Blog do Eliomar

Categorias para Recursos Hídricos

Domingos Neto garante liberação de R$ 16,6 milhos para Cinturão das Águas

O deputado federal Domingos Neto (PSD), coordenador da bancada federal cerense e relator do Orçamento da União 2020, conseguiu, nessa terça-feira, a liberação de R$ 16.604.250,23 para o projeto Cinturão das Águas do Ceará (CAC).

A liberação da parcela atende ao pedido do governador Camilo Santana (PT) feito junto ao ministro Gustavo Canuto, do Desenvolvimento Regional.

Domingos Neto passou, inclusive, o comprovante de ordem bancária para o governador e para o secretário de Recursos Hídricos do Estado, Francisco Teixeira.

“O ministro mostrou sensibilidade e reconheceu a importância da continuidade das obras do CAC para a segurança hídrica do Ceará”, disse o parlamentar

Fax símile do comprovante bancário

(Foto – Agência Câmara)

Dnocs está desidratando em matéria de pessoal, diz o diretor-geral do órgão

103 1

O Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs) continua desidratando em matéria de pessoal, com gente se aposentando.É o que revela o seu diretor-geral, Ângelo Guerra.

Atualmente, os quadros da autarquia, que responde por todos os projetos hídricos em implantação no Nordeste, no Espírito Santo e em Minas Gerais, só conta com cerca de 900 servidores.

Ângelo Guerra vem constantemente insistindo, em Brasília, junto ao Ministério do Desenvolvimento Regional, por concurso público. A pior situação hoje, no aspecto de pessoal, é na Coordenadoria de Sergipe.

“Ali, nós só temos o coordenador-geral do órgão e mais seis servidores”, diz ele.

(Foto – Paulo MOska)

 

Açude Cedro – Revitalização será tema de debate na Justiça Federal

O Cedro é construção do período do Império.

A Justiça Federal no Ceará vai promover um seminário sobre revitalização do açude Cedro, que fica localizado em Quixadá (Sertão Central). O encontro ocorrerá na sede do órgão, em Fortaleza, sexta-feira próxima, das 9 às 17 horas.

A ordem é sensibilizar as autoridades judiciais, administrativas e políticas sobre a importância desse açude e divulgar ação judicial de natureza estrutural conduzida pela 23ª Vara Federal, em Quixadá, tendo por escopo a revitalização do Açude do Cedro e seu entorno.

Na ocasião, o arquiteto Romeu Duarte Junior apresentará o Termo de Referência do Projeto de revitalização do Açude.

Ação judicial

A ação civil pública nº 0800150-08.2017.4.05.8105, ajuizada pelo Ministério Público Federal, visa à adoção, pelo Dnocs, de reformas, manutenções e providências de conservação da barragem do açude Cedro.

Patrimônio reconhecido pelo Iphan, o Cedro foi o primeiro açude público construído no Brasil e é considerado um dos parques históricos, paisagísticos, ambientais e culturais mais importantes do Ceará, com indicação para ser reconhecido como patrimônio da humanidade pela Unesco.

SERVIÇO

*As inscrições são gratuitas e podem ser feitas através do e-mail: inscricoes.esmafe@jfce.jus.br

*Mais informações – (85) 3521.2662.

(Foto – Mateus Dantas)

Transposição – Ministro visita estruturas do Eixo Norte do projeto ao lado de Camilo Santana

O ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, vai fazer uma vistoria, nesta sexta-feira, nas estruturas do Eixo Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco e acompanhar a retomada dos testes de bombeamento de água na terceira estação elevatório do trecho (EBI-3), em Salgueiro (PE).

Atualmente, o Eixo Norte está com 97% de execução física. A informação é da assessoria de imprensa da pasta. O governador Camilo Santana participará dessa vistoria.

Acionado o bombeamento da EBI-3, as águas do rio São Francisco seguirão pelas próximas estruturas, que contemplam 60 quilômetros de extensão – incluindo dois açudes – até chegar ao Reservatório de Jati, ponto de captação para o Cinturão das Águas do Ceará (CAC), empreendimento que ajudará no abastecimento da Região Metropolitana de Fortaleza.

No trecho em Salgueiro, foi constatada, em 2018, a necessidade de realização de reparos no Dique Negreiros. A estrutura precisou ser esvaziada para a execução dos serviços. O bombeamento, que chegou a ser interrompido na região, já foi retomado nas estações localizadas antes da EBI-3.

Transposição do São Francisco ganha novo prazo

O início das operações da primeira fase do projeto da transposição das águas do Rio São Francisco ganhou nova data: 31 de dezembro de 2019.

A informação foi dada nesta terça-feira, no Hotel Recanto Wirapuru, em Fortaleza, pelo superintendente-adjunto da Superintendência de Regulação da Agência Nacional de Águas (ANA), Patrick Thomas, durante o segundo dia de programação do III Seminário Água Innovation.

Esta é a quinta prorrogação consecutiva do início da operação.

Segundo Patrick, o custo com a energia elétrica é a principal dor de cabeça do projeto, observando que quem vai pagar a conta da operação e manutenção da transposição do São Francisco são os Estados beneficiados.

O III Seminário Água Innovation contou com as participações de Carlos Matos, da organização, e do deputado estadual Guilherme Landim (PDT), além de técnicos, pesquisadores e interesses na política de recursos hídricos do Ceará e Nordeste.

(Foto – Divulgação)

Ceará vai ganhar um “Centro de Águas”

Henry assina portaria sob olhares de Francisco Teixeira (SRH).

O reitor da Universidade Federal do Ceará, Henry Campos, assinou, nesta semana, portaria em parceria com diversas instituições do Governo do Estado para o estabelecimento de um grupo de trabalho que planejará a criação de um “centro de águas”. Será um organismo que, segundo a assessoria de imprensa da UFC, vai se empenhar no desenvolvimento da cadeia produtiva dos recursos hídricos.

O novo equipamento, cujo nome ainda não está definido, deverá funcionar no Parque Tecnológico da UFC e terá como papel unir o conhecimento da academia às políticas públicas estaduais.

Assinaram com a UFC a portaria as seguintes instituições: Secretaria dos Recursos Hídricos do Governo do Estado do Ceará (SRH), Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (COGERH), Companhia de Água e Esgoto do Ceará (CAGECE), Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (FUNCEME) e Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FUNCAP).

O centro das águas estará focado em tudo o que diz respeito à área de recursos hídricos, superficiais e subterrâneos.

O reitor Henry Campos destacou que, na criação do Parque Tecnológico da UFC, um dos eixos estratégicos é o de recursos hídricos. “Com o parque, nós criamos uma política de inovação tecnológica, e agora chegamos neste momento muito feliz, que representa a grande virada da Universidade: hoje, a UFC é uma universidade muito mais contemporânea, porque está mostrando a responsabilidade social que ela precisa ter”, defende.

De acordo com Campos, o trabalho de criação desse centro já vem sendo pensado há dois anos, sempre contando com o apoio do Governo do Estado. “Em nosso entendimento, era imperativo que a Universidade aproveitasse o fato de ter um governo comprometido, responsável e aberto ao diálogo e, assim, usar nosso potencial humano.”

O secretário de Recursos Hídricos do Estado, Francisco Teixeira, salientou que a relação da secretaria com a academia sempre foi estreita, apesar de não institucionalizada. “Com essa proximidade com a academia, tivemos um processo de retroalimentação, de feedback muito grande entre a prática e a academia. E a gente não pode se abster de alçar voos mais altos. A ideia é unir a prática e a academia para melhorar não só os procedimentos do nosso dia a dia, mas para avançar ainda mais no sentido de galgar novos patamares”, projeta.

(Fogo – UFC)

Artigo – “Dnocs: por uma nova proposta de trabalho”

114 1

Com o título “Dnocs: uma nova proposta de trabalho”, eis artigo do diretor-geral do órgão, Angelo Guerra. Ele aborda os 110 anos da autarquia e sua história e a necessidade do seu fortalecimento. Confira:

Prestes a completar 110 anos de existência, o Departamento Nacional de Obras Contra as Secas foi o responsável pela construção de 327 açudes públicos de médio e grande porte e de 622 açudes em regime de cooperação ,com capacidade de acumulação de 27,2 bilhões de m³, perenização de mais de 300 km de rios temporários, perfuração de mais de 35 mil poços em regime de cooperação, implantação de 37 perímetros irrigados e de 1.881 km de adutoras, tendo beneficiado 2,7 milhões de pessoas.

O DNOCS tem procurado nos últimos anos retomar as bases de sua criação e o seu real objetivo qual seja o de mitigar os efeitos das adversidades climáticas regionais propiciando ao homem condições de convivência com o meio e promovendo o desenvolvimento regional e, consequentemente, nacional.

O fortalecimento do Órgão é necessário e urgente, devendo se fundamentar em dois pilares : o seu patrimônio construído, representado pela infraestrutura física e produtiva implantada, e o seu patrimônio técnico e tecnológico representado pelo conhecimento acumulado. Uma nova proposta de trabalho deve estabelecer como referência três eixos que deverão balizar as atividades do Departamento : a gestão do patrimônio, a gestão dos recursos hídricos e meio ambiente; e a gestão do conhecimento.

Outra importante questão relacionada à necessidade de se dar ao patrimônio um melhor rendimento, diz respeito à situação dos projetos públicos de irrigação. Tendo em vista a necessidade de recuperação dos projetos antigos do DNOCS e da implementação da autogestão nos projetos em implantação ou recém concluídos, é necessário dinamizar o Programa de Transferência de Gestão, que instituiu a Política Nacional de Irrigação.

Necessário dinamizar, também, o sistema de monitoramento dos reservatórios com a utilização de ferramentas modernas de automação A inclusão da Agência Nacional de Águas (ANA) na estrutura do nosso Ministério .O DNOCS tem uma relação íntima como Projeto de Integração do São Francisco ao qual se integra fisicamente por conta das 23 barragens componentes do seu sistema e através das quais caminharão as águas que abastecerão o Nordeste setentrional.

Outra atividade de extrema importância é o combate à desertificação. O DNOCS, como membro efetivo do Grupo de Trabalho Interministerial criado pelo então Ministério do Meio Ambiente participou da elaboração do Plano de Ação Nacional de Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca, concluído e apresentado por ocasião da Conferência Sul-americana sobre o Combate à Desertificação.

*Angelo Antonio Guerra

angelo.guerra@dnocs.gov.br

Diretor-gerado Dnocs. 

Esvaziamento financeiro do Dnocs será debatido na Assembleia Legislativa

A Comissão de Desenvolvimento Regional, Recursos Hídricos, Minas e Pesca da Assembleia Legislativa vai promover, a partir das 14h30min desta segunda-feira, uma audiência pública para discutir a revitalização e reestruturação do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs). O encontro atende a um requerimento da deputada Fernanda Pessoa (PSDB).

A parlamentar avalia que o Dnocs tem sofrido um processo de descontinuidade de suas atividades ao longo dos anos, em virtude da diminuição do aporte de recursos orçamentários.

“A audiência será de suma importância, pois o Dnocs necessita de apoio dos políticos, bem como continuar sua trajetória de executar ações de convivência com a seca e o desenvolvimento da nossa região”, explica Fernanda Pessoa.

Entre os convidados para a audiência pública estão os deputados federais Roberto Pessoa (PSDB)  e Heitor Freire (PSL-CE), o diretor geral do Dnocs, Angelo Guerra, o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará (Faec), Flávio Saboya, além de representantes da Secretaria de Recursos Hídricos (SRH), Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA), Agência do Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece), Associação dos Servidores do Dnocs (Assecas) e Associação dos Servidores do Dnocs no Estado do Ceará (Asdec).

Transposição do São Francisco – Governo vai estruturar leilão para energia renovável no projeto

O Ministério do Desenvolvimento e o Ministério de Minas e Energia vão atuar em conjunto para estruturar o leilão de geração de energia renovável para abastecer os canais do Projeto de Integração do Rio São Francisco. O objetivo é elevar o potencial energético resultante da infraestrutura do empreendimento – estimado em 3,5 gigawatts (GW) – e garantir recursos para o bombeamento das águas nos eixos Norte e Leste, com custo de aproximadamente R$ 300 milhões por ano.

Essa proposta foi anunciada nessa segunda-feira, em ato que contou com a presença do presidente Jair Bolsonaro, ao lado do ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, e do ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque. Durante a inauguração da primeira etapa da Usina Solar Flutuante instalada no Reservatório de Sobradinho, na Bahia, também foi assinado decreto que coloca o Projeto São Francisco no Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) da Casa Civil da Presidência da República.

O ministro Gustavo Canuto destacou que a iniciativa é inédita, por apresentar a integração de leilões de geração em infraestrutura social para o desenvolvimento regional. A previsão é que o certame ocorra no terceiro trimestre de 2020 e possam ser gerados investimentos da ordem de R$ 15 bilhões.

“O decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro demonstra a importância estratégica do Projeto São Francisco. Hoje a obra foi qualificada como prioridade do Programa de Parcerias de Investimentos. Este é mais um ato de esforço do Governo faz para a conclusão das obras e, também, operação sustentável do sistema. Objetivo é viabilizar um custo menor da água que chegará aos estados e à população do Nordeste”, destacou Canuto.

Além da possibilidade de reduzir a evaporação de água em reservatórios e canais ao longo do projeto, análises técnicas também apontam que, nos dois casos – placas solares flutuantes e placas terrestres de geração de energia solar –, não há necessidade de desapropriação de terras. Os estudos indicam que esse modelo pode beneficiar outras regiões no uso de reservatórios já existentes e ampliar a capacidade potencial de geração de energia do País, hoje de 166 GW, somadas todas as fontes de geração.

Projeto

O Projeto São Francisco é a maior obra de infraestrutura hídrica do Governo Federal. Com 477 quilômetros de extensão em dois eixos de canais, Norte e Leste, o empreendimento visa garantir a oferta de água com regularidade a 12 milhões de pessoas em 390 municípios nos estados do Ceará, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte, onde a estiagem é frequente.

(Foto – Arquivo)

Água Innovation – Seminário debaterá sustentabilidade e eficiência energética

Debater a gestão dos recursos hídricos, apresentar políticas públicas e inovações tecnológicas que podem mudar o cenário de desperdício, além de promover a responsabilidade econômica e ambiental.

Estas são as principais diretrizes do Seminário Água Innovation 2019, que tem como tema da sua terceira edição questões que envolvem a sustentabilidade e a eficiência energética. O evento ocorrerá nos dias 19 e 20 de agosto, a partir das 13 horas, no Hotel Recanto Wirapuru (Bairro Castelão).

“Teremos três ambientes. Um para discutirmos assuntos relacionados à segurança hídrica e outro voltado à inovação, que trata da questão do hackathon, além de um espaço de negócios. Algumas empresas farão a exposição de diversos equipamentos”, destaca o presidente do Comitê Técnico do Água Innovation, Carlos Matos.

Ele adianta que no encontro haverá um seminário paralelo, abordando as soluções do Sistema Integrado de Saneamento Rural (Sisar).

SERVIÇO

*Inscrições: https://aguainnovation.com.br/

MDR terá R$ 1,28 bi para Minha Casa, Minha Vida e continuidade de obras da Transposição

O Ministério do Desenvolvimento Regional recebeu hoje (12) um aporte federal de R$ 1,28 bilhão para garantir a continuidade das obras do Programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV), do Projeto de Integração do Rio São Francisco e, também, de outros empreendimentos que vão reforçar a oferta hídrica em Alagoas, Ceará e Pernambuco. A portaria do Ministério da Economia, que abre Orçamento Fiscal para o crédito suplementar, foi publicada no Diário Oficial da União.

A maior parcela do recurso, R$ 1 bilhão, será destinada ao MCMV, possibilitando a retomada de obras paralisadas, a autorização de 17 mil unidades habitacionais contratadas em 2018 e, ainda, a contratação de 36 mil novas moradias. Segundo o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, o crédito será fundamental para geração de emprego e renda em diversas localidades do País. “Para cada R$ 1 milhão de investimentos no programa habitacional, são gerados cerca de 40 postos de trabalho diretos e indiretos. Ou seja, teremos em torno de 40 mil empregos”, destacou.

Segurança hídrica

Outros R$ 45 milhões serão utilizados na pré-operação do Eixo Leste Projeto de Integração do São Francisco. Desde 2017, o trecho tem assegurado o abastecimento regular de mais de um milhão de pessoas em Pernambuco e na Paraíba.

O empreendimento é composto por dois eixos de transferência de água. O outro eixo – o Norte – está em fase final de execução, com 97% de avanço físico. Os serviços deverão serão concluídos neste segundo semestre e, com isso, as águas do Velho Chico avançarão rumo aos estados do Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte.

Ramal do Agreste

Mais R$ 115 milhões serão aplicados pelo MDR no Ramal do Agreste, localizado no interior de Pernambuco. Em pleno andamento e com 2.600 profissionais contratados, o ramal permitirá que água do Eixo Leste chegue até mais de 2,2 milhões de pessoas na região pernambucana. Neste ano, o Governo Federal já destinou R$ 290 milhões ao empreendimento.

Obras executadas pelos governos estaduais com apoio financeiro do MDR, como o Canal do Sertão Alagoano e o Cinturão das Águas do Ceará, também serão contempladas. Elas vão receber R$ 60 milhões cada.

(Foto – Arquivo)

Senador cobra celeridade do MDR para projetos do interesse do Ceará

O senador Eduardo Girão (Pode) cobrou durante audiência com o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, em Brasília, urgência nas demandas do interesse do Estado ali em tramitação.

Na pauta, a reconstrução da adutora na Chapada do Apodi, rompida no final de junho e que, restaurada, garantirá o atendimento a mais de 15 mil pessoas, além de gerar benefícios para o setor produtivo da região.

Eduardo Girão pediu também ao ministro a inclusão do Cinturão das Águas no plano de metas da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e a abertura de programas da pasta para o custeio de obras e aquisições de equipamentos no Ceará. O Cinturão ds Águas é o projeto por onde entrará no Estado a água do rio São Francisco.

(Foto – Divulgação)

Camilo assina empréstimo com banco alemão para ações de convivência com a seca

O governador Camilo Santana (PT) assinou, nesta quarta-feira, em Brasília, empréstimo da ordem de 50 milhões de euros com o Banco Alemão de Desenvolvimento (KFW). A verba será aplicada na implementação do Programa Águas do Sertão. Com contrapartida de 12,5 milhões de euros do Governo do Estado, o programa receberá investimento total de 62,5 milhões de euros, informa a assessoria de imprensa do Palácio da Abolição.

“Esse projeto vai consolidar nossa posição pioneira em termos de políticas de saneamento rural. O financiamento ampliará a oferta de serviços de água, principalmente nas áreas mais afastadas do Ceará. Temos feito um esforço muito grande para não deixar faltar água aos cearenses e melhorar as condições de saneamento básico”, disse Camilo Santana.

Com o governador nesse ato estavam os secretários estaduais Zezinho Albuquerque (cidades), e Mauro Filho (Planejamento).

O Águas do Sertão deverá beneficiar cerca de 200 mil pessoas e chega como mais um ingrediente de convivência com a estiagem. Há investimentos previstos por meio de soluções de abastecimento de água e esgotamento sanitário.

(Foto – Divulgação)

Uma preparação para o Água Innovation 2019

A evaporação ainda é um dos principais desafios para a administração de recursos hídricos no Ceará. E esse será um dos temas discutidos durante a preparação do hackathon “Água Innovation”, a ocorrer nesta terça-feira, às 16 horas, no auditório do Campus do IFCE, no bairro Benfica.

O ex-deputado Carlos Matos, coordenador do evento, em entrevista à coluna, diz que as universidades têm participação importante na busca de soluções.

“Há macrodesafios e desafios práticos e operacionais”, acrescenta. O hackathon será realizado nos dias 19 e 20 de agosto, com participação de pesquisadores da UFC, Unifor e IFCE.

DETALHE – O Água Innovation ocorrerá d 3 a 6 de julho próximo, no Centro de Eventos.

*Coluna O POVO Economia, da jornalista Neila Fontenele, no O POVO desta segunda-feira.

(Foto – Divulgação)

11 municípios cearenses aguardam poços profundos

Onze sedes municipais podem sofrer problemas de abastecimento de água já a partir do segundo semestre deste ano. É o que revela o titular da Superintendência de Obras Hidráulicas do Estado (Sohidra), Yuri Castro.

Ele afirma que, diante da quadra chuvosa 2019 que não beneficiou todas as regiões, já pediu apoio ao Governo para intensificar a perfuração de poços profundos e evitar o colapso.

Na lista estão as sedes de Mombaça, Pedra Branca e Boa Viagem, por exemplo. Castro revela que, em 32 anos de história da Sohidra, foram perfurados 13 mil poços – 7 mil desses só na primeira gestão de Camilo Santana. “Além de poços, pedimos apoio para intensificar também a implantação de adutoras”, informa.

Mesmo assim, alguns distritos continuarão sendo abastecidos pelo velho carro-pipa.

(Foto – Divulgação)

Governador Camilo e bancada têm audiência com ministro do Desenvolvimento Regional

O governador Camilo Santana (PT)e boa parte da bancada federal do Ceará se reuniu, nesta tarde de quarta-feira, em Brasília, com o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto.

No encontro, Camilo entregou ao ministro uma lista de obras federais no Estado, com aval dos parlamentares coordenados por Domingos Neto (PSD), e solicitou apoio financeiro para uma serie de programas de importância para a área hídrica cearense.

Domingos Neto, após o encontro, disse que um dos principais focos é a segurança hídrica. Nesta semana, ficou acordado que o Governo Federal deve liberar recursos para as obras do Rio São Francisco e, dentro desse projeto, entra o Cinturão das Águas do Estado, por onde a água desse rio entrará no Ceará.

“O Cinturão das Águas é, sem dúvida, uma prioridade”, afirmou o parlamentar, enquanto o ministro Gustavo Canuto prometeu trabalhar para que o Ceará não tenha problemas de escassez de água.

“Diante disso, definimos que vamos marcar uma agenda com o ministro Paulo Guedes para que ele entenda a importância das nossas obras hídricas, de saneamento e demais áreas e, assim, possamos chegar a uma solução em conjunto”, informou o deputado Domingos Neto.

(Foto e Vídeo – Divulgações)

Dnocs tem mais da metade da verba de custeio contingenciada

O orçamento do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), em matéria de custeio, está 50,73% contingenciado. É o que revela o diretor-geral do órgão, Ângelo Guerra.

Ele adianta que no item relacionado às obras, o corte foi de 30,43%.

Por essas e outras, Ângelo tem peregrinado semanalmente pelo Ministério do Desenvolvimento Regional, em Brasília, tentando reverter esse quadro de certo esvaziamento.

(Foto – Paulo MOska)

Editorial do O POVO – “Balanço hídrico: apreensão continua”

Com o título “Balanço hídrico: apreensão continua”, eis o Editorial do O POVO desta sexta-feira. Aborda o fim do inverno e um cenário onde não houve recuperação dos açudes que abastecem a Grande Fortaleza Confira:

Terminada a quadra chuvosa (fevereiro, março, abril e maio), o Ceará finaliza o balanço hídrico para ter uma ideia das reservas existentes para enfrentar os tempos de escassez de água, até o próximo período chuvoso. As notícias não são tranquilizadoras, pois as chuvas caídas durante o período findo não trouxeram grandes aportes ao que estava armazenado. No todo, choveu apenas 12,6% acima da média normal (que é de 676,3 milímetros). E olhe-se que foi o melhor resultado dos últimos sete anos.

Como sempre, houve muita disparidade na oferta proporcionada por cada região do Estado. O que leva à necessidade de se manter um esquema rigoroso de acompanhamento para evitar surpresas desagradáveis. Sobretudo, porque que ainda não foi dessa vez (em maio último) que se concluiu o pequeno trecho final da transposição das águas do rio São Francisco, como estava prometido pelo governo federal. Deu bolo outra vez.

Em termos quantitativos, as chuvas trouxeram um aporte de 2,75 milhões m³ de água no sistema de abastecimento. Alcançando, com isso, 21,46% da capacidade de armazenamento. Não mudou o desequilíbrio de armazenagem…

*Confira a íntegra do Editorial do O POVO aqui.

(Foto – Fábio Lima)

Fim de Inverno – Açudes cearenses têm média de 21,2% do volume ocupado

A capacidade hídrica do Ceará já atingiu 21,2% do volume total durante a quadra chuvosa de 2019, que termina oficialmente no próximo dia 31. Em comparação com o fim da quadra do ano passado, quando o Estado acumulava 17% da capacidade dos açudes preenchida, a recarga dos reservatórios neste ano é, até agora, quatro pontos percentuais maior.

Essa é a maior capacidade registrada desde 2015. No entanto, os dados consolidados sobre a situação atual do abastecimento do Ceará ainda não foram gerados. O balanço dos meses chuvosos (fevereiro, março, abril e maio) será divulgado apenas no começo de junho pela Secretaria dos Recursos Hídricos (SRH).

Maior reservatório do Estado, o Castanhão chega a estes últimos dias…

*Confira a íntegra da matéria da reporte Alexia Vieira no O POVO aqui.

Recarga de açudes neste 2019 já supera o registrado em todo o ano passado

Açude Araras foi quem pegou maior carga até agora.

O aporte nos açudes do Ceará em 2019 já soma 2,49 bilhões de metros cúbicos (m³). Neste último mês da quadra chuvosa, o número já ultrapassa a quantidade de recarga registrada nos reservatórios em todo o ano de 2018. De acordo com dados da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), o volume é o maior dos últimos nove anos, não superando o valor de 2011 (7,84 bilhões de m³).

Abril foi o mês deste ano que mais gerou aporte para os açudes do Estado, com 1,36 bilhão de m³ contra 1,14 bilhão do mesmo período em 2018.

A resenha diária lançada pela companhia domingo, 5, mostrou também que a recarga recebida nos cinco primeiros dias de maio superou a marca do mesmo mês inteiro no ano passado.

Atualmente, existem 34 açudes sangrando e 40 com volume acima de 90%. No entanto, ainda são 73 os reservatórios com menos de 30% da capacidade preenchida.

Durante o período chuvoso, o açude Araras foi o que mais recebeu aporte, ficando com o total de água acumulada 157% maior. Isso representa um aumento de 353 milhões de m³. O Castanhão, maior reservatório do Estado, foi o segundo que mais recebeu recarga, com 150 milhões de m³.

Até segunda-feira, 6, os açudes do Ceará somam 3,865 hm³, o que representa 20% da capacidade total dos reservatórios hídricos. Em 31 de janeiro, antes dos meses mais chuvosos, esse valor era 1,965 hm³.

Previsão de chuvas

Os primeiros dias de maio estão sendo de poucas chuvas, apesar de ainda ser parte da quadra chuvosa. De domingo para esta segunda-feira, choveu em 25 municípios monitorados pela Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme). A diminuição é atribuída ao afastamento do sistema indutor de precipitações da costa do Nordeste, a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT).

Para os próximos dois dias, a previsão continua sendo de nebulosidade variável e eventos de chuvas no centro-norte.

(O POVO – Repórter Alexias Vieira)