Blog do Eliomar

Categorias para Política

Aécio Neves ataca Governo Lula

“O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), elevou nesta segunda-feira as críticas ao governo federal e rechaçou a possibilidade de uma eleição presidencial plebiscitária, como deseja o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Aécio, que disputa com o governador de São Paulo, José Serra, a indicação do partido para disputar a sucessão presidencial, afirmou que o atual governo representa um retrocesso administrativo, criticou o que chamou de “cooptação” dos movimentos sociais como as centrais sindicais e apontou improvisação em programas públicos.

 

“Não podemos inflar expectativas com programas feitos de improviso”, declarou em discurso à plateia de empresários do grupo Lide, em São Paulo. “O alargamento dos gastos do governo federal será o maior problema para o próximo governo.” Em relação a transformar a eleição em um plebiscito, que confrontaria em 2010 as gestões do tucano Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) e de Lula (desde 2003), Aécio considerou a tentativa como uma armadilha.

“A principal armadilha é de que a próxima eleição é plebiscitária. Não é. O futuro que vai se apresentar é o futuro por causa de Lula, para alguns, ou apesar dele”, afirmou. Em seu discurso, Aécio elogiou seu concorrente Serra ao menos três vezes, porém quando questionado se poderia disputar ser candidato a vice presidente na chapa do colega, foi enfático ao afirmar “que essa possibilidade não existe”.

Por fim, Aécio manteve sua posição de que o PSDB deve definir o nome do candidato à Presidência em dezembro, enquanto Serra pretende que a escolha só aconteça em março do próximo ano. O governador mineiro adiantou nesta tarde que terá uma conversa “mais profunda” com Serra provavelmente na semana que vem.”

(POrtal IG)

Livro que mostra podres do Clã Sarney é o quarto mais vendido no País

salni

“O livro “Honoráveis Bandidos – Um retrato do Brasil na era Sarney” (Geração Editorial) atingiu esta semana o posto de 4ª obra de não-ficção mais vendida do país, de acordo com o “ranking” divulgado pela revista Veja que está nas bancas.

Escrito pelo jornalista Palmério Dória – com o auxílio de Mylton Severiano, que já foi repórter da lendária revista Realidade –, “Honoráveis Bandidos” vem galgando posições na lista da Veja desde que foi lançado em São Paulo, no dia 24 de setembro.

Há seis semanas, o livro – que disseca a trajetória “antiética” do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), e dos membros e agregados de seu clã – freqüenta a relação dos 10 mais vendidos da publicação.

De acordo com informações da Geração Editorial, “Honoráveis Bandidos”, já na 4ª edição, é o lançamento mais lucrativo da editora em 2009, com perto de 30 mil exemplares vendidos – marca de “best-seller” para o padrão brasileiro. Uma edição de livro no Brasil costuma variar entre 3 mil e 5 mil cópias.

O lançamento da obra em São Luís, na última quarta-feira (4) terminou em baderna e pancadaria, promovidas por supostos líderes estudantis sob ordens de um integrante do governo Roseana Sarney, filha de José Sarney que assumiu o Executivo estadual em abril pela via judicial.

O tumulto, no entanto, teve efeito inverso ao que desejavam os que o promoveram: praticamente fez esgotar o livro em São Luís.

“Estamos esperando mais uma remessa de exemplares para o final da próxima semana”, disse o jornalista Marcos Nogueira – um dos divulgadores de “Honoráveis Bandidos” no Maranhão.”

(Site do PDT nacional)

Deputada ocupa tribuna da Câmara e fala em muriçocas

“Tem pessoas que perdem mesmo a noção do espaço e do cargo que ocupam. E passam a trocar as mãos pelos pés. Estava vendo agora há pouco na TV Câmara, a deputada Gorete Pereira discusar num plenário praticamente vazio.

A gente sabe que esses políticos só aparecem de terça a quinta feira (e quando aparecem!). E aí ela citava o caso da reabilitação do padre Cícero pelo Vaticano e a importância desse ‘santo’ para os fiéis.

Lá para tantas, misturou alhos com bugalhos a ponto de cobrar da tribuna uma iniciativa para acabar com as muriçocas de Juazeiro do Norte.

Eu juro que ouvi. E pensei ter sintonizado a televisão da Câmara de Vereadores de Juazeiro.”

(Do Blogo Gente de Mídia)

Comissionados da Prefeitura ainda aguardam nomeação e salário

Há vários comissionados em órgãos da Prefeitura de Fortaleza trabalhando sem ter o ato de nomeação assinado pela prefeita Luizianne Lins (PT).

Há alguns na ativa há quatro meses e sem receber salário. A maioria não reclama, por ter medo de ficar sem o emprego, mas também apela pela reglarização de sua situação.

Com a palavra o secretário municipal da Administração, o sindicalista Vaumik Ribeiro.

Casas em construção com verbas do PAC desabam em Juazeiro do Norte

pacc

“Pelo menos duas das 80 casas em construção com recursos do PAC

(Programa de Aceleração do Crescimento) em Juazeiro do Norte (Região do Cariri), desabaram, na manhã deste domingo. Elas integram 20 blocos, sendo cada um com quatro apartamentos em obras na Rua Vereador Antonio Brás (Bairro Limoeiro). De acordo com a Secretária de Habitação, Romisa Montenegro, outros seis blocos serão construídos no mesmo espaço e mais 16 blocos no Bairro das Timbaúbas.

No desabamento ninguém saiu ferido. Não havia operários no canteiro de obras. As casas ficam na última fila de um dos blocos com obras pela metade. Romisa esteve no local junto com o engenheiro Teodomiro Sampaio, responsável pela construção, e disse que foi um “problema localizado”. Ou seja, segundo ela, um funcionário da empresa fez o corte errado de uma parede atingindo a tubulação elétrica e a estrutura cedeu.

A engenheira garantiu que nenhuma das outras casas em construção está sob ameaça. Mesmo assim, vai determinar um calculista externo para fazer laudo técnico e averiguar melhor a segurança do restante da obra. A mesma opinião foi externada pelo engenheiro Teodomiro Sampaio, em conversa com a reportagem do Site Miséria, acrescentando que a construtora vai arcar com os prejuízos pelo desabamento sem representar ônus aos cofres públicos.

Segundo ele, o erro na execução deixou o setor que ruiu sem sustentabilidade, mas insistiu na tese de que o restante está normal negando a possibilidade de uma estrutura inadequada. Teodomiro adiantou que vai demolir a parte que desabou e reforçar a parede intermediária. Outra garantia dada por ele é que os prazos não serão atropelados devendo concluir as casas em dezembro. Nas imediações do canteiro de obras, um grave problema com o acúmulo de lixo, entulho e lama. Os moradores reclamam a ausência dos carros coletores e maior atenção por parte do setor de limpeza pública da Prefeitura.”

(Portal Miseria – Juazeiro do Norte)

Cidades do Nordeste vão precisar de mais duas transposições

“Quase três em cada quatro municípios do semiárido estão sob risco de desabastecimento de água em suas zonas urbanas, informa reportagem Eduardo Scolese, publicada nesse domingo pela Folha.

Segundo a reportagem, para resolver isso até 2025 será necessário investir pelo menos R$ 9,2 bilhões, perto do dobro do orçamento previsto para a obra de transposição de parte das águas do rio São Francisco.

Essa fotografia das sedes dos municípios (que exclui as zonas rurais) aparece na atualização do Atlas Nordeste, da ANA (Agência Nacional de Águas), e reabre o debate sobre quais políticas públicas são necessárias para solucionar a falta de acesso à água, além dos investimentos bilionários com a revitalização (R$ 1,5 bilhão) e a transposição do rio (R$ 5,5 bilhões).

Técnicos da agência estudaram 1.892 municípios e identificaram uma realidade crítica em 1.378 deles (73% do total).”

(Folha Online)

Muro de Berlim – A esquerda volta a patrulhar Caetano Veloso

O jornalista Sérgio Malbergier assina artigo, nesta segunda-feira, na Folha de São Paulo lamentando patrulhamento ideológico do qual está sendo vítima o compositor Caetano Veloso. Na semana passada, Caetano fez críticas a Lula. Confira: 

“Caetano revelou-se dos poucos machos políticos dessa era Super Lula. Na semana passada, corajoso, chamou Lula de “analfabeto” e “grosseiro” após ser questionado sobre as eleições presidenciais de 2010:

“Pode botar aí. Não posso deixar de votar nela [Marina Silva]. É por demais forte, simbolicamente, para eu não me abalar. Marina é Lula e é Obama ao mesmo tempo. Ela é meio preta, é uma cabocla, é inteligente como o Obama, não é analfabeta como o Lula que não sabe falar, é cafona falando, grosseiro.”

No, digamos, subperonismo que nos encontramos, são raros os políticos que questionam Lula e seus 70%. Os artistas, então, viciados em Petrobras, Eletrobrás, isenções fiscais e vales culturais, ou se calam ou bajulam. Só sobrou a imprensa independente, que por isso é acusada de partidária, e Caetano Veloso.

Mas Lula não aceita (mais) desaforo. Do pedestal que a história lhe ergueu, acima de tudo e todos, parte sempre para o ataque.

Falando em festa do PC do B em São Paulo, no mesmo discurso em que comparou táticas do PSDB às de Hitler, Lula, o aliado de Ahmadinejad, disparou contra Caetano:

“Tem gente que acha que a inteligência está ligada à quantidade de anos de escolaridade que você teve. Não tem nada mais burro que isso. A universidade te dá conhecimento. Inteligência é outra coisa”, disse o petista, acrescentando, com o seu tom cada vez mais vingador do futuro: “Quem diz o que quer ouve o que não quer”.

Mas Caetano, que não disse o que Lula disse que ele disse, não se intimidou. Respondeu ao presidente, com elegância, um dia depois, em show em São Paulo.

Disse à plateia que a semana havia sido marcada pela morte de duas grandes personalidades, Neguinho do Samba, fundador do Olodum, e o antropólogo judeu-francês Claude Lévi-Strauss.

Disse que, apesar de todos os títulos e cadeiras acadêmicas de Lévi-Strauss, Neguinho do Samba, sem quase estudo, foi mais importante para ele e tanta gente brasileira por ter inventado a seminal batida do Olodum, depois espalhada por Paul Simon e Michael Jackson.

(Aproveitou ainda para reclamar, com razão, que ninguém da imprensa o ligou para falar de Neguinho do Samba, enquanto foi muito procurado para comentar sobre o antropólogo. Pelo menos a crítica à imprensa o une a Lula.)

A música é a grande arte do Brasil, e a mais popular, tanto na fonte criadora como no consumo.

Caetano é o mais inventivo de nossos músicos vivos, o mais inquieto, inteligente, corajoso. Devemos ouvi-lo, agora roqueiro, com um power trio de sonoridade máxima.

Seu show está muito bem calibrado, com revisitas marcantes a clássicos como “Irene”, “Não Identificado”, “Maria Bethânia”. Que me fizeram lembrar que Caetano poderia ter talvez reivindicado, como muitos dos patrulheiros petistas, uma Bolsa Ditadura por ter se exilado em Londres na ditadura militar, em pleno sucesso.

Mas o genial Caetano quer cantar, quer opinar. E seu espírito inquieto bate de frente com esse quase autoritarismo popular.

O rolo compressor lulista está pronto para esmagar toda voz dissonante que questione o governo, seus feitos, seus planos e sua retórica. Os políticos estão com medo, calados, o povo, extasiado com os carros e lavadoras no crediário.

Mas Caetano falou. E foi aplaudido de pé em Moema.

Por isso ele canta, não pode parar.

* Sérgio Malbergier é editor do caderno Dinheiro da Folha de S. Paulo .

PR do Ceará lança durante café da manhã a “Caravana 22”

lucio

Lúcio e Roberto Pessoa comandam encontro.

O Partido da República no Ceará está promovendo um café da manhã nesta segunda-feira, no Hotel Marina Park. Sob o comando do seu presidente regional, o ex-governador Lúcio Alcantara, trata sobre as eleições do próximo ano e acerta estratégias que viabilizem a candidatura do prefeito de Maracanaú, Roberto Pessoa, ao Governo do Estado.

Os parlamentares federais Leo Alcântara e Marcelo Teixeira (Gorete Pereira e Vicente Arruda foram ausência), e o deputado estadual Adahil Barreto 9Vasques Lanidm nãom compareceu) participam do encontro, além de prefeitos e pré-candidatos às próximas eleições.

O café da manhã marca principalmente o lançamento da “Caravana 22”, uma campanha, com orientação da direção nacional do PR, que tem o objetivo de conquistar novos filiados no Interior. Segundo Lúcio Alcãntara, a iniciativa vai começar a partir do dia 15 próximo em dois municípios da Região Metropolitana de Fortaleza: Horizonte e Pacajus.

O Muro e os muros

Eis artigo assinado pelo jornalista Jânio de Freitas, na Folha, que fala sobre a queda do muro de Berlim. Intitulado “O Muro e os muros”. Confira:

OS 20 ANOS da queda do Muro de Berlim celebram um acontecimento que talvez nenhum dos seus contemporâneos, em qualquer parte do mundo, imaginasse ver. Quem acaso o fizesse, estaria inscrito entre os que passam por românticos das utopias. O Muro caiu, no entanto. E não caiu não por si mesmo, como uma ruína.

Tanto quanto o Muro vivo, o Muro inexistente tem valores simbólicos ainda incalculáveis na sua dimensão ideológica e política, mas o perceptível já é muito e suficiente para atribuir à queda o sentido de marco de uma nova era no planeta. Na dimensão humana, porém, quanto e o que o mudou? Se mudou.

As guerras se fazem com igual senão com mais facilidade, extinto o risco de se ampliarem até a confrontação dos mundos que o Muro dividia. Os países detentores de bombas nucleares, estes frutos da ideia de exterminar por inteiro a vida em outros países, são hoje mais numerosos, com a inclusão de China, Israel, Índia, Paquistão, talvez África do Sul, os pretendentes ou realizados Irã e Coreia do Norte, e não precisamos mover-nos para reconhecer mais ambiciosos do pesadelo.

Se mudou, é certo, ao menos, que o homem não desaprendeu a construir muros para separação da humanidade e não aprendeu a demoli-los. Só aprendeu a calar e não fazer barulho algum sobre os muros que constrói. Por exemplo, entre os Estados Unidos e o México, entre Israel e os palestinos. E outros que, é bem possível, se ergam ou sejam planejados em maior silêncio por aí afora.

O romantismo utópico não é hoje mais que um sopro. O que é bastante para provar que vive, ainda, mesmo nos Estados Unidos, em Israel, no México, vive entre os humanos. O que sempre é uma promessa.

Salve, salve
Honduras foi-se. Gente do mesmo tipo que a levou pensa em levar o Paraguai. A Venezuela balança entre dois empurrões. Há mais indícios, na mesma linha, a ameaçar o otimismo democrático latino-americano. E a defendê-lo? A OEA não é. E o que poderia ser não vai além do primeiro passo, que, além do mais, nem todos se dispõem a dar. Inclusive porque os planos combinados de Colômbia e Estados Unidos são muito particulares.
O Brasil, por sua vez, está em evidente barafunda nas suas instituições constitucionais. Mas, pela primeira vez na República, os militares, mais do que não a engrossarem, mantêm-se absolutamente à parte.
Nossas continências.

Cid Gomes entregará em Brasília documento de reivindicações sobre o Pré-sal

cidg

O governador Cid Gomes (SB) estará nesta segunda-feira, em Brasília, ao lado de outros governadores nordestinos para um encontro com o líder do PMDB na Câmara, Henrique Alves (RN).

Segundo a assessoria do governador, o objetivo é entregar a Henrique Alves, que é tambem o relator do projeto que trata sobre o rateio dos futuros recursos do pré-sal, um documento contendo as reivindicações da região nesse aspecto.

O documento foi elaborado na última sexta-feira em Fortaleza, quando houve reunião do Fórum dos Governadores doNnordeste no Centro Dragão do Mar.

Contra Dilma, Serra sanciona lei de mudança climática

“De olho na provável candidatura presidencial do próximo ano, aliados do governador de São Paulo, José Serra (PSDB), já elencam temas considerados positivos para tratar na disputa eleitoral de 2010.

Serra e aliados se preparam para um possível embate com a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil). Um exemplo é a Política Estadual de Mudanças Climáticas, que será sancionada hoje, com festa na sede do governo paulista. Em encontro na semana passada no PSDB-SP, tucanos enviaram mensagens on-line cobrando uma comparação maior nessa área.

Na avaliação de aliados de Serra, é possível aproveitar o fato de o governo federal ter sinalizado que pode não apresentar um compromisso de redução das emissões dos gases-estufa na conferência do clima, em Copenhague. A ONU cobrou uma meta clara de corte.”

(Folha)

Centenário – DNOCS ganha sessão solene na Câmara

O Dnocs ganhará nesta segunda-feira, na Câmara dos Deputados, sessão solene em comemoração ao seu centenário de fundação. A iniciativa é do deputado federal Eunício Oliveira, presidente regional do PMDB.

Do Ceará, seguiu a cúpula do Dnocs e o secretário estadual dos Recursos Hídricos, César Pinheiro, que aproveita estada ali para tratar de alguns projetos do interesse do Estado no Ministério da Integração Nacional.

César Pinheiro deu uma informação: ainda neste mês, o govrnador Cid Gomes (PSB) deve assinar a ordem de serviço do trecho V do Eixão das Águas, que será contemplado com emendas ao Orçamento Geral da União 2010.

Projeto do governo prevê menos poder para o TCU

“As críticas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao TCU (Tribunal de Contas da União), responsabilizando-o por supostamente atravancar o crescimento do país ao paralisar obras públicas, estão contempladas num anteprojeto de lei, encomendado pelo governo federal, que prevê limitar a atuação do órgão.

Por este anteprojeto, que é o resultado de um estudo elaborado por uma comissão de advogados nomeados pelo Ministério do Planejamento, o poder do tribunal fica reduzido.

O artigo 62, parágrafo único, do anteprojeto de Lei Orgânica da Administração Pública Federal, reza que o controle externo de órgãos estatais, atividade exercida pelos Tribunais de Contas, “não pode implicar interferência na gestão dos órgãos ou entidades a ele submetidos nem ingerência no exercício de suas competências ou na definição de políticas públicas”.

Em outras palavras, se o documento for aprovado, o TCU fica proibido de decretar as chamadas medidas cautelares, por meio das quais suspende licitações e bloqueia repasses para obras quando surgem divergências com a administração ou suspeitas de possíveis irregularidades -neste ano, o TCU já foi responsável por baixar 124 medidas cautelares.”

(Folha de São Paulo)

Tasso reúne parlamentares federais e cúpula tucana

O senador Tasso Jereissati (PSDB) reúne a bancada federal nesta segunda-feira, a partri das 18 horas, em seu escritório político. Segundo o deputado federal Manuel Salviano, o objetivo é discutir o cenário político nacional e estadual de olho em 2010.

Além de Salviano, participará do encontro o deputado federal Raimundo Gomes de Matos e a cúpula estadual tucana, além de personalidades de influência no tucanato cearense como Assis Neto, Maia Júnior e outros.

Manuel Salviano disse para o Blog que o PSDB está disposto a ter candidato a governador, porque o partido deverá ter candidato a presidente da República. Ele deixa claro: Tasso Jereissati seria o melhor nome, mas o parlamentar avalia que pode surgir uma outra opção. Não declinou nomes.

ACM Neto admite que seu avô cometeu exageros na política

acmm

“Acha que bati muito em Wagner (Jaques Wagner, governador da Bahia do PT)?”, sorri o deputado federal Antonio Carlos Magalhães Neto (DEM), 30 anos, para o assessor de imprensa que o acompanhou na entrevista exclusiva que concedeu na tarde de sexta-feira ao Terra. “Nunca é demais bater em Wagner”, responde, também sorrindo, o jornalista Alexandre Reis.

O parlamentar, herdeiro do legado político de Antonio Carlos Magalhães, de quem declara sentir uma “saudade saudável”, fala dele citando nome e cargo. Ele recebeu a reportagem em uma sala climatizada do seu escritório político em Ondina, Salvador. O chão é forrado com tapetes em detalhes trabalhados. Nas paredes, quadros de ACM e do também falecido tio, Luis Eduardo Magalhães. Duas xícaras de café ainda sujas sobre a mesa expõem uma rotina de até 25 doses diárias da bebida. Entre os acessórios, três águias esculpidas em pedras diversas.

Neto, como gosta de ser chamado, olha para baixo, para o assessor e escolhe em segundos suas palavras a cada indagação da reportagem. Surpreende ao reconhecer que o avô errou ao tomar posições demasiado fortes na vida política e diverte-se ao comentar seus hábitos esportivos. ACM Neto não se altera nem com a menção do apelido de “grampinho”, dado por adversários políticos pelo suposto uso de escutas ilegais. “Não colou aqui na Bahia”, garante. Ao terminar a entrevista, entra com pressa em seu Honda Accord, rumo a um compromisso político no interior do Estado. Oferece a mão duas vezes e manda “um abraço”. Confira a íntegra da entrevista:

Terra – Foi uma escolha natural seguir a dinastia política de sua família, fazia parte do seu imaginário infantil?

É uma vocação que foi desabrochando. Desde os 10 anos, acompanhava as campanhas, participava de comícios e levava santinhos de meu avô para a escola. Disputei uma eleição para síndico mirim de meu prédio, fiz militância em grêmio estudantil, liderança de classe. Depois, participei da juventude do então PFL, hoje Democratas (DEM).

Terra – O legado foi um peso ou uma oportunidade?

Oportunidade. Como tudo na vida, existem ônus e bônus, mas os benefícios são muito maiores. Jamais teria conseguido entrar tão novo, ter uma votação tão expressiva e conduzir uma carreira com tanta velocidade se não fosse o legado do senador Antonio Carlos Magalhães e até o fato de carregar o nome dele.

Terra – Quando o senhor se lembra do avô, como sente a perda?

Todas as minhas recordações são muito positivas. Você tem aquela saudade que lhe martiriza, que lhe deixa com remorso, mas minha saudade é do tipo saudável. Tive o privilégio de conviver com ele por 28 anos, pude aprender com os erros e com os acertos dele, desfrutar do carinho e da atenção.

Terra – Onde você acha que ele errou?

Eu acho que, por conta de uma política de outro momento, ele exagerou em determinados casos. Por certas causas, ele brigou com algumas pessoas. Hoje eu acho que a política é muito mais do diálogo. Às vezes você tem que estar pronto para administrar situações sem ir ao extremo. Ele era uma pessoa muito passional. Era do perfil dele. Você precisava compreendê-lo, porque era capaz de brigar, de estourar, de dar um esporro, mas tudo estava numa boa em cinco minutos. Numa dessas, com quem não era tão próximo, às vezes isso gerava inimizades.

Terra – Existe um vídeo em que ele aparece agredindo um repórter. Refere-se a isso?

Eu não me refiro a isso e nem sei que vídeo é este, mas a um traço da personalidade, de ter sido explosivo, sem papas na língua. Não era capaz de dissimular. Ele chegava para você e dizia na lata. Custasse o que tivesse que custar.

Terra – Quais são as semelhanças e diferenças entre a atuação política do avô e do neto?

Difícil estabelecer uma comparação entre duas figuras de gerações totalmente distintas. O senador Antonio Carlos disputou a primeira eleição dele em 1954. Eu disputei em 2002. A minha geração é a da política na internet, do Twitter, do Youtube. A geração do senador foi outra, ele passou por outros tempos.

Terra – O que o Brasil precisa hoje de diferente daquela época?

Muito diferente. O Brasil se livrou efetivamente das amarras da colonização. Quem começou a fazer política na década de 50 teve que passar por momentos de regime militar e depois de redemocratização. Houve todo um esforço para que as instituições existissem, hoje trabalhamos para fortalecê-las. Antes o Brasil era visto com muito preconceito. O trabalho de política externa iniciado fundamentalmente pelo presidente Fernando Henrique Cardoso(PSDB) e continuado pelo presidente Lula resultou em um país muito mais destacado, reconhecido. O político do passado teve de conviver com inflação e a luta para debelar este mal, hoje as preocupações são outras.

Terra – O senhor é um crítico do governo Jaques Wagner. Quais suas insatisfações?

Jaques Wagner tem o pior governo da história da Bahia. Aqui na década de 1980, especificamente em 1986, a Bahia elegeu Waldir Pires, não por coincidência também do PT, que foi identificado como o governo “da moleza”. Eu imaginei que nenhum governo pudesse superá-lo em termos de ineficiência e incompetência e lentidão. Wagner conseguiu ser pior, eis porque conseguiu o título de governo da “vagareza”, fazendo inclusive uma alusão ao nome do governador.

Terra – Como o senhor vê a liderança do prefeito Gilberto Kassab (prefeito de São Paulo, do DEM)?

É um grande quadro, um articulador conhecido, que já demonstrava estas qualidades como parlamentar na Câmara dos Deputados, depois uma pessoa que vem demonstrando ser muito cuidadoso e diligente. Almocei com ele nesta semana em São Paulo e ele me dizia que já havia feito, não sei, mais de 10 mil visitas, uma coisa nesta ordem. Então você vê, acompanha cada problema da cidade, cada coisa que está acontecendo e é um quadro importante do partido para futuros projetos, então é uma pessoa muito querida no DEM.

Terra – O senhor pensa em algum momento mudar de partido? O DEM não tem um perfil muito jovem.

Nunca pensei. Eu acho que tem um perfil jovem, pelo contrário. O Democratas é presidido por um deputado que tem 39 anos, o Rodrigo Maia, teve como líder na Câmara no meu caso, com 29 anos, o próprio Kassab é um cara novo, então você tem um grupo de deputados bastante jovem. Talvez seja o partido com mais baixa idade dentro da Câmara dos deputados. Está passando por um processo de transformação e está buscando conhecer o que há de melhor no mundo.

Terra – Bebe bastante café… álcool também? Fuma?

Bebo muito café, talvez o único vício verdadeiro que tenho. Às vezes chego a tomar 25 xícaras num dia. Não afeta meu sono. Álcool, bebo socialmente. Não fumo cigarro, mas quando estou relaxando, num ambiente descontraído gosto de fumar uma cigarrilhazinha, ou charuto, mas é eventual, não diário.

Terra – Já fez uso de alguma droga?

Não. Não tenho nenhum preconceito com quem já fez. Talvez pelo ambiente escolar, de amigos, minha galera não tinha contato com drogas. Talvez porque hoje em dia não seja mais moda. Você tinha um momento, na época da ditadura, que fumar maconha era até uma coisa charmosa e hoje você tem as drogas de festa, de rave, que não é bem da minha geração, aquela pastilhazinha, como é que chama?

Terra  – Ecstasy?

Isso. Minha geração talvez, pelo menos na minha turma, era feio fumar cigarro e era feio fumar maconha, então não era do ambiente.

Terra – Pratica esportes?

Tomei vergonha na cara e estou correndo. Não estou todos os dias, mas corro 5 vezes por semana, seis a sete quilômetros. Já joguei muito futebol, era um perna de pau. Ou ficava na zaga, para não deixar ninguém passar, ia na canela sem dó nem piedade, ou ficava no gol. Mas nunca tive muita habilidade.

Terra – Os seus adversários políticos o chamam de “grampinho”, como o senhor vê o apelido?

É engraçado, isso nunca me incomodou. Não pegou aqui na Bahia. Um dos criadores do apelido hoje se dá muito bem comigo e publicamente, por vezes, já reconheceu meu trabalho.

(POrtal Terra)

Orçamento 2010 – Bancada federal cearense ouvirá TJ e UFC

A bancada federal do Ceará terá dois encontros nesta segunda-feira em Fortaleza. Vai conversar com o presidente do Tribunal de Justiça do Estado, desembargador Ernani Barreira, e com o reitor da Universidade Federal do Ceara´(UFC), Jesualdo Farias.

Segundo o coordenador-geral da bancada, deputado federal petista José Nobre Guimarães, o objetivo é ouvir as propostas e sugestões dessas Instituições sobre emendas ao Orçamento da União 2010.

Na terça-feira, às 18 horas, a bancada federal voltará a se reunir. Só que em Brasíla e com o objetivo de avaliar as pedidas do interesse do governador Cid Gomes (PSB). De acordo com Guimarães, existem projetos já definidos como prioritários como Eixão das Águas, Cinturão Digital e a duplicação da BR-222.

Projetos sobre divórcio, vereadores e gays são os que mais interessam ao eleitorado

“A central de atendimento do Senado recebeu 1,16 milhão de mensagens este ano, 71% a mais do que as 684 mil de 2008. O serviço “Alô, Senado” recebe questionamentos e comentários sobre a Casa, os senadores e os projetos de lei em andamento. De acordo com o balanço da Secretaria de Pesquisa e Opinião Pública (Sepop), entre as propostas mais comentadas de 2009, estão o projeto que criminaliza a discriminação contra homossexuais (PL 122/06), a PEC que facilita a concessão dos divórcios (PEC 28/09) e a PEC dos Vereadores, que já se tornou lei e aumentou o número de vereadores para as próximas eleições municipais, impondo um limite de gastos mais rigoroso.

Se a quantidade de mensagens seguir o mesmo ritmo até dezembro, a central de atendimento receberá 1,4 milhão de comentários até o fim do ano, o dobro do registrado em 2008.A diretora da Sepop, Ana Lucia Novelli, credito o aumento no número de mensagens à maior participação da sociedade nas atividades políticas e parlamentares. “É necessário ter mecanismos para aproximar o cidadão dos parlamentares, sem que esse vínculo seja apenas a cada quatro anos, em período eleitoral. A população está atenta ao que ocorre no Congresso Nacional e como as decisões interferem no cotidiano”, disse ela à Agência Senado.”

Serviço ‘Alô, Senado’
Por telefone: 0800-61-2211, de segunda a sexta-feira, das 8h às 19h.
Pela internet: www.senado.gov.br/centralderelacionamento

PED 2009 – Geraldo Magela participa de debate e fecha estratégias no Ceará

magela

Magela tendo ao lado seu apoiador no Estado, José Airton.

Com o principal objetivo de eleger a primeira mulher presidente do Brasil, a ministra Dilma Rousseff, o deputado federal Geraldo Magela (PT-DF) oficializou em 6 de agosto, na sede do Diretório Nacional do PT, em Brasília, a sua candidatura à presidência nacional do PT (veja o vídeo). Magela conta com o apoio das chapas nacionais “Movimento: Partido Para Todos”, “Contraponto” e “Partido para todos: unidade na diversidade”. A eleição vai acontecer em 22 de novembro em todo Brasil.

O deputado participou noite passada em Fortaleza de um debate que envolveu, na sede do partido, todos os postulantes à presidência nacional do PT. Chegou atrasado, por causa de atraso no voo, mas deixou seu recasdo. São seis os postulantes no páreo. Magela aproveitou este domingo para reunião com o deputado federal José Airton, que coordena no Estado o Movimento PT. Tratou de estratégias para conquista de votos. Magela deixou a Capital cearense no fim da tarde, seguindo para Brasília.

Confira abaixo os compromissos do Magela com o PT:

• Composição imediata do Grupo de Trabalho Eleitoral (GTE), para agilizar a organização da campanha presidencial e o diálogo com as direções partidárias estaduais, para construir fortes palanques que ajudem a conquistar a vitória em 2010.

• Inclusão de todos os setores do PT no processo eleitoral; promoção e consolidação da unidade partidária.

• Construir um forte e democrático diálogo com as direções estaduais do PT, demonstrando a importância do projeto nacional e sua centralidade.

• Fortalecer o partido nos estados.

• Defesa das ações e programas do governo do PT e do Presidente Lula.

• Debater, com os filiados, ações públicas para o programa de governo.

(Foto – Cláudio Barata)

Inclusão da Venezuela e Pré-Sal na pauta do Congresso nesta semana

“A votação dos projetos do pré-sal e do ingresso da Venezuela no Mercosul estão entre as principais pautas dos plenários do Congresso. Na Câmara, os deputados devem colocar em pauta as propostas que regularão a exploração de petróleo na camada do pré-sal, mas duas das quatro matérias ainda não saíram das comissões. No Senado, a oposição promete dificultar a intenção do governo de colocar o país de Hugo Chávez entre os membros do Mercado Comum do Sul.

O presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), tem um acordo com o governo de votar nos próximos dias as proposta do pré-sal. Mas só duas matérias estão no plenário

O projeto de lei 5940/09 cria o Fundo Social do Pré-sal. O dinheiro inicialmente deveria servir apenas para fazer uma poupança e investir em educação, ciência e tecnologia e meio ambiente. Na comissão, o relator da matéria, Antonio Palocci (PT-SP), aceitou acrescentar o setor de saúde como mais um destinatário dos recursos vindos dos roaylties do petróleo.

O PL 5939/09 cria uma outra empresa estatal para explorar o minério em águas profundas, a Petro-sal. Os membros do Conselho Fiscal e de Administração da empresa terão mandato de quatro anos, podendo serem reeleitos. O relator da proposta, Luiz Fernando Faria (PP-MG), criou uma quarenta para os dirigentes da Petro-sal. Ao deixarem a empresa, não poderão trabalhar no mercado de petróleo durante quatro meses, período em que continuarão a receber seus salários.

Divisão do bolo

Um dos projetos que não chegou ao plenário é o que faz com que os estados e municípios que não produzem petróleo recebam mais dinheiro dos royalties do que acontece atualmente. É o dinheiro dos royalties que vai bancar o Fundo Social, para tentar distribuir a riqueza do petróleo para toda a população. A divisão do bolo causa controvérsias.

Pelo parecer do deputado Henrique Alves (PMDB-RN) ao PL 5938/09, o valor dos royalties sobe de 10% para 15% do óleo explorado. A distribuição desses recursos mudaria da seguinte maneira: estados e municípios não produtores teriam sua participação aumentada de 7,5% para 44%; estados e municípios produtores de petróleo teriam sua participação reduzida de 22,5% para 18%.

As alterações desagradam aos parlamentares que representam os governadores do Rio de Janeiro, Espírito Santo e São Paulo.

Outro projeto ainda longe do plenário é o PL 5941/09. Ele permite que o governo federal injete recursos na Petrobrás. Pelo relatório de João Maia (PP-RN), serão repassados 5 bilhões de petróleo à estatal. Em troca, o governo federal emitirá título da União.

O texto do projeto não permite que trabalhadores apliquem parte de seu Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) em ações da Petrobrás. Mesmo os que já são cotistas da empresa só poderão comprar novas ações com recursos próprios.

Portas fechadas para Chávez

A oposição no Senado quer manter as portas fechadas para Hugo Chávez. O presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado, Eduardo Azeredo (PSDB-MG), escalou um colega tucano para relatar a proposta de ingresso da Venezuela no Mercosul.

Mas o relatório de Tasso Jereissati (PSDB-CE) foi vencido por 11 votos a 6. Em seguida, a CRE aprovou o relatório pró-Venezuela feito pelo líder do governo, Romero Jucá (PMDB-RR): 12 a 5.

Os líderes no Senado fizeram um acordo para votar a polêmica no plenário na próxima quarta-feira (11). “Vamos votar e aprovar”, garantiu Jucá, segundo a Agência Senado.

A oposição vai tentar derrubar a entrada da Venezuela mais uma vez. O líder do PSDB, Arthur Virgílio (AM), brincou ao dizer que plenário viverá “um momento muito bonito”.

(Congresso em Foco)

Fim do Socialismo provocou onda de migrações na Europa, diz Banco Mundial

“Um relatório do Banco Mundial revela que os cidadãos dos antigos países socialistas representam um terço do fluxo migratório em todo o mundo no período que sucede a queda do Muro de Berlim e a desintegração da União Soviética. Os motivos são questões étnicas, conflitos políticos, alterações nas fronteiras e fim das restrições ao trânsito para o Ocidente.
Segundo o documento, publicado em 2008, a população da Rússia aumentou em 3,7 milhões de habitantes, provenientes, sobretudo, das ex-repúblicas soviéticas e dos países bálticos. Ao mesmo tempo, 15% das populações da Albânia, Armênia, Geórgia, Cazaquistão e Tadjiquistão deixaram seus países definitivamente.

Em outro movimento, mais de 40% dos cidadãos que fizeram as malas no Leste Europeu migraram para os países da Europa ocidental, principalmente para a Alemanha. “A expectativa de encontrar um emprego e a qualidade de vida no país de origem são importantes no rol de decisões de um candidato a imigrante. Mas a influência dos fatores culturais e sociais também pesa”, diz o relatório do Banco Mundial.

Com o avanço da União Européia ao Leste, uma massa de cidadãos do bloco socialista ainda aproveita o fim das exigências de trânsito e parte para os países da Europa ocidental onde são conhecidos por ser mão de obra barata. Países que registraram elevado crescimento econômico são os mais visados, como a Irlanda, destino comum entre os poloneses na última década.”

(POrtal Terra)