Blog do Eliomar

Categorias para Violência

O assédio nosso de cada dia

Em artigo no O POVO deste sábado (26), a Doutora em Direito e professora da UFC, Juliana Diniz, lamenta a condição da mulher como vítima em potencial da violência de gênero no Brasil. Confira:

Nesta semana em que Fortaleza recebeu a Conferência Internacional de Direitos Humanos, o tema da opressão contra mulher voltou à pauta, agora no debate público promovido pela OAB. O evento aconteceu ainda sob o luto do assassinato da vereadora Marielle Franco, um crime cujos efeitos irradiam para qualquer discussão que se possa promover sobre violência de gênero no Brasil.

Quem agrediu a voz que Marielle representava expôs de forma brutal a constatação de que ser mulher – independente do lugar que se ocupe – é conviver diariamente com muitos riscos. A ameaça de ser desrespeitada, assediada ou assassinada por um companheiro, um colega de trabalho ou estranho na rua. Nossas relações com o mundo atravessadas pela angústia: estamos expostas, vítimas em potencial.

Recém-publicado no Brasil, o livro de Selva Amada, Garotas Mortas, apresenta um olhar cuidadoso sobre práticas de violência de gênero naturalizadas que, não raro, se desdobram em crimes brutais, quando fica evidente o ódio dirigido à autonomia crescente que as mulheres passaram a aspirar. A autora nos leva a refletir sobre o simbolismo dos pequenos gestos, os incômodos diários por meio dos quais se vai naturalizando em escalas geracionais o desrespeito como expressão da banalidade.

Há imensa importância nas sutilezas do simbólico. O gracejo inadequado. O elogio dirigido ao corpo. A comparações que reduzem a figura feminina à delicadeza e à vocação para o doméstico. O toque não consentido – por mais sutil que seja. A proximidade física incômoda que chega como invasão e ameaça ao espaço íntimo. A exibição não autorizada de aspectos da vida privada.

Banalizar essas práticas como fruto da diferença de comportamento entre gêneros é reduzir a violência contra mulher ao campo da suscetibilidade. E que sejamos suscetíveis! Que digamos sem reserva ou constrangimento a todo homem que nos assedia que ele ultrapassou um limite, e que esse comportamento, por mais inofensivo que lhes pareça, não é, de forma alguma, aceitável.

MP denuncia ex-vereador por agressão em frente ao Instituto Lula

O ex-vereador de Diadema, Manoel Eduardo Marinho, mais conhecido como Maninho do PT, e seu filho, Leandro Eduardo Marinho, foram denunciados pelo Ministério Público de São Paulo por agressão contra Carlos Alberto Bettoni, ocorrida no dia 5 de abril, em frente ao Instituto Lula, na região do Ipiranga. Eles foram denunciados pelo promotor Luiz Eduardo Levit Zilberman por tentativa de homicídio com motivo torpe e cruel.

Bettoni foi agredido em frente ao Instituto Lula após supostamente gritar ofensas ao PT durante entrevista do senador Lindbergh Farias (RJ) à imprensa. Um dos denunciados empurrou a vítima, que bateu a cabeça em um caminhão que passava no local. Bettoni foi internado no Hospital São Camilo, onde permaneceu até o final de abril.

Na ocasião, manifestantes pró-Lula estavam reunidos em frente ao instituto após ser divulgada a notícia de que o juiz Sérgio Moro havia expedido ordem de prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Quanto ao secretário nacional do Setorial Sindical do PT, Paulo Cayres, indiciado pela Polícia Civil, o promotor pediu o arquivamento do inquérito, alegando que ele não teria participado diretamente do ataque que levou o empresário Bettoni a bater a cabeça contra o caminhão.

(Agência Brasil)

Ataque a tiros em acampamento pró-Lula deixa dois feridos

185 1

Um ataque a tiros na madrugada deste sábado (28) ao acampamento onde apoiadores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fazem vigília desde sua prisão, em Curitiba, deixou duas pessoas feridas, de acordo com a coordenação do movimento. A Polícia Militar de Curitiba confirma a ocorrência de tiros na região e informou que o caso está em investigação. Ainda não há informações sobre a autoria dos disparos.

A coordenação do Acampamento Lula Livre divulgou que Jeferson Lima de Menezes, de São Paulo, foi atingido por um tiro no pescoço e está internado em estado grave. Os tiros foram disparados entre 3h e 4h da manhã.

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, divulgou um vídeo na página do partido relatando o episódio e disse que, momentos antes do ataque, pessoas haviam passado várias vezes pelo local gritando e se manifestando de forma contrária à mobilização. “A situação de violência e intolerância no país está muito grave, não podemos aceitar isso”, disse Gleisi no vídeo. Segundo ela, Jeferson Lima é do movimento sindical de São Paulo.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública informou que, segundo as primeiras informações, uma pessoa a pé efetuou disparos de arma de fogo contra o acampamento de simpatizantes do ex-presidente Lula. A secretaria confirma que uma pessoa baleada foi levada ao hospital e que um tiro acertou um banheiro químico e os estilhaços feriram uma mulher no ombro, sem gravidade. De acordo com a nota, no local foram recolhidas cápsulas de pistola 9 mm e um inquérito foi aberto para apurar o caso.

A nota da coordenação do acampamento diz que a violência contra os apoiadores de Lula não vai diminuir a mobilização e que o local vai receber grande quantidade de pessoas no feriado do 1° de maio, Dia do Trabalhador.

O ex-presidente Lula chegou à carceragem da Polícia Federal, em Curitiba, no dia 7 de abril. Desde então, manifestações pró e contra Lula ocorrem na cidade.

(Agência Brasil)

CCJ aprova pena maior para homicídio quando vítima estiver sob proteção da Lei Maria da Penha

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou nessa terça-feira (24) proposta que aumenta em até 50% a pena do acusado por violência doméstica que matar a mulher quando ela já estiver sob proteção da Lei Maria da Penha (11.340/06). O texto agora será votado no Plenário.

O objetivo é agravar a punição do homem que, depois de agredir a mulher, vier a assassiná-la enquanto as medidas protetivas da lei Maria da Penha estiverem em vigor por determinação da Justiça.

Foi aprovado o Projeto de Lei 7118/10, do deputado Marcos Monte (PSD-MG), com a emenda da Comissão de Seguridade Social e Família. A emenda, além de deixar o texto mais claro, tornou a pena mais rígida, pois a proposta original só previa o aumento da punição em até 1/3.

O deputado Paulo Magalhães (PSD-BA), que relatou a matéria na CCJ, apresentou parecer pela constitucionalidade e juridicidade do projeto com a emenda, recomendando a aprovação de ambos. “A situação especial da mulher vítima de violência exige uma resposta especial do Estado. Por essa razão, é pertinente e razoável tratar com maior rigor os agressores que, uma vez denunciados, desafiam as medidas protetivas de urgência aplicadas pelo juiz e perpetuam a violência”, disse Magalhães.

O relator entende que a medida preenche uma lacuna no Código Penal (Decreto-Lei 2.848/40), pois ele avalia que não são incomuns os casos em que os culpados por agressão acabam por matar as vítimas enquanto elas estão sob proteção do Estado.

Entre as medidas protetivas previstas na Lei Maria da Penha estão o afastamento do lar, a suspensão da posse de arma, a proibição de se aproximar da vítima e de eventuais testemunhas da agressão, e a restrição de visita aos filhos.

(Agência Câmara Notícias)

Secretário de Defesa Civil é assassinado a tiros na Baixada Fluminense

O secretário municipal de Defesa Civil e Ordem Urbana de Belford Roxo, Marcos Wander Silva de Oliveira, de 42 anos, foi morto no município localizado na Baixada Fluminense. Marcos também era policial militar aposentado.

O secretário estava em seu carro, no bairro de Heliópolis, em Belford Roxo, quando foi abordado por criminosos armados. Uma das hipóteses é que ele tenha sido morto abordado por assaltantes ao ser reconhecido com um policial militar reformado.

Policiais do Batalhão de Belford Roxo (39º BPM) foram acionados e chegaram a levar a vítima para o Hospital da Posse, em Nova Iguaçu, mas ele já chegou morto ao local. O crime está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF).

Marcos estava no cargo de secretário desde dezembro do ano passado. Ele é a segunda pessoa em cargo político no estado a ser assassinada desde o início da intervenção federal na segurança do Rio, há um mês e meio. No dia 14 de março, a vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco (PSOL) foi morta também dentro de seu carro, com vários tiros. A hipótese mais provável é que Marielle tenha sido executada.

De acordo com o Disque Denúncia, Marcos também é o 33º policial agente de segurança assassinado no estado neste ano.

Ainda em Belford Roxo, a professora Tânia da Silva, diretora da Escola Municipal Jorge Ayres de Lima, foi assassinada quando saía do colégio, depois de uma festa em comemoração à Páscoa. Segundo a prefeitura de Belford Roxo, Tânia foi vítima de um arrastão de bandidos, no bairro Três Setas e alvejada na cabeça. Ela era professora da rede municipal desde 95.

Na nota, a prefeitura diz lamentar “tanta violência. Que Deus conforte essas famílias Estamos assustados. A cidade pede socorro”.

(Agência Brasil)

Sobre os atentados em Fortaleza

Em artigo enviado ao Blog, o vereador Guilherme Sampaio (PT) diz que o momento não é de divergências ideológicas, mas de união para o enfrentamento ao crime e em defesa da sociedade. Confira:

Nós sempre lutamos por um estado democrático, cujas instituições representassem as aspirações do povo no exercício do poder, para produzir justiça e igualdade.

Sabemos que estamos ainda distantes disso, em razão do fato de que a própria construção desse estado democrático está historicamente associada a manutenção do poder nas mãos das elites e ao favorecimento dos interesses econômicos de poucos. Mas jamais desistiremos desse ideal!

Por isso, repudiamos veementemente os ataques a órgãos públicos ocorridos nos últimos dias , nos solidarizamos com os servidores desses órgãos e nos colocamos ao lado das autoridades dirigentes do estado e do município, independentemente das divergências ideológicas que tenhamos, no enfrentamento ao crime e na defesa da sociedade.

É preciso discernimento, liderança legítima e humildade para avançarmos na construção de uma sociedade pacífica. Sabemos que ela não virá somente com a repressão , mas sobretudo com a inclusão de todos, especialmente através da criação de oportunidades para nossa juventude, que hoje cresce vulnerável e é a maior vítima da violência urbana.

O estado, como representação do ideal democrático, não deve se curvar jamais a violência . Por isso, estaremos ao lado das instituições, mas sobretudo do nosso povo, para resistirmos, criarmos e sustentarmos ações pelas quais o estado imporá limites e prevenirá todas as formas de violência praticada por aqueles que desejam impor seus interesses pela força, quer seja das armas ou do dinheiro. A vida sempre vencerá, ao final.

Vereador Guilherme Sampaio – PT

Mais um ônibus é incendiado na tarde deste domingo

Mais um ônibus foi incendiado, diante da série de ataques contra repartições públicas e coletivos, neste fim de semana. Na tarde deste domingo (25), por volta das 15 horas, seis homens interceptaram um ônibus na Perimetral e atearam fogo, após obrigarem os passageiros a descer.

Diante de mais uma ação criminosa contra os coletivos – o sexto de ontem para hoje -, os ônibus chegaram a parar de circular nos terminais.

O domingo iniciou com a frota reduzida. Cinco linhas que saem da Praça Coração de Jesus e que passam por áreas consideradas de risco, foram suspensas: 601 – Aerolândia, 602 – Parque Pio XII, 613 – Barroso / Jardim Violeta, 633 – Passaré / Centro e 666 – Jardim Castelão.

(Foto: Arquivo)

Seis presos e três mortos, anuncia Camilo sobre reação do Estado contra atentados criminosos

O governador Camilo Santana anunciou há pouco, por meio de sua página no Facebook, a prisão e morte de pessoas que estariam envolvidas nas ações criminosas nessas últimas horas no Ceará. Confira:

Irmãos e irmãs cearenses,

Sobre as ações criminosas contra prédios públicos e coletivos registradas no Ceará nas últimas horas, informo que temos trabalhado firme para identificar e prender cada um dos bandidos.

Seis envolvidos já foram capturados e outros três foram mortos durante uma ação policial, que chegou até eles pelo Serviço de Inteligência.

Esses atos criminosos, que se assemelham a atos terroristas, têm ocorrido por interesses contrariados desses bandidos, que buscam afrontar o Estado e amedrontar a população.

Não conseguirão intimidar o Estado. Muito pelo contrário: essas ações serão respondidas com força, à altura que for necessária.

Terminou, agora a pouco, mais uma reunião com toda a cúpula da segurança e da justiça do Estado para uma nova avaliação acerca dos esforços que já venho determinando no sentido de garantir reforço total no policiamento das ruas e nos trabalhos de inteligência.

Não temos medido esforços para combater o crime no nosso Ceará. São cerca de nove mil agentes de segurança contratados e mais de mil e quinhentas viaturas entregues nos últimos três anos. Dois mil e sessenta policiais militares e civis já estão na academia em preparação para irem para às ruas e delegacias em breve.

Desde 2016, venho cobrando insistentemente o envolvimento do Governo Federal, que agora abriu os olhos para o problema.

Com empenho, conquistamos para o Ceará o primeiro Centro Regional de Inteligência, que envolve órgãos federais de combate ao crime organizado. O Ministro da Segurança esteve no Ceará e garantiu seu funcionamento nos próximos meses.

Após proposta nossa, a justiça cearense criou uma vara específica para o combate ao crime organizado.

Acredito nas nossas forças de segurança e nas instituições cearenses: Judiciário, Legislativo, Ministério Público, Defensoria.

Importante também que a população denuncie esses criminosos através do telefone 190, sem se identificar, para ajudar a polícia a chegar até eles.

Estamos juntos e vamos seguir firmes no combate à grave criminalidade.

Confira o vídeo aqui.

Seminário reúne pesquisadores para discutir aumento da violência letal no Ceará

243 1

Resultado da mobilização de 11 universidades cearenses, o “1º Seminário do Movimento Cada Vida Importa: a universidade na prevenção e enfrentamento da violência no Ceará” acontece na manhã desta sexta-feira (23), a partir das 8h30min, no Auditório da Biblioteca da Universidade de Fortaleza (Unifor). O evento, que é aberto ao público, vai abordar o elevado índice de violência letal no Estado, especialmente entre adolescentes e jovens.

O seminário é direcionado a professores, estudantes e profissionais dos diferentes campos das políticas públicas, integrantes de movimentos e organizações sociais, associações comunitárias e demais interessados que queiram aprofundar reflexões e debates relacionados à prevenção e enfrentamento da violência. A proposta é que, a cada mês, pelo menos uma grande atividade seja realizada em uma das universidades que aderiram ao movimento.

Na mesa de debate do seminário estarão presentes a professora de Filosofia Sandra Helena de Souza, do Programa Cidadania Ativa (PCA) da Unifor; a pesquisadora Ângela Pinheiro, do Núcleo Cearense de Estudos e Pesquisa sobre a Criança (NUCEPEC/UFC); e o relator do Comitê Cearense pela Prevenção de Homicídios na Adolescência, deputado licenciado Renato Roseno.

O “Movimento Cada Vida Importa: a universidade na prevenção e no enfrentamento à Violência no Ceará” foi iniciado em fevereiro de 2018 por meio de articulação de professores, servidores e estudantes de instituições de ensino superior do Ceará. A frente de mobilização tem o intuito de fortalecer ações em andamento e desenvolver outras iniciativas no ambiente universitário e sensibilizar a sociedade pelo enfrentamento da violência no Estado.

Com foco em ações preventivas, o movimento quer contribuir com a diminuição dos índices das diversas expressões da violência cotidiana e da violação de direitos, cujas vítimas são predominantemente jovens negros moradores da periferia.

Estão integrando a mobilização professores da Universidade Federal do Ceará (UFC), Universidade Estadual do Ceará (Uece), Universidade de Fortaleza (Unifor), Centro Universitário Devry Fanor (UniFanor), Centro Universitário 7 de Setembro (Uni7), Centro Universitário Christus (UniChristus), Instituto Federal do Ceará (IFCE), Faculdade de Tecnologia Intensiva (Fateci), Centro Universitário Estácio do Ceará, Universidade Regional do Cariri (Urca) e Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab).

O custo simbólico da tragédia

Da Coluna O POVO Economia, no O POVO deste sábado (17), pela jornalista Neila Fontenele:

A semana termina em clima de desgaste e marcada pela tragédia do assassinato da vereadora do PSOL-RJ, Marielle Franco. Os tiros que silenciaram a militante carioca podem gerar estilhaços para pessoas que nunca tinham ouvido falar antes de Marielle e ameaçar locais bem distantes do Rio de Janeiro.

O homicídio reforça a sensação de insegurança no País. O Brasil se transforma em um país marcado pelo sangue de jovens da periferia e pelo de Marielle, que representava a renovação política. Essas mortes custam caro. A perda dessas vidas possui um valor simbólico incalculável.

Em conversa com investidores estrangeiros que aplicam seus recursos no Ceará, havia preocupação com a repercussão da tragédia. O que era esperança diante de novos voos e criação de infraestrutura se transformava em desânimo diante da realidade. Não havia esperança em melhora do fluxo de turistas diante do acirramento da insegurança e alguns já falavam das perdas.

Temos realmente de melhorar como Nação. Quem governa para fora deve lembrar que o ambiente político, econômico e social é feito pelos habitantes das próprias cidades. Não adianta tirar R$ 400 milhões do Sebrae para a criação de uma agência de promoção do País enquanto jovens, negros e mulheres são assassinados nas guerras cotidianas.

Jungmann diz que responsáveis por morte de vereadora serão encontrados e punidos

O ministro extraordinário da Segurança Pública, Raul Jungmann, disse que vai acompanhar pessoalmente as investigações para apurar a morte da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e do motorista Anderson Pedro Gomes. Segundo o ministro, os responsáveis pelo crime “bárbaro” serão encontrados e punidos a qualquer custo.

“Quero dizer ao povo carioca, aos familiares da vereadora, aos seus amigos, aqueles que ao lado dela lutavam pelos direitos de todos e de todas, que nós vamos encontrar e punir os responsáveis por este bárbaro crime. Pelo tempo que for necessário e ao custo que for necessário, mas nós vamos fazer justiça a vereadora que tombou, fruto de um bárbaro crime e que nós envidaremos todos os esforços para que isso venha acontecer”, afirmou, durante uma entrevista à imprensa no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), na região central do Rio de Janeiro.

O ministro destacou que caberá à Polícia Civil liderar as investigações e as demais corporações, como agentes de outros estados e as Forças Armadas, irão participar conforme a demanda, sobretudo com a integração das inteligências.

Jungmann não descartou a possibilidade, se for necessário, do apoio da Polícia Federal. A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, determinou hoje a abertura de um procedimento instrutório para a possível federalização das investigações sobre a morte da vereadora.

Jungmann disse que conversou duas vezes hoje com a procuradora, antes de chegar ao Rio. “A rigor, esta investigação já está federalizada, porque temos uma intervenção federal no estado. Estamos todos trabalhando juntos, mas se ela entende que há necessidade de deslocamento de competência, se ela entende a necessidade de participação maior do que já vem acontecendo, da Polícia Federal, obviamente que nada temos a obstaculizar”, disse, acrescentando que há “confiança no trabalho que está sendo desenvolvido pela Polícia Civil”.

(Agência Brasil)

Nações Unidas condenam assassinato da vereadora Marielle Franco

O Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) classificou hoje (15) como “profundamente chocante” o assassinato da vereadora Marielle Franco, num ataque a tiros na noite de quarta-feira, no Rio de Janeiro. Integrante da Câmara Municipal do Rio, Marielle, 38 anos, foi morta num ataque que também matou o seu motorista, Anderson Pedro Gomes, e deixou uma assessora ferida.

Em nota, a porta-voz do Escritório da ONU, Liz Throssel, lembrou que Marielle era uma defensora dos direitos humanos que atuava contra a violência policial, pelos direitos das mulheres e de afrodescendentes em áreas pobres do Rio de Janeiro.

O comunicado ressalta que as autoridades devem realizar uma completa investigação do assassinato. A ONU pediu ainda que o inquérito ocorra o mais rapidamente possível.

Para o Escritório de Direitos Humanos, é preciso que a investigação seja transparente e tenha credibilidade e que os autores do crime sejam levados à justiça.

O Sistema ONU no Brasil também condenou a morte de Marielle Franco e pediu rigor na investigação do caso.

A ONU no Brasil lembrou que a vereadora, do Partido Socialismo e Liberdade (Psol), estava em seu primeiro mandato na Câmara e era uma das principais vozes na defesa dos direitos humanos da cidade e lutava contra o racismo. Ela promovia a igualdade de gênero assim como a eliminação da violência, sobretudo nas periferias e nas favelas do Rio de Janeiro.

(Agência Brasil)

Preso no Meireles homem suspeito de participar da chacina do Benfica

566 1

Um homem suspeito de ter participado da chacina do Benfica foi preso na madrugada deste domingo, 11. Ele é a primeira pessoa detida pelo crime que deixou sete mortos em ataques simultâneos no bairro. Segundo informações da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), os policiais descobriram a localização de um veículo Fiat Punto que havia sido captado em imagens de câmeras localizadas no entorno da sede da Torcida Uniformizada do Fortaleza (TUF). O carro estava na garagem de um prédio no bairro Meireles.

A operação foi conduzida pelas equipes da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), da Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD), da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) e da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE). Os agentes da Segurança Pública realizaram buscas no apartamento ao qual a garagem é vinculada, onde encontraram dois revólveres calibre 38, uma pistola .40, munições e carregadores.

O suspeito que estava no imóvel tentou fugir, mas foi contido pelos policiais. Ele já responde pelos crimes de roubo e receptação. Agora, foi autuado por homicídio, posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito, resistência, receptação e nas Lei das Organizações Criminosas.

Dentro do automóvel, foram encontrados cartuchos de balas. O material recolhido foi encaminhado para a Perícia Forense do Ceará (Pefoce), onde será comparado com o que já havia sido coletado nos locais dos crimes. A SSPDS não informou o nome do homem preso.

(O POVO Online)

Chacina do Benfica – TUF descarta que chacina foi motivada por briga de torcida

No dia seguinte à chacina que matou pelo menos quatros de seus integrantes, Torcida Uniformizada do Fortaleza (TUF) lançou nota pública em que lamenta a matança e afasta a tese de que sequência de mortes foi provocada por briga entre torcidas. De acordo com o secretário estadual da Segurança Pública, André Costa, um dos suspeitos identificados estaria envolvido em rixa com torcedores adversários que aconteceu no último jogo entre Fortaleza e Ceará, no domingo, 4. A Torcida Organizada Cearamor (TOC) também já havia rechaçado essa teoria para explicar o massacre.

Em nota publicada na página do Facebook, a torcida do Fortaleza disse que “o fato ocorrido não possui vínculo algum com possível rivalidade entre as torcidas organizadas da Capital”. Na nota, eles ainda exigiram investigações sobre o caso. “O que ocorreu foi, sim, uma chacina, onde foram vitimadas pessoas que não possuíam envolvimento com o crime organizado”, informa a publicação. As vítimas mortas na sede da TUF e em ruas de acesso ao local foram Adenilton da Silva Ferreira, 24, Emilson Bandeira de Melo Júnior, 27, Pedro Neto, 22, e Carlos Victor Meneses Barros, 23.

Morrreram ainda José Gilmar Furtado de Oliveira Júnior, 33, Antônio Igor Moreira e Silva, 26, e Joaquim Vieira de Lucena Neto, 21. Eles estavam na Praça da Gentilândia, primeiro local de ataque dos autores da matança. O envolvimento deles com torcida organizada não foi confirmado.

(O POVO Online)

Chacina do Benfica – O narcoterrorismo em Fortaleza

Em artigo sobre a chacina no bairro Benfica, o sociólogo e consultor político Luiz Cláudio Ferreira Barbosa aponta que nunca o tráfico havia levado suas disputas por pontos de tráficos, a bairros nobres de Fortaleza. Confira:

A chacina no bairro do Benfica pode ser considerada como o marco inicial do narcoterrorismo na cidade de Fortaleza. Os narcotraficantes nunca levaram as suas guerras, por pontos de tráficos, aos bairros nobres da capital cearense. As facções criminosas praticavam as ações de extermínio dos seus rivais nos aglomerados urbanos, como o entorno da praça da Gentilândia, ponto movimentado de bares e restaurantes, conhecida área cultural, boêmia e universitária.

No início dos anos 2000, a região da Praia de Iracema foi tomada por usuários de drogas e vendedores de entorpecentes. O mesmo fenômeno ocorreu no início dessa década no entorno do Dragão do Mar. A migração do público alternativo foi natural para a região do bairro do Benfica. Na Praia de Iracema e no Dragão do Mar ocorrem mortes por furtos ou por dívida de drogas. Os narcotraficantes daquela área nobre de Fortaleza não desejam levar o terror aos seus consumidores, e também pelo fato dos chefes ou barões serem moradores da região.

A praça da Gentilândia já era um ponto de disputa das facções criminosas. Infelizmente, a violência não é um fato novo no cotidiano dos moradores. A intenção da chacina era de amedrontar o consumidor de droga local, viciados dos bairros nobres que não frequentam mais a região do Dragão do Mar/Praia de Iracema, nos finais de semana. O bairro Benfica é próximo ao Centro, bairro de Fátima, Parquelândia (av.Bezerra de Menezes), Montese e Parangaba. Os grandes chefes traficantes não moram na região da Gentilândia.

A morte dos jovens torcedores, inocentes, é outra faceta da guerra das drogas. Os narcotraficantes desejam usar as redes de vendas de materiais esportivos e souvenirs como sublocação de entorpecentes. O governador Camilo Santana (PT) e o secretário da área de Segurança Pública, o policial federal André Costa, vão precisar dar muita explicação administrativa, para esse novo tipo de chacina próximo aos redutos de diversão da classe média fortalezense.

Luiz Cláudio Ferreira Barbosa, sociólogo e consultor político

Chacina do Benfica – Chico Lopes diz que no Ceará qualquer cidadão está exposto à violência extrema

Em nota enviada ao Blog, o deputado federal Chico Lopes (PCdoB-CE) cobra resposta rápida no caso da chacina no bairro Benfica. Confira:

Pesar, tristeza e indignação são nossos sentimentos diante de mais uma chacina lamentavelmente registrada em Fortaleza – desta vez no bairro Benfica, na noite da sexta-feira, 9.

Expressamos solidariedade aos parentes, amigos, colegas das vítimas, bem como a toda a população do Ceará, que infelizmente vem convivendo a cada dia com novos assassinatos, em número e frequência simplesmente inaceitáveis.

Assim como quanto aos demais casos de chacinas registradas neste ano e quanto aos crimes ocorridos todos os dias, com qualquer cidadão, em qualquer bairro de Fortaleza ou qualquer município do Ceará, nos somamos ao lamento de toda a sociedade, por ver mais uma vez seus filhos e filhas tombarem vitimados por atos de violência tão extrema quanto covarde.

Exigimos providências rápidas, com a devida investigação do caso e responsabilização dos culpados, perante a Justiça. E com a garantia de maior presença do Estado, com serviços públicos de qualidade, opções de educação, cultura, esporte, formação e trabalho, perspectivas de vida reais e atraentes a todos.

Ressaltamos, ainda, que a maioria das vítimas da nova chacina era composta por jovens. Mais uma vez, estes são o alvo fácil e preferencial. Pessoas que têm sua vida bruscamente interrompida, em plena praça pública, com o crime mandando recado para que todos desistam do direito à cidade, à liberdade, ao lazer, à convivência, à própria existência em sociedade.

E aqui dizemos “não!”. Não vão nos vencer pela cultura do medo. Não vão nos intimidar. Seguiremos resistindo e insistindo por nossa cidade, nossos jovens, nossa gente, nossa vida.

Chacina do Benfica – Servidores do IFCE divulgam nota de solidariedade e cobram respostas

Em nota enviada ao Blog, o Sindicato dos Servidores do IFCE critica o “discurso fácil” e aponta que “nem tudo está sob controle”. Confira:

O Sindicato dos Servidores do IFCE manifesta profundo pesar e forte indignação pelos crimes cometidos na noite dessa sexta-feira (9), no bairro do Benfica, onde se localiza o Campus Fortaleza do Instituto.

Até o momento são sete vítimas fatais confirmadas. Longe de serem apenas mais números nas estatísticas impressionantes da violência em Fortaleza, que supera muitos cenários de guerra declarada, são sete pessoas que deixam de existir. Sete famílias desestabilizadas para sempre. Sete motivos para um trauma que atinge toda a comunidade acadêmica do IFCE. Sete marcas indeleveis nos corações de todos que sonham e lutam pela educação, pelo direito a cidade, pela liberdade de ir e vir, pela construção de uma sociedade mais humanizada e menos desigual.

Os servidores e as servidoras do IFCE manifestam sua solidariedade com familiares, amigos, colegas das vítimas e com todo o povo de Fortaleza, cidade em que, definitivamente, nem tudo está sob controle. Que venham respostas para além dos discursos fáceis e ações para além da repressão policial aos negros, pobres e da periferia. Que realmente se deem oportunidades aos jovens, com educação, cultura, saúde, trabalho, integração social. Com mais uma chacina, em mais um bairro, a cidade convulsiona, dia a dia. A se perguntar até quando.

Prefeitura apresenta metas no reforço ao combate à violência

484 1

A Prefeitura de Fortaleza esclarece que, após encontro no Governo do Estado, na tarde deste sábado(10), o prefeito Roberto Claudio reuniu membros da sua equipe de governo e já mobilizou profissionais e todos os recursos e equipamentos do Município para garantir ações em três eixos (algumas já em andamento). Confira:

1) Reforçar a assistência aos feridos, por meio da Secretaria da Saúde e do IJF;

2) Assistência psicossocial às famílias das vítimas, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos;

3) Mobilização de efetivo adicional da guarda municipal e AMC para ações em parceria com os órgãos de segurança do Estado;

4) Alinhamento dos esforços municipais às ações do Governo do Estado por meio de ações de fiscalização urbana.

Chacina do Benfica – Quatro dos sete mortos eram ligados à Torcida Organizada do Fortaleza

Pelo menos quatro dos sete mortos na chacina do Benfica tinham ligações com a Torcida Uniformizada do Fortaleza (TUF). Eram eles: Pedro Braga Barroso Neto, 22; Emilson Bandeira de Melo Júnior, 27, Carlos Victor Meneses Barros, 23; e Adenilton da Silva Ferreira, 24, os dois últimos sem antecedentes criminais.

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) confirmou as ações simultâneas que resultaram nas sete mortes na noite de sexta-feira, 9. A pasta investiga se há relação entre elas. Os crimes ocorreram na Praça da Gentilândia, na Vila Demétrio, onde está a sede da TUF, e na rua Joaquim Magalhães, localizada na vizinhança.

“Isso foi um ato de terrorismo, não foi briga de torcida”, disse um dos dirigentes da TUF. Sob condição de anonimato, ele confirmou as identidades das quatro pessoas ligadas à organizada e afirmou que não se trata de crime relacionado a conflitos entre torcedores. “É ato aleatório. Não tem explicação, não foi vingança (de uma torcida rival).”

De acordo com o integrante da torcida tricolor, as vítimas eram membros ativos da TUF. “Eram trabalhadores. Tinham coração bom. Estavam no lugar errado, na hora errada. Toda sexta o pessoal se reúne, faz festa, churrasco na sede. E acontece uma coisa dessas”.

Inicialmente, a informação era de que o mascote do time do Fortaleza estava entre os mortos. “Não é o mascote do clube. É que o apelido do Adenilton era ‘Mascote’, porque ele entrou muito novinho na TUF. Era um rapaz muito bom, nunca tinha feito nada de errado”, conta.

A SSPDS convocou uma coletiva de imprensa para o final desta manhã. A pasta informa diligências estão sendo conduzidas pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Os suspeitos de participarem dos assassinatos teriam usado dois veículos, um deles um modelo Honda Civic.

A chacina do Benfica ocorre menos de uma semana depois que três mulheres foram decapitadas no bairro Parque Leblon, em Caucaia. O assassinado foi filmado e divulgado nas redes sociais. No vídeo, uma das mulheres afirma que está “rasgando a camisa” de uma facção e passando para outra, a Guardiões do Estado (GDE).

Desde o início do ano, houve pelo menos quatro chacinas no Ceará: a de Maranguape, na Região Metropolitana de Fortaleza, com quatro mortos; a do bairro das Cajazeiras, com 14 mortos, a maior chacina da história do Ceará – o crime foi atribuído à GDE; e, menos de dois dias depois, a da cadeia pública do município de Itapajé (a 124 km da Capital), com outras dez vítimas, a maioria ligada a uma facção criminosa rival à Guardiões do Estado.

(O POVO Online / Repórter Henrique Araújo)

Governadores do NE terão reunião em Teresina contra o crime organizado

Da Coluna Eliomar de Lima, no O POVO desta terça-feira (6):

Principal região do País atingida pela migração de criminosos das facções que atuam no eixo Rio-São Paulo, o Nordeste deve reforçar a proteção de suas divisas com outros estados. Com a ocupação do Rio pelo Exército, a preocupação aumenta.

Seguindo o modelo implantado em 2015 pelo Ceará, com o Batalhão de Divisas presente em quatro regiões do Estado, os nove governadores discutirão esse assunto durante reunião hoje, em Teresina (PI). Na oportunidade, eles farão uma avaliação conjunta do encontro mantido, na última semana, em Brasília, com o presidente Temer e dirigentes de outros poderes.

O problema da violência é o que mais atinge o Nordeste neste momento. A Bahia, com mais de sete mil homicídios, Pernambuco com quase 5,5 mil e o Rio Grande do Norte ainda superam o Ceará em homicídios por 100 mil habitantes. Os governadores querem somar forças para proteger a região da invasão do crime organizado. Uma grande ajuda será o Centro Regional de Inteligência da PF, cuja sede pode ser em Fortaleza.

(Foto – Divulgação)