Blog do Eliomar

Categorias para Política

Eunício recebe Lula e Dilma para jantar

O senador eleito Eunício Oliveira (PMDB) recebe nesta noite, em sua casa em Brasília, para um jantar o presidente Lula e a presidente eleita Dilma Rousseff.

O encontro, que terá as principais lideranças do PMDB nacional, vai se constituir como uam espécie de confratenização, depois que o partido obteve seu espaço político no futuro Governo.

Hora também de prestar homenagem a Lula por seus oito anos de mandato.

Cid evita comentar declaração de Luizianne sobre eleger até um "poste" em 2012

130 1

O governador Cid Gomes (PSB) evitou comentar, nesta quarta-feira, a declaração da prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins (PT), de que, em 2012, estaria preparada para eleger “até um poste quebrado”. Foi momentos antes de dar entrevista ao projeto “Debates Especiais – Grandes Nomes”, da rádio O POVO/CBN.

Sobre o secretariado, o governador confirmou que está aguardando a formatação da equipe de Dilma Rousseff (PT), já que a base político-partidária dela é a mesma sua no Estado. “Nós vamos aproveitar o período de 15 a 24 deste mês para tratar disso”, acentuou, sem dar maiores detalhes.

PAC 2 – Mantega admite que corte de gastos pode atrasar os novos projetos

“O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que o corte de gastos de custeio preparado pelo governo poderá postergar o início de novos investimentos previstos no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O objetivo do governo, segundo Mantega, não é cortar os investimentos dos projetos que já estão em andamento, mas apenas os que ainda não começaram a ser executados.

“O PAC poderá [sofrer cortes]. Pode ser que tenha alguma postergação. É mais uma questão de ritmo”, disse Mantega, que participou do seminário Diálogos Capitais, no Rio de Janeiro. “O PAC tem projetos que estão terminando este ano ou que estão para terminar nos próximos anos, esses não serão mexidos. Tem projetos novos, que estão para começar e esses poderão começar mais lentamente, não começar imediatamente”, acrescentou.

Fora do PAC, o ministro ressaltou que a ideia do governo é de um corte de gastos de custeio em todos os ministérios, cortando tanto gastos já existentes, como evitando que novos gastos sejam feitos. Projetos considerados essenciais, como o Bolsa Família, não entram nos cortes, mas projetos que estão em tramitação deverão ser afetados. Mantega citou a PEC 300, que iguala os vencimentos de policiais militares e bombeiros aos salários dos policiais do Distrito Federal, como exemplo de projeto que poderá ser postergado, uma vez que, segundo o ministro, terá impacto de R$ 46 bilhões nas esferas federal e estadual.

Outro objetivo de Mantega é evitar aumentos de custos decorrentes do reajuste do salário mínimo, que, de acordo com o ministro, não deverá superar os R$ 540.

“O salário mínimo não deve ficar acima de R$ 540. Com R$ 540 já é aumento, pois ele hoje é R$ 510”, disse Mantega, citando também o pedido de aumento dos funcionários do Poder Judiciário como gasto que pode ser postergado.

O ministro disse que o ajuste fino sobre os custos a serem cortados ainda está sendo calculado e ainda não há uma medida do quando poderá ser economizado e revelou que o corte planejado abre espaço para uma eventual queda das taxas de juros.

“Abre espaço razoável [para queda de juros] porque o Brasil ainda está defasado no cenário internacional em relação a juros. Isso causa problemas inclusive com o câmbio”, frisou.

Mantega também confirmou que o governo deverá realizar a troca dos Índices Gerais de Preços (IGPs) atualmente utilizados para atualização de tarifas de prestação de serviços por outros índices de inflação, à medida que os contratos de concessão vencerem.

“O IGP é um índice que não mede adequadamente a inflação dentro do país. Eles incorporam as commodities, que subiram muito, e acabam trazendo para o Brasil uma inflação do exterior”, ponderou o ministro, citando o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) como um dos que poderão ser utilizados. “À medida que vencem contratos ou novos contratos estão sendo feitos pelas novas concessões, estamos usando outros indicadores. Porque aí fica uma inflação mais estável e mais brasileira”, acrescentou.”

(Valor Online)

Cid é o entrevistado do projeto "Debates Especiais – Grandes Nomes"

O governador Cid Gomes (PSB) é o convidado do projeto “Debates Especiais – Grandes Nomes”, da Rádio O POVO/CBN. Ele é o entrevistado desta quarta-feira, das 11 às 13 horas, na emissora, ocasião em que vai ser sabatinado por jornalistas do O POVO.

Temas como o futuro secretariado – que Cid está evitando comentar, e a demora dos grandes projetos estruturantes, constarão nessa pauta.

* Dentro desse projeto, já foi entrevistado o ex-governador Adauto Bezerra.

TRE-CE – Lista tríplice para advogado gera polêmica

O Ministério Público pediu a impugnação de Machidovel Trigueiro, que integra lista tríplice para vaga de advogado no Pleno do Tribunal Regional Eleitoral, ao lado de Isabel Mota e Castelo Camurça. Entre as alegações, diz o MPE que ele é professor com “dedicação exclusiva na UFC”, o que seria incompatível com a função no eleitoral. O Pleno do Tribunal Superior Eleitoral examinará o caso.

Já Machidovel Trigueiro encontra-se em Brasília para apresentar defesa. Ele leva, inclusive, um ofício da UFC informando que sua situação na Instituição não é de dedicação exclusiva.

A escolha do futuro advogado para o TRE é da competência do presidente da República. Quem assume, cumpre mandato de dois anos com direito a prorrogar por mais dois anos sua permanência nesse tribunal.

Sérgio Novais quer comandar Dnocs

149 3

 

O PSB acabou ficando com o Ministério da Integração Nacional, apesar dos desejos peemedebistas. A informação é da cúpula nacional do partido, que já indicou Fernando Coelho, ex-prefeito de Petrolina, para titular da pasta. Coelho teve o aval do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, e abre assim a porta do Dnocs, hoje sob controle do PMDB, para o partido no Ceará.

O presidente municipal do PSB, ex-deputado federal Sérgio Novais, dá como certo que a direção-geral do órgão ficará no Estado. “Nós já colocamos nosso nome para a direção-geral do Dnocs”, avisa Novais, que está em Brasília participando do Congresso Nacional do PSB e também conversando com Eduardo Campos sobre esse seu pleito.

Ele lembra que é engenheiro, tem experiência de gerir estatais – foi presidente a Companhia Docas do Ceará até bem pouco tempo, e acha ter condições de dar uma boa guinada no Dnocs.”

(Coluna Vertical, do O POVO)

Eudes anuncia dois "postes" para 2012

131 2

O deputado federal Eudes Xavier endossou, nesta quarta-feira, a a fala da prefeita Luizianne Lins (PT) de que ela trabalha para eleger até um poste sem luz como sucessor. “A prefeita vai deslanchar nos próximos dois anos. Virão obras de visibilidade”, observa.

Eudes Xavier até arrisca-se a dar opções de sucessores para Luizaianne Lins: o senador eleito José Pimentel e o deputado federal eleito Artur Bruno. Pimentel não fala sobre tal projeto e diz que só quer é assumir seu mandato e procurar cumprir suas tarefas da melhor maneira possível. Já Artur Bruno admite estar à disposição do partido para novos desafios.

Salmito aposta em reversão de quadro pró-Acrísio Sena

201 1

Salmito espera apoio do PMDB de Eunício para reverter quadro na Câmara.

“Na briga pelo comando da Câmara Municipal de Fortaleza, o vereador Salmito Filho (PT) avisou ontem que, até o dia da eleição, pedirá o voto de cada um dos vereadores, inclusive dos que, na última semana, posaram para foto ao lado de Acrísio Sena (PT), seu adversário na Casa. “Vou procurar todos os vereadores”, garantiu. O atual presidente da Câmara, que pleiteia a reeleição, afirmou que está finalizando a prestação de contas de sua gestão no último biênio (2009-2010) e que vai aproveitar a oportunidade de apresentar os dados para pedir o voto de cada um de seus pares.

Até o dia 15 de dezembro, data da eleição que definirá o novo presidente da Câmara, com mandato para os anos 2011 e 2012, restam apenas sete dias para Salmito reverter o cenário que, pelo menos aparentemente, está favorável a Acrísio – que enumera 24 vereadores a seu favor. A quantidade – maioria absoluta entre os 41 vereadores – bastaria para lhe fazer presidente do Legislativo.

PMDB DE EUNÍCIO

Ontem, Salmito sinalizou que suas articulações em busca de votos têm alcance para além da própria Câmara. No último sábado, Salmito teria se encontrado com o senador eleito Eunício Oliveira (PMDB), cujo partido possui quatro votos na Câmara Municipal. Perguntado por um jornalista sobre o encontro com o senador, Salmito riu, disse que já se encontrou com “muita gente” e que, até o dia 15 – data da eleição – ainda vai conversar com várias outras pessoas. O POVO procurou Eunício na noite de ontem, mas ele não atendeu o celular, assim como sua assessoria de imprensa.”

(O POVO)

Senado aprova reforma do Código de Processo Penal

“Em votação simbólica, os senadores aprovaram na noite desta terça-feira (7) o relatório do senador Renato Casagrande (PSB-ES) do projeto de reforma do Código de Processo Penal (PLS 156/2009) em sessão extraordinária. A proposta vai para a Câmara dos Deputados para votação e, caso não haja alteração, segue para sanção presidencial.

No último dia 30, a comissão especial que analisava o projeto do novo Código de Processo Penal aprovou o relatório do senador Renato Casagrande (PSB-ES). Das mais de 200 emendas recebidas, o relator acatou 97 alterações aprovadas na última reunião dos parlamentares da comissão que analisou o assunto.

Entre os destaques, está a criação do juiz de garantias –um segundo juiz que passaria a atuar como uma espécie de investigador do processo–, a possibilidade de interrogar acusados por meio de videoconferência e a permissão para os jurados conversarem entre si durante o andamento do júri popular.

Os parlamentares também fizeram mudanças em relação à prisão preventiva, que não poderá ser utilizada como forma de antecipação da pena. A partir do novo código, a gravidade do fato ou o clamor público não podem mais servir como justificativa para a detenção, que só será imposta se outras medidas cautelares forem inadequadas ou insuficientes.

Veja alguns dos principais pontos da reforma:

Juiz de garantias
Uma das novidades da CPP é a criação da figura do juiz de garantias, que atuará somente na fase da investigação do inquérito, com objetivo de controlar a legalidade da ação da Polícia Judiciária e a garantia dos direitos do investigado. Atualmente, o mesmo juiz que trabalha na fase de investigação é o que dá a sentença em primeira instância.

Embargo declaratório
Uma medida implantada para acelerar a tramitação processual é a redução do número de recursos. O CPP limita a apenas um o embargo declaratório em cada instância. O que ocorre hoje é que não há nenhuma restrição contra a apresentação sucessiva desse tipo de recurso, o que pode prorrogar o processo até a sua prescrição.

Aceleração Processual
Casagrande instituiu no CPP que o prazo máximo para realização da audiência de instrução e julgamento passasse dos atuais 60 dias para 90 dias, para adequá-lo aos prazos máximos da prisão preventiva.

Segundo o relator, a adoção do “Incidente de Aceleração Processual” implicaria que, esgotado o prazo máximo para a audiência de instrução e julgamento, o magistrado determine que atos processuais sejam praticados em domingos, feriados, férias e recessos forenses, inclusive fora dos horários de expediente.

Sequestro de bens
O CPP também cria a figura do “administrador judicial” de bens sequestrados e de bens declarados indisponíveis e ainda permitirá que o acusado apresente caução para levantar o sequestro de um bem, além de proibir que bens declarados indisponíveis sejam dados em garantia de dívida, sem prévia autorização judicial.

Modelo acusatório
O projeto define o processo penal de tipo acusatório como aquele que proíbe o juiz de substituir o Ministério Público na função de acusar e de levantar provas que corroborem os fatos narrados na denúncia.

Na investigação criminal, fica garantido o sigilo necessário à elucidação do fato e a preservação da intimidade e da vida privada da vítima, das testemunhas e do investigado, inclusive a exposição dessas pessoas aos meios de comunicação.

Inquérito policial
Outra mudança é com relação ao inquérito policial, que deverá passar a ser comunicado imediatamente ao Ministério Público. O intuito é que seja acompanhado mais de perto pelo MP, permitindo a maior aproximação entre a polícia e o órgão de acusação.

Ação Penal
O texto acaba com a ação penal privativa do ofendido. O processo passa a ser iniciado por ação pública, condicionada à representação do ofendido, e pode ser extinta com a retratação da vítima, desde que feita até o oferecimento da denúncia.

Atualmente, a ação é prevista nos crimes contra a honra, de esbulho possessório de propriedade particular, de dano, fraude à execução, exercício arbitrário das próprias razões, entre outras infrações penais. O texto permite, inclusive, a extinção da ação por meio de acordo entre vítima e autor, nas infrações com consequência de menor gravidade.

Interrogatório
O interrogatório passa a ser tratado como meio de defesa e não mais de prova. Assim, passa a ser um direito do investigado ou do acusado que, antes do interrogatório, deverá ser informado do inteiro teor dos fatos a ele imputados e reunir-se em local reservado com seu defensor.

Além disso, a autoridade responsável pelo interrogatório não poderá oferecer qualquer vantagem ao interrogado em troca de uma confissão, se não tiver amparo legal para fazê-lo.

Passa a ser permitido também o interrogatório do réu preso por videoconferência, em caso de prevenir risco à segurança pública ou viabilizar a participação do réu doente ou por qualquer outro motivo.

Tratamento à vítima
O projeto prevê tratamento digno à vítima, o que inclui ser comunicada pelas autoridades sobre: a prisão ou soltura do suposto autor do crime; a conclusão do inquérito policial e do oferecimento da denúncia; o arquivamento da investigação e a condenação ou absolvição do acusado.

A vítima também poderá obter cópias e peças do inquérito e do processo penal, desde que não estejam sob sigilo. Poderá ainda prestar declarações em dia diferente do estipulado para a o autor do crime e aguardar em local separado dele. Será permitido à vítima ser ouvida antes das testemunhas e a solicitação à autoridade pública informações a respeito do andamento e do desfecho da investigação ou do processo, bem como manifestar as suas opiniões.

Escutas telefônicas
Só serão autorizadas em casos de crime cuja pena seja superior a dois anos, com exceção de se tratar de crime de formação de quadrilha.

Em geral, o prazo de duração da interceptação não deve ultrapassar o período de dois meses, mas poderá chegar a um ano ou mais, quando se referir a crime permanente.

Júri
Diferentemente do código em vigor, o novo CPP permitirá que os jurados conversem uns com outros, exceto durante a instrução e os debates. No entanto, o voto de cada jurado continua sendo secreto e feito por meio de cédula.

Fiança
O projeto aumenta o valor da fiança de um a cem salários mínimos para um a 200 salários mínimos nas infrações penais cujo limite máximo da pena privativa de liberdade fixada seja igual ou superior a oito anos. Nas demais infrações penais, o valor fixado continua de um a cem salários mínimos.

Outras medidas cautelares
O projeto lista ainda 15 tipos de medidas cautelares, para que o juiz tenha alternativas na condenação. São elas: a prisão provisória; a fiança; o recolhimento domiciliar; o monitoramento eletrônico; a suspensão do exercício da profissão, atividade econômica ou função pública; a suspensão das atividades de pessoa jurídica; a proibição de frequentar determinados lugares; a suspensão da habilitação para dirigir veículo automotor, embarcação ou aeronave; o afastamento do lar ou outro local de convivência com a vítima; a proibição de ausentar-se da comarca ou do país; o comparecimento periódico ao juiz; a proibição de se aproximar ou manter contato com pessoa determinada; a suspensão do registro de arma de fogo e da autorização para porte; a suspensão do poder familiar; o bloqueio de internet e a liberdade provisória.

Prisão especial
O projeto acaba com a prisão especial para quem tem curso superior. Só valerá em caso de proteção da integridade física e psíquica do prisioneiro que estiver em risco de ações de retaliação.

Novas regras para prisões
A prisão provisória fica limitada a três modalidades: flagrante, preventiva e temporária.

Outra novidade no projeto é a determinação de que não haja emprego de força bem como a utilização de algemas, apenas em caso de resistência ou de tentativa de fuga do preso.

O novo CPP prevê como nulo o flagrante preparado, “com ou sem a colaboração de terceiros, quando seja razoável supor que a ação, impossível de ser consumada, só ocorreu em virtude daquela provocação”.

Para a prisão preventiva, o texto conta com três regras: jamais será utilizada como forma de antecipação da pena; a gravidade do fato ou o clamor público não justifica, por si só, a decretação da prisão preventiva; e só será imposta se outras medidas cautelares pessoais forem inadequadas ou insuficientes.

A prisão preventiva não poderá ultrapassar 180 dias, se decretada no curso da investigação ou antes da sentença condenatória recorrível; ou de 360 dias, se decretada ou prorrogada por ocasião da sentença condenatória recorrível. Esses períodos poderão sofrer prorrogação, mas vale destacar que o juiz, ao decretar ou prorrogar prisão preventiva, já deverá, logo de início, indicar o prazo de duração da medida.

A prisão preventiva que exceder a 90 dias será obrigatoriamente reexaminada pelo juiz ou tribunal competente. O CPP, em vigor, não estipula prazos para a prisão preventiva. Contudo, a jurisprudência tem fixado em 81 dias o prazo até o final da instrução criminal.

Nos casos de prisão temporária, os prazos continuam os mesmos: máximo de cinco dias, admitida uma única prorrogação, por igual período, em caso de extrema e comprovada necessidade. No entanto, a novidade é que o juiz poderá condicionar a duração da prisão temporária ao tempo estritamente necessário para a realização da investigação.”

(Folha Online)

Ideli Salvatti assume relatoria do Orçamento 2011

A senadora do PT, Ideli Salvatti/Foto: Aílton de Freitas

“A senadora Ideli Salvatti (PT-SC) é a nova relatora-geral do Orçamento da União para 2001, anunciou nesta terça-feira o presidente da Comissão Mista de Orçamento, deputado Waldemir Moka (PMDB-MS). Ideli, que é a líder do governo no Congresso, assume o cargo após renúncia do senador Gim Argello (PTB-DF), suspeito de apresentar emendas com recursos orçamentários para eventos na área de Cultura patrocinados por entidades fantasmas.

Argello apresentou na tarde desta terça-feira uma carta renunciando à relatoria do Orçamento da União de 2011 e da sua vaga de titular na Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional.

Em entrevista ao GLOBO, o senador negou que esteja com medo de ser investigado.

– Não é uma confissão de culpa. Não estou com medo de ser investigado. Agora, quem vai cobrar explicações sou eu. Eu quis ficar mais solto para ser o fiscal dessa Comissão de Orçamento – disse Gim Argello, negando também que tenha saído rápido demais por não aguentar a pressão

Argello apresentou ao Orçamento de 2011 emendas com recursos orçamentários para eventos na área de Cultura patrocinados por entidades fantasmas. Na segunda-feira, Argello anunciou que suspenderia suas emendas e alegou que não é função do parlamentar fiscalizar as entidades.

Sua substituição na relatoria do Orçamento foi negociada pelo governo, que temia que as suspeitas sobre o relator prejudicassem a votação da peça orçamentária do ano que vem. A previsão é de que a votação final ocorra entre os dias 20 e 22.

Ministério da Cultura nega responsabilidade

Em nota divulgada nesta terça-feira, o Ministério da Cultura nega que seja “responsável pela escolha das instituições para realizar projetos definidos por emenda” do senador Gim Argello (PTB-DF). O senador renunciou à relatoria do Orçamento da União de 2011 após denúncias de emendas com recursos orçamentários para eventos na área de Cultura patrocinados por entidades fantasmas.

” O Ministério da Cultura está apurando o caso e, se for detectado qualquer indício de irregularidade, o processo será encaminhado às autoridades competentes”, diz a nota.

Leia a nota na íntegra:

“1. A Constituição Federal prevê que parte da Lei Orçamentária da União seja definida pelo Congresso Nacional, por meio de emendas parlamentares.

Não procede, portanto, a afirmação de que foi o Ministério da Cultura o responsável pela escolha das instituições para realizar projetos definidos por emenda do senador Gim Argello.

2. O Ministério da Cultura decidiu suspender o andamento de projetos financiados por emendas parlamentares que tiveram suspeitas levantadas por reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, no último domingo.

Desde então, o Ministério da Cultura está apurando o caso e, se for detectado qualquer indício de irregularidade, o processo será encaminhado às autoridades competentes.”

(Globo Online)

PMDB indica Garibaldi Alves para Previdência Social

“O líder do PMDB na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN), anunciou no início da tarde que o indicado do partido para o ministério da Previdência será o senador reeleito Garibaldi Alves (RN). A confirmação de Garibaldi foi feita por meio do microblog twitter e deverá ficar na cota da bancada do Senado.

“Garibaldi será o nome do PMDB para o ministério da Previdência. Eu, Garibaldi e Renan acabamos de acertar a indicação.Temer levará a Dilma”, diz Henrique Eduardo Alves no post.

Hoje, o presidente do partido e vice-presidente eleito, Michel Temer, almoçou com a presidente eleita Dilma.

Não há, até o momento, nenhuma confirmação de que ela teria aceitado o nome do senador.

Além da Previdência, o PMDB do Senado também deve ficar com o Ministério de Minas e Energia, que deverá ser comandado no próximo ano por Edison Lobão.

Por outro lado, a bancada da Câmara deve ficar com Agricultura e Turismo. Na Agricultura, o nome mais cotado é o do atual ministro Wagner Rossi, aliado de Temer. Para o Turismo, o partido deve indicar o deputado Pedro Novais.”

(Blgo do Noblat)

Lula diz que vetará projeto de partilha do Pré-sal

“O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou hoje no Rio que vai vetar o projeto de lei aprovado no Congresso Nacional, que prevê a divisão dos recursos dos royalties do petróleo por todos os estados, independentemente de serem ou não produtores. Segundo Lula, o governo federal editará medida provisória restabelecendo o teor da proposta encaminhada ao Congresso.

“Eu pretendo, ao receber a proposta do Congresso, vetar e colocar, para que votem, a medida provisória que foi a razão do acordo”, disse, no Rio, durante o lançamento do Cartão Família Carioca, no Palácio da Cidade.

Lula criticou a modificação do projeto enviado aos congressistas. A proposta do governo previa a manutenção do modelo atual de distribuição para as áreas atualmente em exploração e para as já licitadas do Pré-Sal.

“Construímos uma proposta que era a melhor, em que o Rio sairia ganhando e cederia um pouco para todo o Brasil ganhar. Quando chegou ao Congresso Nacional, o relator, pensando eminentemente na questão eleitoral, fez a proposta Ibsen Pinheiro”, afirmou.

De acordo com o presidente, o pré-sal recebe o suficiente para garantir os estados produtores e a participação dos demais. “A União ficará com uma grande parte de recursos para Educação, Saúde, Ciência e Tecnologia. Temos de torcer para que a Petrobras tenha toda a sorte do mundo e que o governantes distribuam de forma justa as riquezas do pré-sal”, disse Lula.”

(Veja Online)

Aécio anuncia novo PSDB para 2014

204 1

“Em entrevista gravada para o programa Roda Viva, na tarde de [ontem], o ex-governador mineiro e senador eleito Aécio Neves falou com entusiasmo de uma nova cara do PSDB para 2014, que em nada lembra o partido derrotado pela terceira vez consecutiva nas eleições presidenciais deste ano.

Este partido tem a cara dele, é claro, mas Aécio tomou todo o cuidado do mundo para não personificar a tese da ”refundação” do PSDB e não antecipar as discussões sobre o nome dos tucanos para 2014, antes mesmo que a presidente eleita Dilma Rousseff, tome posse.

Depois de três semanas de férias, o ex-governador voltou bronzeado, animado e afiado no discurso para assumir o papel de principal líder da oposição assim que o Congresso Nacional reabrir suas portas no começo de fevereiro.

Diálogo com todas as forças políticas, reformas constitucionais, meritocracia no funcionalismo público, aproximação com os sindicatos, ética na política, resgate das bandeiras da social-democracia, defesa das privatizações feitas no governo FHC: Aécio voltou com o cardápio completo de futuro candidato que, por enquanto, só quer discutir o programa do partido.

Para não perder tempo, acompanhado apenas da fiel assessora de imprensa Heloísa Neves, Aécio almoçou antes do programa com o governador eleito de São Paulo, Geraldo Alckmin, e saiu dos estúdios da TV Cultura direto para uma conversa com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o primeiro político a lhe telefonar quando saiu de férias após a campanha eleitoral.

O diálogo com a oposição começa nesta terça-feira, em Brasília, num jantar já marcado com o governador reeleito de Pernambuco, Eduardo Campos, presidente nacional do PSB, um dos seus intelocutores preferidos.

Os dois vivem se elogiando mutuamente e seus nomes estão em todas as listas de presidenciáveis para 2014, apontados como as novas grandes lideranças políticas do pós-Lula. No Brasil, como sabemos, mal acaba uma campanha eleitoral, e já começa a discussão de nomes para a próxima.

Num momento em que “tem muita gente tirando senha na fila para dinamitar pontes”, como disse na entrevista, Aécio quer desde já ser ele mesmo a ponte com partidos que estiveram “do outro lado” na eleição nacional, mas o apoiaram em Minas, como é o caso do PSB e do PDT.

É o ponto de partida para romper o crescente isolamento dos tucanos que esvaziou seus palanques em 2010, na maior parte do país. “Sou um tucano, como vocês sabem…”, brincou Aécio, que evitou as bolas divididas.

O senador eleito, porém, admitiu erros na última campanha presidencial, como incorporar o discurso conservador e temas religiosos no segundo turno. “Isto foi um retrocesso, não só para o partido como para o país. Não deve se repetir”.

De bem com a vida, Aécio constatou que “está faltando arte na política”, citando várias vezes seu avô Tancredo Neves para contornar perguntas sobre o fato de ser “a bola da vez” na oposição, depois de se ver passado para trás na fila tucana em 2006 e 2010.

“Um ensinamento de Tancredo foi nos mostrar que, em política, as oportunidades têm que surgir naturalmente, não podem ser uma obsessão, um desejo pessoal”. O entrevistado riu quando comentei que, às vezes, isto acontece…

Aécio garantiu que não quer disputar nenhum cargo no partido, e só pensa no momento em exercer seu mandato de senador. Como bom mineiro, sabe que precisa agir com cuidado porque José Serra ainda não desistiu nem de controlar o PSDB nem de uma nova candidatura presidencial.”

(Blog do Noblat)

Ex-porta-voz de Lula será sabatinado na Rádio POVO/CBN e dará palestra sobre Conjuntura

O jornalista Ricardo Kotscho, que foi o porta-voz do governo federal no primeiro mandato de Lula, estará em Fortaleza no próximo dia 13. Aqui, ele vem ser sabatinado, a partir das 11 horas, no projeto “Debates Especiais Grandes Nomes”, da rádio O POVO CBN (AM 1010)

Também, ele aproveitará e dará palestra, a partir das 19 horas do mesmo dia, no Gran Marquise Hotel, sobre o tema “A Nova Conjunturta Política e Econômica do Brasil Pós-Eleição”. A promoção é da VSM Comunicação e do Instituto Frutal.

Adauto lamenta derrota de Tasso, fala sobre Ciro e Cid e critica a prefeita

178 4

O ex-governador Adauto Bezerra lamentou, nesta terça-feira, a derrota do senador tucano Tasso Jereissati. “O Ceará devia tê-lo mantido no Senado”, disse, acrescentando que o tucano foi um “excelente governador e um bom senador”. Embora não seja um orador, disse que Tasso sempre defendeu os interesses do Ceará “de forma inequívoca”.

Sobre Ciro Gomes, deputado federal do PSB, disse tem incontinência verbal muito grande, diferente do irmão, o governador Cid Gomes, que é uma pessoa “educada” e “amável”. Lembrou que Ciro foi quem mais ” atirou pedras contra mim e me qualificou de força do atraso”.

Sobre a prefeita Luizianne Lins (PT), considerou que ela extrapolou na sua força e no seu poder político, ao dizer que iria eleger até um “poste sem luz” como seu sucessor na Prefeitura de Fortaleza.

Adauto fez esssa colocações durante entrevista que abriu o projeto “Debates Especiais Grandes Nomes”, que a  Rádio O POVO/CBN realizará até a próxima segunda-feira.

Dilma quer fazer reformas logo nos dois primeiros anos de sua gestão

“A presidente eleita Dilma Rousseff (PT) pretende promover as tão propaladas reformas tributária e política já nos dois primeiros anos de governo. Ela prepara a equipe para isso, e estes são os temas principais da conversa que ela terá até dia 20 com a futura equipe ministerial, que já terá sido anunciada.

Nesta meta, para ter o apoio total dos aliados no Parlamento da mesma forma que obteve na campanha, a presidente tem privilegiado a distribuição de ministérios para as grandes bancadas, enquanto as pequenas também serão contempladas. E depois Dilma cobrará a fidelidade na aprovação das reformas.”

(Informe JB – JB Online)

Adauto Bezerra abre projeto "Debates Especiais Grandes Nomes", da Rádio O POVO/CBN

O ex-governador do Ceará, Adauto Bezerra, será o entrevista desta terça-feira, a partir das 11 horas, do projeto “Debates Especiais Grandes Nomes”, da rádio O POVO/CBN (AM 1010), que chega à sua quinta edição, devendo se estender até a próxima segunda-feira.

Adauto Bezerra será sabatinado por repórteres do Grupo de Comunicação O POVO até as 13 horas, ocasião em que falará sobre sua trajetória como empresário e como político que integrou o chamado ciclo dos coroneis do Ceará, encerrado em 1986 quando da vitória do empresário Tasso Jereissati.

Casa do Ceará em Brasília homenageará Tiririca

O humorista Tiririca, cearense que foi eleito deputado federal pelo PR de São Paulo com mais de 1 milhão e 300 mil votos, ganhará homenagem da Casa do Ceará, em Brasília. Anuncia o presidente da entidade, jornalista Fernando César Mesquita.

“Nós vamos acertar a data com o Tiririca”, adianta o jornalista. Ele diz que o objetivo é destacar esse cearense e nordestino, que conseguiu superar dificuldades e ganhar fama nacional.

Sérgio Novais: "A prefeita tem que fazer seu vice"

225 5

O presidente do PSB de Fortaleza, Sérgio Novais, reafirmou, nesta terça-feira, antes de seguir para Brasília, tendo ao lado sua irmã, a vereadora Eliane Novais (PSB), que o petista Acrísio Sena é o nome apoiado pela legenda para presidente da Câmara Municipal. “A prefeita Luizianne Lins precisa fazer seu vice-prefeito e esse nome é Acrísio”, reforçou o dirigente socialista.

Sérgio Novais não quis falar da possibilidade de o PSB rachar – o outro vereador, ElpídioNogueira, já informou que seu apoio dependerá de uma conversa que terá com o presidente estadual da legenda, o governador Cid Gomes. Preferiu reiterar que Luizianne tem que fazer o seu vice-prefeito para “poder administrar” com tranquilidade e trabalhando para fazer o seu sucessor. Em nenhum momento, ele citou o nome do presidente da Câmara Municipal, o também petista Salmito Filho, que tenta reeleição.

“Estou defendendo e apoiando o Acrísio Sena”, disse Novais, pai do filho da prefeita, endossado por sua irmão, Eliane Novais. Indagado se úma vitória de Sena abriria margem para que Luizianne renunciasse para assumir algum cargo federal no Governo Dilma Rousseff, ele afastou, de imediato, tal hipótese: “Acho que ela não deixa a Prefeitura!” Caso isso ocorra, o presidente da Câmara assumiria e convocaria eleição indireta para prefeito em razão de vacância do cargo.

Os dois seguiram para Brasília onde, até quarta-feira, participarão do Congresso Nacional do PSB. O encontro reunirá dirigentes partidários e governadores e parlamentares eleitos e reeleitos do partido. Cid Gomes estará no evento.