Blog do Eliomar

Últimos posts

Centro de Turismo recebe nesta segunda-feira passageiros de navio estrangeiro

O Centro de Turismo do Ceará (antiga Emcetur) recebe nesta segunda-feira (27) os passageiros de um navio estrangeiro, que atracará no Porto do Mucuripe a partir das 8h30min.

Segundo o presidente da Associação dos Permissionários do Centro de Turismo, Carlinhos Bezerra, os estrangeiros deverão visitar as 105 lojas de artesanato até as 14h30min. Quatro ônibus farão o transporte dos turistas.

Bloco do Pacotão desfilou em Brasília

Com 39 anos de existência e conhecido nacionalmente por suas sátiras políticas, o Pacotão, bloco de Carnaval mais tradicional de Brasília, continua extraindo do noticiário material fértil para animar os foliões que desde 1978 o seguem pela contramão da W3, uma das principais avenidas da capital federal. O bloco saiu da concentração, na 302 Norte, por volta das 16h30min, e reunia 2 mil foliões por volta das 17h10min.

Um ano após esconjurar a corrupção com a marchinha Suruba no Alto Escalão, os carnavalescos se voltaram para uma preocupação mundial que, nos últimos meses, tornou-se um problema local: o risco da falta d’água no Distrito Federal.

A música Banho Tcheco foi escolhida em meio à queda no nível dos reservatórios d’água brasilienses que obrigou o governo do Distrito Federal (GDF) a implementar o racionamento em sistema de rodízio. Em vigor desde janeiro em algumas cidades do DF, a medida afetará outras regiões, como o Plano Piloto, a partir de segunda-feira (27).

Brasília - Entrevista com Jornalista e um dos fudadores do Pacotão, Cícero Lopes (Valter Campanato/Agência Brasil)
Um dos fudadores do Pacotão, Cícero Lopes elogia o ecletismo do blocoValter Campanato/Agência Brasil

“É banho de bacia / Tcheco, Tcheco, Tcheco / Falta água noite e dia / Tcheco, Tcheco, Tcheco / O Pacotão que vai falar / A falta de gestão faz o DF afundar”, acusa parte da letra composta por Antonio Jorge Sales, Antonio Carlos Sales, Thayane Sales e Hadassa Dolbeth Sales e escolhida entre dezenas de inscritas.

“O Pacotão atrai velhos com seus netos e bisnetos, jovens, tem macumbeiro, feiticeiro, católico, evangélico, espírita e até um judeu preto, que sou eu. É um bloco ‘sujo’, mas familiar”, comenta um dos fundadores do bloco, o jornalista Cícero Lopes, elogiando o caráter “ecumênico” do Pacotão.

(Agência Brasil)

Eunício ganha alta após cirurgia e avisa: após o Carnaval, volta à ativa

O presidente do Congresso Nacional, senador Eunício Oliveira (PMDB ganhou alta neste domingo, após cirurgia da vesícula. Ele fez questão de registrar em seu Facebook e aproveitou para informar que, na quinta-feira, já estará na ativa. Confira:

Deixei o hospital Santa Lúcia ontem. Ao sair, fiz questão de agradecer pessoalmente o profissionalismo de todo o corpo técnico – médicos, cirurgiões, enfermeiros -, que me atendeu com impressionante dedicação e carinho. Tenho certeza que eles foram fundamentais à minha recuperação.

Quero ainda, registrar as inúmeras mensagens e as boas energias que recebi de todos vocês. Logo após o Carnaval, volto ao Senado e ao Congresso Nacional e a me dedicar a esse nosso querido Brasil, que está precisando de muita ponderação e segurança para trabalhar.

Morre Bill Paxton, astro de “Aliens” e “Titanic”

O ator Bill Paxton, 61 anos, morreu neste domingo, 26, após complicações em uma cirurgia cardíaca, informou a família em comunicado divulgado à imprensa. “É com grande pesar que informamos a morte de Bill Paxton devido a complicações de uma cirurgia.

Como pai e esposo amoroso, Bill começou a sua carreira em Hollywood trabalhando no departamento de arte, e depois construiu uma carreira ilustre que cobriu quatro décadas, nas funções de ator e diretor. A paixão de Bill pelas artes foi percebida por todos que o conheceram, e seu afeto e energia incansável eram inegáveis”, escreveram.

Os familiares ainda pediram “respeito ao desejo da família de ter privacidade neste período de luto”.

Paxton atuou em mais de 90 filmes ao longo de sua vida e ficou conhecido por personagens de grande destaque em clássicos do cinema, como “Aliens”, “Titanic” e “Apollo 13”. Em 2001, estreou como diretor no filme “O Melhor Jogo da História” e ainda atuou em série de televisão, como “Big Love”.

(ANSA)

Para indignação da senhora Thatcher

Da Coluna Fábio Campos, no O POVO deste domingo (26):

Não gosto do termo “dinheiro público”. É uma miragem. Não existe “dinheiro público”. O termo passa uma falsa ideia. Sugere algo que a ninguém pertence. Sem dono. Portanto, não é pedagógico. Então, busco não usar o termo para, por exemplo, criticar o uso do “dinheiro público” pelos governos para contratar shows de entretenimento, distribuir grana para clubes de futebol ou, o que é comum, empregar nas mais dispendiosas e erradas opções. Estão aí o CFO e o Acquario como reluzentes exemplares.

O termo “dinheiro público” remete a um famoso discurso de Margaret Thatcher, primeira ministra da Inglaterra por 11 anos (1979 a 1990). Vamos a um trecho: “Um dos grandes debates do nosso tempo é sobre quanto do seu dinheiro deve ser gasto pelo Estado e com quanto você deve ficar para gastar com sua família. Nunca nos esqueçamos desta verdade fundamental: o Estado não tem outra fonte de recursos além do dinheiro que as pessoas ganham por si próprias. Se o Estado deseja gastar mais, ele só pode fazê-lo tomando emprestado de sua poupança ou cobrando mais tributos, e não adianta pensar que alguém irá pagar. Esse ‘alguém’ é você”.

“Não existe essa coisa de dinheiro público, existe apenas o dinheiro dos pagadores de impostos. A prosperidade não virá por inventarmos mais e mais programas generosos de gastos públicos. Você não enriquece por pedir outro talão de cheques ao banco. E nenhuma nação jamais se tornou próspera por tributar seus cidadãos além de sua capacidade de pagar. Nós temos o dever de garantir que cada centavo que arrecadamos com a tributação seja gasto bem e sabiamente”.

“Proteger a carteira do cidadão, proteger os serviços públicos, essas são nossas duas maiores tarefas e ambas devem ser conciliadas. Como seria prazeroso, como seria popular dizer: ‘Gaste mais nisso, gaste mais naquilo’. É claro que todos nós temos causas favoritas. Eu, pelo menos, tenho, mas alguém tem que fazer as contas. Toda empresa tem de fazê-lo, toda dona de casa tem de fazê-lo, todo governo deve fazê-lo, e este irá fazê-lo”.

Pois é. O dinheiro não é público. Apenas é cedido por cada um de nós para que os governos o gastem sabiamente e a favor de cada um dos pagadores de impostos. É o que temos visto no Brasil, no Ceará e nas cidades? Com raras exceções, não. E um dos símbolos maior do uso irresponsável do dinheiro cedido por cada um dos leitores (e também os que passam longe destas letras) é a contratação de shows pelos governos.

No âmbito estadual já houve um freio. Fruto da crise. Mesmo assim, o Governo do Estado não se intimidou ao distribuir R$ 1,7 milhão para clubes de futebol profissional. Não é show de música, mas está na mesma linha do entretenimento. Porém, nos municípios, mesmo as mais pobres populações estão bancando gastos milionários com a contração de bandas para a efeméride do Carnaval.

A cidade de Granja, pobre de dar dó, acha que pode gastar R$ 700 mil com a contratação de shows no Carnaval. Em sua resposta a um comentário do meu blog, a Prefeitura de Granja dedurou outras cidades que caminham no mesmo lamentável rumo. Vejam:

“Vale lembrar que outros municípios cearenses lançaram gastos com o Carnaval significativamente semelhantes ou superiores ao de Granja, como São Benedito, Camocim e Aracati, por exemplo, que declararam gastar R$ 802 mil, R$ 856 mil e 1,5 milhão de reais, respectivamente”. Que coisa, não é?

Aracati está em estado de emergência e com graves problemas financeiros que afetam gravemente o setor de saúde. Portanto, gastar com Carnaval é escárnio. O que falar das portentosas Camocim e São Benedito? Ora, nem que essas cidades estivessem nadando em dinheiro (público) poderiam embarcar nesse abuso.

Vejam bem. Contratar bandas não requer competência administrativa. Muitas vezes, nem sequer precisa de licitação. É moleza. Não é serviço público. Não é atividade fim dos governos. E ainda se presta aos esquemas que se nutrem de tais proezas. Já chega.

“Adeus, Amélia” – Bloco carnavalesco leva a discussão da desigualdade de gênero

“Amélia não existe mais / O mundo mudou, meu amor / Não queira que eu me sinta ela / Adeus, adeus, Amélia”.

A marchinha é do bloco carnavalesco “Adeus, Amélia”, que desfila nesta segunda-feira (27), na avenida Domingos Olímpio, a partir das 17 horas. Organizado pela Coordenadoria de Políticas para as Mulheres da Prefeitura de Fortaleza, o bloco participa do Carnaval de Rua desde 2008, trazendo para a folia carnavalesca as bandeiras de luta do movimento feminista. Entre elas, a discussão sobre a desigualdade de gênero, que faz com que homens tenham mais privilégios que as mulheres. Também critica a mercantilização do corpo da mulher e à tentativa da sociedade de impor um modo de ser mulher que as oprime.

O Bloco “Adeus, Amélia” surgiu a partir da articulação de um conjunto de mulheres com trajetória nos movimentos sociais e todos os anos leva milhares de mulheres às ruas num misto de festa e protesto. O direito à livre expressão cultural das mulheres integra o rol dos direitos culturais questão parte dos Direitos Humanos.

Veja nove dicas para curtir o carnaval em segurança com as crianças

Com a chegada do carnaval, quem pretende levar os pequenos para brincar carnaval deve tomar alguns cuidados para garantir a segurança das crianças. Desidratação, insolação e perda auditiva são problemas infelizmente comuns nesses feriados.

Confira dicas para curtir o carnaval com as crianças sem descuidar da saúde e da segurança:

1 – Lembre-se da hidratação

Assim como os adultos não podem descuidar da sua hidratação, é preciso oferecer sempre água para as crianças ao longo da festa.

2 – Som alto pode agredir os ouvidos

Pediatras recomendam ficar a uma distância mínima de 15 metros das caixas de som para não prejudicar a audição das crianças ou, quando possível, usar protetores auriculares. Também é recomendado evitar grandes aglomerações para proteger as crianças de infecções virais.

3 – Cuidado com o sol

Insolações também são problemas comuns neste período. É preciso passar protetor solar a cada duas horas e repelente em seguida.

4 – Verifique a segurança do ambiente

De acordo com orientações da Vara da Infância e Juventude do DF, nos locais em que houver matinês, a orientação é verificar a segurança do ambiente, os alvarás de vistorias para a realização do evento e a permissão do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil. Além disso, a criança só pode participar desses eventos quando estiver acompanhada dos pais ou responsáveis legais.

5 – Lugar de criança é em blocos infantis

A psicóloga Roseli Goffman aconselha que os pais levem as crianças a blocos adequados para sua idade. “É muito bom quando a família passa para a criança a cultura do carnaval. Agora, se for para levar a criança para um bloco, que seja um bloco preparado para receber a criança. Que seja um bloco dirigido especialmente ao público infantil e que tenha como entrar no bloco ou sair dele com facilidade”, alertou a especialista.

6 – Identifique seus pequenos

É importante a identificação das crianças e adolescentes que transitarem pelos circuitos da folia. É recomendado anotar na pulseira ou no crachá o nome da criança e do responsável e o telefone do responsável.  Em alguns estados, ações do governo ajudam nessa tarefa. Em Salvador, por exemplo, cerca de 50 mil pulseiras de identificação infantil serão utilizadas durante o carnaval.

7 – Crianças podem se perder: estabeleça pontos de encontro

Outra medida que os pais podem tomar é o estabelecimento de pontos de encontro com os pequenos, caso a família se separe. Em Brasília, a Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social tem um serviço para ajudar a encontrar crianças perdidas nos dias de folia carnavalesca, é o SOS Criança Foliã. É possível acioná-lo pelo número (61) 99212-7776 por meio do aplicativo WhatsApp. O dispositivo vai permitir o encontro de filhos perdidos pelos pais.

8 – É proibido fornecimento de bebidas alcoólicas a menores

Segundo o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), o fornecimento, a venda ou a simples entrega de uma lata de bebida alcoólica a adolescentes já constitui crime e a pena é de dois a quatro anos de reclusão.

Pela lei, são consideradas crianças as que possuem 12 anos incompletos. Já os adolescentes são aqueles com idade entre 12 e 17 anos.

9 – Viu algo errado? Disque 100 e denuncie

Em períodos de festas os riscos para situações de violência contra crianças e adolescentes aumentam, porque eles ficam mais vulneráveis em grandes aglomerações. Caso você veja uma violação de direitos de qualquer tipo contra crianças, seja violência sexual ou trabalho infantil, entre em contato com o Conselho Tutelar, por meio do Disque 100.

A campanha da Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (SNDCA) de proteção a crianças e adolescentes no carnaval deste ano tem como tema Respeitar, Proteger, Garantir – todos juntos pelos direitos da criança e do adolescente. A ação divulga os principais canais de denúncia, que são o Disque 100 (Disque Direitos Humanos) e o aplicativo Proteja Brasil. Além disso, busca alertar os pais e responsáveis para importância de prevenir o desaparecimento de meninos e meninas.

(Agência Brasil)

Governo do Estado faz na auditoria na folha de pagamento

Da Coluna Vertical S/A, no O POVO deste domingo (26), pelo jornalista Jocélio Leal:

O Governo do Estado está fazendo uma auditoria na folha de pagamento de ativos e inativos. O trabalho de investigação está a cargo da Delloite. Em uma folha de (pasmem!) 64 mil funcionários ativos e outros 78 mil entre aposentados e pensionistas, é sabido do tamanho do risco de furos. A auditoria está sob a guarda de Maia Júnior, o secretário do Planejamento e Gestão que assumiu há 15 dias úteis.

A Delloite já estava contratada quando ele assumiu e veio bem a calhar nesta fase. O secretário não considera impossível haver, por exemplo, duplicidades ou outras anomalias graves. Há cerca de três décadas, quando assumiu o Governo em primeiro mandato (1987-1990), Tasso Jereissati eliminou uns 20 mil contracheques duplos.

Aliás, naquele tempo, mesmo pós-expurgo, Maia diz que havia 110 mil funcionários. Ele segue a receita. Depois do rastreamento dos servidores, o Estado vai esmiuçar as despesas com terceirizados. O primeiro alvo serão as cooperativas médicas. Em seguida as Organizações Sociais (OS).

E a receita inclui uma novidade. Maia vai criar a figura do controller para cada centro de custo do Governo. Um técnico para cada conta de custeio corrente. Semelhante ao que já faz a Secretaria da Fazenda com a receita e a dívida. A propósito, um dos alvos da Seplag serão as empresas públicas. Maia Jr. avalia ser importante reforçar o controle na administração indireta.

Em Beberibe, o Carnaval é dos paredões

O som dos paredões embalou o primeiro dia de folia em Beberibe, no Litoral Leste. Este ano, a novidade no Carnaval do município foi a Arena Paredão, montada em uma área próxima da orla da Praia do Morro Branco, atraindo milhares de foliões. O espaço concentrou cerca de 40 paredões, além de uma estrutura com tendas e uma fileira de barracas de bebidas e lanches.

Hits como “Olha a explosão”, de MC Kevinho & Wesley Safadão, e “Loka”, de Simone & Simaria e Annita, fizeram os brincantes caírem na dança, em meio a um clima de muita descontração, paquera e fantasias irreverentes. Um dos grupos mais animados era o do bloco ‘Lost 2017’, formado o partir da reunião de amigos que saíram de Fortaleza para passar o Carnaval em Morro Branco.

No fim da tarde deste sábado, 25, a Arena ficou lotada, com público de aproximadamente 15 mil pessoas, segundo os organizadores. A segurança dos foliões foi garantida por um efetivo de mais de 400 policiais, além de fiscais de trânsito e guarda-vidas.A Arena Paredão terá continuidade até a próxima terça-feira, de 15h à meia-noite.

Em 2017, o Carnaval de Beberibe foi bancado pela iniciativa privada, com apoio cultural da Prefeitura de Beberibe. Além da Arena Paredão, a cidade também conta com programação na Praça da Matriz de Beberibe, com o Carnaval Cultural, regado a desfiles, marchinhas e atrações musicais.

(O POVO Online- Repórter Bruno Balacó)

Tudo pronto para a festa do Oscar 2017

A premiação mais importante do cinema mundial, o Oscar, entregue anualmente pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, associação profissional que reúne cineastas de vários países, acontece neste domingo (26), nos Estados Unidos. A cerimônia de entrega dos prêmios começa às 17h, em Los Angeles (22h em Brasília).

Com 14 indicações, o filme La La Land – Cantando Estações, é o grande favorito desta que é a 89ª cerimônia do prêmio. A película narra um romance entre um músico que sonha em abrir um clube de jazz e uma jovem atriz que ambiciona tornar-se estrela de Hollywood. Concorrem ainda ao título de melhor filme: Um Limite Entre Nós; Lion; Até o Último Homem; A Chegada; Moonlight: Sob a Luz do Luar; Manchester À Beira Mar; e Estrelas Além do Tempo.

Após a polêmica em 2016, quando a hashtag #OscarSoWhite (#OscarTãoBranco) dominou a internet, em protesto contra a ausência de negros concorrendo à premiação, a edição deste ano é marcada pelos esforços da Academia  para promover a diversidade racial. Ao contrário de 2016, quando atores negros foram ignorados pela Academia, a lista do Oscar 2017 conta com o recorde de seis indicações de atores negros no total.

O ator negro Denzel Washington, que já venceu o Oscar duas vezes (uma como melhor ator e outra como coadjuvante) está na disputa de melhor ator com Um Limite Entre Nós, filme do qual também é o diretor. Os outros indicados a melhor ator são Casey Affleck (por Manchester À Beira Mar); Ryan Gosling (La La Land); Andrew Garfield (Até o Último Homem) e Viggo Mortensen (Capitão Fantástico).

Já ao título de melhor atriz concorrem Natalie Portman (por Jackie); Emma Stone (La La Land); Meryl Streep (Florence: Quem é Essa Mulher?); Isabelle Huppert (Elle); e a negra Ruth Negga (Loving).

Ainda na linha de promoção da diversidade, a atriz negra Viola Davis é a favorita ao título de melhor atriz coadjuvante pelo filme Um Limite Entre Nós. Outras atrizes negras indicadas entre as coadjuvantes são Octavia Spencer, por Estrelas Além do Tempo e Naomi Harris, por Moonglight. Além disso, Mahershala Ali é o favorito ao prêmio de melhor ator coadjuvante por Moonglight, filme que narra a história de um jovem homossexual negro que cresce em um bairro dominado pelas drogas e pela pobreza.

No total, Moonlight recebeu oito indicações, incluindo as de melhor filme e diretor para Barry Jenkins. Segundo analistas, o filme, uma produção independente, é o único com chances de evitar a vitória de La La Land na categoria de melhor película.

(Com informações da Radio France Internationale)

Saques, moral e religião

Em artigo no O POVO deste domingo, o professor titular da Universidade Federal do Ceará (UFC) e sociólogo André Haguette avalia a questão da “natureza humana” nas populações. Confira:

Nos últimos dias, poucos eventos tiveram um impacto tão grande sobre a população quanto os saques que ocorreram no Espírito Santo durante a greve disfarçada dos policiais militares. Os saques chocaram milhões de brasileiros que ficaram sem entender como a simples ausência temporária do poder coercitivo nas ruas pode provocar uma reação criminosa de tão grande envergadura. O fato, na realidade, é somente ilustrativo de que ocorre cotidianamente na nossa sociedade. Imaginemos por um instante vestibulares ou concursos públicos sem vigilância, declarações do imposto de renda sem fiscalização, contratos sem o poder judiciário, trânsito sem guardas, bancos sem seguranças, aposentadoria e pensões do INSS sem auditoria etc.). Seria cada um por si, a lei do mais forte ou do mais esperto. Muitos culpam a natureza humana por essa situação; deixada a si mesma, ela levaria ao caos, até a guerra civil.

Não acredito nessa explicação hobbesiana e popularizada. Não é uma questão de natureza humana boa ou ruim, já que, simplesmente, não existe tal coisa que chamamos de natureza humana a nos estruturar. Pelo contrário, nosso agir é moldável e moldado pelas instituições da sociedade, pela convivência social, por nossas transações afetivas, racionais e éticas com os outros. Se é verdade que nosso comportamento depende da presença de um aparelho normativo e repressivo (leis, poder judiciário, polícia, exército), ele depende mais ainda da estrutura econômica (classes sociais) e do aparelho ideológico societário (família, escola, igreja, cultura) que nos moldam e nos preparam para viver com os outros desta ou daquela maneira.

Há povos e pessoas mais éticos do que outros. Essa variabilidade derrota a tese de uma rígida “natureza humana” como explicação. Se uma população ou uma pessoa, se nós precisamos do poder repressor na rua para agir de acordo com a lei ou, melhor, de acordo com valores morais aceitos, é que nossas instituições ideológicas (educativas) falharam e não nos levaram a internalizar a solidariedade, a generosidade, o respeito ao outro. A cidadania não foi interiorizada; nossa consciência moral é frouxa, feito biruta ao vento, sem embasamento sólido em princípios éticos.

A casa grande e a senzala como instituição originária de nossa sociedade não podiam proporcionar uma educação doméstica baseada na igualdade dos homens e no respeito ao outro e a leis impessoais. A igreja católica com seus próprios escravos e sua submissão ao senhor de engenho não era habilitada à formação da consciência moral; assim, produziu uma religiosidade ingênua e afetiva totalmente dissociada da vida material e dos afazeres dos negócios. A escola, por ser apartada em privada e pública, não pode oferecer uma educação republicana, cidadã.

Tudo isso nos levou a uma cultura individualista numa economia capturada por uma pequena classe possuidora. Os saques de Vitória, no Espírito Santo, tal como a Lava Jato, além de mostrarem a necessidade de um poder repressivo constante, nos ensinam a urgência de uma reformulação de nossas instituições de base no fortalecimento de nossa consciência moral coletiva, a partir de cima da escala social. No mínimo, nossas instituições formadoras de caráter individual e coletivo necessitam de uma requalificação.

Carnaval em Fortaleza ocorre neste domingo em sete locais

Com abertura oficial nesse sábado (25), no Aterrinho da Praia de Iracema, o Carnaval de Fortaleza 2017 segue neste domingo (26), em sete locais da cidade. No desfile na avenida Domingos Olímpio, a atração são os maracatus. Nesta manhã, no Passeio Público, a atração foi o Bailinho de Carnaval, animado pela Banda Só Alegria.

Confira a programação para este domingo no Ciclo Carnavalesco 2017

Aterrinho da Praia de Iracema – a partir das 17h

Atrações: Maracatu Solar, Aparecida Silvino, Lorena Nunes e Dona Onete.

Mercado dos Pinhões – das 16h às 19h

Atração: Bloco Camaleões do Vila com participação de Roberta Fiúza

Mercado da Aerolândia – das 17h às 20h

Atração: Tarcísio Sardinha e Banda Fortaleza Alegria

Mocinha – das 18h às 22h

Atração: Bloco Num Ispaia Sinão Ienche

 

Mercado da Pontes Vieira – das 17h às 19h

Marchinhas de Carnaval

Mercado dos Peixes – das 17h às 19h

Marchinhas de Carnaval

Domingos Olímpio

Maracatus

18h40 – Nação Baobab – “Meu Maracatu, Dança na Sombra do Baobab”

19h20 – Nação Pici – “Oxum o Pavão das Águas”

20h00 – Vozes da África – “Meu Maracatu se Veste de Ouro do Congo a Ouro Preto, de Galanga a Chico Rei”

20h40 – Rei de Paus – “A Mitologia Nagô e Yorubá, Contos e Lendas”

21h20 – Nação Fortaleza – “Mãe Pequena – Jenipapo Kanindé”

22h00 – Az de Ouro – “80 Anos do Maracatu Az de Ouro, uma Homenagem a uma Rainha Negra, Nzinga Mbandi”

Fight night – Promessa de casa cheia no UFC Fortaleza

O fã de MMA que estiver interessado em ir ao UFC Fortaleza, dia 11 de março, no Centro de Formação Olímpica (CFO), precisa correr. Vários setores de arquibancada e cadeiras inferiores já estão com ingressos esgotados. Os assentos “cadeira B”, por exemplo, acabaram em 13 dias de venda. Com raras exceções, é possível encontrar meia entrada disponível. No geral, mais de 80% da carga total de entradas já foi vendida. A informação foi revelada ao O POVO pelo embaixador do UFC no Brasil, Rodrigo Minotauro.

“A venda de ingressos está num ritmo bem bacana e não tenho dúvidas de que teremos casa cheia, com lotação. Acredito que esgotam até o fim do Carnaval”, diz Minotauro.

Os ingressos para o UFC Fortaleza estão à venda desde 18 de janeiro no site www.tudus.com.br. De forma presencial, o fã pode comprar entradas na loja oficial do UFC no Shopping Iguatemi Fortaleza. Os valores das entradas variam de R$ 75 a R$ 850. O ingresso mais popular é a meia da cadeira superior. O preço de inteira do setor custa R$ 150. O ingresso mais caro é o do setor octógono premium, na quadra, pertinho de onde será realizado o combate, saindo ao valor de R$ 850 (a inteira).

As lutas

Card Principal

Vitor Belfort x Kelvin Gastelum

Mauricio Shogun x Gian Villante

Edson Barboza x Beneil Dariush

Jussier Formiga x Ray Borg

Bethe Correia x Marion Reneau

Alex Cowboy x Tim Means

Card Preliminar

Francisco Massaranduba x Kevin Lee

Godofredo Pepey x Kyle Bochniak

Max Griffin x Sergio Moraes

Michel Trator x Josh Burkman

Rony Jason x Jeremy Kennedy

Rani Yahya x Joe Soto

Gareth McLellan x Paulo Borrachinha

(O POVO)

Projeto susta decreto que tornou sem efeito nomeação de conselheiros por Dilma

A Câmara dos Deputados analisa proposta que susta os efeitos de um decreto do presidente da República, Michel Temer, publicado no dia 27 de junho de 2016, que revoga a nomeação de metade dos membros do Conselho Nacional de Educação (CNE) – órgão técnico representativo que discute políticas nacionais de educação.

Autor do Projeto de Decreto Legislativo 421/16, que sugere a sustação, o deputado Leo de Brito (PT-AC) afirma que Temer “exorbitou o poder regulamentar do Presidente da República” ao editar o decreto.

“As nomeações realizadas no dia 10 de maio de 2016 pelo governo de Dilma Rousseff seguiram estritamente as disposições contidas na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional”, afirma Brito. “A lei dispõe que os conselheiros terão mandatos fixos de quatro anos, exatamente para garantir a independência dos conselheiros na definição de políticas para a educação”, avalia.

(Agência Câmara Notícias)

Carrinhos de reciclagem servem como transporte irregular de lixo

117 1

Há cerca de dois anos como reciclador nas ruas do Monte Castelo e bairros adjacentes, o jovem Marcos (nome fictício) diz que cansou de fazer “a parte dele”, enquanto pessoas que deveriam ter melhor consciência social seriam as verdadeiras agressoras do meio ambiente.

Flagrado despejando lixo em plena avenida Sargento Hermínio, em um terreno na esquina da rua Lavras da Mangabeira, onde antes havia uma casa, o reciclador afirma não se importar com a reclamação de pedestres e motoristas que passam pelo local. “Eles não sabem o que é necessidade. Têm seus carros e comem quando quiserem. E ainda foi um ‘bacana’ desses que me pagou para se livrar do lixo dele”, alega Marcos para o Blog, que garante ainda não se intimidar com a placa de proibição e de advertência de crime ambiental.

“A Polícia vai me prender por eu estar trabalhando? O fiscal vai me multar se eu nem tenho documentos (residência fixa, conta bancária, CPF)? Poderiam me arrumar um emprego bom e eu largo dessa vida”, avalia.

Após despejar entulhos e alguns sacos de lixo orgânico, o reciclador devolve para o ser carrinho de reciclagem algumas garrafas pets e papelões. Depois segue pela avenida como um agente que colabora com o meio ambiente.

O Blog apurou com moradores da área que o local é limpo pela Prefeitura, quase que diariamente, mas em pouco tempo está com lixo novamente.

Eclipse solar de hoje, conhecido como Anel de Fogo, será visível no Brasil

O primeiro eclipse solar de 2017 acontece neste domingo (26). O fenômeno será visto em uma estreita faixa que passa pelo sul do Chile e da Argentina, oceano Pacífico, oceano Atlântico e sul da África. Segundo o Observatório Nacional, o eclipse será anular, também conhecido como “Anel de Fogo”, ou seja, quando se vê todo o desenho do Sol e uma espécie de anel de luz ao redor.

A observação no Brasil inclui toda a região Sul, Sudeste, grande parte do Nordeste e Centro-Oeste, que poderá ver o eclipse como parcial, entre 10h e 12h30, horário de Brasília, conforme a localidade.

Para uma observação segura, é importante que seja feita com instrumentos especiais usados por astrônomos ou com técnica de projeção. O Observatório Nacional ressalta que nunca se deve olhar diretamente para sol nem mesmo com o uso de filme de raio X, óculos escuros ou outro material caseiro. A exposição, mesmo de poucos segundos, danifica o olho de modo irreversível.

O Brasil terá a oportunidade de visualizar outro fenômeno solar ainda este ano. Em 21 de agosto, haverá um eclipse total do sol, que poderá ser visto no parcialmente somente na região nordeste, próximo do horário do pôr do sol.

Segundo análises do Observatório Nacional, em 14 de dezembro de 2020, haverá um eclipse parcial do sol que terá também visibilidade em grande área do Brasil.

Justiça é mais rápida que Política e índios Tapeba podem perder parte da terra em Caucaia

204 2

Da Coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (26):

A reviravolta ocorrida no País, desde a tomada do poder pela direita, criou um clima de apreensão entre as minorias temerosas de retrocesso em seus direitos. Aí se situam os povos indígenas, cujas terras são cada vez mais cobiçadas. No Ceará, não é diferente. Os Tapeba travam, neste momento, uma luta desesperada para manter ao menos uma ínfima parte de seu território ancestral. Receberam ordem de despejo de uma área ocupada por eles mesmos e reivindicada como parte de seu patrimônio ancestral.

É que o Tribunal Federal da 5ª Região acolheu o pedido de reintegração de posse impetrado por duas construtoras interessadas em construir um empreendimento no local. A área vinha sendo utilizada para plantio, ajudando no sustento de 80 famílias. A ocupação, segundo os índios, foi também para acelerar o processo oficial de demarcação, cuja finalização depende, apenas, de confirmação por parte do Ministério da Justiça e Cidadania (MJC).

A ação contra os Tapeba ocorre no momento preciso em que o papa Francisco acaba de encerrar o 3° Fórum dos Povos Indígenas, convocado pelo Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (Fida), agência da ONU que pretende financiar projetos para comunidades indígenas. O pontífice lembrou que “as Comunidades autóctones são um componente da população a valorizar e consultar, e cuja participação nos planos local e nacional deve ser favorecida. Não se pode permitir uma marginalização nem uma divisão em classes”.

Sobre o papel dos índios na preservação ambiental o pontífice lembrou: “Viveis o progresso com uma atenção especial à mãe terra. Neste momento em que a humanidade peca gravemente, deixando de cuidar da terra, exorto-vos a continuar a dar testemunho disto (…) não permitais aquelas [tecnologias] que destroem a terra, que destroem a ecologia, o equilíbrio ecológico e que acabam por destruir a sabedoria dos povos”.

A Defensoria Pública da União (DPU) no Ceará havia afirmado à imprensa que “famílias indígenas (…) buscam fazer valer os dispositivos constitucionais que lhes garantem a posse das terras tradicionalmente ocupadas”. Argumentara ainda que o pedido das empresas não deveria proceder, pois a parte autora “não tinha domínio sobre o bem reclamado” conforme laudo sociológico produzido pelo órgão. “Relatórios da Funai elucidaram que a formação daquele povo se deu a partir da reunião, sob domínio dos missionários jesuítas, de quatro povos indígenas (Potyguara, Tremembé, Kariri e Jucá), no Aldeamento de Nossa Sra. dos Prazeres na passagem dos séculos XVII ao XVIII – o qual foi posteriormente transformado em Vila de Soure e, finalmente, na cidade de Caucaia”.

Contudo, as empresas parecem insistir que têm a posse legal do terreno. Se assim for, uma solução conciliatória talvez fosse elas pedirem indenização ao Estado. Não pareceria lícito que um interesse particular privado prevalecesse sobre os direitos seculares de um povo inteiro. A luta dos povos indígenas locais vem desde 9 de outubro de 1863, quando a Assembleia Provincial do Ceará, dominada por proprietários rurais, votou uma lei declarando extintos os índios na Província do Ceará, o que permitiu a investida das oligarquias locais sobre o que restara das terras indígenas ancestrais.