Blog do Eliomar

Categorias para Política

O POVO divulga nota repudiando ataques de Carlos Vereza ao jornalista Renato Abê

O jornal O POVO divulga, em sua edição desta sexta-feira, nota de repúdio a ataques desferidos pelo ator Carlos Vereza contra jornalista da casa. Confira:

NOTA PÚBLICA

O POVO repudia com veemência a postura do ator Carlos Vereza, que vem desferindo uma série de ataques contra o jornalista Renato Abê desde a publicação de uma entrevista em 15 de abril, quando ele esteve em Fortaleza para apresentar o monólogo Iscariotis – A outra face.

Na conversa com o repórter, dentre outras declarações polêmicas, o ator diz que a vereadora fluminense Marielle Franco, executada com quatro tiros de pistola, foi um “cadáver fabricado”.
Durante o encontro, Vereza tocou diversas vezes no jornalista afirmando ser médium, vendo nele uma “aura petista”. Ao fim, brindou-o com xingamentos e palavras de baixo calão.

Não contente com essa performance, após a publicação, o ator passou a lançar ataques por meio de posts no Facebook contra o repórter, que foi chamado de “patife” e “calhorda”, e também contra O POVO, classificado como “pasquim” e “desonesto”.

Depois, passou a acessar o perfil pessoal do jornalista em redes sociais para ofendê-lo. Em um desses disparates, demonstrou preconceito inaceitável, recomendando ao repórter “ir sem batom” na próxima entrevista.

O POVO reafirma irrestrito apoio a Renato Abê, que reagiu com tranquilidade e profissionalismo aos xingamentos e provocações a que foi submetido durante a entrevista e depois dela. De início, foi oferecido apoio jurídico ao repórter, que considerou não ser necessário.

Com o continuar das agressões torpes ao longo da semana, no entanto, avaliamos importante repor publicamente alguns pontos. Desnecessário comentar a falta de equilíbrio do ator, mas é importante esclarecer as mentiras que ele publica.

Diferentemente do que Vereza afirma, o jornalista não entrou “oportunisticamente” no teatro, enquanto a produção montava o cenário da peça. A entrevista havia sido marcada com a própria assessoria de imprensa da Secretaria da Cultura do Ceará (Secult), sendo explicado que a conversa teria como tema questões políticas, assunto que o ator costuma abordar.

Também é mentirosa a afirmação de que o jornal não tenha divulgado a peça Iscariotis. O monólogo ocupou toda a capa do Vida & Arte Guia do dia 12/4, tendo sido o grande destaque da edição. Na própria entrevista, é feita menção à peça e ao local da apresentação.

Também não procede a afirmação que o jornalista passou a “plantar notas” em veículos de esquerda para se autopromover. A entrevista foi publicada nas redes sociais do O POVO, como boa parte das matérias do jornal, tendo obtido grande repercussão.

De tudo isso, uma coisa Vereza não questionou: o conteúdo publicado pelo O POVO. Falou mal do profissional e do que imagina que tenha sido o processo de agendamento e divulgação, mas não pode negar a precisa reprodução do que disse, inclusive com a íntegra no online. Talvez tenha sido exatamente isso que o tenha incomodado.

*A entrevista com o ator Carlos Vereza está disponível aqui.

*A matéria do O POVO sobre a peça leia aqui.

PSDB pode mesmo apostar num general para disputar o Governo

Da Coluna do Eliomar de Lima, do O POVO desta sexta-feira:

O PSDB pode mesmo apostar no nome do general de Exército Guilherme Theóphilo como seu candidato ao Governo do Ceará.

Embora a legenda, entre uma reunião e outra, diga que ainda amadurece com aliados a chapa para enfrentar a trupe de Camilo Santana (PT), há pesquisas internas dos tucanos apontando para o seguinte perfil: o eleitor quer apostar em gente confiável, de passado limpo, competente e que tenha condições de enfrentar graves problemas como a violência.

Guilherme Theóphilo, nascido no Rio de Janeiro, pertence a uma linhagem de militares cearenses (seu pai era o general de brigada Manoel Theóphilo Gaspar de Oliveira Neto). Com um ano, veio morar em Fortaleza e foi aluno do Colégio Militar. Integrante do comando que planejou a intervenção federal na segurança do Rio, o general mostrou, ao se filiar a um partido, que não vai aderir ao pijama.

Resta saber se tal projeto se concretiza e se no imaginário da população ainda perduram fantasmas do tempo do regime militar.

A Transposição e a irresponsabilidade

396 1

Com o título “Parada na transposição”, eis o Editorial do O POVO desta sexta-feira. Aborda a novela absurda em torno da obra da transposição das águas do rio São Francisco. Confira:

As populações dependentes da conclusão do Eixo Norte do Projeto Integração do São Francisco (PISF), ou seja, mais de sete milhões de pessoas (em Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte) estão ameaçadas de sofrer nova frustração de não ver a obra concluída no próximo semestre (talvez nem no próximo ano), se depender da burocracia de Brasília. Um absurdo, pois faltam apenas 260 quilômetros de extensão (5,6% do total da obra) para a novela ser encerrada. O novo capítulo foi acrescentado com a desistência do Consórcio Emsa, vencedor da licitação para obras do Eixo Norte. Alegou não ter condições financeiras para a conclusão.

Enquanto isso, o Ministério da Integração Nacional manteria os trabalhos apenas em pontos considerados prioritários. Na última quarta-feira, o ministro Pádua Andrade afirmou, no Senado, que o problema não deverá atrasar a obra. Faltaria, entretanto, rescindir o contrato com a empresa desistente, de forma amigável. Alegará que a empreiteira não cumpriu o ritmo previsto, pedindo mais um ano (para concluir). Além disso, existe um débito com trabalhadores de três meses e débitos com fornecedores de mais de R$ 10 milhões. A “persuasão” viria através da ameaça de ela ficar impedida de executar qualquer obra pública em todo o Brasil.

Não se trata de algo inédito: outras duas empresas, anteriores, terminaram desabilitadas no processo licitatório por “não atender itens técnicos” do edital, conforme o Ministério da Integração Nacional. Apurou-se que a quarta colocada no processo, estuda a possibilidade de assumir a responsabilidade.

Contudo, o Batalhão de Engenharia do Exército Brasileiro teria se colocado à disposição para tocar a obra.

Ora, se assim for, o mais racional, à primeira vista, é aproveitar essa disponibilidade do batalhão militar, pois essa alternativa já foi usada no Eixo Leste com bastante eficácia, quando ocorreram impasses semelhantes. E a questão é muito séria e urgente, pelas repercussões sociais e econômicas advindas de eventual prolongamento da irregularidade climática, numa população já tão exaurida por uma expectativa demasiadamente prolongada.

A má vontade de certos círculos com essa obra não é novidade para ninguém. Foi um trabalho hercúleo trazê-la até aqui, e a incompreensão continua. O que se investiu foi algo comparável aos R$ 10 bilhões pagos de compensação aos acionistas americanos da Petrobras, há poucos dias, sem nenhuma chiadeira semelhante à ouvida desde que se iniciaram as obras da transposição, em 2007. É preciso mais senso de proporcionalidade e responsabilidade social.

Dilma usa Instagram para parabenizar Gleici, a vencedora do BBB 18

A ex-presidente Dilma Rousseff usou seu perfil no Instagram e parabenizou Gleici Damasceno, a campeão do BBB 18.

“Parabéns a querida Gleici, jovem negra, periférica, militante do movimento negro, atuante nas lutas da juventude por um futuro melhor, feminista, filiada ao partido dos trabalhadores. Gleici, a menina acreana que é a cara do nosso povo e sempre esteve do lado certo da luta e da história, encantou e conquistou o Brasil”.

Gleici, fora da casa, chegou a bradar “Lula livre!”

(Selfie do Instagram de Dilma)

Presidente do Instituto Brasil-África é Comendador da Ordem do Rio Branco

O presidente do Instituto Brasil-África, João Bosco Monte, receberá, nesta sexta-feira (20), a Ordem de Rio Branco no grau de Comendador. A cerimônia de entrega ocorrerá às 12 horas, no hall do Palácio do Itamaraty, em Brasília, com a presença do presidente Michel Temer.

A atribuição das insígnias da Ordem é feita anualmente no dia 20 de abril, data em que é comemorado o Dia do Diplomata, em homenagem ao dia de nascimento do Barão do Rio Branco, o patrono da diplomacia brasileira.

A Ordem de Rio Branco foi criada em 1963 com o objetivo de galardoar pessoas físicas, jurídicas, corporações militares ou instituições civis, nacionais ou estrangeiras que, pelos serviços prestados ou méritos alcançados, sejam considerados merecedores de distinção.

Perfil

O cearense João Bosco Monte é pós-doutor em Relações Internacionais pela Universidade de Brasília e doutor em Educação pela Universidade Federal do Ceará. É professor da Unifor, membro do Center for African, Latin American and Caribbean Studies (CALACS) e atua como consultor para diversas instituições internacionais. Fundou o Instituto Brasil-África em 2012, organização sem fins lucrativos que trabalha para a promoção do desenvolvimento do Brasil e dos países africanos.

(Foto – Divulgação)

Ex-deputado Paulo Henrique Lustosa assumirá a Secretaria das Cidades

O ex-deputado federal Paulo Henrique Lustosa, filiado ao PP, vai assumir como secretário estadual das Cidades. Ele já esteve com o governador Camilo Santana e aceitou o convite.

Paulo Henrique, filho do ex-deputado federal Paulo Lustosa, entrará no lugar de Jesualdo Farias, que resolveu retomar suas atividades como professor titular na Universidade Federal do Ceará

O ingresso de Paulo Henrique reforça a presença do PP, comandado no Estado por Antonio José Albuquerque, filho do presidente da Assembleia Legislativa, Zezinho Albuquerque, na gestão de Camilo Santana.

Paulo Henrique é bacharel em Administração de Empresas pela Uniceub, possui Especialização em Administração Financeira pela FGV e é mestre em Políticas Sociais pela UnB. Foi presidente do Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente (CONPAM) na gestão Cid Gomes.

Guardia mantém em 3% previsão de crescimento para o Brasil este ano

A previsão oficial de que a economia brasileira crescerá 3% este ano e em 2019 está mantida, disse nessa quinta-feira (19) o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia. Ele classificou de normais os indicadores recentes, que saíram abaixo do esperado, dizendo que, em determinadas fases do ciclo de recuperação, é esperado que alguns resultados venham aquém do previsto.

“O Brasil saiu da recessão. Estamos no caminho do crescimento. Todos os segmentos estão crescendo, inclusive os investimentos, como em bens de capital [máquinas e equipamentos usados na produção]. Temos também inflação sob controle e patamar de juros menor que a gente nunca viu. O importante é a tendência”, declarou o ministro.

Eduardo Guardia, no entanto, não descartou a possibilidade de o governo rever as estimativas caso seja necessário. Ele voltou a defender a necessidade de o governo prosseguir com as reformas estruturais para elevar o crescimento potencial – o quanto o país cresce sem a interferência de fatores externos – do Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas produzidas no país) brasileiro.

Segundo o ministro, a economia só poderá crescer mais e de forma sustentável com a reforma da Previdência, a reforma tributária, as concessões na área de infraestrutura e a capitalização da Eletrobras e os leilões de exploração da camada pré-sal. De acordo com ele, caso o país consiga levar adiante essas medidas, o PIB potencial subiria de 2,5% para “algo entre 3,5% a 4%”.

Oficialmente, os ministérios da Fazenda e do Planejamento projetam crescimento de 3% para o PIB em 2018 e 2019, 2,4% em 2020 e 2,3% em 2021. Para este ano, as estimativas estão mais otimistas que as do mercado. Segundo o boletim Focus, pesquisa com instituições financeiras feita semanalmente pelo Banco Central, os analistas apostam em crescimento de 2,76% para 2018, contra previsão de 2,9% no início de março.

Entre as principais reformas que precisam ser feitas para elevar o PIB potencial brasileiro, Guardia citou a da Previdência, a tributária, os projetos de concessões na área de infraestrutura e os processos de atração de investimento (como a capitalização da Eletrobras e leilões para exploração do pré-sal pela Petrobras), que seriam a prioridade para este ano.

(Agência Brasil)

Ministro do STJ envia recurso de Lula ao Supremo

O vice-presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Humberto Martins, enviou hoje (19) ao Supremo Tribunal Federal (STF) recurso protocolado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio da Lula da Silva para reverter a decisão da 5ª Turma, que rejeitou, em março, pedido para evitar a execução da condenação do ex-presidente na ação penal do tríplex do Guarujá (SP).

O caso foi julgado antes da decisão do juiz federal Sergio Moro, que determinou a prisão de Lula para cumprimento provisório da pena de 12 anos e um mês de prisão.

A medida foi tomada após a decisão do Supremo, que negou ontem um habeas corpus protocolado pela defesa para mudar o entendimento firmado pela Corte em 2016, quando foi autorizada a prisão após o fim dos recursos na segunda instância.

Na decisão, Moro explicou que, embora caiba mais um recurso contra a condenação de Lula, os chamados embargos dos embargos, a medida não poderá rever os 12 anos de pena.

(Agência Brasil)

Parlamento Metropolitano – Salmito defende o fortalecimento do Legislativo

Poder mais próximo da população, o Legislativo deve ser fortalecido, diante da tendência mundial de aglomeração das grandes metrópoles. A observação é do presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Salmito Filho (PDT), na noite desta quinta-feira (19), em Horizonte, na Região Metropolitana, em encontro do Fórum Parlamentar Metropolitano, que terá ainda eventos nos municípios de São Gonçalo do Amarante (nesta sexta-feira, 20), Maranguape (segunda-feira, 23), Aquiraz (terça-feira, 24), Guaiúba (terça-feira, 24), além de Maracanaú (9 de maio) e Eusébio (14 de maio).

Salmito ressaltou estudo em que, até 2050, toda a população mundial deverá ocupar somente 2% de território.

Em defesa do cidadão metropolitano, o presidente do Legislativo de Fortaleza colocou à disposição das demais câmaras municipais da Região Metropolitana a programação da TV Fortaleza (canal 61.4) e da FM Fortaleza (90.7) para a divulgação das pautas legislativas.

(Colaborou o jornalista André Capiberibe / Foto: Divulgação)

Comissão de Cultura aprova regionalização para incentivos da Lei Rouanet

A Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 6448/16, do deputado Dagoberto Nogueira (PDT-MS), que inclui instrumentos para garantir a equidade regional como princípio norteador para a aprovação dos projetos apreciados pelo Ministério da Cultura.

Atualmente, a Lei Rouanet (8.313/91) já estabelece os princípios de não concentração por segmento cultural e por beneficiário para não direcionar todos os recursos para poucos projetos.

Pela proposta, a destinação dos recursos para os projetos será classificada por região do País, conforme dois critérios:
– ¾, no mínimo, na proporção da população de cada região de acordo com o último censo;
– até ¼ priorizando as regiões com menor desenvolvimento cultural.

O relator na comissão, deputado Tadeu Alencar (PSB-PE), adotou emenda para incluir na proposta o uso de três informações mínimas para definição do desenvolvimento cultural de cada região:
– o consumo cultural das famílias;
– o mercado de trabalho cultural; e
– a presença de equipamentos culturais em cada região.

“Consideramos importante que a lei traga os parâmetros gerais para tal definição, a ser detalhada pelo regulamento”, disse Alencar

O texto também altera as regras de publicação de quem receberá os recursos da lei. Pelo projeto o aprovado deverá ter o CPF ou CNPJ divulgados e em qual área foi enquadrado, além dos dados como título do projeto, valor autorizado e prazo para captar recursos – como já estabelece a lei atual. E também fica exigida a divulgação online dos vencedores, e não apenas em publicação oficial.

A proposta tramita em caráter conclusivo e ainda será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

(Agência Câmara Notícias)

STF concede prisão domiciliar para Maluf

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu há pouco conceder prisão domiciliar ao deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) por razões de saúde.

A questão foi decidida após a votação na qual a Corte definiu que Maluf não pode recorrer em liberdade da condenação de 7 anos e 9 meses de prisão pelo crime de lavagem de dinheiro.

A decisão confirma liminar proferida pelo ministro Dias Toffoli, que, no mês passado, determinou que o deputado passe do regime fechado, no presídio da Papuda, em Brasília, para prisão domiciliar.

Atualmente, Maluf está internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. De acordo com o último boletim médico, divulgado na terça-feira (17), ele faz tratamento contra um câncer de próstata, que está em estágio evoluído, com metástase.

(Estado de Minas)

Uma reflexão sobre responsabilidade socioambiental no setor público

Com om título “Responsabilidade socioambiental no setor público”, a professora universitária Germana Belchior nos convida, em seu artigo, a debater o tema. Por sinal, dos mais atuais e importante naquilo que se propõe de crescimento econômico com respeito à natureza. Confira:

O contexto atual é caracterizado por uma incessante inovação tecnológica, cujos principais efeitos são a crise ambiental e a quebra da clássica divisão entre o público e o privado. A sociedade passa a interagir e a participar das empresas, fortalecendo a concepção de stakeholders (interessados externos à organização). A iniciativa privada não pode permanecer à margem dos problemas sociais, ambientais e éticos enfrentados pela sociedade, pois dela fazem parte como agente social ativo, possuindo, assim como as pessoas, direitos e deveres.

Dessa forma, inicialmente pensada para compor a ressignificação do conceito de empresa, a Responsabilidade Socioambiental entrou, há alguns anos, na agenda dos organismos internacionais, movimentando-se gradativamente para integrar a agenda pública dos Estados nacionais.

O Estado não é um fim em si mesmo, um ente fictício, dotado de soberania, que age por meio de poderes de império em busca da manutenção do bem comum. É mais um ator no mercado, possuindo três papeis distintos: como empresa, como consumidor e como regulador. Ao atuar como empregador e provedor de serviços, o Estado age de forma semelhante a uma empresa, devendo atentar-se para as consequências que geram suas atividades, evitar a degradação do meio ambiente e assegurar condições de trabalho decente. Quando o ente estatal é consumidor, ele deve se utilizar de compras sustentáveis, que se trata de aquisições de bens e serviços com o objetivo de aumentar os benefícios para a sociedade, mediante a inclusão de critérios de sustentabilidade nas licitações.

Como regulador, o Estado deve estabelecer padrões mínimos legais de respeito às condições de trabalho e ao meio ambiente, equidade de gênero, qualidade dos produtos e serviços, transparência, combate à corrupção, dentre outros. O Estado é, portanto, um sistema vivo, em que há uma influência de todos os setores e pensamentos, além de uma pluralidade de energia que dissemina e provoca mudanças, não podendo ser pensando de forma linear. A responsabilidade ética e intergeracional, fundamental para a cidadania, deve ser incorporada por todas as estruturas do Estado e por todos os entes federativos, fortalecendo o cooperativismo, a solidariedade e a intersetorialidade de temas que são essenciais para a promoção da dignidade humana, como é o caso da responsabilidade socioambiental.

*Germana Belchior

germana_belchior@yahoo.com.br

Servidora Pública e Professora universitária. Doutora em Direito.

Prefeitura de Juazeiro do Norte vai distribuir 2.500 laptops para professores

O prefeito de Juazeiro do Norte, José Arnon (PTB) promete concluir, dia 26 próximo, todo o processo licitatório para a aquisição de notebooks que serão disponibilizados para professores da rede municipal de ensino.

Dentro desse objetivo, foi lançado edital, que especifica a compra de 2.500 laptops que visam atender as necessidades e os trabalhos desenvolvidos pelos docentes junto aos seus alunos.

O processo licitatório virá por meio de pregão eletrônico. Ou seja, a partir daí será identificado o vencedor do certame e definido o valor da futura compra.

(Foto – Agência Câmara)

TSE promoverá seminário sobre Propaganda Eleitoral

Juízes de todo o país responsáveis por analisar ações envolvendo propaganda eleitoral estarão reunidos, dias 19 e 20 deste mês de abril, no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Eles vão participar do seminário “Perspectivas e Desafios da Propaganda Eleitoral: Eleições 2018”. A informação é da assessoria de imprensa do TSE

O evento terá, em seu primeiro dia, a presença de ministros do TSE, bem como de autoridades e doutrinadores do Direito Eleitoral, que falarão aos convidados sobre temas vinculados à propaganda eleitoral. Os painéis incluem os tópicos: aspectos doutrinários e jurisprudência no tocante à liberdade de expressão; problemáticas da propaganda na internet; uso de redes sociais e impulsionamento de conteúdo; e fake news.

A programação se iniciará às 10h30min e terminará às 19h30min, e a abertura contará com a participação do presidente do TSE, ministro Luiz Fux, e do ministro Tarcisio Vieira de Carvalho Neto, diretor da Escola Judiciária Eleitoral do TSE.

O segundo dia será dedicado à reunião dos participantes em grupos de trabalho, sendo as atividades iniciadas às 9 horas e encerradas às 12 horas. Os temas discutidos na reunião, cujo escopo são as eleições que se avizinham, compreendem a remoção de conteúdo, a fiscalização da propaganda paga na internet, a responsabilidade eleitoral por divulgação de conteúdo e o direito de resposta.

A crise sociopolítica, a desesperança no porvir e as eleições de 2018

1262 2

Com o título “A crise sociopolítica, a desesperança no porvir e as eleições de 2018”, eis artigo do professor e sociólogo João Arruda. Ele aborda cenários do País em crise, mas não perde a esperança. Confira:

O Brasil vive, seguramente, a maior tragédia sociopolítica da sua história e o brasileiro, em consequência, está cada vez mais cético quanto a sua capacidade de superação do caos prevalecente. O seu pessimismo tornou-se endêmico e ele chegou ao paroxismo quando passou a acreditar que nada é tão ruim que não possa piorar ainda mais.

E há fundadas razões para esse pessimismo. Basta analisar o conteúdo médio das publicações diárias da grande mídia nos últimos anos. É um cotidiano bombardeado por notícias que produzem enormes sentimentos de perplexidade, frustrações e desesperanças. Nesse contexto, ele passa a admitir que o Brasil está fadado a um destino inglório, acreditando que a culpa por sua tragédia deve-se à hipotética natureza humana corrompida dos brasileiros.

Apesar de uma relativa apatia política, o nosso cidadão médio está atento. Ele tem uma clara percepção de que os Poderes da República estão em decomposição e vazios de qualquer legitimidade. Percebe que os nossos valores éticos e morais estão sendo relativizados, que a corrupção endêmica foi institucionalizada como política de Estado e, o mais grave, que a atividade política foi criminosamente nivelada por baixo por políticos inescrupulosos. Percebe, enfim, que estamos perdendo as nossas referências socioculturais e caminhando perigosamente para um grave quadro social de anomia.

Ultimamente, além de ser vítima da maior crise econômica da história do Brasil, crise essa que já lhe subtraiu mais de 13 milhões de empregos, o brasileiro padece com uma onda de violência crescente que inferniza a sua existência. E há agravantes: as estripulias diárias dos nossos ímprobos e inescrupulosos políticos, de diferentes partidos e matizes ideológicas, fazem com que os brasileiros sintam que lhes roubaram até o direito à esperança. Com um forte sentimento de impotência frente a essa realidade macabra, eles acabam perdendo a confiança em nossas instituições e no seu próprio futuro.

Estamos a menos de seis meses das eleições que poderão mudar esse quadro. O brasileiro precisa, mais do que nunca, aproveitar esse momento privilegiado para tentar reverter essa situação de crise e desesperança coletiva. Devemos estar atentos para não embarcar em propostas messiânicas ou cair em aventuras simplistas, alternativas tão atraentes em momentos de crises, mas com consequências profundamente nefastas.

Nesse período pré-eleitoral devemos observar com muita atenção a máxima que diz: o voto não tem preço, tem consequência! Nesta perspectiva, temos a obrigação ética e o dever moral de fazer uma grande mobilização popular, efetuando uma magistral assepsia política, barrando candidaturas com passados comprometedores. Devemos evitar aqueles que vivem da política e a utilizam como meio para se locupletarem. Devemos procurar, com uma lupa, os políticos que, por vocação, vivem para a política. Estes são poucos, mas fazem uma diferença enorme. Eles são apaixonados pelas causas e ideais que defendem, possuem um claro senso de responsabilidade e uma refinada capacidade de dimensionar a importância ou a gravidade de uma conjuntura sociopolítica.

Felizmente, como no momento de crises as sociedades sempre encontram antídotos para combater as suas patologias, começam a surgir algumas luzes no fim do túnel. No Ceará, nas últimas semanas, temos sido surpreendidos positivamente com o aparecimento de várias personalidades da sociedade civil que, indignadas com os rumos da nossa política, aceitaram o desafio para colaborar na construção de um novo momento histórico, resgatando a esperança perdida dos brasileiros.

Como exemplo, entre as novas personalidades emergentes, gostaria de destacar a presença de duas mulheres guerreiras, que, por suas militâncias, vêm se destacando na vida política cearense, com grande potencial para contribuir para a superação da crise atual. A primeira é a Lia Ferreira Gomes, médica dermatologista e pertencente a uma tradicional família política. Antiga militante em defesa de uma sociedade mais justa e includente, Lia Gomes vem se destacando na periferia de Fortaleza pela sua luta intransigente contra toda forma de injustiça social, na defesa das mulheres e de outras minorias sociais. O segundo nome é o da líder empresarial Nicole Barbosa. Formada em direito e administração de empresa, Nicole, apesar da sua juventude, já acumulou uma longa folha de serviço prestada ao Ceará. Nicole foi diretora e presidente do SINDIGRAFICA, diretora e presidente do CIC e presidente da ABIGRAF. No governo de Camilo Santana foi Secretária de Estado do Desenvolvimento Econômico e presidente da ADECE.

Finalizando, volto a reafirmar que a decisão de mudar essa patologia social encontra-se nas mãos de cada cidadão eleitor, pois somente ele, com o peso do seu voto, e usando rigoroso critério na escolha dos seus candidatos, tem a força e a legitimidade para reverter esse quadro, mandando para o lixo da história os políticos corruptos responsáveis pela atual crise e elegendo políticos sérios e vocacionados, comprometidos com a história e com o bem-estar dos brasileiros. Portanto, volto a repetir a mantra de que o voto não tem preço, tem consequência!

*João Arruda

Sociólogo e professor da UFC.

Os tucanos entre os índios

A parlamentar, os Pitaguary e seu pai, o vice-prefeito de Maracanaú, Roberto Pessoa.

A deputada estadual Fernanda Pessoa (PSDB) parabenizou, nesta quinta-feira (190 os povos indígenas pelo Dia do Índio, celebrado neste dia 19 de abril.

“Um povo guerreiro, os primeiros habitantes de nossas terras e que são os guardiões do meio ambiente. Pedimos aos governantes políticas efetivas para os povos indígenas e à sociedade respeito a luta dos índios e a tudo o que representam à nossa cultura” disse a parlamentar.

Fernanda Pessoa também homenageou o povo Pitaguary, que foi o primeiro a habitar Maracanaú (Região Metropolitana de Fortaleza).

(Foto – Divulgação)

Renan sugere evocar Lei de Proteção aos Animais para soltar Lula

731 1

O senador Renan Calheiros (MDB) tem a estratégia para soltar Lula da prisão. A emissários petistas, o senador sugeriu evocar a Lei de Proteção aos Animais para tirá-lo da cadeia, informa a Veja Online.

É o que fez, por exemplo, o advogado Sobral Pinto ao tirar o comunista Harry Berger das mãos do Estado Novo ao evocar o artigo 14 da tal lei — nenhum animal pode ser posto numa situação que não esteja de acordo com sua natureza.

(Foto – Último Segundo)