Efeito Copas – Fortaleza desbanca baianos, que reagem com dor de cotovelo

Chora Ivete!

Essa matéria é do Correio da Bahia, desta sexta-feira, e trata sobre o porque de Salvador ter perdido para Fortaleza espaçosna Copa das Confederações. Confira essa dor de cotovelo:

Depois de fazer campanha para receber a abertura da Copa do Mundo, de dar como certa a participação de Salvador na Copa das Confederações  e de alimentar a expectativa da cidade vir a figurar como um dos principais destinos turísticos durante esses eventos, o trade turístico baiano recebeu a tabela da Fifa como um balde de água fria. Os adjetivos mais usados foram decepcionante, frustrante, injusto. Tudo para  demonstrar o descontentamento do setor em não ser uma das cidades-sede em evidência, como o Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília, Belo Horizonte e Fortaleza.

No caso da capital cearense, o inconformismo é ainda maior. O presidente da Associação Brasileira da Indústria Hoteleira (Abih-BA), José Manuel Garrido, diz que Fortaleza tem as mesmas carências que Salvador e argumenta: “A nossa Arena não fica a dever; na mobilidade urbana, as duas cidades estão correndo atrás; a nossa estrutura hoteleira é melhor. Esta foi uma decisão política ou técnica”, critica Garrido.

Outro ponto que o dirigente chama a atenção é sobre o potencial turístico da Bahia. Para ele, nosso desenvolvimento econômico e cultural não se compara às outras capitais nordestinas. “É lamentável. Temos que indagar à Fifa o que aconteceu”, acredita.

Com relação ao potencial, os dados confirmam a Bahia como destino carimbado no imaginário dos visitantes. No último ano, recebeu 9 milhões de turistas, ultrapassando o número de visitantes dos estados do Ceará e Pernambuco juntos.

Setor de turismo na Bahia não ficou satisfeito com tabela da Copa 2014

“A Bahia está no imaginário do turista internacional. A justificativa para Fortaleza se destacar com relação ao nosso estado foi a articulação política do governo estadual cearense, que conseguiu ser melhor do que a da Bahia”, analisa o presidente da Federação Baiana de Hospedagem e Alimentação do Estado da Bahia, Sílvio Pessoa.

Surpresa Enquanto Fortaleza sediará a Copa das Confederações, com um jogo da Seleção Brasileira, e poderá receber mais dois jogos do Brasil no Mundial 2014, Salvador só pode receber um jogo do Brasil se a seleção ficar em segundo lugar no seu grupo. O presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel Bahia), Luiz Henrique do Amaral, diz que o setor já não esperava mais receber um jogo da seleção brasileira, mas ninguém cogitava que Fortaleza fosse aparecer como uma das cidades-sede em evidência.

“Acredito que ainda temos um longo caminho a trilhar. Este é o momento de avaliar os critérios que nos fizeram perder esses eventos”, afirma Amaral. Ele ainda comenta que receber jogos importantes afetarão diretamente os negócios na cidade e que a expectativa inicial era de receber de 50 mil  a 60 mil visitantes a cada jogo na capital.

Questionado sobre a posição de Salvador na tabela da Fifa, Cláudio Tinoco, presidente da Empresa Salvador Turismo (Saltur), disse que preferia não se pronunciar antes de comentar o assunto com o secretário municipal da Copa, Leonel Leal. Já o secretário de Turismo, Domingos Leonelli, manteve seu celular desligado.

Cobranças Ontem à tarde, as cobranças recaíram sobre o governo do estado. Os empresários comentaram que é preciso que o governador Jaques Wagner use a influência que tem junto à presidente Dilma para aumentar a participação da Bahia na Copa.

“Temos muitos investimentos aqui, como o projeto do metrô, um investimento de R$ 300 milhões para reformular o parque hoteleiro e projetos para modernizar o Aeroporto Internacional de Salvador”, enumera Sílvio Pessoa.  Caso receba mais seleções europeias, ou da América do Norte, Pessoa acredita que a situação da capital baiana pode melhorar, já que esses países atraem mais a atenção da mídia estrangeira.

Comércio está preocupado com a geração de negócios

Mesmo sem ter uma estimativa em números, por abrigar eventos de grande porte como o Carnaval, o comércio de Salvador já esperava bons negócios com a realização de jogos da Copa do Mundo na cidade. Ao saber que Salvador não está nem confirmada na Copa das Confederações, o presidente da Federação do Comércio do Estado da Bahia, Carlos Amaral, resumiu em poucas palavras: “Fico muito triste. A minha expectativa é que Salvador participe da Copa”, comenta Amaral.

Já o presidente da Associação Brasileira das Agências de Viagem (Abav-BA), Pedro Galvão, acredita que a Bahia tem que continuar batalhando e resolver problemas como a capacitação da mão de obra, a mobilidade urbana e o aeroporto. “Nós recebemos essa notícia da abertura com uma pequena decepção, mas os seis jogos são importantes. Já a Copa das Confederações me traz preocupações”, diz. Para Galvão, a notícia foi um alerta para as autoridades ficarem mais atentas.

(Foto – Arquivo)

Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

5 comentários sobre “Efeito Copas – Fortaleza desbanca baianos, que reagem com dor de cotovelo

  1. É nessa ocasiões que constatamos quão desunidos são os estados nordestinos, TODOS POBRES, porém um querendo “derrubar” o outro. Triste!

  2. Isso prova o quanto o nosso governador é fraco e não usa a influência de ser baba-ovo do Lula para arranjar eventos importantes para o estado da Bahia, como comprova o seu fraco desempenho na administração do estado baiano. E não é só esse evento que a Bahia perde não; são muitos outros que estados inexpressivos nos desbancam, por culpa da inércia e da incompetência do nosso lerdo governador, que prefere dar atenção à uma bela garrafa de uísque, a qual lhe deixa sem noção e com uma eterna ressaca. Qualé, meu rei?

  3. tanto se falou que Salvador e Recife seriam as grandes cidades da copa no Nordeste que acabou com Fortaleza desbancando as duas cidades juntas: vai receber a copa do mundo, copa das confederações, um outro grande evento da fifa, vai receber a seleção brasileira no mínimo uma vez, provavelmente duas vezes, e foi elogiada várias vezes por sua boa organização. Salvador e Recife conseguiram o quê? As duas cidades que tanto quiseram mostrar superioridade acabaram ficam para escanteio! bem feito. E o Ceará não é inexpressivo: é o estado que veio para colocar a Bahia e Salvador em escanteio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 − 4 =