MP-CE quer saber se militares em greve cometeram crimes no Ceará

“Apesar de não terem recebido punições na esfera administrativa, policiais militares e bombeiros que participaram da greve no Ceará agora são alvo de investigações solicitadas pelo Ministério Público. Os membros da corporação estão sob o risco de responderem criminalmente por possíveis delitos cometidos à época da paralisação, encerrada no último 3 de janeiro. O pedido de investigações foi feito em meados de janeiro pelo promotor Joatan de Castro, e depois encaminhado ao Comando da PM e dos Bombeiros.

Os inquéritos são tocados pelo Comando da PM e dos Bombeiros, que tem até março para apresentar ao MP o resultado da apuração. Caso seja comprovado que houve crime, a pena pode chegar a 20 anos de prisão, além de expulsão.

O comandante adjunto da PM no Ceará, coronel Jarbas Araújo dos Santos preferiu não dar detalhes sobre o andamento do inquérito.

Nas negociações para o fim da greve, bombeiros e PMs tiveram a garantia de que o governo Cid Gomes (PSB) não tomaria qualquer iniciativa no sentido de punir os envolvidos. Entretanto, o acordo não incluía – e, juridicamente, nem poderia incluir – a atuação do Ministério Público no caso.

“O MP é obrigado a requisitar investigações, condensá-las em um inquérito e analisar se houve crime. Isso não está sequer na esfera da vontade. Ele é obrigado a tomar as iniciativas”, afirmou ao O POVO o procurador-geral de Justiça, Ricardo Machado.

Segundo Capitão Wagner, um dos líderes da greve, o inquérito foi recebido de forma tranquila pelos policiais. “Na nossa visão não houve nada do que está sendo alegado contra nós no inquérito”, diz Wagner.

O presidente da Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar, Flávio Sabino, que já teve depoimento colhido durante as investigações do inquérito, considera a postura do Ministério Público contraditória.

“O MP esteve junto ao movimento assinando um acordo que falava em anistia. A categoria acreditou no MP, afirmou Sabino.”

(O POVO)

Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

2 comentários sobre “MP-CE quer saber se militares em greve cometeram crimes no Ceará

  1. Prezado Jornalista Eliomar. É muito complicada essa situação. O Governo Federal sancionou a Lei nº 12.505, de 11 de outubro de 2011, que concedeu ANISTIA aos policiais e bombeiros militares de vários Estados, inclusive, do Ceará, em decorrência da participação desses nos movimentos reivindicatórios ocorridos entre 01.01.1997 e 13.10.2011, que infringiram o Código Penal Militar. Ora, se o Governo não gostaria que ocorrem mais anistias (Código Penal Militar), por que sancionou-a? E sabendo que esta Lei seria um precedente para posteriores movimentos de paralisação dessa classe? É certo que o Ministério Público, como uma instituição permanente, e essencial à função jurisdicional do Estado, na defesa da ordem jurídica, deve cumprir a sua missão de fiscal da LEI e da SOCIEDADE.

  2. O MP está procurando demonio em cabeça de alfinete.Já que ele deveria se preoculpar com os emprestimos consignaveis,e os aparelhos de som desaparecidos das hailux´s compradas pelo estado que até agora está sem esclarecimentos.Enquanto está questões dos militares já está encerrado pelas as partes.Ou terá politicagem por trás das ações do MP?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × três =