Blog do Eliomar

Categorias para Segurança Pública

Moro diz não ver problema com fiscalização de ações policiais

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, disse não ver problemas na fiscalização da atividade das forças policiais em geral, nem nas ações desenvolvidas no âmbito do programa Em Frente Brasil, cujo projeto-piloto foi lançado pelo governo federal no dia 29 de agosto.

“Não existe nenhum problema com a fiscalização da atuação das forças policiais, sejam elas locais, sejam das forças nacionais”, disse Moro durante uma coletiva de imprensa em São José dos Pinhais (PR), na região metropolitana de Curitiba.

A declaração de Moro, foi motivada por uma pergunta a respeito da fala do presidente Jair Bolsonaro sobre a iniciativa do prefeito de Cariacica (ES), Geraldo Luzia Júnior, de liberar a linha 162, da Ouvidoria Municipal, para receber denúncia contra excessos dos agentes federais que chegaram na cidade para reforçar a segurança pública. Ao tomar conhecimento do caso, o presidente Jair Bolsonaro disse que sugeriria ao ministro Sergio Moro que a experiência em Cariacica fosse interrompida.

São José dos Pinhais e Cariacica estão entre os cinco municípios com elevados índices de violência que integram o projeto-piloto do programa lançado há pouco mais de um mês, em caráter experimental. Além de São José dos Pinhais, na região Sul, e de Cariacica, no Sudeste; também participam da iniciativa Ananindeua (PA), na região Norte; Paulista (PE), no Nordeste; e Goiânia (GO), no Centro-Oeste.

Bolsonaro destacou que o programa prevê a participação não só da Força Nacional, mas de vários outros órgãos de Estado. Anunciado como uma iniciativa para reduzir a violência e a criminalidade, o Em Frente Brasil envolve os ministério da Justiça e Segurança Pública; da Cidadania; da Educação; da Saúde; do Desenvolvimento Regional; da Economia; da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos; da Casa Civil; além da Advocacia-Geral da União (AGU) e órgãos estaduais e municipais. O foco principal são os crimes violentos como homicídios, feminicídios, estupros, latrocínios e roubos.

De acordo com Moro, a fala desta quinta-feira do presidente Bolsonaro “retrata uma insatisfação” de setores mais amplos. “O grande problema foi a forma como isto foi colocado por quem teve a iniciativa de gerar esta situação”, disse o ministro. “Como se a Força Nacional fosse uma intrusa, fosse algo incômodo, e não estivesse lá para ajudar, servir e proteger as pessoas. A insatisfação do presidente é exatamente com esta iniciativa”, concluiu o ministro.

Prefeitura

Em nota, a prefeitura de Cariacica informou que o canal para que cidadãos que se sintam desrespeitados denunciem eventuais abusos de autoridade já funciona desde 2017, no âmbito da Ouvidoria Municipal. Trata-se do telefone 162.

“Como o Programa Em Frente Brasil de enfrentamento à criminalidade violenta se trata de um projeto-piloto, construído pelos três entes (União, Estado e Município), o município abriu um canal específico voltado à [receber a] contribuição dos cidadãos”, afirma a prefeitura, classificando o episódio como um “desencontro de informações”. “O município acredita no poder resolutivo do programa e por isso aderiu ao mesmo.”

Em um vídeo divulgado pelas redes sociais pouco após o pronunciamento de Bolsonaro, o prefeito Geraldo Luzia Júnior garante que o telefone 162 recebe sugestões, contribuições, reclamações e dúvidas dos munícipes. “Colocamos este mesmo canal à disposição do Programa Em Frente Brasil, oferecido pelo governo federal. [Assim] Todos podem contribuir para termos o sucesso com este programa de enfrentamento à violência criminal. Até agora, não recebemos nenhuma denúncia criticando a Força [Nacional de Segurança Pública] ou as nossas polícias Civil e Militar. Fizemos muita força para que este programa viesse para Cariacica […] e nos colocamos à disposição do governo federal se tivermos que fazer alguma mudança para que este programa continue dando certo.”

(Agência Brasil)

Bolsonaro critica disque-denúncia contra Força Nacional

O presidente Jair Bolsonaro comentou nessa quinta-feira (3) a criação de um disque-denúncia contra eventuais abusos por parte de homens da Força Nacional de Segurança que estão atuando em Cariacica (ES), cidade da região metropolitana de Vitória. O município é um dos cinco do país que fazem parte do projeto piloto do governo federal para redução de crimes violentos, batizado de Em Frente, Brasil.

“Se é o que estou pensando, vou falar com [Sergio] Moro, se começarem a denunciar policiais, a gente troca de município”, afirmou o presidente. Ele se referia à iniciativa do prefeito de Cariacica, Geraldo Luzia de Oliveira Junior, o Juninho, que liberou a linha 162, da Ouvidoria Municipal, para receber denúncia contra excessos dos agentes federais que chegaram na cidade para reforçar a segurança pública.

Para o presidente, muitas vezes ocorrem denúncias falsas, por parte do crime organizado, para prejudicar a atividade policial. “Não podemos expor os nossos agentes de segurança a serem submetidos ao disque-denúncia que, na maioria das vezes, é mentira o disque-denúncia, são os bons policiais que são denunciados”, acrescentou.

Bolsonaro defendeu a eficácia do Em Frente, Brasil, que completou 30 dias de lançamento esta semana. Além de Cariacica, o projeto está sendo implantado em Ananindeua (PA), Goiânia, Paulista (PE), e São José dos Pinhais (PR).

“De concreto, nestes últimos 30 dias, diminuiu em 53% o número de homicídios. Então, o programa, pelo que tudo indica, está obtendo sucesso.”

Bolsonaro também comentou pontos de um novo decreto editado esta semana, que regulamenta o acesso a armas de fogo e produtos controlados pelo Comando do Exército.

Entre as mudanças, a norma dispensa policiais e militares de passar por exames para renovar autorização de armas pessoais e também libera a aquisição de acessórios de armas antes proibidos por parte de empresas, colecionadores, policiais e quem possui porte ou posse de armamento.

Outra medida regulamentada pelo decreto é a que estabelece comunicação obrigatória de perda, furto, roubo ou extravio de armas em até 72 horas. As principais mudanças de decretos anteriores, apresentados em junho, ficam mantidas.

(Agência Brasil)

Bolsonaro: criminoso é quem deve temer a lei, não o cidadão

O presidente Jair Bolsonaro disse hoje (3) que o pacote anticrime, em tramitação no Congresso Nacional, foi elaborado “para ser temido por marginais e não pelo cidadão de bem”. Ele fez críticas a “órgãos da Justiça e do Ministério Público, que buscam transformar auto de resistência em execução”.

“O ativismo em alguns órgãos da Justiça e do Ministério Público na política busca, cada vez mais, transformar auto de resistência em execução. É doloroso você ver um policial chefe de família preso por causa disso. Muitas vezes vemos policiais militares serem alçados por uma função, aí vem a imprensa dizer que ele tem 20 autos de resistência. Tem de ter 50. É sinal de que ele trabalha, que faz sua parte, e de que ele não morreu”, disse o presidente, na cerimônia de lançamento das campanhas publicitárias a favor do pacote, no Palácio do Planalto.

Autos de resistência ocorrem quando policiais usam dos “meios necessários” para efetuar prisões contra pessoas suspeitas de terem praticado um crime. Já o excludente de ilicitude, ao classificar essa ação como legítima defesa por parte do policial, exime dele, qualquer ilícito consequente. As duas ferramentas jurídicas estão entre os pontos polêmicos do pacote anticrime original apresentado pelo governo. Segundo seus críticos, tanto os autos de resistência como os excludentes de ilicitudes seriam uma espécie de carta branca para a polícia matar.

“Queremos mudar a legislação para que a lei seja temida pelos marginais e não pelo cidadão de bem. Esse é o espírito da lei e o objetivo da propaganda do projeto anticrime”, disse o presidente referindo-se à campanha anunciada no Planalto.

Ao defender o pacote, Bolsonaro disse serem muito comuns casos de policiais presos injustamente por apenas cumprirem suas funções. “Quantas vezes visitei o presídio da PM [Polícia Militar] em Benfica, no Rio de Janeiro, e conversei com os homens da segurança que estavam no comando, com policiais e com bombeiros presos. Conversando com eles, não mais que sentimento, tive a certeza de que, lá dentro, tinha muitos inocentes. Basicamente por excessos. Pode, de madrugada, na troca de tiro com marginal, policial dar mais de dois tiros e ser condenado por excesso? É um absurdo isso.”

O presidente disse ter a certeza de que o Congresso vai aprovar o pacote anticrime. “Não raras vezes fui ao Cemitério Jardim da Saudade acompanhar o enterro de policiais militares, militares das forças armadas e civis vitimados por criminosos. Tenho certeza de que haverá o consentimento do Parlamento, e a proposta será aprovada. E aquele que, por ventura, no futuro, quiser praticar um crime, vai pensar muito antes de cometê-lo, porque saberá que certas regalias como saidões deixarão de existir. Saidão pode existir, mas da cela para o pátio da prisão”, disse o presidente, ao pedir a colaboração de parlamentares para aprovar o pacote.

Brasil sem lei

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, disse que a aprovação do pacote será a oportunidade para que governo e parlamentares “mandem mensagem clara de que os tempos do Brasil sem lei e Justiça chegaram ao final”.

“Há algum tempo tínhamos certa percepção de que vivíamos em uma terra sem lei e sem Justiça. Vivenciamos nos últimos cinco anos, principalmente, revelações de um grande sistema de corrupção. Assistimos nos últimos 15 anos ao crescimento e ao fortalecimento de organizações criminosas no Brasil. Organizações que, muitas vezes, o Estado não tinha coragem de enfrentar”, disse o ministro.

“Hoje mesmo foi publicado que houve queda de 22% do número de assassinatos na comparação com o mesmo período do ano passado. Isso significa que 7.109 pessoas não morreram assassinadas por crimes violentos, em relação ao ano anterior”, acrescentou Moro ao defender a atual política de segurança do governo.

Pacote

O pacote anticrime está entre as metas apresentadas pelo governo como prioritárias de seus 100 primeiros dias. Foi apresentado com a justificativa de combater a corrupção e melhorar a segurança pública no país.

O pacote é composto por três projetos de lei (PLs). O PL 1.865 de 2019 criminaliza o uso de caixa dois em eleições; o PL 1.864 de 2019 estabelece medidas contra a corrupção, o crime organizado e os crimes praticados com grave violência, e o PLC 89 de 2019 estabelece regras de competência da Justiça comum e da Justiça eleitoral.

(Agência Brasil)

Sem força para enfrentamento, criminosos apelam para ataques a trabalhadores

Sufocados pela força e inteligência policial, criminosos apelam para ataques contra trabalhadores, que nada podem interferir no sistema penitenciário, tampouco influenciar nas decisões da segurança pública.

Foi o que ocorreu na manhã deste domingo (29), no bairro Jangurussu, quando criminosos atearam fogo em um velho caminhão, que era utilizado pelo seu proprietário para fretes e mudanças.

De acordo com o relato do proprietário do caminhão à Polícia, não há recursos para a recuperação do veículo.

O ataque foi o último registrado pela Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), que hoje apresentou mais um balanço das ações criminosas no Estado.

Segundo os dados dos últimos 10 dias, já são 143 pessoas detidas, sendo 110 adultos e 33 adolescentes, com 108 ocorrências consumadas.

(Foto: Arquivo)

94 ocorrências/125 detidos – SSPDS faz balanço dos ataques criminosos no Estado

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) apresentou no início da noite dessa sexta-feira (27) um balanço dos ataques criminosos no Ceará, que completou uma semana.

Segundo dados da secretaria, foram registradas 94 ocorrências consumadas, com 125 detidos, sendo 93 são maiores de idade e 32 são adolescentes, além do cumprimento de 48 mandados de busca e apreensão.

Desde o início da noite de ontem, a Polícia Militar intensificou a presença nas ruas, como parte da Operação Contra-Ataque, que conta com a participação de policiais militares do Policiamento Ostensivo Geral (POG), do Comando de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (CPRaio), do Comando de Policiamento de Choque (CPChoque), Batalhão de Polícia de Trânsito Urbano e Rodoviário Estadual (BPRE), Batalhão de Policiamento Ambiental (BPMA), Batalhão de Policiamento Turístico (BPTur) e Regimento de Polícia Montada (RPMont).

(Foto: Arquivo)

Secretário Mauro Albuquerque e uma pausa na luta contra o crime organizado

558 2

Em meio ao enfrentamento das forças de segurança do Estado contra um grupo do crime organizado, o secretário da Administração Penitenciária, Mauro Albuquerque, completou, nesta sexta-feira, mais um ano de vida.

Aplaudido pelos companheiros de trabalho, que se dedicam diuturnamente, Mauro agradeceu o empenho da equipe e reafirmou sua missão de vida em combater o crime. Mauro também anunciou sua última medida tática de combate ao crime.

Ele decidiu fechar definitivamente a cadeia pública da cidade de Quixadá. A unidade tinha 121 presos que foram redistribuídos em outras unidades do Estado.

Os agentes penitenciários da região foram realocados para o Litoral Oeste e Região Metropolitana de Fortaleza.

(Vídeo – Leitor do Blog)

Camilo conversa com Bolsonaro e agradece apoio contra ataques criminosos no Ceará

699 5

O governador Camilo Santana conversou nesta quinta-feira (26), por telefone, com o presidente Jair Bolsonaro, quando agradeceu o apoio do Governo Federal contra os ataques criminosos que o estado enfrenta desde sábado (21).

“Ressalto ainda que tenho mantido permanente contato com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, sobre a situação no Ceará. E que hoje conversei também, por telefone, com o presidente Jair Bolsonaro, a quem agradeço pelo apoio demonstrado”, disse Camilo, em publicação nas redes sociais.

Pela manhã, Camilo reuniu o comando da Segurança Pública do Estado e avaliou as ações e estratégias de combate ao crime.

“Ressalto a importância das outras instituições e das forças de segurança parceiras, que têm atuado em defesa da sociedade: Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Abin, Centro Integrado Regional de Inteligência, Guarda Municipal de Fortaleza, Ministério Público e Justiça”, comentou Camilo.

(Foto: Reprodução Facebook)

Camilo está em contato direto com Sergio Moro, diz secretário; não há pedido de Força Nacional

 

O governador Camilo Santana (PT) está em contato direto com o ministro da Justiça e Segurança, Sergio Moro, trocando informações sobre a onda de ataques criminosos que se registram no Ceará desde a noite da última sexta-feira. Ainda não há solicitação de apoio da Força Nacional, mas pedido de 200 radiocomunicadores para reforçar ações.

A informação foi dada nesta noite de terça-feira pelo secretário da Segurança Pública e Defesa Social do Estado, André Costa, durante entrevista ao vivo jornal CE TV -2 ª edição, da TV Verdes Mares.

O secretário informou que a onda de ataques é praticada por uma facção que insiste em querer a volta de “regalias”, hoje banidas do sistema prisional cearense sem tomadas de energia, o que impede recarregamento de celulares, e visitas intimas à vontade.

André Costa reafirmou que o Estado não vai ceder às pressões de facção. Não falou o nome, mas a informação é de que a GDE seria a responsável pelos ataques.

(Foto – Evilazio Bezerra)

Retorno de regalias em presídios é zero, diz Camilo

O governador Camilo Santana disse na tarde desta segunda-feira (23), no Palácio da Abolição, que o não há possibilidade do Estado ceder às pressões de criminosos para regalias em presídios do Ceará.

“A possibilidade do retorno às regalias nos presídios é zero”, disse Camilo, por meio das redes sociais, após se reunir com a cúpula da segurança pública.

“Não recuaremos em absolutamente nada nas medidas que foram tomadas até aqui. Muito pelo contrário, seremos cada vez mais rigorosos com quem desrespeitar a lei”, ressaltou o governador, diante da apreensão de celulares em presídios, transferência de líderes de facções criminosas e punições contra atos de indisciplina.

“Minha determinação aos comandos é endurecer ainda mais contra o crime, agindo com firmeza e dentro da lei. Reforçaremos as equipes nas ruas e intensificaremos ainda mais as operações”, informou.

(Foto: Facebook)

Artigo – “Atitude suspeita”

Com o título “Atitude suspeita”, eis artigo que o jornalista Plínio Bortolotti publica em seu Blog, nesta quinta-feira. Ele aborda o caso da morte de adolescente, por bala, durante ação policial no bairro Vicente Pinzon, em Fortaleza. Confira:

Nenhuma das versões colhidas pelo repórter Igor Cavalcante, na notícia “Adolescente de 14 anos morre após ser baleado durante abordagem policial no Vicente Pinzon” (14/4/2019), justifica a atitude do PM que disparou a arma.

Conforme testemunhas disseram ao jornalista, os adolescentes estava em uma festa na Praça do Mirante e teriam se assustado com a abordagem policial. Com medo, saíram correndo, e o agente disparou a arma.

Em outro relato, moradores mencionaram que estava na praça “só a molecada de 14, 15 anos”, que tem o hábito de reunir-se ali. No dia, o local estava mais cheio, devido à festa. Os policiais teriam chegado de moto, mandando o grupo se dispersar. Quando os jovens estavam saindo, houve o tiro.

Na terceira versão, da polícia, a equipe de PMs avistou o grupo em “atitude suspeita” e, durante a abordagem os militares teriam sido recebido a pedradas. Nesse momento, um soldado fez o disparo para o chão, a bala teria ricocheteado, acertando mortalmente o adolescente.

Mesmo um leigo em segurança pública há de ter a noção que disparar uma arma de fogo deveria ser o último recurso a ser utilizado em uma ação policial, nunca o primeiro, como parece ser recorrente. Nem mesmo uma suposta reação agressiva dos jovens seria motivo suficiente para a reação desproporcional.

No ano passado anotei pelo menos seis casos de abordagens desastrosas da Polícia, que terminaram em morte. E cada leitor poderá lembrar-se de pelo menos um caso emblemático, em qualquer época.

Assim, esse tipo de abordagem violenta não é fortuito, é um método, pelo qual precisam responder o comandante da PM, Alexandre Ávila, o secretário da Segurança Pública, André Costa (dono de um discurso belicoso) e o governador Camilo Santana (PT).

E esse procedimento tem um alvo: volta-se contra aqueles que vivem em constante “atitude suspeita”: os negros e os pobres, que continuam sendo vistos como “classes perigosas”.

*Plínio Bortolotti,

Jornalista do O POVO.

Artigo – “Continuamos a morrer…”

Com o título “Continuamos a morrer…”, eis artigo de Técio Nunes Salgado, secretário-geral do PSOL do Ceará. Ele expõe sua indignação com a morte do garoto Juan, no fim de semana, por ocasião de uma abordagem policial absurda. Confira:

Com o nosso sangue e sobre a nossa pele, o Brasil escreveu e continua a escrever a sua história.
Violento, cretino, cruel, sádico, covarde, racista… assim é o capitalismo e quem o governa. Excludente, elitista, desigual e propositalmente depressivo. Processos desiguais mas combinados.

Há relação direta dos pretos e pretas que morrem com um sistema onde uma “elite” de brancos fica cada vez mais rica.
E como há!

Escrevo isso agora, neste exato momento. Triste mas, extremamente indignado (não sei se vocês conseguem sentir o que sinto a partir do que escrevo).

TRISTE com a morte, o assassinato da criança Juan Ferreira dos Santos, de 14 anos, que estava numa festa na pracinha do bairro quando um policial militar decidiu (não se sabe se sozinho) dispersar o evento (coisa “comum” nas periferias) com tiros de bala letal direcionados à população. Um tiro atingiu Juan de forma fatal. Fatal!

INDIGNADO, porque sei qual era a sua cor de pele, sei qual era a sua condição social e porque sei que ele morava no Vicente Pizon, bairro da periferia de Fortaleza. Sei que ele não foi o primeiro e, enquanto houver capitalismo e sua brutal desigualdade social/racial, ele, Juan, não será o último.

Triste/Indignado, condição necessária para se pensar em reação.
Reação! Já que nossa resistência está mais parecida com resiliência.

Triste e indignado…
Espero que você que lê esse texto sinta o mesmo. Com mais pessoas tristes e indignadas podemos mudar o mundo. E mudar o mundo é necessário. Tão necessário que “eles” querem “vender” a ideia de que mudar não é possível.
A nossa reação mostrará que sim. É possível mudar. Brecht já havia nos dito anos atrás!

Tecio Nunes Salgado,

Secretário-Geral do PSOL do Ceará.

Na Alemanha, Camilo Santana negocia compra de dois helicópteros para frota do Ciopaer

471 1

Em visita à Alemanha, nesta segunda-feira, o governador Camilo Santana manteve reuniões com a diretoria da Airbus. Ali, tratou da compra de mais dois helicópteros para reforçar a frota da segurança pública do Estado.

“Tenho um compromisso de reforçar cada vez mais nossas forças de segurança para combater a criminalidade e proteger nossa população”, disse Camilo.

Ele lembra que a fota do Ciopaer, além do combate diário ao crime, ajuda a salvar vidas, através do transporte aeromédico em todo o estado. É hoje uma das mais modernas do País.

Vamos ampliar nossas bases da Ciopaer, hoje já presentes em Fortaleza, Sobral, Juazeiro e Quixadá, para chegar cada vez mais rápido em qualquer lugar do Ceará. A próxima base será em Crateús” nunciou o governador por meio de sua página no Facebook.

Juazeiro do Norte oficializa programas de combate e prevenção à violência contra a mulher

José Arnon, ao lado de Maria da Penha, oficializou projetos da área.

A Prefeitura de Juazeiro do Norte, por meio da Secretaria de Segurança Pública e Cidadania e da Secretaria de Desenvolvimento Social do Trabalho, implantou a Patrulha Maria da Penha e o Projeto Das Marias – pela Paz, pela Vida. Segundo o prefeito José Arnon (PTB), são políticas públicas voltadas à prevenção e ao combate à violência contra a mulher nesse município.

O anúncio dos projetos ocorreu em clima de solenidade que contou com a presença da ativista cearense Maria da Penha, farmacêutica que virou símbolo da luta pela punição dos agressores contra a mulher no Brasil e no mundo e que dá nome a lei federal.

No ato, Maria da Penha afirmou estar na expectativa de que ocorra a redução do número de reincidência da violência a partir da fiscalização do cumprimento das medidas protetivas, que será realizada pelo patrulhamento da Guarda Civil, e da reeducação dos agressores, foco do projeto Das Marias. Ela também defendeu a implementação de Centros de Referência da Mulher dentro de postos de saúde ou de hospitais para orientar as vítimas sobre os seus direitos e facilitar as denúncias.

Durante o evento, o prefeito José Arnon assinou o termo de cooperação com o Juizado da Violência Doméstica e Familiar. Assim, a Guarda Civil irá receber as demandas de medidas protetivas e programará as visitas periódicas às vítimas, combatendo e prevenindo novas agressões.

SERVIÇO

*Para denunciar está disponível um aplicativo gratuito para Android: Shout, que significa grito em inglês. Inicialmente, 16 guardas civis farão o patrulhamento; quatro atuarão 24h por dia, inclusive nos finais de semana. O trabalho começará na próxima segunda-feira, 16. Eles foram devidamente capacitados, passaram por prova escrita e entrevista psicológica.

(Foto – Divulgação)

Itarema será contemplada com Batalhão do RAIO em nova fase do projeto

O governador Camilo Santana (PT) confirmou o que nossa coluna no O POVO divulgou na última quarta-feria: a partir de agora, cidades com até 30 mil habitantes passarão a contar com Batalhão do RAIO. Camilo falou durante entrevista ao Debates Grandes Nomes, da Rádio O POVO/CBN, nessa quinta-feira.

A informação, inclusive, havia sido divulgada pelo deputado federal Robério Monteiro (PDT), adiantando que o município de Itarema (Litoral Oeste) será o primeiro contemplado com o RAIO.

Itarema, além de importante produtor de pescado, é, também, conhecida por seu potencial turístico.

(Foto – Agência Câmara)

Camilo anuncia novas bases do Raio e reforço nas operações policiais

Reunido com todo o estafe da segurança pública do Estado, nesta sexta-feira, na sede da SSPDS, o governador Camilo Santana (PT) anunciou a implantação de novas unidades do Comando de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (CPRaio). Serão beneficiados os municípios de Itarema, Paracuru e Mauriti que, também, receberão o reforço de policiamento ainda neste ano.

“O Raio é um batalhão especial, de elite, todo motorizado e altamente treinado, que ajuda muito no policiamento das cidades cearenses. Temos realizado muitos investimentos em segurança. Nos últimos quatro anos, foram 44 batalhões do Raio inaugurados e mais de 10 mil profissionais contratados para a área da Segurança”, disse o governador Camilo Santana.

De acordo com a assessoria de imprensa do Palácio da Abolição, atualmente 44 cidades (acima de 50 mil habitantes) cearenses já receberam batalhões do Raio.

Expansão

Na próxima fase de implementação, que será realizada nos municípios acima de 30 mil habitantes, outras 18 cidades serão contempladas a partir do ano que vem – Amontada, Bela Cruz, Guaraciaba do Norte, Ipu, Ipueiras, Itaitinga, Jaguaribe, Jaguaruana, Massapê, Missão Velha, Nova Russas, Paraipaba, Pedra Branca, Pentecoste, Santana do Acaraú, Tabuleiro do Norte, Ubajara e Várzea Alegre.

A reunião desta sexta-feira contou com a participação de comandantes da SSPDS, Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Perícia Forense e Sistema Penitenciário. “Avaliamos os resultados e houve planejamento das próximas ações em todas as regiões do Estado para garantir policiamento mais eficaz no combate ao crime.

(Foto – SSPDS)

Ceará registra pelo 16º mês consecutivo redução dos crimes violentos

348 1

O Ceará chega ao 16º mês seguido de queda em se tratando de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs). A marca histórica é alcançada após a consolidação dos números do mês de julho de 2019, quando o Estado registrou 48,1% de redução no índice, que soma os casos de homicídio doloso/feminicídio, lesão corporal seguida de morte e roubo seguido de morte (latrocínio). Foram 196 casos em 2019 frente aos 378 do ano passado, o que representa 182 mortes a menos em todas as regiões do Estado. Os números foram compilados pela Gerência de Estatística e Geoprocessamento (Geesp) da Superintendência de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública (Supesp), vinculada à Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), que divulgou os dados nesta terça-feira.

Julho de 2019 também marca o menor número de mortes no Ceará nos sete primeiros meses do ano, desde 2009, quando a séria histórica do indicador começou a ser consolidada. Assim como o Estado, a capital Fortaleza vem acumulando quedas consecutivas por 17 meses, ou seja, desde março de 2018. Os números de CVLIs vêm reduzindo mês a mês na Capital comparado ao mesmo período do mês anterior. Em julho deste ano, foram contabilizados 69 casos contra 130 de julho de 2018, correspondendo a uma queda de 46,9%, ou 61 registros de mortes a menos no mesmo intervalo.

Redução

Entre as razões para a manutenção de quedas sucessivas no Ceará está a continuidade dos trabalhos voltados para combater os crimes contra a vida e o investimento feito em estratégias tecnológicas pautadas no enfrentamento à criminalidade. “Algumas questões explicam o diferencial no Ceará. Aqui temos inovado e criado estratégias apoiadas por tecnologias disruptivas e criando a primeira área de ciência de dados na segurança pública do País. Das inúmeras iniciativas que utilizamos para perseguir a redução da criminalidade no Estado está a integração entre as instituições e investimento no ingresso de novos servidores, na formação continuada dos profissionais da segurança pública, na aquisição de equipamentos, assim como na inserção de pesquisadores de universidades na construção de novas ferramentas tecnológicas, voltadas para as necessidades das forças de segurança. Não começamos esse trabalho do dia para noite”, ressalta o secretário da Segurança Pública do Ceará, André Costa.

O secretário completa a lista de iniciativas com a territorialização do policiamento em áreas vulneráveis da Capital e as medidas adotadas dentro dos sistemas prisionais do Estado. “Acrescente-se a estratégia de territorialização do policiamento com as bases do Programa de Proteção Territorial e Gestão de Riscos (Proteger) da Polícia Militar e o trabalho de dissuasão focada da Polícia Civil em microterritórios onde havia maiores disputas entre organizações criminosas. É fundamental também o trabalho desenvolvido no sistema penitenciário do Ceará pelos agentes penitenciários”, frisou.

Territórios em julho

A maior redução percentual registrada nos territórios do Estado foi no Interior Norte, região que compreende os municípios das Áreas Integradas de Segurança 14, 15, 16 e 17. Foram computados 45 casos a menos de CVLI, saindo de 77 de julho em 2018 para 32 este ano, representando uma queda de 58,4% na região. Logo em seguida, vem a Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), que concentra as AISs 11, 12 e 13. Lá os números de julho de 2019 também caíram mais da metade se comparados com o mesmo mês do ano anterior: 52,8%. Foram registradas 57 mortes a menos no período, de 108 casos em 2018 para 51 em 2019. Por fim, o Interior Sul, que engloba as AISs 18, 19, 20, 21 e 22, marcou 30,2% de queda no mês de julho de 2019, saindo de 63 para 44 casos.

(Foto – Júlio Caesar)

Bolsonaro lança dia 25 o Plano Nacional contra Crimes Violentos, anuncia General Theophilo

O secretário nacional da Segurança Pública, general Guilherme Theophilo, anuncia: o Plano Nacional de Enfrentamento aos Crimes Violentos, que ocorrerá em cinco cidades de cada região do País, será lançado pelo presidente Bolsonaro no próximo dia 25, em Brasília.

A proposta, carro-chefe do Ministério da Justiça no combate à violência, será executada através de ações em áreas como educação, saúde, geração de emprego e desenvolvimento regional, envolvendo oito ministérios, segundo o general.

A ideia é que os municípios selecionados – Ananindeua (PA), Cariacica (ES), Paulista (PE), São José dos Pinhais (PR) e Goiânia (GO) se tornem, em cada uma das suas regiões, modelo de enfrentamento ao crime e o plano possa ser replicado em outras cidades. Os critérios nessa escolha foram o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), população e indicadores de violência.

Esse é o plano que não incluiu Maracanaú (RMF) por pendenga política entre o general Theophilo e o governo do Ceará.

(Foto – Fabio Lima)

Acopiara recebe unidade do Raio nesta quinta-feira

Nesta quinta-feira, às 17 horas, o governador Camilo Santana vai inaugurar, em Acopiara (Centro-Sul), uma unidade do Comando de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (CPRaio) da Polícia Militar do Ceará. Também entregará o sistema de videomonitoramento da cidade (17 câmeras).

Acopiara é a 43ª cidade do Interior a receber o efetivo do CPRaio e passa a integrar ainda a lista das 44 cidades do Interior e da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) com o sistema de câmeras integradas à Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops) da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social.

(Foto – Divulgação)

Governo divulga vídeo anunciando os novos investimentos feitos na Segurança

Eis que o governo do Ceará está divulgando na mídia o NESP.

Trata-se da Nova Estratégia de Segurança Pública, que expõe, em vídeo institucional e com jeitão cinematográfico, os últimos investimentos feitos pelo governo de Camilo Santana na área da segurança.

O governador vem reiterando sempre que vai deixar o setor como um dos mais bem equipados e organizados do País. Aliás, falta, no entanto, nessa promessa, incluir a Polícia Civil e garantir, por exemplo, um plano de cargos e carreira que contemple escrivães e inspetores.

Camilo deverá rever afastamento de policiais que trocam tiros com criminosos

O governador Camilo Santana deverá avaliar o artigo 18 da Lei da Controladoria, que trata do afastamento de policiais que trocaram tiros com criminosos. A informação é do deputado federal Capitão Wagner (Pros), após reunião com Camilo, nessa sexta-feira (26), no Palácio da Abolição.

O parlamentar levou para o governador uma pauta de reivindicações dos agentes da segurança pública do Estado, que solicita, inclusive, a extinção da própria Controladoria Geral de Disciplina, além da realização de concursos públicos na área.

“Fizemos nossa parte, agora resta esperar para que o Estado faça a dele”, comentou Capitão Wagner, por meio das redes sociais.

(Foto: Reprodução)