Dilma deseja um 2014 de muito progresso e justiça social para o Brasil

A presidente Dilma Rousseff desejou que 2014 seja um ano próspero, com progresso e justiça social para o país. Em sua conta no microblog Twitter, a presidente aproveitou para destacar as qualidades do Brasil, que, segundo ela, será do tamanho que os brasileiros imaginarem.

“Desejo um Ano-Novo cheio de felicidade e prosperidade para você e de muito progresso e justiça social para o Brasil. O Brasil será do tamanho dos nossos sonhos. Se imaginarmos um país justo e lutarmos por isso, é o que conquistaremos”, disse.

Ao comentar que o Brasil e a vida dos brasileiros melhoraram, Dilma declarou que o país ainda pode melhorar e que “tem passado, tem presente e tem muito futuro”, relatou. “Existem poucos lugares no mundo onde o povo tenha melhores condições de crescer, melhorar de vida e ser mais feliz”, escreveu.

O teor das mensagens é praticamente idêntico às palavras da presidente quando do pronunciamento que fez à Nação no último domingo (29). Na ocasião, Dilma disse também que o governo se preocupa em cumprir o compromisso de lutar contra a inflação e de manter o equilíbrio das contas públicas.

(Agência Brasil)

Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

Um comentário sobre “Dilma deseja um 2014 de muito progresso e justiça social para o Brasil

  1. O fato é que elementos mais conscientes e mais evoluídos do meio político brasileiro, e até internacional, já descobriram o Mapa da Mina do bem comum do povo brasileiro e o inconfundível HoMeM Novo que o lidera e que, há cerca de 20 anos, pacienciosamente, mansa e pacificamente, está tentando entrar na cena política nacional e eleitoral, mas que, infelizmente, a caciquia partidária presa às suas próprias vaidades e ambições pessoais, ao velho estilo, sistematicamente, o tem impedido de fazê-lo. Vale dizer, já perceberam que, de fato, há mais de vinte anos, o Novo Papa da Nova Política do Brasil já está entre nós, propondo o Projeto Novo e Alternativo de Nação e de Política-partidária-eleitoral , o Novo Caminho para o Novo Brasil de Verdade, baseado na cultura da paz, do amor, do perdão, da conciliação, da união e da mobilização em torno da Mega-Solução (RPL-PNBC-ME), capaz de dar ao Brasil e, sobretudo, ao povo brasileiro, pelo menos 100 anos de estabilidade, progresso e o IDH N.1 do mundo, em contraponto a essa coisa monopolizada, jurássica, nojenta, sórdida, com prazo de validade vencido há muito tempo, que é o modello político-partidário-eleitoral baseado na força do dinheiro e dos esquemas que, face ao famigerado caixa dois, virou coisa de bandidos, parecido a guerra de quadrilhas e esquemas, e que está ficando cada vez mais com cara de lixão autoritário insuportável e irreciclável, que expressa o velho continuísmo da mesmice protagonizado por situação, oposição e golpismo-ditatorial, onde viceja os velhos “quanto pior, melhor”, “dá ou desce”, “tomaladacá”, “quem indicou”, ” é dando que se recebe”, e os terríveis “mata-mata” e “queima-queima”, que gera ódio, cobiça, guerra, vingança, rivalidade e violência, entre outros sentimentos tribais primitivos, negativos e nefastos que caracterizam a baixa animalidade, que contaminam e dividem a sociedade, que fazem a festa de psicopatas apaixonados por dinheiro e poder capazes de tudo para consegui-los, e que, a menos que seja eu o louco da história, não me parece coisa de gente civilizada e mentalmente sadia. E que me desculpem, os meus irmãos petistas, pela franqueza que, infelizmente, contraria os seus interesses eleitorais imediatos, assim como os dos demais irmãos de todas as demais siglas. Resumindo, o Novo Papa da Nova Política está aí, esperando a boa vontade dos velhos Papas, Bentos XVIs, no sentido de renunciarem aos seus próprios interesses, vaidades e ambições pessoais, e que, desprendidamente, com grandeza de espírito e humildade, num novo conclave, permitam aos cardeais dizerem: Sim Brasil, habemus Novo Papa, e vamos ajudá-lo com todas as nossas forças na construção do Novo Brasil de Verdade e na implementação da Nova Política, porque isso convém a todos, principalmente às novas e futuras gerações. AMéM. É isso que Você e a Marina estão tentando dizer há muito tempo FHC ? Com a Palavra, FHC e Marina Silva.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 + 19 =