Blog do Eliomar

Categorias para Política

DEM de Brasília fecha o caixã(o)

“O diretório regional do DEM no Distrito Federal foi fechado nesta quarta-feira (24) por decisão da Executiva Nacional do partido. O termo usado é “autodissolução” porque o pedido partiu do próprio presidente da legenda no DF, o deputado federal Osório Adriano (DEM-DF).

A Executiva Nacional escolheu o senador Marco Maciel (PE) para montar um novo diretório e deu uma semana para que o secretário de Transportes do Distrito Federal, Alberto Fraga, deixe o governo.

Osório Adriano afirmou que decidiu se antecipar ao pedido que o deputado Ronaldo Caiado (GO) e o senador Demóstenes Torres (GO) apresentariam hoje na reunião da executiva nacional da legenda.”

* Do R7.com, leia mais aqui.

Lula conversou com Fidel

fidel

“O presidente Luiz Inácio Lula da Silva conversou por um longo período nesta quarta-feira com o líder Fidel Castro, afastado do poder em Cuba desde julho de 2006. Em sua casa, na capital Havana, Fidel recebeu Lula e o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social, Franklin Martins, além de seu irmão e atual presidente de Cuba, Raúl Castro.

Em uma conversa de mais de uma hora, o cubano apresentou, segundo relato dos presentes no encontro, um bom estado de saúde, bem diferente do verificado em outubro de 2008, quando o comandante cubano estava em uma casa de repouso com condição de saúde frágil. Para a Presidência da República, o encontro entre Lula e Fidel reflete “uma reunião de amigos” e “uma visita de conclusão desse ciclo de visitas” que Lula já realizou à ilha caribenha. Desde 2003, já foram quatro viagens oficiais do presidente brasileiro a Cuba.”

(Com Agências)

STJ adia julgamento de Arruda

A pedido dos advogados de defesa, o Supremo Tribunal Federal (STF) adiou o julgamento do habeas corpus do governador licenciado do Distrito Federal, José Roberto Arruda (ex-DEM). De acordo com a assessoria de imprensa do STF, ainda não foi marcada uma nova data para o julgamento.

Ao entrar com o pedido de adiamento, o advogado Nélio Machado justificou que a defesa de Arruda não foi informada previamente de que no dia 11 de fevereiro o Superior Tribunal de Justiça (STJ) julgaria o pedido de prisão. Apenas o advogado José Gerardo Grossi conseguiu assistir a parte do julgamento.

Com isso, somente ontem a defesa teve acesso às transcrições dos votos dos ministros, justificou Nélio Machado. O advogado disse que precisará de mais tempo para ler as transcrições e embasar bem a defesa de Arruda. 

(Agência Estado)

Fortaleza terá debate com pré-candidatos a presidente pelo PSol

plinio

O PSol vai realizar em Fortaleza, no próximo dia 5, a partir das 18h30min, em sua sede, um debate entre seus pré-candidatos a presidente da República.

Pois é, o PSOL está escolhendo entre três nomes aquele que divulgará na campanha eleitoral suas propostas. São eles: o ex-deputado federal Babá, o professor Plínio Arruda Sampaio e Martiniano Cavalcante.

Datafolha divulga nova pesquisa sobre corrida presidencial no sábado

“O Instituto Datafolha deve divulgar no próximo sábado uma nova pesquisa sobre a sucessão presidencial. A pesquisa foi registrada ontem no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a pedido da empresa Folha da Manhã, que publica os jornais Folha de S. Paulo e Agora. Foram entrevistadas 2600 pessoas em 144 municípios, distribuídos em 24 estados mais o Distrito Federal. Foram incluídos como candidatos os governadores José Serra (SP) e Aécio Neves (MG), ambos do PSDB, a senadora Marina Silva (PV-AC), o deputado federal Ciro Gomes (PSB-SP) e a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil), do PT.

O Datafolha pesquisou ainda, entre outros assuntos, o nível de conhecimento da candidatura que está sendo apoiada pelo presidente Lula (PT), quais são os candidatos de oposição, o desempenho do Governo Federal e grau de conhecimento de programas federais. ”

(Com Agências)

Eleições 2010 – TSE veta mesmo partido em coligações diferentes

“Os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) responderam à consulta apresentada pelo deputado federal Márcio Junqueira (DEM-RR), que questionava sobre a possibilidade de partidos ingressarem em coligações diversas para apoiar diferentes candidatos.

Na primeira pergunta, o deputado questionou se “pode o partido E entrar na coligação de A e B para apoiar o candidato a governador desta coligação e ingressar na coligação de C e D para apoiar o candidato a senador desta coligação. Ou seja, pode o partido E participar de duas coligações diferentes, apoiando em uma um candidato a governador e na outra um candidato a senador?”

Na segunda questão, ele quis saber se “pode o partido E coligar com os partidos A e B para governador e, ao mesmo tempo, coligar com os partidos C e D para senador e formar uma terceira coligação para deputado. Ou seja, pode o partido E participar de três coligações diferentes coligando numa para governador, noutra para senador e na terceira para deputado?”

De acordo com o relator, ministro Fernando Gonçalves, a resposta é negativa para ambas as perguntas. “Permite-se a formação de mais de uma coligação apenas para eleição proporcional desde que entre partidos que integrem a coligação para o pleito majoritário ao qual não é possível a celebração de mais de uma coligação”, afirmou. Seu voto foi acompanhado por unanimidade.”

(Com TSE)

Governistas derrubam convocação de Dilma. Tasso protesta

tassojj

O senador Tasso Jereissati (PSDB) criticou duramente, nest quarta-feria, no plenário do Senado, a ministra Dilam Roussef. Tasso disse que Dilma, como pré-candidata à Presidência da República, deveria vir ao Congresso debater temas relevantes à sociedade.

Uma manobra de senadores governistas na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) derrubou a convocação da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff. A pré-candidata do PT à Presidência havia sido convocada pela oposição a esclarecer pontos polêmicos do terceiro Programa Nacional de Direitos Humanos (PNDH-3).

“A ministra manda uma ordem aos seus subordinados no Senado para desfazer aquilo que foi feito. Que força moral é essa que não tem coragem de vir dialogar aqui nessa Casa?”, disse o senador Tasso Jereissati.”

Os integrantes da CCJ aprovaram nesta quarta-feira (24) um requerimento do líder do governo, senador Romero Jucá (PMDB-RR), que solicitou que o nome da ministra Dilma fosse substituído pelo do ministro da Secretaria Especial de Direitos Humanos, Paulo Vannucchi.

O Programa Nacional de Direitos Humanos tem causado polêmica em diversos pontos de seu texto como no que se refere à criação da Comissão da Verdade, que serviria para esclarecer fatos ocorridos durante a ditadura. A proposta também tem enfrentado resistência dos ruralistas e dos oposicionistas, que alegam que o documento abre espaço para a censura e a intervenção do Estado no conteúdo de empresas de rádio e TV, além de estimular ocupações de terra.

(Com o Congresso em Foco)

Servidores municipais em ritmo de campanha salarial

O Fórum Unificado dos Servidores Públicos Municipais realiza a partir das 8 horas desta quinta-feira, na praça da Faculdade de Direito da UFC, assembleia geral de lançamento da campanha salrial 2010. Segundo o Sindifort, que coordena esse fórum composto por 14 entidades representativas da categoria, a pedida é por 23% de reposição salarial. Isso, para compensar dois anos sem reajuste.

O Sindifort informa que quer logo fechar a pauta, atendendo até a um pedido do secretário da Administração de Fortaleza, Vaumick Ribeiro. Maio é a data-base dos servidores e Vaumick quer, até lá, negociar para evitar paralisações.

DETALHE 1 – Claro que essa boa vontade nada tem a ver com o ano, que é eleitoral. 

DETALHE 2 – Para garantir quorum, o Fórum vai sortear, durante a assembleia, 10 prêmios de um salário mínimo.

Partidos indicam presidentes de comissões técnicas da Câmara dos Deputados

“Terminou há pouco a reunião de líderes com o presidente da Câmara, Michel Temer, para definição das presidências das 20 comissões permanentes da Câmara. A definição dos partidos segue o critério da proporcionalidade partidária. Para que as trocas de partido não se reflitam nessa escolha, valem os três grandes blocos partidários formados no início da legislatura (2007): PMDB-PT-PP-PR-PTB-PSC-PTC-PTdoB, PSDB-DEM-PPS e PSB-PDT-PCdoB-PMN-PRB.

O único partido que já definiu os nomes que indicará para as presidências foi o PSB: Dr. Ubiali (SP) para a Comissão de Desenvolvimento Econômico e Marcelo Serafim (AM) para a Comissão da Amazônia. As presidências foram distribuídas da seguinte forma:

PMDB – Constituição e Justiça e Cidadania; Ciência, Tecnologia, Comunicação e Informática; Minas e Energia
PT – Finanças e Tributação; Fiscalização Financeira e Controle; Educação e Cultura
DEM – Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural; Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; Defesa do Consumidor
PSDB – Relações Exteriores e Defesa Nacional; Turismo e Desporto
PSB – Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio; Amazônia, Integração Nacional e Desenvolvimento Regional
PP – Viação e Transportes; Legislação Participativa
PR – Trabalho, Administração e Serviço Público
PDT – Seguridade Social e Família
PPS – Desenvolvimento Urbano
PTB – Direitos Humanos e Minorias
PSC – Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado

A definição de proporcionalidade atinge também a primeira vice-presidência das comissões. Portanto, o primeiro vice-presidente de cada comissão é do mesmo partido do presidente.”

(Com Agências)

DETALHE – O deputado federal Eunício Oliveira deve ser o presidente da Comissão de Ciência, Tecnologia, Counicação e Informática^.

Grupo de Rosa e Maria lança fórum transnacional da emancipação humana

rosade 

O Movimento Crítica Radical, que tem á frente a ex-prefeita de Fortaleza, Maria Luiza Fontenele, e a ex-vereadoa Rosa da Fonseca, vai lançar nesta quinta-feira, a partir das 18h30min, na Casa Amarela Eusélio Oliveira, o Fórum Transnacional da Emancipação Humana.

Esse fórum ocorrerá na Capital cearense no mês de agosto e objetivo questionar os rumos da política e a necessidade de novos rumos para a cidadania.

“Essas iniciativas dão seqüência aos esforços que temos feito para uma reflexão e ação prática transcendentes ao sistema produtor de mercadorias”, explica para o Blog a ex-vereadora Rosa da Fonseca.

Presidente do Vox Populi e a tese da eleição plebiscitária

marcoscoimEis artigo dos mais interessantes de Marcos Coimbra, sociólogo e presidente do Instituto Vox Populi. Ele aborda a tese de que a disputa presidencial acabe se transformando em uma espécie de plebiscito. Confira: 

À medida que a eleição presidencial vai se aproximando, fica mais claro o projeto de Lula para vencê-la. A menos de oito meses de sua realização, é mais fácil (talvez até para o próprio presidente) entender aonde ele quer chegar.

A ideia de fazer da eleição de 2010 um plebiscito foi explicitada por Lula ainda em 2007, quando anunciou que queria que nela o eleitorado comparasse seu governo ao de Fernando Henrique. Quem achasse que seus oito anos foram melhores, que votasse na candidatura governista. Quem preferisse os de seu antecessor, na oposição.

A bipolaridade que é premissa desse projeto não foi inventada por Lula. De um lado, é assim que o sistema partidário brasileiro se estruturou nos últimos anos. De outro, o processo político concreto que vivemos sinalizou desde muito cedo que as eleições de 2010 repetiriam o padrão. A todos sempre pareceu que o cenário mais provável seria uma nova confrontação PT-PSDB, apenas havendo dúvida se logo no primeiro turno ou no segundo.

A candidatura situacionista esteve em disputa, pois Ciro Gomes reunia intenções de voto suficientes para permanecer como alternativa aos nomes do PT, nenhum com boa largada nas pesquisas. Mas as perspectivas de crescimento de quem quer que fosse o candidato do PT eram maiores.

Tampouco surgiu opção ao PSDB no campo oposicionista. Dos partidos que remanesceram com ele, o DEM seria o único que poderia pensar em um nome, mas nunca se movimentou nessa direção e hoje nem poderia mais pensar no assunto. Seria, portanto, tucana a candidatura, e apenas uma. Quanto a quem, tudo apontava para Serra, mesmo enquanto Aécio permaneceu na disputa.

Para Lula, o fato de as oposições só terem um nome sugeria uma decisão em primeiro turno, que se tornou mais possível quando Marina, depois de provocar algum alvoroço no lançamento de sua candidatura, estacionou nas pesquisas.

Não seria muito diferente com qualquer nome tucano, mas Serra facilitava o confronto plebiscitário. Se Aécio fosse candidato, seria mais complicado propor a comparação com FHC, pois o governador de São Paulo integrou o governo passado e foi adversário do próprio Lula em 2002.

Mas qual seria o conteúdo do plebiscito? Ninguém melhor que Lula sabia que não seria apenas uma briga de números, a respeito de indicadores de desempenho governamental. Nem no Brasil, nem em qualquer lugar do mundo se vencem eleições assim. Outra coisa que o plebiscito não poderia ser seria uma escolha entre Lula e FHC, para que os eleitores dissessem de quem gostam mais.

A resposta a essa pergunta já é conhecida e o vencedor é o atual presidente. Não bastassem as comparações da aprovação de ambos, várias pesquisas pediram às pessoas que fizessem a comparação direta: Lula sempre ficou na frente, com larga vantagem.

O relevante, contudo, é que essa escolha não conduz ao voto em Dilma, pois é perfeitamente possível que alguém prefira Lula e ache que Serra é melhor candidato. Não é esse plebiscito, portanto, que o presidente busca. Goste-se ou não de Lula, é preciso reconhecer que o que ele está propondo é um novo modelo de eleição, que só é possível agora.

Hoje, depois de oito anos de PT no governo, pode-se fazer a comparação entre ele e o PSDB, não em torno de nomes ou pessoas, mas do que cada “lado” representa. De fazer um balanço das coisas em que cada um acertou e errou quando teve a oportunidade de liderar uma coalizão para governar e pôr em prática suas propostas e sua visão para o Brasil.

Usando as palavras que ele usaria, o plebiscito que Lula quer não é entre ele e FHC, mas entre o que “nós” (o PT) somos e fazemos e o que “eles” (o PSDB) são e fazem. Se acontecer como ele pensa, seria a primeira eleição genuinamente partidária de nossa história política, em vez das disputas personalistas que sempre tivemos.

Não importa quem vença. O importante é que teremos, de um lado, um bom e legítimo candidato do PSDB (paulista, ex-intelectual, integrante do governo FHC) e, de outro, uma boa e legítima candidata do PT (técnica do setor público, ex-militante de esquerda, integrante do governo Lula).

Sem a combinação de ilusão e medo (como a que deu a vitória a Collor), sem mágicas (como a do Real, que elegeu Fernando Henrique), sem carismas (como o de Lula). Não era isso que queríamos, uma política onde os partidos são mais importantes que as pessoas?

(Correio Braziliense)

Ciro Vaivém – Ele admite disputar a presidência, mas não descarta Governo de SP

cirogg

“Em reunião nesta quarta-feira com representantes de nove partidos de São Paulo, o deputado Ciro Gomes (PSB-CE) reiterou sua disposição em ser candidato à Presidência da República nas eleições de outubro –mas admitiu a possibilidade de mudar de ideia caso o cenário nacional o leve para a disputa ao governo de SP.

Ciro disse que há um “cenário remoto” que permite a sua candidatura ao Palácio dos Bandeirantes, embora seu desejo seja concorrer ao Palácio do Planalto.

“O cenário de ter que ir para o governo de São Paulo é quase impossível, mas se o cenário nacional precisar desse desafio, eu não titubearia em ir. Quem alimentou a decisão de ser único, na política, deu com os burros n’água”, afirmou.

Nos bastidores, Ciro é pressionado pelo Palácio do Planalto a abandonar a corrida presidencial porque parte do PT teme que a sua candidatura traga impactos negativos à ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) –pré-candidata petista à presidência da República.

Alguns petistas temem que Ciro chegue ao segundo turno na disputa com o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), caso o tucano consolide a sua candidatura.

Ciro disse que o seu desejo de disputar a Presidência da República “não depende” de conversa com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Mas reconheceu que, se Serra não for candidato, o cenário nacional passará por mudanças que afetam diretamente a sua decisão.

“A vida recomenda certa prudência. Não deve ser nosso o primeiro lance. Há dúvidas se o governador de São Paulo será candidato a presidente. Na minha avaliação, não será. E isso muda o quadro”, afirmou.

Ciro disse que não tem a “segurança” de que o projeto iniciado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva seja garantido apenas com a candidatura de Dilma como representante da base aliada governista. “Quantos por cento dos brasileiros estão informados de que a Dilma é a candidata do Lula? Por que um presidente que tem o apoio de mais de 80% da população, somente 27% declaram apoio a Dilma?”, questionou.

O deputado disse que se considera “muito melhor candidato” do que todos os que demonstraram disposição em entrar na corrida presidencial, incluindo a pré-candidata petista. “A Dilma é extraordinária, mas não tem o histórico de 20 anos de eleição que eu tenho.”

(Folha Online)

DEM vai extinguir diretório de Brasília

demon

“A Executiva Nacional do DEM se reúne, na tarde desta quarta-feira, no Senado Federal para votar sobre o futuro da legenda no Distrito Federal. A cúpula do DEM condenou a postura do diretório regional que manteve o apoio ao governo de José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM), apesar da indicação do comando nacional de que todos os seus filiados entregassem seus cargos no governo, depois de anunciadas as denúncias de corrupção.

Segundo o presidente nacional do DEM, o deputado federal Rodrigo Maia (RJ), a pauta do encontro é a votação da dissolução da regional e a cassação de todos os filiados que atuem no governo do DF e que ainda não tenham se desfiliado. “Alberto Fraga [secretário de Transportes do DF], por exemplo, deixou claro que vai entregar o cargo. Todos os filiados terão que deixar o governo do DF no momento adequado”, afirmou Maia.

Uma vez aprovada a dissolução do diretório, uma nova comissão provisória será formada para ficar no comando da legenda. De acordo com o deputado Ronaldo Caiado (GO), a comissão terá a prerrogativa de montar o novo diretório no Distrito Federal.

Nesta terça-feira (23), o cenário político do Distrito Federal mudou. O governador interino Paulo Octávio entregou sua carta de desfiliação ao partido e uma carta de renúncia ao cargo à Câmara Legislativa. Com a saída dele, o governador interino do DF passa a ser, pela linha sucessória, o presidente da Câmara Legislativa, Wilson Lima (PR). Assim, quem assume a presidência da Câmara é o deputado distrital Cabo Patrício (PT), que estava na vice-presidência da Casa.

O governador afastado, José Roberto Arruda, continua preso na Superintendência da Polícia Federal, em Brasília, desde o dia 11 de fevereiro. Segundo sua assessoria, não há indicação, por enquanto, de que ele pretenda renunciar ao cargo – sem o cargo, Arruda poderá ser levado ao Complexo Penitenciário da Papuda, como preso comum.”

(POrtal Uol)

Lúcio só pensa naquilo: Ser deputado federal

deputadsofe

O presidente regional do Partido da República e ex-governador Lúcio Alcântara encontra-se em Brasília para reuniões com a cúpula nacional. Ali, ele expõe a situação do PR cearense e a decisão do prefeito de Maracanaú, Roberto Pessoa, de postular o Governo do Estado.

Lúcio disse que o PR vai com Roberto Pessoa como forma de dar uma opção a um quadro onde se trabalha para que o governador não tenha adversário e não possa ter sua gestão questionada. O ex-governador diz não ver tantos avanços na atual administração e que a área da segurança pública virou um problema dos mais graves.

Ele reiterou que vai disputar uma cadeira de deputado federal nas próximas eleições, apesar de segmentos do seu partido e do PPS, este um parceiro, apelaram para que tente uma vaga de senador. Lúcio disse que, nas pesquisas eleitorais feitas por partidos, aparece bem, mas reitera: “Mantenho minha candidatura a deputado federal!”

Morre em Cuba o prisioneiro político Orlando Zapata

“No momento em que Lula e sua comitiva desembarcam em Havana, morre numa greve de fome o prisioneiro político Orlando Zapata Tamaya.É um fato gravíssimo que coloca em suspenso a posição brasileira sobre direitos humanos. Lula deve silenciar sobre o tema? Deve ouvir o apelo de 50 presos políticos que pedem ajuda ao Brasil?

Na minha opinião, independente da esquerda e da imprensa brasileira, é um fato escandaloso. A própria mãe de Orlando Zapata, Reina Tamaya afirmou que seu filho foi assassinado na cadeia, pois, uma longa greve de fome poderia ter esse desfecho somente com a indiferença do governo.É a segunda vez, desde 1972, que um prisioneiro morre fazendo greve de fome em Cuba. O primeiro foi Pedro Luis Boitel, que fez oposição à ditadura de Batista e, depois, ao governo de Fídel Castro.

O silêncio brasileiro diante da morte de um prisioneiro em Cuba reflete apenas uma longa distorção no modo como se aborda o problema de direitos humanos. Numa ditadura de direita, qualquer violência é denunciada; numa ditadura de esquerda qualquer violência é apenas uma necessidade histórica.”

(Blog do Gabeira)

Lula terá encontro com Fidel

“Esta quinta-feira (24) deve marcar uma despedida na vida do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele vai se encontrar pela última vez – pelo menos como chefe do executivo – com o ex-presidente de Cuba, Fidel Castro. A conversa deve ser sobre política na América Latina e a sucessão presidencial no Brasil. O encontro é o principal compromisso do presidente brasileiro na ilha, onde chegou na noite de ontem (23).

Nesta amanhã, Lula deve visitar as obras de um novo porto nas proximidades de Havana, cuja construção é feita pela empresa brasileira Odebrecht, com financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) de cerca de US$ 300 milhões.

Pouco antes da chegada de Lula a Cuba, pousou no Aeroporto José Marti um avião da Força Aérea Venezuelana com o presidente Hugo Chávez. Ele disse que também vai participar da reunião com Fidel Castro.

A visita do presidente brasileiro coincide com a morte de Osvaldo Zapata, preso em Havana desde 2003 por fazer oposição ao governo cubano. Ele morreu nessa terça-feira, depois de quase três meses de greve de fome em protesto por sua detenção arbitrária. A chancelaria cubana não quis comentar o assunto.”

(Agência Brasil)

Cantor sertanejo vira fantasma na Câmara dos Deputados

“Esse é o refrão de “Beijou minha boca”. Seria apenas mais uma tentativa de sucesso de uma dupla sertaneja, não fosse por um detalhe. Seu autor, o cantor Igor, da dupla Igor e Breno, foi durante 14 meses funcionário do deputado Raymundo Veloso (PMDB-BA). O problema é que Igor, ou Zenon Vaz da Silva, seu nome verdadeiro, não precisava aparecer para trabalhar. O cantor sertanejo era funcionário fantasma, peça no esquema de desvio de recursos públicos conhecido como “Golpe da Creche”, que vem sendo denunciado pelo Congresso em Foco . Ele não é o único personagem inusitado desse esquema que já desviou R$ 2 milhões do Orçamento da Câmara. Além do cantor sertanejo, há entre os fantasmas também um vendedor de pasteis.

Morador de Taguatinga, cidade do Distrito Federal conhecida pelos bares que revelaram duplas como Rick e Renner, Zenon, o Igor, ao menos de acordo com os boletins administrativos da Câmara, trabalhou no gabinete de Raymundo Veloso de fevereiro de 2008 a 5 de maio de 2009.

Como SP-06, o salário inicial era de R$ 1.441,72, já incluída uma gratificação de R$ 480,86 e os R$ 480 de vale-transporte. Quando saiu, ganhava R$ 1.561,94, como SP-07. A reportagem não conseguiu apurar se o cantor sertanejo também recebia auxílio-creche (que pode chegar a mais de R$ 600 por criança).

Em seu depoimento aos policiais, Zenon descreveu assim seu trabalho no gabinete: “um comparecimento uma ou duas vezes por semana”. Para os investigadores, trata-se de um fantasma. Segundo a polícia, Zenon nunca colocou os pés na Câmara. Os investigadores dizem que ele é amigo de Abigal Pereira da Silva, apontada como líder da quadrilha junto com o marido Francisco José Feijão de Araújo, o Franzé.

A apuração diz que o casal de ex-servidores da Câmara disse abertamente a Zenon que ele não precisaria trabalhar. Bastaria assinar alguns papéis e ele passaria a receber o salário. Uma pequena parte ficaria com o cantor sertanejo. O restante, com o casal agenciador.

Ainda não se sabe como foi assinado o ato de nomeação de Zenon. Isso é prerrogativa do deputado Raymundo Veloso. Em entrevistas anteriores, Veloso disse não ter responsabilidade sobre a contratação de outras funcionárias indicadas por Abigail. Ontem (23), ele disse ao Congresso em Foco que não comentaria o assunto – Está tudo na Justiça” – mas afirmou que seu chefe de gabinete procuraria o site, o que não aconteceu.

Sem contato

Ainda antes do feriado de carnaval, a reportagem ligou para o celular de Zenon. Ele disse ao site que estava na estrada e só poderia falar depois dos festejos de fevereiro, porque iria fazer apresentações musicais em Minas Gerais. Mas, na semana seguinte, quem atendia seu celular era uma pessoa identificada como Breno, seu parceiro na dupla, que afirmou que ele estava na casa de parentes em Minas. Não houve retorno aos recados deixados.

Procurados por advogados e familiares, Franzé e Abigail não responderam aos pedidos de esclarecimentos do Congresso em Foco. Nas últimas semanas, Abigail disse ao site que ela e o marido só poderiam comentar o caso depois do carnaval. Mas não foi possível marcar entrevista e nem houve retorno dos recados deixados.”

(Congresso em Foco)

No último dia, vice beneficia empresa ligada a Arruda

“Em seu último dia como governador interino, Paulo Octávio oficializou a prorrogação por um ano, sem licitação, de um contrato com uma empresa envolvida no esquema do mensalão do DEM no Distrito Federal.

O Diário Oficial do DF publicou ontem a renovação por 12 meses do contrato entre a Notabilis Comunicação e Marketing e a Companhia de Saneamento Ambiental (Caesb). O valor global saltou de R$ 286 mil para R$ 573,6 mil.

Com a medida, Paulo Octávio favoreceu uma empresa cujos donos e ex-sócios fazem parte da relação familiar e pessoal do governador afastado, José Roberto Arruda, preso desde o dia 11 na Superintendência da Polícia Federal, em Brasília.

Um filho de Arruda, Marcos, foi sócio da Notabilis entre 2003 e 2005. Seu ex-assessor de imprensa Omézio Pontes também já fez parte do quadro societário.

Omézio deixou a assessoria de Arruda em novembro de 2009, após a revelação dos vídeos em que aparece recebendo mais de R$ 100 mil em dinheiro das mãos de Durval Barbosa, delator do esquema.

Hoje, um irmão de Omézio, Orlando Pontes, dirige a Notabilis. É ele quem assina a prorrogação com a Caesb publicada ontem no Diário Oficial, mas com data de 22 de janeiro, três semanas antes da prisão do governador afastado.

A Notabilis é um dos principais personagens do inquérito que investiga a corrupção no governo de Brasília.

Segundo informações do delator do esquema, Durval Barbosa, a empresa foi contratada na gestão anterior a pedido de Arruda, então deputado federal, para ajudá-lo na campanha ao governo.

Na época, Marcos, filho do governador, era sócio da empresa. Em 2006, a Notabilis recebeu R$ 119 mil da campanha de Arruda.

Ele venceu a eleição e manteve a empresa dentro do governo por meio de contratos oficiais e subcontratação por agências de publicidade. A Notabilis faturou mais de R$ 1,5 milhão do governo do DF desde 2007.”

(Estadão)