Blog do Eliomar

Últimos posts

Danilo Forte vai coordenar programa que promete revitalizar o agronegócio nordestino

O Programa AgroNordeste, lançado pelo presidente Jair Bolsonaro, em Brasília, sob a promessa de incentivar o agronegócio na região, tem dedo de cearense.

O ex-deputado federal Danilo Forte, que integra a equipe do Ministério da Agricultura, ficará com a coordenação da estratégia, o que agradou em cheio aos pecuaristas e empresários do ramo.

O presidente da Federação da Agricultura do Ceará, Flávio Saboya, comemora.

(Foto – Divulgação)

MP deve ampliar crédito para financiamento do agronegócio

Saiu publicada hoje (2), no Diário Oficial da União (DOU), a medida provisória que deve ampliar em R$ 5 bilhões os créditos de financiamento para o agronegócio no Brasil. Segundo o Ministério da Agricultura, além de dar condições para a redução de juros, por meio da ampliação e da melhoria das garantias para operações de crédito rural, a MP 897/19 vai expandir financiamentos e aumentar a competição no crédito rural.

Com a MP, o governo quer que outros agentes financeiros, além dos bancos, também possam financiar a produção. Ao instituir o Fundo de Aval Fraterno (FAF), a MP pretende dar aos produtores “garantias solidárias” para a renegociação de dívidas e para a construção de estruturas para a armazenagem de cereais.

“Para operacionalização do FAF, os produtores devem formar associações. O aval coletivo será dado pelos produtores associados, por integrantes da cadeia produtiva, como fornecedores de insumos e beneficiadores de produtos agropecuários, e pelas instituições financeiras”, informou o ministério.

“Isso é um banho de financiamento”, disse o secretário de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, ontem (1º), durante a cerimônia que apresentou a MP, no Palácio do Planalto.

O fundo poderá ser criado com a participação de dois a dez produtores. Cada produtor pode entrar com até 4% do financiamento total solicitado. Também podem participar credores e até instituições financeiras. A ideia é que o fundo sirva de garantia subsidiária para o pagamento de dívida, ou seja, depois que as garantias reais ou pessoais do devedor sejam acionadas.

“Se participamos do mesmo FAF e você deixa de pagar, o fundo comum fica comprometido. A ideia é que é mais difícil você ficar inadimplente com o seu vizinho do que com o banco”, explicou o subsecretário de Política Agrícola e Meio Ambiente da Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia, Rogério Boueri, na cerimônia no Planalto. “Temos a convicção de que os bancos vão olhar esses produtores com outros olhos”, acrescentou.

A MP trata também do patrimônio de afetação de propriedades rurais; da Cédula Imobiliária Rural (CIR); de títulos de crédito do agronegócio; e de subvenção econômica para empresas cerealistas em operações de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Além disso, equaliza taxas de juros para instituições financeiras privadas.

Garantia

A MP permitirá ao produtor rural desmembrar sua propriedade como forma de dar, como garantia para as operações de crédito, apenas um pedaço de sua propriedade. De acordo com o Ministério da Economia, até então o produtor precisaria oferecer o imóvel todo como garantia, o que, em muitos casos, tem valor maior do que o financiado.

A partir do desdobramento do patrimônio de afetação, a MP institui a chamada Cédula Imobiliária Rural, que será emitida por proprietários de imóveis rurais e que poderá ser negociada no mercado de títulos e valores mobiliários. A CIR será registrada em entidade autorizada pelo Banco Central.

Segundo o subsecretário Rogério Boueri, tais medidas criarão condições para reduzir a taxa de juros “por meio da ampliação das garantias oferecidas em operações de crédito rural”.

Crédito

A MP também permite a utilização de diversos títulos agrícolas para expandir o financiamento do agronegócio. A ideia é buscar o dinheiro no mercado de capitais, usando, entre outros títulos, a Cédula de Produto Rural (CPR).

Outro ponto é a subvenção econômica (uma forma de ajuda) para que empresas que produzem cereais possam financiar obras, adquirir máquinas e equipamentos necessários à construção de armazéns e a expandir a capacidade de armazenagem de grãos.

(Agência Brasil)

Artigo – “Como reformar um País?”

104 1

Com o título “Como reformar um país?”, eis artigo de Igor Lucena, economista, empresário e professor do curso de Ciências Econômicas da UniFanor. Ele aborda as reformas que se processam e o cenário de tantos partidos políticos no Brasil. Confira: 

Como reformar um país? Essa é uma das perguntas mais difíceis das democracias ocidentais e também de nações como a China e a Arábia Saudita. Não é simples explicar o que reformar um país significa. De maneira abrangente as reformas nacionais significam alterar fundamentalmente como se organiza o funcionamento das instituições básicas de uma sociedade e como os recursos são alocados dentro dela.

Do ponto de vista empírico, nações não se desenvolvem sem reformas, pois são elas que modernizam o Estado e as relações dos agentes públicos e privados. Uma característica das reformas é que de maneira geral ao reformar o Estado a concentração de poder tende a diminuir, o Estado se torna menos concentrado e os agentes privados, em geral pessoas e empresas, passam a exercer um papel mais importante nas decisões sociais.

Seria impossível caracterizar que reformar estruturais nos diversos países podem ser feitas como uma receita de bolo, o que funciona para um geralmente não funciona para outro. Neste contexto algumas características e exemplos mostram como reformas estruturais são capazes de serem efetivadas de maneira mais simples em algumas democracias do que em outras.

Primeiro é possível inferir que um sistema político parlamentarista ou presidencialista com poucos partidos é fundamental para facilitar reformas estruturais, contanto que ao terminar a apuração dos votos, o partido vencedor já possua uma maioria absoluta capaz de realizar as reformas sem necessidade de convencimento de outras agremiações por meio de acordos ou da coalizão.

Outro importante aspecto é a existência de parlamentos unicamerais, tornando desnecessário uma casa revisora como o Senado que tem o poder de retardar, alterar ou enviar novamente para deputados refazerem propostas de reformas.

O terceiro aspecto é a existência de uma sociedade com um bom nível educacional onde a classe média represente uma grande parcela dos eleitores de tal modo que a compreensão das reformas como uma espécie de trade-off entre poupar agora para aumentar o consumo no futuro seja entendido como essencial para as novas gerações.

O último e mais importante aspecto é a existência de uma coesão entre a população, onde a confiança uns nos outros seja algo comum, de tal modo que pobres e ricos, patrões e empregados, servidores públicos e privados, homens e mulheres saibam que irão todos “perder” algo em um primeiro momento, seja por mais tempo de trabalho ou um aumento na alíquota de previdência, para ganhar algo no futuro. Caso exista uma visão generalizada que as reformas serão mais duras em uma parcela da sociedade do que outra, caso haja o sentimento de que alguém está enganando outro, a reforma não se concretiza.

Todas essas características, com exceção talvez do trade-off, não estão presentes na sociedade brasileira e que a maioria dos países que conseguiram efetivar grandes reformas estruturais são nações pequenas como o Chile e a Nova Zelândia, que hoje se apresentam como economias dinâmicas e de ponta dentro do cenário internacional.

Assistimos hoje a possibilidade do Brasil realmente realizar um grande conjunto de reformas, desde a previdenciária, tributária, business environment e até mesmo uma reforma política.

A crise econômica que o Brasil se encontra foi capaz de abrir os olhos não apenas da população, mas também da classe política e empresarial de que a resolução dos problemas do país não se daria por meio da clássica resposta fácil “precisamos de mais verba para o setor A ou B”. Essa resposta simples e errônea nos levou para um aumento indiscriminado da carga tributária, criou um Estado gigante e ineficiente e impregnou a sociedade com sistemas burocráticos e irracionais, tornando o Brasil um dos países menos inovadores e menos competitivos do planeta.

O abismo que nos encontramos convergiu pensamentos e abriu uma brecha de oportunidade neste e no próximo ano para realizarmos as reformas estruturais no Estado e na maneira de organização da sociedade, buscando colocar o país em uma real rota de crescimento na próxima década.

As decisões duras a serem tomadas devem ter uma visão de longo prazo e não se pode cair na tentação de adotar medidas paliativas e de curto prazo que no máximo geram um ou dois anos de crescimento a taxas de 1,5% ou 2% para em seguida cairmos em uma recessão com uma crise fiscal maior ainda, o famoso “voo da galinha”.

A complexidade da sociedade brasileira e dos diversos grupos de interesses difusos são um dos maiores entraves a realização efetiva reformas estruturais, entretanto a criatividade que o povo brasileiro teve para chegar até aqui, apesar de todos os problemas, tornando-nos a principal economia da América Latina e o maior produtor de gêneros agrícolas do planeta, mostra que é possível nos reorganizarmos como sociedade. Eleitores e eleitos podem contribuir conjuntamente para que possamos realmente nos tornar uma potência global e não apenas uma emergente.

*Igor Lucena

Economista, empresário e professor do curso de Ciências Econômicas da UniFanor Wyden.

Índice de Preços ao Consumidor cai em 4 das 7 capitais pesquisadas pela FGV

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) caiu em quatro das sete capitais pesquisadas pela Fundação Getulio Vargas (FGV) de agosto para setembro.

A maior queda foi observada em São Paulo: -0,38 ponto percentual, ao passar de uma inflação de 0,28% em agosto para uma deflação (queda de preços) de 0,10% em setembro.

Outras duas cidades também tiveram quedas na taxa do IPC-S e registraram deflação em setembro: Belo Horizonte (-0,32 ponto percentual, indo de 0,28% para -0,04%) e Rio de Janeiro (-0,23 ponto percentual caindo de 0,14% para -0,09%).

Estabilidade de preços

Em Porto Alegre, a taxa recuou 0,10 ponto percentual e a cidade passou teve estabilidade de preços.

Das outras três cidades com alta na taxa, o maior aumento foi registrado em Salvador (0,21 ponto percentual, indo de 0,20% para 0,41%). Em Recife, a alta foi de 0,04 ponto percentual: de 0,04% para 0,08%.

Brasília teve alta de 0,09 ponto percentual. Passou de uma deflação de 0,07% para uma inflação de 0,02%.

(Agência Brasil)

Com reforma da Previdência aprovada, Bolsonaro diz estar fazendo o “dever de casa”

O presidente Jair Bolsonaro disse hoje (2) que a aprovação da reforma da Previdência é uma maneira de dar um sinal que “estamos fazendo o dever de casa” para a retomada de investimentos e o equilíbrio das contas públicas do país. Ao deixar o Palácio da Alvorada, nesta manhã, Bolsonaro comentou a aprovação em primeiro turno, ontem (1º) no Senado, do texto-base da proposta de emenda à Constituição (PEC) que reforma as aposentadorias.

De acordo com o presidente, é uma “reforma necessária”. “Não temos plano B, nem pra mim, nem pra ninguém. Os outros governos tentaram fazer e não conseguiram”, disse aos apoiadores que o aguardavam na saída do Alvorada.

Após quatro horas de sessão, o plenário do Senado aprovou a proposta por 56 votos a favor, 19 contra e nenhuma abstenção. Eram necessários 49 votos, equivalentes a três quintos dos senadores mais um, para que a medida avançasse.

A PEC ainda precisa ser aprovada em segundo turno para ser promulgada. A partir daí, as novas regras de aposentadoria, pensões e auxílios passam a valer. A expectativa é que isso aconteça antes do dia 10 deste mês .

(Agência Brasil)

Sergio Moro cumprimenta Capitão Wagner por aprovação da MP que permite venda dos bens do tráfico

“Estou muito feliz por ter sido o relator desta Medida Provisória. Acreditamos que a MP vai gerar um ganho muito grande para sociedade, para o sistema penitenciário e para atividades preventivas”, disse o deputado federal Capitão Wagner (Pros). Ele foi relator da MP que agiliza o repasse par Estados e o Distrito Federal de recursos decorrentes da venda de bens apreendidos e oriundos do tráfico de drogas.

A MP foi aprovada pela Câmara dos Deputados nessa terça-feira.

Segundo o texto, o repasse aos outros entes federados não dependerá mais de convênio e poderá ser de forma direta. A percentagem continua a mesma: de 20% a 40% dos recursos provenientes da venda dos bens apreendidos.

Como não houve destaques, a matéria será enviada ao Senado.

A aprovação dessa matéria rendeu, inclusive, elogios da parte do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, em suas redes sociais.

(Foto – Pros)

STF – Prisão após segunda instância entra na pauta neste mês

86 1

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, deve marcar para este mês o julgamento sobre a prisão a partir de condenação dos réus em segunda instância de Justiça. Ele vai levar ao plenário três ações diretas de constitucionalidade (ADCs) que pedem uma revisão do entendimento da Corte sobre o momento em que deve ocorrer a execução da pena. A depender do resultado, pelo menos 160 mil presos podem ser liberados em todo o país.

A medida também pode beneficiar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, caso ele continue preso até lá.

Lula já cumpriu parte da pena do processo relacionado ao triplex do Guarujá, tendo direito a progredir ao regime semiaberto. No entanto, o caso dele ainda tramita nos tribunais superiores, por conta de recursos apresentados pela defesa — um pedido de liberdade será julgado pela Segunda Turma do Supremo.

A ação questiona a imparcialidade do ex-juiz Sérgio Moro durante o processo. A possibilidade desse julgamento, e o imbróglio jurídico criado em torno da recusa de Lula em aceitar passar para o regime semiaberto tem levado os demais ministros a pressionarem Toffoli para pautar o tema.

(Renato Souza, do Correio Braziliense)

Assembleia Legislativa promove o I Seminário sobre Proteção Animal

A Secretaria do Meio Ambiente do Ceará e a Comissão do Meio Ambiente e Desenvolvimento do Semiárido da Assembleia Legislativa promove, nesta quarta-feira, o I Seminário Estadual de Proteção Animal. O evento, aberto ao público, acontece no auditório da Casa e tem na programação ações de Fortaleza e Sobral nessa área.

O deputado estadual Acrísio Sena (PT), presidente da Comissão do Meio Ambiente da AL, reafirmou que “o objetivo é construir, coletivamente, a Política de Proteção Animal do Ceará, congregando as instituições de forma solidária”.

DETALHE -O seminário é a primeira grande ação da Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa dos Animais (Coani), recém-criada pelo governador Camilo Santana. Tem como titular Marcel Girão.

(Foto – Divulgação)

Operação Contra-Ataque – Segunda fase busca integrantes de facção criminosa

Mandados de prisão e busca e apreensão estão sendo cumpridos, nesta manhã de quarta-feira, 2, em uma operação da Polícia Civil. Algumas prisões já foram efetuadas em Fortaleza, na Região Metropolitana e em várias cidades do interior do Estado. Um balanço parcial ainda não foi divulgado pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

A ação é a segunda fase da Operação Contra-Ataque, que busca integrantes da facção criminosa responsável por ataques no Ceará.

A operação é realizada pelas forças de segurança do Ceará – Polícias Civil e Militar, Corpo de de Bombeiros e Perícia Forense (Pefoce) – em conjunto com Guarda Municipal, Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) e Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis) -, além do Secretaria de Administração Penitenciária (SAP), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Polícia Federal (PF).

(Foto – WhasApp)

Prefeito é aguardado nas próximas horas dos EUA

O prefeito Roberto Cláudio (PDT) encontra-se nos EUA. Visita organismos internacionais que liberaram empréstimos para Fortaleza, mas, com tempinho também de rever sua mulher, a primeira-dama, Carol, ali em estudos na Universidade da Columbia.

Segundo seu pai, o ex-reitor da UFC, Roberto Cláudio Bezerra, que viajou a serviço para Brasília, o prefeito deve retornar nesta quinta-feira.

(Foto – Divulgação)

EUA e China devem retomar negociações comerciais

Donald Trump, presidente dos EUA

Uma autoridade da Casa Branca informou que os Estados Unidos (EUA) e a China vão retomar negociações comerciais em nível ministerial em Washington na semana que vem.

Nessa terça-feira (1º), o conselheiro de Comércio Exterior da Casa Branca, Peter Navarro, declarou, em um programa da FOX TV, que o representante americano iria se encontrar com o vice-premiê chinês, Liu He, em 10 de outubro.

Estas serão as primeiras negociações em nível ministerial desde os encontros mantidos em Xangai, em julho. Liu deve se encontrar com o representante do Comércio dos EUA, Robert Lighthizer.

Washington e Pequim têm imposto tarifas cada vez mais altas entre si e agora a disputa comercial está causando impacto em suas economias.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, está ansioso para pedir à China que compre mais produtos agrícolas americanos. Isso levou a especulações de que os dois lados irão discutir um acordo temporário na área de comércio de bens agrícolas. Algumas autoridades linha-dura do governo Trump, no entanto, querem que seja feito um acordo mais abrangente, também cobrindo as supostas violações chinesas aos direitos de propriedade intelectual.

(Agência Brasil/Foto – PR Brasil)

Camilo sanciona lei que garante intercâmbio internacional para aluno da rede pública estadual

Já sancionada pelo governador Camilo Santana a lei que trata do Programa Estudar Fora. Trata-se de uma iniciativa que tem como objetivo garantir aos estudantes da rede pública estadual de ensino a possibilidade de aprofundar os conhecimentos em uma língua estrangeira por meio de intercâmbio internacional, de forma gratuita.

Pela lei, os processos seletivos para o programa serão disciplinados e divulgados pela Secretaria da Educação (Seduc) mediante editais, que estabelecerão a modalidade de intercâmbio, a quantidade de vagas e os procedimentos de inscrição e seleção dos candidatos.

Uma outra informação: o Governo pretende ampliar a rede de Centros Cearenses de Idiomas (CCI), com o objetivo de ampliar a quantidade de vagas para os alunos da rede estadual.

(Foto – Reprodução)

Presidente da Câmara dos Deputados se solidariza com Guimarães por agressões durante voo

156 1

 

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), prestou solidariedade, em nome da casa, ao deputado José Guimarães PT), por conta do “constrangimento” que o parlamentar cearense sofreu durante voo de Fortaleza para Brasília, na última segunda-feira (30/9).

Um passageiro fez duras críticas ao parlamentar petista e trouxe de volta o caso dos dólares na cueca e brandando que Guimarães roubara o País.

Rodrigo Maia disse ser “inadmissivel” a agressão e que esse caso atingiu a todo o parlamentar brasileiro. Ele colocou ainda a Procuradoria da Câmara dos Deputados a serviço de Guimarães para processar o agressor, que acabou sendo levado nessa ocasião para a Polícia Federal.

José Guimarães disse que vai processar o agressor.

*Confira detalhes da agressão aqui.

(Foto – Agência Brasil)

Previdência – Eduardo Girão está entre senadores que traíram o Planalto no item do abono salarial

103 1

O Senado acabou impondo uma derrota à equipe econômica do governo Bolsonaro na madrugada desta quarta-feira, 2, e retirou todas as mudanças que seriam feitas nas regras do abono salarial na reforma da Previdência. A alteração eliminou 76,4 bilhões de reais da economia esperada em dez anos pelo texto. A informação é da Veja Online.

A votação em separado desse dispositivo foi solicitada pela bancada do Cidadania. O governo precisava garantir 49 votos favoráveis ao trecho, mas só teve 42 apoiadores – enquanto 30 parlamentares votaram pela derrubada.

Treze senadores que haviam apoiado o texto-base da reforma traíram o governo e ajudaram a derrubar a mudança no abono salarial. A lista de infiéis inclui senadores que costumam votar alinhados ao governo, como Dario Berger (MDB-SC) e Esperidião Amin (PP-SC). Líder da maior bancada do Senado, Eduardo Braga (MDB-AM) foi outro que virou o voto para ajudar a derrubar a mudança.

Também foram favoráveis à reforma, mas contrários à mudança no abono salarial, os senadores Alessandro Vieira (CDD-SE), Alvaro Dias (Podemos-PR), Eduardo Girão (Podemos-CE), Flávio Arns (Rede-PR), Jorge Kajuru (CDD-GO), Katia Abreu (PDT-TO), Mara Gabrilli (PSDB-SP), Reguffe (Podemos-DF), Rodrigo Cunha (PSDB-AL) e Styvenson Valentim (Podemos-RN).

(Foto – Agência Senado)

No Ceará é assim… um partido com o pai e outro com a filha

Na política cearense, há cenários que, às vezes, ninguém acredita.

O PTC estadual tem como presidente o ex-deputado estadual Tomás Holanda, que integra a base aliada do governador Camilo Santana e do prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio.

Pois dentro desse contexto, Tomás Holanda conseguiu articular em Brasília mais uma sigla que parecia querer, sob comando do ex-deputado Ely Aguiar – agora no PSD, se deslocar para a oposição: o DC (ex-PSDC).

Na articulação, Tomás conseguiu o controle da legenda e ainda fez a ex-vereadora Tamara Holanda, sua filha, assumir o comando da legenda.

Já Ely virou presidente do PSD de Fortaleza e permaneceu assim sob o manto oficial. Pelo menos é o que se imagina já que o controle estadual está com Domingos Filho, ex-vice-governador, que se diz correligionário do governo e da Prefeitura de Fortaleza.

Grupo Grendene doa mais de 15 mil pares de sandálias para escolas da rede municipal de Sobral

O Grupo Grendene doou 15.520 pares de sandálias (crocs) para os estudantes da Educação Infantil e dos 1º e 2º anos do Ensino Fundamental de Sobral (Zona Norte). A doação veio por meio do diretor industrial da empresa, Nelson Rossi.

Além das sandálias, em 2020, a exemplo do que já ocorreu nos últimos dois anos, os mais de 34 mil estudantes da rede pública municipal receberão fardamento que inclui shorts, bermudas e blusas.

Segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura de Sobral, essa é a segunda vez que a Grendene doa os calçados.

(Foto – Divulgação)

Senado mantém abono salarial para quem ganha até dois mínimos

Pressionado pela queda no quórum, o governo sofreu uma derrota na votação de um dos destaques da reforma da Previdência. Na madrugada desta quarta-feira (2), o Plenário do Senado derrubou a restrição do abono salarial a quem ganha até R$ 1.364,43. Com a retirada do ponto da proposta de emenda à Constituição (PEC), a economia com a reforma da Previdência cai para R$ 800,2 bilhões nos próximos dez anos.

Com a derrota, o abono salarial continuará a ser pago aos trabalhadores – com carteira assinada há pelo menos cinco anos – que recebem até dois salários mínimos. A restrição do pagamento do abono salarial geraria economia de R$ 76,2 bilhões ao governo nos próximos dez anos, segundo o Ministério da Economia.

O governo precisava de 49 votos para derrubar o destaque apresentado pelo Cidadania e manter a restrição ao abono salarial, que constava do texto aprovado pela Câmara dos Deputados e pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado, mas teve sete votos a menos que o necessário. O destaque obteve 42 votos sim (que manteria o texto da Câmara) e 30 votos não (que retiraria o ponto da reforma), mas a maioria foi insuficiente para manter a restrição.

Destaques rejeitados

Logo depois da derrota, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), encerrou a sessão e marcou a continuação da votação dos destaques para as 11h desta quarta-feira. Antes de perder a votação do abono salarial, o governo tinha conseguido derrubar dois destaques com maioria folgada. Um destaque de autoria do Podemos foi retirado mediante acordo.

De autoria do MDB, o primeiro destaque rejeitado foi uma emenda de redação que impediu que o texto-base da PEC da reforma da Previdência fosse alterado e voltasse para a Câmara. O governo venceu a votação por 75 a 0.

O segundo destaque rejeitado, apresentado pelo PT, buscava restabelecer a aposentadoria por periculosidade para profissões de risco, como motoboys, vigilantes, guardas municipais e de trânsito, seguranças e agentes que manuseiam explosivos. A proposta foi derrubada por 71 votos a 3.

Um destaque do Podemos que buscava restabelecer a autorização para que prefeituras criassem regimes próprios de Previdência para os servidores foi retirado pelo partido, depois de dúvidas se a proposta alteraria o mérito da reforma da Previdência e acarretaria o retorno do texto para a Câmara dos Deputados.

(Agência Senado)

PF deflagra nova fase da Lava Jato no Rio; o alvo é um esquema de extorsão dentro da Receita Federal

130 1

A Polícia Federal realiza, nesta manhã de quarta-feira, operação da Lava Jato no Rio de Janeiro. O alvo dessa vez são 12 pessoas. A operação deflagrada mira um esquema de extorsão dentro da Receita Federal. A informação é da TV Globo.

Na ação, 32 equipes da PF e da própria Receita Federal (PF). Um dos procurados é o auditor Marco Aurelio Canal, supervisor de programação da Receita na Lava Jato do Rio.

Segundo as investigações, esses funcionários da Receita extorquiam de empresários alvos da Lava Jato em troca de redução ou cancelamento de multas.

A operação desta quarta é baseada em uma nova delação de Lélis Teixeira, ex-presidente da Fetranspor, a federação das empresas de transporte do Rio.

Ríver Plate larga na frente para a decisão da Libertadores

O Ríver Plate largou na frente para chegar a mais uma decisão da Libertadores, na noite dessa terça-feira, em Buenos Aires, ao derrotar o arquirrival, no estádio Antonio Vespucio Liberti, por 2 a 0, gols de Borres, de pênalti, aos 7 minutos de partida, e Fernandez, 25 minutos da segunda etapa.

As duas equipes volta a campo, dia 22, no estádio Alberto J. Armando , La Bombonera.

A outra vaga da final será decidida entre Grêmio e Flamengo, que fazem a primeira partida na noite desta quarta-feira (2), a partir das 21h30min, em Porto Alegre. O jogo de volta, no Maracanã, seria dia 23.

(Foto: Reprodução)