Blog do Eliomar

Categorias para Política

Lula – Acordo Brasil, Irá e Turquia é vitória da diplomacia

“O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje (17) que o acordo fechado entre Brasil, Irã e Turquia para troca de material nuclear foi uma “vitória da diplomacia”. Lula participou da negociação como o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, e o primeiro-ministro turco, Tayyip Erdogan, em Teerã. O acordo prevê que o Irã envie à Turquia 1.200 kg de urânio de baixo enriquecimento (3,5%). Em troca, receberá o material enriquecido a 20% para ser usado em pesquisas médicas em Teerã, depois de até um ano. Nesse período, haverá supervisão de inspetores turcos e iranianos.

“Foi uma resposta de que é possível, com diálogo, a gente construir a paz, construir o desenvolvimento”, disse Lula no programa de rádio Café com o Presidente, gravado de Teerã logo após o fechamento do acordo. O governo brasileiro acredita que o acordo criará confiança na comunidade internacional e pode evitar que o Irã seja submetido a sanções por causa de seu programa nuclear.

Lula disse que o Brasil sempre acreditou na possibilidade de acordo e que a negociação prova que é possível fazer política internacional baseada da confiança. “Há um milhão de razões para a gente ter argumento para construir a paz e não há nenhuma razão para a gente construir a guerra. O Brasil acreditou que era possível fazer o acordo. Mas o que é importante é que nós estabelecemos uma relação de confiança. E não é possível fazer política sem ter uma relação de confiança”, avaliou.”

(Folha Online)

Prefeita visitará estaleiro de Pertnambuco nesta 2ª feira

A prefeita Luizianne Lins (PT) tem viagem marcada para as 10 horas com destino ao Recife (PE). Ela vai visitar o estaleiro que o Grupo Promar opera no Porto de Suape. Esse grupo quer construir projeto do gênro em Fortaleza, mais precisamente na praia do Titanzinho, o que virou polêmica que se arrasta há meses.

O governador Cid Gomes, quer defende o local, já lavou as mãos e deixou para que Luizianne resolva o caso. A prefeita quer conhecer o empreendimento em toda sua dimensão, ver repercussões e o nível dos benefícios. Ela já garantiu que o estaleiro vai ser construido em Fortaleza, mas não falou sobre a localização.

Espera-se que, depois de visitar o estaleiro pernambucano e conversar ali com o grupo Promar, possa ter, finalmente, uma decisão.

Consenso entre Irã, Brasil e Turquia

“Depois de 18 horas de reuniões, o Irã, o Brasil e a Turquia chegaram ontem a um consenso sobre a troca de urânio enriquecido, uma medida que poderia amenizar as desconfianças dos Estados Unidos e de países europeus em relação ao programa nuclear de Teerã e evitar novas sanções ao país.

O acerto, que contemplaria 1.200 quilos de urânio e teria a Turquia como fiel depositária, foi anunciado pela Chancelaria turca e confirmado ao GLOBO por um assessor da Presidência da República.

Segundo a fonte, os detalhes serão anunciados hoje em Teerã pelo presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, e o primeiro-ministro da Turquia, Tayyp Erdogan. Lula e o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, evitaram o assunto durante o dia.

Foi o ministro de Relações Exteriores turco, Ahmet Davutoglu, quem primeiro revelou o acordo. A medida deve ser anunciada após uma revisão do texto entre os três presidentes nesta manhã.

— Sim, foi alcançado (um acordo) depois de 18 horas de negociações — disse o chanceler turco.
Erdogan, que anteontem informara que não compareceria à reunião do G-15 que ocorre hoje em Teerã (da qual o Brasil é um dos signatários), desembarcou ontem de madrugada no país, numa viagem de última hora.

— Vou ao Irã pois será adicionada uma cláusula à proposta que diz que a troca (de urânio) aconteceria na Turquia — disse Erdogan antes de embarcar.

O acordo fechado seguiria as bases das condições que a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), ligada à ONU, ofereceu a Teerã em outubro: a troca de 1.200 quilos de urânio para ser enriquecido no exterior, possivelmente em Rússia e França.

No entanto, há mudanças em relação ao local da troca da substância, que agora seria feita em solo turco. Ainda não se sabe se a troca seria simultânea, como exigia o Irã, ou por partes, como queriam os EUA.

Além disso, tampouco há confirmação de que o acordo vai satisfazer os membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU, que ameaçam Teerã com uma quarta rodada de sanções.”

( O Globo)

Dízimo de filiados a partidos diminui

“Os quatro principais partidos do país arrecadam cada vez menos com o polêmico dízimo, um percentual cobrado sobre o salário de congressistas, servidores e filiados em geral.

A principal causa da redução foi uma resolução do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), de 2007, que teve efeito principalmente nas contas do PT. A medida proibiu que servidores em cargos de chefia ou na direção de órgãos da administração pública pagassem a contribuição.

No ano passado, PT, PSDB, PMDB e DEM arrecadaram juntos, com o dízimo, R$ 6,5 milhões. Em 2007, a mesma contribuição rendeu às siglas R$ 8,4 milhões, valor 30% maior e que foi corrigido pela reportagem pelo IPCA (índice oficial de inflação no país). Os dados estão nas prestações de contas dos partidos entregue neste mês à Justiça Eleitoral.

O partido do presidente Lula é, de longe, o que mais arrecada com o dízimo –a cada R$ 10 destinados a esse modalidade, R$ 8 foram para o cofre do Partido dos Trabalhadores. A legenda, com 1,8 milhão de filiados segundo o TSE, estipula porcentagens, que variam de 2% a 20% a depender do salário e do cargo ocupado pelo filiado.”

 (Folha Online)

Lula se encontra com aiatolá e o presidente do Irã

“O líder supremo da República Islâmica do Irã, aiatolá Ali Khamenei, disse hoje (16), durante encontro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva em Teerã, que a única maneira de mudar o “injusto ordenamento das forças políticas e econômicas globais é ampliar a cooperação entre as nações independentes”. O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, também participou da reunião.

Khamenei referiu-se, particularmente, aos esforços do governo brasileiro para inserir-se no cenário internacional e afirmou que o Irã oferece as boas-vindas ao Brasil não apenas na cooperação mútua entre os dois países mas também em nível internacional.

De acordo com informações da agência iraniana (Irna), a reunião ocorreu a portas fechadas e as assessorias dos presidentes não divulgaram de que forma o tema nuclear foi tratado pelos líderes.

“O Brasil fez grandes progressos nos últimos anos e hoje é visto como o maior e mais influente país da América Latina”. Khamenei afirmou que o Brasil adotou atitudes independentes para negociar com seus parceiros internacionais”apesar da política arrogante dos Estados Unidos”.”

* Da Agência Brasil, leia mais aqui.

Benefício social reduz atividade rural no NE

“A falta de mão de obra rural no Nordeste passou a contribuir para o fim de algumas atividades que usam o emprego intensivo na região. Muitos trabalhadores estão optando por não ter registro em carteira a fim de manter benefícios sociais como o Bolsa Família e a aposentadoria especial antecipada (aos 55 anos para as mulheres e 60 para homens). O fato ocorre pelo menos desde 2007.

No caso da aposentadoria antecipada, o registro em carteira tiraria o trabalhador da condição de “segurado especial”, tornando-o “assalariado rural”. Com isso, ele seria obrigado a contribuir por 13 anos ou a trabalhar mais cinco anos.

No caso do Bolsa Família, os beneficiários não perderiam necessariamente o dinheiro (pois trabalham apenas alguns meses na safra). Mesmo assim, preferem não correr o risco.

Bolsa Família não é desestímulo ao emprego, diz governo

O Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) cita estudo de órgão do Pnud (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) para afirmar que o Bolsa Família tem “efeito insignificante” na procura por empregos no Brasil.

A pesquisa mostrou que, em alguns casos, o impacto do programa (que atenderá 12,5 milhões de famílias neste ano) é “estatisticamente relevante”. Mas não a ponto de dizer que ele causa “dependência”.

(Folha Online)

VAMOS NÓS – Tudo bem que o Bolsa-Família veio para reduzir desigualdades, mas, nesta vida, tudo que é bom tem sua cota negativa. O Bolsa-Família é um primeiro estágio e é preciso prosseguir evoluindo com investimentos em capacitação e educação para o trabalho. Essa deverá ser a tarefa e missão do próximo presidente. Ou o País vai ficar só no discurso artifical de que ajuda, senão o pobrezinho sofre?

Conheço vários amigos que reclamam da falta de mão-de-obra no Interior. Gente que poderia estar trabalhando na colheita, coleta de castanha ou outras atividades, mas que abre a boca para dizer que tem Bolsa-Família e que não precisa desse tipo de trabalho, por exemplo.

Ser contra o Bolsa-Família é absurdo. Temos que torcer pelo aprimoramento e, principalmente, levar esse debate para a próxima gestão. Sem demagogia.

P.S. A manchete lá em cima é da Folha. Não diz que se o benefício reduziu a atividade rural, por outro lado reduziu a miséria.

Caso Alice – Ombudsman comenta o fato

O ombudsman do O POVO, jornalista Paulo Rogério, comentou uma das boas polêmica da última semana e neste Blog com grande repercussão: a matéria do O POVO que tratou de um pacote de obras da administração municipal e que foi acrescida de uma ilustração da prefeita a la Alice no País das Maravilhas. Bem, eis o que escreve Rogério neste domingo em seu comentário público.

“Nenhum meio de comunicação ou jornalista deve sofrer sanção por difundir a verdade, criticar ou fazer denúncias contra o poder público”.
(Princípio 10, Declaração de Chapultepec*)

O verbete “Jornalismo crítico“ do Guia de Redação e Estilo (página 298) define: “Mesmo sem opinar, é possível noticiar de forma crítica, comparando fatos, estabelecendo analogias, identificando atitudes contraditórias e veiculando diferentes versões sobre o mesmo acontecimento“. Na edição de quarta-feira (12), a editoria Política aplicou com sucesso esse princípio, analisando o anúncio da Prefeitura de Fortaleza de uma série de projetos para o Centro, comparando-o com outras obras prometidas e confrontando os investimentos com o que foi realizado. Um texto que questionou o discurso com a prática.

A matéria “Luizianne na cidade das maravilhas“ usou como ilustração uma fotomontagem da prefeita no papel da personagem Alice, do livro Alice no País das Maravilhas do escritor Lewis Carrol, recentemente adaptado para o cinema. A meu ver, a matéria cumpriu bem o papel do jornalismo de cobrar e confrontar os fatos. Os leitores também elogiaram o texto nos comentários do O POVO Online. Pena que nem sempre seja assim!

AÇÃO/REAÇÃO
“Tínhamos noção, desde o início, que havia a possibilidade de más interpretações deturparem o sentido da mensagem. Apenas não achamos que isso deva paralisar o nosso processo criativo“, assegurou o editor-executivo de Conjuntura, Guálter George. Segundo ele, o humor estará presente na cobertura das Eleições 2010, anunciada no domingo. Mas não como a marca principal. “Ela vai propor uma grande discussão sobre o Ceará, do presente e do futuro“ garantiu.

A crítica nem sempre é bem recebida pelo criticado. Inclusive entre os próprios jornalistas. No dia seguinte, o jornal publicou “Ponto de Vista” da assessoria de comunicação da prefeita criticando forma “jocosa” da matéria. Coincidência ou não, no mesmo dia, O POVO não conseguiu falar com a prefeita Luizianne Lins para confirmar resultado de reunião que tratou da instalação do estaleiro em Fortaleza. Outros veículos foram mais felizes. Segundo o blog do Eliomar (http://portaleliomar.opovo.com.br) a prefeita teria afirmado ontem, durante visita às obras do estádio Presidente Vargas, estar “em greve com o jornal O POVO“. E os leitores/eleitores/cidadãos de Fortaleza? Como ficam?

Anuário do Ceará agora no twitter

“O Anuário do Ceará, mais antiga publicação do Ceará, atualmente editado pelo Grupo de Comunicação O POVO, ganhou um perfil no Twitter. Segundo post no microblog, a proposta é divulgar o conteúdo da edição 2010/11 do anuário que será lançada no próximo dia 1º de julho.”

———————————-


Curiosidade: na década de 70, o então jovem estudante de arquitetura @joaquimcartaxo foi designer-gráfico do Anuário. O editor era Dorian.less than a minute ago via webAnuário do Ceará
AnuariodoCeara

———————————-

(Blog Liberdde Digital)

No Irã, Lula tenta um milagre

“O presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou na noite deste sábado ao Irã para fazer a mediação sobre o programa nuclear iraniano, apresentada pelas grandes potências como “a última chance” antes das novas sanções da ONU contra o país.Lula chegou com uma delegação de 30 pessoas para uma visita de dois dias e foi recebido no aeroporto de Teerã pelo chefe da diplomacia iraniana, Manuchehr Mottaki. Ele se reunirá no domingo pela manhã com o presidente Mahmoud Ahmadinejad e com o líder supremo do país, o aiatolá Ali Khamenei.

As possibilidades de êxito na mediação brasileira foram consideradas pequenas por Estados Unidos e Rússia, enquanto o primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, renunciou no sábado à viagem a Teerã alegando falta de compromisso por parte do Irã em uma proposta com o objetivo de chegar a uma solução.As grandes potências propuseram ao Irã que enviasse 70% de seu urânio levemente enriquecido para transformá-lo em combustível altamente enriquecido que o país precisa para seu reator de pesquisas.

Invocando um problema de “confiança”, o Irã rejeitou a proposta e disse que prefere uma troca simultânea ou por etapas em pequenas quantidades, feita em seu território, o que foi rejeitado pelas grandes potências.”

(IG)

Em clima de corte orçamentário, TST gasta R$ 1,9 na compra de carro de luxo

Fusion – Cada um ao preço de R$ 74,8 mil.

“Em meio a discussões sobre cortes no orçamento do governo federal, reajuste para aposentados e aumento salarial para parte do Judiciário, o Tribunal Superior do Trabalho (TST) resolveu renovar sua frota. O órgão irá desembolsar quase R$ 1,9 milhão com a compra de 25 Ford Fusions, modelo 2010, com motor 2.5, de acordo com levantamento do Contas Abertas. A aquisição foi realizada por meio de pregão eletrônico e, por isso, cada veículo custou R$ 74,8 mil, cerca de R$ 6 mil a menos do que o registrado nas concessionárias e na tabela Fipe (referência de preço médio de automóveis). O valor pago pelo tribunal, composto por 27 ministros, inclui assistência técnica, durante o período de garantia, como manutenção preventiva e corretiva dos veículos.

Na realidade, a quantidade de veículos poderá ser maior. Isso porque no pregão eletrônico realizado no fim de abril, as empresas concorrentes ofereceram menores preços para a venda de 30 carros, e não 25. O fato é que, por enquanto, o tribunal comprometeu em orçamento quantia suficiente para pagar os 25. Clique aqui para ver o documento.

A assessoria de comunicação do TST informou que, neste momento, há necessidade de renovação da frota já existente e que os veículos serão destinados ao transporte institucional dos magistrados. Sobre a economia alcançada ao utilizar a modalidade de pregão eletrônico, a assessoria afirmou que o valor total foi reduzido entre 10 e 20% sobre as estimativas realizadas.

Na avaliação do cientista político Octaciano Nogueira, porém, a compra de veículos luxuosos por parte do poder público brasileiro mostra que há um abuso não apenas econômico, mas também ético. Segundo ele, a compra desses carros está relacionada à vaidade pessoal dos gestores. “Em um país com tamanha diferença social, nós verificamos situações como essa. Tem de haver prioridade com o gasto público. Poderíamos estar discutindo a respeito da destinação da verba para áreas prioritárias como saúde, educação e segurança”, acredita.

Nogueira afirma que, como não há disciplina legal que regula essas aquisições, a maioria dos órgãos extrapola. “A aquisição depende do critério estabelecido pela entidade e da boa vontade do comprador. Fazendo um paralelo, o estrangeiro que hoje vem a Brasília, por exemplo, também se depara com o contraste entre as velhas e novas sedes luxuosas de instituições públicas. Veja os prédios do TST, da Procuradoria Geral da República e o que estão construindo para o Tribunal Superior Eleitoral. Antigamente, na capital federal existiam oito ministérios, sem luxo, e a praça dos Três Poderes com o Supremo, o Congresso e o Palácio do Planalto. Hoje, o turista questiona o porquê desse contraste”, diz.

Já para o professor da Faculdade de Direito da Universidade de Brasília Eugenio Aragão, que também é procurador regional da República, é natural que o Estado ofereça vantagens como carros confortáveis aos seus principais executivos. Segundo ele, isso atrai novos talentos para ocupar cargos como o de ministro no TST. “Acho razoável a ideia de um tribunal pagar o transporte, como neste caso. As empresas multinacionais, por exemplo, pagam carros para que seus executivos se desloquem. Isso é natural”, afirma.

Aragão, que ainda é coordenador da 5ª Câmara do Ministério Público Federal, responsável pelo patrimônio, acredita que por representarem o “topo da pirâmide” na escala do TST, os ministros gozam de certas vantagens que funcionários de cargos de menor escalão não têm. “Nós temos que discutir o projeto para o país como um todo. Nós queremos, por exemplo, que um ministro pegue ônibus para ir ao trabalho? As prioridades nacionais devem ser discutidas”, diz.

O procurador ressalta, porém, que os veículos devem ser utilizados corretamente e não servir para fins pessoais. “A compra dos carros faz sentido, mas não pode é ser usado para levar os filhos à escola, por exemplo”, lembra.

TST

O TST é sediado em Brasília e tem como principal função uniformizar a jurisprudência trabalhista de todo país. Os 27 ministros são escolhidos dentre brasileiros com mais de 35 e menos de 65 anos, nomeados pelo presidente da República após aprovação por maioria absoluta no Senado.

A instituição julga recursos e agravos de instrumento contra decisões de Tribunais Regionais do Trabalho (TRTs), considerados a segunda instância da Justiça do Trabalho. São 24 TRTs em praticamente todo o país. As Varas do Trabalho – atualmente 1.327 – representam a primeira instância.”

“Contas Abertas)

Projetos podem dividir o Brasil em até 40 Estados

“A aprovação, pela Câmara, do pedido de urgência para votar projetos que convocam dois plebiscitos para que os habitantes do Pará decidam se querem ou não a divisão de seu território em três estados pode dar novo fôlego a uma série de propostas semelhantes que tramitam na Casa. Elas têm o potencial de elevar para 40 o número de estados e territórios brasileiros, atualmente em 26 mais o Distrito Federal, e já mobilizam parlamentares favoráveis e contrários à ideia de recortar ainda mais o território brasileiro.

Os projetos que criam os estados de Carajás (PDC 2300/09) e Tapajós (PDC 731/00) foram apresentados pelos senadores Leomar Quintanilha (PMDB-TO) e Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR), respectivamente, e já foram aprovados no Senado. No último dia 14 de abril, eles tiveram a urgência aprovada pelo Plenário da Câmara.

No dia seguinte, o deputado Carlos Brandão (PSDB-MA) cobrou, em discurso no Plenário, a aprovação do PDC 947/01, do ex-deputado Sebastião Madeira (PSDB-MA), que cria o estado do Maranhão do Sul. “Nós já conversamos com os líderes e vamos reforçar a pressão, porque agora abriu-se uma brecha, um espaço para colocar os requerimentos de urgência para os plebiscitos sobre a criação dos estados de Tapajós e de Carajás”, declarou Brandão. “O estado do Maranhão do Sul possui potencial econômico e estrutura sociopolítica para se desenvolver”, disse.

No movimento contrário, de oposição à criação dos estados, o deputado Zenaldo Coutinho (PSDB-PA) promete reativar a Frente Parlamentar de Fortalecimento dos Estados e Municípios e Contra a Criação de Novos Estados, da qual foi presidente, para tentar conter o que chama de “onda separatista” motivada por supostos “interesses econômicos e políticos” das lideranças locais.”

* Da Agência Câmara, leia mais aqui.

Mãe da prefeita quer ser deputada estadual

“Em 2008, ela não pôde realizar seu desejo de disputar uma cadeira na Câmara Municipal de Fortaleza, mas agora, em 2010, a mãe da prefeita Luizianne Lins (PT), a pedagoga Luiza Lins & que é filiada ao PT desde 1994 & não vê obstáculos que a impeçam de concorrer a uma vaga de deputada estadual. Em entrevista ao O POVO, ontem, Luiza confirmou sua pré-candidatura e disse que é o “vácuo“ deixado pela desistência do vereador Guilherme Sampaio (PT) & que vinha se afirmando pré-candidato à Assembleia Legislativa, mas já declarou que não irá mais concorrer – que viabiliza sua oportunidade.

“O Guilherme seria o candidato ligado às áreas da educação e cultura, setores com os quais atuo há cerca de 35 anos, mas (com a saída dele da disputa) as pessoas ligadas a essas áreas passaram a cobrar de mim essa candidatura“, justificou a mãe da prefeita, que nunca disputou uma eleição. Em 2008, Luiza quis concorrer a vereadora, mas o fato se sua filha ser candidata à reeleição a impediu de concretizar a ideia – a legislação eleitoral limita candidaturas de parentes numa mesma circunscrição eleitoral.

Candidatura
Luiza rechaça a ideia de que sua pré-candidatura é facilitada pelo fato de ter uma filha que é a maior autoridade do Poder Executivo municipal e ainda presidente estadual de seu partido. “No diálogo que eu tenho com a minha filha, ela sempre me diz que essa é uma decisão minha e que não é justo que ela tenha qualquer interferência“. Em seu discurso, a mãe de Luizianne se diz uma “líder” na área de educação e cultura. “Nesses 35 anos no magistério, sempre que os professores precisaram do nosso apoio, nós estávamos lá. A minha vocação é para o interesse público, é oferecer ajuda aos mais carentes“, argumentou.

O deputado estadual Artur Bruno (PT), que vai concorrer a uma vaga na Câmara dos Deputados, é um dos defensores da candidatura de Luiza. Ontem, Bruno afirmou que seu apoio à mãe da prefeita está garantido. “Ela é uma liderança importante no setor da educação“.

Luiza é servidora da Prefeitura de Fortaleza desde 1973, quando ingressou como professora. Foi diretora de três escolas municipais e hoje está lotada no Instituto Municipal de Pesquisas, Administração e Recursos Humanos (Imparh). A idade, ela prefere não revelar. “É questão de vaidade feminina. Não sei se você entende”.

(O POVO)

Serra se diz desconfiado de cortes no Orçamento da União

 

“O pré-candidato à Presidência da República pelo PSDB, José Serra, mostrou desconfiança ao comentar a medida do governo de corte de mais de R$ 10 bilhões no Orçamento da União para conter o aquecimento da demanda na economia. “Precisa ver se é corte de verdade ou se é espuma”, afirmou Serra, revelando que até agora só tem “a notícia” do corte. “Se tiver desperdício para cortar, tudo bem. Mas se não tiver, aí não”, disse.

Serra deu uma entrevista de pouco menos de uma hora no Programa Francisco Barbosa, da Rádio TV, no Rio de Janeiro. Ontem, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que o corte de R$ 10 bilhões é uma medida anticíclica para que o crescimento da economia seja sustentável e equilibrado.

 O ex-governador de São Paulo disse que, se eleito, fará uma reforma administrativa “logo de cara” e criticou mais uma vez o “loteamento” de cargos federais no governo Luiz Inácio Lula da Silva. Serra insistiu que o presidente Lula não é candidato e, por isso, não é com ele que pretende debater. Questionado sobre o acirramento da campanha eleitoral, o pré-candidato foi bem humorado: “Você já ouviu Lupicínio Rodrigues? Eu tenho nervos de aço.”

Serra afirmou ainda que está elaborando uma proposta para a criação de uma Polícia Federal (PF) fardada para atuar principalmente nas fronteiras e combater o tráfico de drogas e de armas.

Como contraponto ao discurso do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da pré-candidata petista Dilma Rousseff sobre as parceiras do governo federal com o governo do Rio de Janeiro e a prefeitura da capital fluminense, Serra disse que se for presidente terá a melhor relação possível com os governantes do Rio. Ele chegou a lançar a promessa de se dedicar à construção de uma linha de metrô até os municípios de São Gonçalo e Itaboraí.”

(Agência Estado)

DEM/Ceará – A versão de quem foi destituido

Do escritor e sociólogo Ruy Câmara, que foi destituído da condição de vice-presidente estadual do DEM, recebemos a seguinte nota. 

Todos os esforços do atual presidente do DEM – Ceará (Chiquinho Feitosa), de excluir alguns membros históricos de uma comissão provisória da qual eu já havia me excluído quando percebi os desvios de conduta do partido, obviamente que já eram esperados.

Quando instei o partido a permanecer na oposição ao governo Cid Gomes e publiquei artigos contundentes e contrários ao plano irresponsável e inconseqüente (apoiado por Tasso Jereissati) de esfacelar o que ainda poderia restar de forças de oposição no Ceará, eu já antevia as dificuldades e perseguições que haveria de enfrentar, dentro e fora do DEMOCRATAS.

Os artigos que publiquei na imprensa criticam não só a subserviência de Chiquinho Feitosa ao senador Tasso Jereissati e ao governador Cid Gomes, mas também a intenção desse grupo de transformar um partido que sempre disputou eleições majoritárias, numa sublegenda de fachada, sem coerência programática, sem função partidária, sem projetos, sem expressão política, sem discurso e sem a mínima disposição para enfrentar os embates políticos contra os oligarcas que se revezam no comando dos negócios públicos do Ceará há mais de 20 anos.

Opus-me de forma clara e franca à vontade do novo diretório estadual de fazer do DEM uma sublegenda sem autonomia e subalterno a interesses difusos e chamei a atenção para o que vem deprimindo e subvertendo a função partidária. Claro que esse posicionamento produziu não só incômodos, mas também um confronto de objetivos, do meu lado, pela coerência ideológica com autonomia e do outro, pelo pragmatismo subserviente que hoje orienta os rumos do DEM no Ceará.

É óbvio que o pragmatismo subserviente é oportunista e antidemocrático, uma vez que objetiva tão só a distribuição das vagas, mesmo privando o eleitor cearense de fazer suas escolhas e de comparar projetos. Esse pragmatismo já está consolidado na prática política vigente, tanto que, a política do Ceará já definiu o caminho a seguir: o caminho da degeneração partidária, da farsa ideológica, do embuste de lideranças e do simulacro eleitoral.

Essa é subcultura partidária vigente e esses são, de forma incontestável, os valores que se afirmam legítimos por aqui, de tal forma que a imprensa já noticia que no Ceará não haverá disputa eleitoral na forma tradicional porque os pré-candidatos aos cargos majoritários não querem disputar as eleições; o que querem é ser ungidos por acordos prévios de gabinete para os cargos de governador e de senadores.

Portanto, como já era esperado desde a publicação do 1ª artigo, recebo com tranqüilidade e com a sensação de dever cumprido, a notícia de reformulação do diretório estadual provisório do DEM – Ceará. Entretanto, como filiado ao partido e como cidadão, continuarei me posicionando contra o plano de esfacelamento das forças de oposição do Ceará, e o farei até com mais liberdade e independência do que como membro amordaçado por uma comissão provisória estadual que só existe num comercial de TV.

Ruy Câmara,

Escritor e sociólogo. 

"Estou em greve com o Jornal O POVO", avisa prefeita

“Estou em greve com o Jornal O POVO”, disse, nesta manhã de sexta-feira, ao visitar as obras de reforma do Estádio Presidente Vargas, a prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins (PT). Essa reação tem um motivo: Luizianne não gostou de matéria publicada pela jornal nesta semana, que trouxe o título “Luizianne na cidade das maravilhas”, numa alusão ao filme “Alice no País das Maravilhas”, em cartaz nos cinemas da Capital.

A matéria abordou obras inacabadas da gestão e projetos futuros divulgados pela Secretaria Extraordinária do Centro que falam em um investimento da ordem de R$ 800 milhões, bem maior do que cerca de R$ 700 milhões que teriam sido aplicados por sua administração nos últimos cinco anos.

Com essa postura, Luizianne acaba repetindo exemplo do seu rival político, o deputado federal Ciro Gomes. Na época em que ele era governador, O POVO fez matérias que desagradaram ao chefe do executivo estadual que, por conta disso, tentou passar meses sem dar entrevistas ao jornal.

Ciro não conseguiu porque nós, nessa época, cobrindo política, resolvemos acompanhá-lo todo dia para ver até onde ele iria com essa greve. O engraçado é que toda vez que chegávamos numa entrevista dele, Ciro parava de falar e dizia que só abriria a boca de novo quando o repórter do O POVO não estivesse. O que fizemos: saíamos do foco e, depois, pegávamos a entrevista dos companheiros e o jornal publicava. Ciro acabou se cansando e percebendo que democracia é algo que se conquista diariamente. Mesmo com suas contradições.

Corrupção desvia por ano R$ 41,5 bi, diz estudo da Fiesp

“Estudo da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) mostra que, se os apelos por moral e ética parecem não sensibilizar parlamentares e governantes, os custos econômicos deveriam.

De acordo com estudo do Departamento de Competitividade e Tecnologia da Fiesp, o custo médio anual da corrupção no Brasil é de pelo menos 1,38% do PIB (a soma de toda a riqueza produzida no país), algo como R$ 41,5 bilhões que são desviados todos os anos para os bolsos de políticos e grupos aliados em vez de serem injetados na economia.

A Fiesp simulou o quanto poderia ser investido a mais em determinados setores-chave da economia, caso o dinheiro desviado pelos corruptos fosse aplicado na economia.

Na educação, a quantidade de alunos matriculados na rede pública do ensino básico poderia subir 47%, ou seja, de 34,5 milhões de jovens e crianças para 51 milhões.

Segundo as estimativas do PAC, o total de domicílios com acesso a esgoto é de 22,5 milhões. Com menos corrupção, outras 23,3 milhões de casas poderiam receber esgoto, uma alta de 103,8%.

Na saúde, a quantidade de leitos para internação poderia crescer 89%: mais 327.012 leitos. Sem corrupção, o PAC poderia construir casas populares para atender outras 2,9 milhões de famílias além das 3,9 milhões beneficiadas hoje.

Para combater o fenômeno, a Fiesp aconselha reformas como a reavaliação da representatividade no Congresso e regras claras para o financiamento de campanha.”

(Globo)

LDO 2011 – Pareer preliminar sai na próxima semana

“O relator do projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2011 (PLN 4/10), senador Tião Viana (PT-AC), vai apresentar um parecer preliminar à proposta na segunda-feira (17). Até amanhã, o Ministério do Planejamento deve entregar ao relator a lista com as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) que comporão as metas e prioridades do governo para o próximo ano. O parecer preliminar deverá indicar a forma de apresentação de emendas ao projeto da LDO (texto da lei e o anexo de metas).

Viana também receberá o valor que o Executivo espera gastar com essas obras. O número é importante porque o projeto da LDO permite que o governo desconte as despesas com o PAC da meta de superávit primário do setor público.

Segundo o senador, o calendário previsto será cumprido. “Vamos votar o relatório final na comissão no dia 1º de julho. Aí ficará a cargo da Mesa do Congresso definir a data de votação do projeto na sessão conjunta”, disse. Os trabalhos do Congresso no primeiro semestre terminam no dia 17 de julho.”

(Agência Câmara)

Tma Jr. será alvo de inquérito

“A Polícia Federal deve abrir na próxima semana inquérito para investigar o suposto envolvimento do secretário nacional de Justiça, Romeu Tuma Júnior, com o chinês Li Kwon Kwen, o Paulo Li, acusado de contrabando de celulares, entre outros crimes.

Mas a situação do secretário pode se complicar a partir de um dos inquéritos já abertos com base na Operação Wei Jin. Na investigação, mantida em sigilo até o momento, a polícia descobriu fortes indícios de fraudes em processos de regularização de chineses clandestinos no Brasil.

Pela versão oficial, Tuma Júnior entrou de férias por 30 dias para se defender das acusações. Mas, pela decisão do Ministério da Justiça e do Planalto, ele não volta ao cargo.

O governo considera que a proximidade com Paulo Li tornou insustentável a permanência, na Secretaria Nacional de Justiça, de Tuma, alvo de investigação em três frentes: inquérito a ser aberto na PF, investigação interna da Controladoria-Geral da União e na Comissão de Ética.”

(GLobo)