O Sono dos Injustiçados

Eis o clique captado pelo nosso fotógrafo Paulo MOska. Por volta das 4h55min desta terça-feira, na área da avenida Eduardo Girão (Avenida do Canal), em Fortaleza.

Esse morador de rua, mesmo sob tantos riscos, não dispensou a dormida na boa rede cearense.

Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

5 comentários sobre “O Sono dos Injustiçados

  1. É Eliomar…sinto um aperto muito forte no coração ao ver uma cena dessas.Quanta desigualdade viu.Como diz minha querida mãe: “Uns com tanto e outros sem nada” Até quando isso ein?

  2. Caro jornalista essa cena já é conhecida dos moradores e dos que circulam nessa região de Fortaleza. As pessoas que “moram” nesse lugar vivem de limpar vidros de carro e de pedir esmolas a quem circula pela avenida.
    Um pouco mais a frente havia uma família morando num barraco de papelão, plástico e madeira, assim como há pessoas morando nas proximidades do prédio da CONAB a um quarteirão desse lugar fotografado.
    Infelizmente entre esses moradores de rua há alguns marginais que praticam assaltos nas contra quem mora ou circula no Benfica e proximidades.
    Esse é um dos desafios do prefeito Roberto Cláudio: arrumar moradia e ajudar a gerar emprego para essas pessoas.

  3. Fala-se muito que a miséria acabou em nosso País, puro engano, cada vez mais estamos vendo famílias morando nas carroças e dormindo ao relento. Em caso de uma chuva como estaria esta pessoa deitada nesta rede? Absurdo e parabéns Eliomar por mostrar esta dura realidade, mas que não pode ser escondida.

  4. Caros, analisando essa imagem vejo que o dito cidadão deitado na rede está em melhor condição que muitos de nós, senão vejamos,
    Morando em baixo de duas árvores, no ar fresco sem necessidade de ventiladores nem ar-condicionados; dormindo (BEM) sem necessidade de calmantes, relaxantes, hipertensivos entre outros remédios que nos são repassados;
    No nosso dia-a-dia passamos muito tempo analisando o fato de acordo com nosso ponto de vista, precisamos entender o ponto de vista de quem está nessa vida. Sei que parece estúpida essa minha colocação, porém é fato que em muitos casos sair dessa vida consumista e capitalista imposta por uma sociedade selvagem, pode nos tornar mais felizes. E ainda por cima nos permite dormir em paz.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 + três =