Marina Silva prepara projeto político de olho em 2014

“A ex-senadora Marina Silva (sem partido) começa a consolidar aos poucos seu projeto político para as eleições municipais de 2012 e também para a disputa presidencial de 2014. No próximo dia 12, ela deverá participar em São Paulo do lançamento da base estadual do Movimento por uma Nova Política, que, embora tenha como objetivo declarado a discussão de novas formas de fazer política no século 21, poderá servir de base para definir o apoio de Marina às candidaturas municipais e, logo em seguida, para a criação de um novo partido.

O lançamento será feito durante um ato político e terá caráter suprapartidário, segundo os organizadores. A meta do grupo político ligado à senadora, que saiu das eleições presidenciais do ano passado com um cacife político respeitável, lastreado por quase 20 milhões de votos, é lançar mais sete comitês estaduais até o final de novembro. O próximo será no Ceará. Entre janeiro e fevereiro do próximo ano devem ser instalados outros dez.

“O objetivo do lançamento de uma base em São Paulo é congregar todas as forças políticas que buscam novas formas de fazer política”, diz Maurício Brusadin, um dos principais articuladores do movimento no Estado.”

(Com Agências)

0
Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

Um comentário sobre “Marina Silva prepara projeto político de olho em 2014

  1. A minha decepção com a ex-senadora Marina Silva, se dá pelo fato de colocar seu projeto pessoal de poder acima de idéias, crenças, e ideologias.
    Ao deixar o PT para se filiar ao PV, embora tivesse uma certa afinidade com os verdes, no realidade o objetivo principal era viabilizar sua candidatura à presidência da república.
    Agora, vem criticando o loteamento do Estado com os partidos políticos como se isso fosse novidade ou o grande mal da política.
    Aqui e alhures, os partidos que se juntam para disputar uma eleição, compartilham o poder e isso em si só não é um mal. Pior é ficar na mão de um só partido. O que não pode é,em função dessa coalisão, serem indicadas pessoas incompetentes ou desonestas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 + 5 =