Chacina de Messejana – Capitão Wagner e Soldado Noélio pedem ao CNJ que reveja o caso

O deputado estadual Capitão Wagner (PR) e o vereador Soldado Noélio (PR) deram entrada, nesta segunda-feira, junto ao Conselho Nacional de Justiça, em Brasília, num pedido em favor de policiais militares presos sob acusação de envolvimento na Chacina de Messejana.

O parlamentar define como “Caso Curió” e, em sua página no Facebokk, ele e o vereador Soldado Noélio expuseram os porquês desse pedido.

Chacina

A chacina na região da Grande Messejana, em Fortaleza, foi uma série de homicídios ocorridos na madrugada do dia 11 a 12 de novembro de 2015. No total, onze pessoas foram assassinadas e sete ficaram feridas. Os crimes ocorreram em um período de tempo inferior a seis horas. A região envolve os bairros Messejana, Curió, São Miguel e Alagadiço Novo, localizados na Área Integrada de Segurança 4 (AIS 4). Esta série de crimes foi considerada a maior chacina da história de Fortaleza.

Todas as vítimas assassinadas eram do sexo masculino, além de que nove dos onze indivíduos mortos tinham entre 16 e 19 anos.

A Polícia estabeleceu três linhas de investigação para averiguar a série de crimes. A primeira seria uma possível retaliação pela morte do policial militar Valterberg Chaves Serpa, de 32 anos, morto na noite de 11 de novembro, horas antes do início da chacina, quando reagiu a um assalto ao tentar defender a esposa, na Grande Messejana. Além dessa possibilidade, haveria também mais duas represálias: uma relacionada à morte de um traficante da região, e outra interliga à prisão de um outro traficante da Grande Messejana.

Três das onze pessoas assassinadas tinham passagem pela polícia. No entanto, os delitos eram leves e incluíam ameaça, crime de trânsito e pensão alimentícia.

Já as investigações do Ministério Público do Ceará (MPCE), que reuniu vídeos, fotos e áudios, comprovam a participação de policiais militares na ação. Concluído o inquérito, a Justiça aceitou a denúncia contra os suspeitos e indiciou 44 policiais militares, que estão presos, em Fortaleza, há mais de um ano.

Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

Um comentário sobre “Chacina de Messejana – Capitão Wagner e Soldado Noélio pedem ao CNJ que reveja o caso

  1. Não poderia ser diferente, estão se defendendo entre si, isso chama-se corporativismo. Capitão Wagnee e Soldado Noélio. Aplica a lei nessa mundiça e pronto deixa apodrecer na cadeia pra aprender.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × um =