Blog do Eliomar

Últimos posts

Ubajara – Risco em barragem afeta mais de 500 famílias

Uma das margens da barragem do Granjeiro, em Ubajara (a 326 km de Fortaleza, na Serra da Ibiapaba), se tornou um canteiro de obras. O maquinário pesado tenta solucionar às pressas o risco de rompimento do reservatório. A estimativa da Defesa Civil do Estado e do prefeito da cidade, Renê Vasconcelos (PDT), é de que, em caso de ruptura, mais de 500 famílias ribeirinhas seriam atingidas. Entre as ações de contenção está o fechamento de fenda na parede do reservatório, a limpeza do vertedouro e a construção de novo sangradouro. Os moradores do entorno do rio Jaburu, que receberam no sábado à noite a ordem de evacuação da área, só podem retornar às residências após autorização da Defesa Civil.

“O apelo que se faz é para que as famílias respeitem o prazo. Estamos tentando adiantar todo o trabalho para terça-feira (19) fazer essa autorização, mas vai depender muito do volume de chuvas que cai, principalmente nas cabeceiras do açude”, afirma o prefeito, que foi ao local na tarde de ontem. Conforme ele, a Defesa Civil do Estado foi acionada e os reparos começaram na terça, 12, mas foi no sábado, 16, com o grande volume de chuvas, que a situação de emergência foi decretada e as famílias precisaram ser removidas. Mesmo com o risco, a todo momento moradores de comunidades próximas acessam o canteiro de obras.

A barragem, que é de propriedade da empresa Agroserra, apresentou uma fenda por processo de erosão, o que gerou o perigo. De acordo com Rogério Menescal, especialista de barragens da Agência Nacional de Águas (ANA), que está no local, todos os procedimentos possíveis de responsabilização da empresa foram tomados pelo órgão. Por se tratar de reservatório que passa por dois estados (Piauí também), é a ANA quem monitora e fiscaliza.

“O proprietário continua omisso, são intervenções que a ANA não deveria estar fazendo, muito menos o Estado e o Município, mas justamente numa ação de socorrer a população estão assumindo essa responsabilidade. Tendo em vista a postura do proprietário de que não vai manter a barragem adequadamente e nem colocá-la em condições de segurança adequadas, a orientação é esvaziar o nível do reservatório até uma cota que aumente o nível de segurança”, explica.

Dono da Agroserra, Avelino Forte (irmão do ex-deputado federal Danilo Forte, hoje no PSDB) nega ter sido autuado pela ANA por danos estruturais, sendo a única notificação recebida por questões “burocráticas”. A ANA afirma, em nota, que a empresa é autuada desde 2017, sendo o embargo provisório realizado na semana passada devido a “uma erosão significativa no talude a montante (rio acima) da barragem”. Avelino Forte rebate: “Tenho um laudo da ANA dizendo que todos os problemas (estruturais) que tinham lá tinham sido sanados”. Ele afirma que, desde 2013, quando foi feito esse laudo, fiscais não haviam voltado à barragem até terça-feira, 12, quando foi determinado embargo provisório.

A barragem tem cerca de 40 anos, mas está na posse da empresa desde 1993. O proprietário diz que não possui a planta da construção, documento solicitado pela ANA para outorga.

Avelino conta que a erosão se deu após três dias de chuva com rajadas de vento e que a empresa atuou junto à Defesa Civil para conter o defeito com sacos de areia e impedir vazamentos de água. Para a ANA, o embargo temporário tem como objetivo “fazer com que a empresa adote medidas imediatas de segurança para minimizar os riscos de rompimento da estrutura, tendo em vista a existência de 15 famílias que vivem no vale a jusante (abaixo) e podem ser atingidas”.

  • Leia mais aqui.
  • Leia mais também aqui.
  • (O POVO – Repórter -Eduardo Talicy e Heloísa Vasconcelos)

Criança desaparece na correnteza do Rio Cocó

110 1

Uma criança de nove anos de idade está desaparecida desde sábado, 16. O desaparecimento ocorreu em meio à correnteza do Rio Cocó, nas proximidades do bairro Jangurussu, em Forraleza. A informação inicial, divulgada pela Associação Comunitária Dom Aloísio Lorscheider.

O Corpo de Bombeiros foi acionado no mesmo dia e se deslocaram-se até o local. No entanto, não encontraram a criança. As buscas foram reiniciadas na manhã de domingo, 17. Nesta segunda-feira, a equipe de mergulhadores retomará o trabalho.

O POVO esteve no Jangurussu no sábado, 17, e constatou muitas crianças e adolescentes nadando e realizando acrobacias em meio à correnteza do rio após o aumento do nível da água em função das chuvas. (Jéssika Sisnando)

(O POVO – Jéssika Ssnando)

Cargos Federais – Disputa mexe com parlamentares cearenses

As tratativas para a ocupação de cargos federais no Ceará de segundo e terceiro escalões ganharam força nos últimos dias. O coordenador da bancada local na Câmara dos Deputados, Domingos Neto (PSD), dará mais um passo hoje. Ele encontrará um dos condutores da questão, o chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni.

Segundo ele, estará em pauta a ocupação destes postos no Estado e a permanência do Banco do Nordeste (BNB) – o Planalto ventila a possibilidade de fundi-lo ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Para ele, a união não deverá acontecer.

“O Governo percebeu que isso não tem chance de passar e a mera especulação atrapalharia a construção de uma base de apoio”, opina Neto.

Antes, na semana passada, o coordenador esteve com a líder de Jair Bolsonaro (PSL) no Congresso Nacional, a deputada Joice Hasselman (PSL). Segundo diz, a parlamentar o entregou lista com nomes para 14 órgãos federais. O total de repartições no Estado, contudo, gira em torno de 40.

Sobre o número ainda distante do total, Neto afirma ter ouvido de Joice que os ministros ainda acertam os escolhidos.

A Companhia Docas do Ceará é um dos principais postos, mas Neto afirmou não estar na lista entregue pela pesselista, assim como outros ligados a Minas e Energia.

As principais definições Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs) e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Parlamentares cearenses que dão sustentação ao Governo Federal, 10 entre 22, não poderão fazer indicações para todas as áreas. As consideradas nomeações técnicas ficarão sob alçada exclusiva de ministros.

O deputado adiciona ainda que as indicações liberadas estão ocorrendo mediante assinatura ao lado do nome do indicado, que representa responsabilidade pela nomeação, mas não só isso.

O parlamentar que quiser rubricar ao lado de um indicado estará, extraoficialmente, afirmando que votará a favor da reforma na Previdência Social. “Se o governo quiser condicionar isso, a maioria dos 10 vai discordar”, avalia Neto. Assim, diz que deliberará sobre a questão com a base cearense.

Um dos integrantes desta base, Capitão Wagner (Pros), confirma ter escutado nos corredores do Congresso a condição da assinatura. “Não vou indicar ninguém condicionado a votar em reforma”, adianta. O capitão reformado da PMCE é contra alguns pontos do texto, a exemplo das condições impostas a trabalhadores rurais.

Para Wagner, apesar de as indicações estarem sendo baseadas em critérios técnicos – mesmo se forem políticas – a condução é conturbada.

“Só pra você ter noção, um dos deputados federais do Ceará tentou agendar reunião com o diretor de infraestrutura do Dnit, que só pode receber na presença do general que dirige (diretor-geral, o general Antonio Leite dos Santos Filho). Isso demonstra que o general não confia nos políticos e no seu próprio assessor. Isso é ruim pro órgão”.

O deputado Heitor Freire (PSL) minimiza a questão envolvendo assinaturas. “Se a pessoa quer fazer parte da estrutura do governo ela tem que se comprometer com a agenda do governo”, argumenta.

Ele assegura que votará a favor de toda e qualquer pauta vinda do Planalto, sem reivindicar indicações em troca. “Sou e serei fiel à pauta do governo Bolsonaro”. O líder do PSL no Ceará pondera que se for solicitado poderá dar contribuições.

Sobre os colegas de bancada e suas deliberações, Freire afirma não ter informações, já que não vai aos encontros. Ele entende que isto significa independência em relação ao grupo.

Apesar disso, avalia que os indicados para cargos relevantes não poderão ter vínculos ou concepções relativos à esquerda. Usará, inclusive, a tribuna da Câmara para denunciar eventuais quadros com esta preferência ideológica, além de alertar ministros.

Por outro lado, em cargos com menor poder de influência, não vê problemas, já que as pessoas podem mudar. Exemplifica o ex-senador Magno Malta, “maior petista que tinha no Brasil”, hoje apoiador do presidente da República.

Ainda segundo Freire, Joice reúne competências para protagonizar estes diálogos. Classifica a deputada como “altamente qualificada” e “bem quista” na Câmara, com capacidade para guiar o processo de escolha de nomes por parte do Governo.

A líder do Governo no Congresso foi procurada por meio da assessoria, que disse que ela não falaria sobre o caso, e do próprio celular desde a última quinta-feira. Ligações resultaram em caixa postal. Mensagens no WhatsApp foram visualizadas, mas não respondidas. Entres os questionamentos, o número de órgãos federais na lista e a relação com os ministros.

Números
22

deputados formam a bancada federal do Ceará

10

destes parlamentares integram a base de Jair Bolsonaro (PSL)

12

deputados, entre opositores e independentes, não participam de diálogos

Ranking da Corrupção

O Tribunal de Contas da União (TCU) divulgou em 22/11/2018 órgãos federais com maior potencial de corrupção. O mapeamento foi entregue à equipe de Jair Bolsonaro (PSL), à época em transição.

Foram 287 órgãos federais detectados com risco de possíveis fraudes e corrupção. O índice vai de zero a um, sendo um o mais alto risco de corrupção. No Ceará, o ranking ficou da seguinte maneira:

1º – Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs) – 0,91 (risco muito alto)

2º – Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) – 0,83 (risco alto)

3º – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) – 0,77 (risco alto)

4º – Companhia Docas do Ceará (CDC) – 0,56 (risco médio)

5º – Universidade Federal do Ceará (UFC) – 0,54 (risco médio)

6º – Universidade Federal do Cariri (UFCA) – 0,49 (risco médio)

7º – Banco do Nordeste (BNB) – 0,29 (risco médio)

(O POVO – Repórter Carlos Holanda)

1 a 1 – Ceará e Fortaleza voltam a empatar em mais um bom clássico

Uma semana após empatarem sem gols pela Campeonato Estadual, Ceará e Fortaleza voltaram a empatar, neste domingo (17), no Castelão, em 1 a 1, dessa vez pelo complemento da sexta rodada da Copa do Nordeste. Felipe abriu o placar para o Vozão, no primeiro tempo, enquanto Ederson empatou para o leão, na segunda etapa.

Com o resultado, o Fortaleza retornou à liderança do Grupo A, enquanto o Ceará ficou na vice-liderança do Grupo B.

As duas equipes voltam a campo no sábado (23) pela penúltima rodada da primeira fase da competição. O Ceará recebe o Santa Cruz e o Fortaleza enfrenta o Moto Club, em São Luís.

(Fotos: Reprodução)

Festa Anual das Árvores é aberta neste domingo no Cocó

Com a presença de seis prefeitos e de representantes do Governo do Ceará, da UFC, de ONGs, além de pessoas que prestigiaram o programa Viva o Parque, a Secretaria do Meio Ambiente do Ceará (Sema) abriu neste domingo (17), no Cocó, a Festa Anual das Árvores (FAA) 2019, que seguirá até o próximo domingo (24).

O tema deste ano é “Compostagem – Transformando resíduo orgânico em adubo”, quando a Sema direcionará todos seus projetos para o fomento da Coleta Seletiva de Resíduos Sólidos no Estado.

O secretário Artur Bruno assinou protocolos de revitalização de oito viveiros regionais para produção de mudas, lançamento do Plano de Coletas Seletivas múltiplas para 103 municípios, além de anunciar o plantio de 12.400 mudas com parceiros (C. Rolim Engenharia, Unimed Fortaleza e Chesf).

(Foto: Divulgação)

Bolsonaro diz que ainda não recebeu projeto da reforma dos militares

O presidente Jair Bolsonaro disse hoje (17), no Twitter, que ainda não lhe foi apresentado o projeto de lei que altera o regime previdenciários dos militares. A reforma dos militares deverá ser enviada pelo governo federal ao Congresso no próximo dia 20 depois que a equipe econômica e os representantes dos militares chegarem a um consenso.

“Informo que ainda não me foi apresentado a versão do projeto de lei que trata da previdência dos militares. Possíveis benefícios, ou sacrifícios, serão divididos entre todos, sem distinção de postos ou graduações. Vamos valorizar e unir a tropa no ideal de melhor servir à Pátria”, escreveu na rede social.

Ontem (16), o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, o secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, e representantes dos ministérios da Economia e da Defesa reuniram-se para analisar a proposta de mudança na aposentadoria dos militares.

O secretário-geral do Ministério da Defesa, almirante Almir Garnier, disse, após a reunião, que as mudanças nas regras de aposentadoria dos militares exigirão ajustes em relação a toda a carreira. “Nosso projeto é bem complexo porque não é apenas uma mudança constitucional. Ele muda várias leis. Se mexe no estatuto, tem que mexer na Lei de Remunerações e, portanto, na Lei de Pensões. Por isso, é mais trabalhoso e difícil afinar todo o projeto”, disse ele. O Estatuto dos Militares regula a situação, as obrigações, os deveres, direitos e as prerrogativas dos integrantes das Forças Armadas.

Bolsonaro viajou neste domingo para os Estados Unidos, onde irá se reunir na próxima terça-feira (19) com o presidente norte-americano, Donald Trump.

(Agência Brasil)

Capitão Wagner visita área de alagamento com parlamentares do PROS

172 2

O deputado Capitão Wagner, pré-candidato á Prefeitura de Fortaleza pelo PROS, visitou neste domingo (17) o Conjunto João Paulo II, no bairro Barroso. A área sofreu inundação este mês, após o acumulado de 210 milímetros de chuva na primeira quinzena de março.

Capitão Wagner esteve acompanhado dos vereadores Sargento Reginauro, Márcio Martins, Julierme Sena, do deputado estadual Soldado Noelio e do senador Eduardo Girão.

(Foto: Divulgação)

Diferenças entre investir por intermédio de uma Corretora de Valores e um Banco

Em artigo sobre economia, o consultor financeiro Fabiano Mapurunga, Mestre em Administração com ênfase em Finanças e MBA em Gestão Financeira e Controladoria, observa que muitas pessoas investem dinheiro por intermédio de bancos e perdem boas oportunidades por falta de conhecimento. Confira:

Esse tema traz uma relevância significativa, pois mexe com nossos costumes, cabendo até mesmo o termo “ser convencional”, em nossas características. Vamos hoje expandir nossos horizontes, e demonstrar que além de as corretoras de valores ampliarem nossos horizontes de possibilidades de investimentos, elas trazem consigo, segurança e solidez.

Uma corretora possibilita o acesso a uma gama bem mais ampla de aplicações financeiras, que deixa o número limitado e unilateral de produtos oferecidos pelos bancos, a ver navios.

Na minha opinião, muitas pessoas ainda acabam investindo por intermédio de bancos, e assim perdendo boas oportunidades, por falta de conhecimento.

Vamos abordar alguns pontos que podem lhes ajudar a esclarecer algumas dúvidas:

O que são e como operam as corretoras de valores?

Por definição, elas são instituições financeiras que possuem autorização para ofertarem produtos de investimentos, como CDBs, ações e contratos futuros.

Seu funcionamento básico, pode ser sintetizado pelas categorias de seus produtos, que são divididos entre renda fixa e variável. As corretoras são responsáveis por conectar os clientes ao mercado financeiro, proporcionando-lhes uma completa assessoria.

Ao se fazer a aquisição de um produto de investimento em uma corretora, a ordem de solicitação deste, será enviada para esta instituição, que na sequência, a transmite até os agentes, coma a B3 e a Cetip.

Vamos detalhar, quais são as reais diferenças entre investir por Corretora e por um Banco:

As corretoras de valores procuram lhe ofertar produtos conforme o perfil do cliente, na perspectiva de lhe dar segurança e rentabilidade. Já os bancos, possuem um número muito específico de opções que, na maioria das vezes, estão restritos apenas aos produtos da sua

marca, o que incorre em um risco muito grande, de lhes ser ofertado o produto que mais convém ao banco e não propriamente ao cliente.

Os bancos normalmente cobram mais caros pelos seus produtos, incorrendo também, na cobrança de taxas excessivas e oferecendo opções de investimentos com rentabilidades bem mais baixas. Logo, a gama de ativos financeiros oferecidos pelos bancos é muito menor, principalmente para os pequenos investidores.

Quanto maior for o banco, menor será a rentabilidade que ele oferece aos seus clientes, em seus produtos de investimentos. Pelo simples fato de não ter tanta necessidade de captação de cash, em função da entrada inercial de valores nas suas contas correntes.

As corretoras de valores sempre disponibilizam ativos com rendimentos bem mais atrativos, pois não ficam prezas a nenhuma instituição, elas podem ofertar produtos de vários agentes, como bancos pequenos, securitizadoras e financeiras.

Nos bancos, além dos baixos rendimentos, você ainda vai ter que pagar taxas recorrentes e elevadas. Isso devido ao fato de os custos transacionais destes, serem bem maiores, por possuírem agencias físicas caras, e estruturas operacionais inchadas. Eles carregam todos esses custos nas costas dos clientes.

As corretoras, em sua maioria, são quase totalmente online, ou seja, você resolve tudo na hora com apenas alguns cliques. Assim elas podem ter custos transacionais bem menores associados às aplicações, inclusive estas possuem vários ativos sem custos nenhum para os clientes.

Porque lhes sugiro investir via Corretora de Investimentos?

– Serviços bem diferenciados e personalizados, realizados por profissionais muito capacitados e voltados para dar o máximo de rentabilidade possível para os clientes;

– Segurança é um dos pontos mais fortes, considerando que elas sejam autorizadas pelo Banco Central, B3 e outros órgãos reguladores. Aplicações em Tesouro Direto são garantidas pelo próprio Tesouro Nacional. Poupança, CDB e LCI são garantidos pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito) até o limite de R$ 250 mil por CPF ou CNPJ, assim como nos bancos grandes. Não há diferença.

– Diversificação. Sempre é muito arriscado concentrar seus investimentos em um único ativo. O gerente do seu banco, é claro que sabe disso, mas a preocupação dele é atingir as metas mensais, e não a rentabilidade e o risco do cliente. As corretoras ganham pela rentabilidade da carteira do cliente e procuram trabalhar sob a ótica do equilíbrio de retornos.

Com essas informações espero ter podido contribuir, para quebrar os paradigmas em sua visão sobre investimentos, e demonstrar que nos bancos, o seu dinheiro acabará simplesmente, dando muito mais rentabilidade para eles do que para você. Procure mais informações sobre as Corretoras de Valores e comece realmente a fazer o seu dinheiro render.

Fabiano Mapurunga

Consultor em Finanças e Negócios. Mestre em Administração com ênfase em Finanças. MBA em Gestão de Negócios. MBA em Gestão Financeira e Controladoria. Professor Universitário

Domingo é marcado por poucas chuvas no Ceará

Somente 35 municípios cearenses registraram chuvas neste domingo (17), segundo dados da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme). A maior precipitação ocorreu em Granja, no Noroeste do Estado, a 300 quilômetros de Fortaleza, com 83 milímetros. Choveu ainda em Meruoca (46 mm), Morrinhos (38 mm), Barroquinha (32.1 mm), Marco (29 mm), Amontada (26 mm), Viçosa do Ceará (23 mm) e Beberibe (21 mm).

Em Fortaleza, a maior chuva ocorreu na área da Messejana, com 15 milímetros. No Castelão, a precipitação chegou a 4.1 milímetros.

Para esta segunda-feira (18), a Funceme prevê chuva em Fortaleza na madrugada e no início da manhã, com mínima de 24°C e máxima de 31°C.

(Foto: Arquivo)

R$ 13 mil de multa – Caminhões são flagrados no transporte irregular de lixo

Dois caminhões tipo caçamba foram flagrados no transporte ilegal de entulho e outros resíduos, nesse sábado (16), pela fiscalização da Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis), da Prefeitura de Fortaleza..
O primeiro flagrante ocorreu próximo à avenida Silas Munguba, no bairro Passaré, enquanto o segundo caminhão foi parado no bairro Jangurussu.

Os fiscais da Agefis apreenderam os veículos e os responsáveis receberam multa no valor de R$ 13.007,63 por executar o serviço de coleta e transporte de resíduos sólidos sem o devido credenciamento. A ação contou com o apoio da Guarda Municipal de Fortaleza.

De acordo com a Lei Municipal 10.340/15, é considerado infração gravíssima executar o serviço de coleta e transporte de resíduos sólidos sem o devido credenciamento. Além da multa e da apreensão do caminhão, o infrator deve pagar taxas de transbordo e estadia do veículo.

É importante que os grandes geradores de lixo contratem empresas credenciadas para garantir o cumprimento da lei referente ao correto gerenciamento dos resíduos sólidos. Essas empresas credenciadas são monitoradas pela Prefeitura, que verifica todo o serviço de coleta, armazenamento, transporte e destinação final do resíduo sólido.

Já os caminhões clandestinos e empresas não cadastradas na Prefeitura não realizam o correto gerenciamento de resíduos sólidos e, muitas vezes, despejam de forma irregular o lixo coletado em áreas verdes, vias públicas ou canteiros centrais – prática que cria e alimenta pontos de lixo, sobrecarregando a coleta pública. A Agefis está intensificando o trabalho de fiscalização a esse tipo de irregularidade.

A população pode ajudar realizando denúncias para a Agefis pelo aplicativo Fiscalize Fortaleza, pelo site denuncia.agefis.fortaleza.ce.gov.br e pela Central 156.

(Com informações da Coordenadoria de Imprensa da Prefeitura de Fortaleza / Foto: Divulgação)

“Quem não saiu de casa ainda, por favor, saia”, pede prefeito de Ubajara após barragem apresentar risco

Frisando que a situação está tranquila, mas ainda há riscos, o prefeito de Ubajara, Renê Vasconcelos, reforçou pedido para que os moradores da área do leito do rio Jaburu deixem as suas casas. O trabalho de remoção das famílias começou ainda na noite desse sábado, 16, e segue neste domingo, 17, após a barragem do açude Granjeiro apresentar riscos. Mais de 250 famílias já foram retiradas da área, conforme o Corpo de Bombeiros do Estado. O açude é particular e está localizado entre Ubajara e Ibiapina, a cerca de 320 quilômetros de Fortaleza.

“Graças a Deus, a parede (do açude) continua intacta, o pior já passou, mas ainda assim a gente tem que obedecer o aviso da Defesa Civil. Vamos manter a remoção. Hoje ainda estamos com as equipes trabalhando. Quem não saiu de casa ainda, por favor, saia. Não está 100% fora de perigo. O pior já passou, mas a gente tem que se preparar 100% pra que não tenha risco nenhum”, disse Vasconcelos em vídeo compartilhado no próprio Facebook.

A Prefeitura iniciou operação de abertura de sangradouro do açude nas primeiras horas deste domingo, 17. “Hoje vamos focar na construção pra que a gente consiga baixar a cota do açude pelo menos pela metade”, disse o prefeito.

Foi montado um gabinete emergencial para acompanhar e coordenar a operação de evacuação das áreas que poderiam ser afetadas pelo rompimento. Os moradores estão sendo levados para casas de familiares ou para o Santuário da Mãe Rainha, onde, conforme o prefeito, foi montado alojamento.

(O POVO Online / Foto: Divulgação)

Roberto Cláudio entrega Medalha Iracema dia 13 de abril

O empresário Pio Rodrigues, o ex-senador Mauro Benevides e o médico Otho Leal Nogueira serão homenageados com a Medalha Iracema, em solenidade no dia 13 de abril – aniversário de Fortaleza -, no Teatro São José, no Centro. Segundo o prefeito Roberto Claudio, os homenageados foram escolhidos em reconhecimento ao trabalho desenvolvido em seu campo de atividade profissional para a vida e o progresso da Capital cearense.

De acordo ainda com Roberto Cláudio, os três homenageados são profissionais influenciadores que, com seus talentos e compromisso, vêm ajudando na construção de uma Fortaleza melhor.

Os homenageados

Pio Rodrigues
Empresário com formação em Engenharia Civil, é diretor e vice-presidente do Grupo C. Rolim. Ex-presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza (CDL), já foi homenageado com comendas nacionais e internacionais. Em 1987, foi eleito o Lojista do Ano.
Em 2007, foi reconhecido como o Construtor do Ano.
Em 2011, recebeu o prêmio New Millennium Award, em Paris, pelo caráter de inovação e qualidade da C. Rolim Engenharia, a única empresa do Brasil a ser agraciada pelo comitê francês.
Em 2018, recebeu o título “Amigo do Cocó”, honraria do Governo do Estado do Ceará pela atuação do Grupo C. Rolim em benefício do Parque Estadual do Cocó.

Mauro Benevides
Advogado, jornalista e formado em Letras, foi presidente do Senado Federal e deputado federal pelo Ceará, além de vice-presidente da Assembleia Nacional Constituinte de 1987. Também foi colunista de jornais como Tribuna do Ceará, Correio Braziliense e Jornal de Brasília. Iniciou sua carreira política como vereador de Fortaleza, em 1955.

Otho Leal Nogueira
Cirurgião-geral com mais de 54 anos de carreira, é referência de exercício da Medicina no Ceará. Trabalha há mais de 50 anos no Hospital Geral de Fortaleza (HGF).

Este é o segundo ano em que a Prefeitura concede a Medalha Iracema. No ano passado, foram homenageados o cantor e compositor Raimundo Fagner, a jornalista Adisía Sá e o professor e arquiteto Liberal de Castro.

(Com informações da Coordenadoria de Imprensa da Prefeitura de Fortaleza / Foto: Arquivo)

R$ 248,9 bilhões – Governo pede crédito suplementar para cumprir “regra de ouro”

O Poder Executivo enviou ao Congresso Nacional projeto de crédito suplementar (PLN 4/19) no valor de R$ 248,9 bilhões. Esse montante de recursos corresponde ao valor que o governo precisará captar no mercado, a partir da emissão de títulos, para saldar todas as despesas do ano.

A autorização congressual, por maioria absoluta de votos, será necessária porque o governo precisa do aval dos deputados e senadores para fazer operações de créditos que extrapolem o limite estabelecido pela chamada regra de ouro, prevista na Constituição. É o equivalente a uma pessoa pegar dinheiro no banco para pagar as contas cotidianas.

O Orçamento aprovado pelo Congresso no ano passado já discriminava quais as despesas dependerão da aprovação desse PLN suplementar. A maior parte (R$ 201,7 bilhões) são despesas com benefícios previdenciários, como pensões e aposentadorias.

Outros R$ 30 bilhões são gastos com o Benefício de Prestação Continuada (BPC) e o Renda Mensal Vitalícia, programas direcionados a idosos e pessoas com deficiência. Despesas com o programa Bolsa Família correspondem a R$ 6,5 bilhões. Subvenções econômicas e outras despesas representam juntas R$ 10,7 bilhões.

A proposta será analisada inicialmente pela Comissão Mista de Orçamento e depois em sessão conjunta da Câmara e do Senado.

(Agência Câmara Notícias)

O tempo é senhor da eleição

117 1

Da Coluna Guálter George, no O POVO deste domingo (17):

O tempo da política pressiona o grupo do prefeito Roberto Cláudio (PDT) para que acelere o processo de definição de pré-candidatura à sua sucessão, em 2020. Parece longe, é certo, mas quando não se tem um nome natural, como acontece no caso, já que o próprio RC caminha para o final do segundo mandato e não pode disputar, o correr dos ponteiros dos relógios adota um ritmo que impõe pressa à definição. Afinal, uma parte do tempo precisa ser utilizado, desde agora, ao esforço de “trabalhar” o escolhido, dependendo de quem seja, para apresentá-lo à cidade.

O problema não é de opção, em si, porque ela existe e numa quantidade até razoável. Os deputados José Sarto, Queiroz Filho e Salmito Filho, todos pedetistas, a secretária Águeda Muniz, o próprio vice-prefeito Moroni Torgan, mesmo sendo este do DEM, são alternativas especuladas frequentemente, mas o problema é, a preço de hoje, de viabilidade eleitoral deles. Muito pouca, a considerar o cenário que se tem colocado e que, evidentemente, ainda pode mudar. Não se descarte.

A questão é que em tal situação, geralmente, não se paga pra ver. RC, certamente, muito menos está disposto a fazê-lo, o que exige dele alguma urgência como responsável pela condução do processo sucessório, no lado governista. Caso a opção seja pela construção de um nome que se tente estabelecer como novidade, fugindo às possibilidades citadas anteriormente, o processo já pode estar atrasado, o que determina mais ainda uma ação estratégica que, como requisito básico inicial, impõe tempo.

Mais problemático ainda é que os movimentos do principal opositor continuam precisos e certeiros. No caso, falo do deputado Capitão Wagner (Pros), que se afastou um pouco de Fortaleza ao assumir mandato federal, em Brasília, mas, com administrada inteligência, se mantém ligado ao cotidiano da Cidade sempre que sua presença física parece requisitada. Como exemplo, cite-se o fato de nenhum parlamentar ter estado mais exposto no drama da cidade daqueles primeiros dias tensos de 2019, com a onda de ataques organizados por criminosos, do que o citado Capitão Wagner, apesar de oposicionista e, em tese, de ter diante de si uma chance de assistir de camarote ao governo de seus adversários, liderado pelo petista Camilo Santana, ser levado às cordas. O que fez foi o contrário, colocando-se à disposição para abrir portas no recém-instalado governo Bolsonaro e fazendo-o de fato ao lado do governador, sempre que chamado.

O cenário em perspectiva ainda tem a incógnita Heitor Férrer (SDD), a esquerda representada pelo Psol e o fator Luizianne Lins, cuja entrada na disputa pode ajudar a embolar sem aparentar chances reais, a preço de hoje, de atrapalhar a polarização esperada entre as mesmas forças de 2016. De um lado, um grupo tentando emplacar o terceiro mandato consecutivo, mas hoje sem um nome que o represente com força eleitoral crível; de outro, um pré-candidato forte, já agora, e que precisa se viabilizar como projeto coletivo para se demonstrar viável não apenas na perspectiva eleitoral, mas também quando se pensa nos desafios mais amplos de governar.

Escola de Suzano volta a funcionar nesta segunda-feira

A Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano (SP), que foi palco de um massacre na última quarta-feira (13), quando dois jovens atiradores mataram cinco alunos e duas funcionárias, vai reabrir as portas nesta segunda-feira (18), às 10h. O dia será destinado especialmente ao acolhimento dos funcionários da escola que queiram receber atendimento psicológico.

A Secretaria Estadual da Educação informou que, neste dia, serão desenvolvidas atividades com professores e demais funcionários, com o apoio do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (USP), técnicos da secretaria e outros profissionais e especialistas.

Já na terça-feira (19), a escola será aberta para os alunos, que poderão participar de atividades de reflexão, rodas de conversa, oficinas de apoio psicológico, depoimentos e compartilhamento de boas práticas. No dia seguinte (20), a escola recebe a comunidade e os familiares das vítimas.

Para o prefeito Rodrigo Ashiuchi, a reabertura do estabelecimento é importante para que todos possam viver o luto e, principalmente, receber suporte psicossocial. “A educação é a base das pessoas e o pilar das famílias. A união da prefeitura com os governos estadual e federal tem um único objetivo: confortar e oferecer apoio à comunidade”, disse.

Acolhimento

Segundo a prefeitura de Suzano, o Centro de Atenção Psicossocial (Caps) Alumiar [localizado na rua Otávio Miguel da Silva, 187, no Jardim Imperador] vai realizar um atendimento estratégico nos próximos dias. O objetivo é acolher alunos da escola Raul Brasil, familiares e amigos das vítimas, além de estudantes da cidade e outras pessoas que possam ter sido afetadas psicologicamente pelo ataque da última quarta-feira.

(Agência Brasil)

Mega-Sena acumula e prêmio vai para R$ 33 milhões

Nenhum apostador acertou os seis números da Mega-Sena, sorteados na noite desse sábado (16), em Itupeva/SP. Segundo a Caixa Econômica Federal, o prêmio da quarta-feira (20) será de R$ 33 milhões.

Os números sorteados foram: 0621344654 e 59.

O concurso 4.926 da Quina também não apresentou ganhador e o prêmio desta segunda-feira será de R$ 3 milhões, de acordo ainda com a estimativa da Caixa. Os números sorteados ontem foram: 12 – 14 – 27 – 46 e 61.

Procuradores fazem ato de desagravo à força-tarefa da Lava Jato

236 3

Procuradores da República promoveram nesse sábado (16), em Curitiba, um ato de desagravo à força-tarefa da Operação Lava Jato. A manifestação é uma reação às críticas feitas ao Ministério Público Federal e também à Procuradoria-Geral da República, que é contra o acordo para reverter a maior parte da multa paga pela Petrobras nos Estados Unidos para uma fundação no Brasil.

O protesto ocorreu na véspera de a Operação Lava Jato completar cinco anos e no dia seguinte à decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que define que ações relativas a crimes comuns, como corrupção e lavagem de dinheiro, e que tiverem relação também com crime eleitoral de caixa 2 devem ser remetidos à Justiça Eleitoral.

“Com a suspensão do acordo, existe um risco de que esse dinheiro tenha que ser pago, pela Petrobras, aos Estados Unidos. Se não houver um acordo que legitime a permanência desse dinheiro no Brasil, ele terá que ser entregue às autoridades norte-americanas”, disse o procurador da República Deltan Dallagnol. “Faremos todos os esforços para que os recursos permaneçam no Brasil.”

Segundo Dallagnol, a negociação foi comunicada à procuradora-geral da República, Raquel Dodge, que é contrária à proposta de criação de uma fundação para administrar os recursos.

“O dinheiro não precisa ir para a fundação”, afirmou. “Nossa preocupação não é para onde o dinheiro será destinado. Estamos abertos a negociações. Respeitamos a decisão do STF, mas acreditamos que as informações não chegaram completas à Corte.”

Dallagnol reiterou as pressões contra a Lava Jato nos últimos dias. “Nunca houve tanta pressão exercida sobre a Lava Jato e às nossas atividades quanto na última semana. Quem nos pressionou pode ter acreditado que isso nos desestimularia, mas, pelo contrário, isso nos uniu.”

(Agência Brasil)

Rodrigo Maia diz que reforma da Previdência pode ser votada em maio

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, afirmou nesse sábado (16), após almoço de confraternização com os presidentes dos três Poderes, que a reforma da Previdência poderá estar pronta para ser votada em plenário até o fim de maio. O tema foi abordado pelos participantes do encontro, na residência oficial de Maia, com a presença ainda de 13 ministros.

“Espero que a Previdência saia da Câmara dentro do prazo regimental. Não vou dizer [prazo] mínimo, porque 11 sessões são pouco, mas também não quero que seja o máximo, 40 sessões. Espero que possamos, até o final de maio, ter essa matéria pronta para o plenário e, a partir daí, começar a votar no plenário da Casa. Esse é o meu objetivo como presidente da Câmara e deputado, que representa o Rio de Janeiro e acredita que, para que a gente possa voltar a ter investimentos nas áreas fundamentais no meu estado, e possa voltar a gerar emprego, precisa aprovar a reforma o mais rápido possível”, afirmou.

Ontem (15), o presidente Jair Bolsonaro se reuniu com o deputado federal Felipe Francischini (PSL-PR), que vai comandar a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara. A tramitação da reforma da Previdência começa no colegiado, que analisa a admissibilidade da Proposta de Emenda Constitucional (PEC). Durante a reunião, pelo menos cinco nomes de possíveis relatores do projeto foram analisados.

Após passar pela CCJ, a reforma será debatida por uma comissão especial, criada especificamente para esse fim. Para passar no plenário da Casa, ela precisa ser aprovada em duas votações com pelo menos 308 votos, o que representa 60% dos deputados. Em seguida, o texto vai ao Senado, que também precisa da aprovação de 60% de seus integrantes (49 votos), em dois turnos de votação.

Articulação

Segundo Rodrigo Maia, ainda é preciso construir o consenso de uma maioria parlamentar em torno da aprovação da reforma, algo que ainda não está feito. “A gente não pode imaginar que a demanda do deputado do Rio Grande do Sul é igual à demanda do deputado de Roraima. São completamente distintas. Nem podemos achar que uma agenda difícil, mas fundamental como a da Previdência, é uma agenda de 330 deputados e 60 senadores. Então, é uma construção”, disse.

Para Maia, a formação de uma base parlamentar de apoio ao governo no Congresso ainda está em formação, mas deve avançar nas próximas semanas.

“Toda nova construção leva mais tempo para gerar um resultado. A gente precisa, nessa decisão do eleitor, construir a nova política, compreender como é que se constrói isso. É um processo em formação e todos estão dispostos a participar deste momento, compreendendo que há uma necessidade de o Brasil voltar a crescer e gerar emprego”, disse.

Relatoria

O presidente da Câmara ainda comentou a possibilidade de o deputado federal Agnaldo Ribeiro (PP-PB) ser indicado como relator da reforma da Previdência na comissão especial que analisará o assunto após a medida ser admitida pela CCJ.

“O deputado Aguinaldo é sempre um bom nome para qualquer posição, seja a liderança da maioria, a presidência da comissão ou a relatoria de um projeto, ele tem habilidade e experiência para estar em qualquer posição. Eu sempre prefiro o Aguinaldo na posição de líder, mas essa é uma decisão que cabe não apenas ao presidente da Câmara, mas aos partidos que formam o bloco majoritário da Casa”, acrescentou.

(Agência Brasil)