Blog do Eliomar

Categorias para Política

Transposição do São Francisco – Obras que beneficiam o Ceará só devem ser retomadas em junho

Da Coluna do Eliomar de Lima, no O POVO desta terça-feira:

As obra da transposição do rio São Francisco do Eixo Norte, que interessa ao Ceará, embora com novo consórcio assumindo o projeto, só serão retomadas a partir de junho. É o que estima o diretor-geral do Dnocs, Ângelo Guerra, acrescentando que esse prazo é concedido para a instalação de novos canteiros, contratação de mão de obra e outras providências burocráticas.

O grupo Ferreira Guedes é do Ceará e foi o quarto colocado no processo licitatório. Com o início dos trabalhos em junho, Ângelo, que está em Brasília em reuniões no Ministério da Integração Nacional, estima que tudo ficará concluído em outubro próximo, no que diz respeito a garantir a vinda da água do São Francisco de Salgueiro (PE) para Jati (Região do Cariri).

“A meta do Ministério da Integração, que responde diretamente pelo projeto, é fazer o caminho das águas para o Ceará”, acentua o titular do Dnocs.

Espera-se que essa novela do Velho Chico chegue ao seu capítulo final de fato, no caso ver o cearense beber a tão aguardada água franciscana.

(Foto – Arquivo)

PDT tem “sérias restrições” à aliança com Eunício, diz Figueiredo

Um dos entraves na vida política do senador Eunício Oliveira (MDB), o presidente estadual do PDT, deputado federal André Figueiredo, afirma que a provável aliança da legenda com o presidente do Senado vai ser decidida pela instância nacional da sigla. André diz compreender a aproximação do governador Camilo Santana (PT) com Eunício para tratar de assuntos institucionais, mas que uma provável aliança eleitoral para outubro é algo que precisa ser conversado com os aliados.

“Nós em nenhum momento fomos chamados a uma discussão sobre uma eventual coligação com o MDB. O PDT nacional tem uma postura de que qualquer composição tem que passar por decisão da direção nacional e temos sérias restrições a compor com o MDB aqui no Ceará porque é a terra do nosso pré-candidato à presidente”, disse o parlamentar.

Com o desejo de ser candidato ao Senado pelo partido, Figueiredo justificou a resistência do plano nacional na consolidação da aliança em razão da oposição que o PDT faz ao presidente Michel Temer. “E se o nosso maior adversário é o governo Temer, como admitir que seja natural compor com o partido dele aqui no nosso Estado?”.

O senador Eunício, que tem acompanhado o governador em diversas ações pelo interior do Ceará, acabou não comparecendo ao evento de ontem. A assessoria do senador justificou a ausência alegando que o emedebista estava em Brasília.

(O POVO – Repórter Wagner Mendes/Foto -Agência Brasil)

Michel Temer: Seria útil votar reforma da Previdência para futuro presidente

O presidente Michel Temer disse, na noite dessa segunda-feira (7), que poderia suspender a intervenção federal na área da segurança pública que ocorre atualmente no Rio de Janeiro se houver clima político após as eleições para aprovar a reforma da Previdência no Congresso Nacional ou caso os parlamentares queiram colocar em votação o fim do foro privilegiado para diversas autoridades. Ambas as matérias são propostas de emenda à Constituição (PEC), tipo de projeto que não pode ser votado enquanto a intervenção estiver em vigor.

Ao conceder entrevista à rádio CBN, Temer disse que a intervenção “pode ser interrompida” antes de 31 de dezembro, prazo previsto no decreto para seu fim, “se realmente der todos os resultados”. Segundo ele, seria “muito útil” que o próximo presidente do Brasil assumisse o cargo no ano que vem com a reforma da Previdência aprovada.

“Eu tenho talvez chance de votar ainda. Nós temos a intervenção que você não sabe até quando vai. Vamos supor que até setembro as coisas no Rio de Janeiro [melhorem]. Vamos analisar a conjuntura política quando se derem as eleições [em outubro]. Se lá, as coisas estiverem no rumo certo, [podemos suspender]. Eu gostaria até de entregar o governo, se vier a entregá-lo, nessas condições. A intervenção não é para todo sempre. Se for assim, chamarei o novo governador eleito do Rio, o novo presidente, e vou conversar com eles”, afirmou.

A intervenção no estado foi decretada por Temer e autorizada pelo Congresso Nacional há quase três meses, quando foi nomeado interventor o general Walter Braga Netto, que substitui as atribuições do governador apenas na área da segurança pública. De acordo com a Constituição, enquanto intervenções estiverem em vigor, os parlamentares não podem aprovar emendas constitucionais.

Michel Temer disse ainda não ter dúvida de que os deputados e senadores votariam a reforma da Previdência antes do próximo governo. Segundo Temer, as denúncias apresentadas contra ele pela Procuradoria-Geral da República (PGR) impediram a aprovação da reforma da Previdência, mas o tema não saiu da pauta política. Em fevereiro, o presidente já havia admitido a possibilidade de insistir na reforma a partir de outubro.

Quanto à PEC do fim do foro privilegiado, Temer disse que, caso haja uma “postulação” do Congresso de suspender a intervenção para votar o tema, poderia analisar essa hipótese. Segundo ele, a decisão da semana passada do Supremo Tribunal Federal (STF) de restringir o foro especial para deputados e senadores pode causar um “efeito ilusório”.

“As pessoas falam como se fosse uma grande conquista. Eu às vezes penso nisso. Para quem comete delito, ir para o primeiro grau pode até ser interessante porque teria vários graus [até chegar na condenação]”, disse, referindo-se à possibilidade de, sem o foro, os crimes demorarem a serem julgados. “É uma discussão que não me preocupa e não deveria preocupar ninguém”, complementou.

Sobre a notícia de que membros do Ministério Público poderiam esperar o presidente deixar o cargo para, em janeiro de 2019, aplicarem medidas cautelares contra ele, Temer voltou a criticar o inquérito que investiga o chamado Decreto dos Portos. Segundo ele, caso os procuradores esperem oito ou nove meses para prosseguirem com as investigações, significa que estão apenas “irritados com o presidente” e não se preocupam se realmente há ou não provas sobre o caso. Ao ser perguntado pelos entrevistadores se teme ser preso, respondeu: “Não temo não, acho seria uma indignidade. Lamento estarmos falando sobre isso”.

Assim como tem dito em entrevistas anteriores, Temer defendeu uma candidatura “única” à Presidência uninido forças governistas e outras mais ligadas ao chamado centro. Nesse cenário, ele voltou a dizer que poderia abrir mão de disputar a reeleição, mas desde que o candidato escolhido defenda as teses do governo.

“Se conseguirmos encontrar uma única candidatura, é útil para o país. Posso vir a ser. Mas não tenho a menor dúvida em abrir mão se em determinado momento vier essa figura [que unifique]. Se me permite uma expressão livre: [não me importa] se o sujeito vai com a minha cara ou não. Eu quero [saber] é se vai com a cara do governo. Se for para falar mal do governo, evidentemente que estarei fora”, afirmou.

(Agência Brasil)

Assédio sexual – Celso de Mello envia inquérito contra Tiririca para 1ª instância

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), enviou para a primeira instância um inquérito no qual o deputado federal Tiririca (PR-SP) é investigado pelo crime de assédio sexual. Mello aplicou o entendimento firmado, na semana passada, pelo plenário do Supremo, segundo o qual o foro privilegiado de deputados e senadores fica restrito a crimes suspeitos de terem sido praticados durante e em relação com o mandato.

O ministro destacou que o crime de Tiririca teria ocorrido durante o exercício do mandato, mas que não teria relação alguma com o cargo, motivo pelo qual encaminhou os autos ao Tribunal de Justiça de São Paulo, onde teria ocorrido o delito. O caso corre em segredo de Justiça, tendo sido retirado o sigilo somente sobre o nome do investigado.

É o primeiro caso enviado à primeira instância por Celso de Mello, após os ministros Luís Roberto Barroso, Dias Toffoli e Edson Fachin também terem baixado processos com base no novo entendimento sobre o foro.

(Agência Brasil)

Audic Mota lança Guia de Informações sobre Autismo no Cariri

Nessa

O primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, Audic Mota (PSB), lançou, nessa segunda-feira, no município do Crato, o Guia de Informações sobre o Transtorno do Espectro Autista (TEA). A publicação foi idealizada pelo parlamentar e editada em parceria com a Consultoria Parlamentar e Inesp. O evento, no Centro de Convenções, reuniu pais e filhos, estudantes, representantes de associações e profissionais das áreas de saúde e educação.

Audic Mota destacou no ato o papel da equipe técnica multidisciplinar responsável pela elaboração do Guia. Em especial, a atuação da advogada e sua assessora parlamentar, Renata Praciano, mãe do Gabriel de Jesus, criança com TEA. Ela foi a inspiradora da articulação que resultou no Guia. A edição reúne conteúdo de caráter informativo baseado em publicações e dados fornecidos por especialistas. Seu objetivo é esclarecer sobre o TEA. Do ponto de vista legal e dos sintomas que condicionam seu diagnóstico, promovendo o desenvolvimento das pessoas afetadas e expandindo conhecimento.

Ato concorrido

Participaram do ato o chefe de gabinete da Prefeitura do Crato, Felipe Coelho; o secretário-adjunto do Meio Ambiente do Crato, Eduardo Magalhães, Uberlardo dos Santos, presidente da Câmara de Milagres; Beto Mitrato, vereador; Moiséis Rolim, Secretário de Esporte de Milagres; Luciana Rodrigues, representante da Coordenadoria Regional de Desenvolvimento da Educação do Crato (CREDE 18); Ana Moésia, da Associação dos Pais e Amigos do Autista (AMA Cariri); Marta Coelho, da Associação Comunitária Lucas Dantas (ACOLD), e Aline Azevedo, terapeuta ocupacional.

DETALHE – O lançamento da publicação já ocorreu em Fortaleza, Paracuru e Tauá. Os municípios de Morada Nova, no Vale do Jaguaribe, e Tejuçuoca, no Vale do Curu, serão os próximos na agenda de lançamento.

(Foto – Divulgação)

MP do Ceará entra com ação contra vereador por abandono de emprego

A Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio de Crateús entrou com uma Ação Civil Pública por improbidade administrativa, na última quarta-feira (02), contra Francisco Enivaldo de Sousa Sampaio. Atualmente, ele é vereador de Crateús e é também servidor efetivo da Prefeitura Municipal, no cargo de Fiscal de Limpeza, desde 2004, com jornada de trabalho de 40 horas semanais. A informação é da assessoria de imprensa do Ministério Público do Estado.

Argumenta a Promotoria de Justiça que o servidor abandonou o emprego, pois assumiu diversas outras funções de livre nomeação (de confiança/comissão) desde 2011, que teriam carga horária incompatível com a sua ocupação de carreira na Prefeitura. Ele já foi secretário titular e adjunto de Turismo, ordenador de despesas da mesma Secretaria e assessor de comunicação da Prefeitura. Além disso, em depoimentos coletados pelo órgão do MPCE, ficou comprovado que Enivaldo não executava a função para o qual é concursado e nunca trabalhou na repartição onde era oficialmente lotado, indo apenas para fazer o registro do ponto.

Ausência intencional

Segundo o promotor de Justiça Lázaro Trindade, a ausência intencional do servidor ao serviço por mais de trinta dias está demonstrado nos autos, configurando, assim, o abandono de emprego público, porém com recebimento de vantagem remuneratória. “O réu já se encontra ausente do seu local de trabalho desde 2015, sem justificativa válida ou ordem judicial que o ampare, e recebendo remuneração dos cofres públicos, o que não é admitido em hipótese alguma. É certo concluir que se enriqueceu ilicitamente”, apresenta o membro do Ministério Público Estadual na ACP.

A Promotoria de Justiça requereu liminar pela indisponibilidade dos bens até o limite de R$ 29 mil e que a Prefeitura de Crateús não efetue novos pagamentos salariais ao servidor municipal sem a devida comprovação do serviço prestado. Como pedido final, o MPCE requereu condenação e, caso seja aceito, o vereador poderá sofrer perdas dos bens ou valores acrescidos ao patrimônio ilicitamente, ressarcimento integral do dano, perda da função pública, suspensão dos direitos políticos, pagamento de multa até três vezes o valor do acréscimo patrimonial, dentre outras penalidades.

Maracanaú é sede do sexto encontro do Fórum Parlamentar Metropolitano

O município de Maracanaú recebe na quarta-feira (9), a partir das 10 horas, a sexta edição do Fórum Parlamentar Metropolitano, que busca solução para questões comuns em áreas como saneamento, saúde, mobilidade urbana, sistema hídrico e geração de emprego e renda. O Fórum também propõe a criação do Parlamento Metropolitano, que aproveitaria a estrutura das próprias câmaras municipais.

O tema foi discutido nesta segunda-feira (7), no programa Debates do Povo, na rádio O POVO CBN, que contou com as presenças do presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Salmito Filho (PDT), e dos professores Eduardo Neto e Alexandre Weber. A mediação foi do jornalista Plinio Bortolotti.

Salmito destacou a importância do Parlamento Metropolitano, diante da legitimação do cidadão metropolitano, que muitas vezes trabalha em uma cidade, os filhos estudam em outra e a moradia é situada em um terceiro município. “Esse cidadão, na verdade, não pertence a nenhum município, mas, sim, à Região Metropolitana”, apontou o presidente do Legislativo de Fortaleza, que destacou ainda que os encontros têm melhorado o planejamento das políticas públicas das cidades da região, inclusive com a participação de prefeitos em alguns encontros.

(Foto: Divulgação)

Roberto Cláudio lança campanha Maio Amarelo

O prefeito Roberto Cláudio lançou nesta segunda-feira (7), no Paço Municipal, a programação do Maio Amarelo. A campanha visa chamar a atenção para melhorias no trânsito de Fortaleza, oferecendo melhor infraestrutura e garantias, especialmente para os usuários mais vulneráveis no trânsito, desta vez com foco no pedestre. Para isso, durante todo este mês, uma série de atividades será realizada em diversos pontos da Cidade.

“Conseguimos muitos avanços nos últimos três anos, desde que adotamos políticas públicas de segurança viária mais eficientes. Quanto maior for o nível de consciência, de corresponsabilidade do cidadão, maior será o número de vidas salvas e menor será o número de acidentes na nossa Cidade”, destacou Roberto Cláudio.

De acordo com dados preliminares da próxima edição do Relatório Anual de Acidentes de Trânsito de Fortaleza (2017), o número de pedestres que perdem a vida em Fortaleza, apenas para atravessar a rua por exemplo, vem diminuindo nos últimos seis anos. No início da Década de Ação pela Segurança Viária Global da ONU (2011), 171 pessoas perderam a vida ao serem atropeladas, o ponto mais alto da série histórica da Capital Cearense. Ano passado, o número registrado foi de 96 óbitos, uma redução de 43,9% se comparados os dois períodos.

O perfil da maioria das vítimas que andam a pé nas ruas e que perdem a vida ao serem atropeladas é de idosos, com mais de 60 anos e, em geral, esses acidentes acontecem numa distância de até um quilômetro da casa das vítimas. Os bairros que concentram a maior parte das ocorrências estão nas Regionais I, V e VI. Ainda segundo o estudo, a maioria dos casos (43,7%) dos atropelamentos são causados por motociclistas, seguidos por automóveis (39,4%).

“A Organização Mundial de Saúde afirma que problemas no trânsito são um caso de saúde pública. Em Fortaleza, os acidentes são a quinta maior causa de mortes. Por isso, nossas campanhas são focadas em pedestres e motociclistas, os mais vulneráveis e os que causam mais acidentes. É um trabalho de educação e fiscalização”, explicou o secretário executivo de Conservação e Serviços Públicos, Luiz Alberto Saboia.

Entre as ações que têm buscado reduzir o número de acidentes, estão a implantação de binários que reorganizam o trânsito nos bairros, a extensão da malha cicloviária, renovação de sinalização, travessias elevadas distribuídas em pontos críticos de todas as Regionais e também intervenções do projeto piloto de segurança viária, com redução de velocidade, na Av. Pres. Castelo Branco.

Hoje, Fortaleza contam com 35 faixas de pedestres elevadas, duas áreas de trânsito calmo nos bairros Rodolfo Teófilo e Vila União, além da execução em andamento da requalificação na área central da Cidade 2000, testadas com o projeto “Cidade da Gente”, em setembro do ano passado.

Também estão programadas, para implantação ainda este mês, outras intervenções que buscam dar mais proteção ao pedestre, especialmente em regiões adensadas e com intenso fluxo de pessoas a pé.

(Prefeitura de Fortaleza / Foto: Divulgação)

Sete em cada 10 são a favor da prisão em segunda instância, diz pesquisa

Sete (69,4%) em cada dez brasileiros são a favor da prisão logo após julgamento em segunda instância. Apenas 23,8% são contrários ao cumprimento da sentença em segundo grau. É o que mostra um levantamento inédito do Instituto Paraná e que foi divulgado pela Veja Online.

A pesquisa foi realizada com 2002 eleitores em todo o Brasil, entre os dias 27 de abril a 02 de maio 2018.

A margem de erro é de aproximadamente 2%, com grau de confiança de 95%.

STJ envia para a Justiça estadual ação contra o governador da Paraíba

O ministro Luis Felipe Salomão, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), enviou uma ação contra o governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, para a Justiça paraibana, tendo como base o novo entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF), que restringiu o foro privilegiado.

Na semana passada, o plenário do STF definiu uma interpretação mais restrita do foro por prerrogativa de função de membros do Congresso Nacional, estabelecendo que, no caso de deputados e senadores, somente serão julgados na Corte casos sobre crimes cometidos durante e em função do mandato.

A decisão do STF não tocou no foro especial dos governadores no STJ. Para enviar o processo contra o governador da Paraíba à Justiça estadual, no entanto, Salomão aplicou o princípio da simetria, segundo o qual os estados são obrigados a se organizar institucionalmente de forma simétrica à União, argumentou o ministro.

Argumentação

“Nessa conformidade, reconhecida a inaplicabilidade da regra constitucional de prerrogativa de foro ao presente caso, por aplicação do princípio da simetria e em consonância com a decisão da Suprema Corte antes referida, determino a remessa dos autos ao egrégio Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba”, decidiu Salomão.

Nessa ação penal, o governador da Paraíba é processado por crimes de responsabilidade que teriam sido cometidos em 2010, quando era prefeito de João Pessoa. Já há denúncia apresentada pela acusação.

A Agência Brasil não conseguiu contato com o governador da Paraíba ou com os seus advogados até a publicação desta matéria.

(Agência Brasil)

Um comentário sobre FHC

Com o título “Das classes às narrativas”, eis artigo do professor universitário André Haguette (UFC). Ele comenta resenha do último livro do ex-presidente FHC. Confira:

Leio numa resenha na revista Veja que, no seu último livro, Crise e Reinvenção da Política no Brasil, Fernando Henrique Cardoso estabelece uma distinção entre a sociedade moderna, mais fixa e previsível, e uma sociedade nova nascida nos anos 1990 e na qual o Brasil estaria entrando, a sociedade contemporânea, em fase acelerada de evolução — com seus avanços tecnológicos na nanotecnologia, na Internet, na robotização, as grandes empresas pulverizando suas fábricas entre diferentes países ao mesmo tempo em que os mercados se interconectam —, tudo com o objetivo de “concentrar os centros de criatividade, dispersar a produção em massa para locais de mão de obra abundante e barata e unificar os mercados, sobretudo financeiros”. “Sociedades novas não quer dizer ‘boas sociedades’”, segundo opina Fernando Henrique. A globalização produzirá ganhadores e perdedores. Na nova sociedade, as classes sociais não têm a preeminência de antes, no papel de grande divisor das lutas políticas; ganharam a concorrência de fatores de identidade como o gênero, a raça, a religião, a orientação sexual. Os sindicatos e os partidos perderam terreno para os movimentos e, sobretudo, para o indivíduo informado e conectado.

Com certeza me reconheço na descrição dessa passagem de um tipo de sociedade para outro, eu que me sinto mais confortável diante da televisão (moderna) do que com a Internet (contemporânea). Mas nessa travessia do moderno, isto é, do coletivo (economia de massa, partidos, sindicatos, classes sociais, planejamento, desenvolvimento, valores vividos como perenes, destino predestinado) ao indivíduo (gênero, raças, mulheres, minorias, grupos de interesse, corporativismos, donos de planos de saúde, de escolas, mercadorias personalizadas, fetichismo da saúde e da juventude, representações e narrativas) vejo que o Brasil perde duas vezes. A primeira, por nunca ter resolvido sua indecente contradição entre capital e trabalho. Em época de classes sociais, sindicatos e partidos políticos, a desigualdade e a pobreza ficaram incólumes; riqueza e poder continuaram familísticos, corporativos e regionais, jamais chegando a uma industrialização e urbanização capazes de incluir as massas.

Assim perdemos o momento histórico “mais fixo e previsível” para entrar, despreparados, no universo precário, fragmentário e “líquido” do reino do indivíduo, que Fernando Henrique considera, de modo utópico (“wishful thinking?”), mais “participante” do que “egoísta”.

E aí estamos nós a tatear nessa nova sociedade, atordoados, perdidos, estressados e sem uma economia, nem saúde, educação, Justiça, segurança de massa, num mundo das individualidades, das diferenças, das minorias, das narrativas etnográficas diversificadas e do mapeamento das divisões territoriais de bairros, da violência, da cultura! Como construir essa sociedade contemporânea em cima da areia movediça de nossa modernidade desperdiçada? Como desfrutar de narrativas individuais quando nossa modernidade nunca se concluiu e as classes sociais continuam a ser a grande narrativa que ninguém mais quer entoar?

*André Haguette

haguetteandre@gmail.com

Sociólogo e professor titular da UFC.

Movimento Renasce promoverá ato pela paz em Fortaleza

529 1

O Movimento Renasce, que se diz apartidário, vai promover, nesta terça-feira, às 19 horas, no entorno do Palácio da Abolição, o ato “Fortaleza pede Paz”. O objetivo, segundo Mariana Posses, da organização, é cobrar das autoridades mais investimento e ações contra a violência.

O grupo também vai cobrar a elucidação do caso em que Roberto Studart, que era diretor do Fortaleza, Esporte Clube, foi assassinado numa saidinha bancária.

Mariana Posses informa, em vídeo disponibilizado em suas redes sociais, que o ato será antecedido de carreata, passeata e bicicletas.

As escolas cearenses e o assédio das facções criminosas

Com o título “Escola sob a sombra do tráfico”, eis artigo do jornalista e pesquisador Ricardo Moura, que pode ser conferido no O POVO desta segunda-feira. Ele aborda assédio das facções criminosas nas escolas cearenses. Confira:

Em abril, o Governo do Estado lançou o programa “Nenhum Aluno Fora da Escola”, que tem como meta combater o abandono escolar. Na rede municipal de ensino, o programa contempla os 8º e 9º anos. Medidas como a busca ativa, em que a frequência escolar é monitorada, fazem parte do conjunto de ações. A preocupação é justificada, haja vista as consequências da evasão e do abandono escolar serem nefastas. Pesquisa realizada pelo sociólogo Marcos Rolim mostrou haver uma relação bastante estreita entre evasão escolar e violência extrema, ou seja, aquela que é cometida sem qualquer provocação da vítima.

“O medo impacta diretamente na evasão escolar. Telma afirma que, nos últimos meses, algumas famílias têm pedido transferência com destino ao interior ou outros bairros”

Em um contexto de assédio às escolas por parte das facções, manter crianças e adolescentes estudando é uma tarefa árdua. Embora a ação governamental seja bastante louvável, há pontos vulneráveis externos à política: o recrutamento das facções ocorre cada vez mais cedo (aos 10 e 11 anos), enquanto o medo da violência está fazendo com que os pais retirem seus filhos das escolas. A coluna ouviu quatro educadores que lutam cotidianamente na periferia de Fortaleza para que os alunos se mantenham em sala de aula mesmo diante desses desafios. Os nomes e os bairros em que atuam serão preservados por questão de segurança.

Para Cristiano (nome fictício), professor da rede municipal, a violência afeta o cotidiano escolar tanto na entrada quanto na saída: “O cuidado ao chegar e sair da escola é uma importante medida que professores e funcionários tomam. Isso também ocorre no recinto escolar, quando se toca no assunto tráfico ou alguma violência relacionada a essa prática”.

Segundo o professor, a atuação das facções varia conforme o turno: “Durante o dia, a presença é mais externa, embora suspeitemos de alunos que, além de usuários, também tentam levar o tráfico para dentro da escola. Já à noite existem alguns adolescentes, embora poucos, que são conhecidos como ‘aviões’ (nome dado a pessoas que transportam drogas). Não podemos confrontá-los, contudo, sob riscos de represálias”.

Telma (nome fictício), que atua na gestão escolar, teve de lidar com uma ação mais ostensiva do crime organizado. “Tivemos uma inscrição pichada no muro, numa tentativa de apropriação do entorno”, relata. A direção ficou sem saber como proceder, relembra, mas da mesma forma como os dizeres foram escritos eles foram apagados. De forma misteriosa.

Luís, educador social, dimensiona o problema enfrentado pelas gestões: “Foram demitidos porteiros e vigias fragilizando mais ainda as escolas. Todos estão à mercê dos ditames dos grupos armados, cabendo à direção a mediação para o funcionamento da escola e garantia dos índices educacionais”. O medo, no entanto, impacta diretamente na evasão escolar. Telma afirma que, nos últimos meses, algumas famílias têm pedido transferência com destino ao Interior ou outros bairros. “Nossas famílias são em 90% pessoas que se mantém com auxílio do governo federal. Não têm renda, não têm perspectivas. Na maioria das vezes elas não dizem o motivo pelo qual deixam a escola, mas nas entrelinhas é uma tentativa de sair do ambiente violento”, explica.

Se a insegurança gera êxodos urbanos, ao mesmo tempo ela se incorpora à rotina de pais e alunos. Segundo Cristiano, as crianças, de modo geral, encaram a situação em que vivem como natural: “Aquelas mais críticas ou incomodadas falam conosco no privado e de forma tímida, sem querer se expor”. Para quem lida com esse drama no dia a dia do trabalho, o sentimento é de impotência. Luís afirma que os profissionais da educação “estão todos adoecidos, sem esperança e sem retaguarda institucional para o cuidado, escuta e mediação de conflitos”. Telma adota uma tática para lidar com esse cotidiano tão brutal e tão familiar. “A verdade é que mesmo sendo uma realidade comum para eles, isso nos choca muito. Fingimos que aquilo é natural para nós também. Não há muito o que fazer”.

A relação dos educadores com os órgãos de segurança é ambígua. Cristiano cobra maior presença da Guarda Municipal: “É inexistente a presença dos órgãos de segurança, então meio que vamos nos virando, evitando assuntos polêmicos ou confrontos com alunos supostamente envolvidos”. Telma, por sua vez, afirma que é arriscado envolver a polícia em tais questões por temer retaliações.

“Não devemos nos vincular. É péssimo fazer essa parceria. Não abro portão para policiais se instalarem, não preciso ter mais problemas”.Mara (nome fictício), professora da rede municipal, resume a sua atual condição de trabalho em forma de desabafo: “Estamos sozinhos, por isso devemos nos resguardar”.

Ministério Público do Trabalho lança a campanha Maio Lilás

O Ministério Público do Trabalho (MPT) lançará, às 14 horas desta segunda-feira (7), em Brasília, a campanha Maio Lilás. O objetivo é ressaltar a importância de discutir a liberdade sindical e a participação dos trabalhadores na atuação dos sindicatos para a promoção da defesa dos seus direitos. A cerimônia ocorrerá na sede da Procuradoria Geral do Trabalho (PGT) em conjunto com a Procuradoria Regional do Trabalho no Distrito Federal e Tocantins.

O evento contará com uma mesa-redonda sobre o tema “Liberdade sindical e reforma trabalhista”, e os lançamentos da revista em quadrinhos sobre “sindicatos” e do site www.reformadaclt.com.br, que traz informações para trabalhadores e empregadores sobre a reforma trabalhista.

Participarão da mesa-redonda procuradores e representantes de entidades sindicais patronais e obreiras, como a Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), a Central Única dos Trabalhadores (CUT), a Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis (FENACON) e a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), informa a assessoria de comunicação do MPT.

Lula completa um mês na prisão

464 1

O ex-presidente Lula completa hoje um mês encarcerado. Até às vésperas de sua prisão, não eram poucos os que duvidavam dela — petistas e antipetistas. Argumentavam que alguém como Lula nunca iria preso, segundo informa o jornalista Lauro Jardim, colunista do O Globo.

Depois, a mesma turma achava que ele passaria apenas alguns poucos dias em Curitiba. Argumentavam que alguém como Lula nunca ficaria preso mais do que alguns dias.Erraram duas vezes.

Agora, o mesmo grupo, de petistas e antipetistas, repita-se, acha que antes da eleição Lula será solto.

Marcela Temer pula em lago para resgatar seu cachorro

6371 2

A primeira-dama do País, Marcela Temer, entrou no Lago Paranoá de roupa e tudo para resgatar seu cão, o Picoly, durante uma caminhada pelo Alvorada. A informação é da Veja Online.

Depois do banho, irada, Marcela exigiu o afastamento da servidora que a acompanhava e não a ajudou.

A assessoria da Presidência da República informou que a servidora foi desligada para outra função porque não cumpriu a missão de proteger a primeira-dama.

(Foto – Evarisdto Sá/AFP)

Ala petista defende que Ciro não seja tratado como inimigo

Dirigentes do PT começam a manifestar preocupação com o tom de integrantes do partido que, para interditar debate sobre um plano B na eleição presidencial, constrangem Ciro Gomes (PDT). A informação é da Coluna Painel, da Folha de S.Paulo desta segunda-feira.

A cúpula da sigla vetou projeção de cenário que não se restrinja a Lula, mas uma ala entende que o pedetista não deve ser tratado como desafeto nem exposto de maneira desnecessária, inclusive para não prejudicar alianças nos estados ou em um segundo turno da disputa pelo Planalto.

A posição do PT em relação a Ciro Gomes mobilizou debates na última semana. A diretriz da sigla é dar o assunto como encerrado.

“Não se cogita outro candidato. Nossa prioridade é libertar o Lula e finalizar o plano de governo. Agora, Ciro não é inimigo e não deve ser tratado como tal”, diz Emidio de Souza, tesoureiro do PT.

(Foto – Rerprodução de TV)

 

Eleições 2018 – General do PSDB vai abrir diálogo com partidos de oposição

Já de volta da Colômbia, onde falou no II Seminário Internacional sobre Logística e Ação Humanitária, o pré-candidato tucano ao Governo, general de Exército Guilherme Theóphilo.

Nesta semana, ele vai cumprir uma intensa agenda de encontros políticos. Na lista, conversas com lideranças do Pros, PSD e do Solidariedade.

Tudo em busca de viabilização do seu nome na oposição.

(Foto – Elisa Maia)

Câmara dos Deputados pode votar nesta terça-feira o Cadastro Positivo

O plenário da Câmara dos Deputados pode votar nesta terça-feira (8) o chamado Cadastro Positivo, Projeto de Lei Complementar (PLP 441/17), de origem do Senado. Ele permite que instituições financeiras incluam informações no sistema sem autorização específica dos clientes. O banco de dados deve substituir o cadastro que já existe, mas, por ser optativo, não funciona na prática. Atualmente, o sistema reúne seis milhões de consumidores.

Segundo o relator da medida na Câmara, deputado Walter Ihoshi (PSD-SP), a perspectiva da proposta é incluir 100 milhões de consumidores no Cadastro Positivo. Com a obrigatoriedade proposta pelo projeto, os gestores de bancos de dados terão acesso a todas as informações sobre empréstimos quitados e obrigações de pagamento que estão em dia de pessoas físicas e jurídicas para formação do histórico de crédito.

Esses dados poderão ser usados por instituições financeiras para a criação de uma espécie de ranking de bons pagadores. O projeto estabelece que o banco comunique o cliente sobre a inclusão no cadastro, além de informar os canais disponíveis para o cancelamento desse cadastro no banco de dados.

Crédito mais barato

Segundo o relator, a expectativa da proposta é tornar o crédito mais barato no país e estimular a educação financeira de consumidores brasileiros. “Não se pode dizer que a medida vai favorecer grandes bancos no país, porque eles vão ter que competir para oferecer o crédito mais baixo ao consumidor”, avalia Ihoshi.

Contrário à proposta, o deputado Pompeu de Matos, (PDT-RS) argumenta que os bancos têm interesse na aprovação da medida. Ele associou a proposta à cobrança de bagagem pelas companhias aéreas para forçar a diminuição dos preços das passagens.

“Nesse famoso cadastro, o que tem de positivo é somente para os bancos. A gente entrega para eles o que a gente vê e eles recebem lá o que a gente não vê e aí manipulam e daqui a pouco estamos entregando o nosso sigilo: as informações que são de cada um, de cada cidadão. Nós estamos abrindo mão no nosso sigilo”, disse.

(Agência Brasil)