Blog do Eliomar

Categorias para Política

Assembleia Legislativa comemora o Dia Nacional do Conselheiro Tutelar

 

Nesta sexta-feira, a partir das 16 horas, no plenário 13 de Maio, da Assembleia Legislativa, haverá sessão solene em comemoração ao Dia Nacional dos Conselheiros Tutelares (18 de Novembro). A iniciativa é da deputada estadual Patrícia Saboya (PDT).

Durante essa sessão solene, haverá homenagens à Associação dos Conselheiros e Ex-Conselheiros do Estado e aos representantes do fórum colegiado nacional da categoria no Estado.

Concurso da Assembleia – Inscrições terminam nesta 6ª feira

422 2

As inscrições para o concurso público da Assembleia Legislativa serão encerradas nesta sexta-feira. A seleção visa o preenchimento de 63 vagas imediatas e 37 para cadastro de reserva, com remuneração de R$ 1.260 para uma jornada de 30 horas semanais. A prova será realizada em Fortaleza, dia 18 de dezembro.

As vagas são destinadas a 12 áreas de nível superior. Sendo 15 para candidatos com formação em Direito, 12 em Letras e 10 em Administração. As demais áreas são: Informática (8), Ciências Sociais (5), Ciências Contábeis (4), Design Gráfico (4), Ciências Atuariais (1), Ciências Econômicas (1), Estatística (1), Jornalismo (1) e Publicidade (1). Do total de vagas, cinco são reservadas para portadores de deficiência.

SERVIÇO

Os interessados podem se inscrever pelo endereço eletrônico www.cespe.unb.br/concursos/al_ce2011. A taxa de participação é de R$ 85. A seleção será por meio de provas objetivas e discursivas, além de avaliação de títulos.

Cid, o "Pequeno Príncipe"

163 3

Essa é de Felipe Patury, no site da Época, com nota sobre a sucessão em Fortaleza sob o título “Cid, o Pequeno Príncipe”:

O governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), avisou que topa apoiar o candidato que o PT indicar para a disputa eleitoral pela prefeitura de Fortaleza no ano que vem — seja lá qual for o indicado petista. A atual prefeita da capital cearense, Luizianne Lins, que é do PT e já foi reeleita na última votação municipal, conversou com o governador sobre as eleições. Embora não tenha apresentado oficialmente nenhum nome de seu partido para sucedê-la, Lins tenta viabilizar a candidatura de seu secretário de Governo, Waldemir Catanho. Ok, mas por quê o governador do Ceará, que é filiado ao PSB, daria apoio incondicional e irrestrito ao PT? Ele afirma que a estratégia se baseia no livro preferido das misses, “O Pequeno Príncipe”, de Antoine de Saint Exuperry. Gomes se diz, agora, eternamente responsável por aquilo que cativou, isto é, a lealdade petista.

Lupi – "Presidenta Dilma, peço desculpas: eu te amo!"

“Carlos Lupi começou há pouco a depor na Câmara sobre as falcatruas no Trabalho. Estava indo bem até o momento em que um assessor esbarrou num computador da comissão produzindo um som metálico. Fernando Francischini aproveitou a deixa:

– É a primeira bala, ministro?

E Lupi, no ato:

– Quem sabe! Tem muita gente querendo, mas Deus é forte, é grande e nos protege.

E Lupi não parou mais: acusou a imprensa de “execrar as pessoas como vermes”, pediu desculpas públicas por “jeitão italiano meio exagerado” e voltou a falar de Dilma Rousseff:

– Quando se começa a atingir o soldado da tropa é para atingir o general.

E, num lapso de romantismo, Lupi olhou para as câmeras e mandou:

– Presidenta Dilma, peço desculpas: eu te amo!

(Radar Online)

Cid e Luizianne mereciam ir para a "Casa dos Artistas"?

296 2

E aí, quando é que vocês vão se aquietar? Ou se apartar logo?

Eis artigo do jornalista Fábio Campos, que aborda no O POVO desta quinta-feira, o surto de simpatias do governador Cid Gomes (PSB) por uma candidatura do senador Inácio Arruda (PCdoB), aquele que, por duas vezes disputando a Prefeitura de Fortaleza, acabou desbancado. Inclusive pela prefeita Luizianne Lins (PT). O que Fábio analisa é o jogo de cena de Cid e Luizianne em se tratando de eleições 2012. Confira:

Na velocidade da internet, as palavras proferidas por Cid Gomes no encontro do PCdoB, ocorrido sábado passado, atravessaram o Atlântico e chegaram à Europa. É lá que está o alvo invertido dos elogios dirigidos pelo governador a Inácio Arruda.

No encontro dos comunistas, o governador evocou “Deus” para externar um desejo. No caso, a vitória de Inácio Arruda nas próximas eleições para Prefeitura de Fortaleza.

Para Cid, “se Deus quiser”, o senador do PCdoB se recupera em 2012 da derrota que sofreu em 2004 na disputa em que Luizianne Lins se saiu vitoriosa. Numa leitura livre da fala, o governador considera ”uma infelicidade” a derrota de Inácio em 2004.

Em política, quando se lamenta a derrota de um, lamenta-se também a vitória do outro. O “se Deus quiser” tem um sentido muito claro. Quem conhece o governador sabe que o termo é bastante usado por ele em seus comícios de campanha. É uma espécie de grito de guerra a favor de seus preferidos.

A política vive de signos e sinalizações. Meias palavras costumam falar mais que as inteiras. Bons entendedores não faltam. E é evidente que a prefeita é boa entendedora das meias palavras. Para o deleite dos leitores, a crônica política se obriga também a ser. Daí o destaque que a cobertura política deu ao fato em matéria assinada pela jornalista Ranne Almeida. Título: “Deferência de Cid a Inácio anima PCdoB”.

O PCdoB, lógico, não se fez de rogado. Seu eterno presidente no Ceará, o boa praça Carlos Augusto Patinhas, afirmou que o apoio do governador à candidatura de Inácio seria “uma honra”.

E o outro lado dessa moeda? O petismo se fez de morto. O líder de Cid na Assembleia, o deputado petista luiziannista Antônio Carlos, disse que a frase deve ser encarada nos limites do contexto em que visitantes tecem loas ao partido que faz a festa. De outros petistas, o silêncio.

Mas, viajemos ao velho mundo, que abriga a prefeita numa viagem de trabalho. Gente que estava próxima de Luizianne no momento em que tomava conhecimento da fala de Cid ouviu seus murmúrios a respeito.

Algo assim: “Pelo visto, tenho que me preparar para disputar Senado ou Governo em 2014”. Pode não ser a reprodução textual do que foi murmurado, mas o fiel sentido é o que importa.

Bom, o fato é que, pela primeira vez, o governador envia ao distinto público e aos atores políticos um sinal diferente daquele que vinha sendo dado desde 2009. Antes, só havia a reafirmação do objetivo de manter a aliança com o petismo. Agora, observa-se algo novo.

Vejam como anda a nossa política. Em recente entrevista concedida à rádio O POVO-CBN, Cid Gomes disse que o caso de Fortaleza poderia necessitar de uma mediação nacional. Dilma Rousseff ou Lula, por exemplo. No dia seguinte, a prefeita reprovou a possibilidade.

Curiosamente, o governador do PSB sugere a mediação de dois petistas e a prefeita do PT diz que tais mediadores não se farão necessários. Talvez isso se explique pela trajetória de um partido e de outro. Um mais afeito às decisões de cúpula. O outro passado na casca do alho das disputas internas.

Do jeito que a coisa anda, é já que começam as análises acerca dos benefícios ou malefícios que a paquidérmica aliança promove para a Capital e para o Estado.

De uma coisa se sabe: a aliança é cômoda e, aqui, eliminou a oposição. A aliança amortece o debate, as disputas e as contradições. Alianças amplas demais e debate engessado também servem para esconder possíveis mal feitos das gestões.

Banco PanAmericano teria camuflado doação para campanha de Dilma Russeff

“O banco PanAmericano doou R$ 300 mil para o diretório nacional do PT em maio do ano passado, poucos meses antes do início da campanha que levou a presidente Dilma Rousseff ao Planalto.

A contribuição foi contabilizada regularmente pelo partido, mas foi feita de maneira dissimulada pelo banco, que usou empresa com a qual tinha relações comerciais para fazer o repasse e disfarçar a origem do dinheiro.

A doação foi feita poucas semanas depois do início das investigações do Banco Central que apontaram fraudes nas operações do PanAmericano e mais tarde revelaram um rombo de R$ 4,3 bilhões na sua contabilidade.”

(Folha)

Rio promove ato público contra projeto que redistribui royalties do petróleo

“Um ato público organizado pelo governo do estado do Rio, com o apoio da prefeitura da capital e de outras prefeituras do interior, além de entidades da sociedade civil, promete reunir hoje (10) milhares de pessoas contra o projeto de lei do senador Vital do Rego (PMDB-PB), que revê a distribuição dos royalties do petróleo, retirando recursos dos estados produtores em benefício de todas as unidades do país.

A concentração começará às 15h, na Igreja da Candelária, e a passeata seguirá pela Avenida Rio Branco, no centro da cidade, até a Cinelândia, tradicional palco de manifestações políticas. Com isso, o trânsito sofrerá alterações, pois diversas ruas do centro serão bloqueadas para veículos. A estimativa dos organizadores é que pelo menos 50 mil pessoas participem, podendo chegar a 100 mil.

Para garantir o grande número de manifestantes, as repartições estaduais e municipais vão liberar os funcionários mais cedo. Prefeituras do interior, principalmente dos municípios que recebem repasses provenientes do petróleo, decretaram ponto facultativo e alugaram ônibus para levar os manifestantes até a capital.

Parte do comércio também deverá fechar mais cedo, liberando os empregados que quiserem participar do ato público. Serviços públicos de transporte, como trem, barcas e metrô, não vão cobrar tarifa em determinados horários. Um palco montado na Cinelândia deverá receber, além de políticos locais, artistas e músicos, que vão se encarregar de garantir animação aos participantes.

Se o projeto aprovado no Senado passar pela Câmara dos Deputados, o Rio de Janeiro, maior estado produtor de petróleo, poderá ter prejuízos de até R$ 3,3 bilhões já no próximo ano, segundo números apresentados durante visita feita pelo governador Sergio Cabral à presidenta Dilma Rousseff em outubro.

A subsecretária estadual de Desenvolvimento e Energia do Rio, Renata Cavalcanti, considerou que a possível mudança na distribuição dos royalties poderá causar problemas graves no futuro. “É um processo de longo prazo que vai se refletir nas próximas gerações. Isso poderá ser uma perda permanente, com o agravante de que a produção de petróleo é algo que vai diminuindo. Os campos que estão hoje em produção têm vida útil de até 20 anos. O impacto estadual será muito sério, pois os royalties são usados para pagar a dívida com a União e para o Fundo do Meio Ambiente, utilizado principalmente em saneamento”, avaliou Renata.

A prefeita de Campos dos Goytacazes e ex-governadora do Rio Rosinha Garotinho classificou a possível perda de parte dos recursos provenientes da exploração do petróleo como geradora de verdadeiro caos social na região norte do estado, onde se concentra a produção. Ela deverá participar do ato público.

“Nós vamos perder 70% do orçamento. No ano que vem, eu perderia em torno de R$ 500 milhões. Isso significa uma quebradeira não só no município de Campos, mas em toda a região. Nós vivemos hoje, em grande parte, dos royalties. Se fosse fazer políticas públicas apenas com verbas obrigatórias enviadas pelo governo federal e mais o que se arrecada na nossa região, não teríamos como manter o investimento que hoje é feito na cidade, que ficaria pelo avesso”, disse Rosinha. Só este ano, Campos arrecadou R$ 1 bilhão em royalties e teve participação especial proveniente do petróleo.”

(Agência Brasil)

PP usa o número 11 como trunfo de campanha para atrair filiações

Em publicidade, dizem, vale tudo.  Em política partidária, também. O Partido Progressista resolveu fazer campanha de filiação aproveitando as repetições do número 11, número do partido, no mês de novembro. Pois é, a direção nacional da legenda divulgou a seguinte nota no site do PP.

CONVOCAÇÃO

A Executiva Nacional do Partido Progressista, para celebrar o sucesso da campanha de filiação e de organização das comissões provisórias municipais, vem propor a transformação do dia 11 de novembro, o dia 11/11, em uma data comemorativa.

Para todos os progressistas, simpatizantes, militantes, filiados e lideranças, o dia 11 de novembro de 2011 será declarado: DIA NACIONAL DE FILIAÇÃO AO PARTIDO PROGRESSISTA.
Venha participar dessa grande festa política e mostrar a força de nosso partido. Cada comissão provisória ou diretório municipal deve organizar um pequeno evento para marcar a entrada no partido de novas lideranças.

A Executiva Nacional pretende oferecer material de divulgação e idéias como contribuição para a sua festa.

Defensoria Pública do Ceará cobra novas nomeações

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=jqubPuUW8xs[/youtube]

O presidente da Associação dos Defensores Públicos do Ceará, Adriano Leitinho, cobra a nomeação de concursados para a Defensoria Pública. Apesar das convocação recentes, o órgão ainda tem muitas carências e briga pelo cumprimento de lei que lhe garante autonomia financeira.

Roberto e Cartaxo – Juntos chegaremos lá?

282 1

A VSM Comunicação, do jornalista Marcos André Borges, abriu o calendário de confraternizações de fim de ano. A empresa reuniu, no Pirata Bar, jornalistas e convidados de todos os credos e cores do Estado. Entre os presentes, o presidente da Assembleia Legislativa, Roberto Cláudio (PSB) – nome de total confiança dos “Ferreira Gomes”, e o vice-presidente estadual do PT e Coordenador do Grupo de Trabalho Eleitoral (GTE) da legenda, Joaquim Cartaxo.
Se depender dessa foto, pode-se projetar que PSB e o PT marcharão unidos (e abraçados)  em 2012…
Aliás, Cartaxo – que foi secretário das Cidades da gestão anterior de Cid Gomes, foi um dos maiores articuladores (justamente quem “costurou”) da primeira aliança dos “Ferreira Gomes” com o PT quando essa turma saiu unida em Sobral (Zona Norte).
(Foto – Cláudio Barata)

Ficha Limpa – Pedido de vistas suspende julgamento

“Um pedido de vista do ministro Joaquim Barbosa suspendeu nesta quarta-feira o julgamento da Lei da Ficha Limpa no STF (Supremo Tribunal Federal). Antes de o julgamento ser interrompido, o relator, ministro Luiz Fux, manifestou-se parcialmente favoràvel à aplicação da lei nas próximas eleições, em 2012.
Em seu voto, Fux defendeu que políticos que renunciem a seus mandatos para evitar a cassação possam se candidatar na eleição seguinte. Fora este ponto, toda a lei foi considerada constitucional por Fux.

Em longo voto, Fux afirmou que é constitucional praticamente toda a legislação, inclusive a parte da lei que proíbe a candidatura de um político condenado por órgão colegiado (mais de um juiz), mesmo que ainda exista a possibilidade de recurso. Para ele, também é válida a norma que torna inelegível o profissional que teve o registro cassado por entidade de classe.

Segundo o ministro, esses pontos não ferem o princípio da presunção de inocência. “A presunção de inocência, sempre tida como absoluta, pode e deve ser relativizada para fins eleitorais”, afirmou.

Ele fez apenas uma observação de que os oito anos de inelegibilidade após o cumprimento da pena é tempo exessívo e votou por possibilitar o abatimento deste tempo pelo período em que o candidato ficou inelegível antes de cumprir a pena — no caso dos políticos barrados mesmo com possibilidade de recorrer da condenação.

Em relação à renúncia, ele disse que a lei foi abusiva ao determinar que um político fica inelegível se renunciar o mandato após a apresentação “de representação ou petição” contra ele no conselho de ética. Segundo Luiz Fux, os políticos só podem se tornar inelegíveis se renunciarem após a abertura de processo contra eles.

Na prática, se essa parte do voto prevalecer, a decisão livra pessoas como Joaquim Roriz e Jader Barbalho da inelegibilidade. Isso porque ambos renunciaram antes da abertura do processo.”

(Folha.com)

Dilma não gostou da fala de Lupi avisando que só saia da pasta abatido a bala

“A presidente Dilma Rousseff não gostou nem um pouco do tom ameaçador do ministro do Trabalho, Carlos Lupi, que na terça-feira, 8, disse “duvidar” que ela o demitisse e que ele não sairá do cargo “nem na reforma ministerial”, marcada para o início do ano, quando deverão deixar seus cargos todos os candidatos que estão no primeiro escalão do governo.

Dilma incumbiu a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffman, de transmitir a sua insatisfação a ele. Gleisi disse a Luppi que “houve excesso” na fala dele no dia anterior e que “ele e todos os ministros deste governo sabem que quem nomeia e quem demite é a presidenta da República”.

Lupi havia dito também que só à força deixaria o ministério. “Não saio do cargo. Daqui ninguém me tira. Só se for abatido a bala. E tem que ser bala de grosso calibre porque eu sou pesado”, disse.

Clima de estresse

O recado a Lupi foi dado pessoalmente por Gleisi, antes de ele participar com a ministra de uma reunião para discutir a instalação de ponto eletrônico na Esplanada. A reunião estava marcada para 11h30. A ministra Gleisi conversou com Luppi a portas fechadas, em seu gabinete, no quarto andar do Planalto, e avisou do descontentamento da presidente Dilma com o episódio. Gleisi ressalvou, no entanto, que acreditava que tudo foi feito, em meio a um “clima de estresse” por causa das denúncias que ele está sofrendo.

Uma retração do ministro Luppi está sendo aguardada pelo Planalto, para que ele amenize e esclareça as declarações dada s ontem.

Dilma estava irritada com as declarações. Mas limitou-se a reclamar para seus assessores diretos, já que o governo enfrenta uma importante votação no Congresso, considerada fundamental pela própria presidente, que é a aprovação da DRU, a Desvinculação de Receitas Orçamentárias da União. A DRU dá ao governo a liberdade para usar como quiser 20% das receitas da União.

A presidente não pretende tomar nenhuma atitude neste momento contra o ministro e continua lhe dando crédito em relação às denúncias, reconhecendo que não apareceu nada diretamente contra ele.

O Planalto comemorou a primeira votação da DRU, que deu vitória ao governo na madrugada desta quarta-feira, com 369 vagas. Mas, a presidente também sabe que ainda há a votação dos destaques, o que será retomado na tarde desta quarta-feira. E ainda será preciso votar o segundo turno na Câmara e os dois turnos da emenda constitucional no Senado – isso significa que precisa dos votos do PDT.”

PSDB e DEM pedem impeachment de Agnelo

“O PSDB e o DEM apresentaram nesta quarta-feira pedido de impeachment do governador Agnelo Queiroz (PT) na Câmara Legislativa do Distrito Federal. O governador é suspeito de receber propina de um lobista que depositou R$ 5.000 em sua conta.

O presidente regional do DEM, Alberto Fraga, o presidente regional em exercício do PSDB, Raimundo Ribeiro, e o advogado Rogério Pereira também entregaram pedidos individuais de investigação contra o governador, totalizando cinco pedidos de impeachment.

Segundo nota divulgada pelo PSDB, Ribeiro disse esperar que a Câmara Legislativa do DF investigue os fatos. “O esclarecimento das denúncias é necessário. Se elas forem falsas, Agnelo corre riscos. Se forem verdadeiras, quem corre riscos é o povo de Brasília”, apontou Ribeiro.

Segundo a Câmara Legislativa, os cinco pedidos de impeachment protocolados na presidência serão encaminhados à Procuradoria da Casa, que fará a análise do cumprimento dos requistos jurídicos para que os documentos continuem a tramitar na Casa. Não havendo vícios formais, os pedidos serão enviados à CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), que pode solicitar a criação de uma Comissão Especial para apreciar os pedidos de impeachmet, que, por fim, devem ser votados em plenário.”

(Folha.com)

Ministro da Agricultura recebe alta do hospital

“O ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro Filho, teve alta do Hospital Sírio-Libanês no início da tarde de hoje (9). Segundo o boletim divulgado pelo hospital, o ministro, que estava internado desde o dia 1º, está em “ ótimo estado clínico e neurológico”.

Mendes Ribeiro passou por procedimentos para reforçar os pontos de uma das suturas de uma cirurgia feita em 15 de outubro para retirada de um tumor do cérebro. De acordo com o hospital, em breve, o ministro iniciará tratamento complementar com medicamento quimioterápico oral.

Ele ainda deve levar cerca de duas semanas, pelo menos, até reassumir o comando do Ministério da Agricultura.”

(Agência Brasil)

Narcélio Limaverde lança livro nos 4 anos da FM Assembleia

468 1

O jornalista e radialista Narcélio Limaverde lançou, nesta manhã de quarta-feira, na Sala das Comissões da Assembleia Legislativa, a segunda edição do seu livro “Fortaleza Antiga”.

Trata-se de um conjunto de crônicas sobre a cidade, num estilo leve e com pitadas humoradas.

O lançamento faz parte da programação que comemora os quatro da FM Assembleia onde Narcélio é um dos líderes de audiência,

Deu na "Veja", desconfie?

352 9

Com o título “Deu na Veja, desconfie (III)”, o jornalista Messias Pontes prossegue sua saga contra a revista Veja que, nos últimos meses, vem detonando ministros do Governo Dilma Rousseff. Para Messias, a presidente não pode se pautar por essa revista que representa a mídia conservadora, venal  e golpista no País.Confira:

Poucas vezes na história brasileira o denuncismo midiático foi tão contundente como agora, e isto é o reflexo do avanço das forças democráticas e populares. A velha mídia conservadora, venal e golpista que representa os interesses das carcomidas oligarquias nacionais e interesses alienígenas, notadamente do imperialismo norte-americano, não dá trégua e parte para o ataque covarde, vil, utilizando a mentira, a calúnia e a difamação para desqualificar pessoas, partidos e governos.

Os políticos mais populares que este País conheceu foram satanizados pelos donos da mídia. Foi assim com Getúlio Vargas, em 1954; com Juscelino Kubitscheck em 1955; com João Goulart, em 1961 e 1964 e com o Luiz Inácio Lula da Silva antes e durante os seus oito anos de governo – 2003 a 2010. Agora tentam atingir a presidenta Dilma Rousseff e seu governo fuzilando os seus ministros com as mentiras mais torpes. É o espírito da canalha da UDN incorporado nos colonistas e amestrados de todos os matizes a serviço de interesses inconfessáveis.

 No comando da operação golpista está o GAFE – Globo, Abril, Folha e Estadão – que já conseguiu derrubar cinco ministros com acusações sempre sem provas, principalmente com relação ao ex-ministro do Esporte Orlando Silva (PCdoB). Até o momento nenhuma prova contra ele foi apresentada, e o marginal que o acusou, tentando se vingar por ter Orlando Silva exigido que ele, o soldado PM milionário João Dias Ferreira devolvesse aos cofres públicos os R$ 4 milhões não aplicados no Programa Segundo Tempo.

O lixo do jornalismo que deu guarida a um marginal que já foi preso por corrupção e responde a nada menos de 11 processos, afirmou em suas sujas páginas que mostraria as provas contra o ministro Orlando Silva, mas até o momento não o fez e não o fará porque não existe nada que prove um desvio de conduta do ex-ministro. Quinze milhões de pessoas manifestaram, através das redes sociais, solidariedade a Orlando Silva e ao seu partido, o PCdoB; mais de uma centena de intelectuais, professores universitários eartistas assinaram manifesto de solidariedade ao ex-ministro e ao Partido Comunista do Brasil, contudo a velha mídia simplesmente ignora.

Esse panfleto chantagista da famiglia Civita, no governo Lula, derrubou, com a conivência do quinta-coluna Nelson Jobim, os delegados federais Protógenes Queiroz e Paulo Lacerda. Os dois foram acusados por um anônimo de ter grampeado uma conversa do então presidente do STF, Gilmar Mendes (ou Gilmar Dantas, conforme o colonista Ricardo Noblat) com o senador Demóstenes Torres, do Demo de Goiás. Até hoje a prova do “crime”, ou seja o áudio da conversa, não apareceu. E não vai aparecer porque foi uma armação tramada pelo megaguabiru Daniel Dantas para se vingar dos dois policiais federais. Daniel Dantas foi preso duas vezes pelo delegado Protógenes e foi solto graças a dois habeas corpos concedidos com a celeridade nunca vista no Judiciário brasileiro por Gilmar Mendes.

A bola da vez é o ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi (PDT), acusado, também sem provas, pela revista Veja. A exemplo de Orlando Silva, Carlos Lupi exigiu da Polícia Federal, do Ministério Público, da Controladoria Geral da União e do Tribunal de Contas da União uma profunda investigação das denúncias feitas pela panfletária revista de chantagem e repercutida à exaustão em especial pela Rede Globo.

O ministro Carlos Lupi é odiado pela direita e por todos os neoliberais porque logo que assumiu a pasta do Trabalho bateu de frente com os inimigos dos trabalhadores. Quando uma intensa campanha midiática para forçar o governo a flexibilizar a legislação trabalhista, Lupi declarou que enquanto fosse ministro nenhum direito trabalhista seria tungado. “Se houver flexibilização trabalhista é para ampliar direitos, jamais para subtraí-los”, enfatizou o ministro.

Com a grave crise do capitalismo em 2007 e 2008 nos Estados Unidos, e agora também na União Europeia, com epicentro na Grécia e atingindo em cheio a Itália, Espanha e Portugal, O Capital, de Karl Marx, tem sido o livro mais vendido, e o mais lido pelos jornalistas econômicos e por aqueles que buscam uma explicação para que está acontecendo no âmago do capitalismo.

Já nas redações da velha mídia brasileira e na cabeceira da cama dos colonistas e demais jornalistas amestrados, o livro Diário – as últimas anotações, de Joseph Goebbels (ministro da propaganda nazista), é o mais consultado. Goebbels ensinava que uma mentira repetida mil vezes torna-se verdade.

É imperioso desmascarar essa mídia golpista antes que seja tarde demais. A tática é fragilizar o governo da presidenta Dilma desmoralizando os seus ministros e os partidos aliados para deixá-la sem condições de governabilidade e apeá-la do poder. As centrais sindicais já se manifestaram publicamente em favor do ministro do Trabalho e denunciaram o caráter golpista da velha mídia, em especial da revista Veja e da Rede Globo. Quem será o próximo ministro a ser caluniado? Há quem aposte que o próximo será o da Previdência Social, Garibaldi Alves, e logo em seguida o da Educação, Fernando Haddad, forte candidato petista à Prefeitura paulistana.

A presidenta Dilma Rousseff não pode e não deve ser pautada pela mídia conservadora, venal e golpista. Ela deve saber que tudo o que é publicado na Veja não merece credibilidade. Deu na Veja, desconfie presidenta!

* Messias Pontes,

Jornalista, radialista e membro do PCdoB do Ceará.

DRU deve ter votação concluída nesta 4ª feira

“O governo decidiu deixar a conclusão do primeiro turno da votação da DRU (Desvinculação das Receitas da União) na Câmara para a tarde desta quarta-feira. Minutos antes, o texto principal que prorroga por mais quatro anos o mecanismo que dá mais flexibilidade aos gastos do governo foi aprovado por 369 votos a favor e 44 contra. Até agora, dois destaques que modificariam o texto foram rejeitados. Outros destaques ainda precisam ser analisados. Um deles, propõe a prorrogação da DRU por apenas dois anos.

A intenção do governo era concluir o primeiro turno da proposta ainda hoje. Depois de quase nove horas de discussão, no entanto, foi obrigada a adiar o restante da votação com o temor de ser derrotado em algum destaque importante. A DRU é um mecanismo que permite ao governo gastar livremente 20% de suas receitas e perderia a vigência em 31 de dezembro de 2011.

Para a prorrogação entrar em vigor, o texto ainda precisa passar pela votação em mais um turno na Câmara dos Deputados – o que pode acontecer ainda nesta quarta-feira. Além de seguir para duas votações no Senado. Tudo isso deve acontecer antes do recesso parlamentar (dia 23 de dezembro).

A desvinculação das receitas é um dos assuntos mais importantes para a presidente Dilma Rousseff no Congresso Nacional. Tanto que a ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) acompanhou a votação direto do gabinete do presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS). Preocupados com a falta de tempo hábil para a conclusão da votação na Câmara e no Senado, deputados tentaram viabilizar um acordo durante todo o dia de hoje.”

(Folha.com)