Blog do Eliomar

Últimos posts

Inadimplência das empresas acelera pelo quinto mês e cresce 6,76% em fevereiro

O volume de empresas com contas em atraso e registradas em cadastros de inadimplentes cresceu 6,76% em fevereiro na comparação com o mesmo período do ano passado. É a quinta vez consecutiva que o indicador acelera na base anual de comparação. Na comparação mensal, isto é, entre fevereiro e janeiro de 2018, o indicador cresceu 0,90%.

Os dados são do Indicador de Inadimplência da Pessoa Jurídica apurado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

“O momento econômico vivido no biênio 2015-2016 impôs severas dificuldades para empresas e consumidores, afetando a capacidade de honrarem todos os seus compromissos. Ainda há efeitos da crise, mas também há sinais de retomada da economia. Para este ano, espera-se que, à medida que os negócios se recuperem, a capacidade de pagamento das empresas que têm essa dificuldade também melhore”, afirma o presidente da CNDL, José César da Costa.

Segundo a pesquisa, o Sudeste lidera o crescimento da inadimplência entre as empresas. Na comparação com o mesmo mês do ano passado, o número de pessoas jurídicas negativadas na região cresceu 10,49%, a mais elevada entre os locais pesquisados. Em seguida aparecem, na ordem, as regiões Sul, que registrou avanço de 3,72% na mesma base de comparação, Centro-Oeste (3,05%), Norte (1,96%) e Nordeste (1,90%).

Outro indicador também mensurado pela pesquisa é o de dívidas em atraso. Neste caso, o crescimento foi de 5,22% entre fevereiro de 2018 e o mesmo mês do ano passado. É a maior variação na base anual de comparação desde novembro de 2016, quando o índice apresentou uma alta de 6,26%. Na comparação mensal, o índice subiu 0,72%.

Entre os segmentos credores, ou seja, as empresas que deixaram de receber de outras empresas, o destaque ficou por conta da indústria, cuja alta foi de 9,26% na quantidade de atrasos. No setor de serviços, que engloba bancos e financeiras, o crescimento no volume de atrasos recebidos de fornecedores e clientes pessoa jurídica foi de 5,23%. Já no comércio, a alta observada foi de 4,35%. Em termos de participação, 69% das pendências de empresas são devidas ao setor de serviços, 17% empresas comerciais e 13% da indústria.

(Agência Brasil)

Contribuintes podem dar o troco, secretário!

699 1

Há um enorme contingente de eleitores revoltados com o secretário da Fazenda, Mauro Filho, e na expectativa de ir à forra quando ele iniciar sua campanha em busca por um mandato de deputado federal.

É a turma que se diz enganada pela campanha Sua Nota Vale Dinheiro, da Sefaz, que, incentivada pela Sefaz, pediu nota fiscal com objetivo de faturar uma graninha extra, promessa da iniciativa.

O tempo passou e a campanha resolveu priorizar mais entidades filantrópicas e religiosas, mas, mesmo assim, por conta dos atrasos, muitas acabaram saindo da campanha. Vária igrejas desistiram de arrecadar nota fiscal e o contribuinte – pessoa física, nunca mais soube o que é premiação.

A campanha de Mauro Filho (PDT) por vaga de deputado federal pode lhe custar essa dor de cabeça. O contribuinte, claro, é também eleitor .

DETALHE – Até hoje, mesmo cobrada,a Sefaz nunca veio a pública esclarecer o que houve para não mais liberar premiações da pessoa física.

(Foto – Máximo Moura)

Telefonia móvel perdeu 574 mil linhas em fevereiro

O Brasil registrou perda de 574.379 linhas de telefonia móvel na comparação entre janeiro e fevereiro deste ano. Os dados, divulgados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), mostram que o país fechou o mês com 235.655.505 linhas móveis, um recuo de 0,24%. No acumulado de 12 meses, a redução foi de 2,99%, com menos 7.263.466 linhas de telefonia móvel registradas.

Do total de linhas móveis no país, 89.614.484 são pós-pagas e 146.041.021, pré-pagas. As pré-pagas vêm puxando a diminuição do número de linhas. Em fevereiro, esse tipo de linha teve queda de 1.402.445 unidades, com redução de 0,95 % na comparação de fevereiro com o mês anterior. Já as linhas pós-pagas apresentaram crescimento de 828.066, com acréscimo de 0,93%.

De acordo com a Anatel, as empresas com maiores quantitativos de linhas móveis foram: Vivo, com 74.896.701; Claro, com 58.726.546; Tim, com 58.006.380; e Oi, com 38.900.114.

Na comparação de fevereiro deste ano com o mês anterior, as prestadoras Algar, Sercomtel, Oi, Claro e TIM tiveram redução do número de linhas. Na Oi, a redução foi mínima, 0,09%, fechando fevereiro com 38.9000.114 linhas, 35.436 a menos do que o registrado em janeiro. Na Claro, houve queda de 0,47%, com menos 276.826 linhas, fechando o mês com 58.726.546. A maior perda foi da Tim, 0,72%. A empresa registrou 419.082 linhas a menos do que em janeiro, fechando o mês com 58.006.380 linhas.

Entre os estados, Amazonas, Amapá, Maranhão, Roraima, Santa Catarina e São Paulo tiveram aumento do número de linhas. Com redução de apenas uma linha, o Pará manteve-se estável. Nos demais estados, o número de linhas de telefonia móvel caiu.

Os números mostram ainda que aumentou o uso da tecnologia 4G. Na comparação com janeiro, o crescimento do 4G, em fevereiro, foi de 2.072.500 unidades, acréscimo de 1,96 %.

Também cresceu o uso da tecnologia usada em aplicações Machine to Machine (M2M), como telealarmes, automação residencial e rastreamento de automóveis, com mais 277.233 linhas. Outras tecnologias, como CDMA (2G), GSM (2G), Dados banda larga (3G) e WCDMA (3G), apresentaram redução.

“Na comparação de 12 meses, as linhas 4G (LTE) tiveram crescimento de 40.963.592 unidades (61,50%), assim como as da tecnologia M2M, com aumento de 2.685.632 linhas”, informou a Anatel.

(Agência Brasil)

O péssimo exemplo de uma péssima classe política

Em artigo no O POVO desta sexta-feira (30), o jornalista Guálter George, editor de Política do O POVO, aponta a falta de compromisso para com a democracia, diante dos episódios violentos, nos últimos dias, contra veículos que seguiam em caravana com bandeiras ideológicas diferentes dos agressores. Confira:

A classe política atual do Brasil é de péssima qualidade, certamente uma das mais desqualificadas que a história já registrou. Um ponto que não apresenta importância menor na construção do cenário dramático do País, ao contrário, pode ser inserido entre os grandes responsáveis pelo que temos sofrido e, pior, determina de maneira fundamental a enorme desesperança que nos domina quando tentamos, teimosamente, pensar de maneira otimista em relação ao futuro. A falta de compreensão sobre o que seja estratégico impede que imaginemos possível, mesmo como apenas um exercício, a construção de um consenso mínimo que pareça capaz de trazer de volta uma ideia de rumo para o Brasil.

O que aconteceu nos últimos dias como debate em torno dos episódios violentos no Sul do País demonstra a falta de lhaneza que hoje grassa no ambiente político nacional. Qual dúvida poderia haver de que, de início, a única reação possível era a condenação vigorosa do ato, era criticar o ataque aos veículos que seguiam em caravana, era defender de maneira clara o direito de ir e vir daquelas pessoas? Havia uma bandeira partidária e uma linha ideológica naqueles veículos, tudo bem, mas, qual crime há nisso?

É esta falta de inteligência reinante que justifica a opção preferencial por assistir passivamente os grupos se postando dias seguidos à margem das estradas para investir contra a comitiva de veículos valendo-se de pedras, paus e outros instrumentos à mão, chegando ao extremo do registro de tiros, apenas porque dentro deles havia gente de cuja visão de mundo discordavam os irados agressores. Desde o primeiro momento aquela situação, observada no Rio Grande do Sul, em Santa Catarina e no Paraná, em sequência, exigia dos políticos que tivessem uma resposta dura, clara, de que aquela era uma situação inaceitável.

E o que tivemos? Entre os políticos aliados daqueles que seguiam em caravana, naturalmente, denúncias, indignações, gritos, que pouco ecoaram; entre os opositores, um silêncio predominante, cortado, vez ou outra, por manifestações infelizes de quase apoio à ação animalesca de quem foi à hostilidade gratuita como meio de responder a uma ação política. Foi o que aconteceu com a senadora gaúcha Ana Amélia Lemos, do PP, que chegou a saudar os conterrâneos que “botaram a correr aquele povo que foi lá levando um condenado”. Uma apologia evidente à selvageria, partindo de alguém que deveria preservar a democracia e sua capacidade de encaminhar as saídas pelo diálogo, especialmente entre diferentes. Já com o episódio dos tiros em discussão, tivemos o governador tucano Geraldo Alckmin (SP), dado como um homem ponderado, talvez um dos políticos atuais aptos a conduzir o País a uma pacificação, reagindo com a linha “colheram o que plantaram”. Depois até tentou remendar, reafirmando-se contra violência de qualquer espécie, porém, o estrago já tinha sido feito por sua reação mais natural, antes da ponderação de aliados e assessores, ao que acontecera no Sul do País.

A postura deveria ser diferente até por instinto de preservação deles próprios, mas o que ficou evidenciada foi a falta de compromisso democrático da turma. Hoje é contra um grupo, amanhã será contra outro, daqui a pouco será de um contra o outro e, enfim, sem uma ação das forças políticas organizadas o caminho inevitável é o caos.

Delegado César Wagner ganha título de cidadão aracatiense

A Câmara Municipal de Aracati aprovou por unanimidade o requerimento do vereador Jocélio Gondim (PSDC), que concede o título de cidadão aracatiense ao delegado César Wagner. A casa legislativa ainda definirá a data para a entrega do título.

César Wagner foi secretário de Segurança Pública e Ordem Social e Guarda Municipal de Aracati, quando conquistou o cidadão aracatiense com medidas protetivas e de ordem pública.

“Amigos, quero compartilhar com vocês a minha alegria em tomar conhecimento que, por unanimidade, foi aprovado requerimento do vereador Jocélio Gondim, que vai me conceder o título de cidadania de Aracati, cidade onde nasceu dois dos meus três filhos e onde pude servir como secretário de Segurança com muito apoio da população e de toda a imprensa”, disse César Wagner, nas redes sociais.

(Foto: Arquivo)

Secretário de Defesa Civil é assassinado a tiros na Baixada Fluminense

O secretário municipal de Defesa Civil e Ordem Urbana de Belford Roxo, Marcos Wander Silva de Oliveira, de 42 anos, foi morto no município localizado na Baixada Fluminense. Marcos também era policial militar aposentado.

O secretário estava em seu carro, no bairro de Heliópolis, em Belford Roxo, quando foi abordado por criminosos armados. Uma das hipóteses é que ele tenha sido morto abordado por assaltantes ao ser reconhecido com um policial militar reformado.

Policiais do Batalhão de Belford Roxo (39º BPM) foram acionados e chegaram a levar a vítima para o Hospital da Posse, em Nova Iguaçu, mas ele já chegou morto ao local. O crime está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF).

Marcos estava no cargo de secretário desde dezembro do ano passado. Ele é a segunda pessoa em cargo político no estado a ser assassinada desde o início da intervenção federal na segurança do Rio, há um mês e meio. No dia 14 de março, a vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco (PSOL) foi morta também dentro de seu carro, com vários tiros. A hipótese mais provável é que Marielle tenha sido executada.

De acordo com o Disque Denúncia, Marcos também é o 33º policial agente de segurança assassinado no estado neste ano.

Ainda em Belford Roxo, a professora Tânia da Silva, diretora da Escola Municipal Jorge Ayres de Lima, foi assassinada quando saía do colégio, depois de uma festa em comemoração à Páscoa. Segundo a prefeitura de Belford Roxo, Tânia foi vítima de um arrastão de bandidos, no bairro Três Setas e alvejada na cabeça. Ela era professora da rede municipal desde 95.

Na nota, a prefeitura diz lamentar “tanta violência. Que Deus conforte essas famílias Estamos assustados. A cidade pede socorro”.

(Agência Brasil)

Advogado Fábio Timbó destaca história da OAB-CE na ética e redemocratização do País

605 1

Em artigo sobre os 85 anos da OAB-CE, o advogado Fábio Robson Timbó Silveira, secretário geral adjunto da entidade, propõe que a OAB-CE resgate seu status na sociedade, diante da valorização de advogados e advogadas, na “sua vocação de trincheira cívica de nosso povo alencarino”. Confira:

A data hoje é de júbilo pelo transcurso dos oitenta e cinco anos da gloriosa Ordem dos Advogados do Brasil, Secção do Ceará.

Ao olhar para trás, vislumbramos um passado de lutas e incessante defesa da Constituição, da democracia e dos postulados ético-morais que informam as sociedades livres.

A liberdade, durante essas décadas, serviu de estandarte nas corajosas mãos dos advogados e advogadas que, numa cívica abnegação, serviram à instituição com o desvelo que a marcou em todas as passagens de sua profícua existência, sobretudo nos momentos mais sombrios de nossa República, em que a entidade se ergueu contra as potestades do arbítrio que preponderaram à época, até a efetiva redemocratização do Brasil.

Outra bandeira empunhada com bravura foi a da ética, corolário principiológico norteador para um país que desejamos e que pauta as ações da OAB, fortalecendo-a no intensivo combate à corrupção e às mazelas administrativas que teimam em deformar o nosso Estado Democrático de Direito.

Em nosso Estado do Ceará, seio libertário e vanguardista por essência, a OAB sempre protagonizou posturas importantes para o seu desenvolvimento e para a valorização de suas instituições, dentro de seu relevante papel social.

Neste contexto, é imperioso destacar as significativas contribuições de todos os seus quadros, desde a sua fundação, capitaneada pelos ilustres advogados Edgard Cavalcante de Arruda, José Martins Rodrigues e Dolor Uchôa Barreira, passando pelas marcantes gestões de Olinto Oliveira, Clodoaldo Pinto, Carlos Roberto Martins Rodrigues, Jesus Xavier de Brito, Vasco Damasceno Weyne, Silvio Braz Peixoto da Silva, Raimundo Bezerra Falcão, Ernando Uchôa Lima, José Feliciano de Carvalho, Cândido Albuquerque, Paulo Quezado, Hélio Leitão, Valdetário Andrade Monteiro, até os dias atuais.

Imbuídos nesse espírito e nessas referências é que envidaremos todos os esforços para que a OAB/CE resgate seu status no seio de nossa sociedade, em prol de seu fortalecimento, com lastro no indissociável mister de valorização da honrosa classe de advogados e advogadas, com o firme propósito inalienável e intransigente defesa de suas prerrogativas legais, confirmando, igualmente, a sua vocação de trincheira cívica de nosso povo alencarino.

Fábio Robson Timbó Silveira , advogado

Temer reúne-se hoje com advogado no Palácio da Alvorada

O presidente Michel Temer reúne-se hoje (30) com o advogado Antônio Claudio Mariz de Oliveira no Palácio da Alvorada. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa da Presidência. O Subchefe para Assuntos Jurídicos da Casa Civil e ministro dos Direitos Humanos, Gustavo do Vale Rocha, também está no Palácio do Alvorada.

Da agenda não constam compromissos oficiais. Temer passaria o feriado em São Paulo, mas decidiu ficar em Brasília.

Ontem (29), a Polícia Federal prendeu, em caráter temporário, o advogado José Yunes, ex-assessor da Presidência da República.

As medidas foram determinadas pelo ministro Luis Roberto Barroso, relator do chamado Inquérito dos Portos, no Supremo Tribunal Federal (STF).

Além de Yunes, foram presos o ex-ministro da Agricultura e ex-presidente da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), Wagner Rossi, e o presidente do Grupo Rodrimar, Antônio Celso Grecco.

A empresária Celina Torrealba, uma das proprietárias do Grupo Libra, que também atua no ramo portuário, foi detida em seu apartamento, no Rio de Janeiro.

O inquérito apura o suposto favorecimento da empresa Rodrimar S/A por meio da edição do chamado Decreto dos Portos (Decreto 9.048/2017), assinado por Temer em maio do ano passado.

(Agência Brasil)

Nos 85 anos da OAB-CE, Marcelo Mota diz que momento é marcado por lutas e perfil inclusivo

Em artigo sobre os 85 anos da OAB-CE, o presidente da entidade, Marcelo Mota, destaca a aproximação da categoria com a população, diante de audiências públicas e ações em praças. Confira:

Hoje, a Ordem dos Advogados do Brasil – Secção Ceará completa 85 anos. História contada em páginas especiais, na trajetória dos milhares de advogados e advogadas que são a OAB em luta, vitórias e em superação. A importância e ascensão da nossa instituição representam verdadeiramente o Estado Democrático de Direito, a voz da cidadania que precisa da advocacia para construir um país mais justo.

Essa aproximação cada vez maior entre os advogados e advogadas e a população é uma das nossas bandeiras, o que reafirma enfaticamente nosso papel, haja vista as dezenas de audiências públicas e ações em praças com foco nos dilemas do dia a dia que afligem a sociedade.

Um exemplo importante dessa perspectiva e que demonstra como a advocacia e a população estão juntas intrinsicamente na mesma luta em defesa de todos os advogados e advogadas, resultou no maior desagravo que tivemos notícia em nosso Estado e que atesta a ação genuína em favor dessa bandeira: a defesa da advogada Sabrina Veras, que teve suas prerrogativas violadas por um magistrado em um episódio que refletiu na vida de quem ela defendia, de toda a advocacia cearense e de todo o País. Aproveito o ensejo para fazer um agradecimento a todos os advogados e advogadas e ao presidente do nosso Conselho Federal, Claudio Lamachia, presente nesse ato histórico.

A verdade é que nossa gestão tem sido marcada por grandes lutas e pelo seu perfil inclusivo. Enfrentamos com sucesso e de forma pioneira, por meio de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade no Supremo Tribunal Federal, os efeitos de uma lei que versava sobre o aumento exorbitante da tabela de custas judiciais em nosso Estado, o que impedia o acesso do cidadão ao Poder Judiciário e os advogados de trabalharem. E com a proposta de ouvir a advocacia, fizemos pela primeira vez o orçamento participativo.

Nunca o enfrentamento aos ataques contra as prerrogativas foi tão presente. Nunca o interior foi tão ouvido, e aqui destaco a criação e execução da OAB Itinerante, um sucesso para o advogado e a advogada do interior, que devem ser valorizados e ouvidos. Além disso, protagonizamos um dos maiores movimentos sociais do Estado do Ceará, garantindo a manutenção das comarcas no interior, tendo em vista que o Judiciário, serviço essencial à cidadania, pretendia extinguir 60 das 149 comarcas existentes.

Destaco ainda o avanço da construção da nova sede, que apesar de todas as dificuldades econômicas pelas quais passam as categorias em todo o País, será entregue como um compromisso dessa gestão. E por fim, reafirmo, no dia de hoje e em todos os dias, o orgulho que trago em meu coração por fazer parte desses 85 anos de OAB Ceará, o mesmo orgulho que sei que habita no peito da nossa advocacia. Nada é mais forte que a verdade, a justiça e a união. Nesse momento do nosso País, a advocacia precisa estar unida para que possamos enfrentar os obstáculos.

Marcelo Mota Gurgel do Amaral, presidente da OAB-CE

Número de clientes de TV por Assinatura recua 4% em 12 meses

A base de clientes do serviço de TV por Assinatura no Brasil recuou 4,09% em 12 meses. De acordo com os dados divulgados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), em fevereiro de 2018 o número total de contratos registrados foi de 17.864.159, representando 761.726 contratos a menos que os 18.625.885 registrados no mesmo mês do ano passado. Somente Piauí, Maranhão, Tocantins, Pará e Rio Grande do Sul não apresentaram queda.

Na comparação com janeiro de 2018, em fevereiro houve um recuo de 0,67%, com a perda de 120.004 contratos ativos. A Sky foi a empresa que registrou a maior redução no número de contratos, com 71.204 contratos a menos, uma queda de -1,33%. Em segundo lugar ficou a Claro (NET) com menos 44.904 contratos e recuo de 0,5%.

Já a operadora Oi registrou um aumento na sua base de assinantes e somou 4.920 novos usuários, um aumento de 0,32%. Em seguida, aparece a empresa Cabo Telecom, que obteve acréscimo de 131 usuários, o que representa um aumentoo de 0,25% na sua base de clientes

Na comparação com fevereiro de 2017, a Oi novamente aparece na frente, registrando um crescimento de 14,22%, com um aumento de 189.722 novos contratos. Depois aparece a Algar, que registrou crescimento de 1,07%, somando 1.033 novos contratos. A Claro apresentou a maior queda, com menos 800.257 contratos, um recuo de 8,17 %. Em seguida vem a Vivo, cujo recuo foi de 5,86%, com redução de 98.085 contratos, e depois a Nossa TV que perdeu 3.258 contratos, redução de 2,55%.

(Agência Brasil)

Acrísio Sena e a necessidade de se debater a regulamentação dos aplicativos de táxi

Do vereador Acrísio Sena (PT), presidente da Comissão do Meio Ambiente e Transportes da Câmara Municipal de Fortaleza, sobre projeto do prefeito Roberto Cláudio que quer regulamentar uso de aplicativos de táxi:

Um novo plano de mobilidade urbana será necessário após a regulamentação dos aplicativos em Fortaleza. O incremento de pelo menos 20 mil novos veículos transitando na Capital com a regulamentação dos aplicativos e o aumento do número de taxis, impactará negativamente no nosso trânsito de Fortaleza.

As recentes informações apontam para pensarmos um novo plano de mobilidade urbana para Fortaleza que tenha como meta a superação da lógica do automóvel, abrindo caminhos para um eficiente transporte público coletivo com modais integrados (ônibus, metrô, VLT) e numa perspectiva metropolitana.

Esse debate será levado para a Câmara Municipal e a sociedade, mostrando a necessidade de medidas que privilegiem o transporte coletivo, com a ampliação da frota, a pontualidade dos horários e as melhorias na qualidade dos serviços prestados em nossa capital.

*Acrisio Sena,

Presidente da Comissão de Meio Ambiente e Transporte da CMFor

Chove em todas as regiões do Ceará no início do feriadão; Icó registra 121 milímetros

Entre as 7 horas da manhã dessa quinta-feira, início do feriado para muitos, e o mesmo horário desta sexta-feira (30), o Ceará registrou boas chuvas. O município que recebeu mais água foi Icó, com 121 milímetros, na Região Jaguaribana. Juazeiro do Norte, no Cariri, vem em seguida, com 95 milímetros.

No total, de acordo com a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), 112 municípios registraram precipitações. Na noite de ontem, chuvas alagaram vias de Fortaleza, que marcou 11,2 milímetros.

Nas regiões que mais precisam, como a jaguaribana, onde estão situados os principais açudes do Estado, choveu 57 milímetros tanto em Orós quanto em Alto Santo (onde fica o Castanhão). Local com mais reservatórios em situação crítica, choveu acima de 50 milímetros no Sertão Central e Inhamuns, com Deputado Irapuan Pinheiro: 81 milímetros.

A previsão para toda esta Sexta-feira é predomínio de céu nublado com chuva em todas as regiões cearenses. Para o final de semana, nebulosidade variável com eventos de chuva.

Confira as 10 maiores chuvas entre ontem e hoje

Icó: 121.0 mm

Juazeiro Do Norte: 95.0 mm

Pindoretama: 85.0 mm

Ererê: 84.0 mm

Deputado Irapuan Pinheiro: 81.0 mm

Iracema: 79.0 mm

Granja: 77.4 mm

Piquet Carneiro: 75.0 mm

Graça: 70.0 mm

Umari: 70.0 mm

(O POVO Online)

Planalto vê prisão de amigos de Temer como retaliação

Há no Palácio do Planalto um sentimento acerca da operação da Polícia Federal que prendeu diversos aliados do presidente Michel Temer (Yunes e o amigo particular dele, o coronel Lima).

Segundo informa a Coluna Radar, da Veja Online, gente de peso do Planalto acredita em retaliação, porque o emedebista anunciou a intenção de concorrer à reeleição há poucos dias.

A suspeita da operação ter sido direcionada cresce, porque interlocutores acreditam que a Polícia Federal poderia ter ido às ruas antes do anúncio de Temer.

Dor e transcendência

Editorial do O POVO nesta sexta-feira (30) aponta o drama da Paixão de Cristo na forma de uma condição humana vitimada pelo sofrimento, injustiça, exploração, violência, exclusão e preconceito. Confira:

A Sexta-feira da Paixão, celebrada hoje, atrai os olhares e a sensibilidade dos cristãos ocidentais (os cristãos orientais seguem um calendário mais antigo com alguns dias de diferença) para a data mais dolorosa do Cristianismo, que marca a tortura e a injusta execução de Jesus de Nazaré, apodado ironicamente, por seus executores, de “Rei dos Judeus”. Outros olhares – não crentes – veem a data com o respeito devido à morte de um inocente, condenado por crime político, ao ser entregue pela elite submissa de seu país – não por seu povo – às mãos de uma potência estrangeira ocupante (Roma), por ser portador de uma mensagem subvertedora do status quo político-religioso.

Desde então, a cruz, instrumento de sua tortura e morte, tornou-se o símbolo, por excelência, do Cristianismo. Numa leitura alegórica, o cruzamento entre duas hastes de madeira simbolizaria as duas dimensões que compõem o ser humano: a temporal (haste horizontal) e a espiritual (haste vertical). No seu ponto de intersecção está o Cristo, que simboliza o ser humano crucificado entre o céu e a terra. Ou seja: de um lado, o homem é um ser carnal, limitado, perecível, mortal, condicionado pela história; de outro, é um ser espiritual, intemporal, infinito, imortal, incondicionado e eterno.

O drama da Paixão de Cristo continuaria, segundo uma de suas leituras, a se traduzir na história, na forma de uma condição humana vitimada pelo sofrimento, injustiça, exploração, violência, exclusão e preconceito. Do ponto de vista religioso, a ênfase dada ao sofrimento é uma marca do catolicismo ocidental. Os católicos orientais (em comunhão com Roma), os ortodoxos e os reformados (protestantes) preferem enfatizar o Cristo ressuscitado, evocado pela Páscoa cristã. Contudo, há uma compreensão comum de que para se chegar à Ressurreição (salvação, iluminação, deificação), há de se aceitar a passagem pela cruz (despojamento, esvaziamento) e pela morte (do ego).

São condições destacadas por todas as tradições religiosas (cristãs e não-cristãs) para se chegar à unidade com a dimensão divina. No âmbito da tradição religiosa popular do catolicismo brasileiro, marcada pelos traços culturais ibéricos (Portugal e Espanha), a Sexta-feira Santa era envolvida pelo mais vivo dolorismo e por um pendor ascético. Isso desapareceu praticamente a partir da secularização dos últimos 60 anos. A data virou um feriado como tantos outros, nem sequer atuando mais como dissuasor moral da violência. Nem por isso, deixou de ser uma oportunidade de abertura ao sentido da transcendência.

Analistas-tributários da Receita Federal confirmam paralisação de 48 horas

Porto do Pecém, por exemplo, vai sofrer impactos dessa paralisação.

Cerca de sete mil analistas-tributários da Receita Federal de todo país estarão de braços cruzados nesta terça e quarta-feira, dias 3 e 4 de abril, numa greve de 48 horas. Eles vão protestar contra o descumprimento do acordo salarial da categoria assinado em 23 de março de 2016, contra as ações que podem inviabilizar o funcionamento da Receita Federal do Brasil, afetando diretamente a Administração Tributária e Aduaneira, e contra as medidas que afrontam direitos dos servidores públicos de forma geral.

Durante a greve, não serão realizados diversos serviços, como atendimento aos contribuintes; emissão de certidões negativas e de regularidade; restituição e compensação; inscrições e alterações cadastrais; regularização de débitos e pendências; orientação aos contribuintes; parcelamento de débitos; revisões de declarações; análise de processos de cobrança; atendimentos a demandas e respostas a ofícios de outros órgãos, entre outras atividades. Nas unidades aduaneiras, os analistas-tributários também não atuarão na Zona Primária (portos, aeroportos e postos de fronteira), nos serviços das alfândegas e inspetorias, como despachos de exportação, verificação de mercadorias, trânsito aduaneiro, embarque de suprimentos, operações especiais de vigilância e repressão, verificação física de bagagens, entre outros.

Segundo o presidente do Sindireceita, Geraldo Seixas, o acirramento da mobilização em todo o país, além de ser um protesto contra “o inexplicável” descumprimento do acordo salarial assinado com a categoria há mais de três anos, com a não regulamentação do Bônus de Eficiência, instrumento amparado no cumprimento de metas de eficiência institucional, é uma medida contra as ações que podem inviabilizar o funcionamento da Receita Federal do Brasil, como falta de definição em relação às progressões/promoções dos analistas-tributários.

Seixas explica ainda que a greve foi deflagrada em protesto às medidas que afrontam direitos dos servidores públicos de forma geral, desestruturando todo o serviço público, como os programas de demissão voluntária, a suspensão dos concursos públicos, os cortes no orçamento de ministérios, órgãos de Estados, autarquias e fundações. Medidas que já impactam o atendimento que é oferecido à população, em especial àqueles que mais precisam dos serviços públicos.

“O governo tem desferido inúmeros ataques aos direitos dos servidores públicos, desrespeitando milhões de trabalhadores ao apresentar projetos e propostas como as contidas na Medida Provisória nº 805/2017, que mesmo tendo seus efeitos suspensos por liminar conferida pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, seguem no espectro do governo que deixou claro sua intenção de adiar o pagamento das parcelas dos reajustes e majorar a contribuição previdenciária de 11% para 14%, da parcela do salário dos servidores que ultrapasse o teto do Regime Geral da Previdência Pública que é de R$ 5.531,31”, explicou.

DEM fecha estratégia para cargos proporcionais e libera bases para votar em Camilo Santana

A cúpula do DEM estadual vai apostar fichas em três nomes para deputado federal: o advogado Wilson Belchior, Mosiah Torgan, titular da Secretaria do Desenvolvimento Econômico de Fortaleza – que está se desincompatibilizando na próxima semana, e Danilo Forte.

Para a Assembleia, vai trabalhar a reeleição de João Jaime, segundo informa para o Blog o próprio parlamentar.

Sobre a disputa para o Governo, João Jaime avisa que o DEM vai liberar suas bases.

Já o presidente estadual Chiquinho Feitosa adianta logo que a maioria dos membros do partido votará na reeleição do governador Camilo Santana Apesar dele ser do PT.

Todos os amigos do presidente

Da Coluna Política, no O POVO desta sexta-feira (30), pelo jornalista Érico Firmo:

Quanto menos promissora se torna a candidatura de Michel Temer (MDB), mais necessário para ele se torna disputar a reeleição. Aliás, é muito importante para ele vencer a eleição, por improvável que isso seja hoje.

Ontem, quatro pessoas foram presas pela Polícia Federal na Operação Skala. Três são amigos muito próximos a Temer. Os quatro são investigados em esquema de corrupção no qual o presidente teria sido favorecido —e que motivou a quebra do sigilo.

Um dos presos, José Yunes, é um dos mais próximos amigos de Temer. São cerca de 60 anos de relação. Fosse um trabalhador, essa amizade estaria perto de se aposentar até pelas regras previstas na reforma da Previdência (se seguisse o critério pelo qual o hoje presidente se aposentou, já estaria recebendo há anos pelo INSS). Yunes foi assessor do presidente até dezembro de 2016 e deixou o cargo após ser citado em delação pelo doleiro Lúcio Funaro.

Outro detido foi o coronel da Polícia Militar, João Batista Lima Filho, tido como homem de confiança do presidente para todo tipo de serviço. A dar crédito às suspeitas, todo tipo mesmo. No escritório dele, a Polícia Federal achou, no ano passado, recibos de despesas familiares de Temer. Ricardo Saud, ex-diretor da JBS. informou ter mandado entregar R$ 1 milhão em espécie em sede de empresa do coronel. O dinheiro seria destinado a campanha do PMDB e teria sido pago a pedido de Temer.

Outro preso, Wagner Rossi (MDB), foi ministro da Agricultura nos governos de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Dilma Rousseff (PT). Com a petista, ficou sete meses no cargo e caiu sob denúncias. Foi colocado lá por Temer. Joesley Batista, da JBS, disse que foi Rossi quem o apresentou a Temer, no fim do governo Lula.

Yunes, em depoimento espontâneo à Procuradoria Geral da República (PGR), revelou, por sua vez, que o hoje ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha (MDB), pediu a ele que recebesse “documentos” em seu escritório. Apareceu o doleiro Funaro com um pacote, cujo teor Yunes disse não saber. Conforme as denúncias, teria sido dinheiro. Padilha, assim como o presidente, foi denunciado ao Supremo, mas o prosseguimento do processo foi interrompido por decisão da Câmara.

Outro dos mais próximos aliados de Temer, o ministro Moreira Franco (MDB), da Secretaria Geral, também foi denunciado ao STF e está na mesma situação. O presidente editou medida provisória para dar a ele status de ministro e, assim, foro privilegiado, às vésperas de a denúncia ser feita.

Ex-ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima (MDB) foi preso duas vezes, a última após malas com R$ 51 milhões serem encontradas em apartamento ligado a ele. Henrique Eduardo Alves (MDB), ex-presidente da Câmara e ex-ministro, foi detido e está hoje em prisão domiciliar, acusado de corrupção relacionada a obras do estádio em Natal para a Copa de 2014.

Para chegar mais perto de Temer do que esse grupo, só se pegarem Marcela e Michelzinho.

Chove 121 milímetros em Icó, o que é bom para afluente do Castanhão

Chovem em 112 municípios cearenses nas últimas, segundo informa o boletim da Funceme. Houve chuva superior a 100 milímetros como em Icó, que conta com o rio Salgado, um afluente do Castanhão.

A previsão é de que o tempo deverá continuar favorável a novas precipitações pluviométricas no fim  de semana. Confira as 10 maiores chuvas:

Icó (Posto: Cascudo) : 121.0 mm

Juazeiro Do Norte (Posto: Vila Sao Goncalo) : 95.0 mm

Pindoretama (Posto: Pindoretama) : 85.0 mm

Ererê (Posto: Erere) : 84.0 mm

Deputado Irapuan Pinheiro (Posto: Dep. Irapuan Pinheiro) : 81.0 mm

Iracema (Posto: Canafistula) : 79.0 mm

Granja (Posto: Sambaiba) : 77.4 mm

Piquet Carneiro (Posto: Ibicua) : 75.0 mm

Graça (Posto: Graca) : 70.0 mm

Umari (Posto: Sitio Canto) : 70.0 mm

Temer convoca seu advogado para avaliar cenário prós-prisão de seus amigos

O presidente Michel Temer desistiu de passar a Páscoa em São Paulo e convocou o advogado Antonio Claudio Mariz para uma reunião, nesta sexta-feira (30), em Brasília. O encontro ocorre após a prisão de seus amigos pela Polícia Federal. A informação é do Portal G1.

Mariz é o advogado do presidente no inquérito dos portos, que apura se o presidente recebeu propina em troca da edição de um decreto para supostamente favorecer empresas portuárias. Temer nega.

A expectativa do Planalto é por uma nova denúncia contra Temer.