Congresso aprova Orçamento 2012 sem incluir reajuste de servidores do Judiciário, aposentados e pensionistas

“Nos últimos minutos do último dia de funcionamento do Poder Legislativo neste ano, o Congresso Nacional aprovou o Orçamento para 2012, sem incluir reajustes para servidores do Judiciário nem aposentados e pensionistas. A decisão se deu após horas de impasse com o PDT, que acabou demovido da ideia de checar o quórum da sessão para protelar as negociações sobre os aumentos até fevereiro.

O relatório do deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP) indicou que as receitas no próximo ano serão de R$ 2,25 trilhões –excluindo os gastos com pagamento da dívida, esse total fica em R$ 1,6 bilhão. O orçamento para pagamento de pessoal em 2012 é de R$ 203,24 bilhões. Ainda há R$ 655 bilhões para refinanciamento da dívida pública, entre outras despesas.

A votação simbólica só foi realizada nesta quinta-feira (22) depois de uma reunião no Palácio do Planalto da ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, com líderes pedetistas, o senador Paulo Paim (PT-RS) e a 1ª vice-presidente da Câmara, Rose de Freitas (PMDB-GO). A presidente se comprometeu a enviar uma carta às entidades de aposentados nesta sexta-feira (23) para propor uma base de negociação. “Agora que houve acordo todos os líderes partidários se comprometeram a negociar com o governo pelos aposentados”, afirmou Chinaglia.

O relatório do Orçamento fez acenos até para a oposição: incluiu a previsão de investimentos no Rodoanel paulista, uma das vitrines da administração do governador tucano Geraldo Alckmin. Além disso, o texto suspendeu cinco obras com suspeitas de irregularidade no Tribunal de Contas da União (TCU). Outras 22 desse tipo ganharam permissão para continuar.

As obras suspensas são as obras da linha três do metrô do Rio de Janeiro, da barragem de um rio no Piauí e de outro em Tocantins, as de drenagem em Tabuleiro do Martins, em Alagoas, e da construção de mais uma marginal em São Paulo. O plenário pode remover essas restrições, que quase foram estendidas à refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco.

“Esforço modesto”

Desde o início do processo, Dilma se mostrou contrária a qualquer aumento de gastos com servidores em meio à crise econômica internacional. Funcionários do Legislativo e do Judiciário, além dos aposentados e pensionistas, compareceram à votação do relatório durante a manhã e a tarde para protestar. Um assessor próximo da presidente disse ao UOL Notícias que haveria “um esforço modesto” para a aprovação.

Em período de recessão no exterior, Dilma só poderia gastar um doze avos do Orçamento até a reabertura dos trabalhos em fevereiro, caso o relatório não tivesse sido aprovado pelo Congresso neste ano. “Não seria má ideia economizar neste momento”, afirmou o assessor de Dilma, que preferiu não se identificar. Os parlamentares, por outro lado, esforçaram bastante para manter suas emendas.

Para fechar um acordo, o governo sugeriu que a partir de 1º de janeiro estaria assegurado o reajuste de 5,2% para todos os aposentados e pensionistas que têm rendimentos acima do salário mínimo. Os que recebem um salário mínimo ficariam com inflação mais o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto). Com essas bases, a negociação continuaria em fevereiro. O PDT rejeitou a proposta em um primeiro momento, mas acabou cedendo.”

(Folha.com)

Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

2 comentários sobre “Congresso aprova Orçamento 2012 sem incluir reajuste de servidores do Judiciário, aposentados e pensionistas

  1. E, assim, tenham um Feliz Natal, brasileiros (e brasileiras), – assim como eu -, considerados, pelas (indi)gestões de Lulla, Dilma, PT & Cia., de ‘segunda classe’!
    E, ‘PT, fraudações’!

  2. Vergonha Nacional. Conivência e Omissão Total e Sem Presente de Natal, Todos contra os Aposentados e Trabalhadore

    O líder do PDT na Câmara, deputado Paulo Pereira da Silva (SP), o Paulinho da Força, retirou seu pedido de verificação de quórum e desistiu de obstruir a votação do Orçamento de 2012.

    Ele pediu o compromisso público dos líderes da base do governo no sentido de negociar reajustes aos aposentados e pensionistas e de várias categorias de funcionários públicos.

    O senador Paulo Paim (PT-RS) confirmou o apoio da Confederação dos Aposentados e Pensionistas do Brasil (Cobap) no sentido do entendimento e na votação do Orçamento da União para 2012.

    Neste momento, o deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), lê seu relatório para o Orçamento.

    Da Redação / Agência Senado

    Marco Maia continua nos devendo e Governo da Presidente Dilma.

    São milhões de eleitores que estão à espera de uma atitude honesta e digna de um parlamentar que se diz comprometido com as necessidades do povo. É mais um ano que se passa e os idosos deste país continuam sendo maltratados pela subserviência de um “seu representante,” e pela insensibilidade de um governo que se diz do povo, mas que não tem a dignidade de atender aos anseios daqueles que contribuíram para uma aposentadoria compatível com a sua contribuição. Encerra-se mais um ano de penúria para os aposentados e pensionistas e para os trabalhadores. É lamentável!
    CH

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × um =