Blog do Eliomar

Categorias para Política

PSDB deve oficializar pedido ao MP para apurar denúncias de Cid Gomes

149 2

O ex-deputado estadual Marcos Cals, eleito no fim de semana presidente estadual do PSDB, comandará, às 18 horas desta quinta-feira, a primeira reunião da nova escutiva do partido. O encontro ocorrerá em seu escritório político (Rua 25 de Março, 685/Centro) e terá como pauta a crise envolvendo o governador Cid Gomes (PSB) e o ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento.

Marcos Cals irá propor à executiva estadual que o PSDB solicite à Procuradoria Geral da República no Estado a apuração “rigorosa” das acusações apresentadas pelo governador e que falam de corrupção no âmbito do DNIT.
 
“Essas acusações são de extrema gravidades. Entendo, inclusive, que caberá ao próprio governador – assim que solicitado pelo Ministério Pùblico, apontar os fatos que o leveram a fazer tais acusações”.

Em contato com o Blog, Marcos Cals reforçou seu propósito de “modificar o posicionamento” do partido no Estado. “Nosso papel será de oposição”, afirmou.

VAMOS NÓS – Mesmo assim, a legenda empurra com a barriga decisões como, por exemplo, punir ou não os chamados infieis. Entre esses casos, o mais badalado é o do deputado estadual reeleito Gony Arruda, hoje secretário estadual dos Esportes.

Entidades empresariais divulgam nota de repúdio à situação das rodovias federais no Ceará

293 5

Com o título “Nota de Repúdio à Situação das Rodovias Federais do Ceará, o Centro Industrial do Ceará (CIC) e outras entidades empresariais liberaram, nesta quinta-feira, nota acerca do problemas das estradas, aquele que serviu de mote na briga do governador Cid Gomes (PSB) com o ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento.

A nota é assinada por nove entidades: Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL), Câmara de Diretores Lojistas (CDL-Fortaleza), Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará (FAEC), Federação das Associações do Comércio, Indústria, Serviços e Agropecuária do Ceará (FACIC), Associação Comercial do Ceará (ACC), Federação do Comércio do Estado do Ceará (Fecomércio) e Associação dos Jovens Empresários (AJE).

Essas entidades se dizem indignadas “com a precariedade das rodovias que estão, em sua maioria, esburacadas, sem sinalização, sem acostamentos com trechos perigosos, com perdas de vidas humanas e prejuízos materiais.” Ressalta também a “discriminação na distribuição dos recursos para as obras de conservação e de construção de novas Brs, além das necessidades do Estado.”

EIS A NOTA

Sobral será sede de debate sobre Plano Nacional de Educação

222 1

A cidade de Sobral (Região Norte) será sede do próximo debate sobre o Plano Nacional de Educação. O evento ocorrerá dia 30 próximo, a partir das 8h30min, na Escola de Artes e Ofícios (ECOA), por iniciativa do deputado federal Chico Lopes (PCdoB) e de outros integrantes da Comissão Especial do PNE no Congresso Nacional.

Segundo o parlamentar, serão realizados sete seminários sobre o tema no Ceará com o objetivo de levar a professores de todas as regiões as discussões sobre o Plano, que estabelece as diretrizes da educação brasileira para os próximos 10 anos.

O primeiro seminário foi realizado na última segunda-feira, em Fortaleza. Depois de Sobral, virão encontros em Crateús, Juazeiro do Norte, Maracanaú, Limoeiro do Norte e Quixadá, adianta Chico Lopes.

Ipea promove debate sobre pobreza extrema no Brasil

“Um dos principais realizadores de estudos sobre o enfrentamento da pobreza no país, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) inicia uma série de seminários, em diferentes capitais brasileiras, sobre a dimensão e a medida da pobreza extrema no Brasil. A intenção é reunir representantes do Ipea, do governo federal e de institutos de pesquisa estaduais para discutir o tema, obtendo-se, assim, um perfil local do combate à miséria.

O primeiro seminário da série será realizado em Brasília, nessa sexta-feira, dia 20, no auditório do Ipea (Setor Bancário Sul, Quadra 1, Edifício BNDES, subsolo). Marcio Pochmann, presidente do Ipea, Arlete Sampaio, secretária de Desenvolvimento Social e Transferência de Renda do Distrito Federal, e Oswaldo Russo de Azevedo, diretor de Estudos e Políticas Sociais da Companhia de Planejamento do DF (Codeplan), vão compor a mesa de abertura.  

Em seguida, o Instituto apresentará um estudo inédito sobre o tema, e Jorge Abrahão, diretor de Estudos e Políticas Sociais do Ipea, se juntará a Arlete Sampaio e Oswaldo Russo para o painel de debates. A moderação ficará a cargo de Luciana Acioly, chefe da Assessoria Técnica da Presidência do Ipea.”   

(Com Ipea)

Ciro deve deixar PSB, mas Cid nega o fato

189 4

“O ex-ministro da Integração Nacional Ciro Gomes está com um pé no PDT do ex-colega Carlos Lupi, ministro do Trabalho. A convivência dele e do irmão Cid Gomes (PSB), governador do Ceará, com o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, presidente do PSB, está cada vez mais difícil. Cid Gomes protagonizou nesta semana o mais grave ataque já sofrido por um integrante da equipe do governo Dilma Rousseff, no caso, o ministro dos Transportes.

Eduardo Campos, que sempre agiu como bombeiro nessas situações, não moveu uma palha para abafar a crise. Lavou as mãos. No fundo, cansou das diatribes dos irmãos Gomes. E considera a saída de Ciro e de Cid do PSB um assunto fora de seu controle.

Para alguns dirigentes do PSB, pode ser muito mais uma solução do que um problema.”

(Coluna Brasília DF – Luiz Carlos Azedo) 

DETALHE -Nesta semana, no O POVO, Cid Gomes negou que vá deixar o PSB.

Palocci, o grande devedor

Com o título “Palocci, o devedor”, eis artigo do jornalista Jânio de Freitas publicado na Folha desta quinta-feira. Para ele, o ministro não está adotando uma linha de defesa; é só uma linha de fuga e despistamento no que diz respeito ao aumento do seu patrimônio 20 vezes em quatro anos. Confira: 

A parte valiosa na nota explicativa do ministro Antonio Palocci, o único trecho em que não repete seu velho truque de embaralhar assuntos, contém a revelação, despercebida, de que a colheita para o seu patrimônio aumentou em mais do que as 20 vezes constatadas nos R$ 7,4 milhões de dois imóveis comprados.

No antepenúltimo dos 13 itens de pretensas explicações, diz a extensa nota com referência à empresa Projeto, em cujo nome o ministro pôs seu novo patrimônio: “A gestão dos recursos financeiros da empresa foi transferida a uma gestora de recursos, que tem autonomia contratual para realizar aplicações e resgates, de modo a evitar conflito de interesse”.

Durante os quatros anos como deputado, de 2007 a 2010, portanto, o hoje ministro teve também ganhos em dimensão que justifica a entrega, sob a forma de “recursos financeiros” e não de imóveis, à gestão de empresa especializada “com autonomia para aplicações e resgates”, como é próprio de patrimônio em títulos ou espécie.

Esse acréscimo à parte constatada do veloz patrimônio não se traduz em comprovação de ilícito na maneira de obtê-lo, dada por Palocci como “remuneração” de “serviços para a iniciativa privada”, “atividade de consultoria”. É o máximo que diz sobre a procedência do novo patrimônio.

No restante, manobra exaustivamente como se questionado por atividade empresarial imprópria a deputados, invocando 273 que a têm (o que deveria ser e não é ilegal). E, ainda, sobre pagamento de impostos e legalidade da Projeto. A mesma tática de ter um assunto pela proa e agir como se fosse outro, tal como o uso que pretendeu com a atribuição de venalidade ao caseiro Francenildo Costa.

Palocci não está adotando uma linha de defesa. É só uma linha de fuga e despistamento. Praticada pela mobilização urgente do PT e do PMDB, que não se cansam de proclamar “o assunto encerrado” – até que o senador Humberto Costa, o deputado Cândido Vaccarezza e outros sem-cerimônia precisem correr para novas defesas fugitivas de Palocci e deles mesmos.

Como ocupante de um cargo da altitude de chefe do Gabinete Civil da Presidência da República, qualquer um tem o dever, com o país, de prestar informações quando atingido por suspeita. A situação de Palocci vai além: seus antecedentes robustecem as suspeitas e o seu dever de esclarecimento.

Mais ainda, bancar seu retorno ao governo apesar dos antecedentes, e para o cargo que tem com a influência que tem, foi uma atitude de Dilma Rousseff que não deveria ser retribuída com máculas que contaminem o governo.

A atitude atual de Antonio Palocci já expele efeitos tóxicos. A ética de um governo não está só nas suas decisões. Depende também da conduta e do conceito de seus integrantes. E, ao deixar a primeira sob dúvidas graves e o segundo com a recuperação em suspenso, Palocci compromete o governo de Dilma Rousseff. Já transfere para a própria presidente a expectativa da opinião pública e suas consequências onerosas.

Apesar do seu admirável patrimônio, Antonio Palocci é um grande devedor.

Crise envolvendo Palocci mostra fragilidade de articulação política do Governo Dilma

“A crise provocada pela revelação da evolução patrimonial do ministro da Casa Civil, Antonio Palocci, expôs a fragilidade da articulação política do governo de Dilma Rousseff. Apesar dos esforços do Palácio do Planalto e do próprio Palocci em afirmar que o episódio está encerrado e que a rotina palaciana segue em clima de normalidade, a avaliação entre os principais aliados da presidente é que ela está excessivamente fechada, e seu governo, sem comando na área política.

As queixas entre parlamentares da base sobre problemas na articulação política do governo vinham sendo ouvidas há algumas semanas, mas cresceram principalmente por causa da crise envolvendo o ministro Palocci, que era, de fato, o verdadeiro interlocutor político do governo petista.

Diante desse quadro, já há no governo quem defenda a substituição imediata do chefe da Secretaria de Relações Institucionais, ministro Luiz Sérgio, considerado fraco para o cargo. A ausência da presidente Dilma no cenário político e a falta de diálogo com os partidos são apontadas frequentemente como a origem do problema nesta área.

– Está todo mundo impressionado com a ausência de comando. Parece que o piloto sumiu. A conclusão é que Luiz Sérgio vai ter de sair. Pois quem articula na crise? Ninguém. E isso aumenta a impressão de que a coisa é mais grave – avaliava ontem um senador petista.

Temor de que novos fatos compliquem situação de Palocci

O temor é que novos fatos e revelações possam complicar mais a situação de Palocci. A recomendação dos governistas no Congresso é que a presidente Dilma fuja do atual isolamento que se impôs e comece a criar fatos positivos para o governo. O ex-presidente Lula vinha advertindo a sucessora sobre a necessidade de retomar viagens pelo país e contatos com a população, a exemplo dele.

– Palocci, por enquanto, mantém-se firme no cargo, mas a articulação política do governo com esse episódio implodiu de vez – acrescentou outro governista.

Apesar do clima de insatisfação nos bastidores com a condução adotada pelo Planalto para a crise de Palocci, o discurso público dos aliados de Dilma é que o episódio está superado. Foi isso que o líder do PMDB, deputado Henrique Eduardo Alves (RN), disse após reunião ontem com Palocci.

– Só discutimos Código Florestal. O ministro está tranquilíssimo. Para o PMDB, a questão sobre a evolução patrimonial de Palocci está encerrada.

Embora considere legítimas as cobranças da oposição por explicações do ministro, o líder do PMDB acha que houve um certo exagero:

– A oposição exagerou na dose ao tentar convocar o ministro no plenário da Câmara. Por isso teve apenas 80 votos.

O presidente do PT, Rui Falcão, minimizou interpretações de que Palocci tenha sido vítima de “fogo amigo”.

– Não sei de onde surgiu isso. Não sei de onde partiu ou qual a motivação (do vazamento). Para mim, essa é uma questão encerrada que não abala a credibilidade do governo nem do ministro Palocci. Não resta nenhum tipo de suspeita sobre sua reputação ou sua imagem – disse Falcão.

Ele não acredita que a pressão da oposição tenha mais consequências:

– Vendo as declarações do Aécio ontem, não vejo preocupação com isso. Não partiu do PSDB nenhuma iniciativa mais incisiva. O que vi foram iniciativas partidárias isoladas para dar mídia, fazer espuma! Não acho que vá ser convocado para depor no Congresso, porque já prestou contas em todos os órgãos cabíveis. Palocci não vai cair. O caso está sepultado. É muito barulho por nada.”

 (Globo Online)

Agentes da AMC fazem ato para denunciar assédio moral

271 3

Os agentes de trãnsito da AMC vão realizar uma assembleia geral, a partir do m eio-dia desta quinta-eira, em frente a sede do órgão. A categoria, em estado de greve, fará também um ato de protesto contra o assédio moral que estaria sendo praticado pelos dirigentes da AMC.

O alvo principal desse protesto é o coronel reformado Gilson Liberato, chefe da Divisão de Operações e Fiscalização desde a época do ex-prefeito Juraci Magalhães.

Os agentes da AMC reivindicam melhores condições de trabalho e de salário e mais concurso público.

Viva Natureza! Vereador quer proibir uso de sacos plásticos no comércio de Fortaleza

310 3

“O uso de sacolas plásticas no comércio de Fortaleza poderá ser proibido, seguindo exemplo de Capitais como Rio, Belo Horizonte e São Paulo. O vereador Guilherme Sampaio (PT), autor de projeto nesse sentido, mas que tramita na Câmara Municipal desde 2007, quer retomar o debate.

Com esse objetivo, ganhou apoio do presidente da Casa, Acrísio Sena (PT), e vai realizar audiência pública com setores envolvidos.

Para quem aposta em sustentabilidade, eis um projeto que precisa ser apoiado. ”

(Coluna Vertical, do O POVO)

Desembargador ganha título de cidadania cearense

O desembargador Francisco Sales Neto receberá, nesta sexta-feira, às 19 horas, na Assembleia Legislativa, o título de Cidadão Cearense. A iniciativa é do ex-deputado Francini Guedes. Natural de Catolé do Rocha, na Paraíba, Sales Neto nasceu em 4 de setembro de 1945. 

Sales Neto Chegou ao Ceará em 1965, aos 19 anos de idade. Seu primeiro trabalho foi como professor primário do Colégio Brasil, em Fortaleza. Em seguida atuou como advogado na cidade de Morada Nova. Depois exerceu o cargo de promotor de Justiça em Jaguaruana e, em 1979, assumiu o cargo de juiz Substituto de Alto Santo.

Ministros aceitam fechar empresas se Comissão de Ética pedir

“Dos cinco ministros do governo Dilma Rousseff que têm empresas privadas ativas de consultoria, como revelou nesta quarta-feira, 18, o Estado, quatro informaram estar dispostos a mudar o objeto social do negócio, se a Comissão de Ética do Palácio do Planalto assim determinar. Três admitem até fechar a empresa, caso a comissão veja conflito de interesse entre o negócio e a função pública.

Os ministros Fernando Bezerra Coelho (Integração Nacional), Fernando Pimentel (Desenvolvimento, Comércio e Indústria), José Eduardo Cardozo (Justiça), Leônidas Cristino (Portos) e Moreira Franco (Assuntos Estratégicos) mantêm empresas de consultoria. Nenhum foi alertado pela Comissão de Ética sobre o risco de haver conflito de interesses, ao contrário do que teria ocorrido com o ministro Antonio Palocci (Casa Civil).

Titular de 99% da P21-Consultoria e Projetos Ltda., com sede em Belo Horizonte, Fernando Pimentel informou que saiu em dezembro da administração da empresa e que, desde novembro, a consultoria não presta serviço a nenhum cliente.

Ontem, em Ipatinga (MG), Pimentel defendeu o direito de políticos abrirem empresas. “Não podemos vedar às pessoas (o direito) de ganhar a vida no momento em que elas saem da vida pública e vão para a vida privada, senão você teria que impor uma quarentena eterna aos ex-ministros”, disse.

Chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE), Moreira Franco informou que pediu a desativação de sua consultoria em 2007, mas o processo estaria travado na Receita Federal. “No Brasil é muito fácil abrir empresa, mas é difícil fechar”, queixou-se Franco, em entrevista à rádio Estadão ESPN. O ministro disse ter aberto a empresa em 1999, quando não exercia mandato, mas ela nunca funcionou. “Foi uma experiência sem sucesso.”

(Estadão)

Xô, sangria! Garibaldi defende novas regras de aposentadoria para servidor público

171 2

“O ministro da Previdência, Garibaldi Alves Filho, fez um apelo hoje (18) para que a Câmara dos Deputados aprove o projeto de lei que cria a Previdência Complementar dos Servidores Públicos Federais. Durante audiência pública na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado, Garibaldi ressaltou a necessidade de se mudar as regras do regime de aposentadoria dos servidores públicos como uma das formas de “estancar a sangria” da Previdência.

Segundo dados apresentados pelo ministro, atualmente a Previdência Social tem déficit aproximado de R$ 52 bilhões por ano – arrecada R$ 22,7 bilhões e gasta R$ 73,9 bilhões. O déficit é oriundo do pagamento de R$ 44 bilhões em benefícios para 28,3 milhões de trabalhadores da iniciativa privada e R$ 52 bilhões pagos para apenas 950 mil servidores públicos federais aposentados.

“Se não estancarmos essa sangria a Previdência vai pagar muito caro, como já está pagando. Não é uma situação para se viver”, disse o ministro. “Faço um apelo para que a Câmara dos Deputados aprove o Projeto de Lei 19/1992 que cria a Previdência Complementar dos Servidores Públicos. Seria uma forma de estancar essa sangria. Os servidores públicos não têm teto. Para eles, o céu é o limite”, disse Garibaldi.

O ministro ponderou, no entanto, não ter nada contra os servidores públicos e que eles pagam por um “um sistema injusto”. Garibaldi apresentou ainda uma proposta do governo para diminuir as despesas da Previdência, que seria a substituição do fator previdenciário. Segundo ele, a medida que tinha intenção de retardar a aposentadoria atualmente serve apenas para diminuir o valor dos benefícios.

A ideia, disse o ministro, seria adotar uma fórmula que usaria um valor um pouco acima da média atual da idade da aposentadoria e esse valor seria aumentado em um ano a cada dois anos até o limite de 65 anos. Também poderia ser adotada a idade mínima de 65 anos para aposentadoria a novos trabalhadores e a fórmula 85/95 para aqueles que já estão no mercado de trabalho. Conforme esse método, o trabalhador poderia se aposentar quando a soma da sua idade com o tempo de contribuição for 85, no caso das mulheres, e 95, para os homens.

O senador José Pimentel (PT-CE), ministro da Previdência durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, lembrou que a proposta chegou a ser votada no Congresso, mas foi derrotada.

Garibaldi afirmou ainda que Previdência pretende adotar, até o ano que, vem uma série de medidas para melhorias a eficiência e diminuir os custos da pasta. Entre as ações estão a ampliação da cobertura previdenciária, excelência do atendimento, melhoria da gestão, revisão da concessão das aposentadorias por invalidez que tenham mais de dois anos, além de ações para diminuir os acidentes de trabalho, que custam aos cofres públicos, segundo Garibaldi, cerca de R$ 4 bilhões anuais.

Segundo o ministro, também está em análise a elaboração de propostas para mudar as regras dos pagamentos de pensões. Atualmente, afirmou ele, a Previdência paga pensões sem ausência de carência, não exige a comprovação da dependência dos beneficiários, por exemplo. “Há a necessidade de se rever isso. Em nenhum país do mundo eu creio que isso seja feito dessa forma”, ressaltou.”

(Agência Brasil)

Presidente da OAB Nacional volta a criticar Palocci

219 1

“O presidente nacional da OAB, Ophir Cavalcante, em sua primeira visita ao Recife, voltou ao criticar, nesta quarta-feira, o ministro da Casa Civil, Antônio Palloci, que teve seu patrimônio aumentado em 20 vezes. “Não houve ilegalidade, mas foge da razoabilidade. Temos sempre que questionar os homens públicos sobre atuação e patrimônio acumulado”, diz.

Contudo, Ophir admitiu que a Ordem não vai ter condições de fazer um combate mais incisivo “A Ordem tem limitações para fazer essa cobrança”, diz. A Comissão de Ética da Presidência da República já havia declarado que não há nenhuma irregularidade a investigar”, diz.

REFORMA POLÍTICA

Ophir defendeu o voto em lita fechada. “Isso vai dar mais transparência ao processo eleitoral”. Ophir criticoou os partidos políticos, que segundo ele, estão cada vez mais despretigiados. “Os partidos, hoje em dia, são verdadeiros feudos. As convenções são resolvidas às escondidas, os diretórios nacionais passam por cima das decisões dos municipais e estaduais”, condena.”

(JC Online)

No Ceará, a disputa 2014 passa por 2012

261 1

Eunício abraça Dilma, aos olhos de Cid e Luizianne Lins.

Eis artigo do publicitário e poeta Ricardo Alcântara. Intitulado “Um pé em 2012, de olho em 2014”, aborda um personagem que se move, dentro de um verdadeiro jogo de xadrez, aguardando a evolução dos fatos políticos: o senador Eunício Oliveira (PMD). Confira:

Pelo espaço que o assunto recebe na imprensa, nem parece que a eleição para prefeitura de Fortaleza será somente no próximo ano. Já foram vistos, pelo menos, dez prováveis candidaturas rondando o Palácio do Bispo.
 
Antes mesmo que se manifestasse, a precoce movimentação eleitoral que agora se observa já havia sido antecipada aqui. Razão de fundo: o momento da prefeita Luizianne Lins, em crise de prestígio com a população da cidade.
 
Há dias, Inácio Arruda deu sinais de que pretende ser candidato. Sabe que não terá o apoio do atual governador para se reeleger ao Senado e precisa manter uma liderança de seu partido no primeiro plano da política local.
 
Agora, é a capitania local do PMDB, cujo mandatário é outro senador, Eunício Oliveira, quem demonstra interesse em participar da disputa com nome próprio. Fala-se que Pio Rodrigues fora convidado, mas declinou.
 
O senador não esconde: pretende se candidatar ao Governo do Estado em 2014. Sabe – deveria saber, pelo menos – que não é o candidato com que sonha o atual governador e precisa construir uma alternativa própria.
 
Caso encontre um bom nome, o partido se colocaria em condições de disputa: compõe a base dos bem avaliados governo federal e estadual, tem generoso espaço para a campanha de televisão e muitos serviços prestados à capital.
 
Uma vitória fincaria em Fortaleza a bandeira da candidatura Eunício Oliveira ao governo, forçando os demais grupos a repensar suas estratégias. Eis aí uma peça que se move com potencial de catalisar futuros impasses.
 
Pelo que se vê, Eunício, que tem plano traçado para chegar ao Governo do Estado, não pretende morrer de véspera. Se sabe que precisará construir com força própria sua candidatura, já sabe o suficiente para reagir.
 
* Ricardo Alcântara,

Publicitário e poeta. 

Governistas derrubam requerimento que convocava Palocci para esclarecer aumento de patrimônio

216 1

O ministro da Casa Civil, Antonio Palocci, não precisará comparecer ao plenário da Câmara dos Deputados para dar esclarecimentos sobre o caso do aumento do seu patrimôno em mais de 20 vezes, conforme informações do Estadão.

Terminou agor ahá pouco a votaçao do requerimento do DEM e do PSDB que acabou derrotado pelo placar de 266 a 72.

Da bancada federal cearense, só o tucano Raimundo Gomes de Matos votou pela convocação do ministro. 

“Se o Conselho de Ética do Governo alega que não há probelmas com a vida financeira do ministro, porque então barrar sua convocação? Quem não deve, não teme!”, reagiu, no plenário, Gomes de Matos.

Pesquisa: Pai é o agressor de 40% das crianças vítimas de abuso

“Pesquisa realizada no Hospital das Clínicas (HC) da Universidade de São Paulo (USP) revela que o combate e a prevenção de abusos sexuais a crianças precisam ser feitos, principalmente, dentro de casa. Segundo o estudo, quatro de cada 10 crianças vítimas de abuso sexual foram agredidas pelo próprio pai e outras três, pelo padrasto. Segundo Antonio de Pádua Serafim, psicólogo e coordenador da pesquisa, em 88% dos casos de abuso infantil, o agressor faz parte do círculo de convivência da criança.

Os resultados foram obtidos após a análise de 205 casos de abusos a crianças ocorridos entre 2005 e 2009. As vítimas dessas agressões receberam acompanhamento psicológico no HC e tiveram seu perfil analisado pelo Programa de Psiquiatria e Psicologia Forense (Nufor) da instituição. O pai (38% dos casos) é o agressor mais comum, seguido do padrasto (29%). O tio (15%) é o terceiro agressor mais comum, antes de algum primo (6%). Os vizinhos representam 9% dos agressores e os desconhecidos são a minoria, representando 3% dos casos.

“É gritante o fato de o pai ser o maior agressor. Ele é justamente quem deveria proteger”, afirmou Serafim, sobre os dados da pesquisa, que ainda serão publicados na Revista de Psiquiatria Clínica da Faculdade de Medicina da USP. “As crianças são vítimas dentro de casa.”

O estudo coordenado pelo psicólogo mostra também que 63,4% das vítimas de abuso são meninas. Na maioria dos casos, a criança abusada, independentemente do sexo, tem menos de 10 anos de idade.

Para Serafim, até pela pouca idade das vítimas, o monitoramento das mães é fundamental para prevenção dos abusos. Muitas crianças agredidas não denunciam os agressores. Elas, porém, dão sinais de abusos em seu comportamento, de acordo com Serafim. Por isso, as mães devem estar atentas às mudanças de humor. “Uma mudança brusca é a maior sinalização de abuso”, disse.”

(Agência Brasil)

Diretores de hospitais querem conversar com a nova secretária municipal da Saúde

269 2

Os diretores dos hospitais de Fortaleza aguardam boa conversa com Ana Maria Fontenele, que assumiu a Secretaria Municipal da Saúde.

Querem conhecê-la e cobrar a liberação de R$ 6 milhões de repasses do SUS, avisa Aramicyr Pinto, dirigente da Federação Brasileira de Hospitais. São unidades que prestam serviços para o Município, o responsável pelas transferências liberadas pelo Ministério da Saúde.

Ana Maria Fontenele responde também pela pasta da Educação, já que, até agora, a prefeita Luizianne Lins (PT) não sinalizou para alguma nomeação. Ela entrou no lugar do médico Alex Mont’Alverne, hoje coordenando a área de Urgência, Emnergência e UPAs do Estado.

(Foto – Paulo MOska)

Trinta processos de distritos cearenses aguardam plebiscito pró-emancipação

224 1

“Trinta processos de distritos solicitando emancipação aguardam autorização do Tribunal Regional Eleitoral para a realização de plebiscito. São distritos com população acima de oito mil habitantes que, segundo a Comissão Especial Pro-Emancipação de Distritos, da Assembleia Legislativa, reúnem todas as condições técnicas para se transformar em cidade.

Nesse grupo, estão, por exemplo, Jurema (Caucaia), o maior distrito do País – com mais de 150 mil habitantes, Pajuçara (Maracanaú) e Pecém (São Gonçalo do Amarante), que acomoda um porto que virou a menina dos olhos gulosos de políticos que sonham em ser prefeito.

O deputado Delegado Cavalcante (PDT), membro da Comissão Especial Pró-Emancipações, da Assembleia Legislativa,  diz que emancipar é bom, pois vai gerar riquezas. Outros preferem apostar na tese de que isso signifique ratear a pobreza.”

(Coluna Vertical do O POVO)

PSDB nacional busca acordo antes da convenção

“A dias da conenção nacional que elegerá a nova Executiva do PSDB, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) saiu em campo para tentar pacificar o partido e evitar que a provável reeleição do deputado Sérgio Guerra (PSDB-PE) para o comando da sigla seja interpretada como uma derrota do ex-governador José Serra.

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, foi destacado por Aécio e Guerra para negociar com Serra a participação de seu grupo na Executiva Nacional. Até o próximo dia 28, data da convenção do partido, será discutida ainda a criação de um conselho político onde o próprio Serra poderá ter papel importante.

– Serra terá o espaço que quiser, pois é imprescindível para o futuro do PSDB. Onde ele estiver, vai poder contribuir. O PSDB é a soma de todos nós. Esse partido não vai ter dono. E é exatamente por isso que está fadado ao sucesso – disse Aécio.”

(O Globo)