Blog do Eliomar

Categorias para Política

Ricardo Alcântara deixa a pré-campanha de Capitão Wagner

189 3

Com mais de 30 anos de experiência em eleições, o publicitário Ricardo Alcântara, historicamente ligado ao ex-governador e atual presidente estadual do PR, Lúcio Alcântara, deixou a coordenação do marketing da pré-campanha de Capitão Wagner, à Prefeitura de Fortaleza.

Segundo o Blog apurou, as principais razões que motivaram a saída do marqueteiro da pré-campanha foram a falta de profissionalismo, a desorganização e a ausência de um sólido programa de governo.

O Blog apurou ainda que Ricardo Alcântara buscava promover uma maior aproximação com o PSDB de Tasso Jereissati, principal partido aliado de Capitão Wagner, com o intuito de colocar mais profissionalismo e experiência dentro da equipe da campanha. Mas o grupo de Wagner não estaria aceitando a maior participação dos tucanos, o que estaria dificultando ainda mais o trabalho de Alcântara.

Em seu site pessoal, Ricardo Alcântara revela que deu início a sua carreira como marqueteiro em 1985. O publicitário fez parte de equipes de campanhas para Prefeito, Senador e Governador em mais de três estados. Somente no Ceará foram sete campanhas.

Mais acesso aos cursos de Medicina

79 1

Em artigo publicado em sua página no Facebook, o médico e deputado federal Odorico Monteiro (Pros-CE) destaca a interiorização dos cursos de Medicina. Confira:

Vivemos na era do conhecimento. A sociedade agrária do Século XVII e a industrial do Século XVIII evoluíram para a informação. O Ceará segue essa tendência com a interiorização do ensino superior. Consolidar centros universitários nos municípios é investir em um desenvolvimento regional qualificado e sustentável. Desde o movimento estudantil, e ao longo de trinta anos de vida profissional, sempre defendi que educação e trabalho precisam caminhar lado a lado. Na área da saúde então, a integração ensino-serviço é fundamental. Esse conceito foi amplamente fortalecido no Programa Mais Médicos. Como deputado federal, uma das prioridades do nosso mandato é viabilizar a chegada do ensino superior aos municípios. A medida, anunciada pelo então ministro da Educação Aloízio Mercadante, autorizando o curso de Medicina em Quixadá, Russas, Crateús, Iguatu, Itapipoca, Crato e Quixeramobim é, portanto, um passo importante nessa luta.

A etapa seguinte é habilitar as instituições e, como são faculdades privadas, realizar uma chamada pública para identificar quais instituições vão se habilitar a receber aquele curso. Nesse cenário, o Estado planeja, autoriza, acompanha e fiscaliza desde a estrutura física, corpo docente até os currículos.

A Faculdade de Medicina em Quixadá, por exemplo, vai consolidar a vocação universitária do Sertão Central na área da saúde, visto que já existem vários outros cursos lá. Em Itapipoca, onde há cursos universitários voltados à formação de profissionais para trabalhar no Complexo Portuário do Pecém e Siderúrgica, a chegada da Faculdade de Medicina vai abrir uma nova área do saber. E assim, as instalações dessas faculdades vão criando novas perspectivas de aprendizado para a juventude, ao mesmo tempo em que aquecem a economia dos municípios.

Importante lembrar que esta ação faz parte do Programa Mais Médicos, hoje, uma Lei que determina medidas fundamentais como a expansão dos cursos de Medicina para que, em 2026, tenhamos a relação de 2,8 médicos por mil habitantes, a mesma do Reino Unido. Outra meta é que até 2018 esteja universalizada a Residência Médica no Brasil. Pela Lei, os estudantes terão contato com o Programa Saúde da Família durante dois anos e depois seguirão suas especialidades, o detalhe é que essa oferta é regulada pelo Estado, segundo as necessidades da população.

Por tudo isso é que entrei com o Projeto de Lei 1646/15 para que seja criado o Plano Decenal da Saúde, tal como acontece com a educação. O objetivo é proteger a saúde de instabilidades. É preciso ter uma espinha dorsal da saúde, acompanhada pelo Legislativo e também pelo controle social, para que as políticas de estado na saúde não mudem ao sabor do governo. Ações como o Mais Médicos, que fortalecem a universalidade do SUS ao garantir atendimento a 63 milhões de brasileiros e acesso a milhares de jovens que sonham em cursar Medicina, precisam seguir seu rumo com financiamento e suporte do estado brasileiro! com participação e apoio popular!

Capitão Wagner vai de ‘anavan’ em festa apoiada pela Prefeitura

foto capitão wagner 160625 são joão

O pré-candidato à Prefeitura de Fortaleza pelo PR, Capitão Wagner, participou na noite desse sábado (25) do Arraiá do Jardim América, que recebe o apoio da gestão Roberto Cláudio, por meio da Regional IV. Por ter “ajudado” na realização do evento, o pré-candidato foi, inclusive, homenageado com placa de mérito.

O organizador do arraial, Márcio Martins, foi o autor da homenagem. Ele é filiado ao PR e pré-candidato do partido à Câmara Municipal de Fortaleza.

O festival será encerrado neste domingo (26), na pracinha do Jardim América.

Prefeitura sorteia 4.380 moradias nesta segunda-feira

O prefeito Roberto Cláudio sorteia nesta segunda-feira (27), a partir das 10 horas, no plenário da Câmara Municipal de Fortaleza, 4.380 novas unidades do programa Minha Casa, Minha Vida. Segundo a Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional de Fortaleza (Habitafor), serão 1.892 unidades na segunda etapa do Alameda das Palmeiras e 2.488 no Conjunto Cidade Jardim II, no bairro Conjunto José Walter.

O sorteio será acompanhado por representantes dos Ministérios Públicos Estadual e Federal, Defensoria Pública, OAB-CE, Ministério das Cidades, Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e entidades do movimento por moradia.

A Prefeitura apela que os candidatos ao sorteio não se dirijam à Câmara Municipal de Fortaleza, pois, além da fiscalização dos órgãos responsáveis, o sorteio terá transmissão ao vivo pela TV Fortaleza, TV Ceará (canal 5), FM Fortaleza e ainda pelo portal da própria Prefeitura.

Turquia critica Papa por comentários sobre genocídio armênio

As declarações do papa Francisco durante sua visita à Armênia, que definiu como “genocídio” o massacre dos armênios em 1915, foram classificadas pelo vice-premier da Turquia, Nurettin Canikli, como “lamentáveis”. Ele disse ainda que a fala indica a persistência da “mentalidade das Cruzadas”.

“Não é um ponto de vista objetivo, que corresponda com a realidade”, acrescentou. “É possível observar todas as marcas e reflexões características da mentalidade das Cruzadas nas atividades do Papa”, concluiu.

O porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, respondeu dizendo que o Papa “não faz cruzadas”. “Se escutarmos ele, veremos que não há nada que evoque um espírito de cruzada. Sua vontade é construir pontes, ao invés de muros. Sua intenção real é construir as bases para a paz e a reconciliação”, disse, em coletiva de imprensa. “Francisco rezou pela reconciliação de todos, não pronunciou nenhuma palavra contra o povo turco”, acrescentou o representante católico.

(Agência Brasil)

O charivari de Temer

55 4

Em artigo no O POVO deste domingo (26), o psicanalista Valton de Miranda Leitão afirma que o Brasil vive a mais grave crise ética da sua história republicana. Confira:

O Brasil está mergulhado, ouso dizer, na mais grave crise ética da sua história desde a proclamação da República. O golpe militar de 1964 iniciou essa deformação ética ao institucionalizar a tortura e atentar sistematicamente contra os direitos do homem.

Isso está magistralmente registrado na excelente exposição histórico-crítica do jornalista Elio Gaspari, sobre a ditadura militar. O golpe praticado então foi escancaradamente apoiado pelos EUA, tanto militar quanto financeiramente.

Marx diz que a história se repete como tragédia e/ou farsa, mas vivemos hoje uma brutal tragicomédia. Quando em 1973 o mais hediondo dos carrascos latino-americanos, Augusto Pinochet, ditador chileno que derrubara o governo democraticamente eleito de Salvador Allende, fez visita de Estado ao Brasil, ainda no governo Médice, o deputado Francisco Pinto fez um discurso repudiando essa presença abjeta.

O STF por solicitação da ditadura encarcerou-o imediatamente. O judiciário não somente convalidou os atos institucionais, mas assumiu o conteúdo antiético da ditadura em toda sua extensão.

O “milagre econômico brasileiro”, que vigorou até o início do governo do general Ernesto Geisel em 1974, acabou quando os produtores árabes de petróleo fundaram a OPEP e subiram assustadoramente o preço dos combustíveis. Isso obrigou os parceiros Geisel e Golbery, o sacerdote e o bruxo, conforme Gaspari, a programarem a distensão “gradual e progressiva” que levou à redemocratização e a construção da Constituição de 1988, capitaneada pelo deputado do (P)MDB, Ulisses Guimarães, extraordinário político e homem público, líder máximo do então MDB.

O PMDB desde então vem se tornando progressivamente o charco lamacento, cujo presidente, agora na presidência interina do País, não chega nem ao dedo mínimo do pé esquerdo do grande Ulisses, para ficar somente na comparação anatômica, pois a mental é muito pior.

O golpe atual midiático, congressual, judicial e fiespiano têm os mesmos ingredientes básicos daquele de 64, embora seu fiador seja a combinação Congresso-Judiciário, pois os EUA, que de 2000 a 2014 tinham patrocinado quase 200 golpes militares no mundo, decidiram fazê-lo por outro caminho, aparentemente mais brando, como no Paraguai e em Honduras. Somente os tolos que se enganam com banana e bolo acreditam que o objetivo desta incrível arquitetura, onde se misturam o econômico, o teológico-pentecostal e a canalhice, seja o combate à corrupção.

Os dois únicos ministros que interessam ao mercado capitaneado pelos EUA são José Serra e Henrique Meireles, visando redirecionar a agenda, privilegiando o grande dinheiro e desmantelando ganhos sociais e trabalhistas alcançados pelo povo brasileiro durante os governos Lula e Dilma.

O mau cheiro desta porcalhada está espalhado pelo mundo e nenhum representante brasileiro do charivari de Temer consegue falar em assembleias internacionais sem ser vaiado, chamado de golpista e entreguista dos recursos minerais e petrolíferos brasileiros.

Escócia pode impedir Brexit, diz primeira-ministra

Edimburgo pode vetar a saída do Reino Unido da União Europeia (UE), declarou Nicola Sturgeon, a primeira-ministra da Escócia, em uma entrevista à BBC. De acordo com a primeira-ministra, isso é possível porque, apesar de 51,9% dos cidadãos britânicos terem se manifestado a favor da saída da UE no referendo do dia 23 de junho, 62% dos escoceses votaram contra a ruptura das relações.

Sturgeon acrescentou que planeja iniciar nos próximos dias as negociações diretas com Bruxelas para defender os interesses da Escócia. No referendo do dia 23 de junho no Reino Unido, 51,9% dos eleitores se pronunciaram a favor de abandonar a União Europeia.

No entanto, tanto a Escócia (62%) como a Irlanda do Norte (55%) votaram a favor de permanecer no bloco europeu. No sábado, Sturgeon declarou que o governo da Escócia redigirá um projeto de lei para preparar um outro referendo sobre a independência.

(Agência Brasil)

Camilo: comedido, mas pragmático

84 1

foto camilo governo ceará

Da Coluna Fábio Campos, no O POVO deste domingo (26):

A entrevista com o governador Camilo Santana, no Jogo Político que vai ao ar na noite deste domingo, é rica em sinalizações políticas e econômicas. Já largamente explorado no noticiário político do O POVO, que antecipou a informação na edição de quinta-feira passada, o governador praticamente anuncia sua intenção de apoiar a reeleição de Roberto Cláudio (PDT) em Fortaleza.

Em seu estilo comedido, Santana deixa transparecer que não pretende assumir uma posição neutra na disputa da Capital. “Todos sabem de minha relação com o prefeito Roberto Cláudio. Temos tido grandes parcerias”, disse após declarar que se engajará nas próximas eleições. O governador não disse como o fará. Afinal, a legislação eleitoral impõe limites para um filiado apoiar a candidatura de outro partido.

O fato é que se esvaem as esperanças do PT de Fortaleza que vem trabalhando para que o governador, pelo menos, não se engaje na disputa. “Eu pedi mais diálogo”, “defendi no partido que o anuncio da candidatura própria fosse adiado”. O governador não usou o termo, mas deixou claro que se sentiu atropelado pela decisão do partido de lançar a candidatura de Luizianne Lins.

Acerca da relação com o Governo Federal, Santana conta que não chegou a telefonar para o presidente Michel Temer por ocasião de sua chegada ao Palácio do Planalto. Porém, já pediu uma audiência com o presidente. A pauta: recursos para as obras relacionadas à segurança hídrica. Ainda não houve uma resposta de Brasília. “Até o momento não senti nenhuma reação negativa por parte do Governo Federal”, disse.

Ao ser perguntado se possuía algum intermediário para facilitar o fluxo de interesses do Ceará junto ao Palácio do Planalto, o governador respondeu o seguinte: “Tenho procurado a bancada de (parlamentares) federais, inclusive o senador Tasso Jereissati. Temos conversado muito sobre essas questões. Já vínhamos conversando desde o início do meu governo. (O senador) Tem sido sempre muito atencioso com o Ceará e com Governo”.

Portanto, numa leitura livre, o resumo da ópera política do governador Camilo Santana é o seguinte: vai apoiar a candidatura de Roberto Cláudio em Fortaleza, conta com a mediação política de Tasso Jereissati em Brasília e não tem nenhuma intenção de estimular discursos e campanhas contra o presidente interino, que para o PT é um “golpista” e, para seus aliados Cid e Ciro Gomes, é “chefe de uma quadrilha”.

Cid Gomes prestigia entrega da requalificação da Travessa Crato

89 1

foto rc e salmito e cid e falcão 160626

O ex-governador Cid Gomes participou na manhã deste domingo (26) da entrega das obras de requalificação da Travessa Crato, no Centro de Fortaleza. O prefeito Roberto Cláudio (PDT) inaugurou a padronização das marquises das lojas, os pequenos jardins no entorno das árvores, a nova iluminação com a inclusão de mais 14 postes, além dos novos bancos, lixeiras e pintura nas fachadas dos estabelecimentos comerciais, entre esses o tradicional Raimundo do Queijo.

Além do ex-governador Cid Gomes, Roberto Cláudio também esteve acompanhado do presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Salmito Filho (PDT), e do humorista Falcão, frequentador do lugar.

Prisão de Bernardo serviria para retirar o foco do governo Temer

95 2

Da Coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (26):

A Operação Lava Jato volta a focar o PT – com a prisão do ex-ministro das Comunicações Paulo Bernardo. A iniciativa é vista como uma operação de diversionismo tosco para retirar o foco do governo Temer, acossado por denúncias de toda ordem.

A virada ocorreu, coincidentemente, após a visita do ministro da Justiça à “República do Paraná”. Como sempre, foi acionada a poderosa máquina de produção de realidade virtual.

O sistema recorreu a um velho truque: recolocou a Lava Jato nos trilhos (pois tinha saído da bitola quando começou a atropelar intocáveis do sistema), voltando a priorizar o PT, com o maior estardalhaço possível (policiais fardados foram colocados ostensivamente na entrada da sede do PT, em São Paulo – sem necessidade -, como se estivessem numa operação de guerra contra alguma brigada terrorista, numa encenação primária). Sem esquecer – é claro – a destruição prévia de reputações.

Se alguém for inocente, “Inês já estará morta” quando a verdade for restabelecida.

Vicente Pinzón – Roberto Cláudio e Camilo inauguram a Praça da Conquista

foto RC e camilo 160625 vpinzón

“Esse é um caminho definitivo para prevenir a violência. Foi assim que grandes cidades puderam reduzir os índices de violência: sempre com o braço forte da lei, da Polícia, mas com o outro braço social, integrador e comunitário das políticas sociais”.

A observação é do prefeito Roberto Cláudio (PDT), na noite desse sábado (25), no bairro Vicente Pinzón, durante a inauguração da Praça da Conquista, que em mais de 100 metros quadrados conta com uma academia ao ar livre, playground, quadra poliesportiva, pista de skate, acessibilidade, mesas com tabuleiros para xadrez e damas, lixeiras de coleta seletiva e iluminação branca.

Ao lado do prefeito Roberto Cláudio, o governador Camilo Santana, que destacou a sintonia entre as duas administrações (Estado e Município). “Quando Prefeitura, Governo do Estado e comunidade se unem, os resultados acontecem. As pessoas querem ter espaço, e não tenho dúvidas que esse é o grande caminho: dialogando com a comunidade, acolhendo a comunidade, ouvindo a comunidade”, disse.

Fiec parabeniza senador Tasso por parecer na transparência das estatais

foto tasso homenagem fiec

A Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec) destacou em publicações a iniciativa do senador cearense Tasso Jereissati (PSDB), que resgatou na condição de relator o texto original do projeto de Lei de Responsabilidade das Estatais, ao proibir a nomeação de dirigentes ligados a partidos políticos ou sindicatos para cargos de direção e para os conselhos de administração das estatais.

Aprovado esta semana no Senado, o projeto havia sofrido alterações na Câmara dos Deputados que afetariam a transparência da gestão e dos gastos dos recursos públicos nas estatais.

Para Tasso, “a regra é evitar as práticas de corrupção identificadas pela operação Lava-Jato”.

Papa Francisco visita memorial do genocídio na Armênia

O papa Francisco visitou neste sábado (25), no segundo dia de viagem à Armênia, o Memorial do Genocídio, localizado em Tzitzernakaberd. No local, o pontíficie afirmou que este momento da história deve ser lembrado para que outros episódios semelhantes não se repitam.

“A memória é uma fonte de paz e de futuro. Aqui rezo, com dor no coração, para que nunca mais existam tragédias como essa, para que a humanidade não se esqueça e saiba vencer o mal com o bem. Que Deus conceda ao amado povo armênio e ao mundo inteiro a paz e a consolação. Que Deus guarde a memória do povo armênio”, disse.

O líder católico visitou o local, ao lado da máxima autoridade da Igreja Apostólica da Armênia, Karekin II, e pelo presidente do país, Serzh Sargsyan. Francisco colocou uma coroa de flores na frente do monumento, onde um grupo de crianças levava cartazes com os nomes dos mortos de 1915. Ele também se encontrou com descendentes dos sobreviventes que foram alojados em Castel Gandolfo, residência papal, pelo pontífice Bento XV.

No primeiro dia da viagem ao país, Francisco destacou a palavra “genocídio” em seu discurso na capital Erevan, dentro do Palácio Presidencial, para se referir ao extermínio de 1,5 milhão de armênios pelo Império Otomano há um século, mesmo sabendo que o vocábulo poderia desencadear um mal-estar diplomático com a Turquia, como já ocorreu no ano passado.

A Santa Sé não previa o termo “genocídio” nos discursos de Francisco, porém o líder católico não quis renunciar à palavra diante das autoridades armênias.

(Agência Brasil)

Plebiscito britânico: vitória do exclusivismo

Editorial do O POVO deste sábado (25) afirma que a saída do Reino Unido da União Europeia trará consequências no continente, com reflexos na correlação internacional. Confira:

A saída do Reino Unido da União Europeia (UE) foi consagrada pelo plebiscito realizado na quinta-feira (23). O resultado foi apertado (51,9% a 48,1%), o que indica a divisão da sociedade britânica em relação ao assunto. As consequências internas e externas da decisão afetarão os dois lados – britânicos e europeus – com reflexos na correlação internacional.

Do ponto de vista interno, da Inglaterra, os efeitos políticos já se traduzem na renúncia do primeiro-ministro David Cameron, que se concretizará até outubro próximo. Já na União Europeia, o choque é ainda maior, pois nunca um país deixou o bloco, desde sua constituição em 1973, quando ainda se chamava Comunidade Econômica Europeia. Esperam-se negociações duras e complexas, pois a UE não deixará por barato o desfalque de um membro tão importante. Ainda tentará convencer os britânicos a não cortar todos os laços. Por sua parte, o Reino Unido necessita manter um pé no mercado europeu.

O fato é que se trinca – de uma forma quase irreparável -, o sonho de uma Europa sem fronteiras, por onde transitariam livremente pessoas, bens e serviços prodigalizando uma cidadania e uma identidade comuns. Tudo reunido num modelo de sociedade baseada nos princípios democráticos, no respeito aos direitos humanos e à ideia de democracia social, configurada no Estado de Bem-Estar Social.

Alternativa bem diferente do individualismo crasso da sociedade liberal de estilo americano. Infelizmente, essa ideia generosa já vinha sendo comprometida, desde há muito, pela voracidade da crise econômico-financeira que culminou em 2008, e do seu enfrentamento por meio do monetarismo ortodoxo, desmantelando os fundamentos sobre os quais se ergue o ideal europeu de sociedade.

A saída do Reino Unido, presumivelmente, dará fôlego aos movimentos separatistas, não apenas na Europa, mas na própria Grã-Bretanha. A Escócia, por exemplo, votou em peso (66%) pela permanência na UE. O mesmo acontecendo com a Irlanda do Norte, (56% pela permanência). Essa frustração, sem dúvida alguma, não passará despercebida pelos movimentos independentistas locais.

O fato mais lamentável é que a vitória do exclusivismo nacional britânico tende a suscitar preconceitos de toda ordem contra os defensores de referenciais mais universalistas.

Salmito e Evaldo Lima dão aula na Academia Enem

foto salmito 160625 academia enem

O sociólogo e professor da UFC, Salmito Filho, e o professor de História, Evaldo Lima, foram as atrações na tarde deste sábado (25), no ginásio Paulo Sarasate, durante o curso preparatório da Academia Enem, ofertado pela Prefeitura de Fortaleza, por meio da Coordenadoria da Juventude.

Os dois professores, ambos vereadores, falaram sobre política e atualidades e tiraramn dúvidas dos estudantes que prestarão o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Academia Enem é gratuita e atende a jovens estudantes, em especial os da rede pública de ensino. Este ano, o projeto mais de três mil alunos.

Polícia Civil indicia 14 pessoas pela queda de ciclovia no Rio

foto ciclovia rio

A Polícia Civil do Rio indiciou 14 pessoas pela queda de trecho da Ciclovia Tim Maia, na Avenida Niemeyer, no dia 21 de abril. O acidente deixou duas pessoas mortas, Eduardo Marinho Albuquerque de 54 anos, e Ronaldo Severino da Silva, de 60 anos.

No inquérito conduzido pelo delegado José Alberto Lage, titular da 15ª Delegacia de Polícia, foram ouvidas 27 pessoas, entre testemunhas e envolvidas no caso. Segundo a polícia, nas provas do inquérito há informações de engenheiros responsáveis pela obra reconhecendo que o projeto deveria conter um estudo prévio do regime das marés e de que havia a necessidade de um plano de contingência que considerasse a instabilidade das marés.

“Verificou-se que não foi cogitada a incidência de ondas nos tabuleiros da ciclovia, não tendo havido uma reunião para o estudo dessa incidência. A solução construtiva revelou-se frágil na fixação dos tabuleiros”, ressaltou a polícia em nota à imprensa.

No inquérito foram ouvidos especialistas em engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que produziram um relatório apontando que as ondas que atingiram a ciclovia são raras, mas não inéditas. De acordo com as informações creditadas pela polícia ao relatório da UFRJ, conclui-se que não se tratou de uma ressaca extrema, “eventos que ocorrem em intervalos de 40 a 50 anos, de acordo com o levantamento feito por meio de notícias de jornal de 1850 até 2010”.

Por fim, o inquérito aponta negligência dos envolvidos, pela inobservância de cuidados na realização dos projetos básico, executor e fiscalizador da obra.

(Agência Brasil)

Outras interrogações sobre a eleição

Da Coluna Política, no O POVO deste sábado (25), pelo jornalista Érico Firmo:

A coluna do sábado passado tratou de cinco grandes interrogações diversas sobre a eleição para prefeito de Fortaleza. Sobretudo, relacionadas a personagens e grupos políticos.

A interrogação número dois já começou a ser respondida. Diz respeito à posição de Camilo Santana (PT). “O governador apoia Roberto Cláudio (PDT)”, escrevi há uma semana. “Camilo irá se envolver explicitamente na campanha na Capital? Como tratará a candidatura petista? Que apoio dará a Roberto Cláudio?”, indagava. Na entrevista a Fábio Campos, no programa Jogo Político, ele não poderia ser mais claro. Terá candidato, sim. E tomará sua posição independentemente do partido. Leia mais sobre a entrevista neste link: http://bit.ly/camiloPT

Outras dúvidas, porém, permanecem. Para além de nomes, envolvem aspectos simbólicos e assuntos que estarão presentes na discussão.

  1. O PESO DO DISCURSO POLICIALESCO

O discurso sobre segurança pública tornou-se bastante intenso nas eleições em Fortaleza, sobretudo desde 2000. Naquele ano, Moroni Torgan (DEM) foi uma das surpresas da eleição, com forte apelo devido ao histórico policial. Dois anos depois, o Delegado Cavalcante bateu recorde de votação para deputado estadual. Em 2004, foi indicado candidato a vice de Antonio Cambraia, ambos pelo PSDB. Em alguns momentos, foi tido como mais popular que o próprio cabeça de chapa. No final das contas, terminaram em quarto lugar. Moroni foi o segundo, depois de ter liderado o primeiro turno. Repetiu o desempenho em 2008. No intervalo, em 2006, disputou o Senado e perdeu para Inácio Arruda (PCdoB). Em 2012, Moroni foi quarto.

Capitão Wagner (PR) é o mais recente fenômeno eleitoral a despontar. Bateu recorde de votação para vereador em 2012e para deputado estadual em 2014. Ele tem perfil diferente do de Moroni. Defende interesses corporativos, sim. Mas evita se vincular apenas à área de segurança. E procura não reduzir a criminalidade a problema de falta de policiamento. Tem fala mansa e tranquila, diferente do estilo agitado e de murro na mesa de Moroni. É diferente do perfil clássico da “bancada da bala”.

Mas, ainda assim, é egresso do aparelho de segurança. O perfil tem feito sucesso em eleições legislativas, mas coleciona insucessos nas disputas majoritárias. A rejeição, no fim das contas, até hoje foi maior que a enorme aprovação. Veremos se a tendência irá se manter ou se o estilo Wagner se revelará mais palatável.

  1. O DESTINO DO “VOTO REBELDE”

De uma forma ou de outra, costuma se manifestar algum grau de rebeldia, contestação, ousadia no voto do fortalezense. A busca por algo diferente, fora do previsível, seja à direita ou à esquerda. Maria Luiza Fontenele em 1985 e Luizianne Lins, em 2004, foram exemplos mais emblemáticos. Mas não os únicos. Em 1988, Edson Silva teve votação estrondosa, embalado pelo movimento “Fortaleza sim, Cambeba não”, embora tenha saído derrotado por diferença ínfima. Ao longo da década de 1990, Juraci Magalhães dominou a Capital ajudado pela rejeição ao PSDB, que comandava o Estado. Em 2000, Inácio Arruda perdeu, mas teve enorme votação. Em 2012, Heitor Férrer (PSB) quase deixou Roberto Cláudio fora do segundo turno. E Renato Roseno (Psol) teve votação bastante expressiva.

Esse voto muitas vezes não foi vitorioso. Mas quase sempre se manifesta e interfere no rumo da eleição. Para onde esse eleitor irá? Heitor? Roseno? Conseguirá Wagner atraí-lo? Voltará a Luizianne? Irá se diluir?

  1. FATOR LAVA JATO

A Lava Jato, o impeachment de Dilma Rousseff (PT), a crise nacional serão fatores certamente determinantes. Estimularão discurso de ética, combate à corrupção. Afetarão atores estratégicos. Como mexerão com a disputa em Fortaleza é difícil saber. Que vão mexer, isso é certo.

Luizianne não pode cobrar nada de Camilo

foto-camilo-santana-e-luizianne

Em artigo no O POVO deste sábado (25), o jornalista Carlos Mazza comenta da relação entre Camilo Santana e Luizianne Lins em processos eleitorais. Confira:

O leitor pode encontrar muito o que criticar na atuação política de Camilo Santana, mas uma coisa precisa admitir: o governador nunca foi “quinta coluna” dentro de seu partido. Mesmo não sendo o mais empolgado dos militantes petistas, o pupilo de Cid Gomes manteve respeito pelas decisões do PT cearense mesmo quando isso contrariava desejo de seu “padrinho”.

Em 2012, Camilo foi o pré-candidato à Prefeitura com maior perspectiva de unir a então prefeita Luizianne Lins e o então governador Cid. Preterido pela grande influência da prefeita na executiva municipal da sigla, Camilo não escondeu o pouco entusiasmo em contrariar seu chefe – o petista era secretário de Estado à época – e lançar Elmano de Freitas ao cargo.

Uma vez batido o martelo pela candidatura do colega, no entanto, Camilo silenciou críticas e atuou – ainda que timidamente, verdade – a favor do colega. Lembro-me de, em pelo menos duas situações, ter entrevistado Camilo, então deputado estadual, na Assembleia. Em ambas, recebi rebatidas impacientes ao sugerir pouco empenho seu na campanha do correligionário.

Quando Lula veio a Fortaleza para comício de Elmano, na reta final da campanha e ápice do acirramento, Camilo subiu ao palanque. Outro opositor do rompimento com Cid em 2012, o deputado José Guimarães também engoliu o choro e caiu na campanha. No 2º turno, quando Luizianne e seu candidato foram vaiados por uma multidão “amarela” enquanto votavam, o deputado ao seu lado.

Já em 2014, quando Camilo disputou o governo, a ex-prefeita teve atitude bem oposta. Indisposta em ajudar seu algoz de dois anos antes, Luizianne não deu as caras na campanha ou palanque do correligionário. Na época, deputados que saíram em chapa com ela ou de grande proximidade, incluindo Eudes Xavier e sua própria mãe, Luiza Lins, omitiram nome de Camilo ou apoiaram abertamente o opositor Eunício Oliveira.

Claro que nenhum desses candidatos era a própria petista, mas não pegou bem. Ao se omitir, perdeu a chance de fazer um gesto de grandeza. Ela não está necessariamente errada: seria no mínimo estranho se, em 2014, ela apoiasse abertamente o grupo político dos Ferreira Gomes, que passou os últimos anos tentando “anular” sua gestão de oito anos em Fortaleza.

Ainda assim, agora pré-candidata, Luizianne não tem moral para cobrar nada de Camilo. E sabe disso. Por isso, até agora tem dito que deixará o governador “à vontade”. Dificilmente isso irá mudar.

Vereadores aumentam pressão sobre Eunício por candidatura própria

foto eunício e valim

Vereadores do PMDB de Fortaleza ampliaram pressão sobre Eunício Oliveira (PMDB) por uma candidatura própria do partido em Fortaleza. Segundo o líder da legenda na Câmara Municipal, vereador Casimiro Neto, reunião mais recente da executiva municipal da sigla aprovou documento que reforça interesse por entrar na disputa deste ano.

O PMDB, que conta hoje com quatro vereadores em Fortaleza, ainda discute se terá candidato ou se dará apoio a Capitão Wagner (PR). O maior interesse dos vereadores é pelos chamados votos de legenda – dados direto ao número do partido na urna – que um candidato à Prefeitura traria à sigla, ajudando na eleição de vereadores.

“O Roberto Cláudio, por exemplo, trouxe quase 30 mil votos para a legenda do partido dele em 2012, então isso por si só já dá o quociente de um vereador. No contexto de eleição disputada, e com bons candidatos como os que temos, ajudaria muito”, diz Casimiro Neto.

O líder do PMDB afirma que deverá se reunir com Eunício Oliveira nos próximos dias para saber se já existem novos encaminhamentos sobre o assunto. “Os outros partidos já estão na rua, então é bom ter uma definição”, diz.

Pré-candidatos

O vereador Vaidon destaca que o partido possui bons nomes para a disputa, como o do deputado federal Vitor Valim, ou do vice-prefeito de Fortaleza, Gaudêncio Lucena. Além dele e de Casimiro, completam a bancada do PMDB as vereadoras Magaly Marques e Tamara Holanda.

Apesar de esperar que o senador se sensibilize com o pedido dos vereadores, Casimiro admite que a decisão ficará, ao final de contas, nas mãos de Eunício. “Ele é o líder”, destaca. Já para a chapa de vereador, Casimiro afirma que a legenda está “bem avançada”, com cerca de 60 pré-candidatos a vereador.

Na Assembleia Legislativa, questão da candidatura própria tem dividido bancada do PMDB na Casa. Nos bastidores, no entanto o sentimento da maioria é por um candidato próprio, apesar da indefinição de Eunício Oliveira.

Outros parlamentares explicam que a demora é decorrente do cenário nacional. Desdobramentos da crise em Brasília, afirmam, devem influenciar na escolha de apoiar um nome ou lançar concorrente.

O POVO tentou entrar em contato com Eunício Oliveira durante o dia de ontem, mas não obteve resposta. Um das principais causas da indefinição, Capitão Wagner já recebeu, no início deste mês, apoio oficial do PSDB de Tasso Jereissati no Ceará.

No dia em que anunciou oficialmente apoio a Wagner, o PSDB abriu mão de necessariamente indicar o vice. O gesto abre espaço para nome um peemedebista na chapa.

(O POVO)

Mais de 500 mil pessoas pedem segundo referendo na Grã-Bretanha

Mais de 500 mil pessoas assinaram um documento pedindo a realização de mais um referendo sobre a saída da Grã-Bretanha da União Europeia (UE).

O texto foi publicado no site do Parlamento da Grã-Bretanha. Segundo os últimos dados, o documento já foi assinado por 516 mil pessoas. Para ser apreciada pelo Parlamento, uma petição deve ter pelo menos 100 mil assinaturas.

“Solicitamos ao governo que aplique o direito, segundo o qual quando os votos a favor ou contra a saída da UE somam menos de 60%, no caso de um comparecimento menor de 75% às urnas, deve ser feito mais um referendo”, diz a petição.

Outro documento, com pedido de reconhecer a independência de Londres do resto da Grã-Bretanha e de adesão da cidade à UE, foi publicado no site change.org e encaminhado ao prefeito da capital inglesa, Sadiq Khan. Essa petição já foi assinada por 99 mil pessoas.

Segundo dados oficiais, 51,9% dos britânicos votaram no referendo de quinta-feira (23) pela saída do país da União Europeia.

(Agência Brasil)