Blog do Eliomar

Categorias para Política

Para petista, o buraco é mais em cima

344 10

As críticas feitas pelo chefe da Casa Civil do Governo Cid Gomes, Arialdo Pinho, repercutem. Neste Blog, quem pede espaço para apresentar a defesa da prefeita que culpou a Cagece pela buraqueira da cidade, é o professor MOacir Tavares (UFC) e dirigente petista. Confira:

Caro Arialdo Pinho, tenho 44 anos de idade e se há um problema longevo é o fato de um asfalto novo ser recortado para ligações da CAGECE e os remendos não ficarem no mesmo nível da pavimentação original. Estarei faltendo com a verdade ? Estarei morando em Marte ou isso é um fato inequívoco?

Caro secretário de Governo do nobre governador Cid Gomes, governador aliás que, como você sabe, ou penso que sabe, compõe no Ceará um projeto político em aliança com a prefeita Luizianne.

Caro Arialdo, obras da CAGECE para serem realizadas cavam o chão ou não? Penso que, por serem ou de ligação de água ou de esgoto, não são feitas no ar e sim no chão. Assim, cavam o chão. Ou melhor, abrem buracos no chão.

Amigos leitores deste blog, obras demoram e necessitam de planejamento e muito trabalho por parte dos gestores. Prova disso é o nosso esperado Aquario. Se fazer obra fosse fácil, o referido equipamento – que será excelente para o Estado e nossa cidade, já estaria pronto. Mas a realidade é outra. Foi anunciado há muito e agora é que está na fase de demolição do prédio anterior e nem por isso abrimos uma guerra ou tuitamos aleivosias que não combinam com uma postura mais serena que requer a posição de secretário de Governo de um governo eleito também por nós.

Se formos pensar na importante obra da Avenida Maestro Lisboa, constataremos que ela não segue na velocidade que desejaríamos. Mas é compreensível, pois governar requer serenidade, firmeza de propósitos e muita lealdade para não dar cores fortes a uma situação ou outra.

Enfim, a convivência política entre aliados ou não requer elegância e cortesia. Entre aliados ou adversários também. Compreendo que todos nós temos nossos dias ruins. Talvez ontem tenha sido o seu. Apenas penso que o calar em dias ruins é mais eloquente do que falar. Nisso reside sabedoria. Um abraço.

* Moacir Tavares, cirurugião-dentista, professor da UFC, Doutor em Saúde Pública pela USP e dirigente do PT.

moacirtavares@yahoo.com.br

A responsabilidade pela buraqueira é de quem mesmo?

338 4

Em 2009, a prefeita Luizianne Lins (PT) saiu às ruas e lançou em Parangaba uma operação tapa-buracos. Na época, muita campanha na mídia. Agora eclode uma polêmica em torno da buraqueira: seria culpa do Município ou do Estado, via Cagece?

Na Coluna Vertical, do O POVO, desta quinta-feira, o item “Só lembrando” questiona: “Ao bater na Cagece, Luizianne abre um buraco na sua relação com Cid Gomes?” Até Arialdo Pinho, chefe da Casa Civil, como postamos aqui, reagiu em seu twitter. Já o chefe de gabinete do Palácio da Abolição, Ivo Gomes, irmão de Cid, evitou criar mais entulhos na relação entre as partes.

(Foto – Marcos Campos)

Egito – Disparos no Cairo teriam matado mais três

“Disparos de armas de fogo foram ouvidos na praça Tahrir, no Cairo, e um organizador dos protestos disse que três manifestantes, que pediam a saída do presidente Hosni Mubarak, foram mortos pelos tiros.

Mustafa al-Naggar disse ter visto três corpos de manifestantes atingidos sendo carregados em direção a uma ambulância nesta madrugada, no horário local. Ele afirmou que os disparos feitos em direção à praça vieram de três locais diferentes, distantes dali.

O Exército egípcio montou um cordão de segurança ao redor da praça com tanques, na tentativa de conter os confrontos, mas al-Naggar disse que a ação não está adiantando. O ministro da Saúde não respondeu a uma chamada telefônica que pedia a confirmação dos três mortos.

Horas antes, apoiadores de Mubarak, armados com pedras, bastões e coquetéis molotov investiram contra os manifestantes que pedem a renúncia de Mubarak, no poder há três décadas.”

(Agência Estado e Associated Press)

Arialdo Pinho ironiza prefeita por ter culpado a Cagece pelos buracos da cidade

419 6

O chefe da Casa Civil do Governo Cid Gomes, Arialdo Pinho, não gostou nada da declaração dada pela prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins *(PT), culpando a Cagece pela onda de buracos que invadiu ruas da cidade. Em seu Twitter, não poupou:

“Lulu Discurso Maravilha, culpa Cagece pelos buracos Fortaleza. Engraçado, pela falta de capacidade de fazer algo, transfere responsabilidade”.

Arialdo aproveitou para lamentar que Luizianne não esteja fazendo seu dever de casa, observando: “Existem obras da Cagece na cidade com prazo para acabar. Prefeitura: ruas esburacadas, avenidas com asfalto lastimável, obras que nunca acabam”.

VAMOS NÓS – Cid Gomes endossa Arialdo? Eis a dúvida cruel.

Sai mais uma lista de nomes do 2º escalão

Saiu mais uma fornada com nomes de dirigentes de órgãos de segundo escalão do Governo Cid Gomes. Também sem muitas novidades, a não ser os professores Lindberg Gonçalves, que comandará o Nutec, e Eduardo Sávio, que permanecerá à frente da Funceme. Estes nomes já havíamos divulgado. Confira:

Instituto do Desenvolvimento do Trabalho (IDT) – Francisco Diassis Diniz

Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH ) – Henrique Jorge Javi de Sousa

Empresa de Tecnologia da Informação do Ceará (Etice) – Fernando Antônio de Carvalho Gomes,

Instituto de Saúde dos servidores do Estado do Ceará (Issec) – Lúcio Rocha Lima Montenegro

Instituto Centro de Ensino Tecnológico (Centec) – Geórgia Aguiar Almeida

Fundação Núcleo de Tecnologia Industrial do Ceará (Nutec) – Lindberg Lima Gonçalves

Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Ceará (Adagri) – Francisco Augusto de Souza Júnior

Instituto do Desenvolvimento Agrário do Ceará (Idace) – Ricardo Durval Eduardo de Lima

Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) – Eduardo Sávio Passos Rodrigues Martins

Junta Comercial do Estado do Ceará (Jucec) – Ricardo Luiz Andrade Lopes.

DETALHE – A Semace continua sem titular.

Escola de Saúde Pública sob nova direção

A Escola de Saúde Pública do Estado terá Ivana Barreto como superintendente. Ela assumirá o cargo às 15 horas desta sexta-feira, durante solenidade no auditório do órgão. 

Ivana Cristina de Holanda Cunha Barreto é médica, doutora em Medicina na área de Pediatria pela USP, com estágio pós-doctor no Departamento de Ciências da Educação na Universidade de Montreal no Canadá. Professora adjunta da UFC (Campus de Sobral), é membro também do quadro permanente de docentes do Mestrado em Saúde Pública dessa universidade.

DETALHE – A nomeação dela deixou alguém em Brasília feliz: Odorico Monteiro, que é secretário de Gestão e Saúde Participativa do Ministrério da Saúde.

Professor Flávio Ataliba comandará o Ipece

202 1

O professor Flávio Ataliba, do CAEN/UFC, vai presidir o Instituto de Pesquisas Econômicas do Ceará (Ipece). O nome dele é uma das poucas novidades em matéria de segundo escalão do Governo Cid Gomes.

O Detran continuará tendo como superintendente João Pupo. A Ematerce também não muda. José Maria Pimenta, filiado ao PP, permanece.

O DER muda de nome e passa a ser Departamento de Arquitetura e Engenharia (DAR). Terá o engenheiro Quintino Vieira como titular.

A Ceasa também não muda. Continua sob comando de Reginaldo Moreira, que é o presidente estadual do PMN. Já o Instituto Agropolos vai ser comandado pelo petista Celso Crisóstomo, enquanto o Instituto Dragão do Mar de Arte e Cultura terá como dirigente Isabel Cristina Fernandes, que era do museu do Dragão.

A Semace, que foi alvo de muita polêmica por conta de mudanças no setor de licenciamento, continua sem titular.

Guto Benevides é mantido à frente da TVC

227 1

O jornalista Guto Benevides vai continuar como presidente da TV Ceará. A informação foi divulgada agora há pouco pela Casa Civil.

Guto, que conseguiu melhorar a situação administraiva da emissora, já definiu um objetivo: integrar a TV C ao projeto Cinturão Digital do Governo, que levará acesso à banda larga para todos os cearenses.

Outra meta: tentar transformar a TV C numa organização social ou empresa pública, o que facilitaria a realização de parcerias também com o setor privado.

Dilma visita o Congresso e lê mensagem em clima cordial

“O comparecimento da presidenta Dilma Rousseff ao Congresso Nacional para apresentar a mensagem presidencial pela abertura dos trabalhos legislativos deste ano foi marcada pelo clima de boa vontade entre o governo e a oposição.

Ao chegar ao Congresso Nacional, Dilma cumprimentou parlamentares aliados e oposicionistas. E no plenário, ao entrar acompanhada dos presidentes do Senado, José Sarney (PMDB-AP), e da Câmara, Marco Maia (PT-RS), e de líderes partidários, ela foi aplaudida de pé pelos congressistas que lotaram o local.

No percurso da presidenta até a mesa, deputados e senadores se amontoaram para saudá-la, recepcionando o governo que se inicia. Dilma por sua vez, voltou a prometer diálogo com o Congresso e trabalho conjunto, em seu discurso.

Do lado de fora do plenário, centenas de pessoas aguardavam a saída da presidenta da República, que foi até perto dos populares, estendeu as mãos e cumprimentou algumas pessoas.

A recepção calorosa também foi oferecida pelos deputados e senadores de oposição, que evitaram críticas contundentes e prometeram um voto de confiança nos primeiros meses do novo governo.

“O governo pode ter certeza de que irá encontrar uma postura aberta ao diálogo de nossa parte”, disse o líder do Democratas da Câmara, deputado Antônio Carlos Magalhães Neto (DEM-BA) ao fim da cerimônia.

Uma pequena manifestação, com faixas pela libertação de Cesare Battisti, ativista italiano preso no Brasil, foi instalada no caminho que a presidenta percorreu para deixar o Congresso. Os manifestantes pediam a libertação do italiano e caminhavam em direção a Dilma e ao presidente do Supremo Tribunal Federal, Cesar Peluso.

A presidenta da República saiu do Congresso Nacional sob aplausos. Ela estava acompanhada dos presidentes do Senado, José Sarney, da Câmara, Marco Maia, e de parlamentares.”

(Agência Brasil)

Reforma Política – Presidente da Câmara defende um menu fatiado

“Em sua primeira entrevista coletiva após ser eleito presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS) afirmou, nesta terça-feira (2), que uma reforma política em pedaços tem maior chance de êxito no Congresso do que uma proposta mais completa, com brechas para impasses. Ele também defendeu a continuidade das emendas parlamentares e a implementação de uma política salarial para os colegas.

“Não gosto de fazer promessas. As pequenas mudanças que vamos produzindo na legislação contribuem para mudar a cultura e a estrutura política do Brasil”, disse o petista, ao lado de sua 1ª vice-presidente, Rose de Freitas (PMDB-ES). “Vamos fazer um amplo debate e ver o que conseguimos aprovar por consenso. Vamos produzir em 2011 mudanças significativas na estrutura política brasileira”, afirmou.

Maia afirmou que, apesar de o tema também estar em debate no Senado e de ser “um grande desejo da sociedade brasileira”, os deputados não vão “responder a todos os temas, pela complexidade do que é uma reforma política”. “Vamos fazer um amplo debate sobre o assunto e avançar no que for possível”, disse ele, que considerou o tema “uma das maiores contribuições que esta legislatura pode dar ao Brasil”.

É consenso entre os principais líderes partidários que se não houver mudanças na estrutura política neste ano o governo da presidente Dilma Rousseff pode terminar sem tê-las, já que em 2012 o Congresso atua de olho nas eleições municipais. Muitos parlamentares temem que uma reforma possa reduzir suas chances de vencer eleições.

Em outro tema sensível para os colegas, o das emendas parlamentares, Maia afirmou que se trata de um “instrumento eficaz” para fazer recursos chegarem a regiões isoladas. O Palácio do Planalto já demonstrou que pretende deixar de lado muitas dessas propostas, em um ano no qual pretende fazer um ajuste fiscal que pode chegar a R$ 60 bilhões. “As emendas apresentam uma condição mais democrática de aplicação de recursos públicos”, disse Maia, retomando uma de suas bandeiras de campanha.

Salários

Maia disse que os deputados “resolveram um problema” no ano passado ao equipararem seus salários aos recebidos por ministros do STF (Supremo Tribunal Federal), alcançando R$ 26,7 mil. O objetivo neste ano, disse ele, é “dar arcabouço legal a isso, o que não podíamos fazer no ano passado”. Por meio de uma PEC (Proposta de Emenda Constitucional), ele quer que os aumentos de salários sejam automáticos, sem votação.

Sobre o salário mínimo, o petista evitou o confronto com os colegas e com o Palácio do Planalto. Deputados ligados ao sindicalismo e outros insatisfeitos com Dilma desejam que o número chegue a R$ 580, enquanto a presidente defende, no máximo, R$ 545, sob a justificativa de manter as contas públicas em equilíbrio.

“Todos nós gostaríamos que o salário mínimo continue crescendo e sendo instrumento de distribuição de renda. Foi uma política responsável para que o Brasil entrasse e saísse diferente da crise econômica”, disse Maia, ex-torneiro mecânico e ex-sindicalista em Canoas, na região metropolitana de Porto Alegre. O Parlamento quer ver essa política continuando. Agora também queremos que as contas públicas também estejam equilibradas. Isso também é a garantia de que sigamos crescendo.”

O presidente da Câmara, que assumiu o cargo pela primeira vez em dezembro após Michel Temer renunciar para assumir a Vice-Presidência da República, afirmou que o Parlamento não vai acelerar a discussão sobre o salário mínimo nem sobre a PEC 300, que estipula um piso nacional para os policias – embora tenha determinado “funcionamento imediato” para uma comissão especial que cuida do assunto de segurança.”

(Portal Uol)

O jogo da mídia legislativa

O jornalista Hermann Hesse foi oficialmente apresentado como o novo coordenador de Comunicação Social da Assembleia Legislativa, no começo da tarde desta terça-feira,  às equipes que compõem o complexo da Casa. Ele passou 19 anos na TV Verdes Mares e deixou o cargo para substituir a jornalista Sílvia Goes que, a partir de agora, será assessora do vice-governador Domingos Filho (PMDB).

Hermann disse não ter pretensões de fazer mudanças bruscas no funcionamento do setor. Ponderou que vai reforçar o trabalho iniciado por Sílvia e ampliar a estrutura de Comunicação, atualmente composta por uma emissora de tevê, uma emissora de rádio, um jornal, uma revista e um portal.

“Vim aqui para somar e não para dividir”, afirmou, lembrando jogador de futebol ao ser contratado.

Pelos próximos dois anos (tempo de duração do mandato do deputado Roberto Cláudio (PSB) como novo presidente da Assembleia), ele cuidará apenas do Complexo de Comunicação. As demandas de imprensa de Roberto Cláudio serão gerenciadas pelo jornalista Marcos André. Antes, o coordenador era responsável pelas duas áreas.

Fotonovela – El Cid e a Sucessão

209 1

– Welitin, meu camarada! Que bom que você entendeu e aceitou minha indicação pra comandar a Casa…

– Olhe. Disseram que você estava chateado comigo. Eu não acreditei. Fique assim não, viu?

 

– Pode ficar certo que você tem meu respeito e a minha consideração. E fique certo ain: amigo é coisa pra se guardar dentro do coração.

(Fotos – Mauri Melo)

MAKING OF – Roberto Cláudio (PSB) foi ungido presidente por indicação do governador Cid Gomes (PSB). Isso, depois que Welington Landim (PSB) não entrou em acordo com o também candidato a presidente da Assembleia, Zezinho Albuquerque (PSB).

Dilma vai ao Congresso ler a mensagem do Executivo

“A presidente Dilma Rousseff (PT) vai nesta quarta-feira, às 16 horas, entregar pessoalmente sua mensagem ao Congresso Nacional, repetindo o script feito pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2003. No Congresso, Dilma deve falar reforçando a urgência de reformas no sistema tributário e enfatizar a dedicação na luta contra a pobreza, prioridade do seu governo. A presidenta vai se empenhar ainda na parceria entre os Três Poderes e ressaltará a necessidade de colaboração mútua.

Em 2003, o discurso de Lula confirmou o compromisso com a estabilidade e o crescimento, anunciando ênfase no ajuste fiscal, no sistema de metas inflacionárias, na ampliação do acesso ao crédito e na reforma tributária. Em 2007, a sua última mensagem ao Congresso Nacional foi levada por Dilma Rousseff na condição de ministra-chefe da Casa Civil. O presidente Lula voltou a destacar a contribuição de senadores e deputados para as realizações de seu governo.

Além de Dilma e Lula, o ex-presidente José Sarney também entregou a mensagem pessoalmente ao Congresso porque o presidente eleito, Fernando Collor de Mello, só tomou posse no dia 15 de março.”

(Agência Senado)

Uma análise sobre empregos gerados na Era Lula

Com o título “Brasil gera emprego, mas falta mão de obra qualificada”, Eduardo Pragmácio Filho, advogado e mestre em Direito do Trabalho, faz uma avaliação da geração de empregos na Era Lula. Confira:

Estudo recente da Organização Internacional do Trabalho (OIT) divulgou dados que revelam a diminuição do desemprego em alguns países em desenvolvimento. A boa notícia é que, pela primeira vez, o Brasil vai na contramão dos países mais desenvolvidos, que sofrem com o fantasma do desemprego estrutural e da instabilidade social. O país apresenta uma taxa de desemprego abaixo da dos países ricos e, pelo menos nas áreas metropolitanas, abaixo da média mundial.

Essa inusitada diminuição do desemprego nas economias emergentes é atestada também pela divulgação do número dos novos milhares de postos de trabalho criados na era Lula. Deve-se tomar o cuidado, no entanto, para que não haja apenas um crescimento numérico, mas, sobretudo, gerar um crescimento qualitativo.

A garantia constitucional do pleno emprego não é pura e simplesmente a criação de postos de trabalho e a manutenção deles. A garantia vai bem mais além, abrangendo a inclusão social e no emprego, a formação profissional e, sobretudo, a manutenção e promoção de um trabalho decente, erradicando qualquer forma de trabalho degradante e que venha ferir a dignidade da pessoa humana.

Na União Européia, para se alcançar o pleno emprego, busca-se um crescimento econômico sustentável, com coesão social, aliando políticas econômicas às políticas de emprego, promovendo a aprendizagem ao longo da vida como meio de aumentar a empregabilidade e a adaptabilidade. Nesse sentido, privilegia-se a mobilidade profissional e geográfica, entre setores e regiões, aumentando assim o potencial de produtividade da economia. A legislação trabalhista brasileira, no entanto, precisa avançar, no sentido de prever as mobilidades funcionais e geográficas, além de impor o dever de formação profissional, envolvendo a classe trabalhadora, patronal e o Estado.

Na prática, na realidade brasileira, o que se verifica é a falta de trabalhadores qualificados, aptos para atuarem em certas funções na construção civil, na área de tecnologia e nas novas zonas de industrialização. Esse ilusório paradoxo – diminuição de desemprego e aumento das vagas não preenchidas – pode provocar a imigração de trabalhadores estrangeiros, para contemplar a demanda cada vez crescente por mão-de-obra multi e super qualificada.

A formação profissional ao longo da vida deve ser plenamente fomentada pelo governo brasileiro, envolvendo as empresas, parceiros sociais e a classe trabalhadora, compartilhando a responsabilidade dessa imprescindível tarefa. Com isso, combate-se a exclusão social, melhora-se a competitividade e a adaptabilidade, promovendo, sobretudo, a dignidade da pessoa humana.

* Eduardo Pragmácio Filho, Advogado, Mestre em Direito do Trabalho pela PUC-SP, Professor da Faculdade Farias Brito.

Por uma reforma da "bodega"

Essa é do irmão e chefe de gabinete do governador Cid Gomes (PSB) no O POVO desta quara-feira, ao ser indagado sobre o novo momento da prefeita Luizianne Lins (PT), que promete estar mais próxima do secretariado e dos vereadores:

– Se aumentar a velocidade das coisas da Prefeitura, melhora muito porque, com o aumento da velocidade lá, empata com a velocidade que nós estamos no Governo.

DETALHE – Ivo foi aquele que, no fim do ano passado, chegou a lamentar que a prefeita fazia política de “bodega”.

Dez mais ricos têm metade da riqueza no Congresso

195 1

Eunício Oliveira (PMDB) integra a lista.

“A elevada concentração de renda no Brasil está explícita no novo Congresso. Metade de todo o patrimônio declarado pelos 567 congressistas empossados ontem (1º) está nas mãos de apenas dez parlamentares, ou seja, de menos de 2% dos eleitos em outubro na Câmara e no Senado. Do montante de R$ 1,6 bilhão em bens declarados pelos 513 deputados e 54 senadores, R$ 792 milhões estão em nome desse pequeno grupo de multimilionários.

Os dados fazem parte de levantamento feito pelo Congresso em Foco com base em informações prestadas pelos então candidatos à Justiça eleitoral. Na média, cada parlamentar declarou possuir R$ 2,9 milhões em imóveis, empresas, fazendas, veículos, objetos de arte, dinheiro em espécie e aplicações financeiras, entre outros bens.

OS DEZ MAIS RICOS DO CONGRESSO


Fonte: Congresso em Foco com base na declaração patrimonial dos candidatos ao TSE

O parlamentar com maior patrimônio declarado vem do estado com pior índices de desenvolvimento humano (IDH) e uma das menores rendas per capita do país, Alagoas. De volta à Câmara após quatro anos, o deputado João Lyra (PTB-AL) tem uma fortuna declarada de R$ 240,39 milhões.

O petebista, que já foi senador, é dono de um império que reúne mais de dez grandes empresas no estado, entre as quais usinas sucroalcooleiras, fábrica de fertilizantes, empresas de táxi aéreo, de comunicação e concessionária de veículos. A renda per capita gira em torno de R$ 6 mil em Alagoas, estado com um dos maiores índices de analfabetismo e mortalidade infantil do país.

O grupo dos maiores milionários do novo Congresso é formado por seis deputados e quatro senadores. Há representantes das cinco regiões do país e de dez estados. São três do Centro-Oeste (Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul), dois do Sudeste (São Paulo e Minas Gerais), dois do Nordeste (Alagoas e Ceará), dois do Norte (Amazonas e Rondônia) e um do Sul (Paraná). Eles são de cinco partidos políticos: três do PMDB, dois do PR, do PP e do PSDB e um do PTB. Não há nenhuma mulher entre eles. ”

(Congresso em Foco)

E 59 dos 513 deputados federais empossados estão na condição de réus

“Pelo menos 59 dos 513 deputados federais que tomaram posse ontem chegam à Câmara na condição de réus em ações penais, ou seja, respondem a processos nos quais são acusados de crimes, de acordo com levantamento realizado pelo site G1 em 61 tribunais, entre eles o Superior Tribunal de Justiça (STJ) e o Supremo Tribunal Federal (STF).

Juntos, os 59 deputados respondem a pelo menos 92 processos. Em alguns casos, o deputado é acusado pelo Ministério Público por mais de um crime. A maioria das denúncias é de crimes contra a administração pública, como peculato, corrupção e crime contra a Lei de Licitações. Há ainda casos de delitos contra o sistema financeiro, crimes eleitorais e até crimes contra a pessoa, como homicídio e lesão corporal.”

(Globo Online)

Luizianne e o "beija-mão"

322 8

A prefeita Luizianne Lins (PT) prometeu aproximação com tudo e com todos. Só que, para alguns, andou exagerando durante a sessão de instalação dos trabalhos da Câmara Municipal. Protagonizou um festival de “beija-mão” que começou pelo presidente da Casa, Acrísio Sena (PT), e acabou no ex-presidente dessa mesma Casa e ex-rival político, Carlos Mesquita (PMDB). 

(Fotos – Iana Soares, do O POVO)

Ex-secretário da Cultura assumirá Inesp/AL

Depois de escolher o jornalista Herman Hesse para ser o gestor de todo o setor de Comunicação do Poder Legislativo, eis que o presidente da Casa, Roberto Cláudio, opta por mais um jornalista na hora de preencher cargos.

Paulo Linhares está deixando a Diretoria de Conteúdo e Marketing da TV O POVO para assumir o comando do Instituto de Estudos e Pesquisas para o Desenvolvimento do Estado do Ceará (Inesp).

Trazendo no currículo a experiência de quem já foi secretário da Cultura do Estado (Governo Ciro Gomes), gera boas expectativas em matéria de ações inovadoras.

AHHHHH!

Prefeitura promete alvará em 3 dias

195 2

“Quando se fala em atração de novos negócios, a cobrança é quase sempre endereçada ao Governo estadual. Todavia, há muito a ser feito pelos municípios. Nem tanto para os pequenos, mas sim numa Capital como Fortaleza, onde, aliás, o comércio e os serviços são a base da economia. No caso de Fortaleza, parece haver um vácuo nessa tarefa fundamental. Existe a Secretaria do Desenvolvimento Econômico, entregue a um time de técnicos respeitados. Todavia, o foco é outro. Em todo caso, é possível animar a economia da cidade com medidas simples, mas de imenso poder de repercussão. Hoje, 2 de fevereiro, Dia de Iemanjá, há um fato novo por acontecer na Câmara.

No retorno dos trabalhos da Câmara Municipal, uma mensagem da prefeita Luizianne Lins (PT) deve ir a votação. Na mensagem, a proposta de reduzir dos atuais 80 dias para até três dias o prazo para obtenção do Alvará de Funcionamento de um estabelecimento. A proposta pretende reduzir os custos de transação para obtenção da autorização, diminuindo também o tempo, o número de etapas, de exigências consideradas desnecessárias e da quantidade de visitas, além dos custos totais do processo.

O relator do projeto na Casa, vereador Guilherme Sampaio (PT), explica que a mensagem é resultado da articulação entre Fortaleza e a Corporação Financeira Internacional (CFI) – ou Internacional Finance Corporation (IFC), braço do Banco Mundial. Pelo projeto, um estabelecimento cuja atividade não tenha impacto sanitário, como um escritório de advocacia, por exemplo, não vai precisar da visita prévia para poder obter o Alvará. A matéria já foi aprovada na Comissão de Legislação e agora já segue ao plenário.”

(Coluna Vertical S/A, do O POVO)