Blog do Eliomar

Categorias para Política

Camilo Santana vence eleição no primeiro turno com 64% dos votos, diz Ibope

177 1

Saiu a primeira pesquisa Ibope/Verdes Mares, com índices divulgados na noite desta quinta-feira (16).

Pelos números, o candidato do PT, Camilo Santana, venceria fácil se a eleição fosse hoje, com 64% da preferência do eleitorado. O segundo colocado, General Theophilo, do PSDB, ficaria com apenas 4% da intenção de votos.

A pesquisa foi realizada da segunda-feira (13) a quarta-feira (15), com 1.204 eleitores de 58 municípios cearenses, com margem de erro em 5%.

Após Cid, Ivo Gomes também declara apoio a Eunício

“Voto nele (Eunício) com tranquilidade”, disse o prefeito de Sobral, Ivo Gomes (PDT), nesta quinta-feira (16), sobre o apoio ao senador Eunício Oliveira, candidato à reeleição.

Segundo Ivo, Eunício é trabalhador e fez muito pelo Ceará e também por Sobral.

Mais cedo, em Fortaleza, o ex-governador Cid Gomes, candidato ao Senado pelo PDT, disse que a segunda vaga ao Senado não foi lançada pela chapa PT/PDT, como forma de recomendação de voto ao senador Eunício Oliveira (MDB).

Partido Novo lança chapa de candidatos à Câmara dos Deputados

O Partido Novo do Ceará vai lançar, às 19 horas desta quinta-feira, no Mercado Meirelles, uma chapa com seis candidatos à Câmara dos Deputados. O ato contará com a presença de membros do diretório estadual do Novo, militantes e apoiadores dos ideais da sigla, que defende o fim do Fundo Partidário.

Todos os candidatos devem realizar a campanha apenas com os recursos custeados por simpatizantes. É a primeira vez que o Novo participará da eleição no Ceará. Não apresenta chapa para cargos majoritários.

Confira o nome dos seis candidatos da chapa que foi homologada em convenção realiza no último dia 27 de julho: Samara Pontes, Jeane Freitas, Rodrigo Marinho, Fredy Bezerra, Marcelo Medeiros e Rodrigo Nóbrega.

SERVIÇO

*Mercado Meireles – Rua Frederico Borges, 27. – Bairro Meireles.

Bolsonaro contesta candidatura de Lula no TSE

O deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ), um dos 13 candidatos à Presidência da República, entrou hoje (16) com o sexto pedido de impugnação (questionamento) do registro de candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva (PT-SP) ao cargo, alegando que o ex-presidente inelegível.

No pedido, os advogados Tiago Ayres, Gustavo Bebianno Rocha e André Castro, que representam Bolsonaro e a coligação Brasil Acima de Tudo, Deus Acima de Todos, detalham o processo que levou à condenação de Lula no caso do tríplex do Guarujá (SP) e afirmam que, em decorrência disso, o ex-presidente é inelegível. “Isso porque restou comprovado que o ex-presidente da República participou de um grande esquema de corrupção”, diz o texto.

Os advogados argumentam ainda o entendimento atual do STF, segundo o qual a pena pode ser executada após condenação em segunda instância, que levou à prisão de Lula, também deve ser aplicado à restrição dos direitos políticos do ex-presidente.

O registro de candidatura de Lula já foi questionado pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge. Caberá ao ministro Luís Roberto Barroso decidir sobre os pedidos de impugnação. Hoje, ao ser questionado sobre o assunto, o ministro afirmou que fará “o que é certo”.

Barroso pode decidir de modo monocrático e liminar (individual e provisório) sobre o deferimento do registro de candidatura de Lula, mas o mais provável é que o processo seja julgado diretamente no plenário do TSE.

O registro da candidatura de Lula também foi contestado por dois candidatos a deputado federal, Kim Kataguiri (DEM-SP) e Alexandre Frota (PSL-SP), e por dois cidadãos que não concorrem às eleições. Esses pedidos de impugnação foram distribuídas ao ministro do TSE Admar Gonzaga.
O PT pediu a Barroso que esclareça a quem cabe a relatoria das impugnações, e o ministro enviou o questionamento à presidente do TSE, ministra Rosa Weber, que deve pacificar a quem caberá decidir.

Condenação

Lula está preso desde 7 de abril na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba. Ele foi condenado, no caso do tríplex do Guarujá (SP), por corrupção e lavagem de dinheiro a 12 anos e um mês de prisão pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), segunda instância da Justiça Federal.

Com a condenação em segunda instância, Lula pode ser enquadrado nos critérios de inelegibilidade da Lei da Ficha Limpa. O ex-presidente nega ser proprietário do tríplex no Guarujá e pretende reverter a condenação no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e no Supremo Tribunal Federal (STF).

Os advogados do ex-presidente querem que os recursos às instâncias superiores tenham efeito suspensivo sobre a condenação, o que garantiria a Lula o direito de recorrer em liberdade e também de disputar as eleições.

(Agência Brasil)

Na disputa pelo Governo de Alagoas, Collor lidera a rejeição

143 1

Renan Filho e Fernando Collor protagonizam uma disputa particular pelo governo de Alagoas. É o que mostra um levantamento do Ibrape, registrado sob número AL-08617/2018 – BR-08118/2018 e divulgado pela Veja Online.

O primeiro levantamento eleitoral considerando o ex-presidente na disputa o coloca em segundo, com 21% das intenções de voto. Não é animadora, entretanto, sua aceitação: 48% do eleitorado não votaria nele de jeito nenhum.

Atual governador, Renan Filho lidera a disputa, com 44%. Mesmo assim, ele é rejeitado por cerca de 25%.

O intervalo de confiança estimado é de 95% e a margem de erro máxima é de 2,19 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra.

(Foto – Veja)

Faremos o que é certo, diz Barroso sobre registro de Lula

O vice-presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, relator do registro de candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, disse hoje (16) que “faremos o que é certo” ao ser questionado sobre o encaminhamento do processo.

Na quarta-feira (15), poucas horas depois de o PT entrar com o pedido de registro da candidatura de Lula à Presidência da República, o Ministério Público Eleitoral (MPE) protocolou uma impugnação (questionamento), argumentando que o ex-presidente não é elegível, de acordo com os critérios da Lei da Ficha Limpa. A questão deve ser analisada por Barroso.

Outras duas impugnações, movidas pelos candidatos a deputado federal Alexandre Frota (PSL) e Kim Kataguiri (DEM), também foram protocoladas na tarde de quarta-feira (15), mas antes de o pedido de registro de Lula ter sido incluído no sistema do TSE. Assim, tais questionamentos acabaram sendo distribuídos a outro relator, o ministro Admar Gonzaga.

Ainda nesta quarta-feira (15), o PT entrou com uma petição nas impugnações de Frota e Kataguiri, colocando em dúvida o fato de terem sido distribuídas a Gonzaga. Segundo nota divulgada pelos advogados do partido, a petição foi feita “com o único objetivo de evitar eventuais nulidades”, devido ao ministro não ser o relator do registro de Lula.

“É uma dúvida legítima pois queremos nos manifestar no processo e não sabemos a qual ministro nos dirigir”, disse o advogado de Lula no TSE, Luiz Fernando Casagrande Pereira, que compareceu nesta quinta-feira (16) à Corte Eleitoral e conversou com o ministro Roberto Barroso.

Questionado sobre a dupla relatoria, Barroso reafirmou que “o que é certo” será feito para dirimir todas as questões, que devem ser encaminhadas para deliberação da presidente do TSE, ministra Rosa Weber.

O ministro pode decidir de modo monocrático e liminar (individual e provisório) se defere ou não o registro de Lula, mas o mais provável, devido à relevância do tema, é que o processo seja levado diretamente para votação no plenário do TSE.

As declarações de Barroso foram dadas após a posse do ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), como ministro titular do TSE, em substituição ao ministro Luiz Fux, que encerrou seu mandato na Justiça Eleitoral.

O TSE é composto por sete ministros titulares, sendo três do STF, dois do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e dois membros da advocacia. Fachin já integrava a Justiça Eleitoral como ministro substituto, passando agora a efetivo.

(Agência Brasil)

Camilo, Cid e Eunício fazem campanha em Sobral

417 8

O governador Camilo Santana fez caminhada agora há pouco no tradicional Beco do Cotovelo, em Sobral (Zona  Norte), terra dos Ferreira Gomes. Com ele, que postula a reeleição, Cid Gomes, candidato a senador pelo PDT, e Eunício Oliveira, senador que postura recondução pelo MDB e que recebe apoio dos dois informalmente.

Os três circularam entre eleitores, posaram par selfie e, claro, deram uma paradinha para o cafezinho do Luiz Torquato, que já presidiu o time do Guarany.

Em Fortaleza, quando abriram a campanha eleitoral no Mercado Central, Camilo e Cid reiteraram apoio à reeleição de Eunício. O governador destacou o apoio dado pelo emedebista na liberação de recursos federais, enquanto Cid reafirmou que recomendará, em homenagem a Camilo, voto pró-Eunício Oliveira.

(Foto – Leitor do Blog)

João Saraiva, candidato ao Senado pela Rede, abre campanha em Pindoretama

151 2

O ambientalista João Saraiva vai abrir, às 8 horas do próximo sábado, em Pindoretama (Região Metropolitana de Fortaleza), sua  campanha de candidato ao Senado pela Rede.

Pindoretama foi escolhida porque João tem familiares nesse município onde diz ter passado a maior parte de sua infância e, aind, porque seu plano de ações inclui programas para o fortalecimento das cidades da Regiões Metropolitana.

“Queremos dar o pontapé inicial conversando com as pessoas sobre a importância de renovarmos os representantes do Ceará no Senado Federal. Sabemos que a população está muito revoltada com os políticos e a polícia de um modo geral, e não faltam razões para isso. Por outro lado, o grande desafio da nossas candidatura, além de apresentarmos propostas viáveis para o Brasil e o Ceará, será também de estimular o cidadão que é possível fazermos política com ética, respeito e democracia”, explica o candidato.

(Foto – Divulgação)

PGR tenta acelerar julgamento de registro de Lula no TSE

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, entrou hoje (16) com um novo pedido no processo de registro de Luiz Inácio Lula da Silva como candidato à Presidência da República. Ela quer que o prazo de sete dias para a manifestação da defesa contra a impugnação (questionamento) do pedido de registro seja adiantado e passe a contar a partir desta quinta-feira, numa tentativa de acelerar o julgamento.

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, durante sessão extraordinária, para a retomada do julgamento da ação direta de inconstitucionalidade (ADI 5794) que questiona o fim da contribuição sindical obrigatória. Ontem (15), menos de uma hora depois de o ministro Luís Roberto Barroso ter sido sorteado relator do pedido de registro, Raquel Dodge, que é também a procuradora-geral eleitoral, entrou com a impugnação, argumentando que Lula está inelegível de acordo com os critérios da Lei da Ficha Limpa.

Outras duas impugnações, movidas pelos candidatos a deputado federal Alexandre Frota (PSL) e Kim Kataguiri (DEM), também foram protocoladas na tarde de quarta-feira (15), mas ainda antes de o pedido de registro de Lula ter sido incluído no sistema do TSE. Assim, tais questionamentos acabaram sendo distribuídos a outro relator, o ministro Admar Gonzaga.

Em seguida, o PT entrou então com uma petição no TSE, colocando em dúvida o fato de as impugnações de Frota e Kataguiri terem sido distribuídas a Gonzaga, e não a Barroso. Segundo nota divulgada pelos advogados do partido, isso foi feito “com o único objetivo de evitar eventuais nulidades”, devido ao ministro não ser o relator do registro de Lula.

Com base na petição do PT, Raquel Dodge argumentou que a defesa já tomou ciência da impugnação, sem que seja necessário aguardar a notificação dos advogados, motivo pelo qual o prazo para a manifestação da defesa deve começar a contar a partir desta quinta-feira, pois Lula “compareceu espontaneamente aos autos, teve ciência da impugnação ministerial, passando, portanto, a fluir dessa data o prazo para apresentação de contestação”.

Hoje, o advogado de Lula no TSE, Luiz Fernando Casagrande Pereira, ironizou a celeridade de Raquel Dodge em impugnar o pedido de registro de candidatura de Lula. “A gente não tinha visto a Procuradoria ser tão rápida até hoje, né? Mas o advogado nunca pode reclamar contra a celeridade do Judiciário, a gente só acha que quem sabe se houvesse essa rapidez em todos os casos, o estoque de processos do Brasil estaria zerado”, disse.

Em tese, seria necessário aguardar que o TSE publicasse, no prazo de cinco dias, o edital com todos os pedidos de registro, somente após o qual seriam recebidas as impugnações.

A PGR, entretanto, se adiantou ao processo. A Justiça Eleitoral tem até o dia 17 de setembro para deferir ou indeferir todos os registros de candidatura, prazo final também para que candidatos sejam substituídos pelos partidos.

Barroso pode decidir de modo monocrático e liminar (individual e provisório) sobre o deferimento ou não do registro de Lula, mas o mais provável é que, ante a relevância do tema, o caso seja levado diretamente ao plenário do TSE. Hoje, ao ser questionado sobre o assunto, ele disse somente que fará “o que é certo”.

Condenação

Lula está preso desde 7 de abril na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, em decorrência de sua condenação no caso do tríplex no Guarujá (SP).

Ele foi condenado por corrupção e lavagem de dinheiro a uma pena de 12 anos e um mês imposta pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), segunda instância da Justiça Federal.

Com a condenação em segunda instância, Lula pode ser enquadrado nos critérios de inelegibilidade da Lei da Ficha Limpa. Ele sempre negou ser proprietário do tríplex no Guarujá e pretende reverter a condenação no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Os advogados querem que os recursos às instâncias superiores tenham efeito suspensivo sobre a condenação, o que garantiria a Lula o direito de recorrer em liberdade e também de disputar as eleições.

(Agência Brasil)

Salmito diz que maior vitória na eleição é o processo democrático

Maior vítima de fake news no Estado, nesse início de período eleitoral, o presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Salmito Filho, candidato a deputado estadual pelo PDT, disse em postagem no Facebook que a maior vitoriosa na eleição é a democracia, não o ódio.

“A democracia é uma conquista que nunca devemos esquecer! Desejo que a campanha eleitoral aconteça como um processo da conquista democrática sem ódio e com propostas factíveis para promover o bem comum”, disse Salmito.

(Foto: Facebook)

Eleições 2018 e suas deformações

Com o título “Tudo, inclusive nada”, eis artigo de Ricardo Alcântara, escritor e publicitário que trata das eleições presidenciais e suas curiosidades ou surpresas. Confira:

Na campanha eleitoral de 2018, os candidatos disputarão entre si e todos eles, juntos, enfrentarão o fantasma do voto nulo e da crescente tendência à abstenção. Em especial os candidatos que desejam conquistar o eleitor do “voto higiênico”, mais sensível à ética, os levar às urnas poderá ser crucial para suas pretensões. As causas são conhecidas e semelhantes àquelas que nos fizeram, pela primeira vez, atravessar uma Copa do Mundo sem bandeiras estendidas nas janelas: o choque de realidade provocado pela overdose midiática pautada nos escândalos levantados pela operação Lava Jato.

As deformações decorrentes do processo são diversas: a) O candidato mais indicado nas pesquisas está preso e sua candidatura, de inegável representatividade social, não pode ser representada nos debates televisivos; b) As forças que apoiam um governo de impopularidade unânime terão, inversamente, 40 por cento do espaço de propaganda; c) Como um fio descascado riscando o chão, a inédita candidatura de uma direita que ousa agora dizer seu nome catalisa, com Jair Bolsonaro, larga simpatia em eleitores das diversas classes sociais.

O que se pode esperar? Tudo. Inclusive, nada. Nada, no caso, significaria um segundo turno como os anteriores, disputado entre um candidato da centro-esquerda, liderada pelo PT – Fernando Haddad, provavelmente – contra o candidato de centro, o tucano Geraldo Alckmin, replicando em plano nacional, ad nauseum, o conflito histórico entre lideranças paulistas dos dois partidos. Aliás, é indisfarçável, diga-se: ambos o desejam, menos com base em cálculos eleitorais e mais pela compreensão comum de que a dicotomia atende ao interesse de ambos, a saber: manter o protagonismo em seus respectivos campos de atuação.

O “tudo” (no caso, algo inusitado) seria a ida ao segundo turno de candidato que largue com boa margem de intenção de votos, mas com tempo mínimo de propaganda: Jair Bolsonaro, Marina Silva e, embora menos, Ciro Gomes. A passagem de um deles para a decisão final sinalizaria a consolidação das redes sociais como ferramenta decisiva no processo eleitoral e a relativização do poder das mídias convencionais. A ver.

*Ricardo Alcântara

fortaleza.ricardo@gmail.com

Escritor e publicitário.

Eleições 2018 – Saiba o que candidato e eleitor podem e não podem fazer durante o período de campanha

Candidatos e eleitores devem respeitar regras estabelecidas pela Justiça Eleitoral a partir desta quinta-feira, 16, data em que está liberada a propaganda eleitoral, conforme resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Caso contrário, estarão sujeitos a multas e até a cassação do mandato, no caso dos eleitos. O jornal O Globo fez um resumo do que podem e não podem fazer os candidatos durante a campanha. Confira:

O que pode o candidato

Distribuir folhetos, adesivos e impressos, independentemente de autorização, sempre sob responsabilidade do partido, da coligação ou do candidato (o material gráfico deve conter CNPJ ou CPF do responsável pela confecção, quem a contratou e a tiragem);

Colar propaganda eleitoral no para-brisa traseiro do carro em adesivo microperfurado; em outras posições do veículo também é permitido usar adesivos, desde que não ultrapassem meio metro quadrado;

Usar bandeiras móveis em vias públicas, desde que não atrapalhem o trânsito de pessoas e veículos;

Usar em carreatas, caminhadas e passeatas ou durante reuniões e comícios alto-falantes, amplificadores, carros de som e minitrios entre 8h e 22h, desde que estejam a, no mínimo, 200 metros de distância de repartições públicas, hospitais, escolas, bibliotecas, igrejas e teatros.

Realizar comícios entre 8h e 24h, inclusive com uso de trios elétricos em local fixo, que poderão tocar somente jingle de campanha e emitir discursos políticos;

Fixar propaganda em papel ou adesivo com tamanho de até meio metro quadrado em bens particulares, desde que com autorização espontânea e gratuita do proprietário;

Pagar por até 10 anúncios em jornal ou revista, em tamanho limitado e em datas diversas, desde que informe, na própria publicidade, o valor pago pela inserção;

Arrecadar recursos para a campanha por meio de financiamento coletivo (crowdfunding ou vaquinha virtual)

Fazer propaganda na internet, desde que gratuita e publicada em site oficial do candidato, do partido ou da coligação hospedados no Brasil ou em blogs e redes sociais;

Promover o impulsionamento de conteúdo na internet (post pago em redes sociais), desde que identificado como tal e contratado exclusivamente por partidos políticos, coligações e candidatos e seus representantes, devendo conter o CNPJ ou CPF do responsável e a expressão “Propaganda Eleitoral”;

Fazer propaganda em blogs, redes sociais e sites de mensagens instantâneas com conteúdo produzido ou editado por candidato, partido ou coligação;

Usar ferramentas para garantir posições de destaque nas páginas de respostas dos grandes buscadores;
Enviar mensagens eletrônicas, desde que disponibilizem opção para descadastramento do destinatário, que deverá ser feito em até 48 horas.

O que não pode o candidato

Fixar propaganda em bens públicos, postes, placas de trânsito, outdoors, viadutos, passarelas, pontes, paradas de ônibus, árvores, inclusive com pichação, tinta, placas, faixas, cavaletes e bonecos;

Fazer propaganda em bens particulares por meio de inscrição ou pintura em fachadas, muros ou paredes;

Jogar ou autorizar o derrame de propaganda no local de votação ou nas vias próximas, mesmo na véspera da eleição;

Fazer showmício com apresentação de artistas, mesmo sem remuneração. Cantores, atores ou apresentadores que forem candidatos não poderão fazer campanha em suas atrações;

Fazer propaganda ou pedir votos por meio de telemarketing;

Confeccionar, utilizar e distribuir camisetas, chaveiros, bonés, canetas, brindes, cestas básicas, bens ou materiais que proporcionem vantagem ao eleitor;

Pagar por propaganda na internet, exceto o impulsionamento de publicações em redes sociais;

Publicar propaganda na internet em sites de empresas ou outras pessoas jurídicas, bem como de órgãos públicos;

Fazer propaganda na internet, atribuindo indevidamente sua autoria a outra pessoa, candidato, partido ou coligação;

Usar dispositivos ou programas como robôs, conhecidos por distorcer a repercussão de conteúdo;

Usar recurso de impulsionamento somente com a finalidade de promoção ou benefício dos próprios candidatos ou suas agremiações e para denegrir a imagem de outros candidatos;

Fazer propaganda eleitoral em sites oficiais ou hospedados por órgãos da administração pública (da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios);

Agredir e atacar a honra de candidatos na internet e nas redes sociais, bem como divulgar fatos sabidamente inverídicos sobre adversários;

Ao fazer divulgação do financiamento coletivo (crowdfunding ou vaquinha virtual) para arrecadação de recursos de campanha, os candidatos estão proibidos de pedir votos;

Veicular propaganda no rádio ou na TV paga e fora do horário gratuito, bem como usar a propaganda para promover marca ou produto;
Degradar ou ridicularizar candidatos, usar montagens, trucagens, computação gráfica, desenhos animados e efeitos especiais no rádio e na TV;

Fazer propaganda de guerra, violência, subversão do regime, com preconceitos de raça ou classe, que instigue a desobediência à lei ou que desrespeite símbolos nacionais.

Usar símbolos, frases ou imagens associadas ou semelhantes às empregadas por órgão de governo, empresa pública ou estatal;
Inutilizar, alterar ou perturbar qualquer forma de propaganda devidamente realizada ou impedir propaganda devidamente realizada por outro candidato.

O que pode o eleitor

Participar livremente da campanha eleitoral, respeitando as regras sobre propaganda nas ruas e na internet aplicadas aos candidatos;

Apoiar candidato com gastos de até R$ 1.064,10, com emissão de comprovante da despesa em nome do eleitor (bens e serviços entregues caracterizam doação, limitada a 10% da renda no ano anterior);

Fazer doações acima de R$ 1.064,10 apenas mediante transferência eletrônica (TED) da conta bancária do doador direto para a conta bancária do candidato beneficiado;

Fazer doações para candidatos por meio de sites habilitados pela Justiça Eleitoral para realizar financiamento coletivo (crowdfunding ou vaquinha virtual);

Ceder uso de bens móveis ou imóveis de sua propriedade, com valor estimado de até R$ 40 mil;

Prestar serviços gratuitamente para a campanha;

No dia da votação, é permitida só manifestação individual e silenciosa da preferência pelo partido ou candidato, com uso somente de bandeiras, broches, dísticos e adesivos;

Manifestar pensamento, mas sem anonimato, inclusive na internet.

O que não pode o eleitor

Trocar voto por dinheiro, material de construção, cestas básicas, atendimento médico, cirurgia, emprego ou qualquer outro favor ou bem;

Cobrar pela fixação de propaganda em seus bens móveis ou imóveis;

Dar, oferecer, prometer, solicitar ou receber, para si ou outra pessoa, dinheiro, dádiva ou qualquer vantagem, para obter ou dar voto, conseguir ou prometer abstenção, ainda que a oferta não seja aceita;

Fazer doação para campanha com moedas virtuais;

Se servidor público, trabalhar na campanha eleitoral durante o horário de expediente;

Inutilizar, alterar, impedir ou perturbar meio lícito de propaganda eleitoral;

Degradar ou ridicularizar candidato por qualquer meio, ofendendo sua honra;

Fazer boca de urna no dia da eleição, ou seja, divulgar propaganda de partidos ou candidatos.

Ciro divulga jingle de campanha apregoando que é a mudança

O candidato a presidente da República pelo PDT, Ciro Gomes, disponibilizou em suas redes sociais o seu jingle de campanha. Na peça, a imagem de um nome experiente na política e na administração e que apregoa mudança e esperança para o povo brasileiro.

Ciro, aliás, estará abrindo sua campanha em Fortaleza, mais precisamente a partir das 19 horas deste sábado. No ato, a inauguração do comitê de campanha do deputado federal André Figueiredo, que é o presidente do PDT do Ceará.

O presidente nacional Carlos Lupi e o prefeito Roberto Cláudio também estarão presentes ao ato. O governador Camilo Santana (PT) foi convidado.

Mesmo após revezes, PSDB avalia que Aécio Neves pode ser o deputado mais votado em Minas

97 1

Mesmo com todos os revezes desde a delação da JBS, integrantes da bancada tucana na Câmara apostam que Aécio Neves (PSDB-MG) deverá ser o deputado mais votado no partido no Estado.

Nas contas dos aliados, segundo informa a Coluna Painel, da Folha de S.Paulo desta quinta-feira, Aécio poderia ter até 300 mil votos, colhidos especialmente em Belo Horizonte.

(Foto – Pedro Ladeira, da Folhapress)

Marina Silva vem fazer campanha em Fortaleza sem ter nome para o Governo do Ceará

A candidata a presidente da República pela Rede, Marina Silva, vem ao Ceará, em clima de campanha, no início de setembro. A agenda dela, bom destacar, é feita por um cearense: Pedro Ivo, que já foi militante ferrenho do PT, tendo passado pelo PV.

Por aqui, a Rede não tem candidato ao Governo e aposta apenas num nome para o Senado: o ambientalista João Saraiva, que disputa vaga de senador.

A Rede ainda não se manifestou acerca de apoio a um nome para a segunda vaga de senador.

(Foto – Agência Brasil)

Camilo e Cid abrem campanha no Mercado Central

O governador Camilo Santana (PT) e Cid Gomes, candidato ao Senado pelo PDT, abriram a campanha deles nesta manhã de quinta-feira visitando o Mercado Central. Com eles, a vice, Izolda Cela (PDT), e grupo de políticos dos partidos que apoiam essa coligação.

O prefeito Roberto Cláudio, o líder do Governo na Assembleia, Evandro Leitão, e parlamentares de esquerda como Chico Lopes (PCdoB) e Leônidas Cristino (PDT), marcaram presença. Inácio Arruda, candidato a deputado federal pelo PCdoB, reforçou o grupo, ao lado do presidente da Câmara Municipal, Salmito Filho (PDT), que postula cadeira de deputado estadual, e de Nelson Martins, da coordenação de campanha do petista.

Camilo aproveitou para conversar com os permissionários e a clientela. Ouviu queixas e sugestões e, claro, distribuiu muitos abraços e apertos de mão.

Ainda nesta manhã de quinta-feira, Camilo e Cid vão estar em Sobral (Zona Norte), quando farão uma caminhada pelo tradicional Beco do Cotovelo.

(Fotos – Leitor do Blog e Divulgação)

Bolsonaro usará munição contra Ciro e Camilo

Da Coluna do Eliomar de Lima, no O POVO desta quinta-feira:

O candidato a presidente da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, gravou vídeos para a propaganda eleitoral gratuita do postulante ao Governo do Ceará, advogado Hélio Gois (PSL). Bolsonaro priorizou, no entanto, as inserções de 30 segundos que a legenda terá direito, já que, no horário gratuito, Gois não deve ter nem 10 segundos de tempo. Ficou acertado também que Gois não usará o dinheiro do fundo partidário e apostará em doações espontâneas. Tanto Gois como o presidente estadual do PSL, Heitor Freire, recebidos por Bolsonaro nesta semana, em Brasília, aproveitaram para, como informaram a este colunista, “municiar” o capitão da reserva de dados sobre a realidade da gestão Camilo Santana. Bolsonaro acertou uma estratégia: quer ganhar votos no Ceará batendo em Ciro Gomes, mas sem poupar o PT do governador.

(Foto – Agência Brasil)

PCdoB abre campanha com café tradicional do Mercado São Sebastião

208 2

Chico Lopes e Evaldo Lima – Haja estômago.

O PCdo B abriu sua campanha eleitoral nesta quinta-feira com café da manhã no Mercado São Sebastião. Tapioca, caldinho e até panelada fizeram parte do cardápio regional do local e serviram para mostrar que os comunistas estão com estômago para enfrentar uma disputa que promete ser bem acirrada entre os candidatos proporcionais.

O deputado federal Chico Lopes, que postula reeleição, ao lado do vereador Evaldo Lima, que tenta vaga na Assembleia Legislativa, garante que o partido deverá surpreender nas urnas. Disposição, em tudo, não vai faltar.

(Foto – PCdoB)

MP do Ceará faz operação em Quixadá e Justiça manda afastar prefeito Ilário Marques

442 5

(Atualizado às 14h30min)

O Ministério Público Estadual cumpre, nesta manhã de quinta-feira, mandados judiciais de busca e apreensão autorizados pelo Tribunal de Justiça do Estado na cidade de Quixadá (Sertão Central) e em Fortaleza. A operação, batizada de “Fiel da Balança”, realizada pela Procuradoria dos Crimes Contra a Administração Pública (Procap), tem o apoio da Polícia Civil.

Os mandados de busca e apreensão são cumpridos na sede da Prefeitura de Quixadá, em residências de agentes públicos e privados e na sede da empresa RPC Locações e Construções Eireli-EPP, informa a assessoria de imprensa do MP do Ceará.

O alvo da ação é o prefeito Ilário Marques (PT), informam fontes do MPCE, que tem por objetivo  combater crimes de falsidade e desvio de dinheiro público relativos ao serviço de coleta de lixo. Há, inclusive, pedido de afastamento do prefeito. A Justiça determinou o afastamento de Ilário e de secretários municipais. Foi determinada ainda a quebra do sigilo fiscal e bancário dos investigados. A decisão judicial foi assinada pelo desembargador Francisco Lincoln Araújo e Silva.

O prefeito Ilário Marques não foi encontrado para falar sobre o assunto. A informação é de que ainda se encontra em Brasília, onde conferiu o registro da candidatura de Lula para presidente.

Outro lado

O prefeito de Quixadá, Ilário Marques, emitiu nota na tarde desta quinta-feira (16) sobre a decisão judicial que o afastou por 180 dias do exercício do cargo. Nela, afirma ter ‘convicção de que as denúncias são improcedentes’. Diz ‘acreditar na justiça’ e afirma que está ‘adotando medidas para reassumir o mandato que lhe foi confiado pelo povo’. Confira a nota:

“A ação do Ministério Público, se baseia na narrativa maldosa e irresponsável do Empresário Ernani Teles Castro Junior. Tenho convicção que é a mesma é improcedente, leviana e sem lastro probatório.

“A denúncia baseia-se só e tão somente em depoimentos do próprio empresário que me acusa, do qual tendo tido seus interesses particulares contrariados, criou uma fantasiosa história com ilações e conjecturas onde a mim imputou fatos absurdos e descabidos.

“Por fim, acredito na Justiça. Por esse motivo estou tomando todas as medidas pertinentes ao caso e acredito com veemência que a decisão será reparada o mais rápido possível. Estou certo de que irei reassumir o mandato que me foi confiado pelo povo, através do voto, e que irei continuar no firme propósito de lutar sempre contra toda e qualquer injustiça, trabalhando em prol do progresso e do bem-estar do povo quixadaense.”

*Ilário Marques

(Foto – TV O POVO)