Blog do Eliomar

Categorias para Sem categoria

Remuneração no Brasil chega a ser 85% maior do que em países ricos

57 3

A força da economia brasileira e a crise que vem abatendo os países ricos estão fazendo acontecer o que há alguns anos era inimaginável no país: os salários de trabalhadores em várias carreiras – de executivos e gerentes a engenheiros, consultores jurídicos e profissionais da tecnologia da informação — estão mais altos do que em nações da Europa e nos Estados Unidos. O rendimento mensal chega a ser 85% maior, mesmo convertendo esses valores para reais, considerando a cotação de euro, dólar e libra esterlina. Um engenheiro elétrico sênior, por exemplo, que ganha no mínimo R$ 14.900 no Brasil em grandes empresas, recebe R$ 8.037 na Espanha, uma diferença de 85,4%, aponta pesquisa feita pela consultoria Michael Page, a pedido de O Globo.

O levantamento — que levou em conta profissionais seniores, grandes empresas e somente o salário fixo, sem bônus ou participação nos resultados — mostrou também que um gerente comercial no Brasil chega a ganhar 79,1% a mais que nos Estados Unidos (R$ 18 mil de salário mínimo no Brasil contra R$ 10.048 nos EUA). Um consultor jurídico no Brasil ganha 24,4% a mais que na Itália (salário máximo de R$ 15 mil no Brasil contra R$ 12.055) e, um diretor comercial no Brasil ganha no mínimo R$ 28.000, 13,4% a mais que o mínimo encontrado no Reino Unido (R$ 24.674). Para Ricardo Guedes, da Michael Page, além de economia brasileira aquecida e desenvolvidos em crise, real forte e mão de obra em falta no Brasil ajudam.

— E esse fenômeno tende a continuar e talvez alcançar cada vez mais profissões. A falta de mão de obra é muito grande e, em diversos casos, é impossível encontrar um estrangeiro para o lugar, não apenas por causa da legislação restritiva do Brasil, mas porque algumas destas profissões exigem um alto domínio do português e da cultura nacional, como diretor comercial e consultor jurídico — afirma. (O Globo)

Vamos nós – Eu prefiro ganhar R$ 8 mil na Espanha ou nos Estados Unidos, que R$ 14 mil no Brasil. O levantamento, por certo, não levou em consideração a alta carga tributária no Brasil, quando o trabalhador devolve em impostos uma boa parte do suado salário. O estudo não deve ter levado em conta, também, o retorno que o cidadão tem com o pagamento de seus impostos no Primeiro Mundo. No Brasil, todo trabalhador sabe o que ocorre com grande parte do seu suado dinheirinho que vai para os cofres públicos.

Brasil vê com cautela cúpula de países latino-americanos e caribenhos

O Brasil não se perfila, no momento, como país líder e dominante da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac). Ao contrário, observa com cautela e à distância a sua formação, dando prioridade à União de Nações Sul-Americanas (Unasul), que reúne seus aliados regionais mais próximos.

Embora a presidente Dilma Rousseff tenha classificado de “muito importante” e “histórico” o lançamento da Celac, deixou Caracas na manhã deste sábado (3), não permanecendo para o segundo dia da reunião de cúpula, em que os estatutos eram aprovados. Na última sexta-feira (2), ela participou da sessão de abertura da Celac, órgão formado por 33 países das Américas, e que exclui Estados Unidos e Canadá.

O Brasil possui a economia mais importante da América Latina, e é um influente ator político da região, principalmente da Unasul, cuja criação ajudou a promover. Formada por 12 países, a Unasul reúne os principais aliados do Brasil na região, e já mostrou resultados satisfatórios na solução de conflitos, como a ruptura temporária das relações diplomáticas entre Colômbia e Venezuela em 2010.

“Temos primeiro que deixar o organismo [Celac] funcionar por algum tempo”, avaliou nesta sexta-feira, em entrevista coletiva, o subsecretário do Brasil para Assuntos da América do Sul e do Caribe, José Antônio Simões.

A Celac é um órgão herdeiro dos fóruns da Reunião de Cúpula da América Latina e do Caribe e do Grupo do Rio, e começou a ser gerada durante uma reunião de cúpula no Brasil, em 2008.

“O Brasil é o maior, mais populoso e mais rico país da América Latina, e, certamente, terá uma participação ativa no novo bloco. Mas ao contrário dos Estados Unidos, não pretende impor sua política regional através do intervencionismo”, estimou Giorgio Romano, professor de Relações Internacionais na Universidade Federal do ABC.

(France Presse)

Sucessão de Cid Gomes deverá ser o ponto final da aliança PT-PSB-PMDB

81 1

A reconfiguração do mapa político no Ceará após 2012 será de fundamental importância para que os partidos da base aliada elaborem suas estratégias para as eleições majoritárias de 2014. Ainda é muito cedo para pensar nas eleições para deputados, senador, governador e presidente, dizem os representantes dos partidos, mas alguns já enxergam esse horizonte. 2014 será o último ano da gestão do governador Cid Gomes (PSB). Será o ano da Copa do Mundo, quando o Estádio Castelão será um dos principais protagonistas. E, certamente, haverá muita disputa para saber que partido irá administrar um Ceará com melhor infraestrutura e ainda mais conhecido internacionalmente.

A expectativa dos dirigentes do PMDB é sair das eleições de 2012 como o maior e mais forte partido do Ceará. Com o maior número de prefeitos e de vereadores. Após apoiar o governo de Cid Gomes desde 2006, o PMDB já tem pretensões de concorrer ao Palácio da Abolição em 2014. O candidato natural do partido seria Eunício Oliveira, senador cearense mais votado em 2010, e atualmente presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado (CCJ). Caso atinja a meta de eleger mais de 40 prefeitos e 300 vereadores no Estado, a ambição do PMDB estará mais próxima de se concretizar.

“Um dia, de repente, o Eunício poderá ser uma boa opção para sucessão no governo do Estado”, disse o deputado estadual Daniel Oliveira (PMDB), sobrinho de Eunício. Segundo Daniel, essa possibilidade não foi conversada com os partidos da base aliada e não é uma imposição ou condição para o apoio do PMDB ao governo Cid Gomes, mas “Eunício tem o desejo de governar o Ceará”, e porque não em 2014? “Eunício virou um grande nome. E seria uma opção, atendendo todas as chamadas da população”, diz Daniel.

Aliança em 2014

Joaquim Cartaxo, vice-presidente do PT estadual e coordenador do Grupo de Trabalho Eleitoral (GTE), diz que ainda é muito cedo para pensar em 2014, mas ele acredita que até lá a aliança PT-PSB-PMDB irá se repetir. Contudo, a relação entre PMDB e PT não tem sido harmoniosa na Capital. E em 2012 os dois partidos deverão se enfrentar em alguns dos grandes municípios cearenses.

Segundo o deputado federal Danilo Forte (PMDB), há chance de ocorrer o mesmo em Fortaleza. “Eu acho que políticas de alianças devem ser feitas em cima de ações programáticas e de possibilidades de participação na gestão. Com relação a esses procedimentos, acho que a experiência de Fortaleza não foi benéfica”, diz Danilo Forte. Ele defende que o PMDB tenha candidatura própria já em 2012. Nessa hipótese, o seu nome seria um dos mais prováveis.

Mais diplomático, Daniel Oliveira diz que por “respeito ao PT”, o PMDB buscará manter a aliança em 2012 na Capital, mas que no caso de lançar candidatura própria “não seria um rompimento”, apenas mais uma opção. Daniel, no entanto, faz questão de destacar o compromisso do seu partido com o governador Cid Gomes desde 2006, quando Eunício retirou a sua candidatura ao Senado para apoiar a eleição do hoje senador Inácio Arruda (PCdoB). “Nós começamos a colher o que ele (Eunício) plantou em 2006”, diz. Essas declarações dão a entender que, no Ceará, o PMDB tem compromisso com o PSB de Cid, não com o PT, peça chave da aliança.

(O POVO)

É duas vezes mais fácil o Vozão escapar do rebaixamento que o Vasco ser campeão neste domingo

66 4

Somente a vitória interessa ao Ceará, no jogo diante do Bahia, em Salvador, na tarde deste domingo (4), para que o alvinegro cearense continue a sonhar com a permanência na Série A do Brasileirão. Mesmo assim, o Vozão ainda terá que torcer por uma vitória do Atlético Mineiro ou empate no jogo contra o arquirrival Cruzeiro.

Toda essa torcida deixa o Ceará com apenas 22,2% de chances de permanência na elite do futebol brasileiro para 2012. Já o Cruzeiro conta com 70,3% de chances para não cair para a Série B. Com remotas esperanças, o Atlético Paranaense, que enfrenta o rival Coritiba, possui 7,4% de chances para continuar na Série A.

Cruzeiro, Ceará e Atlético Paranaense jogam no mesmo horário e duas dessas equipes se juntarão aos já rebaixados América/MG e Avaí/SC na Série B do próximo ano. Das 27 combinações possíveis nos três jogos, 19 interessam ao Cruzeiro, seis favorecem ao Ceará e apenas duas livram o Atlético Paranaense do rebaixamento.

Para quem não acredita mais no Vozão, um dado importante: É mais fácil duas vezes o Ceará escapar do rebaixamento, que o Vasco da Gama ser campeão brasileiro neste domingo. O Corinthians tem 88,8% de chances de ser campeão. O Timão enfrenta o Palmeiras, enquanto o Vasco joga contra o Flamengo.

Governo indica a Lupi que sua situação é insustentável

65 2

O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, já recebeu de interlocutores do governo a sinalização de que não há mais condições políticas de sua manutenção no cargo.

A presidente Dilma Rousseff, que retornou neste sábado (3) de uma viagem à Venezuela, deve chamá-lo para uma conversa definitiva ainda neste domingo (4) ou até segunda-feira (5).

Em conversas com integrantes do Executivo, o próprio titular da pasta aparenta ter perdido as esperanças de permanecer e reconhece que está causando constrangimento à presidente da República. Em nenhum momento, porém, admitiu que pedirá demissão.

Dos que procurou, ouviu a avaliação de que sua situação tornou-se insustentável após a Folha revelar que o ministro do PDT acumulou dois empregos públicos por quase cinco anos, em Estados diferentes, o que é vedado pela Constituição.

(Folha)

Ceará pode perder único posto que tem no 1º escalão de Dilma

61 2

Quando o assunto é reforma ministerial, o Governo Federal sustenta que as informações ainda estão no campo das especulações. Contudo, a discussão circula nos bastidores, incluindo a informação de que a presidente Dilma Rousseff (PT) tem a intenção de reduzir o número de Ministérios. A Secretaria de Portos, por exemplo, comandada pelo cearense Leônidas Cristino, perderia o status de Ministério e seria incorporada por outro. O único Ministério com um cearense à frente passaria, então, a ser uma pasta do segundo escalão.

A informação não é confirmada pela Secretaria de Portos nem pela Casa Civil. Os dois órgãos informam, pelas assessorias de comunicação, que ainda não há nada definido. Vice-líder do Governo, o deputado federal José Guimarães (PT) adota o mesmo discurso. “Não tem nada, nada discutido. Tudo é conversa. O Governo não declarou nada ainda sobre isso. A própria presidenta Dilma não deu sinais de nada”, disse.

Ao mesmo tempo, ele confirma o burburinho que corre nos bastidores. “O que eu tenho escutado falar é que vão sair umas secretarias e outras iriam ser agregadas, mas é tudo especulação. Não ouvi nada oficial”, garante. Para o deputado federal Antônio Bahlmann (PSB), embora não existam informações seguras, de fontes confiáveis, existe a compreensão de que há necessidade de modificar a estrutura administrativa do Governo Federal. “Eu acho que é positiva a proposta de diminuir o número de Ministérios”, defende.

Ele lembra que, desde que Dilma assumiu a Presidência, já havia a intenção de fazer uma junção da Secretaria de Portos com outro Ministério. “Inicialmente havia essa possibilidade. E essa possibilidade pode se afirmar como a alternativa que a presidente venha a escolher”, acredita. Para ele, a Secretaria é referência de administração pública e não seria problema se o Ceará perdesse esse cargo de primeiro escalão. “Diante do grande gestor que é o ministro Leônidas Cristino, pela qualidade do trabalho que ele desenvolve e por toda a confiança que a presidenta tem por ele, ele pode ser efetivamente enquadrado nesse desenho de uma possível reforma ministerial”, acredita.

Descrente

O deputado federal, Danilo Forte (PMDB), afirma não acreditar que haverá reforma ministerial. “No máximo, haverá reformas pontuais em algumas áreas do Governo”, diz. Ele também é a favor de uma reforma que reduza a quantidade de Ministérios. “Acho que há um número muito grande. Só na área dos Direitos Humanos são cinco Ministérios que poderiam ser um só”, defende.

No caso da Secretaria de Portos, ele também acredita que deveria haver apenas um Ministério para tratar a questão da mobilidade. “São Ministérios com atribuições similares e consecutivas. A unificação melhora, agiliza o Governo, permite a unificação do trabalho com a presidência”, disse. Para ele, se o Ceará perde o cargo de primeiro escalão, a classe política deverá lutar por um outro Ministério, até de mais importância. “Mas não há problema se o ministro é cearense, gaúcho ou capixaba. O importante é trabalhar para trazer obras para o Ceará”.

(O POVO)

Ex-jogador Sócrates morre em São Paulo aos 57 anos

56 1

O ex-jogador Sócrates morreu às 4h30min deste domingo (4), aos 57 anos, em decorrência de um choque séptico, que ocorre quando bactérias de uma infecção chegam à corrente sanguínea e se espalham pelo corpo.

O eterno ídolo do Corinthians, estava internado desde a última quinta-feira (1º) na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Albert Einsten, na zona sul de São Paulo, após dar entrada com quadro de infecção intestinal.

Sócrates, sua mulher e um amigo haviam se sentido mal na noite de quinta-feira, após comerem em um evento.

Segundo o jornalista Juca Kfouri, colunista da Folha, um prato de estrogonofe contaminado com uma bactéria foi o responsável por desencadear a internação do ex-jogador.

Sócrates já esteve internado outras duas vezes entre agosto e setembro, também na UTI, por conta de hemorragias digestivas.

Ainda não foram divulgados detalhes do velório e do enterro de Sócrates.

(Folha)

Guimarães teme que tensão em BH azede de vez relação de PSB e PT em Fortaleza

69 1

Fortaleza, Belo Horizonte e Recife são as três capitais brasileiras onde PT e PSB estão com as relações estremecidas. A situação mais tensa é a da capital mineira, depois que o prefeito Márcio Lacerda (PSB) deu um ultimato até janeiro para que os petistas se decidam sobre a manutenção ou não da aliança. O PT diz não aceitar o PSDB na aliança, enquanto o prefeito anunciou que não abrirá mão dos tucanos e já se prepara para a oposição petista nas urnas, na pessoa do atual vice Roberto Carvalho.

Para o vice-líder do Governo Dilma na Câmara Federal, José Guimarães (PT), o Partido dos Trabalhadores deve ter todo o cuidado para que a tensão em Belo Horizonte não contamine Fortaleza e Recife, capitais com igual tendência para um rompimento. Na capital pernambucana, secretário do PSB já anuncia entregar a pasta ao prefeito João da Costa (PT).

“Em algumas capitais, temos que tratar nacionalmente com o PSB, senão pode interditar alianças locais. Os presidentes do PSB e do PT, Eduardo Campos e Rui Falcão, devem se sentar para discutir. Senão, temo que o processo seja longo demais para evitar eventuais rachaduras”, alertou Guimarães, durante reunião da Executiva Nacional do PT, não descartando a intervenção na capital cearense dos presidentes nacionais dos dois partidos.

Guerra fria

Em Fortaleza, a relação entre os dois partidos é digna de uma trama de “guerra fria”, com direito a acusações de espionagem e com a promessa de um final empolgante. Enquanto integrantes do PSB acusam o PT de minar qualquer pretensão socialista de candidatura própria, diante da prematura pré-candidatura de Eliane Novais (PSB), os petistas apontam o PSB como articuladores da pré-candidatura de Camilo Santana (PT).

Petistas e socialistas também reclamam que militantes têm promovido vaias em eventos um do outro. Nas redes sociais, o primeiro escalão das duas administrações (Cid Gomes e Luizianne Lins) inova cada vez mais os ataques.

Na mídia, o governador usa expressões como “azarão” e “arrogância” para tratar do tema sucessão em Fortaleza. Já a prefeita, como em uma prática de vodu, espeta Ciro Gomes na tentativa de atingir o principal aliado, ao devolver os comentários do governador.

Consumidores rejeitam lata de Coca-Cola branca nos EUA

A Coca-Cola desistiu de uma lata branca comemorativa para as festas de fim de ano e vai voltar para sua cor tradicional, vermelha, apenas um mês após o lançamento da edição especial.

Esta foi a primeira vez que a Coca-Cola normal foi vendida em uma lata branca.

Alguns consumidores reclamaram que a embalagem comemorativa era muito parecidas às latas de Diet Coke. Outros acharam que a Coca-Cola tinha gosto diferente nas latas brancas. Houve ainda quem achasse que mexer com a cor vermelha beirava um sacrilégio.

As novas latas temáticas vermelhas vão começar a ser vendidas já na próxima semana.

(Folha)

Facebook vê crescimento rápido e contratará milhares

A rede social Facebook, que está se preparando para lançar ações em bolsa, afirmou que planeja contratar milhares de empregados no próximo ano para acompanhar seu aguardado rápido crescimento.

“Estamos crescendo rapidamente”, afirmou a diretora de operações do Facebook, Sheryl Sandberg, em uma conferência com a imprensa.

O Facebook não divulga seus resultados, mas uma fonte com conhecimento no assunto informou à Reuters em setembro que a companhia apresentou, aproximadamente, um lucro líquido de quase 500 milhões de dólares na primeira metade do ano e as receitas dobraram para 1,6 bilhão de dólares, na comparação com o ano anterior.

Sheryl esteve em Nova York nesta sexta-feira para anunciar que a companhia iria começar a contratar engenheiros na cidade, onde possui um pequeno escritório na Madison Avenue com cerca de cem funcionários.

A grande maioria dos 3.000 trabalhadores está na sede em Palo Alto, Califórnia, e em um campus em Seattle.

Ela não disse quantos engenheiros serão contratados em Nova York nem revelou quantos trabalhadores a companhia irá contratar no próximo ano.

A expectativa é de que a empresa faça seu IPO (sigla em inglês para oferta pública inicial de ações) em 2012.

(Reuters)

Ceará passa a ter sete representantes no Diretório Nacional do PSB

42 6

Cid vitorioso em encontro nacional do PSB

O Ceará passou a contar com sete representantes no Diretório Nacional do PSB, a partir deste sábado (3), durante a realização do Congresso Nacional do partido, em Brasília. Os representantes são o govenrador Cid Gomes, o ex-ministro Ciro Gomes, o ex-deputado federal Sérgio Novais, o deputado federal Domingos Neto, o presidente da Assembleia Legislativa, Roberto Cláudio, o presidente do Ipem, Rogério Pinheiro, e Karlo Kardozo, este o presidente municipal da legenda no lugar de Novais.

Antes, o Ceará tinha cinco integrantes.

Durante o encontro, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, foi confirmado mais uma vez à frente da presidência nacional do partido, enquanto Ariano Suassuna ficou como presidente de honra.

Cid Gomes conseguiu ainda manter Karlo Kardozo à frente do PSB de Fortaleza, diante da confirmação do afastamento de Sérgio Novais.

Sérgio Novais (3º) entre lideranças do PSB.

Há 60 anos: O professor Hermes Lima contesta falsas acusações russas ao Brasil

“Na reunião do II Comité, da Assembleia das Nações Unidas, o delegado brasileiro, professor Hermes Limas, respondendo ao delegado russo, contestou a afirmação dêste último, segundo a qual a maioria das terças do Brasil estaria em mãos de monopólis estrangeiros” (O POVO, há 60 anos).

Vamos nós – Será que os russos estavam certos, já naquela época?

Procurador orienta índios contra usina de Belo Monte

Numa série de seis vídeos gravados em aldeias da etnia Xikrin, da Terra Indígena Trincheira Bacajá, no Pará, o procurador da República Felício Pontes orienta os índios a exigir mais dinheiro da Norte Energia, empresa responsável pela construção da usina de Belo Monte.

Pontes é o procurador que mais combate o projeto. Ele participa das 13 ações contra Belo Monte que tramitam na Justiça paraense.

O vídeo, captado e produzido pela jornalista Rebecca Sommer, foi gravado entre os dias 13 e 14 de outubro, numa das aldeias da terra indígena Tricheira Bacajá, no Xingu.

O material chegou a ser disponibilizado por quatro dias (de 17 a 21 de novembro) no Youtube. A Folha apurou que o material foi sacado da web, após pedido do Ministério Público Federal do Pará.

O procurador admitiu à reportagem que pediu a retirada dos vídeos e alegou que o fez em razão de a jornalista não ter autorização para divulgação. Mesmo assim, disse que tinha conhecimento da produção do filme. A equipe de filmagem pernoitou na aldeia com o procurador.

Pontes diz em vários trechos da gravação que a Terra Indígena deve “lutar contra a barragem”, mas, caso não seja possível interromper a construção da usina, os indígenas devem se articular e exigir mais dinheiro para compensar impactos ambientais e minimizar os efeitos que o projeto terá sobre o modo de vida da etnia.

(Folha)

Brasil reabre importações de carne bovina paraguaia

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento reabriu nesta sexta-feira (2) a importação de carne bovina maturada e desossada do Paraguai, país onde foi detectado um foco de febre aftosa em setembro.

A entrada da carne paraguaia, entretanto, será permitida apenas através da cidade fronteiriça de Ponta Porã (MS), onde será realizado o processo de fiscalização sanitária, informa a Agência Brasil.

A importação, além disso, só poderá ser realizada por distribuidores registrados no Serviço de Inspeção Federal brasileiro. Do lado paraguaio, somente frigoríficos habilitados poderão vender a carne com o certificado sanitário internacional do produto, que confirme que a carne provém de regiões livres de aftosa nos últimos 60 dias.

A decisão foi tomada depois do relatório apresentado por uma comissão técnica brasileira que visitou nos últimos dias várias fazendas paraguaias e se reuniu com as autoridades do país vizinho.

Em Assunção, especialistas do Centro Pan-americano de Febre Aftosa (Panaftosa) deram início nesta sexta-feira a uma missão técnica no Paraguai para promover mecanismos de erradicação da doença, detectada em setembro passado em uma fazenda do departamento de San Pedro.

A missão é integrada, além disso, por membros do Comitê Veterinário Permanente do Cone Sul (CVP), dependente do Plano de Ação Mercosul Livre de Febre Aftosa, informou o Serviço Nacional de Qualidade e Saúde Animal (Senacsa) do Paraguai.

O governo paraguaio se viu obrigado a suspender em 18 de setembro passado as exportações de carne bovina –segunda principal fonte de renda da economia paraguaia– devido ao surto da doença reportado em setembro.

O Senacsa procedeu nessa ocasião ao sacrifício de 820 cabeças de gado bovino para isolar o foco de febre aftosa detectado na fazenda Santa Helena, 300 quilômetros ao nordeste de Assunção.

Segundo estatísticas da Associação Rural do Paraguai (ARP), a carne bovina paraguaia é destinada a cerca de 64 países e gera, em condições normais, receitas mensais de US$ 75 milhões.

(EFE)

São João do Jaguaribe – Caixa eletrônico do BB é alvo de ataque

“Criminosos entraram na agência Banco do Brasil de São João do Jaguaribe, a 213 quilômetros de Fortaleza, na madrugada deste sábado, 3, e explodiram um dos caixas eletrônicos. “O que foi explodido só tinha folhas de cheque e moeda. Não levaram dinheiro”, afirma o cabo Valdenir de Lima, do destacamento policial do município.

A ocorrência foi por volta das 2 da madrugada. “A gente recebeu uma ligação informando que cerca de seis a oito homens fortemente armados tinham ido até a agência, explodido o caixa e fugido em seguida”, informa o policial. No local, não havia vigia e ninguém foi feito refém.

Segundo a Polícia, testemunhas contaram que o grupo fugiu em dois veículos: um Gol cinza e um outro carro não identificado. A PM suspeita que seja um Siena preto encontrado abandonado horas depois, em uma estrada carroçável que dá acesso ao município de Morada Nova. “Provavelmente, foi a rota de fuga deles”, acrescenta Valdenir. Até o fechamento desta edição, ninguém havia sido preso.

Em São João do Jaguaribe, ficam apenas três policiais por plantão cobrindo toda a cidade, que tem cerca de 7.900 habitantes. Ontem, as diligências contaram com apoio de destacamentos de munícios próximos, como Tabuleiro do Norte e Limoeiro do Norte.

Até o início da tarde de ontem, ainda era aguardada a chegada de servidores Perícia Forense do Ceará (Pefoce). A agência conta com circuito interno de TV. “Vamos entrar em contato com o gerente do banco para saber se realmente foi gravado”, diz o policial.”

(O POVO Online)

Arranjos eleitorais

258 1

Em artigo publicado neste sábado (3), no O POVO, o médico, antropólogo e professor universitário Antonio Mourão Cavalcante critica a forma como partidos políticos costuram suas alianças e fazem a população de marionete. Confira:

São cada vez mais evidentes as manobras de bastidores em relação à sucessão municipal. As molduras estão prontas. Falta só providenciar os retratos.

Fica evidente que, no momento, a maior importância é o nome. Qual é o “cara”. Não se faz referência alguma a programa, a princípios administrativos, as opções e prioridades que se deseja assumir. Importa o nome e a foto. Nem mesmo a sigla partidária tem valor. Vê-se interior a fora, igualmente, uma dança macabra de letras partidárias e alianças espúrias.

Isto é, no Brasil inteiro, estamos querendo construir uma democracia onde o povo funciona apenas como decoração. Somos coadjuvantes. Figurantes de uma novela sem enredo. Não vamos eleger, no sentido mais largo de escolher: estabelecer diferenças, marcar conflito e debate. Vamos simplesmente homologar o que os sábios (ou sabidos?) donos das letrinhas partidárias estão – agora – negociando entre eles.

Depois, na campanha, basta algumas tapinhas nas costas dos mais otários, dinheiro na mão de cabos eleitorais – tão ou mais cretinos quanto os próprios políticos – e pronto!

Esses candidatos de proveta ou aqueles nascidos de barganha leiloeira devem ser rejeitados. Fortaleza não pode aceitar que um grupo de oportunistas faça acordos espúrios, dividam fatias do governo – secretarias e autarquias – como os marginais repartem um assalto. Não. Fortaleza rejeita esse tipo de política. Não bate com sua história heróica e resistente.

Eu acredito exatamente no contrário. Uma campanha deveria começar com a pergunta: o que somos e o que desejamos? Como podemos melhorar a vida nessa cidade? O que nos falta? Como podemos resolver esses problemas mais urgentes?

Daí, progressivamente, nós íamos tirando diretrizes e assumindo compromissos. Dessas linhas nasceria o desejo de construir algo de novo. Uma nova cidade. Então, o candidato surge dessa discussão. Emerge de um processo de formação de liderança e compromisso.

Ninguém precisa de bonecos, postes e palhaços! Fortaleza exige respeito.

Pará perderá matéria-prima com divisão do Estado

O Pará perderá a sua produção mineral e agropecuária para Carajás e Tapajós caso a divisão do Estado seja aprovada no plebiscito a ser realizado no próximo dia 11.

A indústria extrativa mineral, uma das principais atividades econômicas do atual Pará, se concentraria no novo Estado de Carajás, que ficaria com 86% do valor produzido em todo o Pará.

Carajás também ficaria com 65% do rebanho bovino e com a maior concentração de frigoríficos com SIF (Sistema de Inspeção Federal): dez. Na pecuária leiteira, Carajás também domina, com 76% da atual produção paraense. Os dados são do Idesp (Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental).

“O novo Pará seria um Estado menos provido de recursos naturais”, diz Gilberto Rocha, professor da UFPA (Universidade Federal do Pará).

O Pará remanescente também passaria de fornecedor a comprador de energia elétrica, pois a maioria dos novos projetos de usinas hidrelétricas está em Tapajós.

Arrecadação

Com a produção, o novo Pará perderia 95% do que é arrecadado pelos seus municípios com a Cfem (Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais). Mais de 88% dos royalties ficariam com Carajás, onde está a maior mina de ferro do mundo, da Vale.

Mas isso não significa que Carajás nasce um Estado rico. Pelo contrário, ele apresentaria o maior deficit público entre os três, estimado pelo Idesp em R$ 1,9 bilhão.

O consultor do Ibram (Instituto Brasileiro de Mineração) Luciano Borges explica que, na prática, o aumento de ganho para Carajás com os royalties da mineração seria de apenas R$ 74 milhões, considerando os dados de arrecadação deste ano do DNPM (Departamento Nacional de Produção Mineral).

É o equivalente à fatia de 23% dos Estados na arrecadação da Cfem, que, no caso dos municípios pertencentes a Carajás, ficou em R$ 324 milhões até outubro.

“Os royalties não são suficientes para possibilitar que o Estado tenha poder econômico”, afirma Lúcia Andrade, assessora do Idesp.

Segundo Borges, a divisão do Pará não tem impactos sobre as mineradoras no curto prazo, pois o sistema tributário continua igual, mas pode criar problemas no futuro.

“No longo prazo, afeta a capacidade do Estado de oferecer condições adequadas de infraestrutura. Inchar a máquina pública significa que investir vai ficar cada vez mais caro”, diz.

(Folha)