Blog do Eliomar

Categorias para Política

PGR denuncia Temer por corrupção passiva

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, denunciou criminalmente, nesta segunda-feirea, o presidente Michel Temer por corrupção passiva no Caso JBS. A denúncia deu entrada no Supremo Tribunal Federal. O procurador atribui crime a Temer a partir do inquérito da Operação Patmos – investigação desencadeada com base nas delações dos executivos do grupo J&F, que controla a JBS.

Caberá ao ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF, enviar a acusação formal do procurador à Câmara dos Deputados. Esta Casa terá autorizar ou não a abertura do processo contra Temer. São necessários dois terços dos 513 deputados para o acatamento da denúncia.

Crise política

O caso JBS mergulhou o presidente em sua pior crise política. Na noite de 7 de março, Temer recebeu no Palácio do Jaburu o executivo Joesley Batista, que gravou a conversa com o peemedebista. Nela, Joesley admite uma sucessão de crimes, como o pagamento de mesada de R$ 50 mil ao procurador da República Ângelo Goulart em troca de informações privilegiadas da Operação Greenfield, investigação sobre rombo bilionário nos maiores fundos de pensão do País.

A investigação revela os movimentos do homem da mala, Rodrigo Rocha Loures, ex-assessor especial do presidente. Na noite de 28 de abril, Loures foi flagrado em São Paulo correndo com uma mala de propinas da JBS – 10 mil notas de R$ 50, somando R$ 500 mil. Os investigadores suspeitam que a propina seria destinada a Temer, o que é negado pela defesa do presidente.

(Com Agências)

Governo Temer deixa de lado as denúncias e define novo slogan

Em reunião com as equipes de comunicação de todos os ministérios, o secretário-geral da Presidência da República, Moreira Franco, decidiu, nesta segunda-feira, o novo slogan do programa Avançar, o PAC de Temer: “Eu avanço quando o Brasil Avança”.

A decisão ainda passará pelo crivo final do presidente Michel Temer, mas é quase certo que estampe as próximas campanhas do governo.

A informação é da Veja Online.

Prefeito vai assinar convênio com SSPDS para compartilhar imagens de câmeras de monitoramento

A Universidade de Fortaleza, com apoio da Prefeitura de Fortaleza e da Cruz Vermelha Internacional, lançará, às 9 horas desta terça-feira (27), duas ações voltadas para a redução de acidentes de trânsito com mortes nas ruas da capital cearense: o Observatório de Segurança Viária e o Portal de Segurança Viária. Na mesma ocasião, o prefeito Roberto Cláudio assinará com o Governo do Estado um convênio para o compartilhamento o sistema de videomonitoramento do trânsito com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado.

Sobre o Observatório, o professor Vasco Furtado, diretor de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação da Unifor, informa que servirá para compartilhar informações sobre a problemática da morbimortalidade no trânsito, além de conscientizar a população sobre a dimensão do problema e sobre a possibilidade de prevenção de mortes e ferimentos no trânsito.

Já o Portal de Segurança Viária de Fortaleza reunirá dados oficiais de acidentes de trânsito da capital, além de informações e conteúdos técnicos e acadêmicos especializados sobre o tema, ajudando a fomentar o desenvolvimento de pesquisas na área.

Observatório

O Observatório de Segurança Viária funcionará no Campus da Unifor e abrigará o Portal, contribuindo, ambos, para reverberar a discussão de soluções para os acidentes de trânsito em Fortaleza. “A Organização Mundial da Saúde considera o fenômeno da acidentalidade no trânsito como uma epidemia e um problema de saúde pública. A cada ano, 1,3 milhão de pessoas morrem em decorrência de acidentes de trânsito no mundo”, frisa professor Vasco Furtado.

“Entendemos o observatório de segurança viária como um importante ambiente para reverberar o tema e conscientizar a população sobre a dimensão do problema. No entanto, mais importante é a possibilidade de prevenção de fatalidades e sequelas graves decorrentes de acidentes”, acrescenta Ezequiel Dantas, coordenador de Dados da Iniciativa Bloomberg para segurança global do trânsito e professor da Unifor.

Conselho Municipal

O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, aproveitará a oportunidade para assinar também o ato de criação do Conselho Municipal de Segurança Viária do município, reunindo representantes dos setores público e privado, academia, imprensa e sociedade civil.

Segundo Luis Alberto Saboia, secretário-executivo de Conservação e Serviços Públicos de Fortaleza, o grupo terá o objetivo de discutir temáticas específicas da acidentalidade no trânsito, aumentando o nível de conscientização sobre o tema em suas instituições representadas.

Quando um programa de educação tem continuidade

Com o título “Tecendo a manhã da educação”, eis artigo de Sofia Lerche, pesquisadora do CNPq e professora da Uece, destacando os 10 anos do Programa de Alfabetização na Idade Certa (PAIC), do governo estadual. “Os resultados de hoje são fruto de um longo processo de maturação, em que se construiu uma robusta rede de colaboração e uma mobilização pela educação”, diz a pesquisadora. Confira:

Em “Tecendo a Manhã”, o poeta João Cabral de Melo Neto descreve o movimento do nascer ao clarear do dia, tecido pelos gritos de galos que, em sintonia não planejada, constroem a manhã. Para além da magistral arquitetura do verso, o texto comporta uma analogia com o processo de cooperação humana, contribuindo para refletir sobre este elemento estratégico ao sucesso de uma política pública.

O que explica o fato de que algumas boas iniciativas permanecem e outras não? No fim dos anos noventa, Judith Tendler, pesquisadora norte-americana recentemente falecida, estudou programas dos governos Tasso Jereissati e Ciro Gomes. Em “Bom governo nos trópicos” (2002), a autora credita o sucesso dos mesmos ao compromisso e reconhecimento dos agentes públicos, bem como à descentralização de ações públicas. Com Lúcio Alcântara, boas práticas tiveram continuidade e aliaram-se à “gestão por resultados”, estratégia de validação de avanços necessários durante a vigência de um acordo com o Banco Mundial.

Tais condições, aliadas à cooperação financeira e técnica entre o Estado e os Municípios, criaram condições propícias a outras ações. Uma delas foi a criação do Comitê Cearense pela Eliminação do Analfabetismo Escolar, iniciativa conjunta da Assembleia Legislativa (capitaneada pelo então deputado Ivo Gomes), Secretaria de Educação e Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), à qual se somaram inúmeros outros parceiros.

Inspirado nas boas práticas de gestão iniciadas em Sobral, o relatório do trabalho desenvolvido pelo Comitê (2006) mostrou um caminho a percorrer. O que vem depois, é bem conhecido de todos: o Programa de Alfabetização na Idade Certa (Paic), ícone da política educacional do Ceará.

Ao comemorar, com razão, dez anos desta bem-sucedida política, é oportuno lembrar que os resultados de hoje são fruto de um longo processo de maturação, em que se construiu uma robusta rede de colaboração e uma mobilização pela educação. O Paic é motivo de orgulho e deixou importante legado. Mas é preciso ter humildade. Tal como nos dizia o escultor de palavras pernambucano, “um galo sozinho não tece uma manhã: ele precisará sempre de outros galos. De um que apanhe esse grito que ele e o lance a outro (…) para que a manhã, desde uma teia tênue se vá tecendo, entre todos os galos”. Governos passam, princípios permanecem. A manhã da educação, apenas começa a entretecer-se. Luz balão.

Sofia Lerche Vieira

sofialerche@gmail.com

Pesquisadora do CNPq e professora do Programa de Pós-Graduação da Uece

No dia em que conta d’água aumenta, secretário comemora recuperação financeira da Cagece

Com o título “Boas novas na Cagece”, eis artigo do secretário estadual do Planejamento, Maia Júnior, que pode ser conferido no O POVO desta segunda-feira. Ele comemora a situação financeira da companhia que, por sinal, adota, a partir de hoje nova tarifa, pois ganhou reajuste de 12,9%. Confira:

Em meados de 2016 alertamos sobre os fracos resultados operacionais e financeiros da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece). Com dados do balanço da própria empresa, era possível concluir que havia um aumento significativo de despesas sem a contrapartida de investimentos na ampliação de serviços.

Havia uma tendência preocupante – mesmo considerando os efeitos sazonais: escassez de chuvas e o consequente aumento na demanda por água para consumo humano, da agropecuária e da indústria…

Seis meses depois, estamos diante de novas perspectivas no plano financeiro para a Cagece. Do ponto de vista contábil, após dois anos de prejuízo, a Companhia registrou lucro de R$ 130,2 milhões em 2016.

O indicador Ebtida (lucro antes dos impostos, despesas financeiras, depreciações e amortizações), o mais apreciado pelo mercado, avançou para 21% em relação a receita líquida. Bom, mas talvez ainda não suficiente para festejar.

A análise detalhada dessa reversão positiva dos números da Cagece não cabe nesse texto, pois são muitas as varáveis e as ponderações. Contudo, é inegável que a empresa está avançando.

Mas dessa história talvez a coisa mais preciosa que possamos extrair é o fato de que, quando há seriedade e compromisso, é possível obter resultados rápidos, mesmo na esfera pública.

Havendo consciência de que empresas estatais não precisam arcar com prejuízos seguidos para favorecer projetos políticos eleitorais, já estamos no rumo certo.

Por outro lado, se empresas emblemáticas para o país, como a Petrobras, forem usadas com viés que ignorem regras consagradas de mercado, estamos em marcha acelerada rumo ao descaminho. Para nossa sorte, não parece ser essa a tradição do estado do Ceará nem da Cagece.

Ainda assim, é fato que precisamos exigir mais da Cagece, buscar resultados que não reflitam apenas avanços financeiros, mas também se traduzam em eficiência operacional.

Em 2016, o número de ligações ativas de água cresceu num ritmo 40% menor do que no ano anterior. As perdas na distribuição de água continuam elevadas – e isso não é bom sinal para um Estado historicamente dependente de recursos hídricos. Claro, isso também guarda relação direta com a estiagem de cinco anos seguidos no Ceará. Mas podemos mais.

Precisamos, sem paixões, por exemplo, refletir sobre como levar serviços essenciais (água e esgoto) com maior velocidade às camadas sociais mais necessitadas. Esse é o grande desafio.

*Maia Júnior

maia.junior@seplag.ce.gov.br

Secretário do Planejamento e Gestão do Ceará.

Polícia Federal vive boom de pedidos de aposentadoria

Depois do governo Temer anunciar a Reforma da Previdência e, consequentemente, o endurecimento das regras de aposentadoria, o número de policiais federais que deu a entrada no benefício aumentou assustadoramente. A informação é da Veja Online.

Segundo dados da Federação Nacional dos Policiais Federais, de dezembro de 2016 a junho deste ano foram feitas 307 solicitações. Para se ter uma ideia do crescimento, nos anos anteriores, a média anual de pedidos girava em torno de 100.

“Estamos perdendo profissionais experientes e de setores estratégicos, comprometendo o trabalho da polícia como um todo”, diz presidente da Fenapef, Luis Boudens.

Heitor se solidariza com Danilo Forte na luta pela recuperação do comando do PSB do Ceará

O deputado estadual Heitor Férrer esteve reunido, nesta manhã de segunda-feira, 26, com o deputado federal Danilo Forte. Os dois discutiram o cenário político partidário nacional e local, principalmente a destituição de Danilo da presidência estadual do PSB por apoiar as reformas do governo Temer. O comando da legenda passou para o deputado federal Odorico Monteiro, que era presidente estadual do Pros. Heitor é do PSB e Danilo entrou com ação  no TSE para tentar recuperar o comando partidário.

“Estou inteiramente associado à luta judicial do deputado Danilo Forte, no intuito de reverter a decisão do partido que o destituiu da presidência do PSB local que construímos juntos” adisse Heitor, que é o presidente do PSB Fortaleza. Com Heitor, há um manifesto assinado por 80 presidentes do PSB nos municípios.

“Sou grato e fico feliz à solidariedade do deputado Heitor Férrer que junto chegou ao partido conosco em setembro de 2015. De lá pra cá trabalhamos para que o PSB passasse a existir no contexto local, participasse das eleições municipais, incluindo Fortaleza, onde defendemos o nome do próprio Heitor. E agora não podemos voltar atrás”, disse Danilo Forte.

(Foto – Divulgação)

FHC: Doria não mudou nada de São Paulo e só faz sucesso no celular

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso sugeriu que o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), faz mais publicidade do seu governo do que ações concretas. Durante uma palestra para convidados do Laboratório Alta, de medicina diagnostica, na capital paulista, sexta-feira últi,a FHC fez uma análise sobre políticos modernos e o uso da tecnologia, e deu a declaração à Folha de S. Paulo.

“Isso aqui está no meu bolso [celular], não está na minha alma. O mundo hoje tem isso aqui na alma. Pega qualquer um. Por que o prefeito de São Paulo está fazendo algum sucesso? Ele [se dedica] para isso o dia inteiro. Ele fez, mudou alguma coisa? Não vi. Mas aqui ele sabe”, disse. FHC, que é presidente de honra do PSDB, afirmou que o partido precisa fazer logo a escolha de quem vai concorrer às eleições de 2018.

Para FHC, essa pessoa tem que ter capacidade de dialogar com o país e as instituições. Nesse sentido, ele defendeu um movimento de centro, como registrado na França com a eleição do presidente Emmanuel Macron, cujas características são a jovialidade e pensamento liberal progressista -algo que possa ser visto em Doria.

“Não estou propondo que seja ele [o candidato], não, mas acho que precisamos mudar de geração. Para poder fazer frente a esse mundo novo, precisamos de outra cabeça, outra geração, pessoas que possam se comunicar com os mais jovens e de maneira mais atualizada.” Em Miami, nos Estados Unidos, onde participou de uma conferência de prefeitos americanos, Doria rebateu a crítica do ex-presidente.

Doria

“Respeito muito o presidente FHC, mas acho que ele está precisando sair um pouco de seu apartamento e visitar São Paulo”, disse.

Temer e Lula

Fernando Henrique criticou a decisão do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) de livrar o presidente Michel Temer da cassação da chapa junto com Dilma Rousseff, e disse que o peemedebista poderia antecipar as eleições.

FHC ainda classificou como gravíssimo a possível denúncia por corrupção da Procuradoria-Geral da República contra o presidente, envolvido nas delações da JBS, dos empresários Wesley e Joesley Batista. “Tem uma coisa que é inédita: o procurador-geral da República, baseado na Polícia Federal, se dispõe a mover uma ação contra corrupção contra o presidente da República.

“Isso nunca houve. Uma coisa gravíssima”, afirmou o ex-presidente. Ao falar do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, FHC afirmou que só o restará vencer nas urnas, caso não haja condenações na Justiça em razão dos processos movidos contra o petista. “Suponhamos que a Justiça diga que o Lula não fez nada.

Ele é candidato – o único candidato possível do PT. Só resta vencer na urna. Ou então dar golpe. Eu sou contra golpe. Só resta vencer na urna. Só que não tem jeito. Preparemo-nos para isso. Para vencer”, afirmou o ex-presidente.

(Foto – Eduardo Anizelli, da Folhapress)

Conflitos fundiários na Zona Costeira serão tema de audiência pública na Assembleia Legislativa

O deputado estadual Renato Roseno (PSOL) vai promover, a partir das 14 horas desta terça-feira, no Complexo das Comissões Técnicas da Assembleia Legislativa, uma audiência pública para discutir o tema “Conflitos Fundiários na Zona Costeira”.

Movimentos sociais, ONGs e universidades, além dos principais órgãos públicos responsáveis pela regularização e pela gestão territorial no Ceará, foram convidados para o debate.

Entre eles, o Incra e a Semace, responsáveis, respectivamente, pela demarcação das terras e pelo licenciamento dos empreendimentos imobiliários e econômicos na região.

Eunicio e Rodrigo Maia querem o fim das inserções partidárias

Uma das alternativas para preencher o fundo partidário para as eleições do próximo ano é acabar com programa dos partidos. Isso não significa que não existirá mais propaganda eleitoral. Mas aquelas propagandas veiculadas fora de ano eleitoral podem acabar sendo excluídas. A informação é da Veja Online.

Cada partido tem direito a 10 minutos de programa por ano. E várias inserções. Isso é “gratuito”. Mas o governo paga as emissoras com compensação tributária.

Caso sejam mesmo extintas, o recurso que é gasto para propaganda partidária extemporânea iria pro fundo de financiamento das campanhas. O valor deve passar de 1 bilhão de reais. A ideia é defendida pelo presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), e pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Avenida do Expedicionários – Um canteiro de lixo

Está na hora de alguém da Prefeitura de Fortaleza ir conversar com moradores e donos de pequenos comércios ao longo da Avenida dos Expedicionários, mais precisamente entre as avenidas Borges de Melo e Eduardo Girão.

Nessa área, há, por exemplo, vilas onde o carro da Ecofor não entra, no que faz muitos deixarem jogarem o lixo no canteiro central. O resultado é esta paisagem absurda, quase que diariamente.

(Foto – Paulo MOska)

Revista IstoÉ diz que Moro vai condenar Lula

O juiz federal Sergio, da 13ª Vara Federal do Paraná, vai anunciar, nos próximos dias, a sentença que condenará Lula à prisão no caso do tríplex do Guarujá. Os crimes são por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. É o que informa a revista IstoÉ traz, na edição desta semana, em sua reportagem de capa.

O ex-presidente é acusado de ter recebido o imóvel da construtora OAS como contrapartida a benefícios que a empresa obteve do governo no período em que o petista esteve no poder. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), o ex-presidente foi beneficiado com pelo menos R$ 87,6 milhões dados pela OAS, dos quais R$ 3,7 milhões foram usados por Lula no apartamento de três pavimentos.

A revista afirma ter apurado junto a integrantes da Operação Lava-Jato que o ex-presidente será condenado a até 22 anos de cadeia – 10 anos por lavagem de dinheiro e 12 por corrupção passiva. De acordo com a publicação, no cronograma de Sérgio Moro só uma etapa o separa do anúncio da condenação de Lula: a definição da pena a ser aplicada ao ex-ministro Antonio Palocci, hoje preso.

Palocci é condenado a 12 anos e 2 meses de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro na Lava Jato

317 2

O ex-ministro da Fazenda, Antonio Palocci, foi condenado a 12 anos e 2 meses de reclusão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A decisão é do juiz federal Sergio Moro, responsável pelos processos relativos à Operação Lava Jato  na primeira instância. A sentença é desta segunda-feira (26). Palocci foi preso na 35ª fase da operação, batizada de Omertà e deflagrada no dia 26 de setembro de 2016. Atualmente, está detido no Paraná. A informação é do Portal G1, que tenta contato com a defesa de Palocci.

Além de Palocci, o ex-assessor dele, Branislav Kontic, o empresário Marcelo Odebrecht e outros 11 eram réus nesta ação penal. Eles respondiam por crimes como corrupção ativa, corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O processo apurava se Palocci recebeu propina para atuar em favor do Grupo Odebrecht, entre 2006 e 2013, interferindo em decisões tomadas pelo governo federal.

Palocci é acusado de intermediar propinas pagas pela Odebrecht ao Partido dos Trabalhadores (PT). Ex-executivos da empreiteira afirmaram que o codinome “Italiano”, que aparece em uma planilha ao lado de valores, fazia referência a Palocci. Ele nega ser o “Italiano”.

Confira a lista completa dos réus e dos crimes:

Antonio Palocci – corrupção passiva e lavagem de dinheiro;
Branislav Kontic – corrupção passiva e lavagem de dinheiro;
Marcelo Odebrecht – corrupção ativa e lavagem de dinheiro;
Fernando Migliaccio da Silva – lavagem de dinheiro;
Hilberto Mascarenhas Alves da Silva Filho – lavagem de dinheiro;
Luiz Eduardo da Rocha – lavagem de dinheiro;
Olivio Rodrigues Junior – lavagem de dinheiro;
Marcelo Rodrigues – lavagem de dinheiro;
Mônica Moura – lavagem de dinheiro e corrupção passiva;
João Santana – lavagem de dinheiro e corrupção passiva;
João Vaccari Neto – corrupção passiva;
João Ferraz – corrupção passiva;
Eduardo Musa – corrupção passiva;
Renato Duque – corrupção passiva.

Nas alegações finais, os advogados de Antonio Palocci apontaram inconsistências nas delações de ex-executivos da Odebrecht e pediram a absolvição do ex-ministro. O Ministério Público Federal reforçou, nas alegações finais, o pedido de condenação de Palocci e dos outros réus.

Perdão ao empresário Joesley Batista é reprovado por população

Para 81% dos brasileiros, os empresários Joesley e Wesley Batista, donos do grupo JBS, deveriam ter sido presos pelos crimes que cometeram nos últimos anos, segundo pesquisa Datafolha publicada sábado. Os dois obtiveram imunidade penal ao fazer acordo de delação premiada com a Procuradoria Geral da República.

A mesma pesquisa mostra que 83% da população considera que o presidente Michel Temer teve participação direta “nos esquemas de corrupção descobertos pela Lava Jato com a gravação dos donos do JBS”. O Datafolha ouviu 2.771 entrevistados em todo o País entre os dias 21 a 23 de junho. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos.

Joesley gravou uma conversa que teve com Temer em Março, no Palácio do Jaburu. Na ocasião, Joesley indicou que fazia pagamentos ao deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e ao corretor Lúcio Funaro para evitar que os dois assinassem um acordo de colaboração com a Lava Jato.

No diálogo, Joesley diz ter zerado “pendências” com Cunha a fim de manter bom relacionamento com o deputado cassado. Temer, neste momento, responde: “Tem que manter isso, viu?”. Joesley acrescenta: “Todo mês”.

Heloísa Helena agenda visita ao Ceará

Da Coluna Vertical, do O POVO desta segunda-feira:

A Rede Sustentabilidade do Ceará vai promover no dia 8 de julho, às 9 horas, no auditório da Assembleia Legislativa, uma plenária estadual para reunir todos os militantes e simpatizantes.Hora de debater a organização partidária nas esferas nacional, estadual e municipal.

O evento contará com a participação dos coordenadores nacionais de organização da Executiva Nacional da Rede, Heloísa Helena (ex-senadora) e Tácius Fernandes.
Também serão abordados os desafios da Rede diante da crise vivenciada pela política nacional. O ato promete.

Heloísa Helena, que disputou a presidência em 2006, dizia naquela época que Lula chefiava uma quadrilha de “gangster” capaz de “roubar, matar, caluniar e liquidar com qualquer um que ameace seu projeto de poder”. Será que repetiria isso hoje?

(Foto – Fábio Rodrigues Pozzebom)

Câmara Municipal debate nesta segunda-feira a qualidade na atenção básica de Fortaleza

A aplicação dos recursos oriundos do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ-AB) é o tema da audiência pública, nesta segunda-feira (26), a partir das 14 horas, no auditório da Câmara Municipal de Fortaleza, no bairro Luciano Cavalcante.

O requerimento é de autoria do presidente do Legislativo de Fortaleza, Salmito Filho (PDT).

Denúncia da PGR – Líderes vêem risco para Temer

Líderes da base aliada de Michel Temer na Câmara dizem não ser possível assegurar a rejeição da denúncia que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, deve apresentar até terça, 27, contra o presidente da República. Mesmo com uma coalizão estimada em 400 deputados, parlamentares ponderam que teor da acusação e seus desdobramentos podem influenciar o posicionamento dos congressistas, aumentando o risco de Temer sofrer um revés.

A denúncia é apresentada no STF e depois encaminhada para a Câmara, onde tramita primeiro na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) antes de seguir para o plenário. São necessários os votos de 172 dos 513 deputados para derrubá-la. Se aprovada por no mínimo 2/3 da Casa, retorna ao Supremo.

Caso a Corte aceite a acusação, o presidente se afasta do cargo por 180 dias.

Para Baleia Rossi (SP), líder do PMDB, partido de Temer e que tem a maior bancada da Casa, com 64 deputados, o governo não pode se descuidar. “No Parlamento nada é automático. Vai ter que trabalhar. Cada líder da base vai ter que trabalhar sua bancada. Vai ter que ter convencimento. Não dá para achar que está tudo resolvido”, disse.

(Agência Estado)