Blog do Eliomar

Categorias para Porto

Porto do Pecém realiza o primeiro embarque de manganês

Uma operação inédita foi realizada em terminal portuário cearense no fim de semana: o primeiro embarque de manganês. Saiu do Porto do Pecém, situado em São Gonçalo do Amarante, após cinco dias de preparação e logística.

A carga, de 55 mil toneladas de manganês, deixou o Estado dentro do navio African Raptor, procedente do porto sul-africano de Durba e que estava ali atracado desde a manhã da última segunda-feira. O manganês foi extraído pela empresa Zeus Mineração Ltda, do município cearense de Pentecoste.

“Nos inspiramos numa operação realizada em St. John’s, no Canadá. Entramos em contato com o porto de lá e conseguimos adquirir um equipamento semelhante ao que eles usam. E hoje, enfim, estamos fazendo o uso desse equipamento pela primeira vez sem haver a necessidade de colocar essa carga no chão. Ou seja, uma operação ecologicamente correta”, informou Waldir Sampaio, diretor-executivo de Operações do Complexo Industrial e Portuário do Pecém.

O equipamento utilizado pela primeira vez no Pecém é chamado de “baia graneleira” (Bulkbraz). Possui alta eficiência operacional pois proporciona carregamentos rápidos de navios graneleiros. O primeiro embarque desse tipo de minério está sendo considerado um marco na história das operações do porto cearense.

Do Porto do Pecém o navio seguiu viagem para os portos de Bahodopi (Indonésia) e Tiasin (China), onde o minério será descarregado. O manganês (Mn), nome dado a um metal branco cinzento, é dotado de qualidades importantes à utilização na indústria siderúrgica.

DETALHE – No dia 25 de outubro um novo carregamento de manganês será exportado pelo terminal portuário cearense que faz parte do Complexo Industrial e Portuário do Pecém.

(Foto – Divulgação)

Porto do Mucuripe – Navios franceses com destino à Europa levam produtos da safra cearense

Carregamentos de melão, melancia, manga, banana e uva, produzidos no Ceará, mas também de origem nos estados do Rio Grande do Norte, Pernambuco e Bahia, deixaram esta semana o Porto do Mucuripe com destino à França, com paradas na Espanha, Roterdã (Holanda) e Londres (Inglaterra).

De bandeira francesa, o navio Marfret Guyane deverá retornar a Fortaleza no início de novembro para novo abastecimento de frutas da safra 2019/2020. A viagem até a França dura em torno de 18 dias.

A operação envolveu aproximadamente 25 pessoas. Cada contêiner, cabe ressaltar, tem capacidade para 29 toneladas de frutas e a média transportada em cada contêiner é de 25 toneladas. Por meio dessas duas embarcações, o Porto de Fortaleza movimentou 1794 contêiner, entre cheios e vazios, para embarque e desembarque.

Já outro navio de também bandeira francesa, o CMA CGM Fort Ste Marie, segue do Porto do Mucuripe direto para Londres, por meio do serviço UK Express.

(Foto: Divulgação)

Superintendente da PF do Ceará visita o Porto do Pecém

O delegado Dennis Cali, o novo Superintendente Regional da Polícia Federal no Ceará, visitou nessa quinta-feira as instalações do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP). Ali tendo ao lado o presidente do CIPP, Danilo Serpa, ele conheceu o pátio de armazenagem de contêineres, o terminal de múltiplas utilidades, o Centro de Controle Operacional (CCO)e, também, o scanner do porto, utilizado para inspecionar 100% dos contêineres importados e exportados sob exclusivo monitoramento da Receita Federal.

“O objetivo da nossa visita é colaborar com o porto para que se mantenha a seguridade e todas as certificações. Nesse primeiro momento e nessa reunião, percebemos que o Pecém realmente tem uma preocupação muito grande voltada para a segurança portuária e está cumprindo todos os requisitos estipulados”, disse Dennis Calli.

A implantação de ações conjuntas para uma agenda permanente de trabalho entre Porto do Pecém e Polícia Federal, através da Comissão Estadual de Segurança Pública nos Portos, Terminais e Vias Navegáveis, entrou na pauta.,

Para Danilo Serpa, presidente da CIPP, a visita foi muito produtiva.”Vamos implantar uma agenda com uma série de normas e procedimentos que vão resultar em ações que visem melhorar a nossa segurança”, afirmou Danilo Serpa.

DETALHE – Na comitiva da Polícia Federal também estavam o delegado regional executivo da PF/CE, Murilo Gimenes, o coordenador da Vomissão Estadual de Segurança Pública nos Portos, Terminais e Vias Navegáveis, Aldair da Rocha, o Chefe do Núcleo Especial de Polícia Marítima, Francisco Antônio Cardoso, o Chefe do Grupo de Pronta Intervenção, Alexandre Mesquita, e o agente de Polícia Federal, Fabrício Cinto.

(Foto – CIPP)

Companhia Docas do Ceará tem novo diretor de Infraestrutura e Gestão Portuária

Miguel Andrade, Mário Jorge, Mayhara Chaves e Humberto Castelo Branco.

A Companhia Docas do Ceará (CDC) empossou, nessa segunda-feira (26), o novo diretor de Infraestrutura e Gestão Portuária. Trata-se do cearense Miguel Andrade.

Tendo à frente da CDC a diretora-presidente Mayhara Chaves, a nova estrutura está focada no enxugamento de despesas e no aumento das receitas, visando melhorar a capacidade de investimento do Porto do Mucuripe. A ação está alinhado também com os diretores Humberto Castelo Branco (Administração e Finanças) e Mário Jorge (Comercial), ambos funcionários de carreira da CDC.

Diretoria

Mayhara Chaves (diretora-presidente)

Formada em Engenharia de Produção, pós-graduada em Logística Empresarial e MBA em Gerenciamento de Projeto, possui especializações em Logística Portuária pela APEC- Bélgica e Gestão Portuária pelo Porto de Roterdã. Atuou nos últimos anos como diretora de Planejamento e Desenvolvimento na CODESA; exerceu o cargo de subsecretária de Comércio Exterior do Governo do Estado do Espírito Santo; trabalhou em Brasília junto à Secretaria de Portos da Presidência da República; e foi assessora máster de conselhos e câmaras da Federação das Indústrias do Estado do Espírito Santo.

Miguel Andrade (diretor de Infraestrutura e Gestão Portuária)

Formado em Economia e Administração de Empresas, pós-graduado em Logística e Transportes e MBA em Logística Ferroviária nos Estados Unidos e na Fundação Dom Cabral (FDC – São Paulo), trabalhou na AB ImBev, Vale e Transnordestina S/A. É membro do Comitê de Relacionamento com Clientes da Associação Americana de Ferrovias (AAR) nos Estados Unidos e diretor da Associação Comercial do Ceará.

Francisco Humberto Castelo Branco (diretor de Administração e Finanças)

Formado em Ciências Econômicas, pós-graduado em Administração Financeira e em Engenharia e Gestão Portuária, trabalhou como supervisor na Esso Brasileira de Petróleo (Amazonas e Mato Grosso do Sul) e diretor-presidente da CearáPortos, além de ter exercido no decorrer de sua carreira profissional as funções de chefe de Auditoria Interna, chefe da Divisão Financeira, chefe da Divisão de Operações, coordenador de Gestão Portuária, coordenador de Infraesturura e coordenador de Finanças.

Mário Jorge Cavalcanti Moreira

Formado em Administração de Empresas, com especialização em Engenharia e Gestão Portuária e certificado pelo Tailor Made Seminar on Port Managemente (Porto de Antuérpia, na Bélgica), integra a Companhia Docas do Ceará desde 1985, tendo já ocupado as funções de diretor-presidente, diretor Administrativo e Financeiro e diretor de Infraestrutura e Gestão Portuária. É membro suplente do Conselho de Autoridade Portuária do Porto de Fortaleza. Foi membro e coordenador do PROHAGE no Porto de Fortaleza; membro da CESPORTOS do Estado do Ceará; auditor nomeado pela CONPORTOS para certificação do Porto de Santos/Arrendatários no ISPS-CODE; auditor nomeado pela CESPORTOS para certificação do Terminal do Pecém no ISPS-CODE; representante da CDC junto à ANTAQ para desenvolvimento do Sistema de Desempenho Portuário; membro suplente do Conselho de Autoridade Portuária do Porto de Fortaleza; e membro titular do Conselho de Autoridade Portuária do Porto de Fortaleza.

(Foto: Divulgação)

Porto do Mucuripe é declarado alfandegado pela Receita Federal

496 1

A Receita Federal declarou, nesta segunda-feira, o alfandegamento do Porto do Mucuripe. O ato ocorreu pela manhã e contou com a presença de autoridades da Receita e da Companhia Docas do Ceará, gestora do terminal portuário.

Agora, os 275 mil metros quadrados do Porto Organizado estão alfandegados, o que vai permitir a ampliação de capacidade de atracação das embarcações com mais um berço de 350 metros, informa a assessoria de imprensa das Docas.

O diretor-presidente em exercício da Companhia Docas, Mario Jorge Cavalcanti, destacou a medida como uma conquista para o porto, que agora terá maior capacidade no atendimento das demandas de cargas, inclusive de contêineres. “A medida traz mais segurança e competitividade, já que a ampliação pode alavancar mais negócios para o estado do Ceará”, disse ele.

No alfandegamento, o governo federal investiu investiu cerca de R$ 12,6 milhões em equipamentos como o sistema de monitoramento e segurança eletrônica (CFTV), aquisição da tecnologia OCR, que permite o reconhecimento de caracteres em imagens, além de scanner para contêineres.

O secretário nacional de Portos e Transportes Aquaviários, Diogo Piloni, presente ao ato, qualificou a medida como importante fator para o desenvolvimento do Ceará. “Nossa meta é tornar as Companhias Docas mais modernas, seguras e competitivas”, destacou o titular da secretaria dos Portos.

(Foto – Igor Machado)

Portaria altera a Poligonal do Porto do Mucuripe; fica aberta maior parceria com o setor privado

O Ministério da Infraestrutura liberou portarias alterando as áreas das poligonais de 16 portos do País. São eles: Fortaleza, Angra dos Reis (RJ), Areia Branca (RN), Belém (PA), Estrela (RS), Ilhéus (BA), Itaguaí (RJ), Itajaí (SC), Maceió (AL), Natal (RN), Niterói (RJ), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ), Santarém (PA), São Francisco do Sul (SC) e São Sebastião (SP). As antigas poligonais apresentavam obstáculos frente às regras da Lei dos Portos (12.815/2013).

A revisão das poligonais, que compreende as áreas destinadas às instalações portuárias, bem como à infraestrutura de proteção e de acesso ao porto, tem por objetivo definir com maior clareza quais são os limites geográficos da jurisdição e da atuação (pública e privada) desses portos. As informações são da assessoria de imprensa da pasta.

Segundo o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes, essa revisão vai acelerar as solicitações para a instalação ou ampliação dos terminais de uso privado (TUPs). “Nosso o objetivo é o de simplificar as operações, reduzir a burocracia, dando incentivo para que a iniciativa privada realize investimentos”, explicou Freitas. “A definição das poligonais representa, no final das contas, segurança jurídica. Dá clareza e possibilidade de que novos investimentos sejam feitos em função dessa segurança e da clareza que a definição dessas poligonais traz”, completou.

Agora, apenas os bens públicos necessários ao cumprimento das funções das autoridades portuárias estão sob domínio de cada uma delas. Nas antigas áreas, havia terrenos de propriedade ou sob a posse de particulares, como shopping center, casas, prédios empresariais, hotéis, museus, praças e até aeroportos, não relacionados a operação do funcionamento dos portos. A construção do novo desenho das poligonais passou por amplas discussões com as comunidades portuárias, onde os interessados apresentaram suas sugestões ao longo de consultas e audiências públicas.

(Foto – Alex Gomes)

Taxas do Porto do Mucuripe sofrerão reajuste de 5,64%

As taxas cobradas pela Companhia Docas do Ceará (CDC) no Porto do Mucuripe, em Fortaleza, vão sofrer um reajuste de 5,64%.

A Agência Nacional de Transportes Aquaviários já autorizou o aumento que, nos próximos dias, será divulgado, com todos os detalhes, pelas Docas.

Por falar nisso, ninguém fala sobre o leilão de concessão do Terminal Marítimo do Mucuripe, que continua espaço para eventos.

(Foto – Alex Gomes)

Porto do Pecém registra o melhor resultado do mês de maio dos últimos cinco anos

O Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP) atingiu a marca de 1.541.285 toneladas de mercadorias movimentadas no mês passado. Foi o melhor resultado para maio nos últimos cinco anos. Os embarques de cargas para fora do Estado e do País impulsionaram a alta nos resultados. Se comparado as toneladas, a movimentação de cargas em contêineres teve um aumento (57%).

Na comparação para o mesmo período, houve uma alta (4%), um resultado impulsionado pelo embarque de cargas com um crescimento (29%) registrado em um total de 480.018 toneladas. No resultado acumulado do ano, a movimentação foi de 7.082.419 toneladas. Em relação ao ano passado, houve um incremento (15%) com um total de 1.958.905 toneladas de mercadorias enviadas para fora do Estado. Além disso, somando a navegação de longo curso (para fora do país) e cabotagem (movimentação entre portos brasileiros).

Conforme afirma do presidente do Complexo Portuário do Pecém, Danilo Serpa, existe um leque extenso de produtos movimentados através do Porto cearense. “E um trabalho de prospecção continua sendo realizado para conquistar mais clientes. Nosso objetivo é manter a linha de crescimento dos últimos anos. Então, estamos realizando melhorias no complexo, reuniões e divulgando a nossa capacidade de operação”, diz. O presidente dá ênfase ainda na estrutura do CIPP, que é pronta para receber empresas que possam produzir aqui, movimentar através do porto e gerar emprego e renda para o estado”.

Cargas e mercadorias

Os granéis sólidos representam mais da metade (53%) do que foi transportado entre as cargas, um total de 3.771.369 toneladas. O material é usado na produção da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) e das Termelétricas. Já a carga em contêineres registrou um saldo de 78.275 unidades (122.293 teus), um crescimento (28%) em relação ao mesmo período em 2018. Os principais destaques são carvão mineral, minério de ferro, placas de aço, adubos e fertilizantes, arroz, sal, farinha de trigo e frutas.

Se comparado as toneladas, houve um aumento (57%) na movimentação de cargas em contêineres.

(O POVO)

Governo vai leiloar nesta sexta-feira quatro áreas portuárias

O governo vai leiloar quatro áreas portuárias hoje (22), a partir das 10horas, na Bolsa de Valores de São Paulo: três em Cabedelo (PB) e uma em Vitória (ES). Os investimentos previstos nos quatro terminais são de R$ 199 milhões. O leilão faz parte dos planos do governo federal de promover 23 concessões, incluindo portos, aeroportos e ferrovia, dentro dos primeiros 100 dias da gestão.

O valor mínimo de outorga começará em R$ 1. Valor que, segundo o Ministério de Infraestrutura, justifica-se no interesse do governo federal de promover investimentos, melhorar prestação dos serviços dos portos e reduzir custos logísticos.

O secretário nacional de Portos e Transportes Aquaviários do Ministério da Infraestrutura, Diogo Piloni, disse que o critério para julgamento dos arrendamentos portuários será o de maior valor de outorga, ou seja, maior lance pelas áreas, em reais.

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, estará presente. Anteriormente, ao anunciar o leilão, o ministério informou que as quatro áreas são destinadas à movimentação e armazenagem de granéis líquidos (combustíveis).

Avaliações
Para Tarcísio Gomes de Freitas, o modelo levará à dinamização do setor portuário. “O setor privado quer investir no Brasil, quer investir no setor e terá no ministério um parceiro do empreendedorismo. Nosso foco principal de atuação é a transferência de ativos para a iniciativa privada”, disse.

De acordo com o ministério, as três áreas que serão concedidas são classificadas como brownfield – regiões já existentes que vão receber melhorias operacionais com contratos mais modernos e eficientes.

O prazo de arrendamento é de 25 anos. A AI-01 tem 18.275 metros quadrados de extensão, e serão exigidas pelo menos 19 mil toneladas de capacidade estática de armazenagem.

A área AE-10 tem 18.344 metros quadrados, e a previsão de investimento é de R$ 36,5 milhões. Para o atendimento da capacidade estática de armazenagem, estão previstos investimentos em tanques de aço-carbono de telhado fixo (sem fundação) e de uma estação de descarga e de carregamento.

A área AE-11 tem 20.465 metros quadrados e apresenta capacidade estática de 12.962 metros quadrados, com previsão de aumento para 31.288. Estão previstos investimentos de tanques de aço-carbono de telhado fixo (sem fundação), de uma estação de descarga e de uma estação de carregamento. A previsão de investimentos é da ordem de R$ 35 milhões.

O terminal VIX30, localizado no Porto de Vitória (ES), é um projeto greenfield, uma área nova, sem estrutura física, com prazo de arrendamento de 25 anos. A previsão de investimento é de R$ 128 milhões. A área a ser arrendada tem aproximadamente 74 mil metros quadrados e serve para movimentação de granéis líquidos (combustíveis).

(Agência Brasil)

Porto do Pecém busca novos negócios na Intermodal, a maior feira do setor na América Latina

O Complexo Industrial do Porto do Pecém, que fica em São Gonçalo do Amarante (Região Metropolitana de Fortaleza), participa, em São Paulo, da Intermodal, a maior feira do setor de logística de portos da América Latina.

O presidente do Complexo do Pecém e Roterdã, Danilo Serpa, fala para o Blog sobre a importância dessa feira e diz como está o trabalho pára a atração de novos investimentos.

Acordo entre Porto de Roterdã e Porto do Pecém será firmado nesta sexta-feira

464 1

Da Coluna O POVO Economia, no O POVO desta quarta-feira, assinada pela jornalista Neila Fontenele:

A assinatura do acordo do Governo do Estado com a Port of Rotterdam, administradora do Porto de Roterdã, na Holanda, está marcada para sexta-feira, às 14 horas, no Palácio da Abolição. O acordo é de parceria desse porto holandês com o Porto do Pecém, situado em São Gonçalo do Amarante (Região Metropolitana de Fortaleza).

O secretário do Desenvolvimento Econômico do Estado, César Ribeiro, que vem negociando os detalhes da sociedade desde março de 2017, até o momento não quis falar sobre os valores da transação, que ainda não foram divulgados oficialmente, por conta de termos de confidencialidade.

Inicialmente falava-se em uma participação do capital holandês em torno de 10%.

Ministro do STF revoga prisões temporárias de investigados na Operação Skala

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso revogou na noite desse sábado (31) as prisões temporárias dos alvos da Operação Skala, da Polícia Federal, e determinou a imediata soltura dos presos.

Barroso acolheu o pedido da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, de revogação das prisões feito esta tarde. Segunda ela, as medidas cumpriram o objetivo legal. A PGR destacou que, quinta-feira (29), foram feitas as medidas de busca e apreensão de prisões autorizadas pelo relator do inquérito, com exceção de três pessoas que não tiveram os mandados de prisão executados por estarem no exterior, “mas dispostos a se apresentarem à autoridade policial tão logo retornem”.

As prisões foram determinadas no âmbito do inquérito que apura possíveis irregularidades na edição do Decreto dos Portos (Decreto 9.048/2017), assinado pelo presidente Michel Temer em maio do ano passado, e que apura o suposto favorecimento a empresas do ramo portuário.

“Desse modo, tendo as medidas de natureza cautelar alcançado sua finalidade, não subsiste fundamento legal para a manutenção das medidas, impondo-se o acolhimento da manifestação da Procuradoria-Geral da República”, escreve Barroso em sua decisão.

Foram presas temporariamente 13 pessoas ao todo, lista que inclui o ex-assessor do presidente Michel Temer, José Yunes; o ex-ministro da Agricultura e ex-presidente da estatal Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) Wagner Rossi; o presidente do Grupo Rodrimar, Antônio Celso Grecco; a empresária Celina Torrealba, uma das proprietárias do Grupo Libra, que também atua no ramo portuário; e o coronel João Batista Lima, amigo do presidente Michel Temer.

As medidas foram determinadas pelo ministro Luís Roberto Barroso, relator do chamado Inquérito dos Portos, no STF.

(Agência Brasil)

Setor portuário fechou 2017 com crescimento de 8,3%

Porto do Mucuripe, que ainda aguarda dragagem prometida pela União.

O setor portuário brasileiro registrou um aumento de 8,3% na comparação de 2017 com 2016, e movimentou 1,086 bilhão de toneladas. Compreendido por portos públicos e terminais de uso privado, esse setor havia registrado, em 2016, uma movimentação de 1,002 bilhão de toneladas. Os números foram divulgados hoje (15) pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq).

A movimentação de contêineres aumentou tanto em termos de tonelagem quanto de TEUs (sigla em inglês para Twenty-feet Equivalent Unity, unidade que equivale a um contêiner de 20 pés). Foram movimentados 106,2 milhões de toneladas (valor 6,1% superior ao registrado em 2016), transportadas em 9,3 milhões de TEUs (aumento de 5,7%).

A carga que apresentou maior incremento (10,3%) foi a de granel sólido, movimentando um total de 695,4 milhões de toneladas no ano passado. Milho e soja apresentaram crescimento de 71,8% e de 31,5%, respectivamente, na comparação 2017/2016. Já a movimentação de granel líquido registrou movimentação de 230,2 milhões de toneladas em 2017 – um crescimento de 3,8%, na comparação com o ano anterior. De acordo com o levantamento, a importação de derivados de petróleo aumentou em 32%, enquanto a exportação de petróleo bruto aumentou 19%.

Os terminais de uso privado movimentaram 721,6 milhões de toneladas em 2017. Em 2016, a movimentação tinha sido de 660 milhões de toneladas, o que representa um crescimento de 9,3%. Já os portos públicos apresentaram crescimento de 6,3%, registrando uma movimentação de 364,5 milhões de toneladas.

A movimentação de cargas aumentou 22,7% nos portos públicos e 32,9% nos terminais de uso privado de 2010 a 2017. O total de crescimento da movimentação de cargas ficou em 29,3%.

Em termos de tipo de navegação, as de longo curso apresentaram um aumento de 8%, ficando responsáveis pela movimentação de 803,3 milhões de toneladas. A navegação de cabotagem (entre portos marítimos de um mesmo país, sem perder a costa de vista) transportou 221,8 milhões de toneladas, pesagem 3,8% maior do que a registrada em 2016; e a navegação interior (ao longo de canais, rios , lagoas, enseadas, baías e angras) apresentou crescimento de 37,8% (57,3 milhões de toneladas).

(Agência Brasil)

ZPE Ceará é reconhecida como melhor Zona Franca das Américas

A ZPE do Ceará será premiada pela publicação Foreign Direct Investment (FDI) do jornal inglês Financial Times de Londres em duas modalidades: “Alto Reconhecimento – Melhor Zona Franca das Américas” e “Melhor Zona Franca em Atualização da Infraestrutura”.

O reconhecimento torna a ZPE Ceará ainda mais atrativa para os investidores internacionais. Em 2016, a ZPE Ceará também ganhou prêmio do jornal inglês nas categorias: “Melhor Zona Franca da América Latina e do Caribe- Grandes Inquilinos”; “Melhor Zona Franca para Infraestrutura”; “Melhor Zona Franca para Expansões” e “Melhor Zona Franca para Apoio à Educação e Treinamento”.

Segundo o secretário de Assuntos Internacionais, Antonio Balhmann, a premiação do FDI em dois anos consecutivos é um reconhecimento do Financial Times do esforço do governador Camilo Santana no sentido de garantir a afirmação da ZPE do Ceará com a sua enorme capacidade de gerar novos empregos.

“A gestão atual da ZPE Ceará não tem medido esforços para garantir o sucesso do projeto, que está em fase de expansão”, explicou Balhmann, que lembrou ainda que a premiação é fruto de um trabalho de divulgação internacional da ZPE Ceará realizado pela Secretaria de Assuntos Internacionais, com o objetivo de ranquear a ZPE Ceará entre as maiores do mundo.

A ZPE Ceará foi inaugurada no dia 30 de agosto de 2013, sendo a primeira do País a entrar em operação. A ZPE Ceará integra o Complexo Industrial e Portuário do Pecém, no município de São Gonçalo do Amarante, a cerca de 60 km de Fortaleza. Em maio de 2016, a ZPE Ceará incorporou uma área de 1.911,04 hectares antes destinada para a implantação da Refinaria Premium II da Petrobrás, o que permitiu a expansão de sua poligonal de 4.271,4 hectares para 6.182,44 hectares.

Conforme Balhmann, a ampliação da poligonal da ZPE Ceará significa a garantia de que o Estado possui área disponível para uma zona livre pelos próximos 50 anos. A nova área da ZPE Ceará está dividida por setores, sendo o Setor II Norte destinado para um projeto de refinaria compacta e moderna, que está em estágio avançado de negociação com a China, e o Setor II Sul para indústrias de setores diversos como petroquímico, metalmecânico, agroindústria e granito.

Conforme o presidente da ZPE Ceará, Mário Lima Júnior, a premiação do Jornal Financial Times é um excelente indicativo de que a ZPE Ceará está no caminho certo. Ele lembra que a nova área da ZPE já faz parte dos ativos do Estado.

“Dentro dessa nova área, temos a proposta negociada pelo próprio governador Camilo Santana no acordo Brasil-China, que prevê um espaço para a instalação de uma refinaria, projeto este que está se concretizando. Essa área assegura também a vinda de outros setores industriais, a exemplo de rochas ornamentais e autopeças, gerando milhares de empregos para o Ceará”, concluiu.

(Governo do Ceará)

R$ 13,8 milhões – Ibama multa CearáPortos por lançamento de carvão mineral na Praia do Pecém

413 1

A empresa CearáPortos, que administra o Porto do Pecém, localizado em São Gonçalo do Amarante, na Região Metropolitana de Fortaleza, foi multada em R$ 13,8 milhões pelo Ibama, em razão de acidente ambiental que resultou no lançamento de carvão mineral na praia do Pecém.

A fiscalização resultou em três autos de infração.  A maior penalidade, referente ao lançamento de resíduos sólidos (pó de carvão mineral) na faixa de areia e no mar, foi de R$ 12,5 milhões, no último dia 12/04. A administradora do porto também foi autuada em R$ 1,25 milhão por não ter comunicado a ocorrência ao Ibama, conforme estabelece condicionante da licença ambiental. O acidente teria ocorrido no início de abril. Um terceiro auto de infração, no valor de R$ 4 mil, foi lavrado em razão de a empresa ter deixado de apresentar relatório ambiental após notificação relacionada a outra ocorrência. As sanções totalizam R$ 13.809.500,00.

“O Porto do Pecém é um empreendimento relevante para o desenvolvimento econômico do Ceará e deve estar preparado para cumprir a legislação ambiental”, disse o responsável pela fiscalização do Ibama no Ceará, Miller Câmara.

“É necessário que o Complexo Industrial e Portuário do Pecém esteja preparado para reagir aos acidentes ambientais de forma satisfatória, causando o mínimo de impacto aos ecossistemas e à população local”, completou.

O Terminal Portuário do Pecém foi inaugurado em 2012.

(Ibama)

Porto do Pecém busca ser entrada de cargas do Nordeste, diz Danilo Serpa

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=oWSzk2U1vnA[/embedyt]

O diretor-presidente da Cearáportos, Danilo Serpa, avalia que o Porto do Pecém deverá ser a principal entrada de cargas do Nordeste, depois que adquiriu guindastes e outros equipamentos.

Danilo Serpa mandou vídeo para o Blog direto da 23ª Intermodal South America, o maior evento de logística, transporte de cargas e comércio exterior da América Latina, que acontece em São Paulo.

Governo do Ceará e empresários visitam a Holanda para intercâmbio portuário

Da Coluna Vertical, no O POVO deste sábado (25):

Governador Camilo Santana (PT) não vai passar o Dia de São José, 19 de março, dedicado a pedir chuvas no Ceará. Ele informa que cumprirá agenda na Europa, mais precisamente na Holanda.

Estará à frente de comitiva de secretários e empresários assinando, com o Porto de Roterdã, um memorando de entendimento voltado para intercâmbio entre esse porto e o Complexo Industrial e Portuário do Pecém.

Na programação, o grupo visitará dia 20 o Porto de Roterdã; dia 21, terá encontro com o embaixador holandês; e, no dia 22, assina o memorando. Nesse mesmo dia, em Haia, a comitiva prestigiará o Brazilian Day, evento do governo brasileiro que vai expor potencial de investimentos do País.

Com Camilo, os secretários da Fazenda, Casa Civil, Planejamento, Infraestrutura, Desenvolvimento Econômico, PGJ e o presidente da Cearaportos, Danilo Serpa.

O presidente da Fiec, Beto Studart, também vai e levará comitiva de empresários de vários setores.

Camilo apresenta em Omã dados do Complexo do Pecém

313 2

foto-camilo-ira

O governador Camilo Santana (PT) apresentou nesta segunda-feira (16), em Omã, na Península Árabe, dados do Complexo Portuário do Pecém, além do início das operações da Companhia Siderúrgica, como forma de obter parceria com o país asiático.

“Estive com o vice-ministro de Transporte e Comunicação de Omã, Said Hamdoon Saif Al Harthy, responsável pela operação dos portos do país. (…) Fizemos uma visita técnica ao Porto de Sohar, que é administrado pela Sohar Industrial Port Company. (…) O secretário para Assuntos Internacionais, Antonio Balhmann, acompanha toda a agenda”, relatou Camilo, por meio de sua página no Facebook.

Porto do Pecém recebe dois super guindastes

295 1

daniloserpa

O Porto do Pecém, situado no município de São Gonçalo do Amarante (Região Metropolitana de Fortaleza), acaba de ganhar dois novos guindastes (tipo STS  – Ship to Shore). Instalados no Terminal de Múltiplas Utilidades (TMUT), os equipamentos, que pesam 1.600 toneladas e medem 87 metros de altura, serão utilizados para a movimentação de contêineres.

Segundo o presidente da Cearáportos, Danilo Serpa, as novas máquinas vão incrementar as atividades do porto cearense, junto com as melhorias de infraestrutura que estão sendo realizadas pelo Governo do Estado.

“Os STSs estão entre os maiores guindastes do país e vão contribuir para o aumento da movimentação através do Pecém. Em breve, quando começarem a operar, o fluxo de saída e entrada de mercadorias será bem mais eficiente”, destaca Serpa.

Governador diz que siderúrgica coloca Ceará na ‘rota do mundo’

foto camilo 160517 pecém

O governador Camilo Santana (PT) visitou nessa terça-feira (17) as obras de ampliação da infraestrutura portuária no Pecém, em São Gonçalo do Amarante (Região Metropolitana de Fortaleza). Com 99% das obras concluídas, o porto dará suporte à Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), que terá capacidade para produzir até três milhões de toneladas de placas de aço por ano, além de empregar diretamente 2,8 mil profissionais e ainda 1,2 mil terceirizadas, gerando na região outros 12 mil empregos indiretos.

“Seria bom se todo cearense tivesse a oportunidade de ver essa obra que é impressionante e que vai gerar oportunidade de emprego, dinamizar a economiae que tem tecnologia de ponta. É um sonho para o Ceará. A siderúrgica coloca o Ceará na rota de vários países”, destacou Camilo Santana.

“O Ceará vai atingir um novo patamar no que diz respeito à infraestrutura portuária. O nosso Estado estará entre as melhores opções para empreendimentos e empresas que precisam de um porto moderno e seguro para o seu desenvolvimento”, completou o secretário estadual da Infraestrutura, André Facó.

DETALHE – A Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), o maior empreendimento do setor siderúrgico no País no momento, será inaugurada no próximo mês.