Blog do Eliomar

Últimos posts

Banco do Brasil abre nestas terça-feira seu Plano de Demissão Voluntária

O Banco do Brasil vai fazer uma nova reestruturação e estimular a demissão de funcionários. O Programa de Adequação de Quadro (PAQ) vai incentivar pedidos de desligamento, oferecendo ao trabalhador entre R$ 20 mil e R$ 200 mil, conforme tempo de trabalho na instituição financeira, além de outros benefícios. Com a diminuição de cargos, haverá a redução de agências formais e o aumento do número de postos de atendimento, que precisam de menos funcionários. A adesão começa nesta terça-feira (30/7) e termina dia 14 de agosto. As informações são da assessoria de imprensa do banco.

O programa estabelece que quem atuou por até 20 anos no banco poderá receber 7,8 salários brutos, enquanto o funcionário que atuou por mais do que esse período na instituição ganhará o equivalente a 9,8 remunerações.

O trabalhador que aderir receberá da instituição financeira os direitos regulamentares de desligamento, além do ressarcimento do plano de saúde, inclusive de dependentes, pelo período de um ano. Ficará isento de pagamento de custos com treinamento, como cursos de graduação, de idiomas e certificações. O programa prevê que os funcionários interessados poderão se aposentar ou pedir desligamento consensual, previsto na legislação trabalhista.

O Programa

O PAQ foi criado para fazer um remanejamento e não é voltado para todos os funcionários, apenas para os que trabalham em locais onde há excesso de mão de obra. Por isso, não há metas de demissão. Haverá incentivo para transferências de unidades com muita gente para as que não têm mão de obra suficiente. De acordo com fontes do BB, se todos os funcionários se moverem, haverá vagas para todos. Mas isso não deve ocorrer, porque muitos não estão dispostos a mudar de município ou ir para cargos mais baixos.

Também para se adequar à digitalização do banco, 333 agências serão transformadas em Posto de Atendimento Avançado (PAA), que são pontos destinados a municípios desassistidos de serviços bancários e possuem estrutura reduzida de funcionários. Outras 49 PAAs devem se transformar em agências.

A intenção é gerar uma economia de R$ 2,3 bilhões aos cofres públicos por ano, sendo que a estimativa é de que 21 mil empregados sejam desligados nesses sete programas de desligamentos aprovados. A pasta estuda ainda a adoção de mais quatro PDVs para outras estatais, com objetivo de redução de custos e aumento da produtividade.

BNB renegocia dívida dos produtores rurais até dezembro deste ano

O superintendente do Agronegócio do Banco do Nordeste, Luís Sérgio Farias, alerta: produtor rural que tem dívidas até dezembro de 2011 pode renegociar, tendo, inclusive, direito a um rebate de até 95%. do valor.

Não é bondade, não. Há uma lei garantindo esse benefício para os produtores rurais que precisam comparecer a qualquer agência do BNB para acertar sua situação financeira.

Luís Sergio não adiantou quanto podem ser beneficiados com a medida, nem falou sobre valores envolvidos, mas disse que o volume é razoável.

O prazo para a renegociação vai até dezembro deste ano.

(Foto – Paulo MOska)

Déficit previdenciário nos Estados mais que dobra em quatro anos

Nos últimos quatro anos, o déficit previdenciário dos Estados disparou e mais do que dobrou. É o que revela, nesta terça-feira, em reportagem, o Portal G1.

Debilitadas, as finanças estaduais inspiram cuidados, segundo analistas. Excluídos da reforma da Previdência aprovada em primeiro turno na Câmara dos Deputados, os estados vão ter de lidar com um déficit das aposentadorias dos regimes próprios de R$ 144,6 bilhões neste ano, de acordo com cálculos do economista Paulo Tafner, pesquisador da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). Em quatro anos – de 2015 ao final de 2019 –, estima-se que o rombo cresça 137%.

O quadro preocupante dos estados fica evidente quando se faz uma comparação com a situação do governo federal. No mesmo período, entre 2015 e 2019, o déficit do regime próprio da União vai crescer 36%, para R$ 98,8 bilhões.

 

“O déficit da União cresce de forma acelerada, porém num ritmo muito menor do que o dos estados. E isso ocorre basicamente porque a União está numa etapa mais avançada de amadurecimento previdenciário. Ele cresceu muito há uns anos e agora está começando a se estabilizar”, afirma Tafner. “Não é o caso dos estados, que contrataram muita gente ao longo dos anos 1990, 2000, 2010 e várias dessas pessoas estão se aposentando agora.”

VAMOS NÓS – É por essas e outras que os governadores e prefeitos brigam para entrar na proposta de reforma da Previdência. O cenário para eles é crítico.

Prouni abre inscrições para bolsas de estudo não preenchidas no processo seletivo

301 1

Estarão abertas, a partir de 5 de agosto, as inscrições para as bolsas de estudo que não foram preenchidas no processo seletivo regular do Programa Universidade para Todos (ProUni) do segundo semestre.

Diferente do processo seletivo regular, que exigia que os participantes tivessem feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2018, agora o estudante pode ter participado de qualquer uma das edições do Enem a partir de 2010.

SERVIÇO

*A inscrição deverá ser feita na internet, no site do ProUni aqui.

Waldonys vai pisar nesta terça-feira no palco que o lançou nacionalmente

Nesta terça-feira, o cantor e sanfoneiro Waldonys vai viver uma grande emoção,

Em 1986, ele subiu ao palco do Teatro Sesc Pompeia, em São Paulo, para ser apresentado a todo o País pelo falecido Dominguinhos, dentro do Programa Som Brasil, da Globo, que contava no comando com o ator Lima Duarte.

Agora Waldonys volta ao mesmo palco, mas para se apresentar no Programa Sr. Brasil, da TV Cultura, que tem na apresentação Rolando Boldrin.

“Emoção muito grande de pisar nesse palco que me lançou para o Brasil”, disse o artista, antes de embarcar para São Paulo na madrugada desta terça-eira.

Waldonys aproveitou para informar que já está preparando um show bem especial para comemorar seus 47 anos de vida. Será no Teatro RioMar Papicu agora em setembro, tendo a participação de convidados especiais.

(Foto – Paulo MOska)

CMN conclui regulamentação de cadastro positivo

Sancionada há três meses, a lei que facilitou o cadastro positivo – lista de bons pagadores – agora pode entrar efetivamente em vigor. O Conselho Monetário Nacional (CMN) concluiu nessa segunda-feira (29) a regulamentação do registro dos diretores e dos controladores responsáveis pelas empresas e pelos bancos de dados que acompanharão a vida financeira dos consumidores em todo o país.

A resolução aprovada pelo conselho obriga os diretores das empresas que recolhem os dados dos pagadores a comprovar capacitação técnica para a função. Os controladores dos bancos de dados (empresas que processam as informações e dão notas aos consumidores) deverão ter reputação ilibada (sem suspeita). Somente com esses dois requisitos, essas companhias poderão obter o registro no Banco Central (BC) exigido pela nova lei do cadastro positivo.

Segundo o chefe do Departamento de Regulação do Sistema Financeiro do BC, João André Calvino Pereira, a resolução do CMN lista critérios semelhantes aos aplicados para controladores e diretores das demais instituições financeiras. Ele estimou que, com a nova lei, o número de brasileiros na lista de bons pagadores, que podem obter juros e taxas mais baixas, salte dos atuais 10 milhões para 70 milhões, 80 milhões ou até 90 milhões de pessoas. O representante do BC, no entanto, não deu um prazo para que isso ocorra.

Um decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro, publicado no dia 25, listava mais critérios para a formalização das empresas de coleta de informações e os bancos de dados. Além de terem de cumprir padrões de segurança, de proteção das informações, eles precisam ter patrimônio líquido de pelo menos R$ 100 milhões e terem diretores separados para a gestão dos cadastros e para a segurança da informação.

O decreto também detalhou os procedimentos a serem seguidos no caso de vazamento de dados. Caso as informações vazadas tratem do sistema financeiro, o Banco Central deverá ser comunicado. Se dados de consumidores forem divulgados indevidamente, a apuração caberá à Secretaria Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça. Caso os vazamentos digam respeito a dados de pessoas físicas não relacionados ao consumo, a recém-criada Autoridade Nacional de Proteção de Dados deverá ser avisada.

(Agência Brasil)

Bolsonaro: invasão de telefone é crime e ponto final

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nessa segunda-feira (29), por meio de seu porta-voz, Otávio Rêgo Barros, que a invasão de telefones de autoridades “é crime e ponto final”. Foi uma referência à interceptação de comunicações privadas do ministro Sergio Moro e diversas outras autoridades. Investigação da Polícia Federal sobre o caso, batizada de Operação Spoofing, prendeu quatro suspeitos do crime na semana passada.

“O presidente tem se pronunciado, no entendimento de que essa ação de hackers tem ‘a intenção de atingir a [Operação] Lava-Jato, o ministro Sergio Moro, atingir a minha pessoa [Bolsonaro], tentar desqualificar, tentar desgastar o governo’. E ressaltou que ‘a invasão de telefones é crime e ponto final'”, disse o porta-voz.

O principal suspeito de invadir as comunicações privadas de autoridades, Walter Delgatti Neto, afirmou, em depoimento, que foi ele quem entregou voluntariamente o conteúdo das mensagens ao jornalista norte-americano Glenn Greenwald e que não foi pago para isso.

Greenwald é fundador do site The Intercept, que tem divulgado as trocas de mensagens atribuídas a procuradores da Lava Jato e ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, então juiz que comandava as ações da operação em Curitiba.

No fim de semana, Bolsonaro disse que Glenn Greenwald “talvez pegue uma cana aqui no Brasil”. Segundo o porta-voz do governo, trata-se de uma “percepção pessoal” do presidente.

(Agência Brasil)

Humanidade já usou recursos naturais do planeta para 2019

A partir desta segunda-feira (29), a conta da humanidade passa a ficar em débito com a Terra. É que a partir de hoje passaremos a consumir mais recursos do que o planeta consegue regenerar. A informação é do Global Footprint Network (GFN), uma organização de pesquisa responsável pelo cálculo do Dia da Sobrecarga da Terra, que mede a chamada Pegada Ecológica das atividades humanas no mundo.

Esse cálculo mede a área terrestre e marinha necessária para produzir todos os recursos consumidos por uma população ao ponto em que o planeta ainda consiga se regenerar.

“O motivo deste processo de degradação do planeta é nosso atual padrão de consumo, que exige uma quantidade maior de recursos que a natureza consegue oferecer”, aponta a Global Footprint Network.

De acordo com os cálculos da organização, se a humanidade mantiver o ritmo atual de consumo teremos consumido 1,7 planeta Terra, até o final de 2019. A Global disse ainda que neste ano, o limite bateu um recorde: nunca havia acontecido tão cedo desde que o planeta entrou em déficit ecológico no início dos anos 1970. “Há 20 anos, essa data caiu em 29 de setembro; dez anos atrás, em 18 de agosto”, diz nota da instituição.

A organização informou ainda que projeções moderadas das Nações Unidas para o aumento da população e do consumo indicam que em 2030 precisaríamos da capacidade de duas Terras para acompanhar nosso nível de demanda por recursos naturais.

(Agência Brasil)

Canindé ganha equipamento voltado à cultura e ao esporte

Um cineteatro, uma biblioteca, um telecentro, quadra poliesportiva, pista de skate, aparelhos de ginástica, playground e pista de caminhada, além de um Centro de Referência da Assistência Social (Cras), deverão integrar a Praça dos Mestres, um equipamento da Prefeitura de Canindé, em parceria com o Ministério da Cidadania.

A obra era uma promessa política à população de Canindé, no Norte do Ceará, a 115 quilômetros de Fortaleza, mas estava com os trabalhos paralisados desde 2017, quando ficou esquecida por duas gestões.

(Foto: Divulgação)

Ditadura Militar – OAB lança nota de repúdio contra declaração de Bolsonaro

597 2

A Ordem dos Advogados do Brasil lançou na noite desta segunda-feira (29) nota de repúdio às declarações do presidente Jair Bolsonaro, que disse que Fernando Augusto de Santa Cruz Oliveira foi morto pelo grupo Ação Popular – o mais sanguinário, segundo Bolsonaro -, no Rio de Janeiro, e não pelos militares, conforme aponta a Comissão Da Verdade. Santa Cruz é pai do atual presidente da Ordem, Felipe Santa Cruz. Confira:

A Ordem dos Advogados do Brasil, através da sua Diretoria, do seu Conselho Pleno e do Colégio de Presidentes de Seccionais, tendo em vista manifestação do Senhor Presidente da República, na data de hoje, 29 de julho de 2019, vem a público, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo artigo 44, da Lei nº 8.906/1994, dirigir-se à advocacia e à sociedade brasileira para afirmar o que segue:
1. Todas as autoridades do País, inclusive o Senhor Presidente da República, devem obediência à Constituição Federal, que instituiu nosso país como Estado Democrático de Direito e tem entre seus fundamentos a dignidade da pessoa humana, na qual se inclui o direito ao respeito da memória dos mortos.

2. O cargo de mandatário da Chefia do Poder Executivo exige que seja exercido com equilíbrio e respeito aos valores constitucionais, sendo-lhe vedado atentar contra os direitos humanos, entre os quais os direitos políticos, individuais e sociais, bem assim contra o cumprimento das leis.

3. Apresentamos nossa solidariedade a todas as famílias daqueles que foram mortos, torturados ou desaparecidos, ao longo de nossa história, especialmente durante o Golpe Militar de 1964, inclusive a família de Fernando Santa Cruz, pai de Felipe Santa Cruz, atingidos por manifestações excessivas e de frivolidade extrema do Senhor Presidente da República.

4. A Ordem dos Advogados do Brasil, órgão máximo da advocacia brasileira, vai se manter firme no compromisso supremo de defender a Constituição, a ordem jurídica do Estado Democrático, e os direitos humanos, bem assim a defesa da advocacia, especialmente, de seus direitos e prerrogativas, violados por autoridades que não conhecem as regras que garantem a existência de advogados e advogadas livres e independentes.

5. A diretoria, o Conselho Pleno do Conselho Federal da OAB e o Colégio de Presidentes das 27 Seccionais da OAB repudiam as declarações do Senhor Presidente da República e permanecerão se posicionando contra qualquer tipo de retrocesso, na luta pela construção de uma sociedade livre, justa e solidária, e contra a violação das prerrogativas profissionais.

Brasília, 29 de julho de 2019

Diretoria do Conselho Federal da OAB

Colégio de Presidentes da OAB

Conselho Pleno da OAB Nacional

NHR Brasil de Jornalismo – TV Fortaleza recebe prêmio nacional por reportagens sobre hanseníase

A série de reportagens “Hanseníase – Por um acolhimento libertador” rendeu à TV Fortaleza, emissora oficial da Câmara Municipal de Fortaleza, o Prêmio NHR Brasil de Jornalismo, como vencedora na categoria TV. A jornalista Renata Sampaio, coordenadora geral de Comunicação da Câmara Municipal de Fortaleza, recebeu a premiação, acompanhada dos jornalistas Ítalo Lima, diretor de Jornalismo da TV Fortaleza, e Rita Brito, coordenadora do Núcleo de Reportagens Especiais da emissora.

O II Prêmio NHR Brasil de Jornalismo ocorreu durante a cerimônia de abertura do 55º Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, nesse domingo (28), em Belo Horizonte.

Confira a relação dos trabalhos vencedores:

Jornal/Revista
Reportagem: Brasil é o segundo país com mais casos de hanseníase
Autora: Jane Fernandes
Veículo: Jornal A Tarde (Bahia)

TV
Reportagem: Hanseníase – Por um acolhimento libertador
Autores: Rita Brito, Tony Arruda, Jarbas Melo, Marcélio Barros, Ranieri Vieira,
Luan Botelho, Lúcio Uchôa e Ítalo Lima
Veículo: TV Fortaleza (Ceará)

Rádio
Reportagem: Hanseníase – Vários Olhares
Autor: Christhian Sousa
Veículo: Rádio Antares (Piauí)

Mídia Online
Reportagem: Dramas da Hanseníase
Autores: Wendell Rodrigues, Maryellen Badarau, Stéfhani Alves, Eufênia Pereira e
Janieli Ventura
Veículo: Repórter Especial (Distrito Federal)

Categoria Especial – Estigma
Reportagem: Na luta contra a hanseníase, o preconceito ainda é forte barreira
Autora: Ludimila Honorato
Veículo: Emais Estadão (São Paulo)

(Foto: Divulgação)

SBP: Brasil desativou 16 mil leitos pediátricos desde 2010

Um levantamento feito pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) mostrou que nos últimos nove anos o Brasil desativou 15,9 mil leitos de internação pediátrica, aqueles destinados a crianças que precisam permanecer no hospital por mais de 24 horas. Segundo a SBP, dados obtidos no Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde (CNES), mantido pelo Ministério da Saúde, indicam que em 2010, o país dispunha de 48,8 mil leitos no Sistema Único de Saúde (SUS). Em 2019, segundo dados relativos ao mês de maio, o número baixou para cerca de 35 mil.

A pesquisa também mostra que os leitos disponíveis nos planos de saúde ou em unidades privadas caíram em 2.130 no mesmo período, com 19 estados perdendo leitos pediátricos nessa rede. São Paulo desponta com a maior queda: ao todo foram 762 unidades encerradas, seguido do Rio Grande do Sul (-251) e Maranhão (-217).

Segundo os dados, os estados das regiões Nordeste e Sudeste foram os que mais sofreram com a redução de leitos de internação no SUS, com 5.314 e 4.279 leitos a menos, respectivamente. Em seguida estão as regiões Sul (-2.442 leitos), Centro-Oeste (-1136) e Norte (-643).

São Paulo foi o estado que mais perdeu leitos de internação infantil entre 2010 e 2019, com 1.583 leitos pediátricos desativados. No sentido contrário dois estados tiveram aumento no número de leitos SUS: Amapá, que saltou dos 182 leitos pediátricos existentes em 2010 para 237 no fim do ano passado, e Rondônia, foi de 508 para 517.

Entre as capitais, São Paulo lidera o ranking dos que mais perderam leitos na rede pública (-422), seguidos por Fortaleza (-401) e Maceió (-328). Três capitais, Salvador, Macapá e Manaus, conseguiram elevar a taxa de leitos, o que sugere que o grande impacto de queda tenha recaído sobre as demais cidades metropolitanas ou interioranas dos estados.

Infraestrutura precária

Segundo a presidente da SBP, Luciana Rodrigues Silva, as informações coincidem com o panorama de limitações e precária infraestrutura que se apresenta àqueles que diariamente atuam nos serviços de assistência pediátrica. “A queda na qualidade do atendimento tem relação direta com recursos materiais insuficientes. Essa progressiva redução no número de leitos implica obviamente em mais riscos para os pacientes, assim como demonstra o sucateamento que se alastra pela maioria dos serviços de saúde do país”, disse.

De acordo com Luciana, entre os agravos que mais têm levado as crianças a precisar de internação estão as doenças respiratórias, com prevalência acentuada nos períodos de outono e inverno, como bronquiolites, crises de asma e pneumonias. Os problemas gastrointestinais, casos de alergias e as chamadas arboviroses, também de ocorrência sazonal, completam a lista que contribuem para o crescimento dessa demanda.

UTIs neonatais

De acordo com a SBP, levando em conta o número de prematuros que nascem no Brasil (912 por dia), faltam pelo menos 2.657 leitos intensivos neonatais em todo o Brasil, sendo que o ideal seria haver no mínimo quatro leitos para cada grupo de mil nascidos vivos.

“Atualmente, no entanto, dados do Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde (Cnes) indicam a existência 9.037 leitos do tipo no país, públicos e privados, que correspondem a 3,1 por mil nascidos vivos. Se considerados apenas os leitos oferecidos no SUS, esta taxa cai para 1,6 leitos por mil 1.000, considerando as 4.764 unidades existentes”, diz a SBP.

Entre os estados, o pior resultado apurado pela SBP consta em Roraima, onde os 12 leitos de UTI neonatal disponíveis compõem a taxa de 1,02 leito por mil nascidos vivos. Na segunda pior posição, o Amazonas, com 1,29 leito por um milhar, seguido do Acre, onde o mesmo grupo de recém-nascidos tem 1,34 leito. Na outra ponta, três unidades da federação atingiram a taxa mínima preconizada pelos pediatras: Rio de Janeiro, com 5,53 leitos por mil nascidos vivos; Espírito Santo, com taxa de 4,82 leitos; e Distrito Federal, com 4,22.

Ministério da Saúde

Por meio de nota, o Ministério da Saúde informou que, de 2010 a maio de 2019 foi registrado aumento de quase três vezes no número dos leitos complementares no SUS, incluindo os de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), passando de 10.787 para 30.855, dos quais 4.764 de UTI Neonatal e 2.525 leitos de UTI Pediátrico. Os leitos de UTI são os de maior complexidade, que exigem estrutura e esforço de profissionais, além de serem destinados a pacientes em casos graves.

“O Ministério da Saúde, nos últimos anos, investiu na expansão de leitos pediátricos e neonatais para atendimento de maior complexidade, destinados a pacientes graves e que exigem maior estrutura e esforço de profissionais. O crescimento da oferta de leitos de cuidados intermediários e intensivos para esses casos foi de 25% entre 2010 e 2018, totalizando atualmente mais de 11,6 mil leitos no SUS, de julho de 2010 a março de 2019”, diz a nota.

Segundo o Ministério, a habilitação de novos leitos deve ser solicitada pelos gestores locais. A habilitação e a liberação de recursos são feitas mediante apresentação de projetos, que são analisados pela pasta. “O gestor local também tem autonomia para ampliar o número de leitos com recursos próprios, a partir de sua avaliação em relação a demanda e necessidade e capacidade instalada de oferta assistencial. A habilitação de leitos pelo Ministério da Saúde assegura recursos adicionais para o custeio do serviço”.

(Agência Brasil)

Projeto quer criar disque-denúncia contra discriminação contra pessoas com autismo

Mais de dois milhões de pessoas no Brasil vivem com o Transtorno do Espectro Autista (TEA), segundo dados do Ministério da Saúde. Para crianças e adolescentes, a dificuldade de inserção social e do próprio relacionamento com outros pessoas são os maiores obstáculos enfrentados. Além disso, muitos precisam lidar com o preconceito de instituições de ensino que criam empecilhos para acolher esses estudantes.

Quando adultos, autistas têm dificuldades para conseguir emprego, se relacionarem socialmente e sofrem com a falta de acessibilidade em espaços públicos e coletivos.

A criação de um disque-denúncia para relato de casos de discriminação está se concretizando na Câmara dos Deputados. Tramita, em caráter de urgência, o projeto de lei que obriga o poder público a oferecer o canal. A Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência aprovou o PL em junho. O disque-denúncia será gratuito e disponibilizado em âmbito nacional.

O que poderá ser denunciado

Impedimento na contratação de planos de saúde ou cobertura negada e a discriminação de pessoas com diagnóstico de Transtorno do Espectro Autista no mercado de trabalho são algumas das ações que poderão ser denunciadas.

Para escolas que recusarem a matrícula de estudantes com TEA, a Lei 12.764 já prevê multa de três a 20 salários mínimos contra a gestão.

No Brasil, além da Política Nacional, os pacientes são amparados pela Lei 13.146/2015, conhecida como Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência.

(Com Estadão)

Vereadora retorna ao PT apregoando necessidade de luta contra o desgoverno de Bolsonaro

Nesta terça-feira, às 18 horas, na sede do PT estadual (Benfica), a vereadora Larissa Gaspar fará ato de filiação ao petismo. O Diretório Estadual aprovou por unanimidade seu retorno. Ela estava no PPL que acabou se fundindo ao PCdoB.

A filiação de Larissa chegou a sofre críticas do presidente municipal do PT, Deodato Ramalho, observando que ela era vereadora que formava na base aliada do prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT).

Sem querer mais polêmicas e feliz por voltar ao PT, ela divulga a seguinte mensagem:

Faço política na rua, ao lado do povo. Feliz por retornar ao PT nesse momento de renovação, e também de reafirmação da importância da sua base popular e da sua origem junto aos movimentos sociais e sindical.

O Brasil precisa se mobilizar para enfrentar os retrocessos do desgoverno Bolsonaro, defendemos a união das forças de esquerda e o PT tem um papel relevante nesse processo.

Tenho dialogado com vários movimentos sociais e lideranças políticas a respeito desse desafio, espero colaborar nessa construção e continuar com nosso trabalho fiscalizador e propositivo na Câmara Municipal, Fortaleza é muito desigual e injusta, só a luta do povo pode transformar essa realidade.

(Foto – Reprodução do Youtube)

FMI – Brasil precisa fazer a reforma da Previdência e reduzir déficit orçamentário

88 3

O Fundo Monetário Internacional (FMI) avalia que o Brasil deve elevar o ritmo de crescimento de 0,8% em 2019 para 2,4% em 2020, ao considerar que “uma robusta” reforma da Previdência Social será aprovada pelo Congresso, com retorno da confiança de empresários e famílias, recuperação de investimentos e manutenção da política monetária acomodatícia, de acordo com Alejandro Werner, diretor do FMI para o Departamento do Hemisfério Ocidental, em texto breve que trata das perspectivas econômicas para a América Latina.

“Em adição a uma bem sucedida aprovação da reforma da Previdência, permanece crucial uma continua redução do déficit do Orçamento nos próximos anos para assegurar a sustentabilidade de dívida pública”, apontou Werner. “Para reforçar o potencial de crescimento, o Brasil precisa de reformas estruturais decisivas, incluindo a tributária, privatização, liberalização comercial e medidas para fortalecer a eficiência da intermediação financeira.”

O diretor do Fundo destacou que elevadas incertezas sobre políticas adotadas por governos de países grandes da América Latina contribuíram para o fraco desempenho do crescimento da região de janeiro a junho. No caso do Brasil, preocupações com o prazo e a magnitude da reforma da Previdência mantiveram dúvidas sobre medidas da administração federal “acima de médias históricas.” Ele também apontou que, em relação ao setor de mineração do País, a atividade apresentou moderação no primeiro semestre devido à tragédia provocada pelo rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, Minas Gerais, no começo do ano.

O FMI diminuiu a previsão de alta do PIB do Brasil de 2,1% para 0,8% para este ano, a maior para países analisados pela atualização de julho do documento Perspectivas Econômicas Mundiais. Em relação a 2020, a projeção foi levemente reduzida, de 2,5% para 2,4%.

O desempenho mais fraco da economia do Brasil e do México foram importantes fatores que levaram o Fundo a reduzir a projeção do crescimento da América Latina de 1,4% para 0,6% em 2019 e de 2,4% para 2,3% em 2020.

O Fundo cortou a estimativa de expansão do PIB do México de 1,6% para 0,9% para este ano devido a muitas incertezas sobre políticas do governo do presidente Andrés Manuel López Obrador, mas manteve a previsão de alta de 1,9% em 2020 com a normalização das condições da economia.

Segundo Werner, o México enfrenta incertezas elevadas devido à reversão de algumas políticas oficiais, como a relacionada às reformas nos setores de energia e educação. “Há também continuas preocupações sobre a saúde financeira e perspectivas da Pemex.”

Para o diretor do FMI, o cumprimento da meta do déficit fiscal deste ano e a aprovação de um orçamento “prudente” para 2020 serão importantes para provar o compromisso da gestão de López Obrador de responsabilidade na administração das contas públicas e de não elevar a dívida oficial como proporção do Produto Interno Bruto. “Avançar reformas estruturais para reforçar a produtividade continua fundamental para fortalecer o potencial de crescimento do México no médio prazo”, destacou o diretor do Fundo.

Para a Argentina, o Fundo estima que a recessão deve reduzir sua força neste ano, pois depois de o PIB cair 2,5% em 2018 deve registrar uma retração de 1,3% em 2019, com um declínio recente da inflação e melhora do nível de atividade.

Contudo, o FMI reduziu pela metade a previsão de crescimento da Argentina de 2,2% para 1,1% em 2020 sobretudo porque os juros reais precisarão continuar elevados por um bom período porque deve persistir a inflação alta. Por outro lado, o país deve registrar uma recuperação da produção agrícola e gradual retomada do poder de compra de consumidores, depois da vigorosa compressão dos salários reais no ano passado.

Em relação à Venezuela, o Fundo ampliou sua projeção de queda do PIB para este ano de -25% para -35% e manteve a previsão de retração de 10% em 2020. Devido à profunda crise econômica e humanitária no país, o FMI prevê que o Produto Interno Bruto deve registrar uma queda de 60% de 2013 a 2019. “A hiperinflação também é prevista para continuar e imigração a intensificar”, apontou Werner, ressaltando que o total de pessoas que deixarão aquela nação deve superar 5 milhões até o final deste ano.

(Estadão)

Em Juazeiro do Norte, o Podemos já definiu seu pré-candidato a prefeito

478 2

O Podemos acaba de lançar a pré-candidatura do vereador Glêdson Bezerra à prefeitura de Juazeiro do Norte (Região do Cariri). A articulação foi fechada pelo presidente estadual da legenda, empresário Fernando Torres, e conta com o aval do senador Eduardo Girão.

Glêdson entra na disputa com uma base de apoio que faz oposição ao atual prefeito José Arnon (PTB). Ali, o vereador lidera um grupo formado por vários profissionais liberais, comunicadores, empresários e parlamentares que se dizem insatisfeitos com a gestão da cidade.

O presidente estadual do Podemos, Fernando Torres, endossou o ingresso de Glêdson, adiantando que ele é capaz de aglutinar mais forças de oposição. “Nosso objetivo é oferecer alternativa ao que está no governo, primando pela moralidade, transparência e eficiência na aplicação do recurso público”, explica ele.

DETALHE – Glêdson já foi presidente da Câmara Municipal de Juazeiro do Norte.

(Foto – Divulgação)

Procurador-geral de Justiça propõe setores com torcida mista no clássico-rei de sábado

193 1

Em outubro de 2017, Girão, então presidente do Leão, assistiu ao clássico-rei ao lado de Robinson.

O procurador-geral de Justiça, Plácido Rios, propôs aos presidentes do Ceará e do Fortaleza a disponibilização de setores com torcidas mistas, iniciando a experiência já no Clássico-Rei, válido pela Série A, do Brasileirão, no próximo sábado às 19 horas, na Arena Castelão.

“A ideia é que isto ocorra gradativamente. No próximo jogo, dois camarotes receberão 40 torcedores dos dois times e a expectativa é de que possamos oferecer na partida seguinte, pela Taça Fares Lopes, um espaço maior para esse encontro de torcidas. É uma manifestação de civilidade e que sinaliza a possibilidade de novos avanços no futuro”, explica Plácido Rios, que reuniu, na sede da Procuradoria Geral de Justiça, nesta segunda-feira, os dirigentes dos dois clubes e o coordenador do Nucleo do Desporto e Defesa do Torcedor (Nudtor), promotor de justiça Edvando França.

O comandante da 3ª Cia do 2° BPChoque, Major PM Landim, o vice-presidente da Federação Cearense de Futebol, Eudes Bringel, o assessor jurídico da FCF, Mauro Neto, e o 1° Vice Presidente do Ceará, Raimundo Pinheiro, também participaram da reunião. Plácido baseia-se no fato de que desde 2015 não há registro de atos de violência dentro do  Castelão.

“Vencemos juntos o desafio de ordenar o entorno do estádio e agora vamos adiante. Ficamos muito felizes com a anuência de todos os presentes. Sabemos que não podemos, ainda, misturar todo mundo de uma vez só, mas este é um passo simbólico para construirmos uma cultura de paz nos estádios cearenses”, disse, durante o encontro,  o promotor Edvando França.

Robinson de Castro, presidente do Ceará, é a favor: “Estamos caminhando pra um nível de convivência entre as duas torcidas jamais visto no nosso Estado. Queremos apagar essa imagem de que o estádio é um local perigoso e oferecer um ambiente familiar e seguro para todos que queiram se divertir. Por isso, temos que planejar bem esse momento e ter a maturidade de separar acontecimentos isolados”, disse Robinson de Castro.

Marcelo Paz, presidente do Fortaleza, também se manifestou: “O futebol é algo bem maior do que ganhar jogos e a implantação de setores mistos representa isto, pois gera conscientização, um ambiente mais saudável e isto é qualidade de vida. Ganhar é consequência do bom trabalho. Estamos vivendo um momento ímpar, pois essa boa relação que existe hoje entre o Fortaleza e o Ceará não era vista há muito tempo e faz toda a diferença”, acwemntua o dirigente tricolor.

(Foto – Paulo Matheus/Divulgação)

Luiz Pontes: Pré-candidatura de Carlos Matos a prefeito de Fortaleza vai enriquecer debate

241 2

Luiz Pontes comanda encontro com lideranças tucanas.

O PSDB reuniu, no começo da tarde desta segunda-feira, em sua sede em Fortaleza, membros dos diretórios estadual e municipal de Fortaleza. Sob o comando do presidente estadual, o ex-senador Luiz Pontes, a legenda iniciou o planejamento de suas ações com vistas ao pleito de 2020.

Luiz Pontes informou que, nesta terça e quarta-feira, estará recebendo cerca de 50 pré-candidatos a prefeito e vereador de várias cidades do Interior.

Sobre a disputa em Fortaleza, o dirigente tucano informou que a pré-candidatura de Carlos Matos a prefeito virá com o objetivo de “enriquecer o debate”. Com esse objetivo, o PSDB reforçar as rodas de conversas  em vários bairros.

(Foto – PSDB)