Blog do Eliomar

Categorias para Poluição

O transporte de passageiros engrena contra as emissões de CO2

Com o título “Meio ambiente: assumindo responsabilidades”, eis artigo de Mário Albuquerque, diretor do Núcleo Socioambiental da Federação dos Transportes de Passageiros do Ceará, Piauí e Maranhão (Fetrans). “Em um País como o Brasil, onde 7,8% das emissões de CO2 são oriundas do setor rodoviário, merece reconhecimento e união da esfera do transporte para tornar esse percentual cada vez menor”, diz o texto. Confira:

Em resposta a uma série de problemas ambientais vivenciados no mundo nos últimos anos, iniciativas de cuidado com o meio natural tornam-se imprescindíveis. É tempo de valorizar atitudes que colaborem para a criação de um modelo sustentável de desenvolvimento. É tempo de unir forças para tornar parte do cotidiano as ações de conservação e fazer a diferença.

Em um País como o Brasil, onde 7,8% das emissões de CO2 são oriundas do setor rodoviário, merece reconhecimento e união da esfera do transporte para tornar esse percentual cada vez menor.

Neste sentido, o Despoluir, Programa Ambiental do Transporte, coordenado regionalmente pela Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Ceará, Piauí e Maranhão (Fetrans), trabalha desde 2007 no engajamento de transportadores, caminhoneiros autônomos, taxistas e sociedade em atitudes de preservação do ecossistema e do uso racional do combustível.

Com linhas de ação orientadas pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), o Despoluir chega ao dia a dia do trabalhador, impactando diretamente na forma como ele e as empresas veem e lidam com o meio natural. Com o programa, o setor passou a assumir sua parcela de responsabilidade na propagação de um mundo ambientalmente equilibrado. Uma das principais linhas do Despoluir é a inspeção veicular ambiental na frota das empresas de transporte de passageiros e cargas. As ações do Programa culminaram na 16ª edição do Prêmio Melhoria da Qualidade do Ar, evento realizado pela Fetrans, que premia as melhores iniciativas sustentáveis do setor de transporte no Ceará, Piauí e Maranhão. No Ceará, 26 honrarias foram concedidas durante a cerimônia realizada na Semana do Meio Ambiente.

Durante o período de avaliação do Prêmio, 3.260 ônibus e caminhões foram inspecionados pelo programa Despoluir apenas no Ceará, número que não se limita aos inscritos no Prêmio, representando 31 empresas de cargas e 32 de transporte de passageiros no Ceará, além dos autônomos. O resultado desse trabalho é o crescimento do percentual de aprovação dos veículos quanto à emissão de fumaça negra, hoje com 92,6% de aprovação, mostrando que empresários e trabalhadores do setor de transporte estão unidos em prol da diminuição de gases poluentes e do uso racional dos recursos da natureza.

*Mário Albuquerque

fetrans@fetrans.org.br

Diretor do Núcleo Socioambiental da Fetrans.

Roberto Cláudio lança projeto de cidadania no bairro Vicente Pinzón

O prefeito Roberto Cláudio lança neste sábado (24), a partir das 8h, o projeto +Bairros, ação que objetiva levar mais cidadania aos bairros de Fortaleza. O Projeto +Vicente Pinzon será a primeira edição da iniciativa inovadora que contemplará os 20 bairros da Regional II, com ações de cidadania, proporcionando lazer, prestação de serviços e melhorias urbanas.

A edição no bairro Vicente Pinzón, inicia o calendário de atividades que seguirá o mesmo padrão nos outros bairros. O local receberá, durante uma semana, um mutirão de serviços, envolvendo a população e o poder público, no desenvolvimento de atividades que possam melhorar a qualidade de vida da comunidade.

“Nossa idéia é unir forças com a comunidade, para que ela participe ativamente das melhorias desenvolvidas no seu bairro. Os moradores de cada área irão contribuir com os trabalhos desenvolvidos pelo poder público e auxiliar no desenvolvimento das atividades, principalmente na eliminação dos pontos de lixo”, afirma Ferruccio Feitosa, titular da Secretaria Regional II.

(Prefeitura de Fortaleza)

Trump diz que China pode ter invadido e-mails de democratas durante eleições

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesse domingo (30) que a China pode ter invadido e-mails de democratas para influenciar as eleições presidenciais norte-americanas de 2016, contrariando a visão de autoridades de inteligência do país que atribuíram a Moscou esse papel.

Em transcrição de entrevista publicada neste domingo, Trump não fornece qualquer evidência que corrobore suas alegações, feitas inicialmente às vésperas da eleição de 8 de novembro, de que a China teria invadido os e-mails de seus rivais.

“Se você não pega o invasor no ato, é muito difícil dizer quem foi o autor da invasão”, afirmou em entrevista ao programa Face the Nation, da emissora CBS. “Poderia ter sido a China, poderiam ser muitos grupos diferentes.”

Os hackers abalaram a campanha presidencial ao tornar público e-mails constrangedores enviados por assessores da candidata democrata, Hillary Clinton.

Trump vem desconsiderando declarações de autoridades de inteligência de que Moscou teria invadido os e-mails para ajudar o magnata a vencer as eleições. No debate presidencial com Hillary, ele disse que a China era um dos muitos atores que poderia estar por trás da invasão.

Nas últimas semanas, contudo, o presidente norte-americano minimizou as críticas às políticas comerciais chinesas, enquanto Washington busca o apoio de Pequim para dissipar tensões militares com a Coreia do Norte.

(Agência Brasil)

Leitor denuncia crime ambiental no rio Pacoti

O rio Pacoti, com nascente na Serra do Baturité, no Centro-Norte do Ceará, sofre mais uma agressão ambiental, de acordo com denúncia do leitor do Blog.

Segundo o leitor, caminhões com resíduos de fossa estariam derramando os dejetos no rio Pacoti. De acordo ainda com o leitor, o material despejado seria do esgoto dos grandes condomínios no Porto das Dunas, no município de Aquiraz, na Região Metropolitana de Fortaleza.

(Foto: Leitor do Blog)

Acrísio convoca reunião para discutir poluição da Praia do Futuro

foto acrísio sena cmfor

A manchete do O POVO da última quinta-feira estampando que 100% da Praia do Futuro está poluída e, portanto, imprópria para banho, movimentou a Câmara Municipal.

O vereador Acrísio Sena (PT) convocou reunião de emergência para discutir a questão nesta segunda-feira, às 15 horas, na Sala das Comissões da Casa. Serão convidados representantes da SEUMA, SEMACE, CAGECE, REGIONAL II, SPU e da Associação dos Empresários das Barracas da Praia do Futuro.

“Não é possível que uma cidade como a nossa, que respira turismo, tenha pouco mais de dois quilômetros de balneabilidade de um total de 34 quilômetros de orla”, lamentou Acrísio sena. Para ele, esse tipo de quadro “compromete a imagem de Fortaleza em todo o país e temos obrigação de resolver este problema com o máximo de urgência, sob pena de comprometer a saúde da população e toda a cadeia de investimentos do trade turístico”.

Fios na rua

177 10

Em artigo no O POVO deste sábado (10), o médico, antropólogo e professor universitário Antonio Mourão Cavalcante chama a atenção para a poluição visual dos fios dos postes. Confira:

Quando o Poder Público não assume sua competência, acaba se instalando o caos. Torna-se um “salve-se quem puder” e o interesse popular vai para a lata de lixo. Essa reflexão vem a propósito de um tema que a mídia começa a se interessar: a ocupação do espaço aéreo das calçadas. Isto é, o sistema de postes e fios que ficam acima de nossas cabeças.

Em poucos anos, sobretudo com o advento das telecomunicações (TVs e telefones a cabo), os postes foram ocupados por fios de todas as naturezas e em grande quantidade, levando a uma situação absolutamente caótica. Com frequência, fios arrastando pelo chão ou amontoados aos pés ou nos altos de postes. Fora os acidentes com caminhões baús que os arrancam e arrastam por estarem muito baixos. Uma zorra e tome risco!

Em matéria muito bem conduzida pela jornalista Tereza Fernandes (O POVO 4.1.15, Caderno DOM) -, fica muito claro que esse espaço virou terra de ninguém. Vamos por etapas: quem manda nas calçadas da cidade? Quem tem direito a fincar postes ao longo das calçadas? Pela utilização do espaço e dos postes, pagam alguma taxa ao Poder Público? Como é isso? Existe contrato? Quanto se arrecada com isso? Continuando: mesmo tendo a autorização do Poder Público, não dever-se-ia obedecer normas de segurança, preservando a estética do local? Sendo a companhia de eletricidade – Coelce – concessionária do serviço público, ela pode “sublocar” esses postes para que as companhias de telecomunicação também espalhem seus fios e equipamentos? Como é esse acordo entre estas partes privadas? Em caso de acidentes decorrentes dessa situação, quem é o culpado?

As respostas a estas perguntas não estão muito claras, nem tão simples de formular. Quem pode explicar?

A administração municipal dorme em berço esplêndido. A cabeça parece virada para o chão: o tempo todo pintando as ciclovias, espaço para as bicicletas. Não levanta a cabeça. Nem olha para os postes…

Enquanto isso a Câmara de Vereadores de Fortaleza discute e resiste a reduzir cargos e sinecuras instaladas, denunciados há anos, naquela casa. Tentam resolver problemas deles mesmos. De seus protegidos. A cidade que se dane. Esse é mais um exemplo de como uma Câmara de Vereadores atuante faz tanta falta à cidade de Fortaleza.

Chuvas revelam sujeira de ligações clandestinas de esgotos na Beira Mar

fotos beira mar esgotos 150103

O coordenador do grupo Amigos da Beira Mar, Tadashi Enomoto, lamentou os estragos da chuva desse sábado (3) na área. Segundo o coordenador, o maior problema são os esgotos clandestinos, que estouram nas chuvas.

“Esgotos jorrando para o mar. Triste demais. Temos que procurar os infratores… um absurdo!!! O prefeito só poderá fazer a obra da Nova Beira Mar, quando resolver esta questão dos esgotos, que permanece há mais de 20 anos. Até agora, ninguém conseguiu apresentar solução para a situação seríssima”, disse Enomoto.

Vamos nós – Segundo a Prefeitura de Fortaleza, um trabalho de verificação clandestina de ligação de esgotos na rede de drenagem está em andamento. No caso da Beira Mar, ocorre o contrário. É a rede de esgoto que recebe água da drenagem, também em ligação clandestina. Quando chove, o problema se agrava. Quase sempre, o problema ocorre próximo à ligação clandestina.

(Fotos: Tadashi Enomoto)

Petrobras entra para lista das 20 empresas que mais poluem o mundo

117 1

Um estudo da empresa Thomson Reuters, divulgado esta semana, listou as 500 empresas que mais poluíram o planeta em 2013. Na vigésima colocação aparece a Petrobras, que emitiu no ano 73 milhões de toneladas de gás carbônico (CO2), metano, óxido nitroso e outros gases causadores do efeito estufa.

Em nota, a Petrobras alegou que a empresa foi prejudicada pela seca no Sudeste brasileiro, pois teve de ligar suas usinas térmicas, aumentando a liberação de poluentes.

A China lidera a lista com as duas primeiras colocações. Enquanto a Petrochina emitiu 310 milhões de toneladas de poluentes, a China Petroleum liberou 249 milhões de gases.

(com agências)

Salmito e Zé do Carmo discutem presidência da Câmara

foto salmito cmfor 141112 ciro saboya

O vereador licenciado Salmito Filho (Pros) e o vice-presidente da Câmara Municipal, vereador Zé do Carmo (PSL), discutiram na manhã desta quarta-feira (12) a sucessão no Legislativo de Fortaleza, que ocorrerá no próximo mês.

Secretário de Turismo de Fortaleza (Setfor), Salmito poderá retornar à Câmara Municipal, na próxima semana, para disputar a sucessão da Casa, para o mandato 2015/2016.

“Um Poder Legislativo forte, representa uma democracia forte para podermos servir bem à sociedade. A candidatura do Pros acontecerá comigo, com o Elpídio (Nogueira) ou com o Adail (Júnior), respeitando sempre o desejo de uma outra candidatura”, comentou Salmito.

(Foto: Ciro Saboya)

Leitor lamenta o abandono da Avenida Francisco Sá

Em artigo enviado ao Blog, o leitor Gladson lamenta o abandono da avenida Francisco Sá, pelo poder público, além do crescimento de investimentos privados em Fortaleza. Confira:

Uma das avenidas mais feiinhas e abandonadas pelo poder público da grande Fortaleza, chama-se Avenida Francisco Sá. É uma grande avenida que liga o Centro à Barra o Ceará, além de cortar sete bairros e possuir um grande fluxo de veículos.

No decorrer desta avenida há inúmeros galpões e fábricas antigas fechadas e abandonadas, infelizmente servindo de abrigo e esconderijo para marginais e itinerantes. A prefeita Luzianne Lins, em sua administração, andou fazendo um trabalho de conjuntos habitacionais populares com o aval dos moradores da região. O atual secretário de infraestrutura e o prefeito estão com os olhos voltados mais para o Papicu, Seis Bocas, Aldeota, Dunas e outros bairros chiques da cidade.

O atual secretário, inclusive, é daquela área “Barra” e tirou milhares de votos nos bairros adjacentes, mas esqueceu parte daquele trecho da cidade. Ele está preocupado com sua carreira política e dando toda atenção aos “gravatinhas”. Mais uma vez, eles estão dando preferência aos investimentos particulares, tipo shoppings. Melhorando o entorno e causando um dos males da nossa economia, a especulação imobiliária.

Voltando à Avenida Francisco Sá, todos os tipos de pichações de gangues estão grafados em muros e muretas. É uma verdadeira poluição visual sem fim, essa avenida parece a Faixa de Gaza.

Atenção pessoal do paisagismo e urbanismo vamos dar uma voltinha neste lado histórico da cidade. Afinal de contas, Fortaleza pertence a todos, e não somente às áreas shoppinhianas.

Delegado Dantas disputa cadeira na Assembleia Legislativa

206 3

eleições 2014 delegado dantas

O ex-superintendente da Polícia Civil do Ceará, delegado Luiz Carlos Dantas, agora disputa cadeira na Assembleia Legislativa, pelo PPS. Segundo o candidato, o Governo do Estado fez muito pela Segurança Pública, mas acredita que é necessário alguém comprometido na otimização dos projetos no Legislativo Estadual.

“Muitas vezes, nós levamos propostas para os deputados para que eles melhorassem a segurança pública por meio dos projetos de lei. Mas, quase sempre não conseguíamos o ideal, porque os políticos não vivenciam o aparelho da segurança pública”, comentou Dantas.

Obra volta a desrespeitar moradores da Parquelândia

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=mqwTeoWxaQw[/youtube]

Uma obra na rua Amadeu Futado, entre as ruas Padre Guerra e Dom Manuel de Medeiros, na Parquelândia, tem tirado literalmente o sono dos moradores do bairro. Em pleno domingo, a obra começa o barulho antes das 7 horas.

Não é a primeira vez que o Blog denuncia o desrespeito dos responsáveis pela obra para com os moradores. O problema é que os órgãos de fiscalização dormem diante do problema, literalmente.

Proposta proíbe aparelhos sonoros em transporte coletivo

Passageiros de transporte coletivo – público ou particular – poderão ser proibidos de ligar aparelhos sonoros dentro dos veículos. Em análise na Câmara dos Deputados, o Projeto de Lei 7496/14 determina que, para ouvir música ou outros programas durante o trajeto, o usuário use fones de ouvido.

Alguns municípios já contam com legislação para coibir o uso de equipamentos sonoros no transporte coletivo. Na opinião do autor, deputado Heuler Cruvinel (PSD-GO), devido “à proporção do problema, é necessário unificar a medida em todo território nacional”.

Pelo texto, quem desrespeitar a regra ficará sujeito a ter o aparelho desligado e, caso se recuse, a se retirar do veículo. Em último caso, é prevista intervenção policial.

Às empresas caberá a obrigação de afixar, em local visível e com boa legibilidade, o número da nova lei e a proibição nela contida. O aviso deverá incluir o telefone do órgão municipal responsável pelo transporte. Caso descumpra essa determinação, a empresa poderá ser punida com multa no valor de um salário mínimo.

De acordo com Cruvinel, o estresse causado pelo excesso de ruídos é um risco silencioso que, aos poucos, agrava a saúde dos passageiros. Além comprometer a audição, o deputado argumenta que o barulho excessivo pode provocar taquicardia, hipertensão arterial, distúrbios digestivos, fadiga e alterações das funções intestinal e cardiovascular. “Para piorar, muitas vezes a poluição sonora gera conflitos entre passageiros e rodoviários, levando a agressões físicas e verbais”, acrescenta.

(Agência Câmara Notícias)

Candidatos insistem em perder votos com agressão a eleitores

92 3

foto meio ambiente 140809 eleições pça ferreira

Leitora envia para o Blog um vídeo feito na manhã deste sábado (9), na Praça do Ferreira, no Centro de Fortaleza, em que o motorista de um veículo que fazia propaganda eleitoral estacionou na paralela (teve até o cuidado de proteger o retrovisor) e soltou o som do paredão no mais alto volume.

Outros motoristas se mostraram indignados com a situação, que causou lentidão no tráfego, enquanto pedestres se afastaram do local.

Nenhuma fiscalização eleitoral, do meio ambiente ou de trânsito flagrou a infração. A penalidade ficou por conta de eleitores que juraram não votar no candidato.

Caranguejos voltam a ser comercializados na Bezerra de Menezes

90 2

caranguejos bezerra de menezes

Apesar de proibida, a venda de caranguejos voltou a ser feita no canteiro da avenida Bezerra de Menezes, na manhã deste sábado (16). Sem fiscalização, os vendedores reocuparam o local. Eles alegam que o ponto para o qual foram transferidos, uma praça próxima ao mercado São Sebastião, acarretou uma queda de 50% nas vendas.

O comércio na Bezerra de Menezes foi proibido porque a venda causava congestionamento no trânsito, além de provocar sujeira.

Levantamento mostra mudança na emissão de gases de efeito estufa no Brasil

Levantamento divulgado nesta quinta-feira (7) pelo Observatório do Clima indicou uma mudança no perfil das emissões brasileiras de gases de efeito estufa de 1990 a 2012. Apesar de ainda ser a principal responsável pelas emissões, a mudança do uso da terra, item relacionado ao desmatamento, está agora em um patamar muito próximo da poluição gerada pelos setores de energia e agropecuário.

Em 1990, o Brasil emitiu 1,39 bilhão de toneladas de gás carbônico, sendo 815,8 milhões por mudanças no uso do solo. Em 2012, foi enviado para a atmosfera 1,48 bilhão de toneladas do poluente, 476,5 milhões ligados ao desmatamento. Apesar do crescimento das emissões brutas no período ser apenas 7%, a evolução da geração de poluentes é irregular e chegou a registrar elevações expressivas, como os 2,85 bilhões de toneladas verificados em 1995.

“A redução do desmatamento na Amazônia nos últimos anos acaba tornando a contribuição do setor de uso da terra menor em relação ao que era registrado anteriormente, quando a gente tinha cerca de dois terços das emissões vindos desse setor”, ressalta o secretário executivo do Observatório do Clima, Carlos Rittl. O observatório reúne 35 organizações não governamentais e da sociedade civil interessadas nos efeitos das mudanças climáticas. “Hoje, a gente tem uma participação muito maior da agropecuária e do setor de energia, onde as emissões estão crescendo significativamente, e isso significa uma mudança do perfil de emissões”, completa.

O setor de energia era responsável, em 1990, pela emissão de 193,1 milhões de toneladas de gás carbônico. Em 2012, passou a gerar 436,7 milhões de toneladas de poluentes. Carlos Rittl alerta que há a tendência de que o setor aumente ainda mais a emissão de gases de efeito estufa. Ele destaca, por exemplo, que o plano colocado para consulta pública pelo Ministério de Minas e Energia prevê prioridade nos investimentos em combustíveis fósseis nos próximos dez anos. “Ele indica 72% de investimentos em combustíveis fósseis, em todos os investimentos para a área de energia. Isso é preocupante”, diz, ao lembrar das expectativas em relação aos rendimentos do petróleo do pré-sal. “A gente viu a celebração do governo pelo leilão do Campo de Libra, o primeiro grande leilão das reservas do pré-sal”.

Em relação ao setor agropecuário, Carlos atribui o crescimento das emissões principalmente ao aumento do rebanho bovino com práticas pouco eficientes. “Essa nossa pecuária pouco eficiente, com um animal por hectare, com práticas de manejo muito precárias, acaba nos levando a esse aumento significativo de emissões”, ressalta.

Segundo o secretário, a intenção é que a divulgação dos dados ajude a promover um debate mais objetivo e eficiente sobre as maneiras de reduzir a poluição em todos os setores avaliados. “A gente está disponibilizando esses dados e as planilhas para que a sociedade, o cidadão interessado e o tomador de decisão possam ter ciência da trajetória de emissões nos últimos anos, já que os dados oficiais vão somente até 2010”, explica.

(Agência Brasil)