Blog do Eliomar

Categorias para Política

Temer convoca reunião para discutir restauração do Museu Nacional

O presidente Michel Temer faz mais uma reunião nesta quarta-feira (5), no Palácio do Planalto, para discutir atividades de recuperação do Museu Nacional do Rio de Janeiro, destruído por um incêndio há três dias. Ele chamou autoridades da cultura e representantes de instituições bancárias públicas e privadas na tentativa de organizar o grupo que vai atuar no processo de restauração do museu.

Temer quer montar uma espécie de rede de apoio para reconstrução do Museu Nacional no menor tempo possível. As parcerias devem definir mecanismos para que as empresas se associem na reconstrução do edifício e na busca pela recomposição do acervo destruído pelas chamas.

Algumas das alternativas para viabilizar o projeto se baseiam na Lei Rouanet, principal política de incentivos fiscais. Pela lei, empresas e cidadãos (pessoas físicas) ao aplicarem em cultura, poderão ter dedução do Imposto de Renda. O percentual disponível é de 6% do tributo para pessoas físicas e 4% de IRPJ para pessoas jurídicas.

Integrantes

Devem participar da reunião no Palácio do Planalto, o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, os presidentes do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Dyogo Oliveira, e diretores da entidade e da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), Murilo Portugal Filho.

Também foram convidados os presidentes da Caixa Econômica Federal, Nelson Antônio de Souza, do Banco Safra, Rossano Maranhão Pinto, do Banco Santander, Sérgio Agapito Lires Rial, do Banco BTG Pactual, Roberto Balls Sallouti, do Banco Bradesco, Octavio de Lazari Junior, e do Itaú Unibanco, Cândido Botelho Bracher.

São esperados ainda o presidente em exercício da Petrobras, Rafael Mendes Gomes, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Kátia Bogéa, do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Marcos Mantoan e Eneida Braga, uma das diretoras do órgão.

(Com Agência Brasil)

Aprovada MP que concede subsídio para reduzir preço do diesel

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou, nesta terça-feira (4), por meio de acordo, a Medida Provisória (MP) 838/18 que concede subsídio na comercialização do óleo diesel de até R$ 0,30 por litro. Ao todo, serão destinados R$ 9,5 bilhões para garantir o desconto total de R$ 0,46 no litro do combustível para cobrir parte dos custos das distribuidoras. O texto aprovado, que garante subsídio até 31 de dezembro de 2018, segue para apreciação do Senado.

Aprovado em forma de projeto de lei de conversão, o texto limita o pagamento da subvenção à venda de óleo diesel de uso rodoviário. Dessa forma, não inclui o subsídio ao óleo diesel marítimo, ferroviário ou para geração de energia elétrica. Caberá à Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) estabelecer um preço de referência e um preço de comercialização para a distribuidora de forma regionalizada.

Greve dos Caminhoneiros

A MP foi editada para atender a uma das principais reivindicações dos caminhoneiros que paralisaram em todo país no mês de maio. Para completar o benefício de R$ 0,46 de desconto no diesel, foram reduzidos impostos que incidem diretamente sobre o diesel, como PIS/Cofins e a Cide, no total de R$ 0,16, e que equivalem a R$ 4 bilhões.

Os recursos do subsídio são oriundos de uma reserva de contingência financeira do governo, no valor de R$ 6,2 bilhões, de uma outra reserva de capitalização de empresas públicas, no valor de R$ 2,1 bilhões, além do cancelamento de despesas discricionárias de vários ministérios, que somam R$ 1,2 bilhão.

Esforço concentrado
Esta é a última semana de votação na Câmara dos Deputados antes das eleições de outubro. O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou antes do início da sessão que o plenário precisava aprovar a MP, já que perderá validade em outubro.

“O ideal para todos é que a gente conseguisse acordo para votar duas ou três medidas provisórias, incluindo Fundo Soberano e a medida provisória do diesel, porque ela também perde validade logo depois da eleição, logo depois do primeiro turno. Se não for votada hoje, vai ter dificuldade de votar nas duas Casas até o fim da sua validade”, disse Maia.

(Agência Brasil/Foto – Fábio Lima)

Audic e Eduardo Bismarck inauguram comitê em Tauá

Audic e Eduardo Bismarck.

O deputado estadual Audic Mota, que postula reeleição, inaugurou comitê em Tauá (Região dos Inhamuns). Com ele, Eduardo Bismarck (PP), candidato a deputado federal. O ato aconteceu nessa noite de terça-feira, com uma concentração nao lado do Colégio Jorge Massilon e chegada na sede do comitê, na avenida Coronel Lourenço Feitosa, 91, Centro.

Audic Mota agradeceu aos militantes. Ao lado de Eduardo Bismarck, reafirmou compromisso com a geração de emprego, principalmente para a juventude, e a implantação da Universidade Federal nos Inhamuns.

(Foto – Divulgação)

Camilo realiza carreata em Caucaia

201 1

O governador Camilo Santana (PT), candidato à reeleição, participou na noite desta terça-feira (4), em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza, de uma carreta pelas principais ruas e avenidas do município.

Nesta quarta-feira (5), Camilo participa de caminhada nos bairros Serrinha e Messejana.

(Foto: Divulgação)

Prefeito de Santana do Acaraú se apresenta à Polícia e é preso

O prefeito de Santana do Acaraú, Marcelo Arcanjo, apresentou-se nesta terça-feira, 4, na Delegacia Geral de Polícia Civil, no Centro de Fortaleza. Fonte ligada à Polícia Civil informou que o gestor foi até a unidade prisional para prestar o depoimento acerca da morte de um ex-funcionário. No entanto já havia mandado de prisão em aberto em desfavor de Arcanjo.

Marcelo Arcanjo é suspeito de ter assassinado o ex-funcionário Augusto Cesar do Nascimento, na quarta-feira, 29. Após o crime, ele havia se evadido e esteve foragido durante seis dias. Com o tempo decorrido, ele livrou o flagrante. Porém, havia sido emitido mandado de prisão.

Nesta terça-feira, o prefeito buscou o Departamento de Polícia do Interior. Lá, ele foi ouvido pelo delegado Marcos Aurélio. O mandado de prisão contra o prefeito é temporário.

No dia do crime o prefeito fugiu em um veículo, que foi encontrado. Uma série de falsas informações sobre o paradeiro do gestor de Santana do Acaraú começaram a ser plantadas nas redes sociais. Falsas informações de que o prefeito havia cometido suicídio em Itarema e em Morrinhos chegaram à Polícia, que foi nas duas localidades, mas não encontrou nada. Naquele momento, o tenente-coronel Assis informou que poderia ser uma ação para desviar o foco da PM e deslocar as viaturas que estavam em busca do suspeito.

Edilane Monte, prima de Augusto, relatou ao O POVO que no início da noite do crime, por volta das 18h30min, o prefeito chegou à casa da família procurando o seu ex-funcionário. Augusto havia sido exonerado dias antes.

Ela disse que o prefeito chegou à porta da casa de Augusto e perguntou por ele. Então, Marcelo Arcanjo entrou na residência e foi em direção da vítima. Fazendo gesto de que iria abraçá-lo. Ninguém desconfiava da intenção de Marcelo, segundo ela narra.

“Ele chegou e agarrou o meu tio e mandou um tiro no peito. Aqui mesmo ele caiu”, disse Edilane. A jovem conta que, após o tiro, a mãe de Augusto chegou ao prefeito e o expulsou da casa desesperada.

Homem assassinado quase não pode ser enterrado por falta de aval do prefeito e túmulo é arrombado

(Com O POVO Online – Repórter Jéssika Sisnando)

Vereador cobra nomeação de oficiais de justiça aprovados em concurso

O vereador Iraguassú Filho (PDT) cobrou, nesta manhã de terça-feira, da tribuna da Câmara Municipal, a nomeação de 23 novos oficiais de justiça aprovados no último concurso público realizado pelo Poder Judiciário. O certame deve perder a validade ainda este mês.

Iraguassú, que também é oficial de justiça, lembrou que, na semana passada, um relatório do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) mostrou que o judiciário cearense é o mais lento do País, com menor índice de resolução de processos.

“O judiciário cearense só vai melhorar com magistrados e servidores suficientes para executar os trabalhos” afirmou o vereador.

(Foto = CMFor)

A decisão do TSE contra Lula

Com o título “A decisão do TSE”, eis artigo do jurista Martonio Mont’Alverne. Num dos trechos do seu texto, ele diz que hoje “os adversários de Lula, de todos os campos, comemoram com maior ou menor impulso a decisão. Amanhã, sentirão o peso sobre sua liberdade e propriedade da comemoração com a qual hoje de refestelam.” Confira:

A decisão do TSE contra a candidatura de Lula não causou a menor surpresa, porém não pelo fato de assim estar na lei e na jurisprudência. Não surpreendeu porque foi mais um episódio confirmador da seletividade do Poder Judiciário em agir contra Lula. O art. 16-A da Lei 9504 é claro e já foi aplicado pelo mesmo TSE. Seria ingenuidade acreditar na possibilidade de ser aplicada em favor de Lula o mesmo que se aplicou em inúmeros outros casos. Quatro ministros do STF – três estavam na sessão de 31.08 passado – não deixaram dúvida quanto à validade e obrigação de cumprir determinações internacionais decorrentes de tratados dos quais o Brasil é signatário. Dos três presentes no TSE, somente um divergiu e manteve a coerência com sua produção intelectual e manifestações públicas anteriormente expressadas.

O estado feudal era um estado divino, e na religião baseava suas leis; a burguesia revolucionária rompeu esta ideia e estruturou o que até hoje chama de estado de direito. Revoluções a partir de 1848 impuseram ao Estado de Direito o elemento igualitário da democracia de todos, e não somente de letrados e ricos; desafio a persistir até hoje. A insuficiência do modelo de estado de direito deixa-se traduzir me momentos como o que se vive no Brasil atualmente.

Quando se tem o começo de situações a apontarem na direção de uma modernidade de menor desigualdade, o Estado de Direito, construído pelos própria ordem, encontra no seu interior o refúgio para escapar de cumprir o que o mesmo Estado de Direito pactuou: “A legalidade é a nossa morte”, bradaram desesperados os conservadores na França após constatarem que a igualdade revolucionária estava mesmo a florescer. Trataram, por meio dos tribunais, de esvaziar esta legalidade com sentidos opostos ao que a letra da lei previa.

Hoje os adversários de Lula, de todos os campos, comemoram com maior ou menor impulso a decisão. Amanhã, sentirão o peso sobre sua liberdade e propriedade da comemoração com a qual hoje de refestelam.

*Martonio Mont’Alverne

Professor da Unifor e procurador do Município de Fortaleza.

Policiais federais prometem reagir à MP que suspende reajuste salarial

A Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) divulgou nota repudiando a decisão do governo Temer de suspender reajuste dos servidores públicos federais. A categoria promete reagir. Confira:

Policiais federais receberam com indignação a publicação da Medida Provisória 849/2018, que suspende o pagamento de reajustes do serviço público previsto em lei. A Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), entidade que representa os mais de 14 mil policiais federais, destaca que a medida fere o inciso XV, artigo 37, da Constituição Federal, que prevê a irredutibilidade dos subsídios e vencimentos dos servidores públicos.

Ademais, a entidade lembra que a matéria já foi objeto de controle de constitucionalidade. No ano passado, o ministro Ricardo Lewandowski suspendeu a eficácia de diversos artigos da Medida Provisória 805/2017, que guarda estreita literalidade ao texto da MP recém-publicada, mantendo as datas previstas para implementação dos reajustes. Na ocasião, o ministro destacou que a medida não era razoável, visto que “dois ministros de Estado e o próprio presidente da República já haviam classificado o reajuste como necessário e adequado, sobretudo porque não atentaria contra o equilíbrio fiscal”.

Nesse contexto, o encaminhamento da MP pelo Executivo caracteriza total incapacidade do governo atual de gerenciar o Brasil e de manter compromissos firmados com os brasileiros. São vários problemas acumulados, além de questões não resolvidas e reformas que poderiam ter sido realizadas preventivamente, inclusive com auditoria da dívida pública.

No entanto, o governo opta por continuar sacrificando os servidores públicos, inclusive aqueles que atuam em áreas essenciais e sensíveis à população, especialmente em períodos de crise e instabilidade institucional, como é o caso das polícias Federal e Rodoviária Federal.

A entidade também manifesta preocupação com informações divulgadas pela imprensa sobre um possível acordo entre o presidente Michel Temer e ministros do Superior Tribunal Federal (STF) para garantir o reajuste do Judiciário, em face do adiamento do reajuste dos demais servidores. Para a Fenapef, a negociação é absurda: não há motivo para que o STF despreze a interpretação do ministro Ricardo Lewandoski quando da apreciação da MP 805. Além disso, considera imoral qualquer pacto que tenha como objetivo o sacrifício da correta interpretação do ordenamento jurídico brasileiro em detrimento de interesses pessoais e corporativistas.

A Fenapef se compromete com os policiais federais brasileiros em tomar todas as medidas cabíveis para garantir o cumprimento das obrigações do governo para com os servidores públicos e já estuda a realização de mobilizações em todos os estados brasileiros e ações junto ao Congresso Nacional para defender o direito das categorias atingidas pela medida provisória.

*Diretoria da Fenapef.

Quantas balas vale seu voto?

Com o título “Quantas balas vale seu voto?”, eis artigo de Eliziane Colares, publicitária e empresária. Ela expõe o quadro da violência no Rio, onde um general convocado não consegue resolver a situação. “Enquanto muitos estão iludidos, apostando seus votos em políticos com formação militar, que prometem resolver os problemas do Brasil “à bala”, o caso do Rio de Janeiro nos prova que isso é conversa para enganar tolos”, diz o texto. Confira:

Passados seis meses da intervenção militar na segurança pública no Rio, o Brasil faz seu balanço. O número de tiroteios continua batendo recordes. Segundo dados do aplicativo Fogo Cruzado, de fevereiro a agosto deste ano foram registrados cerca de 5 mil tiroteios na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, contra pouco mais de 3 mil registrados no mesmo período de 2017. Um crescimento de 60%.

Outro aplicativo, o Onde Tem Tiroteio (OTT), registrou 43 tiroteios no dia 20 de agosto, batendo o recorde de tiroteios deste ano em um único dia. O recorde anterior foi no mês de julho, com 37. E as tragédias seguem como notícias cotidianas que tendem a virar paisagem. Pessoas são atingidas por balas perdidas até dentro de hospitais. Crianças, adolescentes, pais de família, militares e policiais com vidas interrompidas aumentam o saldo de famílias dilaceradas. Por mais que consideremos as peculiaridades da violência do Rio, a verdade é que a solução não está nas mãos dos militares.

Enquanto muitos estão iludidos, apostando seus votos em políticos com formação militar, que prometem resolver os problemas do Brasil “à bala”, o caso do Rio de Janeiro nos prova que isso é conversa para enganar tolos.

Sem um plano disruptivo para a educação, sem oferecer igualdade de oportunidades, sem suprir o gap histórico da garantia de condições dignas de vida, sem acesso pleno à saúde, lazer, cultura e esporte, o Brasil não vira esse jogo. É aí que reside a minha teoria de uma linha de produção de marginais. São pessoas excluídas que vivem à margem da sociedade e que tendem a reproduzir o padrão de famílias desestabilizadas e impotentes para proteger os filhos da vulnerabilidade social. Juntam-se aí as escolas sucateadas, que não conseguem oferecer educação de qualidade, e a corrupção sistêmica encrustada em toda a sociedade, potencializando as perversas desigualdades socioeconômicas. Tudo isso é vetor para a violência. E tudo isso tem a ver com o seu voto.

*Eliziane Colares

eliziane@advance.com.br

Publicitária, empresária, graduada em Economia e pós-graduada em Comunicação e sócia da Advance.

Se houver quorum, veto presidencial ao reajuste dos agentes comunitários de saúde cai, diz tucano

“Se tiver quórum, a gente derruba!”, disse, nesta terça-feira, o deputado federal Raimundo Gomes de Matos (PSDB), ao se referir ao veto presidencial ao reajuste salarial dos agentes comunitários de saúde.

O parlamentar já se encontra em Brasília para reforçar o lobby por essa matéria, que é de sua autoria.

(Foto – Agência Câmara)

Lava Jato – PF e MPF cumprem mandados de prisão no Rio e na Bahia

Cinco mandados de prisão preventiva contra acusados de lavagem de dinheiro e evasão de divisas estão sendo cumpridos hoje (4) no Rio de Janeiro e na Bahia pela força-tarefa da Lava Jato no Rio. Também estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão em endereços de nove pessoas e três empresas.

A chamada Operação Marakata é um desdobramento da Operação Câmbio Desligo e investiga um esquema de comércio ilegal de pedras preciosas e semipreciosas para lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), entre 2011 e 2017 essas transações movimentaram 44 milhões de dólares (aproximadamente R$ 180 milhões) em duas contas internacionais.

Ainda de acordo com o MPF, o esquema tinha ligação com a rede de negócios de Dario Messer, conhecido como “doleiro dos doleiros”, cujas transações irregulares movimentaram mais de 1,6 bilhão de dólares em contas de 3 mil empresas offshore em 52 países, e que tinha como cliente o ex-governador Sérgio Cabral (denunciado na Câmbio Desligo junto com Messer). Cabral está preso no Rio.

Entre os alvos da Operação Marakata figuram Marcello Luiz Santos de Araújo e Daisy Balassa Tsezanas, sócios-administradores da empresa Comércio de Pedras O S Ledo.

Segundo o MPF, eles trabalham comprando esmeraldas e outras pedras de garimpos na Bahia e as exportam para empresários indianos usando notas fiscais e invoices falsos (termo em inglês equivalente a uma nota fiscal no mercado internacional).

A O S Ledo é investigada pelo MPF e pela Polícia Federal por ter status equiparado ao de doleiros que forneciam dólares no exterior para as operações de compensação paralela que vieram a público na Operação Câmbio Desligo.

“Os dólares provinham de pagamentos por fora com a exportação de esmeraldas e outras pedras para empresas, principalmente da Índia e Hong Kong (como Golden Whell Impex, Gloria International Trading, Gemoro, Kge Rough Gems, Precious Gems, Akar Gems, Beads Paradise e Unique Gems). Parte dos valores era internalizada no país pelo sistema de dólar-cabo invertido e usado para pagamentos em reais, também por fora, aos garimpeiros e atravessadores com os quais a O S Ledo negociava as pedras no mercado nacional”, diz nota divulgada pelo MPF.

(Agência Brasil)

Garotinho é condenado por injuriar desembargador Luiz Zveiter

O ex-governador do Rio de Janeiro e candidato a retornar ao posto Anthony Garotinho (PRP) foi condenado a prestar serviços comunitários e pagar multa por ter injuriado o desembargador do Tribunal de Justiça do Rio Luiz Zveiter. Em setembro de 2017, Garotinho escreveu em seu blog que um emissário de Zveiter tentou pressioná-lo para não denunciar supostos crimes do magistrado. A informação é do site Consultor Jurídico.

Zveiter então apresentou queixa-crime por injúria, difamação e calúnia contra o ex-governador. Depois desistiu dos últimos dois delitos, mantendo a ação penas pelo primeiro. Em sua defesa, Garotinho argumentou que a renúncia à apuração dos de difamação e calúnia constituiria perdão tácito. Ele também alegou que não praticou crime no texto.

A juíza Marta de Oliveira Cianni Marins, da 23ª Vara Criminal, apontou que o texto de Garotinho ofendeu a honra de Zveiter. Logo, ele cometeu injúria, avaliou. Ela também entendeu que a pena do ex-governador deveria ser aumentada em um terço, uma vez que o crime foi cometido contra funcionário público, com mais de 60 anos, e por meio que facilite a divulgação da ofensa.

Assim, Marta condenou Garotinho a 1 mês e 10 dias de detenção, convertidos em prestação de serviços à comunidade pelo mesmo período. O político também foi sentenciado a pagar 20 salários mínimos a Zveiter – o equivalente a R$ 19 mil.

À ConJur, Garotinho disse que não mentiu.

(Foto – Divulgação)

Mansão e bens e Sérgio Cabral vão a leilão nesta terça-feira

A mansão do ex-governador Sérgio Cabral (MDB), à beira-mar em Mangaratiba, será levada a leilão nesta terça-feira (4). O interessado na propriedade, o condomínio Portogallo, na Costa Verde fluminense, deverá desembolsar, no mínimo, R$ 8 milhões – menor valor estipulado pela Justiça.

Com 462 metros quadrados, a mansão tem cinco suítes, sauna e churrasqueira, além de dois quartos de empregados. No quintal, há sala de ginástica, sauna com paredes de vidro e duas piscinas.

A venda dos bens do ex-governador do Rio, condenado em processos da Lava Jato e preso no Complexo de Bangu, pode ser acompanhada no auditório da Justiça Federal, no centro do Rio. Caso o comprador queira discrição, pode acompanhar o leilão pela internet.

Opções

A mansão de Mangaratiba não é o único bem que o principal personagem da Lava Jato no Rio entregou para a Justiça. Uma lancha de 80 pés (cerca de 24 metros), batizada de Manhattan Rio, também vai a leilão. Com dois quartos e duas suítes, sala de estar, sala de jantar e bar, ela não sairá por menos de R$ 4 milhões.

Na lista de bens ainda serão leiloados um jipe blindado, marca Land Rover, avaliado em R$ 120 mil, um veículo Hyundai Azera, também blindado, por R$ 76 mil, uma moto-aquática, por R$ 45 mil, e um bote inflável com motor, avaliado em R$ 50 mil. O total de bens de Cabral à venda soma R$ 12,5 milhões.

Réus

Outros réus na Operação Lava Jato, que faziam parte da equipe de governo de Cabral, também terão seus bens leiloados. Ary Filho, que era operador financeiro do ex-governador, terá cinco imóveis colocados à venda.

Na lista de bens de Ary Filho estão um apartamento com 268 metros quadrados, na Barra da Tijuca, a R$ 4,5 milhões, um apartamento, de 249 metros quadrados, também na Barra da Tijuca, a R$ 3,7 milhões, um apartamento na Barra, com 289 metros quadrados, a R$ 3 milhões, todos na Avenida Lúcio Costa, à beira mar.

Também serão leiloados um apartamento em Jacarepaguá, de 100 metros quadrados, a R$ 580 mil, e uma sala comercial, de 95 metros quadrados, a R$ 830 mil. O total de bens de Ary Filho que serão leiloados soma R$ 12,9 milhões.

O ex-secretário de Obras e operador financeiro de Cabral, Hudson Braga, terá leiloados seis relógios de luxo, com preços que vão de R$ 5 mil a R$ 12 mil, totalizando R$ 53 mil.

Caso não haja comprador para os bens pelo preço mínimo, um novo leilão já foi marcado, para o próximo dia 13, pela melhor oferta, desde que o lance não seja inferior a 80% do valor.

(Agência Brasil/Foto – Reprodução do Youtube)

Prefeitura deflagra operação de prevenção e combate ao mosquito da dengue

Da Coluna do Eliomar de Lima, no O POVO desta terça-feira:

Vem aí a Operação Inverno 2019, que tem por objetivo prevenir e combater as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti em Fortaleza. A ação, segundo o coordenador municipal da Vigilância e Atenção à Saúde, Nélio Morais, terá início no próximo mês e se estenderá até dezembro envolvendo cinco secretarias e buscando engajar a população. “Faremos uma operação de intersetorialidade, portanto”, afirma Morais.

Nesse aspecto, a Secretaria de Conservação e Serviços Públicos fará o recolhimento de pneus e limpará pontos estratégicos; a Defesa Civil se encarregará da limpeza dos canais; a Secretaria de Urbanismo e Meio Ambiente atacará o lixo dos recicláveis; a Secretaria da Educação levará palestras e campanhas educativas para a rede escolar municipal, enquanto a Secretária da Saúde agirá, conforme Nélio Morais, com seus agentes comunitários de saúde em busca dos focos do mosquito.

A meta é manter o controle antes das chuvas. Ano passado, houve redução, em 95%, dos casos de doenças transmitidas pelo Aedes aegypti.

(Foto  Arquivo)

Zé Airton diz que votará contra reajuste do Judiciário

O deputado federal José Airton (PT) avisa: votará contra o aumento salarial de 16,38% que o governo Michel temer vai propor, em mensagem, para membros do Judiciário, procuradores, o que deve gerar efeito cascata até pró-Congresso.

O parlamentar é mais um que se engaja, nesta segunda e terça-feira, ao esforço concentrado convocado pelo presidente do Congresso, senador Eunício Oliveira (MDB).

Eleições 2018 – Inácio Arruda em clima de jantar de adesão

Será nesta segunda-feira o jantar de adesão à candidatura do ex-secretário da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Estado, Inácio Arruda, postulante à Câmara dos Deputados pelo PCdoB. O evento acontecerá a partir das 19h30min, no bosque do Marina Park Hotel, reunindo amigos, militantes, políticos, representantes dos setores acadêmico e sindical, que apoiam a volta de Inácio ao parlamento.

Durante o jantar, será lançado por professores e cientistas cearenses o manifesto “Inácio é o nosso Federal”, em reconhecimento ao trabalho e compromisso do “homem da luta do povo”, também com a ciência, tecnologia, inovação e ensino superior.

Inácio defende um projeto nacional de desenvolvimento sustentável e socialmente justo, que valoriza a ciência, a tecnologia, a inovação e o ensino superior.

(Foto – Agência Senado)

Caminhoneiros anunciam manifestações para depois do 7 de Setembro

A União dos Caminhoneiros do Brasil divugou, em nota, que os caminhoneiros da entidade farão uma mobilização em todo o País após o feriado de 7 de Setembro e por tempo indeterminado. A UDC acusa o governo de não ter cumprido o prometido em relação ao preço do diesel, que na última sexta-feira (31) teve reajuste de 13%. A lei que estabeleceu a nova política de frete prevê revisão dos pisos mínimos caso o combustível tenha oscilação superior a 10%, para acomodar o aumento de custos dos caminhoneiros.

A entidade reclama da falta de fiscalização nas estradas pelaANTT. A UDC pede mais fiscais e postos de fiscalização que obriguem às transportadoras a cumprirem a tabela mínima do frete. “Pedimos imediatamente as seguintes providências afim de que a população brasileira não sofra os danos de uma nova paralisação”, afirma a nota.

Os caminhoneiros da UDC também reclamam da atuação da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) e pedem a dissolução da diretoria da entidade. A possibilidade de uma manifestação perto das eleições, no entanto, já era ventilada dias após a paralisação de onze dias em maio, como forma de pressão política.

A categoria diz que se a ANTT não se posicionar até o dia 7 ou 8 de setembro, é grande o risco de haver novas paralisações.

Outra entidade

Na última sexta-feira (31), a Abcam, entidade que reúne os motoristas autônomos, afirmou que pretende se reunir com o governo para discutir o tema e que “fará o possível para evitar nova paralisação” da categoria.

A Abcam confirma ter detectado focos de insatisfação por aplicativos de trocas de mensagem, mas diz ainda não ver mobilização suficiente para nova paralisação.

Valentim busca políticas públicas e inclusão social

Para o ex-prefeito de Maranguape e candidato a deputado estadual pelo PCdoB, George Valentim, não há cidadania plena sem políticas públicas e inclusão social. No ano passado, quando presidente do Instituto de Estudos e Pesquisas sobre o Desenvolvimento do Estado do Ceará (INESP), órgão vinculado à Assembleia Legislativa, Valentim concluiu o projeto que entregou exemplares em braille sobre a Lei do Passe Livre a Sociedade de Assistência aos Cegos.

“Queremos estar na Assembleia Legislativa como garantia que a pessoa sem direitos plenos possa exercer sua cidadania, com trabalho digno, acesso à assistência social, educação, saúde e igualdade social”, ressaltou George Valentim.

“O George já apresentou políticas de garantias e direitos em defesa do povo, na Assembleia Legislativa, por isso acreditamos na continuidade desse trabalho“, comentou a pedagoga Simone Fernandes, presidente do Instituto de Assistência Social (IAPS), durante o lançamento da campanha do candidato do PCdoB, em Fortaleza, ao acompanhar caravana do bairro Tancredo Neves e comunidades vizinhas.

(Foto: Divulgação)

Antes de deixar o Ceará, Alckmin voltou a destacar candidatura do General

130 1

Para o candidato do PSDB à Presidência da República, Geraldo Alckmin, o combate à violência nos estados, por meio do programa “Nordeste Inovador”, será mais eficaz em governos estaduais voltados a resolver o problema da criminalidade em suas administrações.

“A segurança pública é prioridade de nossas agendas. O Governo no Ceará precisa resgatar a autoridade e, em parceria com o Governo Federal, nós teremos condições, inclusive, de ampliar nossa meta de reduzir em 50% os índices de violência em nosso Estado, após os primeiros quatro anos de nossa gestão”, disse o General Theophilo, candidato do PSDB ao Palácio da Abolição.

Já o senador Tasso Jereissati (PSDB) destacou também que “tá na hora de mudar” e falou da importância do eleitor conhecer as propostas de cada um dos candidatos. “Nunca foi tão importante um voto bem dado na História do Ceará e do Brasil”, ressaltou.

Nesse sábado (1º), além de participar de encontro com lideranças políticas em Horizonte, os candidatos do PSDB visitaram o município de Itapipoca e participaram de uma carreata no município de Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza.

(Foto: Divulgação)