Blog do Eliomar

Categorias para Política

Ciro Gomes promete dar trégua a Jair Bolsonaro

1359 9

O ex-ministro Ciro Gomes (PDT), terceiro colocado na disputa presidencial, resolveu dar uma trégua ao futuro governo de Jair Bolsonaro (PSL). Ao colunista Eliomar de Lima, do O POVO, ele disse que fará uma “oposição vigilante” e bem diferente daquela que adora “ver o circo pegar fogo”, numa alusão ao PT, com quem reitera não querer conversa sobre arco oposicionista a partir de 2019.

“Desejo muito que ele (Bolsonaro) acerte a mão, que ele possa fazer o melhor possível, porque o povo brasileiro está muito sofrido e, de nossa parte, vamos dar um tempo e cobrar na sequência”. Ciro fez questão de afirmar que quer uma oposição baseada em ideias e não no “caudilhismo corrupto e corruptor”.

Sobre fusão de ministérios, tem restrições. Considera “uma lenda” que, inclusive, foi buscada no governo de Temer. “É preciso diminuir as estruturas por onde se esvai o dinheiro público”, observou.

Ele considera a criação de um superministério da Economia um risco, pois entrega o poder de planejar e controlar o orçamento na mão de uma pessoa só, no caso o economista Paulo Guedes, que não tem nenhuma vivência no setor público. “Tomara que dê certo. Mas a probabilidade é pequena.”

Ciro vai gravar hoje, em São Paulo, entrevista para o programa do jornalista Roberto D’Ávila, da GloboNews.

PF deflagra operação sobre suposta propina da Odebrecht para Romero Jucá

A Polícia Federal deflagrou, nesta manhã de quinta-feira,  uma operação para investigar suposta propina paga pela Odebrecht para o senador Romero Jucá (MDB-RR). A propina seria em troca da aprovação, em 2012, de uma resolução no Senado para o setor de portos.

A informação é do Portal G1, ressalvando que Romero Jucá, no entanto, não é alvo direto da ação desta quinta, chamada de Armistício. A operação faz parte de um inquérito, já aberto no Supremo, no qual o senador é investigado.

Os alvos desta operação, mantidos sob sigilo, são pessoas que teriam se beneficiado da resolução aprovada no Senado. De acordo com a PF, o senador teria recebdio ilegalmente R$ 4 milhões da Odebrecht. A resolução de 2012 restringia a chamada guerra fiscal nos portos.

Todos os mandados da Armistício são de busca e apreensão e são cumpridos nas seguintes cidades: 7 em São Paulo; 1 em Santos; 1 em Campo Limpo Paulista.

Aprovação do aumento de salário dos ministros do STF é derrota para Jair Bolsonaro

178 4

Os apelos do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) para que o salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal  não fosse aprovado pelo Congresso não surtiram efeito.

O Senado, sob comando do emedebista Eunício Oliveira, aprovou nessa noite o reajuste de 16% para os magistrados, o que deverá provocar efeito cascata.

E um rombo nas contas do futuro governo de Bolsonaro superior a R$ 6 bi, de acordo com cálculos de membros da futura gestão.

(Com O Globo/Foto – Agência Brasil)

Com reajuste salarial, STF deve enfrentar auxílio-moradia, diz Toffoli

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, agradeceu ao Senado por ter aprovado nessa quarta-feira (7) o reajuste dos salários dos ministros da Corte e disse que deverá agora enfrentar a questão do auxílio-moradia do magistrados.

“Com a aprovação do novo subsídio, nós poderemos agora resolver essa questão do auxílio-moradia. Vou conversar com o relator, o vice-presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Luiz Fux, para ver a melhor hora de deliberarmos a respeito”, disse Toffoli à TV Justiça, após evento no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Desde a primeira entrevista após assumir a presidência do Supremo, Toffoli tem declarado que pautaria o auxílio-moradia para julgamento em plenário após ser aprovado o aumento de salário dos ministros do STF pelo Senado. “Agradeço em nome de todo o Poder Judiciário a aprovação desse projeto”, disse.

Toffoli afirmou que, no que concerne ao orçamento do Poder Judiciário, o reajuste para toda a magistratura já está contabilizado, e os recursos serão remanejados de outros itens orçamentários. O ministro voltou a afirmar que não se trata de um aumento, mas de uma “revisão de inflação”.

(Agência Brasil)

Diplomação de Bolsonaro é marcada para 10 de dezembro, confirma TSE

A diplomação do presidente eleito Jair Bolsonaro foi marcada para 10 de dezembro, às 11h, nove dias antes do prazo final definido no calendário eleitoral. A informação foi confirmada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Pela manhã, a presidência do TSE entrou em contato com o ministro extraordinário Onyx Lorenzoni para discutir a realização da solenidade antes de 19 de dezembro, conforme previsto anteriormente. Esta é a data limite para o ato.

No contato com Lorenzoni, o TSE sugeriu que a campanha de Bolsonaro antecipasse em cinco dias sua prestação de contas final, cujo prazo limite para entrega é 17 de novembro. Desse modo, a corte tem como adiantar também o julgamento das contas, que deve ser feito antes da diplomação.

A antecipação da diplomação foi feita de comum acordo tendo em vista que Bolsonaro deve ser submetido a uma cirurgia em 12 de dezembro, para a retirada da bolsa de colostomia que vem sendo utilizada por ele desde que levou uma facada, em 6 de setembro. Será a terceira cirurgia de Bolsonaro em decorrência do ataque.

(Agência Brasil)

Salmito destaca retomada das obras da linha leste do metrô de Fortaleza

O presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Salmito (PDT), deputado estadual eleito, parabenizou nesta quarta-feira (7), em Bogotá, na Colômbia, o governador Camilo Santana (PT) pela retomada das obras da linha leste do metrô.

Salmito disse que o reinício das obras significa trabalho e compromisso honrado de Camilo.

Tasso Jereissati tem nome articulado para presidir o Senado

O tucano Tasso Jereissati tem aparecido como terceira via para a presidência do Senado. O fato dele não ter declarado voto pró-Jair Bolsonaro tem atraído partidos da oposição.

Tasso ainda é ficha limpa, o que agrada ao futuro governo. Mas o entrave é o reeleito Renan Calheiros (MDB-AL), que quer de novo comandar a Casa.

Curiosamente quem articula pró-Tasso Jereissati é o senador eleito Cid Gomes, que trabalha para congregar num bloco de oposição o seu PDT, o PSB e a Rede.

(Foto – Agência Brasil)

Bolsonaro reitera intenção de transferir embaixada para Jerusalém

O presidente eleito Jair Bolsonaro reiterou hoje (7) a possibilidade de transferir a Embaixada do Brasil em Israel de Tel Avivi para Jerusalém. “Quem decide a capital do Estado é o respectivo Estado. Não vejo o porquê desta celeuma toda”, reagiu o presidente eleito, após reunião com o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio de Noronha, e o futuro ministro da Justiça, o juiz federal Sergio Moro.

A cidade de Jerusalém está no centro de confrontos e disputas entre palestinos e israelenses, já que ambos os povos reivindicam o local como sendo sagrado. Para evitar o agravamento da situação, os países consideram Tel Aviv como a capital administrativa de Israel e é lá que ficam as representações diplomáticas internacionais.

Em dezembro do ano passado, no entanto, o governo do presidente norte-americano Donald Trump anunciou a decisão de transferir a representação norte-americana em Israel. Em maio deste ano, foi inaugurada a embaixada dos EUA em Jerusalém provocando reações e conflitos na região.

Proximidade

O presidente eleito também comentou a proximidade física da Embaixada da Autoridade Nacional Palestina do Palácio do Planalto. Uma área destinada a representações diplomáticas estrangeiras fica a 3 quilômetros de distância do Palácio do Planalto. “Ainda vamos discutir este assunto. O problema ali é que ela [a embaixada da Palestina] está muito próxima do Palácio do Planalto. Nenhuma embaixada poderia estar assim tão próximo do presidente da República. Nenhuma.”

Prejuízos

Questionado sobre se a mudança da Embaixada do Brasil de Tel Aviv para Jerusalém não causaria prejuízos comerciais e econômicos, o presidente eleito negou a possibilidade.

“Ninguém quer perder negócios. Prematura é qualquer retaliação, de uma parte ou de outra, por uma coisa que ainda não aconteceu, mas pode acontecer.”

(Agência Brasil)

Governadores temem privatização na área do saneamento do País

126 1

O Governo do Ceará divulga um Carta Aberta manifestando preocupação com mudança na Lei do Saneamento, que abre para privatizações na área. Confira:

Carta Aberta

O governador Camilo Santana, em conjunto com outros 21 governadores (entre atuais e eleitos), manifesta em carta aberta à população preocupação com a aprovação da Medida Provisória nº 844/2018, que altera o Marco Legal do Saneamento no país. A manifestação foi veiculada por meio da Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento (Aesbe) e aponta os principais riscos de desestruturação do setor de saneamento, caso a medida seja aprovada.

Entre os principais pontos de preocupação destacados na carta, refere-se ao artigo 10A da MP que retira dos municípios a prerrogativa de renovar a concessão com as companhias, obrigando que a renovação seja realizada por meio de licitação. Com isso, a medida inviabiliza a possibilidade de realização de subsídio cruzado, que permite que as companhias possam investir em cidades mais pobres com recursos arrecadados com a tarifa cobrada em cidades mais com maior potencial de arrecadação.

A MP também estimula participação privada apenas nos municípios de maior rentabilidade, ou onde as necessidades de investimento per capita são menores, o que pode aumentar as desigualdades entre cidades e regiões.

Na tarde de ontem (06), presidentes das companhias de saneamento do Brasil se reuniram na sede da Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento (Aesbe), em Brasília, para discutir e reforçar estratégias de posicionamento contrário à Medida, que está prestes a ser aprovada pela Câmara dos Deputados e Senado. A MP do Saneamento perde a validade no próximo dia 19 de novembro. Porém, da forma como está articulada em Brasília, as chances da Medida ser aprovada nos plenários da Câmara e do Senado são reais.

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Ceará
Gabinete do Governador.

SERVIÇO

*Confira AQUI na íntegra a Carta emitida pela Aesbe e assinada pelos governadores.

Ministério do Trabalho vai ser incorporado a outra área, avisa Jair Bolsonaro

Após reunião com o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), João Otávio de Noronha, e o futuro ministro da Justiça, Sergio Moro, o presidente eleito Jair Bolsonaro disse hoje (7) que pretende extinguir o Ministério do Trabalho e fundi-lo a outra pasta. Ele não informou detalhes. “O Ministério do Trabalho vai ser incorporado a algum ministério, disse”

Criado há 30 anos, o Ministério do Trabalho divulgou nota ontem (6), por meio da assessoria, informando sobre a importância de ser mantido como uma pasta autônoma.

A nota diz que: “O futuro do trabalho e suas múltiplas e complexas relações precisam de um ambiente institucional adequado para a sua compatibilização produtiva, e o Ministério do Trabalho, que recebeu profundas melhorias nos últimos meses, é seguramente capaz de coordenar as forças produtivas no melhor caminho a ser trilhado pela nação brasileira, na efetivação do comando constitucional de buscar o pleno emprego e a melhoria da qualidade de vida dos brasileiros”.

Itamaraty

Questionado sobre o nome do futuro chanceler, Bolsonaro afirmou que busca um diplomata de carreira, sem viés ideológico. “Estamos buscando alguém sem o viés ideológico. Há vários nomes, e assim como na Defesa teremos um [militar] de quatro estrelas, no Itamaraty teremos um diplomata.”

O presidente eleito disse que pretende fechar representações brasileiras “ociosas”, sem citar quais seriam essas representações. A rede consular brasileira é uma das maiores do mundo, consiste em um conjunto de embaixadas, consulados e vice-consulados.

Bolsonaro reiterou ainda que vai viajar para os Estados Unidos, mas disse que seu estado de saúde por enquanto não o permite.

Banco Central

Bolsonaro afirmou ainda que o atual presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, poderá permanecer à frente do banco em seu governo. “Pode ser. O Paulo Guedes está com tudo rascunhado. Está em vias de ser anunciado.” Mais cedo, Goldfajn não quis confirmar essa possibilidade.

O presidente eleito confirmou a unificação das pastas da Justiça e Segurança Pública em uma única – a da Justiça sob comando do juiz federal Sergio Moro. Ele disse ainda que, por sugestão do setor produtivo, Agricultura e Meio Ambiente permanecerão separados.

GSI

Ao ser questionado sobre o porquê de ter nomeado o general da reserva Augusto Heleno para o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e, não mais a Defesa, Bolsonaro afirmou que o militar é fundamental ao seu lado. “Não posso prescindir da presença dele ao meu lado no Palácio do Planalto”, justificou o presidente eleito.

Bolsonaro afirmou que deve nomear o senador Magno Malta para algum cargo no governo, mas não disse para qual pasta. “Não deve haver um Ministério da Família [conforme vem sendo anunciado], mas [a indicação] já está em andamento, está sendo tratado com o Onyx Lorenzoni.”

“Quando os homens maus falam em nome de Deus e das armas, a vida corre perigo”

130 2

Com o título “A triste noite”, eis artigo de Rosemberg Cariry, cineasta e escritor. Ele chora a derrota da esquerda e lamenta ter eclodido das urnas “um País em seu feitio mais brutal, violento, racista e autoritário”. Confira:

Sim, choramos, porque os nossos olhos não acreditavam no que viam e os nossos corações não podiam aceitar sem dor tamanha tragédia. Cercado por um aparato militar, o líder racista, da extrema direita, violento e cheio de ódio, falava em nome de Deus, da família e da pátria, sob os aplausos dos fiéis seguidores.

Depois das lágrimas, os nossos olhos estavam mais límpidos e tudo ganhou uma insuportável transparência, nos adveio uma dolorosa lucidez. Sim, este é o País em que vivemos, em seu feitio mais brutal, violento, racista e autoritário. Sim, muitos colaboraram com a ascensão do fascismo, mas não todos. Como pode parte do povo brasileiro marchar de forma tão cega para o matadouro, arrastando consigo a outra parte? Como pode, de forma tão servil, renegar a liberdade? Agora, em vez de diálogos, mais repressão. Em vez de livros, mais armas. Em vez de escolas e universidades, mais presídios. Em vez de florestas, mais risco de sua destruição. Em vez de justiça social, mais favorecimento dos ricos. O grande capital está em festa, abertas foram as porteiras da grande colônia Brasil para o saque final. Aleluia, aleluia, gritam os neopentecostais, guiados por seus pastores em transe. Agora são livres para massacrar gays, atacar terreiros de umbanda, acabar com os índios hereges e tomar as suas terras. Em nome do Senhor, vão querer decretar o fim do livre pensar e do livre arbítrio. Tentarão impedir o nosso sonho, vigiando o nosso sono, mas o sono acabou.

Quando os homens maus falam em nome de Deus e das armas, a vida corre perigo. Sob o guarda-chuva da força e do arbítrio se abrigam os covardes. De tudo isso sabemos, mas também sabemos que, daqueles que resistem, virá a flor e a canção de liberdade.

Parafraseando Sartre, afirmo que, mais do que nunca, é preciso compreender que somos livres para escolher de qual lado estamos. Mais do que nunca se faz necessária a poesia e a arte. Entre ruínas e escombros, não nos deve faltar a coragem de lutar e recomeçar. Mas, por precaução, amigo, põe em dia o teu passaporte, consulta os mapas e refaz as trilhas.

(Para Chico Buarque – a canção que resiste).

*Rosemberg Cariry

ar.moura@uol.com.br

Cineasta e escritor.

Diplomação de Bolsonaro deve ocorrer no dia 11 de dezembro

A diplomação do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) deve ocorrer no próximo dia 11 de dezembro, segundo informação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Nesta manhã de quarta-feira, a presidência do TSE entrou em contato com o ministro extraordinário Onyx Lorenzoni para agendar a solenidade.

O TSE sugeriu a Onyx, coordenador do governo de transição e anunciado como futuro ministro da Casa Civil, que Bolsonaro e o PSL antecipem em cinco dias suas prestações de contas, cujo limite é o dia 17 de novembro.

Segundo o TSE, dessa forma será possível cumprir os prazos do calendário eleitoral e realizar a solenidade de diplomação do presidente eleito em 11 de dezembro – um dia antes da data prevista para que Bolsonaro se submeta a um procedimento cirúrgico.

A data limite para a diplomação é 19 de dezembro. Conforme o TSE, Onyx disse que irá consultar Bolsonaro e retomar o contato com o TSE até o meio-dia de hoje.

(Com Agência Brasil)

Haddad visita Lula após derrota nas urnas

Fernando Haddad, candidato do PT à Presidência da República neste ano, visitou, nesta quarta-feira, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na superintendência da Polícia Federal, em Curitiba (PR). A informação é do Portal Uol, adiantando ter sido a primeira vez que eles se encontraram após o resultado da eleição de 28 de outubro, quando Jair Bolsonaro (PSL) derrotou o petista no segundo turno.

O petista permaneceu por pouco mais de três horas com o ex-presidente, mas saiu do edifício direto para um táxi, que seguiria até o aeroporto, sem conceder entrevista à imprensa, que o aguardava no portão. Haddad ali chegou por volta das 8h45min e ingressou às 9 horas, horário autorizado para a entrada dos advogados, deixando o prédio aproximadamente às 12h10min. Haddad saiu do local sem dar entrevistas.

Lula está preso desde o dia 7 de abril por corrupção e lavagem de dinheiro. No segundo turno, no entanto, após a mudança de estratégia da campanha petista, Haddad deixou de vir a Curitiba para se encontrar com o ex-presidente.

(Foto – Reprodução de TV)

Transposição do São Francisco não termina neste ano. E agora?

Com o título “Transposição não termina este ano”, eis artigo do deputado federal reeleito Leônidas Cristino (PDT). O parlamentar diz, no testo, que a situação hídrica “é preocupante, porque as reservas hídricas disponíveis nos reservatórios que abastecem a Região Metropolitana de Fortaleza estão no limite”. Confira:

Depois de seis anos de seca, e neste ano uma estação de chuvas insuficiente para repor o estoque de água nos açudes que abastecem o Ceará, o estado espera com urgência pelas águas da transposição do rio São Francisco. O governo prometeu concluir a obra no começo deste ano. Adiou o prazo para agosto, depois para outubro, e agora diz que vai concluir a obra no final do ano. Mas não fala a verdade.

O governo Michel Temer vai deixar para o presidente eleito a responsabilidade de concluir as obras do Eixo Norte da transposição, que beneficiam Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba, sem cumprir uma promessa para com estes estados do Nordeste. Tenho denunciado a paralisação da obra, que o governo federal demonstra a falta de interesse e de compromisso para com o abastecimento de água da população desta região do País.

Tenho dúvidas se o próximo governo vai agir de modo republicano para com o Nordeste e dar a atenção que o Ceará merece, entregando esta obra pronta com a máxima urgência. As águas do rio São Francisco chegarão ao açude Castanhão através do Cinturão das Águas, o sistema de canais, túnel e estação de bombeamento construído pelo governo do Ceará.

A situação é preocupante, porque as reservas hídricas disponíveis nos reservatórios que abastecem a Região Metropolitana de Fortaleza estão no limite. O açude Banabuiú, de 1,6 bilhão de metros cúbicos, está com apenas 5,88% da capacidade de armazenamento. O açude Castanhão, com capacidade para 6,7 bilhões de metros cúbicos, conserva 5,50% do estoque máximo. O açude Orós, que pode estocar até 1,9 bilhão de metros cúbicos, mantém apenas 6,86% da sua capacidade.

Da tribuna da Câmara dos Deputados, cobrei solução nas obras da transposição nos dias 10 de novembro de 2016, 9 de fevereiro de 2017 e 7 de março de 2017. O assunto pautou novos discursos nos dias 14 e 23 de março, 17 de maio e 6 de dezembro de 2017. Este ano, voltamos ao tema no dia 8 maio. O governo Temer optou pela vacilação e morosidade, não por falta de conselhos e soluções jurídicas e de engenharia apontadas por mim e alguns técnicos da área.

*Leonidas Cristino

dep.leonidascristino@camara.leg.br

Deputado Federal (PDT).

Salmito Filho participa de conferência em Bogotá

O presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Salmito Filho (PDT), agora deputado estadual eleito, encontra-se em Bogotá, capital da Colômbia, a convite do Banco Latino-Americano de Desenvolvimento (CAF).

Ele participa de conferência internacional que trata sobre projetos inovadores nas gestões públicas das cidades da América Latina. Salmito gravou, inclusive, vídeo para suas redes sociais.

Ao lado de Toffoli, o presidente eleito pede união entre poderes para governar

O presidente eleito Jair Bolsonaro disse hoje (7), ao lado do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, disse que “ninguém governa sozinho” um país como o Brasil. Ele apelou para a união entre os Poderes – Executivo, Legislativo e Judiciário. “Não sou eu, nós não podemos errar.”

Bolsonaro prometeu trabalhar em conjunto com os poderes Judiciário e Legislativo a fim de aperfeiçoar as leis de combate à violência e à criminalidade. “O Brasil tem desafios enormes a serem vencidos, mas temos potencial para superá-los.”

O presidente eleito disse que entre os desafios estão a necessidade de mudanças nas regras da Previdência Social, na responsabilidade fiscal e tributária e na melhoria da segurança pública. “Temos grandes desafios, mas com a união das autoridades e do povo, temos condições de encontrar alternativas”, destacou.

O presidente da Corte defendeu a necessidade de um pacto republicano. “Da parte do STF, estamos honrados com sua manifestação de que manterá o diálogo [com as demais instituições]. Tenho certeza de que este gesto de respeito à Constituição e às instituições renova a democracia”, disse Toffoli.

Agenda

Bolsonaro se encontra hoje à tarde com o presidente Michel Temer para formalizar o início do governo de transição. Em Brasília desde ontem (6), o presidente eleito já conversou com comandantes do Exército, da Marinha e Aeronáutica, além do ministro da Defesa e dos presidentes do STF e do Superior Tribunal de Justiça, João Noronha.

(Agência Brasil)

AFBNB mobiliza parlamentares e entidades da sociedade civil em defesa dos fundos constitucionais

157 1

Rita Josina comanda a entidade.

A Associação dos Funcionários do Banco do Nordeste do Brasil (AFBNB) está mobilizando trabalhadores, entidades da sociedade civil e parlamentares da Região Nordeste. O objetivo é pressionar pela manutenção do veto 22/2018, referente a artigo da Lei 13.682/2018. O veto diz respeito à utilização de recursos dos fundos constitucionais, como o Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), para equalizar as taxas de juros das aplicações do BNDES em investimentos nas regiões Norte e Nordeste.

A mobilização, segundo a assessoria de imprnes ada AFBNB, está sendo realizada devido à previsão de que a matéria ainda pode ser votada nesta semana no âmbito do Congresso Nacional.

No entendimento da entidade, utilizar o FNE para subvencionar aplicações de recursos por parte do BNDES em projetos de infraestrutura resultaria em retirar verbas que seriam destinados para aplicação em outras atividades produtivas no Nordeste, onde a maioria mini, micro e pequenos empreendimentos rurais e urbanos necessitam de crédito adequado à sua realidade para gerar emprego e renda.

(Foto – Reprodução de Youtube)

Estudo sobre homicídios na adolescência ganha prêmio internacional

1589 12

Renato Roseno (PSOL) foi relator do estudo.

“Trajetórias Interrompidas”, estudo elaborado pelo Comitê Cearense pela Prevenção de Homicídios na Adolescência (CCPHA), com apoio do Instituto OCA, foi considerado uma das três melhores pesquisas inscritas no concurso “Best of UNICEF Research 2018”. A publicação concorreu com outras 108 pesquisas internacionais e foi considerada pelo UNICEF como “altamente criativo e original”.
O resultado do concurso foi comunicado na última tarde (6) ao presidente da Assembléia Legislativa, Zezinho Albuquerque, que deve destacar a premiação logo na abertura da sessão desta quarta-feira.

Segundo o documento enviado à presidência da Assembleia, “os avaliadores ficaram particularmente impressionados com o potencial de impacto sócio-econômico e político e da força do relatório como ferramenta de defesa de direitos humanos”.

“Trajetórias interrompidas” analisa os homicídios na adolescência em Fortaleza e em seis municípios do Ceará (Caucaia, Eusébio, Horizonte, Maracanaú, Sobral e Juazeiro do Norte). Por meio de grupos focais e de entrevistas com os familiares dos adolescentes assassinados em 2015, o estudo reconstrói sua trajetória de vida, tirando-os da invisibilidade
dos números e siglas que os cercam.

Para o deputado estadual Renato Roseno, relator do CCPH, a premiação “reconhece a relevância do trabalho do Comitê e o acerto de dar prioridade ao paradigma da Prevenção da violência. Dividimos esse reconhecimento com a equipe técnica, ativistas, profissionais, coletivos, organizações e familiares dos jovens que contribuem diariamente para a promoção da vida. O desafio continua sendo a implementação das 12 recomendações indicadas pelo Comitê desde 2016. Reafirmo a urgência da execução dessas medidas num cenário cada vez mais grave”.

SERVIÇO

*Para conferir a publicação – www.cadavidaimporta.com.br

(Foto – (ALCE)

Firmo de Castro entra no páreo para presidir o Banco do Nordeste

552 7

Pela experiência e serviços prestados para o Nordeste principalmente, o setor produtivo cearense avalia que Firmo de Castro, ex-deputado federal e autor do projeto que institui os fundos constitucionais, como o FNE, é o melhor nome para presidir o Banco do Nordeste na Era Jair Bolsonaro.

Há consenso entre federações da indústria e de agricultura da região no aspecto de que um técnico deve ser nomeado para comandar o BNB. Firmo tem todas essas características.

A ideia vem sendo amadurecida e deve ser levada, inclusive, aos parlamentares cearenses eleitos em outubro e que apregoam prestígio com o novo presidente. Na sexta-feira, haverá almoço de lideranças empresariais de vários setores com a cúpula do PSL de Bolsonaro, a partir das 12 horas, no Ideal Clube.

Firmo de Castro também integra a Rede Nordeste que discute questões do interesse da região no âmbito federal. Também é consultor da Federação das Indústrias do Ceará.