Blog do Eliomar

Categorias para Política

Palácio da Abolição recebe grades de proteção

239 1

gradess

Como o “seguro morreu de velho”, como se diz o ditado, a segurança do Palácio da Abolição tomou algumas providências preventivas contra possíveis baderneiros que, infiltrados nas manifestações pacíficas que ainda virão, em Fortaleza, possam tentar depredação contra a sede do Governo cearense: cercou o local com grades de ferro e tapume ao redor da guarita de segurança, que pertinho da entrada do prédio pela Avenida Barão de Studart.

* Do Blog do José Rangel aqui.

Tin Gomes: PHS quer eleger um deputado federal e três estaduais em 2014

tintingom

O deputado estadual Tin Gomes, presidente regional do PHS, esteve em Brasília participando de reunião da cúpula nacional da legenda, ocasião em que foram tratados temas diversos como a onda de manifestações que se registra no País e os rumos do PHS nas próximas eleições.

De acordo com Tin Gomes, a meta da legenda no Ceará já está definida: eleger um deputado federal e três deputados estaduais.

Durante a plenária do partido, sob comando de Eduardo Machado, dirigente nacional, Tin Gomes foi eleito membro titular do Conselho Consultivo da da Funsol, instituição que está sendo fundada pelo PHS para substituir o Instituto de Pesquisas Humanistas e Solidárias (IPHS).

(Foto – Divulgação)

Ivo Gomes tratará sobre carteiras estudantis com DCEs da UFC, Uece e IFCE

ivo gomes

O secretário municipal da Educação, Ivo Gomes, terá encontro nesta segunda-feira, a partir das 14 horas, com representantes dos diretórios centrais dos estudantes da UFC, Uece e  Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE).

Na agenda da reunião, que ocorrerá na Sala de Reuniões da Reitoria da UFC, a confecção das carteiras estudantis.

Onda de protestos – Eduardo Campos deve aproveitar desgastes do Governo Dilma

171 1

eduardocampos

De olho na crise econômica, de queda na popularidade do governo Dilma Rousseff e onda de protestos que se irrompeu pelo País, os principais opositores à petista já estão adaptando suas estratégias para aproveitar o desgaste sofrido pela presidente. O pré-candidato do PSB, governador de Pernambuco Eduardo Campos, deve redirecionar sua fala nas próximas aparições, segundo dirigentes do partido, permitindo-se criticar a aliada.

A expectativa é de que ele abandone o discurso expressado em seu último programa partidário, de que o País vai bem, mas que “pode mais”, e seja mais direto nos ataques ao PT.

O primeiro-secretário do PSB, Carlos Siqueira, considera o slogan um erro porque “o Brasil nunca esteve bem nesses dez anos de governo petista”. O PSB pretende ainda abordar a pauta da “reforma urbana”, abrangendo mais investimentos em transportes públicos.

(Com Estadão)

PSDB do Ceará promove encontro em Nova Jaguaribara

luizpontes

O PSDB do Ceará realiza segunda-feira, em Nova Jaguaribara, a primeira de uma série de reuniões itinerantes pelo Interior. Na agenda, segundo o presidente regional do partido, Luiz Pontes, a organização de encontros regionais que ocorrerão, a partir de agosto próximo, com a presença do ex-senador Tasso Jereissati. Dentro do ninho tucano, há torcida para que Tasso tenha, de fato, deixado de lado aquela história de “cuidar dos netinhos” e resolvido voltar ao cenário da disputa em 2014.

Ministério Público promove reunião para avaliar onde de manifestações no Ceará

A primeira reunião da Comissão Intersetorial criada pelo Ministério Público Estadual para tratar das manifestações sociais que se registram no Estado, ocorrerá, nesta manhã de segunda-feira, na sede da Procuradoria Geral de Justiça.

Foram convidados os chefes da Polícia Militar, Polícia Civil, Defensoria Pública, Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, Ouvidoria do Estado, Escritório de Direitos Humanos da Assembleia e Conselho Estadual de Segurança Pública.

A ordem é traçar estratégias conjuntas para prevenir confrontos em decorrência dos protestos realizados em todo o Estado. Ação semelhante já foi adotada em Minas Gerais.

 

Onda de manifestações – Governador e prefeito participarão de reunião com Dilma

cidroberti

O governador Cid Gomes e o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, estarão nesta tarde de segunda-feira em Brasília. Participarão de reunião convocada pela presidente Dilma Rousseff, na qual vão estar todos os governadores e prefeitos de Capitais que deverão fechar uma agenda mínima política para começar a atender as reivindicações das manifestações que se irromperam em todo o País nos últimos dias.

Cid Gomes, inclusive, conversou com Dilma Rousseff por telefone, na última quinta-feira, ocasião em que avaliaram o cenário dos protestos. Ele chegou a revelar que a presidente se sentia “perplexa” diante da onda de manifestações e também preocupada com ações violentas registradas nesses eventos.

DETALHE  – O prefeito RC ainda cumprirá, antes de viajar com Cid, uma agenda que inclui a entrega da Casa de Acolhimento no Conjunto José Walter e lançamento do Plano de Enfrentamento e Combate às Drogas.

Grupo quer responsabilizar Comando da PM e Estado por agressões nas manifestações

248 2

Nesta segunda-feira, um grupo de advogadores e defensores públicos pedirá ao Ministério Público Estadual a abertura de inquérito policial contra o alto comando da Polícia Militar e contra o governo do Estado. O grupo denuncia violações e excessos da atuação do Estado nas manifestações registradas em Fortaleza.

Estamos convocando todos que desejam a responsabilização de quem ordenou esses abusos. Pediremos ao Ministério Público a abertura de inquérito policial contra todo o alto comando da PM e o Senhor Governador do Estado. Partiremos em marcha da Faculdade de Direito da UFC, onde faremos a concentração a partir das 8 horas, para a sede da Procuradoria Geral de Justiça”, diz manifesto via Facebook.

Líder do PT anuncia agenda mínima do Congresso para amenizar manifestações

284 6

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=tyaBifGTDSk&feature=c4-overview&list=UU3PLF5T6g3ddE4BpeF0EhZg[/youtube]

O líder do PT na Câmara dos Deputados, José Nobre Guimarães, afirmou, nesta segunda-feira, ser legítima a onda de manifestações que se irrompeu em todo o Pais. Guimarães destacou que isso tudo foi fruto da luta de vários partidos como o PT em passado recente.

José Guimarães aproveitou para anunciar que o governo federal já tem uma agenda mínima política para votar projetos no Congresso e que poderão amenizar algumas das dificuldades vividas pelo povo. Entre as prioridades, votar o projeto dos royalties para a educação, reduzir o PIS/Cofins do setor de transporte público e trabalhar para melhorar os fundo de participação dos Estados e Municípios.

Manifestações – Instituições vão se reunir para avaliar situação

248 2

“O Ministério Público do Ceará (MP-CE) reúne instituições nesta segunda-feira para tratar sobre as manifestações sociais que tomaram as ruas de Fortaleza e de outras capitais brasileiras nas últimas semanas. Durante os protestos nacionais, uma das principais reivindicações dos movimentos é o apoio contra a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 37, medida que tira do MP a atribuição de realizar investigações criminais.

O objetivo do encontro, de acordo com o Ministério Público, é traçar estratégias conjuntas para prevenir confrontos em decorrência dos protestos realizados em diversos municípios cearenses na última semana.

A comissão intersetorial que se reúne, no Ceará, é composta por chefes da Polícia Militar do Estado, Polícia Civil, Defensoria Pública, Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, Ouvidoria do Estado, Escritório de Direitos Humanos da Assembleia e Conselho Estadual de Segurança Pública.”

(O POVO)

Manifestçaões – Grupos cancelam reunião com Cid e tentam pauta unificada

290 3

“Os grupos que estão promovendo as manifestações em Fortaleza decidiram ontem, em um encontro pela manhã no Centro Cultural Dragão do Mar, cancelar a reunião com o governador Cid Gomes (PSB), prevista para esta semana. Na reunião, os participantes mostraram-se preocupados com a possibilidade de o governador do Estado passar a pautar os rumos do movimento.

Na última sexta-feira, um grupo de nove manifestantes teve um encontro com o governador, com o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PSB) e outras autoridades. Como o grupo alegou não representar todos os manifestantes, Cid agendou nova reunião para esta semana com um número maior de pessoas para esta semana.

Dos nove estudantes que conversaram com Cid, apenas dois estavam presentes ontem. Um deles, Gabriel Bonadies, por diversas vezes, foi interrompido por críticas de pessoas que o acusavam de ter ligações com o governador e de não representar o grupo. “Se tentarem hostilizar todas as pessoas que tentam organizar o movimento, não anda”, disse Bonadies, que reiterou não assumir liderança.”

(O POVO)

 

O que faz os manifestantes rejeitaram tanto os partidos políticos

187 2

“O mais importante é que a galera não está indo por partido e sim cada um por si.” A frase é da estudante Jéssica Loyola, 22, que na última quarta-feira, 19, se encaminhava para o protesto em Fortaleza. Se em outros momentos de efervescência política no Brasil as siglas partidárias tomaram a frente do processo, dessa vez elas foram deixadas à margem pelos próprios cidadãos.

Não foram poupadas nem mesmo as agremiações de esquerda, que historicamente têm maior penetração junto aos movimentos sociais e grupos estudantis. Pelo contrário, essas siglas foram alvo, sendo que militantes foram expulsos e até agredidos em alguns casos. O que teria gerado esse descontentamento, que em alguns momentos descamba para a intolerância?

Para os especialistas, os partidos teriam falhado no seu papel básico de intermediários entre a sociedade civil e o Estado. Aqueles que estão indo às ruas não têm demandas bem definidas, mas sabem que querem serviços públicos de qualidade e um sistema democrático capaz de oferecer maior participação popular na política – coisas que os partidos até agora não conseguiram proporcionar. Esse descontentamento também se dá em outros países.

É um problema da representação política, algo que já ocorreu recentemente na Europa e nos Estados Unidos e que agora chega ao Brasil. “É preciso que a estrutura política incorpore novos elementos de participação, pelos quais a sociedade possa, por exemplo, propor leis e discussões no Congresso”, explica Ricardo Monteagudo, especialista em Filosofia Política da Universidade Estadual Paulista (Unesp). Alguns mecanismos do tipo, lembra ele, já existem, mas está evidente que precisam ser alargados e aperfeiçoados.

“As pessoas veem o uso de partidos como instrumento de jogatina política. Elas não se sentem mais representadas pelos partidos e vão às ruas para representar a si mesmas”, reflete o cientista político Uribam Xavier, da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Dispensar partidos é bom?

Mas o curioso é que esse desgaste parece ter vindo cedo demais em uma democracia jovem como a do Brasil, onde os partidos só se reorganizaram após o fim do regime militar, há menos de 30 anos. Nos protestos dos últimos dias, não ficou claro se o movimento é apartidário (que não pertence a nenhum partido) ou antipartidário (que é contrário, hostil aos partidos em geral). Seria mesmo pertinente e adequado que agora tais instituições fossem literalmente afastadas das discussões relevantes e dos movimentos sociais?

Na opinião do presidente da ONG Instituto Politizar, Célio Studart, isso não só é inadequado, mas também arriscado, pois pode criar um distanciamento ainda maior entre sociedade e política. Segundo ele, exigir mais instrumentos de participação popular e ao mesmo tempo querer impedir a entrada dos partidos é contraditório e pode até prejudicar o futuro desses movimentos. “As pessoas estão buscando uma democracia mais participativa, mas isso não vai acontecer se os partidos e os políticos não comprarem essa ideia”, adverte.

(O POVO)

Partidos de esquerda devem aprender lição que vem das ruas

282 6

Da coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (23):

O movimento que tomou as ruas além de poder tonificar as instituições democráticas deu uma lição nos partidos da esquerda que se afastaram dos movimentos sociais e se confundiram com o governo e as benesses do poder. Defender a legitimidade do governo não deve significar ser correia de transmissão deste. Mesmo porque se trata de uma coalizão dentro da qual a esquerda tem apenas uma parte do espaço, a composição abrange forças conservadoras com interesses próprios.

Ou os partidos de esquerda voltam para seu lugar de origem junto ao povo, ou perderão o trem-bala da História. A própria presidente Dilma ganhou a oportunidade de se livrar mais das amarras impostas pelos aliados conservadores e passar a se apoiar mais na sociedade organizada: esta prefere vê-la em conflito com o status quo – mesmo que perca parte da base parlamentar – a se confundir com o establishment. Entendem ser melhor os campos ficarem claramente definidos, segundo se depreende das manifestações populares.

Comissão de Educação examina adiamento de feriados para as sextas-feiras

O projeto que trata do adiamento dos feriados que caem no meio de semana para a sexta-feira vai voltar à pauta da Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE), na reunião de terça-feira (25).

Do deputado Marcelo Castro (PMDB-PI), o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 108/2009 propõe que sejam comemorados nas sextas-feiras os feriados que caírem nos demais dias da semana, com exceção dos que ocorrerem nos sábados e domingos e os dos dias 1º de janeiro (Confraternização Universal), 7 de setembro (Independência) e 25 de dezembro (Natal). A proposta também não se aplica a feriados estaduais e municipais.

O senador Antônio Carlos Valadares (PSB-SE) sugeriu uma emenda estabelecendo que os feriados de 12 de outubro (Dia de Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil) e do dia de Corpus Christi (feriado religioso móvel) também sejam comemorados na própria data. O relator, senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), é favorável ao projeto, que tramita em caráter terminativo.

A comissão ainda vai analisar o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 84/2010, que institui a segunda semana de agosto como a Semana Nacional da Saúde Masculina. O relator, senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR), é favorável ao projeto, que tramita em caráter terminativo.

(Agência Senado)

Comissão discutirá venda de pacotes turísticos pela internet

A Comissão de Defesa do Consumidor vai realizar audiência pública para analisar a venda de passagens áreas e pacotes de viagem pela internet. Integrantes da comissão têm recebido denúncias e reclamações sobre as empresas Decolar.com, ViajaNet.com e Submarino Viagens. Elas têm sido acusadas de práticas desleais de concorrência e de omitir informações ao consumidor.

O presidente da comissão, deputado José Carlos Araújo (PSD-BA), foi quem pediu a realização do debate. Ele explicou que essas empresas não informam, nos anúncios nos sites, sobre as taxas e encargos incidentes sobre os preços dos produtos. Assim, o consumidor só fica sabendo o valor real da passagem aérea ou do pacote turístico quando está finalizando a compra pela internet.

“Essas empresas oferecem preços mais baratos em relação aos praticados pelas companhias aéreas. Mas apenas como chamariz. No entanto, há algumas tarifas que não estão evidenciadas e o consumidor acaba arcando com outros custos, que, em um primeiro momento não são demonstrados. Todas essas reclamações têm chegado à comissão e o grande argumento é de propaganda enganosa.”

(Agência Câmara de Notícias)

Dinheiro de estádios não compromete Orçamento para educação e saúde, diz Dilma

297 6

O dinheiro gasto nos estádios para a Copa do Mundo não compromete os recursos para a saúde e a educação, disse há pouco a presidenta Dilma Rousseff. Em pronunciamento em cadeia nacional de rádio e TV, ela explicou que as arenas são construídas com recursos de financiamentos de bancos oficiais, como o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a empresas e a governos.

“Em relação à Copa, quero esclarecer que o dinheiro do governo federal, gasto com as arenas, é fruto de financiamento que será devidamente pago pelas empresas e pelos governos que estão explorando esses estádios”, ressaltou a presidenta. “Jamais permitiria que esses recursos saíssem do Orçamento público federal, prejudicando setores prioritários como a saúde e a educação”.

A presidenta pediu ainda que os brasileiros recebam bem os estrangeiros que virão ao Brasil para o torneio. “Precisamos dar aos nossos povos irmãos a mesma acolhida generosa que recebemos deles. Respeito, carinho e alegria. É assim que devemos tratar os nossos hóspedes”, declarou.

A presidenta destacou que o esporte deve servir para estimular a paz, não conflitos. “O futebol e o esporte são símbolos de paz e convivência pacífica entre os povos. O Brasil merece e vai fazer uma grande Copa”, concluiu.

(Agência Brasil)

Psicólogos e movimentos sociais protestam contra projeto da “cura gay”

227 1

Mais de mil pessoas se concentraram na Praça Roosevelt, centro paulistano, nessa sexta-feira (21), para protestar contra o projeto da “cura gay” que tramita na Câmara dos Deputados. A proposta revoga dos trechos da Resolução nº 1/99 do Conselho Federal de Psicologia (CFP), que proíbe os profissionais da área de participar de terapia para alterar a orientação sexual e de atribuir caráter patológico (de doença) à homossexualidade.

O projeto, de autoria do deputado João Campos (PSDB-GO), foi aprovado na Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) na última terça-feira (18). O texto, no entanto, ainda precisa ser votado pelas comissões de Seguridade Social e Família e de Constituição e Justiça (CCJ) antes de ir para o plenário da Casa.

Após a concentração com discursos e música, os manifestantes subiram a Rua da Consolação até a Avenida Paulista. O protesto foi organizado pelo Conselho Regional de Psicologia de São Paulo com apoio de movimentos de lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros (LGBT).

“É inadmissível essa proposta de ‘cura gay’. Nós não aceitamos a homossexualidade como doença”, disse a presidenta do conselho, Maria de Fátima Nassif. “O psicólogo pode, se for procurado, tratar um homossexual tranquilamente, mas, para ajudá-lo com o sofrimento que ele possa ter advindo da sua condição ou não. Sofrimento por homofobia, por opressão ou outros da natureza humana”, acrescentou ao enfatizar que considera o projeto uma ingerência no exercício da psicologia.

A estudante de serviço social, Rita de Cássia, disse que se sente discriminada pela proposta. “Se a gente é igual perante as leis, porque não os nossos direitos?”, questionou. Enquanto o estudante de direito, Jonas Del Nobile, acredita que falta sensibilidade dos legisladores para ouvir a sociedade. “É muita arrogância, muita prepotência, muita falta de consideração que essas coisas aconteçam sem que você consulte as pessoas se isso realmente interessa para a população”, criticou.

Para a veterinária Carolina Parsekian as discussões sobre o projeto ajudaram a trazer à tona o preconceito velado contra os homossexuais. “Eu sempre fui simpatizante com o movimento gay, tenho vários amigos gays. Eu acho que o Brasil tem um preconceito velado”.

(Agência Brasil)

Prefeito Roberto Cláudio recebe comissão de manifestantes na segunda-feira

Após quase duas horas de reunião entre secretários e representantes da manifestação que ocorreu em frente ao Palácio do Bispo, no Centro, na noite desta sexta-feira (21), o prefeito Roberto Cláudio definiu que receberá na segunda-feira (24) uma comissão de manifestantes.

A comissão deverá apresentar ao prefeito uma pauta de reivindicações, que será apreciada por Roberto Cláudio e secretários das áreas citadas pelos manifestantes.

Na tarde desta sexta-feira, o prefeito Roberto Cláudio, ao lado do governador Cid Gomes, esteve reunido com manifestantes que ocuparam as proximidades do Palácio da Abolição, sede do Governo do Estado, e da Assembleia Legislativa.

CNN exibirá neste sábado reportagens especiais sobre manifestações no Brasil

489 2

A CNN International vai exibir, neste sábado, uma reportagem especial sobre as manifestações que se espalham pelo Brasil há duas semanas. Para descobrir o que tem alimentado o descontentamento da população, os correspondentes Shasta Darlington, em São Paulo, e Matthew Chance, no Rio de Janeiro, consultaram desde moradores de favelas até pessoas de classes mais altas da sociedade. Em pauta, a pergunta: afinal, por que eles estão protestando? O resultado dessa investigação vai ao ar ao longo da programação.

Desde a primeira reação popular, a CNN International acompanha de perto todos os acontecimentos no país.

O portfólio de notícias e serviços de informações da CNN está disponível em cinco idiomas diferentes através de todas as principais plataformas de TV, internet e mobile alcançando mais de 375 milhões de domicílios ao redor do mundo.

fabiolimaa

(Foto – Fábio Lima/O POVO)

Pesquisadores – Protestos são importantes, mas não se sabe em que vão resultar

“Pesquisadores de diferentes áreas do conhecimento, reunidos hoje (21), na Universidade de São Paulo (USP), destacaram a importância das manifestações que ocorrem em todo o país para demonstrar o anseio de participação política da sociedade brasileira. Eles disseram, porém, que não sabem ao certo em que esse movimento pode resultar. “Essas pessoas estão insatisfeitas pela forma como são representadas”, afirmou o filósofo Renato Janine Ribeiro, professor de ética e filosofia política da USP, ao participar do debate O que está acontecendo?. Para ele, de alguma forma, o movimento é contra as instituições. “De tempos em tempos, a política precisa ser irrigada por uma injeção forte de vida, mesmo que essa vida não saiba como se expressa, mas para mostrar que política é um meio, e não um fim. Quando se fala em necessidade de participação política, não é aquela feita em moldes tradicionais”, explicou.

O cientista político José Álvaro Moisés, responsável pelo Núcleo de Pesquisa de Políticas Públicas da USP, apontou como pano de fundo das mobilizações “um profundo mal-estar com a democracia existente no Brasil”. Segundo Moisés, isso não nega a existência de um regime democrático, mas faz referência à qualidade da democracia brasileira. “Tivemos avanços extraordinários em termos de reconhecimento de direitos nas últimas décadas, mas, visivelmente, tem áreas em que ela [democracia] funciona mal, e provavelmente o maior déficit é o da representação.”

O historiador em literatura brasileira Alfredo Bosi, professor aposentado da USP, também destacou a necessidade de repensar o modelo de participação política no país. Para ele, as manifestações expõe um problema vital, que é “como tornar viável uma democracia participativa, que me parece o ideal, e pela qual os grande problemas da cidade possam ser tratados com alguma racionalidade.” declarou.

Já o sociólogo Bernardo Sorj, professor aposentado da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), lembrou que houve nos últimos anos uma neutralização da participação política no país, sobretudo pela chegada ao poder do PT, que exercia um forte papel de mobilização. “Houve castração da vida política no Brasil pela capacidade de cooptar boa parte dos movimentos sociais, dos sindicatos, dos grêmios universitários, da sociedade civil. Portanto, nos surpreendemos porque nos acostumamos a uma postura apolítica”, disse ele.

O papel das mobilizações como instrumento de rompimento do “tédio” foi apontado pela psicóloga Sylvia Dantas, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). “Nós estávamos tomados por um estado de melancolia, de que as coisas estão tão complexas que não há como sair disso. Convivia-se com a ideia de que a nossa juventude estava alienada e todos estavam tomados pela passividade.” Sylvia acredita que este é um momento de catarse: “as pessoas estão colocando para fora a vigência de uma dissonância cognitiva, que, na psicologia, é explicada como o fato de que a percepção da realidade não está de acordo com o que é dito”.”

(Agência Brasil)

* VEJA o comentário do jornalista Augusto Nunes. Ele diz que falta grandeza a Dilma Rousseff no momento em que o País vive a onda de protestos. AQUI.