Blog do Eliomar

Últimos posts

ProUni 2018 – Confira o resultado da lista de espera

O resultado da lista de espera do Programa Universidades para Todos (ProUni) do segundo semestre deste ano já está disponível. A relação dos selecionados foi divulgada hoje (2) pelo Ministério da Educação (MEC), e os candidatos devem procurar a instituição de ensino onde buscam vaga para conferir se seu nome está na lista.

De amanhã (3) até segunda-feira (6), os selecionados deverão apresentar na instituição à qual se candidataram documentação que comprovem as informações prestadas no momento da inscrição.

A lista de espera é usada pelas instituições de ensino para ocupar as bolsas que não foram preenchidas na primeira e segunda chamadas do programa.

O ProUni oferece bolsas de estudo integrais e parciais (50%) em instituições privadas de educação superior, em cursos de graduação e sequenciais de formação específica, a estudantes brasileiros sem diploma de nível superior. Ao todo, nesse processo seletivo, serão ofertadas 174.289 vagas – 68.884 bolsas integrais e 105.405 parciais, em 1.460 instituições.

Para concorrer às bolsas integrais, o candidato deve comprovar renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até um salário mínimo e meio (R$ 1.431). No caso de bolsas parciais (50%), a renda familiar bruta mensal deve ser de até três salários mínimos (R$ 2.862) por pessoa.

(Agência Brasil)

Desânimo na construção civil

Com o título “Desânimo na construção civil”, eis artigo do jornalista Raone Saraiva, do O POVO. “A queda da inflação, da taxa básica de juros (Selic) e a retomada do emprego formal seriam a combinação perfeita para a construção civil voltar a vender imóveis e planejar novos empreendimentos”, diz o texto. Confira:

Importante “termômetro” da economia nacional, a construção civil pouco avançou desde que o Brasil começou a dar sinais de que estava saindo da crise, no início do segundo semestre de 2017. Em julho do ano passado, por exemplo, pela primeira vez em 33 meses, o setor voltou a gerar empregos. Na época, o Governo Federal comemorou o fato, atribuindo o desempenho à trajetória de recuperação do mercado de trabalho.

Os empresários do setor até esboçaram certo otimismo diante da melhora de indicadores econômicos. A queda da inflação, da taxa básica de juros (Selic) e a retomada do emprego formal seriam a combinação perfeita para a construção civil voltar a vender imóveis e planejar novos empreendimentos.

Hoje, um ano depois, o otimismo novamente deu lugar ao desânimo. Embora o desemprego tenha caído em junho, passando de 12,7% para 12,4%, a crise no mercado de trabalho do País ainda atinge 13 milhões de pessoas, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consequentemente, afeta a capacidade de consumo das famílias. Para muitas delas, o sonho da casa própria teve que ser adiado, apesar das facilidades oferecidas pelas construtoras e instituições financeiras.

Na construção civil, foram cortados 170 mil postos de trabalho em um ano. O total de ocupados na atividade encolheu 2,5% no segundo trimestre de 2018 em relação a igual período de 2017. E esse impacto no setor, que durante o período da crise amargou o fechamento de centenas de empresas e a perda de bilhões de reais, mexe com diversas outras áreas da economia.

Considerando empregos formais, informais e indiretos, a estimativa é que cerca de 13 milhões de pessoas trabalhem no setor. A cada R$ 100 investidos na construção civil, R$ 25 retornam aos cofres públicos em forma de imposto. Porém, com a desaceleração da atividade econômica, esse dinheiro está deixando de circular no País.

Apesar da tentativa do Governo de reaquecer o setor, as alternativas não têm surtido o efeito esperado. Na última terça-feira, a União flexibilizou as regras para empréstimo imobiliário pelos bancos e elevou de R$ 950 mil para R$ 1,5 milhão o limite de valor dos financiamentos de imóveis que permitem o uso de recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). No mesmo dia, a Caixa Econômica Federal reduziu os juros do crédito imobiliário para pessoa jurídica. Isso sem falar em outros incentivos anunciados pelo banco, a exemplo do aumento do teto para financiamentos de imóveis usados.

Mas a delicada situação econômica, puxada pelo elevado índice de desemprego, tem atrapalhado a construção civil. A confiança do empresário ainda não voltou. E dificuldades como elevada carga tributária, demanda interna insuficiente, falta de capital de giro e burocracia excessiva permanecem.

*Raone Saraiva

raonesaraiva@opovo.com.br

Candidatos a presidente enfrentam maratona de debate. Confira as datas

901 3

Os candidatos à Presidência da República já começaram a maratona de debates. Nessas eleições, também serão definidos o governador de cada Estado, deputados federal e estadual e duas vagas no Senado. Nos dis 7 e 28 de outubro, primeiro e segundo turno respectivamente, acontecem as votações.

Dentro desse cenário, surgem os debates que são fundamentais para que os eleitores possam conhecer os postulantes, suas propostas e tomar atitude.

Confira o calendário de debates

30/7 a 3/8 – Globonews – Entrevistas – 22h30
9/8 – Band – Debate – 22h15
15/8 – Registro das candidaturas no TSE – até 19h
17/8 – RedeTV! – Debate – 22h
27/8 – Jovem Pan – Debate – 19h
27 a 31/8 – Jornal Nacional – Entrevistas
31/8 – Começa o horário eleitoral gratuito em rádio e TV
9/9 – TV Gazeta/Estadão – Debate – 19h30
17 a 21/9 – Jornal da Globo – Entrevistas
19/9 – Veja – Debate – 9h
20/9 – TV Aparecida – Debate – 10h
26/9– SBT – Debate – 18h20
30/9 – Record – Debate – 22h
4/10– Globo – Debate – 21h304/10 – Fim do horário eleitoral gratuito em rádio e TV

7/10 – Primeiro turno das eleições
11 ou 12/10– Band – Debate – 22h15
12/10– Volta do horário eleitoral gratuito
14/10– TV Gazeta/Estadão – Debate – 19h30
15/10– RedeTV! – Debate – 22h
17/10– SBT – Debate – 18h20
21/10– Record – Debate – 22h
25 ou 26/10– Globo – Debate – 21h30
28/10 – Segundo turno das eleições

(Fotos – Eraldo Peres/AP Diego, Cristiano Mariz /VEJA, Padgurschi/Folhapress, Ailton de Freitas / Agência O Globo)

Fiec – Indústria do Ceará inicia recuperação após greve dos caminhoneiros

O Núcleo de Economia e Estratégia da Federação das Indústrias do Ceará anucia: os Indicadores industriais do Ceará apontam para recuperação em relação à queda apresentada em maio po conta da greve dos caminhoneiros. Destaque fica para o faturamento que anotou crescimento de 18,7% frente a maio, na série livres de efeitos sazonais, embora ainda se situe 5,8% abaixo do registrado em junho de 2017.

Segundo a pesquisa da Fiec, o emprego, a utilização da capacidade instalada e a massa salarial também registraram crescimento, apresentando alta de 1,6%, 1,9% e 4,6%, respectivamente. Embora o resultado seja positivo, os indicadores ainda se situam abaixo dos valores apresentados em abril, indicando que a recuperação foi parcial.

Por outro lado, o indicador de horas trabalhadas na produção apresentou decréscimo quando comparado ao mês de junho de 2017 (12,8%), assim como quando comparado ao mês imediatamente anterior (3,5%). No ano, o indicador acumula queda de 8,4%.

PTC e Rede fazem convenção nesta quinta-feira

O Partido Trabalhista Cristão (PTC) fará sua convenção estadual a partir das 19 horas desta quinta-feira, no Auditório Murilo Aguiar, da Assembleia Legislativa.

Segundo o presidente regional da legenda, Aldenor Brito, hora de homologar chapas proporcionais. O PTC deverá avaliar se apoiará ou não a reeleição do governador Camilo Santana (PT).

Além do PTC, outro partido que fará convenção nesta quinta-feira é a Rede da Sustentabilidade. Hora de homologar seu candidato ao Senado, ambientalista João Saraiva. A partir das 20 horas, no Hotel Amuarama.

Atriz Karla Karenina acerta volta à TV

305 2

A atriz Karla Karenina está em São Paulo. Trata sobre um programa de humor para a TV. Ela não deu mais detalhes.

Mas a também terapeuta informa que nos dias 1º e 2 de setembro próximo, estará ministrando um workshop sobre “Regressão de Memória e Psicodrama”, na Templo de Delphos.

SERVIÇO

*Mais Informações -kareninakarla@gmail.com

Show do The Fevers – Um dos presentes dos pais no Shopping RioMar Papicu

Dentro da programação do Dia dos Pais – 9 de agosto, o Shopping RioMar Papicu vai oferecer uma noite especial com o Jantar dos Dia dos Pais com show da banda “The Fevers”. A banda, que marcou época e está na estrada desde 1964, traz o rock e pop no repertório com consagrados sucessos como “Mar de Rosas”, “Vem me Ajudar”, “Ninguém vive sem amor”, entre outros. O show é gratuito e terá início a partir das 19 horas, na Praça de Alimentação, no Piso L3.

Além disso, o RioMar Papicu e o RioMar Kennedy, estão realizando no período, de 4 a 12 deste mês, ações promocionais compre e ganhe e sorteios. A cada R$ 300,00 em compras, os consumidores podem concorrer a um sorteio de 20 cervejeiras, sendo 10 ganhadores em cada shopping.

(Foto – Divulgação)

Vereador pede a construção do Hospital do Idoso

O vereador Julierme Sena (PROS) está pedindo ao prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), que construa o Hospital do Idoso. O pelo dele veio após o prefeito anunciar a construção de um novo hospital infantil.

Ele pede ao prefeito que também avalie a implantação dessa unidade especializada no atendimento aos idosos porque a população vem envelhecendo e o número de idosos cresce.

“Há um dado: não há nenhuma unidade especializada em geriatria em Fortaleza”, destaca Julierme.

O tempo da interação entre monólogos

Com o título “Intolerâncias”, eis artigo de Irlys Alencar F. Barreira, professora titular de Sociologia da UFC. Aborda um tema do momento e que merece boas reflexões. Confira:

Diariamente, recebemos mensagens contendo posicionamentos políticos e ideológicos. Por meio delas afirmamos nossas identidades, seja reiterando opiniões ou renegando matérias que expressam diferenças sobre o que pensamos. Quando Castells se refere à Sociedade de redes não supõe apenas um novo meio de comunicação, mas um modo de ser que carateriza o mundo globalizado com outra dimensão de espaço e tempo. Nesse momento, em que as tensões políticas da sociedade brasileira emergem, o barulho das redes ocorre simultâneo ao déficit de comunicação presencial, reforçando uma espécie de interação entre monólogos. Com isso, apaga-se o intolerável, argumentos contrários são silenciados e a virulência (termo utilizado para a difusão através de redes) toma o lugar dos debates. Não custa lembrar o quanto lutamos pelo direito à palavra no tempo, bem identificado por Chico Buarque, em que “a minha gente andava falando de lado e olhando pro chão”.

No processo de redemocratização as diferenças se minimizavam na imensa vontade de renovar instituições, sem a mão autoritária da ditadura militar. A crença na vitalidade da política alimentava-se na efervescência da vida social construída em conversas, rodas e debates. Mesmo sem haver lido Habermas, as pessoas observavam possibilidades de construção de consensos, ainda que provisórios.

É certo mencionar as dificuldades de enfrentar a opinião dos que não viveram o tempo dos porões da ditadura, dos que exprimem, de modo contundente, as “razões factuais” de denegação da esquerda ou daqueles que postos na condição de “inimigos” sequer aguentamos conversar. Inclui-se, ainda, a versão dos muito próximos ideologicamente cuja intolerância ao debate é também exercida. É nesse vazio de comunicação presencial que as redes se bastam, tornando as mensagens abrigo de versões ou aversões que podem ser eliminadas em um clique. Mas, os meios podem ser só meios e não fins. Que o barulho das redes não substitua a palavra dita e redita, cansada, mas teimosa nessa vontade de sempre acrescer algo às dificuldades de interpretar a vida social e politica em tempos históricos de crise.

*Irlys Alencar F. Barreira

irlys.firmo@gmail.com

Professora Titular de Sociologia da UFC.

Ciro recebe pauta de reivindicações do setor turístico nacional

O candidato a presidente da República pelo PDT, Cio Gomes, recebeu, nesta quinta-feira, em São Paulo, um documento com as principais reivindicações do setor turístico do País.

Ele participou de reunião com o Conselho Empresarial do Turismo e Hospitalidade – organismo da Confederação Nacional do Comércio (CNC), onde expôs planos e recebeu o conjunto de propostas.

No ato, o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (Abih) e também vice da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação, o cearense Manuel Cardoso Linhares.

Nesta sexta-feira, documento igual será entregue a Jair Bolsonaro (PSL) e Geraldo Alckmin(PSDB).

(Foto – Divulgação)

MDB já tem seu candidato a presidente

Sem candidato a vice definido, o MDB confirmou hoje (1) o nome do ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles como candidato à Presidência da República. O resultado foi anunciado pelo presidente da legenda, Romero Jucá (RR), que ressaltou que dos 419 votantes, 85% disseram sim a Meirelles. Em 2014, segundo Jucá, 54% dos convencionais apoiaram a chapa Dilma/Temer na corrida presidencial. “A votação de hoje demonstra a unidade do partido”, ressaltou.

Diante de toda cúpula emedebista e apoiadores, o presidente da República, Michel Temer, pediu à militância empenho para levar o nome de Meirelles de maneira convincente pelo Brasil. “Tem que levar a ideia com a alma”, ressaltou acrescentando que o MDB tirou o Brasil de uma “crise extraordinária” e vai colocar o país nos trilhos.

Ao agradecer ao MDB, Meirelles defendeu um pacto de confiança pela governabilidade e disse que tem resultados a mostrar não apenas como ex-ministro da Fazenda, mas também no comando do Banco Central, onde passou oito anos. “Convido vocês a nos unirmos com firmeza e serenidade, vamos ganhar essas eleições, trabalhar e construir um Brasil do tamanho dos nossos sonhos”, disse.

Henrique Meirelles falou das diretrizes de seu programa de governo e destacou como prioridades investimentos em infraestrutura, para diminuir as distâncias no país, além de saúde e segurança pública. O presidenciável também prometeu reforçar o Bolsa Família. Para gerar empregos, Meirelles disse que pretende resgatar a política econômica, atrair investimentos e fazer as reformas que o país precisa. “Minha meta é fazer o país crescer 4 %, ao ano”.

(Agência Brasil)

PP confirma apoio a Geraldo Alckmin

O Partido Progressista (PP) oficializou hoje (2) o apoio à campanha do pré-candidato do PSDB à Presidência da República, Gerado Alckmin. A decisão foi tomada nesta quinta-feira (2) durante a convenção nacional do partido, em Brasília. Com isso, confirmam-se as expectativas de o chamado Centrão – grupo formado por PR, PRB, Solidariedade e PP – apoiar o ex-governador de São Paulo antes mesmo de ser definido o nome do candidato à Vice-Presidência.

Apoio do PP a Alckmin foi anunciado pelo presidente do partido, senador Ciro Nogueira – Arquivo/Agência Brasil
“Todos recebam de pé o próximo presidente do Brasil: Geraldo Alckmin”, disse o presidente do PP, senador Ciro Nogueira (PI), ao anunciar, às 11h55min, a chegada do pré-candidato tucano à convenção.

“Quero agradecer a confiança de vocês. Vamos trabalhar juntos e unidos nesse momento histórico. O que o Brasil quer é ser progressista, com progresso, emprego e oportunidade para a população. O desenvolvimento é o novo nome da paz, para termos investimentos”, afirmou Alckmin em discurso após a aprovação do partido a sua candidatura.

Alckmin disse que, se for eleito, o foco de seu governo será a criação de oportunidades de trabalho, emprego e renda. “Temos de ter proposta, projeto e time, e o PP é essencial nessa reconstrução, para que possamos progredir e fazer as reformas. Nosso tempo é o tempo da mudança. Esta é uma tarefa coletiva. Construir consensos para o Brasil poder avançar.”

Nogueira garantiu o apoio de seu partido ao programa de reformas defendido pelo PSDB. “Vamos apoiar todas as reformas que o senhor propuser, para enfrentarmos os problemas de nosso país”, disse o presidente do PP. Ele chamou a atenção também para os problemas de segurança que o país enfrenta atualmente. “Temos pessoas sendo condenadas por proteger a sociedade, como é o caso dos policiais. Nós temos de proteger os inocentes, e não os criminosos em nosso país.”.

A convenção contou também com a presença do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). “Se queremos mudar o Brasil, precisamos eleger uma bancada forte na Câmara e no Senado”, disse Maia, em discurso.

(Agência Brasil/Pedro Ladeira, da Folhapress)

São Gonçalo do Amarante é sede do Fórum Regional da Indústria

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE), situado no Complexo Industrial e Portuário do Pecém, em São Gonçalo do Amarante (Região Metropolitana de Fortaleza), vai ser sede do Fórum Regional da Indústria. O evento, que é uma ação de regionalização do Programa para Desenvolvimento da Indústria, é promovido pela Federação das Indústrias do Ceará, através do seu Núcleo de Economia e Estratégia, com a parceria do Sebrae/Ceará. Já passou por Sobral e Limoeiro do Norte.

O fórum reúne acadêmicos, representantes do terceiro setor, governo e indústria com o objetivo de construir uma agenda de desenvolvimento para a região. Os convidados estão sendo divididos em grupos, contemplando os setores: construção e minerais não metálicos, eletrometalmecânico, produtos de consumo (têxtil, calçados e móveis), logística e turismo. Os setores foram mapeados nas Rotas Estratégicas Setoriais levando em consideração a realidade local.

No Fórum, os participantes podem, além de priorizar o que já foi mapeado pelas rotas, propor novas ações e/ou apontar diferentes entraves, adianta a assessoria de imprensa da Fiec.

(Foto – Arquivo)

Apoio do DEM a Alckmin não tira o partido da base de apoio a Camilo, garante João Jaime

A decisão do DEM de apoiar o presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB) em nada muda a postura do partido no Ceará, que vai respaldar a reeleição do governador Camilo Santana (PT). Quem garante é o deputado estadual João Jaime, explicando que a direção nacional liberou as bases nos Estados.

O DEM, inclusive, fará sua convenção estadual no próximo domingo, a partir das 9 horas, no Ginásio da Faculdade Ari de Sá, no mesmo momento em que PT e PDT estarão realizando seus encontros para homologação das chapas proporcionais e majoritária.

De acordo com João Jaime, o DEM lançará, na ocasião, quatro nomes para a Assembleia Legislativa – ele vai para a reeleição, e dois para a Câmara dos Deputados.

Imóveis da Varig vão a leilão em setembro

A 1ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Rio publicou, nessa quarta (1º), o edital de leilão de imóveis da Varig, informa a Veja.

A venda será feita no dia 13 de setembro, às 14 horas, tanto presencialmente, no Tribunal de Justiça do Rio, quanto por meio eletrônico, no site www.leiloesviacaoaerea.com.br.

Entre os imóveis disponíveis estão unidades no Centro Empresarial Varig, em Brasília, avaliadas em cerca de R$ 6 milhões cada, e apartamentos no Centro Histórico de Ilhéus, na Bahia, por valor em média de R$ 400 mil.

SERVIÇO

*O edital pode ser lido no site do Tribunal de Justiça do Rio (www.tjrj.jus.br)

Rosa Weber vai relatar ação que quer descriminalizar o aborto

Já se passaram seis anos desde que o aborto fez com que as atenções da sociedade brasileira se voltassem para o Supremo Tribunal Federal (STF). Na época, abril de 2012, a decisão da Corte recaía sobre a permissão da interrupção da gravidez de fetos anencefálicos, um assunto que aguardou quase uma década para ser decidido. Naquele ano, a ministra Rosa Weber votou favoravelmente à ação, ao lado de outros sete colegas que consideraram o feto sem cérebro como “juridicamente morto”.

“O crime de aborto quer dizer a interrupção da vida e, por tudo o que foi debatido, a anencefalia não é compatível com essas características”, declarou a magistrada naquele julgamento. O aborto volta agora à pauta do STF com um viés muito mais amplo, incluindo a descriminalização da interrupção da gravidez até a 12ª semana. Rosa Weber que continua a integrar a Corte agora assume o posto de relatora da ação.

Por sua natureza discreta, assessores dizem ser impossível indicar uma tendência da ministra a respeito do assunto. E para ampliar o mistério em torno do assunto, Rosa Weber também não tem prazos formais a cumprir para que torne público seu parecer. Ela ainda deve aguardar o posicionamento da Procuradoria-Geral da República (PGR) para concluir o voto.

O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) retoma o julgamento de ação direta de inconstitucionalidade (ADI) sobre proibição de programas com sátiras a candidatos. Na foto,a ministra Rosa Weber.

“A PGR não se manifestará sobre esse assunto, no momento. Ela aguardará as audiências públicas que ocorrerão esse mês no STF para, só então, emitir parecer”, antecipou a assessoria do órgão.

Histórico

A pauta veio à tona em março do ano passado, quando o Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) apresentou uma ação ao STF pedindo que o aborto feito por decisão da mulher nas 12 primeiras semanas de gravidez não seja mais considerado um crime.

Menos de seis meses depois, Rosa Weber decidiu convocar audiências públicas para que pudesse ouvir todos os segmentos envolvidos com o tema. Mais de 40 pessoas que se inscreveram para falar sobre o assunto foram selecionadas para as exposições que ocorrerão nesta sexta-feira (3) e na próxima segunda-feira (6).

Aos assessores do STF, Rosa Weber tem declarado que o assunto envolve diferentes valores públicos e direitos fundamentais e pode ser considerado um dos temas jurídicos “mais sensíveis e delicados”, por envolver razões de ordem ética, moral, religiosa e de saúde pública e a tutela de direitos fundamentais individuais.

Os participantes da audiência foram escolhidos por representarem áreas envolvidas direta ou indiretamente com o tema, como a científica, religiosa, de saúde e a relacionada aos direitos humanos. Cada expositor terá 20 minutos para se manifestar, mas, ao final, os ministros ainda podem pedir mais esclarecimentos. Depois desse processo, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, emitirá um parecer e, só então, a relatora Rosa Weber formulará seu voto que será submetido ao plenário do STF.

Argumento

Advogada do PSOL, Luciana Boiteaux afirma que “já passou da hora” de o Supremo decidir sobre o assunto. “Estamos em 2018 e o Brasil é um dos poucos países que criminaliza o aborto”, afirmou, ao citar exemplos de países que têm forte presença religiosa em suas culturas, mas, ainda assim, têm regiões onde o procedimento é legalizado, tais como Irlanda, Estados Unidos, Argentina e Chile.

“O Brasil tem um alto índice de mortes maternas. As complicações geradas por abortos, sejam eles espontâneos ou não, são o quarto motivo. É mais do que urgente para as mulheres discutir este tema”, disse.

Para a advogada, a audiência pública marcada pelo Supremo é uma oportunidade para dar espaço a “vozes tão caladas”.

Segundo Luciana, o argumento usado no pedido pelo direito ao aborto até a 12a semana é baseado em direitos constitucionais, “como cidadania e a incompatibilidade de um corpo controlado pelo Estado”. Ainda segundo ela, o aborto é uma realidade na vida de todas as mulheres, mas, as principais vítimas do aborto feito de forma ilegal são mulheres negras e pobres.

Atualmente, segundo o Código Penal de 1940, uma mulher que faz aborto pode ser punida com pena de prisão de até três anos. Profissionais de saúde, amigos e parentes também podem responder pelo crime com pena de prisão de até quatro anos se for confirmada participação no procedimento. As únicas exceções ao crime de aborto são os casos de estupro, de risco para a vida da mulher ou de feto anencéfalo.

Em 2016, um outro pedido chegou a ser apresentado ao STF para estender as exceções penais a situações de gravidez por mães infectadas pelo vírus Zika. O argumento foi o de que, além da microcefalia, a doença poderia provocar danos ainda maiores aos fetos, podendo não haver encéfalo ou apenas fragmentos. O caso acabou não avançando mesmo com um parecer do então procurador-geral Rodrigo Janot favorável ao mérito do pedido.

(Agência Brasil)

Os políticos, o efeito Dunning-Kruger e as pessoas que se “acham”

Com o título “Os políticos e o efeito Dunning-Kruger”, eis artigo do jornalista Plínio Bortolotti, que pode ser conferido também no O POVO desta quinta-feira. “As pessoas com menos habilidades e conhecimento tendem a superestimar as capacidades que realmente possuem e, ao contrário, os mais capazes e competentes se subestimam”, eis um trecho do texto.

Recentemente, com uma amiga, assisti a uma palestra na qual o expositor desfiava lugares-comuns como se estivesse a anunciar grandes descobertas no campo que se dizia especialista. Depois de dez minutos de “explicações” óbvias, deixamos a sala, nos perguntando porque algumas pessoas, completamente despreparadas, demonstram tanta autoconfiança, por vezes prepotência, mesmo sendo vazias de conteúdo.

Ao mesmo tempo, recordamos de pessoas muito boas em sua área que manifestam insegurança, e geralmente são obsessivas, admitindo grande esforço para melhorar o que fazem; estudam e preparam-se antes de qualquer apresentação ou exercício que tenham a desempenhar. Por exemplo: nenhum bom escritor diz que, ao sentar-se ao computador, passa a escrever como se fosse um médium, com as palavras sopradas por um espírito ou pela Musa.

Pelo contrário, alguns revelam que reescrevem um único parágrafo dezenas, quando não centenas de vezes e, mesmo assim, não se veem contentes – achando que sempre há algo a melhorar.

Agora, escritores de fim de semana são capazes de produzir um livro por mês e palestrantes profissionais (nunca entendi bem esse tipo de atividade) dispõem do dom de ensinar, em uma hora, como um empresário deve dirigir a sua empresa, sem nunca na vida ter assentado um prego em uma barra de sabão.

Coincidentemente, um dia após essa conversa, minha amiga me manda um artigo que acabara de ler sobre o efeito Dunning-Kruger. Trata-se de um estudo realizado pelo professor de psicologia social da Universidade de Cornell (EUA), David Dunning e seu aluno Justin Kruger, no qual eles comprovam o seguinte: as pessoas com menos habilidades e conhecimento tendem a superestimar as capacidades que realmente possuem e, ao contrário, os mais capazes e competentes se subestimam.

Penso, portanto, ter descoberto o porquê de o mundo da política ser um campo propício à atuação de ignorantes, incompetentes e estúpidos de modo geral. Não tenho dúvida que isso se deve ao efeito Dunning-Kruger. Eles se acham ótimos, sendo, quando muito, lamentáveis.

PS. Texto sobre o efeito Dunning-Kruger em PsiconlineNews (https://goo.gl/34dYao)

*Plínio Bortolotti

plinio@opovo.com.br

Jornalista o O POVO

Produção industrial cresce 13,1% de maio para junho

A produção industrial brasileira cresceu 13,1% de maio para junho deste ano. Com o resultado, a indústria nacional recuperou a queda de 11% registrada em maio, que havia ocorrido devido à greve dos caminhoneiros na segunda quinzena daquele mês. Os dados da Pesquisa Industrial Mensal foram divulgado hoje (2) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O crescimento de 13,1% foi o maior registrado desde o início da série histórica da pesquisa, em 2002.

Também foram observadas altas na comparação com junho de 2017 (3,5%), no acumulado do ano (2,3%) e no acumulado de 12 meses (3,2%). Na média móvel trimestral, a produção cresceu 0,5%.

De maio para junho, foram registradas altas nas quatro grandes categorias econômicas pesquisadas, com destaque para a produção de bens de consumo duráveis (34,4%) e para os bens de capital, isto é, as máquinas e equipamentos (25,6%). Os bens de consumo semi e não duráveis tiveram alta de 15,7% e os bens intermediários, ou seja, os insumos industrializados usados no setor produtivo, crescimento de 7,4%

Vinte e dois dos 26 ramos industriais pesquisados apresentaram alta de maio para junho. As principais influências positivas para a indústria vieram dos veículos automotores, reboques e carrocerias (47,1%), produtos alimentícios (19,4%), bebidas (33,6%) e produtos de minerais não-metálicos (20,8%).

O setor de produtos derivados do petróleo e biocombustível manteve-se estável e apenas três atividades tiveram queda. O maior recuo veio do setor de outros equipamentos de transporte (-10,7%).

(Agência Brasil)

General Theophilo, Mayra e Luís Eduardo fazem campanha na Serra da Ibiapaba

O candidato a governador pelo PSDB/Pros, General Theophilo, botou o pé na estrada, nesta quinta-feira, em ritmo de campanha. Tomou a rota dos municípios de Ipu, Ipueiras, Nova Russas e Guaraciaba do Norte.

Com ele, Mayra Pinheiro e Luís Eduardo Girão, candidatos ao Senado. A programação, segundo a assessoria de campanha do General, será encerrada neste sábado pela manhã.

(Foto – Divulgação)

PT vai adiantar decisão sobre o candidato de verdade

A avaliação no PT é de que foi acertada, até agora, a estratégia de fingir que Lula é candidato. Mas, diante da fala pública de Luiz Fux, explicitando que Lula não será candidato, o partido avalia antecipar o anúncio do candidato de verdade. É o que informa, nesta quinta-feira, o jornalista Lauro Jardim, colunista do O Globo.

O plano original era levar o nome de Lula até o limite da Lei das Eleições, ou seja, 27 de setembro — a legislação eleitoral permite que o partido substitua o candidato até 15 dias antes do dia do voto.

Agora, o PT corre para acabar com as fissuras internas e para preparar o lançamento do candidato de verdade ainda em agosto. O plano é fazê-lo dias após o TSE sacramentar que Lula é ficha-suja.

(Foto – Nelson Almeida, da AFP)