A moderação “a princípio” de Dilma no Ceará

Da Coluna Política, no O POVO deste sábado (6), pelo jornalista Érico Firmo:

Em todas as eleições deste século, as visitas ao Ceará de presidentes e de candidatos que lideravam as pesquisas para presidente tiveram articulação atribulada. Entre certezas de que se envolveriam e garantias de que se manteriam distantes, o fato é que essas definições e acordos firmados antes podem mudar drasticamente, a depender do desenrolar dos acontecimentos. Daí ser muito significativo o fato de Dilma Rousseff enfatizar que, “em princípio”, tem dois apoiadores no Ceará e, por isso, manterá postura moderada. Os passos de Eunício, o trabalho de aliados por Aécio Neves (PSDB), é observado de perto pela cúpula da campanha. Petistas estaduais passam relatórios periódicos, tentando mostrar o “corpo mole” peemedebista e o entusiasmo de gente próxima a ele pelo tucano. Irão trabalhar até a última semana para trazer Lula ou Dilma ou ambos.

Por outro lado, Eunício tem alguns trunfos importantes para pressionar e manter a máquina federal longe do palanque estadual petista. O primeiro, o tamanho do PMDB e sua importância como aliado. Nem se compara ao Pros, ao passo que com o PT o Planalto se entende. Além disso, para quem está na Presidência da República, mais vale um senador que um governador. O primeiro representa um voto a mais, o segundo, reivindicações extras de recursos e apoio. Além do que, sobretudo em estados pobres como o Ceará, o governador não tem muita alternativa que não seja o alinhamento com o poder central.

São armas e argumentos que os dois lados usarão. E a história mostra que, até o fim da campanha, essa disputa silenciosa é travada. Posição definitiva, só quando a campanha termina.

Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

Um comentário sobre “A moderação “a princípio” de Dilma no Ceará

  1. O jornalista Érico esqueceu apenas de um detalhe importante: se Eunício ganhar a eleição, o PT (o próprio partido) ganha um senador.
    Assim, como para a Presidente um senador é mais importante do que um governador, é melhor não afrontar Eunício.
    A neutralidade traz apenas benefícios a Presidente, em caso de sua reeleição:
    Eunício perdendo, continua senador aliado;
    Eunício ganhando, a presidente contará com um governador aliado e dependente e com um senador de seu próprio partido.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − 3 =