Blog do Eliomar

Categorias para Política

Artur Bruno lidera frente Pró-Casamento Gay no Brasil

“Pré-candidato à Prefeitura de Fortaleza, o deputado Artur Bruno escolheu um tema polêmico para marcar o início de seu mandato na Câmara Federal. Ao lado do ex-BBB, deputado Jean Willys(PSOL-RJ) e das senadoras Marinor Brito (PSOL-PA) e Marta Suplicy(PT-SP), Bruno assumiu a liderança da Frente Parlamentar Pró-Casamento Gay no Brasil.

Essa frente lançada pelo petista em Brasília tem também a pretensão de defender os direitos dos homossexuais e de combater a homofobia no País. Esse movimento objetiva convencer os presidentes do Senado, José Sarney, e da Câmara, Marcos Maia, a colocar em pauta os projetos relacionados a esse tema.”

(Ceará Agora)

Maioria dos parlamentares do PSB aprova fusão com grupo de Kassab

 
Ariosto Holanda é contra a fusão.
 
“A maioria dos deputados e senadores do PSB apoia a fusão do partido com a nova legenda que o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, pretende criar. A Folha ouviu 32 dos 34 congressistas da sigla e 29 deles, ou 90%, defendem a fusão rápida ou veem com simpatia a ideia. Apenas três são contrários. O principal argumento dos favoráveis é que a articulação fortalecerá o PSB e dará mais condições para que o presidente nacional da sigla, o governador Eduardo Campos (PE), dispute a presidência da República.
“É muito importante a vinda dele [Kassab]. A gente vai se estruturar mais na região Sudeste”, afirma o deputado Gonzaga Patriota (PE). “Nenhum partido sobrevive sem ambição de poder”, diz Ribamar Alves (MA).
Dos 29 favoráveis, 21 defendem abertamente a ida de Kassab para o PSB. Outros oito congressistas, mesmo declarando estarem em “dúvida”, demonstram simpatia ao democrata. “O que eu posso dizer é que um prefeito da cidade do porte de São Paulo amplia qualquer partido”, afirma a senadora Lídice da Mata (BA).
A diferença de identidade entre Kassab, hoje em um partido de direita (DEM), e o PSB, um partido com ideais socialistas, é a principal preocupação dos três parlamentares que são contra a fusão. A ex-prefeita de São Paulo Luiza Erundina ameaça, inclusive, deixar o partido caso a ideia se concretize. “Pela incompatibilidade, incoerência que isso representaria. Eu seria uma estranha no ninho”, explica.
Erundina ressalva que nem foi procurada por Campos e diz também que nem sempre o crescimento é positivo. “Cresce, mas cresce inchando. O inchaço é doença e doença mata.”
Favorável à ida do prefeito para o PSB, o senador Rodrigo Rollemberg (DF) minimiza a diferença entre as bandeiras partidárias. “Os eleitores do Brasil hoje são de centro. O importante é se o político é bom administrador, não se o partido é de direita ou de esquerda.”
CONTRA
Para o deputado Dr. Ubiali (SP), “não existem mais partidos de esquerda ou de direita” no Brasil.
Os outros deputados contrários são Ariosto Holanda (CE), que classifica o atual cenário político como uma “geleia geral”, e Gabriel Chalita (SP), que tem ambições de disputar um cargo no Executivo em São Paulo. Defensor de Kassab, o deputado Ribamar Alves (MA) afirma que “a ambição pessoal não pode estar acima da ambição partidária”.
 
(Folha.com)

Presidência do PMDB dá calote na Câmara

“O PMDB, o maior partido do Brasil, ocupa uma sala de 146 metros quadrados na Câmara sem pagar aluguel por isso. Em 2008, a legenda chegou a pagar R$ 5.621 em um mês pela área. Mas, de acordo com funcionários da Tesouraria do PMDB, nada mais foi pago desde então. Se os valores estivessem sendo depositados na conta da Câmara nos últimos 35 meses, chegariam a quase R$ 200 mil, sem contar eventuais correções monetárias e valorizações imobiliárias. Este ano, o PMDB vai receber R$ 33 milhões do fundo partidário.

Pelas informações reunidas pelo Congresso em Foco até a noite de ontem (9), o PMDB era o único dos quatro partidos e respectivas fundações que ocupa o Legislativo sem pagar aluguel. As outras legendas cujas sedes funcionam no Congresso são DEM e PP. A Fundação Teotonio Vilela, do PSDB, também é sediada num espaço do Legislativo.

O presidente em exercício do PMDB, senador Valdir Raupp (RO), disse desconhecer a falta de pagamentos. Por meio de assessores, afirmou ter estranhado a situação. Ele determinou que a secretaria do partido levante todos os aluguéis pagos pela agremiação no Congresso. “É para saber quanto foi pago e por que não está pagando. Se é para pagar, tem que pagar; se não é para pagar, não se paga”, afirmou a assessoria de Raupp. O levantamento deve ficar pronto ainda nesta quinta-feira (10).

Em abril de 2008, a Diretoria Geral da Câmara informou que a presidência do PMDB ocupava uma sala de 146,3 m2 no edifício principal da Casa, pagando R$ 3.262 de aluguel e mais R$ 2.359 em taxas de rateio de água, luz, ramais, rede de dados e serviços de copa e limpeza. O local é o mesmo até hoje: térreo, ala B, sala 6 do edifício principal da Câmara, pertinho do plenário, o coração das decisões da Casa. Mas, de acordo com Gilberto Loyola, funcionário da Tesouraria do partido, o pagamento pela sala só aconteceu uma vez em 2008. De lá prá cá, se passaram 35 meses de ocupação gratuita do espaço pelo partido.

Uma razão para a não cobrança do aluguel é que, oficialmente, a Diretoria Geral da Câmara não reconhece a presença da presidência do PMDB na Câmara. Para ela, o que existe ali é a liderança do PMDB, em tamanho proporcional à bancada de 77 deputados. Mas os fatos mostram que a Liderança cedeu parte de seu espaço para a presidência do partido.

A Diretoria Geral da Câmara disse que tudo está dentro da normalidade. Informou que a liderança do PMDB pediu o espaço antes oficialmente usado pela presidência da legenda. “Se dentro dela, ela pegou um pedaço e colocou o PMDB para ficar mais fácil o relacionamento deles, não tem nada que impeça de fazer isso”, avaliou a administração da Câmara. Oficialmente, a presidência do PMDB não está mais na Casa, disse a Diretoria Geral.

Mas existem até placas da Câmara indicando que a sala 6 da ala B, no térreo, pertence à presidência do maior partido do Brasil, como mostra a foto ao lado. O site do PMDB e o registro da agremiação no Tribunal Superior Eleitoral também indicam aquele como o endereço oficial da legenda cujo presidente licenciado é o vice-presidente da República, Michel Temer.

A administração da Casa negou a possibilidade de a liderança do PMDB ter se utilizado de algum tipo de mecanismo para fazer a presidência da agremiação economizar R$ 5 mil por mês.

De acordo com a Tesouraria dos peemedebistas, o partido pagou taxas à Câmara apenas uma vez. “Na verdade, foi paga apenas um mês, salvo engano no ano de 2008. Ficou no âmbito lá que o espaço de fato é da Liderança”, esclareceu Gilberto Loyola, que executa funções operacionais na tesouraria do partido.”

(Congresso em Foco)

Assembleia manda nota para Blog explicando sobre Instituto Frei Tito

Da Assessoria de Comunicação do Poder Legislativo do Ceará, este Blog recebeu nota esclarecendo o caso da suspensão das atividades do Instituto Frei Tito. Confira:

Caro Eliomar de Lima,

A Assessoria de Comunicação da Assembleia Legislativa esclarece que a notícia relacionada à extinção do Instituto Frei Tito não procede. Ao contrário. O presidente Roberto Cláudio (PSB) recebeu propostas da Comissão de Direitos Humanos da Casa solicitando que a presidência apoiasse e ampliasse as ações desse Instituto, que é ligado a essa Comissão. 

O presidente Roberto Cláudio, além de já ter se comprometido a atender a solicitação  da Comissão, iniciou um trabalho de reestruturação do organismo, onde implicará, também, em alterações  nos seus quadros.

Entre outras  demandas da Comissão estão a readequação da estrutura física, melhoria das condições de trabalho dos estagiários e aumento do número de advogados, itens estes que o presidente do legislativo estadual já se comprometeu a implementar ao longo do seu mandato.

Assessoria de Comunicação da Assembleia Legislativa.

Moroni Torgan anuncia que volta a disputas em 2012

212 5

O ex-vice-governador e deputado federal Moroni Torgan desembarcará em Fortaleza no fim de dezembro próximo, após três anos a serviço da Igreja dos Mórmons em Portugal. A informação foi dada por seus amigos e ex-assessores que moram em Fortaleza e que, com ele, vêm mantendo contatos constantes.

Moroni virá com o objetivo de retomar sua carreira política e não dispensando, postular um mandato eleitivo. Ele continua filiado ao DEM e pensa em reforçar a legenda, com apoio da cúpula estadual, de olho em 2012 e também com a meta de prepará-la para 2014.

Bom lembrar que Moroni já disputou a Prefeitura de Fortaleza com Luizianne Lins. No primeiro embate e, em 2004, ele chegou a ir para o segundo turno e perdeu. No  pleito passado, Luizianne venceu logo no primeiro turno.

França reconhece rebeldes como "representantes legítimos" da Líbia

“O governo da França reconheceu oficialmente nesta quinta-feira (10) o Conselho Nacional de Transição (CNT) – a instância política dos rebeldes da Líbia – como o “representante legítimo” do país. A decisão foi anunciada depois de um encontro do presidente Nicolas Sarkozy, em Paris, com os enviados do grupo.

A decisão coloca ainda mais pressão sobre o ditador Muammar Gaddafi, que agora enfrenta não só a resistência feroz dos opositores, mas perde legitimidade diante da França, um importante ator da política internacional e membro permanente do Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas).

No último domingo (6), a França já havia “saudado” a criação do conselho, afirmando que apoiava os princípios e as metas fixadas, de acordo com comunicado do Ministério das Relações Exteriores.

Na ocasião, o porta-voz da chancelaria francesa, Bernard Valero, elogiou “a vontade de unidade que presidiu a instauração do conselho” e estimulou “os líderes e os movimentos que o compõem a prosseguir as ações com o mesmo espírito”.

No último sábado (5), o Conselho Nacional de Transição, criado pelos representantes da insurreição que luta desde 15 de fevereiro contra as tropas de Gaddafi, se reuniu e afirmou ser “o único representante da Líbia”.

No mesmo fim de semana, no Cairo, capital do Egito, o ministro das Relações Exteriores da França, Alain Juppé, afirmou que a Europa e a França “não podem tolerar a loucura criminosa” do regime de Gaddafi.”

(R7.com)

Raimundo Gomes: É absurdo o governo falar em cortar gastos e pensar em criar imposto

255 3

Essa é do Blog do PSDB nacional:

O deputado Raimundo Gomes de Matos (CE) criticou nesta quarta-feira (9) a intenção do governo federal de criar um mecanismo permanente de financiamento da Saúde. Em entrevista ao jornal “O Globo”, o ministro da pasta, Alexandre Padilha, evitou falar em uma nova CPMF, mas disse que caberá ao Congresso discutir esta e outras propostas nos próximos meses. Padilha também admitiu que a aprovação da Emenda 29 pode correr em paralelo à discussão sobre novas fontes de recursos para o setor.

 Segundo o tucano, é um absurdo o governo não reduzir os seus gastos e ao mesmo tempo penalizar o trabalhador com a criação de novos tributos. “Por que não acabar com dez ministérios e economizar bilhões de reais? 37 ministérios para que?”, questionou.

Em 2008, lideranças do governo na Câmara tentaram recriar um tributo nos mesmos moldes, a Contribuição Social para a Saúde (CSS), dentro do projeto que regulamenta a emenda. A proposta, porém, não chegou a ter sua votação concluída e está pendurada no plenário da Câmara até hoje. Segundo nota técnica produzida pela Liderança do PSDB na Câmara, se estivessem em vigor as regras definidas na proposta pendente de votação na Câmara por mera vontade do governo petista, o governo federal teria cerca de R$ 86 bilhões adicionais entre 2008 e 2011 para investir em ações nesta área.

Diante do impasse, o deputado também propõe que o PSDB e a oposição adotem uma data limite para a votação da mudança constitucional. Gomes de Matos quer mobilizar os parlamentares para aprovar o texto até 7 de abril, Dia Mundial da Saúde. “A ideia é dignificar todos que fazem a saúde brasileira com a aprovação da Emenda 29, mas sem a criação de impostos. Dessa forma, a população poderá ter um atendimento de melhor qualidade”, avaliou.

A Emenda 29 fixa os percentuais mínimos a serem investidos anualmente em saúde pela União, estados e municípios. Enquanto não é editada uma norma que fixe os porcentuais a serem investidos, o valor destinado pela União à Saúde é determinado pelo valor do ano anterior somado ao crescimento do PIB. Os estados ficaram obrigados a aplicar 12% da arrecadação de impostos, e os municípios, 15%. Trata-se de uma regra transitória, que deveria ter vigorado até 2004, mas que continua em vigência por falta de uma lei complementar que regulamente a emenda.

Ministra divulga mensagem com críticas a Lula e Sarney

“A ministra Helena Chagas (Comunicação Social) repassou aos seus seguidores no microblog Twitter uma mensagem que chama políticos de “raça devoradora” e lista entre eles o ex-residente Luiz Inácio Lula da Silva e o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). A ministra é responsável pela execução e estratégia de comunicação da Presidência da República.

Na manhã de domingo, o usuário Lourival Bonetti (@Bonettinterado) escreveu uma série de oito mensagens tendo a ministra como destinatária. Os comentários, entre outras críticas, falavam dos altos salários de políticos.

A última mensagem de Lourival Bonetti foi retransmitido por Helena Chagas aos seus 7.679 seguidores do microblog. Redigida sem respeitar regras de pontuação, o post dizia o seguinte: “Ganhar menos.que esta raça devoradora,políticos,como sarney,mubarak,kadaf,buch,lula,dirceu,genuino,me envergonham,que nojo.xau”.

O chamado “retweet” (envio de mensagens de outras pessoas) foi dado pela ministra, em seu perfil oficial (@helenachagas) na tarde de terça-feira.

Por meio da Secretaria de Imprensa da Presidência da República, Helena Chagas afirmou que houve um “engano de operação” e que a retransmissão não foi proposital.

Ela diz que costuma usar o microblog pelo telefone celular e que deve ter repassado a mensagem por engano. De acordo com a Secretaria de Imprensa, a ministra, até a Folha ter entrado em contato, não sabia que tinha repassado a mensagem.

À noite, Helena Chagas escreveu no próprio microblog que um assessor lhe mostrou “agora um suposto retweet meu sobre uma tal ‘raça devoradora’. Nunca tinha visto isso antes. Mas fui checar e… não é que estava lá a tal mensagem, retuitada por mim??!!! Tremenda bola fora, que só posso atribuir à minha total descoordenação motora”.

(Folha.com)

O faturamento das empresas de transporte de Fortaleza

Em recente debate na Câmara Municipal, o presidente da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza S/A (Etufor), Ademar Gondim, revelou o faturamento nas linhas de ônibus da Capital. Provocado pelo líder da oposição, Plácido Filho (PDT), a transformar em dinheiro os percentuais que beneficiaram os empresários nos últimos seis anos, Gondim chegou ao impressionante faturamento de R$ 43 milhões.

“Dois por cento (redução de ISS) sobre R$ 43 milhões dá pouco mais de R$ 800 mil. Com mais 3% (não mais cobrança da taxa de gerenciamento), são 5%. Vocês calculem aí (R$ 2.150.000,00)”, afirmou ele, recuando em seguida: “São 5% de R$ 37 milhões (R$ 1.850.000,00)”.

Se R$ 43 milhões ou R$ 37 milhões, uma certeza: o valor é muito alto para a pouca qualidade nos serviços de transporte público, com filas longas em terminais e ônibus atrasados e superlotados.

PESQUISA

Contrária ao sentimento das ruas, pesquisa da Prefeitura de Fortaleza mostra que 65% da população é satisfeita com o sistema de transporte público. O dado é divulgado pelo presidente da Etufor, Ademar Gondim. Bem que ele podia expor tal pesquisa com maiores detalhes.

(Coluna Vertical, do O POVO)

Sem medo de ser rebelde

236 2

Esse aí com a foto de Kadaffi estampada no peito é o padre Haroldo Coelho que, inclusive, já mandou artigo para o Blog defendendo o ditador líbio. Ligado ao PSOL, o religioso aproveitou o Carnaval de Rua de Fortaleza e engrossou desfile do Movimento Crítica Radical que pedia a libertação do ex-preso político italiano Cesare  Battisti.

Para o padre Haroldo, Kadaffi é vítima do imperalismo norte-americano e Cesare não é homicida como defende o Governo da Itália.

(Foto – Mauri Melo)

Reforma Política – Suplência de senador entre prioridades

“A Comissão de Reforma Política abre a fase de debates analisando um problema espinhoso para a representação parlamentar: a suplência de senador. O assunto será discutido no dia 15 de abril, conforme cronograma aprovado pelos senadores.

O modelo atualmente em vigor tem recebido críticas dos próprios senadores. Essas críticas se devem ao fato de o eleitor votar no candidato a senador e depois ver um suplente, quase sempre desconhecido, assumir o lugar daquele que recebeu os votos. O número de suplentes na legislatura passada, que chegou a representar 20% das cadeiras no Senado, mostrou ser essa uma situação muito presente. Atualmente são dez os suplentes que exercem mandato na Casa.

De acordo com a Constituição federal, cada senador é eleito com dois suplentes, que poderão assumir o mandato quando o titular se afastar para ser ministro, secretário de estado ou de prefeitura de capital, ou chefe de missão diplomática temporária; renunciar para assumir o mandato de presidente, governador, prefeito ou seus respectivos vices. O suplente também assume o mandato nos casos de renúncia, morte ou de cassação do titular. Também é prevista a substituição quando o senador se licenciar por mais de 120 dias.

E se o cargo de senador ficar vago e não houver suplente, a Constituição determina a realização de eleição para preencher o posto se faltarem mais de 15 meses para o término do mandato.

Crítico das regras atuais, o senador Wellington Dias (PT-PI) alerta para o fato de o suplente, muitas vezes, ser o financiador da campanha, “o que é uma deformação dos objetivos”. Para ele, é preciso dar ao eleitor o poder também para escolha do suplente.

O senador considera que o melhor seria ter como suplente de senador o primeiro mais votado entre os não eleitos. Àqueles que são contra essa proposta sob o argumento de que um senador eleito por um partido poderá vir a ser substituído por um político de outro partido, Wellington Dias diz que isso já ocorre quando se tem vacância no Executivo.

“Se, por exemplo, um governador e seu vice, por alguma razão, são afastados do cargo, assume o presidente da assembléia legislativa, que pode ser de partido diferente do governador”, explica.”

(Agência Senado)

Novo partido não deve romper parceria entre socialistas e tucanos

150 1

“Tucanos e socialistas não pretendem romper a parceria política informal que costuraram ao longo dos últimos anos e rendeu vitórias importantes, como nas eleições para a Prefeitura de Belo Horizonte e a de Curitiba. Muito próximos, o senador Aécio Neves (MG) e o presidente do PSB e governador de Pernambuco, Eduardo Campos, sabem que podem estar juntos no mesmo palanque – ou até numa chapa – na campanha de 2014.

O primeiro sinal explícito da manutenção da parceria deverá ocorrer na campanha pela Prefeitura de Belo Horizonte, em 2012. Fruto de uma inusitada aliança que reuniu Aécio, o petista Fernando Pimentel e o PSB, o socialista Márcio Lacerda foi eleito em 2008, tendo como vice o petista Roberto Carvalho. Informalmente, Campos e Aécio já acertaram a manutenção do acordo para reeleger Lacerda. Mas o PT desembarcará da aliança, provavelmente para bancar a candidatura de Carvalho.

A busca pela consolidação de seu projeto nacional fez o PSB garantir planos mais ambiciosos. Com seis governos sob seu controle (Pernambuco, Ceará, Paraíba, Espírito Santo, Piauí e Amapá), o partido quer ser protagonista em 2014. Como parceiro do PT, os socialistas não conseguiram espaço nem sequer para indicar o vice na chapa encabeçada por Dilma Rousseff, primazia que foi repassada ao PMDB.

Por conta disso, embora se mantenham na base governista e controlem dois ministérios (Integração Nacional e Portos), os socialistas se relacionam não apenas com os tucanos, mas já se preparam para receber de braços abertos o PDB. A relação com o PSDB não será afetada por conta disso. Os partidos manterão parcerias regionais onde for estratégico, como é o caso de Belo Horizonte e de Curitiba, onde os tucanos podem apoiar a reeleição do prefeito Luciano Ducci (PSB). Eleito vice-prefeito, Ducci assumiu a prefeitura depois que Beto Richa concorreu e ganhou a disputa pelo governo do Paraná.

Além disso, a própria aproximação de Kassab com o PSB pode afinar a sintonia do partido com outro importante líder tucano, o ex-governador de São Paulo José Serra. Padrinho político de Kassab, Serra passará a ter um canal aberto com o comando do PSB através da parceria que os socialistas devem firmar com o PDB.”

(Agência Estado)

Cid entrega residencial para moradores de área de risco em Maracanaú

O governador Cid Gomes (PSB) e o secretário estadual das Cidades, Camilo Santana, vão entregar nesta quinta-feira, às 10 horas, o Conjunto Residencial Blanchard Girão, em Maracanaú (Redgião Metropolitana de Fortaleza).

O conjunto beneficiará 108 famílias retiradas de áreas de risco ao longo do rio Maranguapinho, informa o secretário Camilo Santana, que tem tido oportunidade de acompanhar Cid Gomes na maioria dos eventos não só da sua pasta.

Quase metade dos suplentes que assumiram a Câmara tem mandato ameaçado

“Quase metade dos suplentes que já assumiram mandato na Câmara dos Deputados correm o risco de perder o cargo na Justiça. Levantamento feito pelo Congresso em Foco, com base em informações da Casa, mostra que, por conta da ordem do Supremo Tribunal Federal (STF) para tomarem posse os substitutos dos partidos, e não das coligações, 22 dos 46 novos parlamentares podem ser obrigados a voltar à suplência.

As mudanças atingiriam as bancadas de 12 estados e o do Distrito Federal. Em São Paulo, por exemplo, dois eleitos pelo PSDB, chamados para compor o primeiro escalão do governo local, foram substituídos por deputados do DEM. Eleuses Paiva (DEM-SP) entrou no lugar de Edson Aparecido (PSDB-SP), enquanto Walter Ihoshi substituiu Júlio Semeghini (PSDB-SP).

No caso dos dois tucanos, outros dois suplentes, ambos do PSDB, chegaram a assumir provisoriamente os mandatos. Silvio Torres e Walter Feldman tomaram posse na Câmara, mas logo depois se desligaram. Eles também são secretários do governo de Geraldo Alckmin (PSDB), e deixaram a Câmara por conjunturas da política paulista. Com os mandatos, Alckmin tenta segurar parte de sua base nos partidos de origem.

Com a possibilidade de criação de um novo partido pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), deixar os suplentes do DEM assumirem é uma tentativa de eles não seguirem o mandatário paulistano na sua aventura de fundar o Partido Democrático Brasileiro (PDB). Caso a decisão do Supremo seja validada pelo resto do plenário, Torres e Feldman seriam convocados a assumir novamente os cargos. Como ocupam, respectivamente, as secretarias de Habitação e de Esportes, outros tucanos é que teiram de tomar posse.”

(Congresso em Foco)

Olha a "Joaninha" aí, geennntte!!

1111 9

Eis a prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins (PT), que saiu no Carnaval de Rua usando fantasia de joaninha. Toda antenada.

(Foto – Rafael Cavalcante)

BLOG ECOLOGIA

As joaninhas são insetos pequenos e coloridos, muito admirados por sua beleza e, em muitas culturas, símbolos de boa sorte e fartura. Esses simpáticos insetos pertencem à ordem Coleóptera, assim como os besouros, e à família Coccinellidae, para a qual já foram descritas mais de 5.000 espécies.

Governo estuda mudanças no Incra para evitar loteamento

“O governo estuda mudanças na estrutura administrativa do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Um dos objetivos, explicitado em minuta de texto que circula no Ministério do Desenvolvimento Agrário, é obter maior controle sobre as superintendências regionais da instituição – cujos chefes são, quase todos, nomeados por indicações de políticos.

O Incra tem 30 superintendências pelo País (uma por Estado, com exceção do Pará, que possui três, e Pernambuco, com duas). Cada uma tem ampla autoridade para definir os planos da reforma agrária e a aplicação dos recursos. Uma das reclamações mais frequentes no comando da instituição é o reduzido poder de Brasília sobre as superintendências. Além disso, a eficiência do órgão vem sendo questionada no contexto do programa nacional de combate à miséria, ainda em gestação.

O governo estuda formas de reduzir a autonomia e, ao mesmo tempo, dar um caráter mais técnico às regionais, cujas chefias são disputadas por correntes do PT e partidos da base aliada do governo. No Nordeste, segundo um alto dirigentes do Incra, o PT assumiu o papel das velhas oligarquias políticas, antes criticadas pelos petistas.”

(Agência Estado)

Filha de Eunício Oliveira tem quadro estável

Da Assessoria de Imprensa do senador Eunício Oliveiera (PMDB), recebemos nota sobre a situação de sua filha, Marcela, que estava entre passageiros de helicóptero que, domingo ultimo, fez pouso forçado no interior de Goiás. Confira:

É estável o quadro de saúde de Marcela Paes de Andrade Lopes de Oliveira, 22 anos, filha do senador Eunício Oliveira, após cirurgia para correção de fratura na vértebra L1 da coluna vertebral. Ela estava entre os passageiros de um helicóptero que fez um pouso forçado no último domingo (6).
 
O acidente ocorreu a cerca de 150km de Brasília, próximo à rodovia GO-225, nos limites de Corumbá com Cocalzinho e Águas Lindas. Uma falha mecânica obrigou o piloto a realizar procedimento de pouso forçado. Além de Marcela, estavam no helicóptero o namorado, Ricardo Fenelon Júnior, 24 anos, e o piloto Sérgio Alexandre Martins. Ambos tiveram apenas escoriações leves.

No próximo sábado, Marcela deve ser submetida a uma cirurgia complementar para correção da fratura.

Filha de Roriz deve deixar comissão da Câmara

“Flagrada recebendo dinheiro para a campanha de 2006, a deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF) pode ser forçada a deixar a comissão de reforma política da Câmara, para a qual fora indicada. Segundo reportagem de Gerson Camarotti na edição desta quarta-feira do jornal O GLOBO, a filha do ex-governador Joaquim Roriz (PSC-DF) está sendo aconselhada a sair dos holofotes e entregar de forma espontânea a vaga, para evitar constrangimentos.

O vídeo em que Jaqueline é flagrada recebendo dinheiro do operador do mensalão do DEM , Durval Barbosa, seria o primeiro de uma nova série que compromete o grupo de Roriz. Isso deve aprofundar o isolamento político não só da deputada, mas também do ex-governador. Tanto na Câmara dos Deputados como na Distrital não há mobilização pela defesa de Jaqueline.

Aliados de Joaquim Roriz foram alertados durante o carnaval de que há mais vídeos e provas da participação de integrantes do grupo político. Por isso, a estratégia do grupo será evitar uma defesa mais enfática. A ordem é aguardar para evitar contradições numa reação antecipada.

Aliados de Roriz foram advertidos de que um arsenal foi produzido contra o grupo, com a mesma tecnologia que atingiu o ex-governador José Roberto Arruda, em 2009, no episódio que culminou com sua renúncia.”

(O Globo)

Ufa! Vem aí o terceiro CUCA de Fortaleza

201 1

” A prefeita Luizianne Lins (PT) voltou da temporada de 10 dias de férias disposta a mostrar serviço e obras. Com o coordenador de Projetos Especiais do Município, Geraldo Acioly, ela já acertou, para dia 25 próximo, a abertura das propostas da licitação do terceiro Centro Urbano de Cultura, Arte, Ciência e Esporte (Cuca), que será construído no Conjunto São Cristóvão, na jurisdição da Regional VI. O projeto está orçado em R$ 14 milhões.

Nestes mais de seis anos de gestão, Luizianne entregou, de seis equipamentos do gênero prometidos, o Cuca da Barra, enquanto o Cuca da Regional V, no Mondubim, está com 54% de obra em execução.

A propósito: vai aparecer alguma cartomante para adivinhar quem vencerá essa concorrência?”

 (Coluna Vertical, do O POVO)

Prefeita demora 6 anos para descobrir que Fortaleza precisa de órgão de planejamento

166 9

Com o título “Enfim, o óbvio”, eis artigo do publicitário e poeta Ricardo Alcântara para boas reflexões neste clima de Carnaval. Ele lamenta tanto tempo perdido pela prefeita Luizianne Lins (PT) em reconhecer a necessidade de se recriar um organismo de planejamento da cidade. Confira:

Coisas acontecem na administração de Luizianne Lins cujas razões meus limitados recursos cognitivos não conseguem alcançar. A última: passados seis anos, a prefeita descobriu, enfim, que a cidade precisa de um órgão de planejamento e enviou à câmara dos vereadores uma mensagem propondo a recriação do Iplam, extinto durante a gestão do finado (e por ela nunca suficientemente amaldiçoado) Juraci Magalhães.
 
A prefeita precisou de todo esse tempo para descobrir o básico: cabe ao poder público, orientado por estudos técnicos e consultas à sociedade, angular suas decisões mais abrangentes por uma visão sistêmica do modelo de desenvolvimento pretendido e definir uma abordagem integrada dos instrumentos de ação, dentro de uma correta escala de prioridades, com parâmetros que resguardem o interesse comum.
 
Não significa que a prefeita não tenha tentado por outros meios. Duro é constatar que somente após tanto tempo, ¾ de sua gestão, tenha ela desistido de inventar a roda, cedendo àquilo que, mesmo lhe parecendo mais convencional, resulta agora como a solução mais simples e eficaz: instituir um órgão com as competências necessárias à boa execução da tarefa.
 
O que torna maior nossa perplexidade, e a consequente dúvida sobre nossa capacidade de compreender os fatos, é que tanta displicência é patrocinada por uma gestão sob comando de um grupo político que emergiu com um discurso movido pelo anseio de mudanças estruturais, impossíveis de serem empreendidas sem vocação planejadora. Mas Luizianne não gosta de explicar. Talvez tenha vindo mesmo somente para confundir. Sei lá.
 
* Ricardo Alcântara,

Publicitário e poeta.