Blog do Eliomar

Categorias para Política

Câmara Municipal – Antonio Henrique pode ser o novo presidente

Se for levado em conta o desejo da maioria dos vereadores, Antonio Henrique (PDT) deverá ser o novo presidente da Câmara Municipal de Fortaleza.

Mas Elpídio Nogueira (PDT), que está no páreo, lembra que já abriu mão por três vezes da disputa. O prefeito Roberto Cláudio (PDT) deve decidir sobre o assunto no fim do mês. Depois de ouvir as bancadas.

A eleição da nova mesa diretora já tem data: 3 de dezembro, como já informou o presidente da Casa, Salmito Filho (PDT).

(Foto – CMFor)

Reforma da Previdência – Bolsonaro defende 51 anos para homens e 56 para mulheres

341 2

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) defendeu hoje (5) que seja aprovado, ainda este ano, algum passo, “por menor que seja”, na Reforma da Previdência. Ele propõe a fixação da idade mínima para 61 anos para os homens e 56 para mulheres. O presidente prevê “majorar” em determinas carreiras que serão especificadas. A intenção é aprovar as mudanças ainda este ano.

“Um grande passo, no meu entender, se este ano for possível, vamos passar para 61 anos [a idade mínima] o serviço público para o homem, 56 para a mulher, e majorar também o ano nas demais carreiras. Acredito que seja um bom começo para entrar no ano que vem já tendo algo de concreto para nos ajudar na economia”, disse o presidente eleito em entrevista à TV Aparecida.

Segundo Bolsonaro, não se pode generalizar a fixação da idade mínima de 65 anos porque certas atividades são incompatíveis com a aposentadoria até mesmo aos 60. O presidente eleito usou como exemplo os policiais militares do Rio de Janeiro. “Não é justo colocar lá em cima [a idade mínima].”

No projeto que está na comissão especial da Câmara dos Deputados, a idade mínima é de 65 anos para homens e 62 para mulheres. A proposta já foi aprovada na comissão especial, ainda tem de passar por outras instâncias na Casa.

Prioridades

Bolsonaro reiterou que o tema está entre as prioridades para o governo eleito. “Não adianta ter uma boa proposta previdenciária, se ela não vai passar na Câmara e no Senado. Queremos dar um passo, por menor que seja, mas dar um passo na Reforma da Previdência, que é necessário.”

Para o presidente eleito, é necessário eliminar as incorporações de cargos de comissão aos salários de servidores que desempenham essas funções por algum tempo.

Fusão de ministérios

Na entrevista, Bolsonaro indicou que deve manter em pastas distintas Meio Ambiente e Agricultura, não deu sinalizações de fusão das duas áreas. “Vários ruralistas estão achando que não é o caso a fusão, mas vou deixar bem claro que não vai haver diferença.”

O presidente eleito reiterou que a nomeação dos ministros será feita somente por ele. “Quem vai nomear o ministro do Meio Ambiente vai ser eu, e não vão ser essas pessoas que tivemos até o momento transitando por lá, prestando um desserviço ao meio ambiente e um desserviço ao homem do campo.”

Aborto

Questionado sobre ampliar, na legislação, as possibilidades de autorização para o aborto legal, Bolsonaro disse que sua prioridade é manter como está. “O compromisso que tenho é não deixar ampliar o aborto em hipótese alguma”, disse ele.

O presidente eleito diz que é contra o aborto, mas há situações extremas em que é necessário reavaliar a posição. “Eu sou contra o aborto, mas a questão do risco de morte para a mãe é uma questão que fica difícil. Se não abortar uma gravidez tubária, a mãe vai morrer. Qual é a solução? É deixar a acontecer? Peço a Deus que me ilumine para tomar uma decisão no tocante a isso, caso essa questão volte a ser discutida no plenário da Câmara e do Senado”.

Em outro momento da entrevista, Bolsonaro disse ser a favor do acolhimento dos venezuelanos que chegam ao Brasil como refugiados, mas disse que é preciso combinar essa recepção com medidas contra o governo da Venezuela.

“Vamos reconhecer a situação da Venezuela. Eles estão fugindo da ditadura, da fome e da violência, mas o Governo Federal tem que tomar medidas contra o Governo Maduro. E não apenas acolher e deixar que se resolva as coisas naturalmente”.

(Agência Brasil)

Anel Viário – Trecho da Ceasa deve ser liberado no fim de dezembro

O governador Camilo Santana (PT) inspecionou, nesta segunda-feira, as obras do Anel Viário. Ele percorreu toda a extensão do projeto na Região Metropolitana de Fortaleza.

Além de cumprimentar operários da obra, Camilo se inteirou do ritmo do projeto que deve ter o trecho na área da Ceasa liberado no fim de dezembro próximo.

Camilo anda conferiu a construção da segunda ponte do Porto do Pecém, na área de São Gonçalo do Amarante (RMF).

(Fotos – Divulgação)

Projeto dá um dia de licença para servidores realizarem exames preventivos contra o câncer

A deputada Aderlânia Noronha (SD) deu entrada, nesta segunda-feira (5), na Assembleia Legislativa, num projeto de indicação que obriga os órgãos e entidades da Administração Pública do Estado a conceder a todos os seus servidores/empregados um dia de licença, por ano, para a realização de exame preventivo de câncer de mama, de útero e de próstata.

De acordo com a parlamentar, o objetivo é proporcionar aos servidores a oportunidade de realizarem, sem preocupações quanto a perdas salariais, exames preventivos contra os tipos de câncer de elevada frequência e mortalidade no País. O beneficiário deverá apresentar o comprovante do exame realizado para que seja recolhido pelo órgão ou entidade pública e devidamente arquivado.

“O objetivo é aumentar o diagnóstico precoce dessas patologias. A iniciativa possibilitará que as pessoas agendem, se organizem e façam os exames, sem perder um dia de trabalho” explica Aderlânia.

Dados do Ministério da Saúde apontam para o fato de que, apesar da existência de métodos preventivos simples, eficientes e de baixo custo, foram estimados para este 2018, no Brasil, 59.700 novos casos de câncer de mama, 16.370 novos casos de câncer de colo de útero e 68.220 novos casos de câncer de próstata.

(Foto – ALCE)

Advogados de Lula fazem novo pedido de liberdade citando suspeição de Sergio Moro

267 2

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva entrou com um novo pedido de liberdade no Supremo Tribunal Federal (STF), argumentando que a ida do juiz Sergio Moro para o governo do presidente eleito Jair Bolsonaro demonstra parcialidade do magistrado e também que ele agiu “politicamente”.

Os advogados de Lula querem que seja reconhecida a suspeição de Moro para julgar processos contra o ex-presidente e que sejam considerados nulos todos os atos processuais que resultaram na condenação no caso do tríplex do Guarujá (SP).

O pedido ainda requer que sejam suspensas outras ações penais contra Lula que estavam sob a responsabilidade de Moro, como as que tratam de suposto favorecimento por meio da reforma de um sítio em Atibaia (SP) e de supostas propinas da empresa Odebrecht. Nesta última, o depoimento do ex-presidente está marcado para 14 de novembro.

“Lula está sendo vítima de verdadeira caçada judicial entabulada por um agente togado que se utilizou indevidamente de expedientes jurídicos para perseguir politicamente um cidadão, buscando nulificar, uma a uma, suas liberdades e seus direitos”, afirmam os advogados.

O juiz federal Sergio Moro participa na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado de audiência pública sobre projeto que altera o Código de Processo Penal (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
O juiz federal Sergio Moro que será futuro ministro da Justiça – Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Ao pedir pela liberdade de Lula, os advogados afirmam ainda que o Supremo deve ser imune a pressões externas resultantes do clamor popular. “A História (em maiúsculo) não acaba em 2018. Juízes justiceiros vêm e vão. O Supremo Tribunal Federal permanece”, escreveram os advogados.

A defesa cita ao menos 33 atos de Moro que demonstrariam sua parcialidade para julgar Lula, entre eles a divulgação da delação premiada do ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci, cujo sigilo foi retirado pelo juiz a poucos dias do primeiro turno das eleições deste ano. Caberá a relator, ministro Edson Fachin, decidir se os argumentos justificam a soltura do ex-presidente.

Nesta segunda-feira, Moro saiu de férias, após ter aceitado, na semana passada, assumir o Ministério da Justiça no governo Bolsonaro. O magistrado já se afastou de todos os casos da Lava Jato, que são assumidos interinamente pela juíza substituta da 13ª Vara Federal de Curitiba, Gabriela Hardt.

Lula está preso desde 7 de abril na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, após ter sua condenação confirmada pelo Tribunal Regional Federal 4ª Região (TRF4), que impôs pena de 12 anos e um mês de prisão ao ex-presidente, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

(Agência Brasil)

Cármen Lúcia: Mundo vive mudança “perigosamente conservadora””

A ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse hoje (5), que o mundo atravessa um momento de mudanças que, muitas vezes, se tornam “perigosamente conservadoras”. Admitindo que as transformações são inevitáveis, ela destacou que a sociedade não deve abrir mão de direitos fundamentais, mas sim lutar para efetivá-los, como forma de promover justiça e equidade social.

“As transformações acontecem. O que não pode acontecer, nunca, é a transformação contrária às liberdades humanas, aos direitos fundamentais”, declarou a ministra ao participar, esta manhã, em Brasília, de um evento em comemoração aos 30 anos da Constituição Federal, promulgada em 5 de outubro de 1988.

Ao citar o filósofo e político italiano Norberto Bobbio, para quem as sociedades avançadas, no Século 21, privilegiariam a efetivação das conquistas sociais, em detrimento da luta pela obtenção de novos direitos, a ministra defendeu que cada geração deve assumir o “compromisso” de lutar pela preservação dos avanços fundamentais ao exercício da Cidadania. “Porque conquistá-los é muito difícil. Destruir e criticar tudo é muito fácil, mas isto não leva a lugar nenhum”, disse Cármen Lúcia.

Em todo o mundo

Em outro momento de sua palestra, Cármen Lúcia admitiu que, “muitas vezes”, fica “preocupada com as opções feitas” pelo país, embora as respeite como expressão das “escolhas próprias de cidadãos livres”. A ministra ainda classificou como “perigosamente conservadoras” algumas mudanças que, segundo ela, estão em curso em todo o mundo. Ao término da palestra, a ministra não entrou em detalhes a respeito de a que mudanças estava se referindo.

“Estamos vivendo uma mudança, não só no Brasil. Uma mudança inclusive conservadora em termos de costumes. Às vezes, na minha compreensão de mundo, que pode não ser a correta, [uma mudança] perigosamente conservadora”, disse.

Cobrar mais direitos

A ministra disse que um dos avanços verificadas no Brasil desde a promulgação da Constituição foi o fato dos cidadãos passarem a cobrar mais os seus direitos, o que, segundo ela, gerou mais trabalho para o Poder Judiciário.

“Ninguém mais quer abrir mão de seus direitos por não acreditar nas instituições. Quanto mais democracia, mais demanda judicial. Normal. Somos nós que temos que repensar o Poder Judiciário para garantir o acesso à Justiça aos cidadãos que ficaram mais vigilantes com os seus direitos”, disse a ministra, lembrando que, atualmente, há cerca de 80 milhões de processos tramitando na Justiça.

Papel da Constituição

Para Cármen Lúcia, a Constituição brasileira cumpre um papel importante e nunca foi inadequada. “Ela é a Constituição que o povo brasileiro entendeu de fazer em um momento em que o país saia de uma ditadura”, disse a ministra, admitindo que, ao longo dos últimos 30 anos o Brasil avançou em termos políticos, jurídicos e sociais.

“Andou, não necessariamente para o que eu, como cidadã, achava que [evoluiria], mas a história da humanidade não avança em linha reta. Ela tem suas ondulações, por ser feita de seres humanos com pensamentos e ideias diferentes. É sobre isto que estamos conversando, hoje, no Brasil”, disse a ministra pouco antes de acrescentar que as mudanças no mundo do trabalho também vem preocupando a sociedade e exigido atenção dos operadores do direito.

Cármen Lúcia disse que se vive, no mundo e no Brasil, um momento em que o trabalhador se desespera ao não ter a garantia constitucional de direito ao emprego e ao trabalho, o que, para ela, talvez, seja a grande mudança.

“Temos respostas velhas que já não necessariamente atendem às demandas dos cidadãos”, disse. “Tenho consciência de que as escolhas mudam segundo aquilo que o ser humano considera ser sua necessidade. A transformação é própria da vida e acontecerá. A mim cabe, como juíza constitucional, como servidora pública, fazer com que a Constituição seja garantida, que aquilo que ela tem de essencial não seja transgredido em nenhum momento, por quem quer que seja”.

(Agência Brasil)

PPS quer ter espaços na futura gestão de Camilo Santana

O PPS espera ser lembrado no novo governo de Camilo Santana (PT).

Segundo seu presidente estadual, Alexandre Pereira, a sigla fez um deputado estadual: Julinho César, que, antes de estar no PPS, fora eleito pelo extinto PTN, hoje Podemos.

Pelo visto, Camilo, que conseguiu reunir 24 partidos em seu objetivo de reeleição, terá muito trabalho para conciliar na gestão tantos interesses e ainda tendo olhares voltados para a redução de ministérios que o futuro governo Bolsonaro sinaliza.

(Foto – PPS)

Congresso terá sessão pelos 30 anos da Constituição. Jair Bolsonaro está entre os convidados

A sessão solene que nesta terça-feira (6) vai comemorar os 30 anos da Constituição Federal promete movimentar a Câmara e o Senado. Um forte esquema de segurança está sendo montado no Congresso para o evento. O presidente e o vice-presidente eleitos, Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão, são aguardados para a cerimônia. Será a primeira vez que Bolsonaro volta à Casa desde que venceu a corrida presidencial.

Ao todo, 1,5 mil convites foram distribuídos pelo cerimonial do Congresso e a solenidade está sendo vista como uma espécie de ensaio para a posse de Bolsonaro, em 1 de Janeiro de 2019. O acesso ao plenário da Câmara e suas galerias ficará restrito a convidados e a visitação do público à Câmara e ao Senado será suspensa.

Segundo a Agência Brasil apurou, não somente pela presença do presidente eleito, que oficialmente foi convidado como parlamentar, mas também pelo grande número de autoridades que devem prestigiar a sessão, o esquema de segurança será reforçado. Para esse tipo de solenidade, fora o tapete vermelho, não haverá pompa. As autoridades chegarão ao Congresso pela chapelaria, como é de praxe nessas ocasiões.

Além dos chefes dos três Poderes da República, Michel Temer (Executivo), Eunício Oliveira (Legislativo) e Dias Toffolli (Judiciário), também devem participar da cerimônia parlamentares constituintes, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, ministros de Estado, embaixadores, deputados e senadores em exercício e os que tomarão posse em 2019. A depender dos discursos, a solenidade marcada para as 10 horas pode terminar por volta das 14 horas.

(Agência Brasil)

Sergio Moro entra de férias para cuidar da transição

O juiz federal Sergio Moro, futuro ministro da Justiça e da Segurança Pública, entrou de férias nesta segunda-feira (5), para atuar na transição de governo. Em ofício encaminhado ao corregedor regional da Justiça Federal da 4ª Região, Ricardo Teixeira do Valle Pereira, Moro informa que pretende tirar todos os períodos de férias a que tem direito, antes de pedir exoneração, no início de janeiro.

Segundo a assessoria da Justiça Federal da 4ª Região, nas férias de Moro, a juíza federal substituta Gabriela Hardt assumirá a titularidade plena da 13ª Vara Federal de Curitiba. O magistrado terá férias até o dia 21 de novembro, referente a 17 dias remanescentes do período de 2012/2013. “As férias também permitirão que inicie as preparações para a transição de governo e para os plenos para o ministério”, afirmou o juiz no ofício.

No documento, o magistrado informa que oportunamente entrará com o novo pedido de férias para o período de 21 de novembro a 19 de dezembro. Não diz porém a quantos períodos de férias ainda tem direito. O juiz repete que, por aceitar o convite do presidente eleito, Jair Bolsonaro, terá de deixar a Justiça Federal e o faz “com certo pesar”.

Até agora não houve encaminhamento do pedido de exoneração por parte do magistrado. Moro disse que pedirá exoneração antes de assumir o ministério: “Pretendo realizar isso no início de janeiro, logo antes da posse no novo cargo”, informou.

(Agência Brasil)

Ceará: Nem o próprio governo recomenda

Com o título “Ceará: Nem o próprio governo recomenda”, eis artigo de Allan Aguiar, ex-secretário estadual do Turismo. Ele comenta reação da Setur, em pleno evento do setor, acerca de questões burocráticas que emperrariam a atração de investimentos. Confira:

A sinceridade ou o “sincericídio” (híbrido de sinceridade e suicídio) do próprio Governo do Estado do Ceará, pela voz do secretário do Turismo, emudeceu e deixou perplexa a audiência de empresários e advogados presentes no painel “Riscos Jurídicos de Investimentos”, ocorrido no âmbito do último Seminário da Associação para o Desenvolvimento Turístico e Imobiliário do Brasil (ADIT), acontecido recentemente no Hotel Grand Marquise.

Provocado pelo moderador quanto ao ambiente inóspito e arriscado ao investimento no Estado, em face do quadro traçado pelos participantes quanto ao cipoal de obstáculos, burocracias e lentidão dos órgãos do Meio Ambiente, comentou o secretário que ele próprio não recomenda ou alerta investidores interessados em aportar recursos no Ceará. “Somente os caras que tem coro grosso e…. consigam aguentar o tranco”. Foi uma cena curiosa e que produziu risos, ironias e uma péssima impressão do Governo do Estado que revelou ter lavado as mãos e assumido toda a sua impotência diante das posturas contenciosas e litigantes dos atores públicos que deveriam facilitar o trâmite dos projetos de investimentos.

O sofrimento dos cada vez mais raros investidores que prospectam negócios em terras alencarinas já é fartamente conhecido e vigorosamente repudiado pelo setor produtivo, mas o episódio foi enxergado como a solenidade de coroação da inviabilidade estrutural da paquidérmica burocracia cearense. Óbvio, os representantes e agentes econômicos dos demais Estados presentes souberam do comentário governamental e, não obstante o fair play existente em seminários do gênero, não conseguiram disfarçar seus olhares de agradecimentos pela ajudinha dos trapalhões Cearenses. Desnecessário registrar que, nós cearenses, ficamos com cara de Tiririca, o palhaço dos abestados. De fato, o episódio foi hilário e apenas reforçou a tese de que conseguimos brincar com nossa própria pobreza e ignorância.

Bem, é isso. Nosso muito amado Ceará continua um nanico econômico nacional, quase três vezes mais violento e duas vezes mais pobres que a média nacional. Mas, dizem os especialistas, em 2050 estaremos na primeira divisão dos indicadores sociais e econômicos da Nação. O que não sabemos é se estaremos vivos até lá para assistir essa Glória. À DEUS!

*Allan Aguiar,

Ex-secretário do Turismo do Estado do Ceará.

Embaixador reitera a Jair Bolsonaro que quer extradição de Cesare Battisti

O presidente eleito Jair Bolsonaro conversou hoje (6), pela manhã, com o embaixador da Itália, Antonio Bernardini, sobre a situação do italiano Cesare Battisti, 63 anos. Condenado na Itália por terrorismo e quatro assassinatos, Battisti vive em São Paulo. Em dezembro de 2010, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva negou a extradição de Battisti, em decisão no último dia do mandato do petista.

Na campanha, Bolsonaro disse que pretendia extraditá-lo, como deseja o governo da Itália.

“O caso Batistti é muito claro. A Itália está pedindo a extradição. O caso está sendo discutido agora no Supremo Tribunal Federal. Esperamos que o Supremo tome uma decisão no tempo mais curto possível”, disse o embaixador.

Após a vitória de Bolsonaro, o deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS) disse que o presidente eleito mantém a determinação em favor da extradição de Battisti. No fim de semana, o italiano disse que confia nas instituições brasileiras.

Conversa

No encontro com Bolsonarom, o embaixador entregou uma carta enviada pelo presidente da Itália, Sergio Mattarella. O diplomata lembrou que Bolsonaro é de origem italiana e que ambos tiveram uma conversa “muito simpática”.

“Nós temos uma presença no Brasil que é histórica. Claro que a perspectiva para o futuro é aumentar essa presença italiana no Brasil”, disse o embaixador.

(Agência Brasil)

Equipes de Temer e de Bolsonaro iniciam a transição

Neste primeiro dia de trabalho do grupo de transição de governo, o deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS), nomeado ministro extraordinário e responsável por coordenar a equipe do presidente eleito Jair Bolsonaro, se reune, agora de amanhã, com o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha. Com essa agenda, ficam oficialmente abertas as atividades das equipes, que vão trabalhar em um espaço reservado no Centro Cultural Banco do Brasil, em Brasília, onde a segurança foi reforçada.

Os nomes que vão compor o grupo de transição ainda serão publicados no Diário Oficial da União. A expectativa é de que isso ocorra até amanhã (6), mesmo dia em que Bolsonaro, segundo confirmaram assessores, desembarca na capital, pela primeira vez depois de eleito.

Ele embarca para Brasília às 9h, na Base Aérea do Galeão, em um jato da Força Aérea Brasileira. A chegada está prevista para as 10h20, também na Base Aérea. O presidente eleito deverá estar acompanhado do empresário Paulo Marinho, do futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, e do ex-presidente do PSL Gustavo Bebianno.

Nas redes sociais, Jair Bolsonaro postou hoje (5) que, ao longo da semana, sua equipe terá o primeiro acesso aos números e informações de governo. “Esta semana damos mais um grande passo, com o início do funcionamento do grupo de transição de governo, absorvendo informações para a restruturação do Brasil”, destacou.

Nesta segunda-feira, o presidente eleito deve permanecer em casa, na Barra da Tijuca, no Rio. A previsão, segundo assessores, é de que ele receba, de manhã, o embaixador da China, Li Jinzhang, quando deverá manifestar o interesse do novo governo em manter negócios com o país. Bolsonaro já havia declarado que não pretende fazer distinção ideológica em relação a comércio.

Em seguida, está prevista um encontro com o embaixador da Itália, Antonio Bernardini. O presidente eleito, que é descendente de italianos, já garantiu que, assumindo o governo, irá extraditar Cesare Battisti para o seu país de origem. O ativista político italiano, acusado de terrorismo, está asilado no Brasil desde que o benefício foi concedido pelo governo Luiz Inácio Lula da Silva.

(Agência Brasil)

Camilo e uma agenda em busca de parceiros internacionais

O governador Camilo Santana (PT receberá nesta segunda-feira, às 15 horas, no Palácio da Abolição, o embaixador da Coréia do Sul, Chan Woo Kim. A visita é oficial, mas dando direito a boas conversas sobre parcerias.

Nesta terça-feira, Camilo levará a delegação coreana para uma visita ao Complexo Industria e Portuário do Pecém., em São Gonçalo do Amarante (Região Metropolitana de Fortaleza). Nesse roteiro, a Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) e a Zona de Processamento das Exportações (ZPE) com nova área aguardando investidores.

Falando em busca por parcerias, Camilo Santana embarca na quarta-feira à noite para o eixo Holanda-França-Espanha. Até dia 15 próximo, agenda com rodada de negócios, encontro com cúpula da KLM-Air France e acordo de cooperação com o Governo da Catalunha.

PT quer que Supremo se posicione sobre Moro ao analisar recurso de Lula

332 1

Sergio Moro e o ex-presidente Lula

Auxiliares de Lula avaliam que o novo pedido de suspeição de Sergio Moro que a defesa do petista vai apresentar ao Supremo Tribunal Federal, nesta segunda (5), vai obrigar a Corte a se posicionar sobre a atuação do juiz. A informação é da Coluna Painel, da Folha de S.Paulo.

Os que acompanham de perto os processos e apoiam o ex-presidente dizem que, “diante de toda a trama”, o Supremo terá que decidir se a atuação de Moro “não causou qualquer prejuízo à estética da imparcialidade tão cara à Justiça”.

O recurso estava previsto antes mesmo de Moro aceitar o convite do presidente eleito, Jair Bolsonaro, para virar ministro da Justiça e Segurança Pública.

A defesa de Lula vai pedir a revisão da decisão do STJ, que negou a suspeição do juiz. Se o STF aceitar o pedido, o processo pode ser considerado nulo – hipótese hoje vista como improvável.

Prefeito quer fechar parceria com a Suécia no campo do biogás

Da Coluna do Eliomar de Lima, no O POVO desta segunda-feira:

Logo que retorne, na quinta-feira próxima, de giro pela Tailândia, em missão da Organização Mundial da Saúde (OMS), o prefeito Roberto Cláudio acertará novo contato com autoridade internacional, só que com agenda em Fortaleza.

No próximo dia 19, no Paço Municipal, ele receberá o secretário de Estado do Ministério da Indústria e Inovação da Suécia, Niklas Johansson. Na pauta do encontro, que terá também a participação do embaixador sueco no Brasil, Per-Arne Hjelmborn, discussões sobre parceria para a transferência de tecnologia no campo de biogás para utilização no sistema de transporte coletivo de Fortaleza.

Quando esteve na Suécia, em maio deste ano, o prefeito visitou a planta da Malarenergi, na cidade de Vasteras, a 100km de Estocolmo, onde conheceu a tecnologia, que gera energia e biocombustíveis utilizando resíduos sólidos.

“Queremos iniciar essas tratativas do ponto de vista da transferência de tecnologia para colocarmos Fortaleza numa posição de vanguarda sobre a destinação do seu lixo”, disse para este colunista Roberto Cláudio.

Aliás, tornou-se um desafio dar um destino a tanto resíduo sólido que, na Capital cearense, acaba virando peça de decoração em cruzamentos.

(Foto – Divulgação)

Lava Jato – Relator dos processos estaria cansado

287 1

Passados quase dois anos como relator dos processos da Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal, o ministro Edson Fachin vem dizendo a amigos próximas que está exausto.

A informação é da revisa Veja desta semana.

A mesma publicação: os principais julgamentos dessa Operação nem começaram.

(Foto – Agência Brasil)

Onyx Lorenzoni deve ser oficializado ministro nesta segunda-feira

O nome do deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS) será oficializado como ministro extraordinário nesta segunda-feira (5). O cargo, previsto em lei, é atribuído ao coordenador de transição do governo eleito. A nomeação de Lorenzoni será publicada no Diário Oficial de hoje. A nomeação será assinada pelo presidente Michel Temer.

É a primeira etapa de uma semana que promete iniciar, de fato, a transição entre o governo atual, de Michel Temer, e o eleito, de Jair Bolsonaro.

Na quarta-feira (7) Bolsonaro se reúne com Temer, pela primeira vez, desde sua vitória nas urnas. Ao conversar rapidamente com jornalistas nesse domingo (4), Temer confirmou o encontro e disse que espera que Bolsonaro tenha “muita sorte e muito sucesso”.

(Agência Brasil)