônibus expresso que ligará o terminal de Antônio Bezerra ao terminal de Papicu; b) os viadutos irão resolver o grande gargalo da mobilidade na área, facilitando a circulação de mais de 70.000 automóveis e de 294 coletivos, que transportam aproximadamente 177.000 passageiros por dia;
c) as obras eliminarão os 06 semáforos instalados no local, permitindo que, no horário de pico, o tempo médio gasto na área caia de 30 para 3 minutos; d) o fim desse gargalo evitará a emissão de toneladas de CO² na natureza,
número infinitamente superior à capacidade de captura efetuada pelos vegetais sacrificados, melhorando a qualidade do ar em Fortaleza; e) a obra vai ter reflexo sobre o cotidiano de quase 200.000 pessoas que utilizam aquele cruzamento diariamente, com impacto positivo sobre a sua qualidade de vida.

Por esses e outros motivos, não podemos continuar como reféns da insanidade de alguns revolucionários sem causa.

* João Arruda,

Professor da UFC.  

Bancada do PSC vai mudar postura sobre matérias oriundas do Paço Municipal

genil

O PSC municipal vai mudar postura política com relação às matérias oriundas da Prefeitura de Fortaleza. A informação é do líder da bancada, Eulógio Neto: “Só votaremos matérias que chegarem à Casa com 48 horas de antecedência. Queremos apreciar sem pressa”.

Essa nova postura, de acordo com Eulógio, já será adotada a partir da retomada dos trabalhos da Câmara Municipal neste semestre.

O vereador não entrou em detalhes, mas disse que é fundamental para um legislador conhecer profundamente matérias do interesse da coletividade.

Bolsa Família & Bolsa Prêmio

“O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) vai premiar as boas práticas de gestão do programa Bolsa Família. O Prêmio Rosani Cunha: Edição Especial – Bolsa Família 10 Anos abre as inscrições nesta quinta-feira (1º) pela internet. As inscrições podem ser feitas até o dia 27 de agosto. Podem participar gestores municipais, estaduais e do Distrito Federal. O projeto inscrito deve ter pelo menos quatro meses de implementação. Serão selecionados 12 projetos. Os relatos serão disponibilizados em versão digital e impressa. “O objetivo é dar visibilidade e compartilhar as boas práticas, para que elas sejam difundidas no país”, explica a secretária adjunta nacional de Renda de Cidadania do MDS, Letícia Bartholo.

Esta é a segunda edição do prêmio, a primeira ocorreu em 2009. O primeiro lugar foi ocupado pela prefeitura de Pão de Açúcar (AL), com um programa de construção de cisternas e placas de armazenamento de água. Com uma tecnologia chamada cisterna de placas, que armazenavam 16 mil litros cada, o programa atendia, na ocasião, a cerca de 4,5 mil pessoas.

Neste ano, o prêmio será dividido em três categorias: busca ativa para cadastramento e atualização cadastral, incluindo identificação de grupos populacionais tradicionais e específicos; ações articuladas do Plano Brasil Sem Miséria voltadas à inclusão produtiva das famílias beneficiárias do Bolsa Família; e gestão de condicionalidades e acompanhamento familiar intersetorial (assistência social, saúde e educação).”

(Agência Brasil)

Sindicato Nacional dos Aeronautas fará ofensiva política para evitar demissões na TAM

“Com a promessa de demissão de até 1.000 funcionários pela TAM, o Sindicato Nacional dos Aeronautas pedirá socorro a Moreira Franco: finaliza um pedido de audiência para enviar ao ministro nas próximas horas.

Os sindicalistas também procuraram o deputado Jerônimo Goergen, que também vai bater na porta de Moreira, além realizar uma audiência pública na Câmara para tratar do tema, assim que terminar o recesso parlamentar.”

(Coluna Radar – Veja Online)

João Ananias critica decisão da TAM de demitir mil funcionários

200 1

joaananiass

O deputado federal João Ananias (PCdoB) classifica de “absurdo” o anúncio feito pela TAM Linhas Aéreas, nessa terça-feira, 30, de que deverá cortar pelo menos mil funcionários, entre pilotos, copilotos e comissários. A empresa alega que é para compensar os altos custos do negócio.

“É um verdadeiro absurdo as demissões anunciadas pela TAM logo após o fim da alta estação turística”, criticou o parlamentar, que prometeu reagir politicamente junto ao governo federal para tentar alguma solução.

Entre funcionários da TAM de Fortaleza, o clima é de apreensão. A gerência local não comenta o fato, que tem entre consequências a oscilação cambial.