Dilma é acossada por um sistema que tudo faz para boicotá-la e excluí-la a qualquer custo

Da Coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (12):

Repercutem as declarações da presidente Dilma Rousseff, sinalizando que se fosse reconduzida ao cargo, aceitaria um pacto político que incluísse a antecipação das eleições presidenciais, precedidas pela convocação de um plebiscito para saber se o povo concordaria ou não com a proposta. A revelação foi feita durante entrevista concedida por ela ao jornalista Luís Nassif, na TV Brasil, na última quinta feira. Restaurar os poderes plenos da presidente eleita é pacificar o País e restabelecer a legitimidade, segundo observadores da cena política. Alguns defendem que as eleições sejam gerais – e não apenas presidenciais -, já que sem modificar o perfil do atual Congresso o eventual presidente da República eleito continua refém do fisiologismo.

Já o plebiscito – segundo o mesmo raciocínio – deveria incluir a regulamentação dos instrumentos de democracia participativa, atendendo ao que preconiza o parágrafo único do artigo 1º da Constituição Federal: “Todo poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente (grifo meu), nos termos desta Constituição”. Assim, requisitos como o direito de se convocar plebiscitos através de projeto de iniciativa popular, e não apenas por convocação exclusiva do Congresso Nacional, seria o principal instrumento para se efetuar uma reforma política sintonizada com a vontade dos cidadãos. Serviria também como ferramenta de resolução de eventuais impasses entre os Poderes da República, como é costumeiro no modelo presidencialista brasileiro.

Aproveitar todos os canais disponíveis para se comunicar com a sociedade é algo fundamental para uma liderança política como a de Dilma, acossada por um sistema que tudo faz para boicotá-la e excluí-la a qualquer custo. As tentativas desenvolvidas pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI) para confiná-la no Palácio da Alvorada têm sido frustradas. O fato de o GSI ser dirigido por um militar linha dura (que traria a esquerda atravessada na garganta, segundo alguns) provavelmente desperta ainda mais a disposição de resistência própria de uma ex-guerrilheira. Esse comportamento tem-lhe granjeado simpatias como foi comprovado nas manifestações de rua, em seu favor e contra o golpe. Ou seja, a perseguição que lhe movem os golpistas só tem aumentado a popularidade da presidente Dilma.

Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

3 comentários sobre “Dilma é acossada por um sistema que tudo faz para boicotá-la e excluí-la a qualquer custo

  1. Sr. VM.
    1.
    Repercutem de que modo declarações de Dilma?
    André Moura diz:
    A presidente podia perfeitamente ter sensibilidade de entender que o Brasil chegou ao limite com o governo dela e ter feito essa proposta antes. Ela tinha autoridade para colocar isso em prática, mas quando teve a oportunidade não fez. Essa proposta foi feita lá atrás e ela, no alto da sua arrogância, nem se quer quis discutir isso. Portanto agora ela não tem mais legitimidade para fazer essa proposta.

    Reinaldo Azevedo diz.
    Os dilmistas, uma de lunáticos no PT, afirmam que a presidente afastada aceitaria. Podem rir! Convocar um plebiscito com vistas a novas eleições. Assim, caso fosse reconduzida ao Palácio, aceitaria a consulta popular. Pois é…Lula já deixou claro que não quer nem ouvir falar dessa história, num sinal de que louco não é.

    2.
    Vaccari :
    Não posso delatar porque sou um fundador do partido. Se eu falar, entrego a alma do PT. E tem mais: o pessoal da CUT me mata assim que eu botar a cara na rua.

    Lula e Dilma fizeram tudo para quebrar a Petrobrás e Valdemar Menezes nunca reclamou.

    Cerveró diz
    Dilma Rousseff tinha todas as informações sobre a refinaria de Pasadena; que o Conselho de Administração não aprova temas com base em resumo executivo; que o projeto foi aprovado na Diretoria Executiva da Petrobras numa quinta, e, na sexta, o projeto foi aprovado no Conselho de Administração; que esse procedimento não era usual.

    3.
    Artur Bruno diz.
    O Ministério Público Federal está fazendo uma belíssima campanha, com dez pontos de mudanças legislativas para combater a corrupção. Mais de dois milhões de assinaturas. E, lá no Congresso Nacional, quem foi receber os procuradores foram parlamentares de outros partidos. Mas cadê o PT? Eu, sinceramente, tenho muito pouco ânimo. Passei 11 anos lutando contra essas práticas e hoje estou muito desanimado.
    Fiquei decepcionado com os líderes desse grupo. Vimos que havia financiamento que não passava pela estrutura do partido e beneficiava alguns grupos dentro do PT. O PT passou a ser financiado por empresas. Um absurdo. Um partido que representa a classe trabalhadora não pode ser financiado por empresas.Doações de empresas não só em épocas eleitorais. Aquilo deixou desconfortável muita gente séria, honesta e idealista dentro do PT. Há 11 anos que tentamos mudar essas práticas e não conseguimos.

  2. O PT na oposição pregava moralidade, bons costumes, combate a corrupção e chegando ao poder fez tudo ao contrário e pior. O Brasil está literalmente falido, senão vejamos: Petrobrás quebrada, eletrobrás quebrada, fundos de pensão quebrados, bancos públicos quebrados, os correios sem dinheiro para pagar salários dos servidores ativos e por aí vai. De quem é a culpa ? Para o jornalista Menezes, a culpa é dar ZELITE conservadora. A nefasta esquerda brasileira está mais perdida do que cego em tiroteio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis − 14 =