Blog do Eliomar

Categorias para Sem categoria

Banco Central mantém taxa básico de juros no menor nível da história: 6,5%

169 1

Pela sétima vez seguida, o Banco Central (BC) não alterou os juros básicos da economia. Por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom) manteve a taxa Selic em 6,5% ao ano, na primeira reunião do órgão do ano. A decisão era esperada pelos analistas financeiros. Com a decisão de hoje, a Selic continua no menor nível desde o início da série histórica do Banco Central, em 1986. De outubro de 2012 a abril de 2013, a taxa foi mantida em 7,25% ao ano e passou a ser reajustada gradualmente até alcançar 14,25% ao ano em julho de 2015. Em outubro de 2016, o Copom voltou a reduzir os juros básicos da economia até que a taxa chegasse a 6,5% ao ano em março de 2018.

Em comunicado, o Copom informou que a manutenção dos juros em níveis baixos depende do progresso de reformas estruturais da economia brasileira. Segundo o BC, a percepção de continuidade dessas medidas afeta as expectativas econômicas.

Em relação ao cenário externo, a nota indicou que diminuiu o risco de inflação provocada por instabilidades na economia internacional. Isso porque fatores como as disputas comerciais e o Brexit – saída do Reino Unido da União Europeia – podem fazer a economia global desacelerar neste ano.

A Selic é o principal instrumento do Banco Central para manter sob controle a inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Em 2018, o indicador fechou em 3,75%, contra 2,95% em 2017. O índice de janeiro só será divulgado nesta sexta-feira (8).

Para 2019, o Conselho Monetário Nacional (CMN) estabeleceu meta de inflação de 4,25%, com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual. O IPCA, portanto, não poderá superar 5,75% neste ano nem ficar abaixo de 2,75%. A meta para 2020 foi fixada em 4%, também com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual.

Inflação
No Relatório de Inflação divulgado no fim de dezembro pelo Banco Central, a autoridade monetária estima que o IPCA encerrará 2019 em 4% e continuará baixo até 2021. De acordo com o boletim Focus, pesquisa semanal com instituições financeiras divulgada pelo BC, a inflação oficial deverá fechar o ano em 3,94%.

Depois de fechar abaixo do piso da meta em 2017, a inflação subiu no ano passado afetada pela greve dos caminhoneiros, que durou 11 dias e provocou desabastecimento de alguns produtos no mercado, e por causa da alta do dólar no período. Mesmo assim, o IPCA voltou a registrar níveis baixos nos últimos meses de 2018, tendo encerrado o ano abaixo de 4%.

Crédito mais barato
A redução da taxa Selic estimula a economia porque juros menores barateiam o crédito e incentivam a produção e o consumo em um cenário de baixa atividade econômica. No último Relatório de Inflação, o BC projetava expansão da economia de 2,4% para este ano. Segundo o boletim Focus, os analistas econômicos preveem crescimento de 2,5% do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos pelo país) em 2019.

A taxa básica de juros é usada nas negociações de títulos públicos no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic) e serve de referência para as demais taxas de juros da economia. Ao reajustá-la para cima, o Banco Central segura o excesso de demanda que pressiona os preços, porque juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Ao reduzir os juros básicos, o Copom barateia o crédito e incentiva a produção e o consumo, mas enfraquece o controle da inflação. Para cortar a Selic, a autoridade monetária precisa estar segura de que os preços estão sob controle e não correm risco de subir.

*Texto ampliado às 18h40

Michel Lins anuncia licitação para construção da Areninha do “Tigrão”

441 1

O vereador Michel Lins (PPS) anunciou nesta quarta-feira, na Câmara Municipal, mais uma conquista para os moradores de Fortaleza, especialmente dos bairros Parque Araxá e Rodolfo Teófilo. Trata-se do processo de licitação para a construção da Areninha do Tigrão, que deve começar no mês de março.

Ele destacou a importância do equipamento para aquela área da Capital cearense, como o estímulo à prática de esportes, a valorização dos terrenos ao redor, crescimento do comércio e também para a segurança pública.

“Hoje ninguém tem coragem de passar pelo campo do Tigrão à noite, por causa da escuridão e da ausência de iniciativas que visem sua ocupação por parte da população”, disse Michel, destacando que a construção da areninha foi uma ação do seu mandato através de um projeto de indicação apresentado na Câmara e que contou com a aprovação do prefeito Roberto Cláudio (PDT).

(Foto – CMFor)

Tin Gomes perde espaço na nova mesa diretora da Assembleia, mas emplaca aliado em secretaria

298 1

O governador Camilo Santana (PT) nomeou Sandro Camilo para o cargo de secretário executivo de Planejamento e Gestão Interna da Secretaria de Proteção Social, Justiça, Mulheres e Direitos Humanos.

Sandro, que já foi adjunto da extinta Secretaria da Justiça – época do advogado Hélio Leitão, é da confiança do deputado estadual Tin Gomes, ex-primeiro vice-presidente do Poder Legislativo e que esteve com nome na disputa pela presidência dessa Casa.

(Foto – Arquivo)

Conselho Estadual do Meio Ambiente debaterá segurança das barragens do Ceará

Nesta quinta-feira, às 14 horas, o Conselho Estadual do Meio Ambiente vai debater, no auditório da Semace, a segurança das barragens do Ceará. Será a primeira reunião do ano do colegiado.

O tema será apresentado aos conselheiros por representantes da Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace), responsável pelo licenciamento de obras e da operação de reservatórios hídricos públicos e privados com diferentes capacidades de armazenamento. A autarquia também é responsável pela fiscalização do cumprimento da legislação ambiental por parte dos responsáveis.

Também falarão sobre a segurança das barragens representantes da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), da Secretaria de Recursos Hídricos (SRH), do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs) e do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea). A pauta foi sugerida pela presidente do Coema e secretário do Meio Ambiente Artur Bruno, depois do desastre ambiental de Brumadinho.

Para Artur Bruno, é preciso averiguar se todos esses órgãos fiscalizam, monitoram e se a Semace tem licenciado da “melhor maneira possível” as barragens do Ceará. “É fundamental que a população sinta-se segura. No Ceará, nós não temos as barragens de rejeitos, mas temos estruturas físicas que represam água e, quando acontece um inverno com intensidade muito forte de chuvas, acaba deixando a população preocupada”, disse Bruno

“Temos certeza que os órgãos estão agindo bem, mas é preciso que todos digam efetivamente o que estão fazendo e o que está faltando para que o Conselho Estadual do Meio Ambiente possa tomar alguma medida, caso seja necessário”, encerra. Participarão da 267a reunião ordinária do Coema, como debatedores, os seguintes representantes: João Lúcio (Cogerh), Francisco Teixeira (SRH), Emanuel Maia (Crea) e Carlos Alberto Mendes (Semace).

(Foto – Paulo MOska)

Seminário debaterá Mídia e Direitos para a Infância e Juventude

Vem aí o Seminário Mídia e Direitos Humanos para a Infância e Juventude: Um olhar para a cultura de paz.  A realização é do Curso de Jornalismo da Universidade de Fortaleza e da ONG Terra des Hommes. Ocorrerá dia 13 próximo, a partir das 9 horas, no auditório da Biblioteca da Unifor.

Para esse encontro, foram convidadas as jornalistas Suzana Varjão, consultora da Agência de Notícias dos Direitos da Infância (Andi), e Eulália Camurça, editora do Sistema Verdes Mares e também mestre em Direito.

SERVIÇO

*Mais Informações – (85) 3263 1142

*Também no www.tdhbrasil.org

(Foto – Uni7)

Irmã Anette ganha título de Doutor Honoris Causa da Urca

Irmã Annette Dumoulin, belga que dedica, há anos, sua vida ao trabalho social de apoio aos romeiros de Juazeiro do Norte, é a mais nova agraciada com o titulo de Doutor Honoris Causa da Universidade Regional do Cariri (Urca). Ela recebeu a homenagem em plena Romaria das Candeias, encerrada no último fim de semana.

A religiosa tem somadas importantes contribuições nas áreas da cultura, social, educacional, além de colaborar com estudos relacionados ao Padre Cícero e valorização da cultura romeira. São 40 anos de trabalho na Igreja de Nossa Senhora das Dores, sobretudo nas celebrações destinadas ao povo romeiro. No Círculo Operário São José, realiza um encontro com peregrinos desde 1976, denominado reunião das 15 horas.

Perfil

Anne Dumoulin, conhecida popularmente como Irmã Annette, nasceu no dia 14 de julho de 1935 na cidade de Liége, na Bélgica. Com cinco anos de idade teve que migrar juntamente com sua família para França, em consequência dos bombardeios provenientes da II Guerra Mundial. A religiosa ainda hoje conserva na lembrança os momentos de tensão e medo sofrido com esta experiência migratória. Retorna ao seu país sensibilizada com a lição que aprendera com o pai: “A felicidade consiste em ajudar os outros”, lembra ela, ao destacar que esse ensinamento transforou a sua vida.

Em 1955, a jovem Annette forma-se com Educação Física na Bélgica e em 1958, gradua-se em Ciência da Religião pela Universidade Católica de Louvain e, posteriormente, em Psicologia da Religião, obtendo os títulos de mestre e doutora em Ciência da Educação, com especialidade em Psicologia da Religião pela Universidade Católica de Louvain, entre 1964 e 1970.

Durante sua vida acadêmica, Irmã Annette ocupou o cargo de assistente no Centro de Psicologia da Religião da Universidade de Louvain (UCL) nos idos de 1964 – 1970 e, na mesma universidade, tornou-se professora de Ciências da Educação e Psicologia da Religião das Faculdades de Teologia e Ciências da Educação no período de 1970-1975. No ano de 1960, sagrou-se na Congregação de Nossa Senhora (ordem das Cônegas de Santo Agostinho).

Juntamente com a irmã Ana Teresa Guimarães chega ao Brasil par estudar e pesquisar as Comunidades Eclesiais de Base (Cebs), ambas decidindo morar na periferia de Recife, entre 1972 e 1973, sob os cuidados de Dom Hélder Câmara.

(Foto – Divulgação)

Espetáculo cearense que usa a LIBRAS inicia temporada pelo Nordeste

Os bailarinos Clarissa Costa e Jhon Morais apresentam o espetáculo “Felizes Para Sempre” em Fortaleza nesta quinta, 7, e no próximo dia 11, abrindo a agenda de temporada pelo Nordeste. O espetáculo lança mão de uma pesquisa que envolve dança e a Língua Brasileira de Sinais (Libras). As sessões na Capital cearense, segundo a assessoria de imprensa do espetáculo, acontecerão de forma gratuita respectivamente na Escola Municipal de Educação Bilíngue Francisco Suderland Bastos Mota (Itaperi) e no Instituto Cearense de Educação de Surdos (Aldeota), sempre às 9 horas. Além dessas duas sessões, o projeto vai passar por outra escola bilíngue em Fortaleza este mês e, em abril, entra em cartaz nas cidades de Natal (RN) e Recife (PE).

“Felizes Para Sempre” ironiza os picos de euforia comuns no começo das paixões e brinca com a efemeridade do sentimento de amor que nos inícios sempre parece eterno. O espetáculo, que estreou em 2016, é um leve e divertido melodrama com uma proposta cênica de dança integrada. No palco, os bailarinos vão construindo dramaturgia através de movimentos que alternam entre técnicas da dança de salão, referências do cinema mudo e gestos ou vocabulários da Língua Brasileira de Sinais.

Clarissa Costa, que está em cena e também assina a direção geral do trabalho, é graduada em Dança pela Universidade Federal do Ceará. Ela tem se dedicado há alguns anos a essa pesquisa, investigando possibilidades de criação coreográfica a partir da Libras, que foi, inclusive, tema do seu trabalho de conclusão de curso. “O movimento já é inerente à Libras”, explica, “é uma língua que envolve expressividade do corpo todo, nosso desafio com os trabalhos é transformar isso em um movimento dançado”.

Tanto Clarissa quanto o parceiro de cena, Jhon Morais, adotaram Libras como sua segunda língua e vêm se aprofundando nos caminhos dessa relação entre a dança e a língua de sinais. Juntos, eles já têm dois trabalhos nessa estética, o mais recente é Verdeouvir (2018), que envolve bailarinos surdos e ouvintes e se propõe a desconstruir estereótipos sobre a surdez e a relação de pessoas surdas com a música.

SERVIÇO

*Escola Municipal de Educação Bilíngue Francisco Suderland Bastos Mota
Av Bernardo Manuel, 9970-A (Itaperi)

*Instituto Cearense de Educação de Surdos – Avenida Rui Barbosa, 1970 (Aldeota).

(Foto – Divulgação)

Uece inscreve para curso de especialização em Ciência Forense

3067 14

A Universidade Estadual do Ceará abriu inscrições para um de seus mais novos cursos: Ciência Forense, uma pós-graduação lato sensu voltada para graduados nas áreas de Direito, Medicina, Enfermagem, Farmácia, Psicologia, Serviço Social e demais profissionais de nível superior que exerçam ou pretendam exercer atividades no campo da Ciência Forense.

Segundo a assessoria de imprensa da Uece, o curso objetiva formar especialistas interessados em desenvolver competências e habilidades que possibilitem o seu desempenho na elaboração de pareceres, interpretação e avaliação de provas técnico-científicas com vistas a atuarem na área de segurança pública e justiça. Isso, de acordo com as exigências do mercado de trabalho no contexto das práticas da Ciência Forense.

Entre as disciplinas da Especialização estão Criminologia: Tópicos em Direito aplicáveis à Perícia, Redação e Estruturação de Laudos Periciais, Medicina Legal, Políticas Públicas e Rede de Atendimento Social e Odontologia Forense.

Calendário

Com carga horária de 645 horas/aulas, o curso tem previsão para início no próximo mês de março. As aulas serão quinzenais, às sextas-feiras e aos sábados, durante um período de 20 meses, sendo elas realizadas na sede da Associação Brasileira de Enfermagem (Aben-CE), parceira da Uece na execução da pós-graduação.

SERVIÇO

*Inscrições até 23 de fevereiro, na Aben-CE – Rua Paula Rodrigues, nº 55 bairro de Fátima (ao lado da igreja Nossa Senhora de Fátima).

*Mais informações: 85 3272-4144 / 3077-3544.

(Foto – Arquivo)

A Universidade para quem?

362 1

Com o título “Universidade para quem?”, eis artigo de Wagner Pires, técnico-administrativo em Educação da Universidade Federal do Cariri (UFCA) e Mestre em Políticas Públicas e Gestão da Educação Superior. Ele comenta o cenário do ensino superior na Era Bolsonaro. Com certos temores. Confira:

Causou espanto alguns dias atrás, pelo menos para quem entende a universidade como espaço livre, plural e aberto à diversidade, a fala do atual ministro da Educação sobre a universidade não ser para todos e limitar-se a uma “elite intelectual”.

Durante quase toda a sua existência, a universidade brasileira foi um espaço das elites. Eram de classes ricas seus professores e alunos, e apenas estes se beneficiavam de suas atividades. Além disso, os campi concentravam-se no sudeste do país ou nas capitais dos estados, exigindo o deslocamento dos que moravam afastados destes locais para cursar um curso superior.

Nas últimas duas décadas, uma brisa suave veio dar um frescor e encher de vitalidade essas instituições por meio de sua expansão e criação de campi e novas universidades em regiões afastadas dos grandes centros, além da adoção de cotas. Foram essas medidas que permitiram o acesso das classes populares a uma universidade pública, gratuita e de qualidade, transformando assim o perfil dos estudantes universitários brasileiros.

A expansão contribuiu para combater a desigualdade regional ao oferecer oportunidade de formação superior na própria região, evitando não só o êxodo de pessoal qualificado, como também trazendo para a região novas fontes de renda e trabalho.

Essa expansão também permitiu que a universidade recebesse, por meio de concursos públicos, professores e servidores técnico-administrativos em Educação extremamente qualificados, contribuindo mais ainda para o aprimoramento das pesquisas realizadas nessas entidades.

Apesar de tudo, os números nos dizem que precisamos fazer ainda mais. Em 2016, no levantamento realizado, com mais de 40 países, pela Organização para Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), apenas 14% dos adultos brasileiros chegaram ao ensino superior, percentual baixo se comparado à média dos países da OCDE, que é de 35%. Ou seja, ainda precisamos avançar, abrir mais vagas, colocar mais pessoas nas universidades.

E, infelizmente, não é isso que deseja o atual governo. A equipe que está aí, deseja podar um processo positivo e que tem mostrado resultados inegáveis na melhoria da vida de todos os brasileiros. E, pior, o retrocesso não se limita apenas ao corte de verbas que tem precarizado as atividades universitárias, limita-se a ter uma concepção de universidade elitista e que não serve para povo.

O retrocesso se faz ainda impedindo a democracia e a autonomia universitária. Esta que é um dos pilares das Instituições de Ensino Superior, garantia dada à comunidade universitária de decidir os rumos do ensino, da pesquisa e da extensão de suas instituições.

A ampliação da democracia experimentada nos últimos anos em que diversas universidades optaram por abrir seus processos de eleição para reitor através de consulta à comunidade de forma paritária, em que os votos da comunidade têm o mesmo peso para ambas as categorias (docentes, discentes e técnicos), modificaram a forma como se faz universidade no Brasil. E é essa democracia que está sob ataque, quando o governo de cima para baixo ordena que as eleições para reitor sejam feitas com o voto dos professores tendo o peso maior,70%, do que o dos estudantes e técnicos, 15% e 15%.

Qual democracia sobrevive sem uma participação verdadeiramente paritária de todos os envolvidos no processo? Num momento em que a sociedade brasileira se coloca contra os privilégios, o que justifica dar vantagem a uma categoria em detrimento das demais? Tal resolução fere a autonomia universitária ao impedir que as universidades optem por usar a consulta paritária. Não é disso que precisamos.

Precisamos é ter mais investimentos nas universidades, ampliação das vagas e programas de assistência estudantil. Precisamos dar melhores condições de trabalho aos servidores técnico-administrativos para que possam desempenhar suas funções em benefício da sociedade, bem como dar condições para que estes possam se capacitar a fim de contribuírem ainda mais para o bom andamento do ensino, pesquisa e extensão. Precisamos que os professores possam ter fundos para suas pesquisas, beneficiando a população e contribuindo para o desenvolvimento brasileiro com mais inovação.

Enfim, precisamos que a universidade seja para todos como um direito universal, onde negros, pobres, LGBTs e todos os demais excluídos da sociedade brasileira tenham espaço, pois um grande país só pode ser construído combatendo o preconceito e a desigualdade, não elegendo elites.

Estamos no século XXI, queremos a universidade do século XXI, que é a que nós, servidores e estudantes, estamos construindo agora. Não podemos ficar calados diante do retrocesso. A autonomia universitária precisa ser respeitada. A democracia universitária precisa ser cada dia mais ampliada. E precisamos entender que as universidades brasileiras precisam ser defendidas e preservadas. Devem continuar a serviço de todos e para todos.

Wagner Pires

Técnico-administrativo em Educação da UFCA

Mestre em Políticas Públicas e Gestão da Educação Superior

Camila Albuquerque (camilajornalist@gmail.com)
valeu. Pode colaborar sempre.
Salva

Ataques criminosos – Enel ainda fecha números do prejuízo

Subestação da Enel em São Benedito sofreu ataque.

A Enel Distribuição continua contabilizando seus prejuízos após ataques criminosos promovidos por facções às suas unidades de energia. “Tivemos perdas consideráveis”, avisa o diretor institucional José Nunes.

Sem querer compensações no reajuste de abril, espera-se.

(Foto – WhatsApp)

Prevenção à hanseníase chega à Praça do Ferreira

A Secretaria da Saúde do Ceará promoverá uma manhã de prestação de serviços nesta quarta-feira, na Praça do Ferreira, no Centro de Fortaleza. A ação, que faz parte da campanha de prevenção à hanseníase, ocorrerá das 6 às 12 horas, realizada em parceria com entidades públicas e civis.

Quem passar pelo Centro, segundo a assessoria de imprensa da Sesa, terá acesso a serviços gratuitos na praça. O público poderá entender melhor sobre prevenção, sintomas, diagnóstico e tratamento da hanseníase. Haverá também avaliação com enfermeiro, atendimentos com fisioterapeuta e terapeuta ocupacional.

Ainda na Praça do Ferreira, ações educativas e informativas e jogos também estão programados para a comunidade no dia 6. Já no dia 23, haverá seminário acadêmico, das 8 às 18 horas, no Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 6ª Região Ceará (Crefito).

Tempo de Balanço e Prioridades – Camilo vai à Assembleia e Roberto Cláudio à Câmara Municipal

Os dois darão continuidade ao Programa Juntos por Fortaleza.

O governador Camilo Santana vai comparecer às 10 horas à Assembleia Legislativa, em clima de abertura dos trabalhos deste ano. Ali, fará a leitura da mensagem em clima de balanço.

Mas ele também vai expor suas prioridades para 2019. Entre elas, mais investimentos na educação – com escolas de tempo integral, na saúde, com reforço da rede, e, principalmente, dar continuidade ao que o Estado aplica na área da segurança pública.

Já o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT) estará na Câmara Municipal na retomada das atividades dos vereadores. Também fará balanço e apresentará prioridades do ano, com maior detalhe Moroni Torgan (DEM), o vice-prefeito, ali esteve na última sexta-feira.

(Foto – Divulgação)

Grupo armado explode agência bancária em Cariré

Um grupo fortemente armado atacou, por volta das 2 horas da madrugada desta terça-feira, a agência Bradesco da cidade de Cariré (Zona Norte). A informação é confirmada pelo Comando de Policiamento do Interior (CPI).

De acordo com testemunhas, na ação, o grupo usou explosivos e chegou a levar dois reféns que foram liberados horas depois, após o ataque criminoso.

Não foi confirmado se o grupo conseguiu levar dinheiro.

(Foto – WhatsApp)

Aeroporto de Fortaleza na onda dos patinetes elétricos

A alemã Fraport adotou o patinete elétrico (segway) no apoio à segurança no Aeroporto de Fortaleza. O sistema opera em fase de experiência.

Aliás, isso lembra a Polícia Militar do Ceará e seu patrulhando na avenida Beira Mar a bordo dos segways. Foi durante a gestão Cid Gomes. Na época, foram comprados 10 patinetes – cada um ao preço de R$ 28.562,00.

É, mas de manutenção cara e sem tanta eficiência em razão da área de atuação não muito apropriada, os patinetes acabaram indo a leilão.

(Foto – Arquivo)

Herdeira do gabinete de Bolsonaro mantém galeria de ditadores

610 5

A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) herdou não apenas o gabinete do ex-deputado Jair Bolsonaro, na Câmara. Segundo a Coluna Radar, da Veja Online, ela solicitou ao presidente a galeria de fotos de todos os generais que comandaram o país durante o ciclo militar, que decorava a sua sala no anexo 3.

Os quadros já estavam no patrimônio de Bolsonaro, que os enviou à parlamentar na semana passada.

Zambelli acrescentou uma bandeira de Israel no espaço.

(Foto – Divulgação)

Aprece e uma proposta de profissionalização da gestão fiscal dos municípios

143 1

Nilson Diniz preside a Aprece.

Um grupo de fazendários vai propor ao novo presidente da Associação dos Municípios e Prefeitos do Ceará (Aprece), Nilson Diniz, um conjunto de ações de estruturação fiscal e tributária para Prefeituras.

À frente, os auditores Liduíno Brito e Nilson Fernandes que, com o pacote de propostas, querem incentivar nas prefeituras o caráter da profissionalização no setor. Na prática, como prefeitos podem azeitar a máquina e buscar impostos não cobrados, mas que são respaldados por lei.

(Foto – FIEC)

Ipece tem como titular professor do CAEN/UFC

O professor João Mário de França é o novo diretor-geral do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece). Ele assume o órgão levando pelo então titular, o também professor Flávio Ataliba, agora o secretário de Planejamento e Gestão de Mauro Filho, na Seplag.

João França leva para o governo estadual o prestígio do CAEN/UFC.

(Foto – Ipece)

Fortaleza registra os velhos pontos de alagamento

Subiu para 92 o número de municípios cearenses que registram chuva nesta sexta-feira. Em Fortaleza, prosseguem as precipitações com relâmpagos e trovões. Mais de 54 milímetros já anotados na Capital.

Vários pontos da cidade apresentam os mesmos alagamentos, como na avenida Duque de Caxias. O trânsito continua lento, mas com poucas ocorrências de problemas nos semáforos.

Veja como está a avenida Santos Dumont com Rui Barbosa nesta manhã de sexta.

Confira as maiores chuvas:

Croatá (Posto: Santa Tereza) : 89.0 mm

Paracuru (Posto: Jardim Do Meio) : 71.0 mm

Aquiraz (Posto: Sitio Sapucaia Fagundes) : 69.0 mm

São Gonçalo Do Amarante (Posto: Santo Amaro) : 62.0 mm

Eusébio (Posto: Eusebio) : 56.0 mm

Fortaleza (Posto: Pici) : 54.4 mm

Aquiraz (Posto: Aquiraz) : 51.0 mm

Amontada (Posto: Icarai De Amontada) : 48.0 mm

São Gonçalo Do Amarante (Posto: Siupe) : 44.0 mm

Forquilha (Posto: Forquilha) : 44.0 mm

(Vídeos via WhatsApp)