Ódio ao PT não se trata de fenômeno recente

Em artigo no O POVO deste sábado (28), a jornalista e professora do curso de Comunicação Social da Universidade Federal da Paraíba, Joana Belarmino, afirma que o antipetismo é consequência de um descuido com sua comunicação, diante de uma campanha midiática que vem ganhando adeptos de todas as classes sociais. Confira:

O ódio ao PT está vivendo o seu auge, mas, não se trata de fenômeno recente. Nasceu com a fundação do partido e foi se estruturando, ganhando os diversos interstícios da sociedade, organizando-se em discurso, em manifestações claras e abertas, como as que ocorreram no último 15 de março. E quais são as bases desse ódio? Poderia dizer que há raiz histórica e uma raiz mais de superfície, gestada na própria conjuntura em que o PT se fez governo.

Falando das bases históricas desse antipetismo, diria que o partido, no seu nascedouro, encarnava a antítese da maioria dos partidos brasileiros que disputavam o poder. Açambarcava militância advinda das classes trabalhadoras, mas, apoiada pela maioria dos intelectuais de esquerda. Organizava-se em torno de um líder metalúrgico, carismático, que organizou as grandes greves do setor nos anos oitenta.

Nessa fase do PT, havia antipetismo claro, da classe política de centro e de direita, da imprensa conservadora, das classes ricas e das classes assalariadas, que historicamente sempre temeram o comunismo e seus mitos. Em 2003, inicia-se o primeiro governo petista, e, o magistral espetáculo da posse do presidente Lula gera uma curta lua de mel entre o partido, a imprensa e a opinião pública. Logo se inicia o trabalho lento, mas sistemático da mídia, no sentido de construção de uma visão negativa do partido, das suas medidas de apoio aos pobres, de revitalização do poder do estado frente aos negócios e serviços essenciais, num claro distanciamento dos governos FHC, responsáveis pela instituição do neoliberalismo no país.

Os governos Lula, se conseguem vitórias surpreendentes no tocante à diminuição da pobreza e mesmo de desenvolvimento do país, o fazem a custo muito alto. Envolvem-se nos escândalos de corrupção, e, perdem bolsões significativos da militância clássica e de simpatizantes. O presidente governa sob ataque cerrado da imprensa conservadora, que vai insuflando nas camadas da sociedade, larvas de ódio novo contra o partido.

Iniciada a primeira fase da era Dilma, a mídia conservadora, colocada no centro das relações com a sociedade, como o grande partido opositor, persiste no plano de insuflar a ira e a desqualificação da gestão petista. O #VemPraRua e o #NãoVaiTerCopa, movimentos apoiados pelo discurso midiático, são exemplos flagrantes dessa guerra comunicativa contra o partido, além da cobertura sistemática do julgamento dos réus do mensalão, combustível para alimentar o ódio contra o PT nas redes sociais.

Sim, estamos vivendo o auge desse processo, e não há como prever quem ganhará esta guerra. Num flagrante descuido com sua comunicação, o PT governa sob ataque cerrado, de uma persistente campanha midiática que vem ganhando adeptos de todas as classes sociais.

Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

5 comentários sobre “Ódio ao PT não se trata de fenômeno recente

  1. 1. encarnava a antítese da maioria dos partidos brasileiros… Como? Não votou a favor de Tancredo Neves. Não assinou a Constituição. Foi contra o Plano Real. Jamais teve uma proposta a favor dos humildes. Só dizia fora FMI, fora Collor, fora FHC.

    2. apoiada pela maioria dos intelectuais de esquerda… Ainda bem que não disse UNANIMIDADE.

    3. havia antipetismo das classes assalariadas, que historicamente sempre temeram o comunismo e seus mitos… Temer o comunismo? Que só causou morte e destruição pelo mundo afora? Ainda bem que disse ser apenas MITO, tal como a fantástica CUBA. Bem registrado que muitos assalariados eram contra.

    4. sob ataque cerrado da imprensa conservadora… Onde isso ocorre? Quem mais recebe apoio das classes ricas, bancos e empreiteiras? O PT.

    5. além da cobertura sistemática do julgamento dos réus do mensalão… Um fato extraordinário, pois aqueles que diziam ser puros e castos eram corruPTos apesar de deixarem de ser quadrilheiros. A imprensa não deveria cobrir?

    6. vitórias surpreendentes no tocante à diminuição da pobreza e mesmo de desenvolvimento do país…não fez os investimentos necessários para sustentar o crescimento, o serviço público e a saúde um caos.

    7. Quem dissemina ódio?
    Transcrevo trecho de Reinaldo Azevedo:
    Dois milhões saíram às ruas sem incidentes. Cadê o ódio? Incrível: já procurei notas de repúdio do PT aos black blocs. Nunca vi. Gilberto Carvalho confessou que conversava com eles quando era ministro. Mas o partido já se manifestou mais de uma vez contra os “green and yellow blocs”, que não batem em ninguém, que não matam ninguém, que não quebram nem incendeiam nada.

  2. Acho lindo esses textos de intelectuais de esquerda encastelados nas universidades federais… quando teremos outra greve de 6 meses por mais privilégios salariais? Não existe crise para ela, não existe inflação, nem corrupção, os serviços públicos são excelentes, os portadores de câncer no alto escalão se tratam no SUS… tudo de ruim é invenção da dona mídia e os brasileiros conscientes são apenas ovelhinhas que seguem os mandos da imprensa golpista. É isso que a senhora ensina aos seus alunos? Pobres jornalistas… A senhora é sindicalizada?

  3. O Paulo e o Costa já disseram tudo, apenas eu acho engraçado que esses esquerdistas que pouco trabalham e falam de DEMOCRACIA e apoiam o MADURO. Está na hora dessa esquerda montar um programa de humor, seria muito superior ao de Chico Anízio, Tom Cavalcante, ia fazer o maior sucesso.

  4. O brasileiro tem a mania e uma certa cultura de aproveitar certas ocasiões de oportunismo, e praticar especulações comerciais de alguns produtos, contribuindo assim para a inflação. Enquanto vocês falam de um determinado partido que já se encontra no paredão, nós iremos falar deste tal EXTINTOR ABC. Você sabia que sem treinamento exigência do novo extintor não serve para nada? Mas é preciso ter um se não tem multa, isto é BRASIL . Está expirando o prazo dado pelo Ministro da Cidade, final de março. No início de janeiro de 2015 apesar de faltar no mercado na época ele custava de 70 a 80 reais hoje com o vencimento da portaria do ministro esta sendo vendido a 150 reais, ISSO É UMA EXTORÇÃO. Atenção DECOM pé na estrada. Nos postos de gasolina não se encontram este produto e sim nas lojas de extintores(monopólio e cartel). Certos engenheiros em mobilidade e mecânicos, criticam o uso deste extintor pois os carros atuais saem das fábricas com injeção eletrônica e não carburador(vazamento de combustível). A industria da multa funciona a todo vapor. Essa medida adotada no Brasil e defasada. O grandes fabricantes do mundo de automóveis aboliram essa exigência tipo Alemanha,Inglaterra(ônibus e táxi), China,Japão e EUA. O extintor é LEI,mas nos preocupamos em cumpri-la mais pelo o bolso do que por segurança. Queremos um Brasil melhor independente de partidos, certos partidos só avacalham e não contribuem para nada. Se partidos fosse a solução estaríamos no primeiro mundo, pois possuímos mais de trinta. O Brasil é a casa da MÃE JOANA. Gladson

  5. Não existe ódio ao PT ou a qualquer outro partido. O que esta acontecendo hoje é um “ódio” disseminado pelo sr lulla da silva contra quem se opor ao partido mais corruPTo de toda a república. É também desse senhor essa apregoação ao ódio entre as classes. O empregado é inimigo do patrão, o branco é inimigo do negro. O heterossexual é inimigo do homossexual…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − 12 =