Blog do Eliomar

Categorias para Universidade

UFC abre inscrições para mestrado em Engenharia Civil

A Universidade Federal do Ceará, por meio da Coordenação do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil: Estruturas e Construção Civil (PEC), do Centro de Tecnologia da Universidade Federal do Ceará, está com inscrições abertas, até o dia 8 de novembro, para seleção de mestrado acadêmico, com ingresso no semestre 2020.1, conforme o Edital n° 01/2019.

De acordo com a assessoria de imprensa da UFC, são ofertadas 28 vagas: 12 para a área de Concentração de Estruturas (EST) e 16 para a área de Construção Civil (CC), estas últimas distribuídas em 8 vagas para a linha de pesquisa Gerenciamento de Empresas e Empreendimentos (GEE) e as demais para a linha de pesquisa Tecnologia de Materiais e Sistemas Construtivos (TMSC).

As inscrições devem ser realizadas por meio de formulário eletrônico, até as 17 horas do dia 8 de novembro. Já a documentação solicitada poderá ser entregue na secretaria do PEC, de segunda a sexta-feira, das 8 às 12 horas e das 14 às 17 horas, ou enviada pelos Correios, com o último dia de inscrições como data-limite.

SERVIÇO

*Mais informações acerca do processo seletivo podem ser encontradas no Edital n° 01/2019. Para saber mais sobre estrutura curricular, corpo docente e linhas de pesquisa, basta acessar o site do programa.

(Foto – Evilazio Bezerra)

Deputado quer CPI para investigar emissão de diplomas em universidades particulares do Ceará

185 1

O deputado estadual Elmano Freitas (PT) deu entrada, nesta terça-feira, na Assembleia Legislativa, com pedido de instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). O objetivo, segundo diz, é investigar “as freqüentes irregularidades na emissão de diplomas de algumas faculdades particulares do Ceará”. Elmano afirma que mais de 15 deputados já assinaram a proposta de CPI solicitada pelo parlamentar petista. Para instalação de uma CPI, são necessárias 12 assinaturas.

O pedido de abertura dos trabalhos, segundo Elmano, ganhou força com a operação da Polícia Civil, semana passada, contra a venda de diplomas falsos de ensino superior, no município de Palhano. As investigações policiais apontaram que, pelo menos, 17 alunos foram prejudicados com diplomas falsos em Palhano. “Nesse momento estamos reunindo um dossiê de casos denunciados ao nosso gabinete.

Elmano adianta que há denúncias em vários municípios, onde os alunos terminaram o curso e na hora de entregar o diploma descobriram que não tem validade. Tem casos no curso de Serviço Social (em várias cidades). Em Baturité, são turmas que concluíram o curso e não receberam o certificado. Chegou a hora de prestarmos esse serviço a população cearense. Vamos investigar com responsabilidade todas as denúncias que nos forem apresentadas “, ressaltou o dep. Elmano.
Apoio

Aval
O pedido de CPI conta com o apoio dos seguintes deputados: Evandro Leitão (PDT), Carlos Felipe (PCdoB), Acrísio Sena (PT), Audic Mota (PSB), Heitor Férrer (SD), Nelinho (PSDB), Marcos Sobreira (PDT), Gordim Araujo (Patriota), Tony Brito (Pros), Nizo Costa (PSB), Guilherme Landim (PDT), Nezinho Farias (PDT), Fernando Santana (PT) e Jeová Mota (PDT).

(Foto ALCE)

Centro Universitário FB realiza vestibular nesta quarta-feira

O Centro Universitário Farias Brito está com inscrições abertas para os cursos de Administração, Ciências Contábeis, Direito, Recursos Humanos e Tecnólogo em Marketing. Isso no campus Central, informa a assessoria de imprensa da Instituição.

O vestibular acontecerá nesta quarta-feira, às 19 horas, e as inscrições estão abertas.

Para quem já possui uma graduação ou pretende realizar a transferência, o ingresso ocorre através dos processos seletivos de segunda graduação ou transferência externa.

SERVIÇO

*Os interessados deverão realizar as inscrições no site fbuni.edu.br

(Foto – Divulgação)

Uece é a melhor universidade pública estadual do Norte/Nordeste e Centro-Oeste

Saiu o Ranking Universitário Folha (RUF) 2019. Nele, uma boa-nova para a Universidade Estadual do Ceará.

No levantamento, ficou na 10ª colocação entre as universidades estaduais do Brasil e na 12ª entre as mais jovens do país. A Uece ainda ocupa o 1º lugar no Norte, Nordeste e Centro-Oeste entre as instituições federais de ensino superior que possuem menos de 50 anos de fundação.

De acordo com avaliação do RUF, a Uece encontra-se entre as 100 melhores universidades do País. Comparado ao ranking de 2018, a universidade cearense subiu duas posições, passando da 57ª para a 55ª colocação geral.

No aspecto “Internacionalização”, também merece destaque, pois subiu do 87º para o 48º lugar geral. Em “Ensino”, a Uece passou da 92ª para 85ª posição.

O levantamento da Folha avaliou ainda 18 cursos da Uece – Administração de Empresas, Biologia, Ciências Contábeis, Computação, Educação Física, Enfermagem, Física, Geografia, História, Letras, Matemática, Medicina, Medicina Veterinária, Nutrição, Pedagogia, Psicologia, Química e Serviço Social.

No ranking dos cursos no Ceará, Medicina Veterinária, Nutrição e Serviço Social ocupam, mais uma vez, a 1ª colocação entre os melhores do estado.

(Foto – Arquivo)

Faculdade Vale do Jaguaribe comemora 20 anos

FVJ comemora 20 anos com entrega de título Honoris Causa a Dom Adelio Giuseppe Tomasin e ao professor José Rosa Abreu Vale

A Faculdade do Vale do Jaguaribe vai comemorar seus 20 anos de atividades na próxima quinta-feira. O ponto alto da festa será a entrega do título de Doutor Honoris Causa a Dom Adélio Giuseppe Tomasin, bispo emérito de Quixadá, e ao ex-secretário da Educação do Ceará, José Rosa Abreu Vale. A cerimônia ocorrerá a partir das 9 horas, no Campus da FVJ, em Aracati (Litoral Leste).

Ao final da tarde de quinta-feira, a partir das 18 horas, será inaugurada a Linha do Tempo – FVJ 20 anos, com uma nova iluminação em sua recepção e homenagem aos seus colaboradores mais antigos.

José Rosa ao lado da escritora Giselda Medeiros.

A Faculdade

Com quinze cursos de graduação e outras dezenas de pós-graduação, a FVJ irradia sua expertise através de seus polos de pós-graduação no Ceará e no Rio Grande do Norte. A sede conta com um campus com modernas instalações, em uma área de cinco hectares às margens do encontro da CE-040 com a BR-116. Atende a mais de dois mil jovens, diariamente, oriundos de cerca de 10 municípios circunvizinhos.

Academicamente, a instituição obteve conceito 4 no MEC e suas revistas científicas estampam Qualis B2. Seu Núcleo de Práticas Jurídicas e seus Laboratórios de Enfermagem têm conceito máximo (Nota 5) no Ministério da Educação. Brinquedoteca, Clínica Escola e trail
ler para ações itinerantes permitem que projetos de extensão beneficiem cerca de meio milhão de pessoas em sua área de atuação ao ano, refletindo sua forte vocação e compromisso social, a exemplo do projeto da Escolinha de Futebol Jaguar Esporte Clube em Aracati e Fortim.

Homenageados

*Dom Adelio Giuseppe Tomasin é natural de Montegaldella, Itália. Veio pela primeira vez ao Ceará em 1962. Bispo-emérito da Diocese de Quixadá, é idealizador e fundador da Faculdade Católica Rainha do Sertão. Hoje preside a Fundação Quixadaense de Fomento, mantenedora do Remanso da Paz – Casa de Acolhida São João Calábria, que abriga, em regime semiaberto quarenta idosos, com atividades diversas, diariamente.

*José Rosa Abreu Vale é cearense, sócio da Momentum Consultoria, membro da Comissão Brasileira de Justiça e Paz – Seção Ceará e do Conselho ChildFund Brasil. Formado em Filosofia, mestre em Teologia, ocupou o cargo de Secretário da Educação do Ceará entre 1989 e 1991 e da Secretaria do Trabalho do Ceará de 1995 a 1998. Autor de vários livros, entre os mais recentes: “Nas Pegadas da Juventude” e “Por uma Escola Viva”. Tem, ainda, Pós em Sociologia do Desenvolvimento, Pós-Graduação em Educação pela Universidade de Estrasburgo, França e Pós em Comunicação Social pela Universidade Internacional de Estudos Sociais, em Roma/Itália.

(Fotos – Arquivo)

As fácil-fácil e o trabalho extraclasse

Em artigo sobre os recentes resultados do Enade, o jornalista Nicolau Araújo expõe a realidade de muitas faculdades particulares. Confira:

“Vamos ganhar um diploma de nível superior”? Ofereceu de panfleto na mão a simpática moça, nas proximidades do terminal da Messejana, ao sugerir a matrícula em uma faculdade instalada no bairro.

Dias antes, havia me intrometido na conversa de duas estudantes da mesma faculdade, quando uma delas temia não alcançar meio ponto na prova final em uma das disciplinas do semestre vigente. Apontei que a insignificância de meio ponto na prova final seria resultado de um semestre extraordinário, com notas excelentes.

“Sim!”, confirmou a estudante. Então, como alguém com notas excelentes temia não alcançar meio ponto em uma prova? Ah, os trabalhos extraclasse. Muitas vezes sequer feitos pelos próprios estudantes, mas decisivos na recuperação de avaliações pífias.

Incomodado ainda com a aluna que afirmou que faria uma promessa ao santo pelo meio ponto na prova, disse à moça do panfleto que mal sabia ler ou ser capaz de realizar as quatro operações da matemática.

“Mas, o senhor terminou o ensino médio?”, insistiu a moça. Confirmei a conclusão, mas aleguei que já havia alguns anos e, ainda assim, por meio de supletivo, da mesma forma que o ensino fundamental.

“Então está resolvido! O senhor pode cursar a faculdade”, determinou a moça do panfleto.

Mas, e o vestibular? Como iria me virar com a redação? E os cálculos dos problemas de matemática?

“A prova é só uma formalidade – me surpreendi com o emprego do termo -, a redação não é obrigatória – me surpreendi novamente, desta vez perplexo – e todas as questões são de marcar (objetivas). Não precisa de cálculos (na prova de matemática)”, revelou a moça, que confirmou ainda que os trabalhos extraclasse “salvam” qualquer “nota baixa”.

Infelizmente, há dois anos, já havia visto o absurdo em uma faculdade no bairro Jacarecanga, quando uma estudante confessou ter se matriculado sem a redação, pois seria semianalfabeta.

Outros milhares de casos explodem todos os anos no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), quando o rendimento satisfatório das chamadas “fácil-fácil” não chega a 5%. Este semestre, 3,3%.

O resultado disse tudo impacta no péssimo profissional que é despejado no mercado de trabalho, diante de ganho salarial tão pífio quanto à competência.

Nesta semana, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, reconheceu que universitários com baixo rendimento nas “fácil-fácil” não deveriam ter o diploma de nível superior. No entanto, a declaração contradiz o tratamento dispensado às universidades públicas, que a cada ano perdem verbas e o incentivo a pesquisas.

Nessa prova, Weintrau precisará do trabalho extraclasse…

Nicolau Araújo

Jornalista

Ministro admite que muitos universitários não deveriam se formar

103 1

Para o ministro da Educação, Abraham Weintraub, o universitário que não consegue responder nem 10% das questões do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) não deveria se formar, não deveria ter o diploma de nível superior.

A indignação do ministro é respaldada nos maus resultados dos cursos das instituições particulares de ensino superior, quando somente 240 cursos conseguiram o conceito máximo, entre os 7.276 avaliados, uma taxa pífia de 3,3%.

Os dados divulgados ontem (4), pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), apontam ainda que, entre os cursos das universidades públicas, o percentual de conceito máximo sobe para 20.3%.

O ministro lamentou que só há restrição para quem não faz a prova, mas não para o aluno que apresenta um rendimento abaixo da expectativa do mercado ou que “boicota” as respostas do exame.

“A gente tem uma série de sugestões, tudo vai passar pelo Congresso”, idealizou Weintraub.

(Com agências / Foto: Arquivo)

ProUni 2019 – Termina nesta sexta-feira prazo para bolsas remanescentes

Hoje (4) é o último dia para que estudantes já matriculados no ensino superior privado concorram às bolsas remanescentes do Programa Universidade para Todos (ProUni). Podem concorrer às bolsas brasileiros sem diploma de curso superior e que tenham participado de qualquer edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir de 2010, com nota superior a 450 pontos e sem ter zerado a prova de redação.

Professores da rede pública de ensino, no efetivo exercício do magistério da educação básica e que não tenham participado do Enem, podem se inscrever às bolsas de estudo em cursos de licenciatura.

Nessa etapa, não há chamadas ou nota de corte diária. A ocupação das bolsas é realizada conforme a ordem de inscrição. Ao concluir a inscrição, a bolsa automaticamente é reservada ao candidato. As bolsas de estudo podem ser integrais, de 100% do valor da mensalidade, ou parciais, de 50% da mensalidade.

Quem for selecionado deverá comparecer à instituição de ensino nos dois dias úteis após a inscrição para comprovar as informações prestadas.

Atualização

Os estudantes que já são bolsistas devem verificar junto à coordenação do ProUni da própria instituição se o cadastro da bolsa foi atualizado, pois termina também nesta sexta-feira (4) o prazo para que as instituições de ensino atualizem o cadastro do ProUni.

O procedimento é todo online: as instituições deverão acessar o Sistema Informatizado do ProUni (SisProUni) e inserir a Certificação Digital.

Segundo o MEC, esse tipo de atualização é obrigatório para os casos de matriculados no semestre em curso. Portanto, não vale para situações de alunos que ingressaram no processo seletivo atual, pois seus dados foram recentemente registrados.

Cabe à instituição confirmar a matrícula do beneficiado no semestre em curso e do rendimento acadêmico obtido no último período letivo. O procedimento é concluído com a emissão do Termo de Atualização do Usufruto de Bolsa. No documento, é registrada a autorização para a continuidade da bolsa, caso o bolsista tenha alcançado o rendimento acadêmico mínimo exigido.

Caso o coordenador não atualize a bolsa, a suspensão por ausência de renovação é automática. O MEC recomenda que os estudantes compareçam à coordenação do ProUni na própria instituição, pois a atualização da bolsa é o procedimento que garante a continuidade do benefício.

SERVIÇO

*As inscrições são feitas pela internet, pelo portal do ProUni aqui.

(Agência Brasil)

Enade 2018 – 6% dos cursos avaliados tiraram nota máxima

Em 2018, 492 cursos superiores tiraram a nota máxima no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), de acordo com dados divulgados hoje (4) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Esses cursos correspondem a cerca de 5,8% do total de 8.520 que tiveram o desempenho divulgado.

A maior parte desses cursos é ofertada por instituições públicas federais, 199, seguida por instituições privadas sem fins lucrativos, que ofertam 123; privadas com fins lucrativos, que ofertam 117; públicas estaduais, 52; e um deles é ofertado por instituição pública municipal. Ao todo, foram avaliados nesses cursos 25,2 mil estudantes.

Os resultados são referentes ao Conceito Enade, indicador calculado com base no desempenho dos estudantes no Enade 2018.

O Enade é um exame feito por estudantes – ao final dos cursos de graduação – para avaliar conhecimentos, competências e habilidades desenvolvidas ao longo do curso. Levando em consideração o desempenho dos estudantes nas provas, os cursos são classificados seguindo uma escala de 1 a 5.

O conceito 3 reúne a maior parte dos cursos. Aqueles que tiveram um desempenho menor que a maioria recebem conceitos 1 ou 2. Já os que tiveram desempenho superior à maioria recebem 4 ou 5. De acordo com os resultados divulgados, 1.689 cursos obtiveram conceito 4 e 3.830 obtiveram conceito 3.

Abaixo da média

Na outra ponta, mais de um quarto dos cursos avaliados no Enade do ano passado obtiveram desempenho “abaixo da média” na avaliação – ao todo, 2.509, ou seja, cerca de 29% obtiveram conceitos 1 e 2.

A maior parte desses cursos, 1.397, é ofertada por instituições privadas de ensino superior com fins lucrativos; 864 são ofertados por instituições privadas sem fins lucrativos; 76 por instituições públicas federais; 90 por públicas estaduais; 73 por públicas municipais; e 9 por instituições especiais.

Ao todo, 149.209 estudantes são atendidos por essas instituições de ensino. Eles representam um terço, 34%, dos 439.044 estudantes que participaram do Enade e tiveram notas divulgadas.

Direito e Administração

Em 2018, os cursos de administração e direito representam 48,5% do total de inscritos no Enade.

De acordo com o Inep, 23,8% dos cursos de administração avaliados obtiveram Conceito Enade 1 ou 2; 51% obtiveram conceito 3; 20,7%, conceito 4; e, 4,5%, conceito 5. Entre esses cursos, a média da nota geral dos estudantes no exame foi 38,4 de um total de 100 pontos.

Entre os cursos de direito, 36,7% obtiveram conceitos 1 ou 2; 43,4% obtiveram conceito 3; 13% conceito 4; e, 6,9%, conceito 5. A média da nota geral dos estudantes foi 41,3.

O Enade, para todas as áreas, é composto de 40 questões. Elas são divididas em formação geral, que abrange aspectos da formação profissional do estudante; e componente específico, elaborado para cada uma das áreas avaliadas. A parte específica corresponde a 75% da nota e a geral, a 25%.

Enade 2018

Em 2018, cerca de 462,2 mil estudantes de 10,6 mil cursos de aproximadamente 1,8 mil instituições de ensino participaram do Enade. Nem todos os cursos atenderam a todos os quesitos para o cálculo do Conceito Enade.

Foram avaliadas as seguintes áreas com cursos de bacharelado: administração; administração pública; ciências contábeis; ciências econômicas; comunicação social – jornalismo; comunicação social – publicidade e propaganda; design; direito; psicologia; relações internacionais; secretariado executivo; serviço social; teologia; turismo.

Foram avaliados também os cursos superiores de tecnologia em comércio exterior; em design de interiores; design de moda; design gráfico; gastronomia; gestão comercial; gestão da qualidade; gestão de recursos humanos; gestão financeira; gestão pública; logística; marketing; processos gerenciais.

Desempenho do estudante

No boletim do estudante, todos aqueles que fizeram o Enade no ano passado têm acesso às notas individuais, bem como às notas gerais por curso, por região, por unidade da Federação, por área de avaliação e a nota nacional, para comparação. O boletim é acessado pelo sistema Enade por meio de senha individual.

(Agência Brasil)

UFC ocupa duas das 16 cadeiras do Conelho Consultivo da Academia Brasileira de Ciência

Antonio Gomes de Souza Filho e Luiz Drude de Lacerda.

Dois professores da Universidade Federal do Ceará vão integrar o conselho consultivo da Academia Brasileira de Ciências (ABC) no período 2019-2022: Antonio Gomes de Souza Filho, do Departamento de Física, e Luiz Drude de Lacerda, do Instituto de Ciências do Mar (Labomar). A informação é da assessoria de imprensa da UFC.

Com essas escolhas, a UFC passa a ocupar duas das 16 cadeiras do colegiado, que tem como uma de suas atribuições aconselhar a diretoria da Academia em assuntos pertinentes às necessidades científicas do País e da comunidade nacional de pesquisadores.

Conselho

O conselho consultivo é composto por representantes de 10 áreas do conhecimento e um representante de seis regionais (Norte; Nordeste e Espírito Santo; Minas Gerais e Centro-Oeste; Rio de Janeiro; São Paulo; Sul). O Prof. Antonio Gomes integra o conselho como representante da área de Ciências Físicas e o Prof. Luiz Drude como representante da regional Nordeste e Espírito Santo.

DETALHE – Além de participação no conselho consultivo, a UFC tem oito professores ocupando cadeiras titulares na Academia: Antonio Gomes (Física), Benildo Sousa Cavada (Bioquímica e Biologia Molecular), Edilberto Rocha Silveira (Química Orgânica e Inorgânica), João Lucas Marques Barbosa (Matemática), José Soares de Andrade Júnior (Física), Luiz Drude de Lacerda (LABOMAR), Manassés Claudino Fonteles (Fisiologia e Farmacologia) e Manoel Odorico de Moraes Filho (Fisiologia e Farmacologia).

(Foto – UFC)

Entidades sindicais e estudantis realizam marcha contra cortes na educação

Entidades sindicais ligadas ao meio universitário e membros do Sindifort, Intersindical e partidos de esquerda promovem, nesta manhã de quinta-feira, uma marcha em defesa da educação e contra cortes na área realizados pelo governo Jair Bolsonaro.

Estudantes e professores também protestam contra o o Programa Future-se, que, segundo dizem, abre caminho para a privatização das universidades públicas.

O protesto se concentra no cruzamento das avenidas 13 de Maio e Universidade.

(Foto – Divulgação)

Prazo para bolsas remanescentes do ProUni é prorrogado até sexta-feira

Os estudantes matriculados em universidades particulares podem concorrer às bolsas remanescentes do Programa Universidade para Todos (ProUni) até o dia 4 de outubro. O anúncio foi feito hoje (30) pelo Ministério da Educação (MEC). A previsão inicial de encerramento para pleitear bolsa era nesta segunda-feira.

Podem pleitear as bolsas remanescentes estudantes que não foram selecionados na primeira e segunda chamadas, além da lista de espera. As inscrições devem ser realizadas no site do programa.

As vagas são para o segundo semestre do ano. Nesta etapa, não há chamadas ou nota de corte diária. A ocupação das bolsas é realizada conforme a ordem de inscrição. Ao concluir a inscrição, a bolsa automaticamente é reservada ao candidato.

Para concorrer às bolsas remanescentes do ProUni é preciso ter participado de qualquer edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir de 2010, com nota superior a 450 pontos e sem ter zerado a prova de redação e não ter diploma anterior de curso superior. Professores da rede pública e que não tenham participado do Enem podem se inscrever às bolsas de estudo em cursos de licenciatura.

Quem for selecionado deverá comparecer à instituição de ensino nos dois dias úteis após a inscrição para comprovar as informações prestadas.

(Agência Brasil)

SDA abre seleção para 26 estagiários de Nível Superior

A Secretaria do Desenvolvimento Agrário do Ceará (SDA) está com processo seletivo aberto. A seleção é regulada pelo edital nº 18/2019, e tem como objetivo promover a contratação de 26 estagiários de nível superior.

São ofertadas vagas para para estudantes dos seguintes cursos: Engenharia Ambiental, Engenharia Civil, Engenharia de Telecomunicações, Zootecnia, Administração, Serviço Social, Veterinária, Contábeis, Direito, Agronomia, Arquitetura e Urbanismo, Jornalismo, Psicologia e Química.

Os interessados poderão se inscrever até o dia 15 de outubro de 2019, das 8h às 12h e das 13h às 17h, na Célula de Gestão de Pessoas (CEGEP), na sede da Secretaria do Desenvolvimento Agrário (Avenida Bezerra de Menezes, nº 1820, São Gerardo, Fortaleza/CE).

Para atender os requisitos os candidatos devem estar cursando regularmente um dos cursos acima relacionados; ter cursado no mínimo 50% dos créditos requeridos e, no máximo, 80%; e ter obtido em pelo menos 70% das médias finais das disciplinas cursadas, notas iguais ou superiores a 7,0, variando numa escala de zero a 10 ou correspondente.

A seleção constará de duas etapas: análise curricular e por entrevista, ambas de caráter eliminatório e classificatório. As datas, locais e horários serão informadas com antecedência.

O edital com a convocação do Processo Seletivo foi publicado no Diário Oficial do Estado do Ceará, na edição da última quinta-feira (26).

UFC abre seleção para quatro professores em Fortaleza

A Universidade Federal do Ceará lançou o Edital nº 162/2019 para seleção de professores substitutos. Segundo a assessoria de imprensa da Instituição, há vagas para o Centro de Humanidades (CH), para a Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade (FEAAC) e para a Faculdade de Medicina (FAMED), em Fortaleza.

As inscrições para todas as vagas terão início a partir desta sexta-feira, 27, e vão se estender até o próximo dia 30, podendo ser reabertas em caso de inexistência de candidatos com a titulação exigida.

Vagas

No Centro de Humanidades, a vaga é para o Departamento de Letras Estrangeiras, no setor de estudo Língua Alemã, com regime de trabalho de 20 horas semanais.

Na FEAAC, há uma vaga no Departamento de Economia Aplicada, no setor de estudo Métodos Quantitativos. Podem se inscrever profissionais com título de doutor ou mestre. O candidato aprovado cumprirá jornada semanal de 20 horas.

Na FAMED, as vagas são para os Departamentos de Cirurgia e de Medicina Clínica. No primeiro, a vaga é para o setor de estudo Otorrinolaringologia, com regime de trabalho semanal de 20 horas. Podem concorrer apenas candidatos com título de doutor.

Já no Departamento de Medicina Clínica, a vaga é no setor de estudo Clínica Médica / Nefrologia / Semiologia. O candidato aprovado cumprirá jornada de 40 horas semanais.

SERVIÇO

*Mais informações sobre os processos seletivos, como valores de taxa de inscrição, remuneração e provas, podem ser obtidas no edital, disponível no site da Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas.

*Divisão de Concursos e Provimento da PROGEP – (85) 3366 7407.

(Foto – Evilázio Bezerra)

Artigo – “Um Viva aos 110 Anos de Luta e Resistência da Rede Federal de Educação Profissional”

74 1

Com o título ““Um Viva aos 110 Anos de Luta e Resistência da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica!”, eis artigo do professor-doutor Ivan de Oliveira, dessa Instituição. Confira:

Nesse 23 de setembro, segunda-feira última, comemoramos os 110 anos da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica que começou sua história com a publicação do Decreto nº 7.566/1909, que criou as 19 escolas de aprendizes artífices, e deu início ao maior instrumento de transformação de vidas do Brasil.

Ao longo de sua história centenária, sofreu uma série de transformações que vai do seu caráter assistencialista de formar profissionais para o mercado de trabalho – com uma oferta de ensino voltada para as crianças órfãs de pais vivos impelidos à ociosidade e aos desvalidos da sorte – até se revestir, a partir de 2008, na maior rede de ensino técnico e tecnológico do país – os Institutos Federais (IF’s).

Ficamos os últimos dezesseis anos trabalhando para vencer o fantasma do dualismo estrutural da educação profissional que historicamente entregou ao povo pobre deste país uma educação especificamente voltada para o acesso ao mercado de trabalho e, para as elites, outra educação geral com as escolas de ciências e humanidades para os futuros dirigentes.

Os acenos do atual governo para as mudanças de perspectiva das políticas educacionais desta rede são assustadoras e exigem um plano de resistência urgente das comunidades no entorno dos 38 Institutos Federais, dos 02 Centros Federais de Educação Tecnológica (Cefet), da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), das 22 escolas técnicas vinculadas às universidades federais e do Colégio Pedro II; bem como exige o fortalecimento dos Movimentos Organizados de Valorização e Articulação dos Servidores e das Servidoras da Educação.

Só a luta é capaz de barrar o avanço deste rolo-compressor orquestrado pelos atuais governantes do Palácio Central.

Caro leitor, chegamos em 587 municípios do Brasil por meio dos nossos respectivos campi (661 unidades) associados a estas instituições federais, com uma média de 24 campi por cada uma das 27 unidades federadas do país. O Ceará tem uma das redes mais capilarizadas com a marca de 35 campi, incluindo o Pólo de Inovação Fortaleza e a Reitoria.

Hoje é um dia de comemoração por nossos 110 anos, mas queremos deixar um recado especial aos pretensos interventores e oportunistas que sonham em usurpar a gestão máxima do IFCE (reitoria) em 2020.

Os institutos federais têm uma retaguarda jurídica mais robusta do que as universidades federais e não será fácil aplicar a mesma estratégia intervencionista usada na Universidade Federal do Ceará (UFC).

Apesar do inquestionável desapreço das comunidades acadêmicas da UFC pelo novo Reitor (lê-se: falta da necessária legitimidade popular), o ato do presidente da República de escolher um dos nomes da lista tríplice encontra respaldo na LEI Nº 9.192, DE 21 DE DEZEMBRO DE 1995, que alterou os dispositivos da Lei nº 5.540, de 28 de novembro de 1968, e regulamentou o processo de escolha dos dirigentes universitários. Vejamos:

“Art. 1º O art. 16 da Lei nº 5.540, de 28 de novembro de 1968, com as alterações introduzidas pela Lei nº 6.420, de 3 de junho de 1977, e pela Lei nº 7.177, de 19 de dezembro de 1983, passa a vigorar com a seguinte redação:

Art. 16. A nomeação de Reitores e Vice-Reitores de universidades, e de Diretores e Vice-Diretores de unidades universitárias e de estabelecimentos isolados de ensino superior obedecerá ao seguinte:

I – o Reitor e o Vice-Reitor de universidade federal serão nomeados pelo Presidente da República e escolhidos entre professores dos dois níveis mais elevados da carreira ou que possuam título de doutor, cujos nomes figurem em LISTAS TRÍPLICES organizadas pelo respectivo colegiado máximo, ou outro colegiado que o englobe, instituído especificamente para este fim, sendo a votação uninominal”

Foi inspirado neste dispositivo legal que a medida de urgência (liminar) foi negada para o mandado de segurança impetrado pelos representantes dos trabalhadores e das trabalhadoras da UFC.

O juiz não enxergou o “fomus boni juris”, a fumaça/sinal de bom direito, para deferir a concessão da antecipação de tutela naquela situação e ratificou a nomeação do presidente da República.

É, querid@s, é revoltante ver a UFC nas mãos de alguém que não foi escolhido diretamente pela comunidade, mas esta nomeação encontra lastro de legalidade para mantê-lo no poder no quadriênio que se segue.

São nestes momentos que sentimos o descompasso entre a lei/direito e a justiça. Estas não necessariamente caminham juntas no dia a dia, por isso o povo precisa estar permanentemente em luta para salvaguardar seus direitos, garantias e liberdades.

Esta breve e infeliz lembrança da situação da UFC, de longe, serve para apoiar a situação do novo reitor, mas para prefaciar o superveniente cenário no IFCE (eleições para os dirigentes em 2020) com um aparato jurídico diferente daquele da nossa coirmã.

ATENÇÃO! AQUI NO IFCE A LEGALIDADE E A LEGITIMIDADE ESTÃO CONVERGENTES E SUBSCRITAS NA LEI!

Para um juiz negar uma liminar aos trabalhadores e às trabalhadoras do IFCE, não reconhecendo a obrigação de nomear o eleito pela comunidade acadêmica, é extremamente difícil diante da inexistência de LISTA TRÍPLICE e da previsão legal para a nomeação do escolhido por processo de consulta interna.

O processo de escolha de dirigentes dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, criados pela Lei n° 11.892/2008, e resultantes da transformação dos CEFET’s, das Escolas Técnicas e das Escolas Agrotécnicas Federais, tem suas regras gerais trazidas na própria Lei n° 11.892/2008, através de seus arts. 12 e 13, cuja redação é a seguinte:

“Art. 12. Os Reitores SERÃO nomeados pelo Presidente da República, para mandato de 4 (quatro) anos, permitida uma recondução, após processo de consulta à comunidade escolar do respectivo Instituto Federal, atribuindo-se o peso de 1/3 (um terço) para a manifestação do corpo docente, de 1/3 (um terço) para a manifestação dos servidores técnico-administrativos e de 1/3 (um terço) para a manifestação do corpo discente.”

Em outras palavras, o presidente não tem margem de escolha para os reitores dos Institutos Federais.

Aos pretensos interventores, só lhe restam à esperança do presidente descumprir a lei ou do Congresso mudar a Lei n° 11.892/2008.

Este alerta serve para antecipar aos colegas servidores dos IF’s que nossos dirigentes não precisam ficar subservientes a nenhum governo, mas devem exercer seus papéis de gestores responsáveis por meio dos diálogos com a presidência da República e com os ministérios para garantir a continuidade dos serviços públicos oferecidos às populações do Brasil, principalmente das populações periféricas do país.

PARE! É hora de dar um salto para o futuro e pensar nos IF’s para além do medo de desagradar os governos. Nossa instituição pertence ao povo e para ele devemos trabalhar todos os dias.

Este espírito de luta é o melhor caminho para honrar os 110 anos desta instituição.

Parabéns a todos, estudantes, servidores e servidoras, do IFCE!

*Ivan Oliveira,

De aluno da antiga ETFCE a professor-doutor do IFCE.

Professor da UFC é embaixador de conselho internacional vinculado à Unesco

O professor Esequiel Mesquita, do Curso de Engenharia Civil do Campus da Universidade Federal do Ceará em Russas, foi escolhido para ser embaixador do Conselho Internacional de Monumentos e Sítios (ICOMOS, na sigla em inglês), na XX Assembleia Internacional do conselho, que ocorrerá de 1º a 10 de outubro de 2020 em Sydney, na Austrália. A informação é da assessoria de imprensa da UFC.

Os embaixadores são escolhidos por ano pela comissão internacional do ICOMOS. Para a escolha são analisados os impactos dos trabalhos do candidato na preservação do patrimônio. Por ser um dos escolhidos, o professor da UFC representará o ICOMOS no Brasil por meio de participação em eventos e discussões até setembro de 2020. E ministrará, ainda, durante a 20ª Assembleia, palestra sobre os trabalhos desenvolvidos com o patrimônio histórico cearense utilizando técnicas vibracionais.

Em seus estudos sobre preservação de patrimônio, Mesquita desenvolveu, com o Laboratório de Reabilitação e Durabilidade das Construções (LAREB), trabalhos que são pioneiros no Brasil e abriram uma nova área na engenharia civil, denominada engenharia do patrimônio.

Esses trabalhos são sobre técnicas de análise que não destroem o patrimônio, por utilizar principalmente ondas ultrassônicas para caracterizar e estimar parâmetros físicos das construções históricas do Ceará. O objetivo é examinar a durabilidade dessas construções e identificar a existência de vazios ou heterogeneidades nas alvenarias sem provocar nenhum dano à estrutura. Até agora, o LAREB já analisou mais de 20 construções dos sítios históricos de Aracati, Icó, Viçosa, Sobral e Fortaleza.

Perfil

Esequiel Mesquita é professor do Departamento de Engenharia Civil da UFC no Campus Russas. É também professor convidado do Departamento de Engenharia Civil e Ambiental da Universidade de Florença, na Itália, e professor colaborador do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil do Departamento de Engenharia Estrutural e Construção Civil da UFC e do Programa de Pós-Graduação da área de Engenharia Civil do Instituto Federal do Ceará (IFCE). Tem doutorado em Engenharia Civil pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) e graduação em Engenharia Civil pela Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA).

Desde 2014, trabalha com caracterização e monitorização das construções históricas cearenses com apoio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Em 2016 recebeu o prêmio Best Young Research Paper durante o XII International Conference on Structural Repair and Rehabilitation (ICRR), no Porto. Também esteve entre os finalistas do prêmio Rodrigo Franco Melo de Andrade, pelos trabalhos realizados na área de avaliação e caracterização das construções históricas luso-brasileiras.

Atualmente é pesquisador associado do Instituto de Telecomunicações de Aveiro, em Portugal, membro expert da Associação Latino-Americana de Patologia das Construções (ALCONPAT), além de coordenador da Comissão de Estudos de Aplicações Especiais com Ultrassom da ABNT. Anteriormente foi coordenador do Laboratório de Materiais de Construção da UVA e chefe do Laboratório de Engenharia do Núcleo de Tecnologia Industrial do Ceará (NUTEC).

ICOMOS?

O ICOMOS é uma instituição global não governamental associada à Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO). Tem a missão de promover a conservação, a proteção, o uso e a valorização de monumentos, centros urbanos e sítios. O conselho é o organismo consultor do Comitê do Patrimônio Mundial para a Implementação da Convenção do Patrimônio Mundial da UNESCO. É também responsável pela proposição de políticas internacionais de preservação do patrimônio histórico mundial.

(Foto – UFC)

Universidades oferecem serviços gratuitos à população nesta semana

Nesta semana, mais de 550 instituições de ensino superior em todo o país oferecem mais de seis mil atividades gratuitas para a comunidade. Entre os serviços ofertados estão consultoria jurídica, orientação profissional e educacional, assistência à saúde, promoção da inclusão digital e atividades culturais, recreativas e esportivas.

As atividades, que fazem parte da 15ª Campanha da Responsabilidade Social do Ensino Superior Particular, são voltadas a públicos de todas as idades e oferecidas por estudantes, professores e funcionários das instituições. A Campanha, promovida anualmente pela Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (Abmes), começa nesta segunda-feira (23) e segue até sábado (28).

De acordo com os organizadores, participam do evento tanto instituições particulares quanto públicas, além daquelas vinculadas ao Sistema “S”. Não é necessário ser associada à Abmes para integrar a Campanha.

Os interessados podem verificar nas instituições de ensino superior se elas estão participando da Campanha. Também podem conferir nas próprias faculdades e sites institucionais quais os horários e que atividades são oferecidas.

Responsabilidade social

Todas as instituições participantes recebem da Abmes o “Selo Instituição Socialmente Responsável”, que certifica a atuação social e pode ser estampado em espaços como site e material promocional.

Desde a criação, em 2005, o projeto proporcionou cerca de 16 milhões de atendimentos à população, com aproximadamente 90 mil atividades realizadas, que envolveram mais de 1,5 mil instituições de todo o país, de acordo com a Abmes.

A Campanha de Responsabilidade Social do Ensino Superior Particular foi criada para aproximar os setores acadêmicos privado e público com a comunidade em geral. Inicialmente, as ações eram concentradas em um só dia, porém, desde 2014, a programação foi estendida para uma semana.

O objetivo é dar mais visibilidade aos projetos de responsabilidade social realizados ao longo de todo o ano pelas instituições, além de ser oportunidade para os alunos exercerem a prática de seus cursos e ampliarem a consciência social.

(Agência Brasil)

Artigo – “Diploma e educação superior: a importância de escolher certo”

Com o título “Diploma e educação superior: a importância de escolher certo”, eis artigo de Henrique Sartori de Almeida Prado, chanceler do Grupo Estácio e ex-secretário-executivo do MEC. Ele aborda a importância do diploma superior e, principalmente, a fiscalização contra fraudes. Confira:

Os números da educação superior no Brasil são superlativos: mais de 8 milhões de alunos matriculados em cerca de 35 mil cursos superiores autorizados e mais de 2400 faculdades, centros universitários e universidades credenciadas pelo Ministério da Educação. E ainda, segundo o censo da educação superior, todos os anos, mais de um milhão de brasileiros são capacitados a seguir nas diferentes frentes profissionais que a educação superior oportuniza. São dados robustos se comparados a outros sistemas educacionais mundo a fora.

Ainda neste cenário, o setor privado é o responsável por grande parte desses números e alavanca oportunidades a milhões de brasileiros que procuram dar continuidade no seu caminho educacional, destacando, igualmente, o importante papel inclusivo das instituições públicas.

Certificando esses milhões de formandos, milhares de faculdades brasileiras expedem anualmente seus diplomas, que são, por sua vez, registrados em universidades, públicas ou privadas. A exceção desta regra vale para os centros universitários que podem registrar os seus próprios diplomas.

Além desses números que são refletidos anualmente nos levantamentos educacionais, o Ministério da Educação tem a prerrogativa de fiscalizar, aprimorar e acompanhar o sistema federal de ensino, seja em momentos de orientação de rumos ou no fomento de políticas públicas.

Como parte deste trabalho e seguindo as orientações dos órgãos de controle do governo federal, o MEC trouxe luz a um assunto que há décadas exigia atualização: a política de expedição e registro de diplomas.

Hoje, a nova regra, que inclui a possibilidade da forma digital, indica elementos mais seguros contra fraudes, prazos firmes para a expedição, estimula a transparência e certifica os passos dados pelos alunos, professores e instituições. Afinal, o diploma não só simboliza o fim de um itinerário de sucesso como atesta a idoneidade de todos os envolvidos no relacionamento educacional.

Por mais que existam debates sobre o futuro do diploma, como uma certificação que ateste o conjunto de habilidades e competências do estudante para o exercício de uma determinada atividade profissional, é a forma que hoje o sistema educacional confere o crédito a quem cursou um currículo mínimo ou seguiu uma trajetória certa no ensino superior.

Buscar informações seguras sobre o curso, sobre a instituição de ensino, sobre a composição do corpo docente e conhecer as experiências de outros estudantes é fundamental para garantir a tranquilidade durante o tempo dedicado aos estudos e ter a certeza que o diploma terá validade.

É importante dentro deste cenário de números superlativos, que as instituições de ensino credenciadas exerçam um papel vigilante sobre o sistema, aprimorando suas práticas de registro e expedição de diplomas e contando com o auxílio de outros órgãos para combater as irregularidades praticadas, pois todos querem chegar ao final do seu curso superior com a certeza do dever cumprido e com um diploma válido na mão.

*Henrique Sartori de Almeida Prado,

Chanceler do Grupo Estácio. Foi secretário-executivo do MEC.

(Foto – Divulgação)

Cândido Albuquerque inicia a semana despachando na reitoria da UFC

226 3

O professor Cândido Albuquerque iniciou esta segunda-feira despachando na reitoria da Universidade Federal do Ceará. Nomeado reitor pelo presidente Jair Bolsonaro, estava despachando na Casa José de Alencar, em Messejana, em razão de protestos tocados por alunos da Instituição que chegaram a ocupar, por vários dias, a área da reitoria.

Cândido informou que está tendo reuniões com a Coordenação de Comunicação da UFC.

Ali, chegou tendo apoio apenas da segurança patrimonial da Instituição. Desde que foi nomeado – fora o segundo da lista tríplice do Conbselho Universitário e terceiro na consulta à comunidade universitária, era chamado de “interventor”.

Ao longo desse período, os jardins da Reitoria chegaram a ser ocupados por alunos. Houve tentativa de reintegração de posse por parte do reitor e até ação questionando a nomeação dele, o que foi patrocinado pela Aduf Sindicato e derrubado no Çmbito da Justiça Federal

(Foto – Divulgação)

Projeto da UFC sobre adoção de animais é finalista em certame de Interação Humano-Computador

Três dos cinco projetos finalistas da Competição de Design do Interação Humano-Computador 2019 – XVIII Simpósio Brasileiro sobre Fatores Humanos em Sistemas Computacionais, principal evento científico da área de IHC no Brasil, são da Universidade Federal do Ceará. O simpósio acontecerá em Vitória, no Espírito Santo, de 21 a 25 de outubro. A informação é da assessoria de imprensa da Instituição.

Com o tema “Adoção de animais abandonados”, o desafio desta edição da Competição de Design foi a criação de uma solução que apoie a conscientização sobre posse responsável de animais e incentive a adoção dos que estão abandonados.

Os projetos PadimPet (https://www.youtube.com/watch?v=c69PBsMxCx4), de alunos do Campus de Quixadá; Cabine Pets (https://www.youtube.com/watch?v=vGVQPFxPdJ8&feature=youtu.be), do Curso de Engenharia de Software do Campus de Russas, e Clube do Resgate (https://www.youtube.com/watch?v=WLF0p8PPA80), do Curso de Sistemas e Mídias Digitais, em Fortaleza, são os representantes da Universidade na competição.

O PadimPet é um aplicativo elaborado para promover o apadrinhamento de animais pelas pessoas que não podem criar um animal em casa. A intenção é ajudar na interação entre futuros padrinhos e abrigos, além de possibilitar o acompanhamento dos animais apadrinhados. O título é uma junção do apelido “padim”, que costuma ser dado a padrinhos e faz referência regional a Padre Cícero, junto com o termo “pet”, dado aos animais de estimação.

O projeto é de autoria de Raissa Lemos, do Curso de Design Digital, e de Marcelo Martins e Sávia Fernandes, do Curso de Engenharia de Computação, e de Filipe Damasceno, que atuou no campus como professor substituto até 2018. O trabalho é orientado pela professora Andréia Libório.

Já o Cabine Pets consiste na instalação de cabines com comedouros que podem ser acionados por meio de doações em moedas, liberando ração e água para os animais. Essas doações podem ser registradas em um aplicativo móvel, onde também é possível fazer outras doações e obter informações sobre animais para adoção. O app conta ainda com postagens de conscientização que são realizadas por ONGs e profissionais da saúde, como médicos veterinários.

A autoria é de Tamires Ariane Sousa, Valéria Maria Pinheiro e Gabriel Fonseca Júnior, dos cursos de Engenharia de Software e Ciência da Computação do Campus de Russas, sob orientação da Profª Anna Beatriz Marques.

Por sua vez, o Clube do Resgate é um jogo digital baseado em localização que busca conscientizar sobre o abandono de animais, por meio de interação que leva a conhecer melhor a causa animal no mundo real. No aplicativo os jogadores são convidados a andar pela cidade combatendo as “Sombras do Abandono” (vilões) para libertar os animais abandonados. Os usuários também podem interagir com comedores autônomos e manifestações artísticas espalhadas pelo espaço urbano para coletar mantimentos virtuais e encontrar famílias para os bichos virtuais resgatados.

Desenvolvido por Izac Sidarta, David Miranda, Patrick Nobre e Espedito Roza, o projeto foi orientado pelo Prof. Mateus Pinheiro, do Curso de Sistemas e Mídias Digitais.

Os trabalhos foram aprovados na primeira fase da competição, que consiste em submissão de artigos com ideias inovadoras sobre o tema, um protótipo interativo e um vídeo de divulgação da ideia. Os cinco melhores projetos seguem agora para a etapa final, em que os três melhores serão escolhidos por banca julgadora.

(Foto – Divulgação)